Implantação do BRT em Fortaleza aumentará velocidade média dos ônibus

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

A velocidade média das duas linhas de ônibus expressas que ligam o Centro ao terminal de Messejana não passa, hoje, de 21 km/h. Após a implantação do BRT (Bus Rapid Transit) entre os dois bairros, que deverá ser finalizada em 2016, a perspectiva é de que os coletivos passem a circular a 28 km/h.

De acordo com o diretor-técnico da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Antônio Ferreira, o tempo de viagem das linhas, que transportam quase 12 mil passageiros por dia, varia, atualmente, entre 73 a 90 minutos.

Anunciado pelo prefeito Roberto Cláudio (Pros) durante apresentação no Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), o corredor Centro-Messejana também prevê outras duas intervenções: a construção de um viaduto por cima da rotatória da avenida Aguanambi e o fechamento do canal que divide via.
Segundo Ferreira, a rotatória da avenida está saturada. Por dia, passam por ela 41 mil veículos. "A priorização precisava ter uma faixa exclusiva e um viaduto, porque o maior entrave desse corredor inteiro é a rotatória”, avaliou.

Além dos projetos prioritários para a Copa do Mundo de 2014 e outros três BRTs ainda sem data prevista, outros corredores exclusivos para o transporte público deverão ser implantados na Capital em até três anos.

Entre os corredores, o da Aguanambi contará com mais trechos com faixas exclusivas de BRT. O restante terá intervalos de BRS (Bus Rapid Service), com faixas prioritárias. "O BRT irá do terminal de Messejana até a avenida Domingos Olímpio, cruzando com o corredor Antônio Bezerra-Papicu. Talvez mais para dentro do Centro seja um pouco BRS, mas será muito pouco”, disse o diretor-técnico da Etufor.

Saída da BR-116

Para que o corredor Centro-Messejana possa reduzir o tempo de viagem e aumentar a velocidade média dos coletivos, além da faixa exclusiva na avenida Aguanambi e do viaduto, os fluxos de tráfego na BR-116 também precisarão ser modificados. Embora ainda não haja definições sobre obras na via, alternativas estão sendo discutidas entre a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Prefeitura de Fortaleza.

De acordo com a assessoria de imprensa da PRF, a saída da BR-116 pela avenida Visconde do Rio Branco poderá ser ampliada, com a retirada do canteiro central da via e a implantação de mão única.

A rua Paulo Firmeza, que também recebe fluxo de veículos da BR-116 com destino ao bairro Aldeota, poderá ter nova curvatura de entrada (para que não haja diminuição de velocidade) e inversão de sentido. A via que serviria de entrada para a BR-116, localizada nas proximidades da Visconde do Rio Branco, ainda seria definida.

Na altura do bairro Messejana, dois viadutos (nos quilômetros 3 e 6 da BR-116) são gargalos do trânsito. Conforme a assessoria da PRF, o semáforo instalado na descida do viaduto que dá acesso ao Cambeba já facilitou a entrada de coletivos e veículos particulares na avenida Frei Cirilo, uma das principais vias de Messejana.

Informações: O Povo Online

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960