Governo do Rio descarta BRT no lugar do Monotrilho

segunda-feira, 29 de junho de 2015

O governo desistiu de construir o BRT no trajeto que daria lugar à Linha 3 do metrô e vai retomar os estudos para ligar Niterói e São Gonçalo com transporte sobre trilhos. A decisão foi informada nesta quinta-feira pelo secretário de Estado de Desenvolvimento, Marco Capute, em audiência pública na Assembleia Legislativa (Alerj). 

De acordo com Capute, o governador Luiz Fernando Pezão e o secretário de Transportes, Carlos Roberto Osorio, concluíram que o BRT não seria suficiente para dar conta da demanda da região. O projeto que previa a construção de um sistema de monotrilho, que tem menor capacidade do que o metrô, também foi descartado. 

“Definimos que o metrô é a melhor solução para a população de Niterói e São Gonçalo fazendo a conexão com as barcas. Construir o BRT seria mais rápido e barato, mas não adianta investir em um projeto de eficácia momentânea”, afirma Capute. A meta do governador, segundo ele, é ter o projeto pronto até ano que vem e iniciar as obras em 2017 ou 2018. A previsão é que elas levem cinco anos.

Osorio ressaltou que o metrô deve ser implantado em estrutura suspensa, seguindo o traçado da antiga linha férrea da região. O plano de fazer um BRT na estrada RJ-104 (Niterói-Manilha), que passa por outro eixo de Niterói e São Gonçalo, está mantido. 

“O BRT da RJ-104 faria integração em Alcântara e em Arariboia com a Linha 3. Ele entra em Niterói pela Alameda São Boaventura e seria expandido até Manilha. A ideia é fazer uma grande estação em Tribobó, sendo ponto de integração da RJ-104 com a RJ-106, que vai até o centro de Maricá.” 

O secretário frisou que o metrô só será construído se o governo federal não cortar os recursos prometidos. O sistema em monotrilho estava orçado em R$ 3,9 bilhões e o BRT, em R$ 1,7 bilhão. A estimativa do custo do metrô só será conhecida quando o novo projeto for concluído.

Por Gustavo Ribeiro
READ MORE - Governo do Rio descarta BRT no lugar do Monotrilho

Liberada verba para construção do BRT de Feira de Santana

A construção do sistema BRT (Bus Rapid Transit) de Feira de Santana foi autorizada na manhã desta segunda-feira (29) com a assinatura da ordem de serviço pelo  governador Rui Costa e pelo ministro das Cidades, Gilberto Kassab, em evento realizado no bairro Sítio Novo. 

De acordo com o governo, o sistema de transporte, que deve ser concluído em janeiro de 2017, vai beneficiar 56 mil passageiros que atualmente utilizam o tradicional serviço de ônibus. O BRT contará com dois corredores – João Durval, com 4,8 quilômetros de extensão, e o Corredor Getúlio Vargas, com 4,45 quilômetros, totalizando 9,25 quilômetros que vão ligar três terminais, também parte do projeto.

De acordo com o secretário municipal de Trânsito e Transporte, Ebenezer Tuy, com a construção do BRT, toda a cidade será interligada. “Já temos os terminais do Norte, Sul e Central. Depois da obra concluída vamos ter mais três, que serão fundamentais para que a acessibilidade melhore em Feira de Santana", explicou. 

Ao todo, 20 ônibus especiais, com acessibilidade, GPS, ar-condicionado e capacidade para atender até cem passageiros, por viagem, vão circular pelos corredores exclusivos. A construção conta com um investimento de aproximadamente R$ 87 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal.

"A responsabilidade do Governo Federal é com os mais necessitados. Temos o entendimento de que se o Governo não estiver próximo aos municípios, as grandes obras, como a do BRT, não seriam possíveis. Um bom exemplo é no campo da habitação com o Programa Minha Casa, Minha Vida, que aqui em Feira [de Santana] já entregou 39 mil unidades habitacionais contratadas", lembrou o ministro Gilberto Kassab.

READ MORE - Liberada verba para construção do BRT de Feira de Santana

Modernização da rede de trólebus segue em SP, diz SPTrans

Recentemente muito se falou nas redes sociais e em fóruns de discussão sobre uma possível paralisação na modernização da rede elétrica de trólebus na cidade de São Paulo, sobretudo na região do Ipiranga.

No entanto, a SPTrans nega qualquer tipo de suspensão da reforma: “os serviços seguem em andamento, sendo que, até o momento, já foram executados 60% dos serviços de modernização de toda rede” – diz nota da empresa gerenciadora do transporte paulistano ao portal Via Trolebus.

De acordo ainda com a SPTrans, a região do Ipiranga deve receber uma Estação Transformadora Retificadora (ETR) para “equalizar o potencial elétrico da região, bem como a modernização de 14,9 km da Rede de Contato”. O prazo inicial para conclusão dos trabalhos na região é até o final deste ano.

Terminal Vila Prudente

Continua indefinido o ponto final da linha 3160 (Terminal Vila Prudente – Terminal Parque dom Pedro II). O Terminal anexo às estações do Metrô e do Monotrilho deve ser inaugurado, porém de acordo com a SPTrans, não existe previsão de levar os trólebus ao local.

Diminuição de panes

As panes na rede de trólebus caíram de 75 por mês em média no ano de 2012 para 13 registros no mês de setembro após o início dos trabalhos, representando 83% de redução nas falhas.

Por Renato Lobo
Informações: Portal Via Trolebus
READ MORE - Modernização da rede de trólebus segue em SP, diz SPTrans

Simulador mede impactos em possíveis mudanças no sistema da mobilidade urbana

domingo, 28 de junho de 2015

Quais seriam os benefícios adquiridos se uma parcela da população de uma determinada cidade substituísse, por exemplo, o uso do automóvel pelo transporte público? O Simulador – Software DM Impactos, disponível para consulta on-line, consegue fazer uma estimativa dos ganhos. Por exemplo, se 10% da população de Brasília substituísse o carro pelo ônibus, haveria uma redução na emissão de 5% dos poluentes locais e as pessoas gastariam somente 1% a mais de tempo.

Desenvolvido pela ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), em parceria com a WWF Brasil, o simulador tem como principal objetivo sensibilizar as pessoas e os gestores públicos quanto às variações que podem ocorrer na mobilidade de uma cidade quando se altera a quantidade de viagens em benefício de algum meio de transporte em detrimento de outro. 

De acordo com a associação, a intenção básica é contribuir para as discussões sobre como transformar a mobilidade urbana para que as cidades sejam mais ambientalmente saudáveis e sustentáveis. 

Por meio do simulador, é possível obter porcentagens sobre o tempo gasto nos deslocamentos, o consumo do espaço viário, de energia, emissão de poluentes locais e do gás carbônico. Ele considera cinco modos usados no ambiente urbano: a pé, bicicleta, ônibus, motocicleta e automóvel. 

Segundo a ANTP, os valores foram estimados por processos estatísticos, para sensibilização a respeito da ordem de grandeza dos impactos. A associação alerta que os resultados não devem ser usados para definir ações ou projetos. 

Para ter acesso ao simulador, clique aqui

Thays Puzzi
READ MORE - Simulador mede impactos em possíveis mudanças no sistema da mobilidade urbana

Deficientes visuais reclamam da falta de sinal sonoro no metrô de Fortaleza

Usuários que precisam utilizar a linha sul do Metrô, que faz o trajeto Fortaleza a Pacatuba, reclamam dos problemas sonoros que o equipamento vem apresentando. De acordo com relatos dos passageiros, os vagões não estão mais anunciando as chegadas e partidas nas estações, o que dificulta a vida dos deficientes visuais que utilizam o equipamento.

Em nota, o Metrofor diz que as falhas no sistema sonoro dos trens em operação na linha Sul do Metrô já foram identificadas e registradas. A empresa Ansaldobreda, responsável pelo serviço, foi notificada desde novembro de 2014, mas ainda não solucionou o problema. Diariamente, 16 mil pessoas utilizam a linha Sul do metrô.

Informações: Tribuna do Ceará

READ MORE - Deficientes visuais reclamam da falta de sinal sonoro no metrô de Fortaleza

GDF entrega novo terminal de ônibus no Riacho Fundo II

O governo do Distrito Federal entregou um novo terminal de ônibus no Riacho Fundo II neste sábado (27). Ele fica na QS 18, Área Especial, e deve atender cerca de 40 mil pessoas todos os dias das 5h20 às 0h40.
Foto: Dênio Simões/Agência Brasília
O terminal tem dez pontos de embarque e desembarque, 40 vagas para ônibus, 20 vagas para bicicletas, lanchonetes e banheiros. Os funcionários das empresas que atuam na região terão uma sala separada para comer e descansar.

O governador do DF, Rodrigo Rollemberg, participou da cerimônia junto a secretários e representantes do GDF. Segundo a Secretaria de Mobilidade, mais oito terminais devem ser inaugurados até o final do ano em Sobradinho II, Ceilândia, Gama Leste, Samambaia Sul e Norte e Recanto das Emas I e II.

Os projetos são financiados com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento. Outras nove plataformas passam por reformas e devem ficar prontas em 2016. Elas ficam no Guará I e II, Núcleo Bandeirante, Ceilândia (P Sul), Paranoá, Taguatinga (M Norte), Taguatinga Sul, Planaltina e no Cruzeiro Novo.

Informações: G1 DF

READ MORE - GDF entrega novo terminal de ônibus no Riacho Fundo II

Tarifa da integração metrô-ônibus de Canoas sofre reajuste nesta segunda

A partir de segunda-feira a integração entre metrô e ônibus para os moradores de Canoas, na região metropolitana de Porto Alegre, fica mais cara. O valor da integração entre o metrô e os coletivos de Canoas, operados por Vicasa (integração realizada com os cartões SIM, TRI ou TEU) e Sogal (somente com cartão TEU), passa de R$ 3,80 para R$ 4,20.

O desconto na tarifa, segundo a Trensurb, é de 9,7% com o uso dos cartões de bilhetagem eletrônica. A tarifa total sem o benefício custa R$ 4,65 (R$ 1,70 do metrô + R$ 2,95 do ônibus). O reajuste faz parte da revisão do desconto de integração por parte da Metroplan (Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional).

A integração ônibus-metrô-ônibus entre os municípios de Porto Alegre e Canoas também fica mais cara, custando R$ 7,12 com cartão. O desconto em relação à soma do total das tarifas (R$ 7,90) é de 9,9%. A integração tripla é feita com a utilização dos cartões SIM ou TRI, aceitos no metrô, nos ônibus integrados da Vicasa em Canoas e nos coletivos da Capital.

Informações: Plantão RS


READ MORE - Tarifa da integração metrô-ônibus de Canoas sofre reajuste nesta segunda

Aumento da tarifa de ônibus em Natal segue em discussão

sexta-feira, 26 de junho de 2015

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) irá aguardar a conclusão de estudos técnicos para definir se irá aumentar o valor da tarifa do transporte público em Natal. A última correção ocorreu em julho do ano passado, quando saiu de R$ 2,20 para R$ 2,35. Na manhã de ontem, na reunião ordinária do Conselho Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana, o assessor técnico do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros (Seturn), Nilson Queiroga, apresentou uma planilha de gastos das empresas que operam linhas na capital e reiterou a necessidade de revisão da passagem dos atuais R$ 2,35 para R$ 2,90.
Foto: Edno Natan
Durante a reunião de ontem, que não tinha como objetivo discutir a oneração da tarifa, mas o Regimento Interno do Conselho Municipal, Nilson Queiroga requereu o agendamento de uma audiência com a titular da STTU, Elequicina dos Santos. Ele pretende explicar a necessidade da revisão do custo, baseado na inflação acumulada de 2010  a 2014 e no mais recente aumento salarial concedido aos motoristas e cobradores.

“Tem empresa que irá requerer recuperação judicial. Para outras empresas desaparecerem, assim como ocorreu com a Riograndense há poucos anos, não está faltando nada”, argumentou Nilson Queiroga. O assessor do Seturn comentou, ainda, que algumas empresas poderão reduzir a frota para não recorrerem à recuperação judicial. Ele, porém, não citou quais empresas enfrentam dificuldades econômicas atualmente.

Elequicina dos Santos, por sua vez, alegou que não poderia discutir aumento enquanto não tivesse acesso ao relatório da consultoria contratada pela Secretaria para avaliar o caso tecnicamente. “Não tenho nenhuma posição ainda. Tudo depende dessa análise. Recebemos a solicitação (do Seturn) e estamos analisando todos os cálculos sobre o reajuste da tarifa”, frisou a secretária. Ela disse, ainda, que o aumento pode sim ser concedido, mas que só será oficializado, e se for, após uma ampla análise dos fatores que envolvem o setor, além do impacto na sociedade usuária do sistema. A data da reunião com os representantes do Seturn não foi anunciada.

Discussão
Para endossar o pleito do Seturn, a representante da Cooperativa dos Transportadores Autônomos de Natal (Transcoop), Maria Edileusa Queiroz, referendou a necessidade do aumento. Ela alegou que os 87 permissionários cooperados enfrentam dificuldades financeiras e, alguns deles, demitiram funcionários. “Se o aumento não for concedido, teremos dificuldade para manter o serviço. Nós estamos falidos”, destacou Maria Edileusa Queiroz. Bastou esta assertiva para uma discussão e troca de acusações se iniciasse.

O presidente do Sindicato dos Transportes Alternativos (Sitoparn), José Pedro dos Santos Neto, se posicionou contrário ao aumento e acusou a Transcoop de agir em benefício do Seturn. “Irei apresentar um documento ao Conselho sobre o aumento. Sou contra o aumento da passagem, pois só seria concedido com a licitação. A sociedade não pode pagar se ainda não teve a licitação”, frisou. Ele criticou o Seturn afirmando a entidade só procura a STTU quando é para conceder aumento de tarifa e não para melhorar o sistema de transporte público. “Se eles (Seturn) deram aumento de salário, o problema é deles”, destacou.

Do outro lado, Maria Edileusa Queiroz disse que José Pedro dos Santos Neto não poderia se posicionar contra o aumento da tarifa pois não é permissionário. Além disso, ela disse que no Sitoparn só existem dois permissionários sindicalizados, o que reflete a falta de respaldo da entidade. O tom da discussão beirou a baixaria, necessitando que a secretária Elequicina dos Santos interviesse e encerrasse a troca de acusações. “Eu sou o presidente do Sindicato e somente o Sindicato é quem representa uma categoria e não uma Cooperativa”, asseverou o presidente do Sitoparn em resposta à presidente da Transcoop.

Por Ricardo Araújo
READ MORE - Aumento da tarifa de ônibus em Natal segue em discussão

Monotrilho da Linha 15 terá ampliação do horário de operação, diz Metrô

A ampliação no horário do monotrilho da Linha 15-Prata deverá ocorrer no final deste mês, segundo estimativa do Metrô em reportagem do jornal “Folha de São Paulo” que falou, mais uma vez, sobre os atrasos nas obras.

O texto relata a afirmação do diretor de engenharia da companhia, Walter Castro, que da conta de que o adiamento ocorreu devido a atrasos de empresas, entre elas a Bombardier, que produz os trens e não liberou novas composições para circulação.

A Bombardier por sua vez disse que “trabalha para atender as necessidades do Metrô, mesmo considerando as limitações de infraestrutura impostas por outras empresas contratadas pelo próprio Metrô.”

O novo horário de operação do monotrilho entre Vila Prudente e Oratório deverá ser entre 7h e 19h. Segundo ainda a reportagem, três estações novas devem ser entregues em 2016.

Por Renato Lobo
READ MORE - Monotrilho da Linha 15 terá ampliação do horário de operação, diz Metrô

Transporte coletivo normal no Recife nesta sexta-feira

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Ao contrário do que circula nas redes sociais, os rodoviários não vão paralisar suas atividades nesta sexta-feira (26), segundo nota divulgada pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE). Os metroviários também afirmaram que a paralisação é um boato.

A Urbana afirma que os rodoviários não vão parar seus serviços nesta sexta-feira (26) devido a acordo firmado com o Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco junto ao Ministério Público-PE de que não haverá paralisação ou protesto até o final das negociações do conflito coletivo da categoria, processo a ser iniciado na próxima semana.

Quanto aos boatos sobre a paralisação dos metroviários que circularam no WhatsApp, o presidente do Sindicato dos Metroviários de Pernambuco (Sindmetro-PE), Diogo Morais, publicou em seu perfil na rede social Facebook que não há convocação alguma para paralisação da categoria nesta sexta: "Quando formos realmente parar, utilizaremos dos meios oficiais de divulgação e da imprensa", afirmou. A categoria também divulgou nota oficial sobre o episódio.

Em abril deste ano, rodoviários, metroviários, dentre outros profissionais de diversas categorias aderiram à parasalição nacional convocada pela CUT contra a aprovação do projeto de lei 4330/04 da terceirização.

Informações: JC Online

READ MORE - Transporte coletivo normal no Recife nesta sexta-feira

No Rio, Consórcio Santa Cruz é alvo de muitas criticas

O consórcio Santa Cruz, que opera os ônibus na maior parte da Zona Oeste do Rio, é campeão de reclamações recebidas pelo serviço 1746, da prefeitura. A empresa Pégaso — que teve interditados 90% da frota vistoriada pelo Procon nas duas últimas blitz — é a líder do grupo, que responde por nove das dez linhas mais criticadas pelo serviço. No quesito conservação dos veículos, oito das dez piores também são do consórcio.

O ranking, divulgado no último dia 8 pela Secretaria municipal de Transportes (SMTR), se refere ao primeiro trimestre deste ano, mas reflete falhas antigas. Em outubro de 2014, a prefeitura notificou o consórcio pelos problemas. Dez meses após a notificação, a SMTR ainda evita falar em cassação do contrato. De lá para cá, foram aplicadas multas operacionais e uma contratual, de mais de R$ 10 milhões. O grupo recorreu e tem ainda até agosto para apresentar sua defesa.

Para passageiros entrevistados nesta quarta-feira pelo EXTRA, o serviço não melhorou. Pela manhã, um ônibus da linha 841, da Pégaso, trafegava com uma lanterna dianteira quebrada, assentos soltos e o painel do motorista trincado.

— Os pneus estão sempre carecas, os carros, imundos, e, quando a gente reclama, os funcionários dizem que é isto que a gente merece — esbravejou a funcionária pública Nelma Diniz, de 58 anos.

O advogado Armando de Souza, presidente da Comissão de Legislação de Trânsito da OAB-RJ, classifica como "omissão das autoridades” o fato de esta e outras empresas ainda não terem sido cassadas. A última vez que a prefeitura cassou uma empresa de ônibus foi em dezembro de 2009, antes da licitação.

A SMTR alega que "já está lançando mão de todos os dispositivos legais previstos no contrato a fim de garantir o cumprimento das regras estabelecidas no contrato”.

Armando de Souza rebate:

— Se uma empresa do consórcio descumpre o seu dever de zelar pela segurança e, consequentemente, pela vida do passageiro, então não há cláusula (do contrato) que não possa ser judicialmente questionada e revista.

Em nota, a Secretaria municipal de Transportes "ressalta que realiza constantes ações de fiscalização nas ruas, em terminais e nas garagens. De janeiro a maio, 550 ônibus foram lacrados em ações de fiscalização, dos quais 205 eram do consórcio Santa Cruz”.

Promessa de melhora

Em nota, o consórcio Santa Cruz afirma que passa por uma "reestruturação para otimizar sua operação”. "Com a saída de duas empresas devido a prejuízos financeiros — a Andorinha e a Rio Rotas —, linhas estão sendo redistribuídas entre as consorciadas, e algumas estão assumindo maior participação no serviço com o objetivo de oferecer mais qualidade à população”, diz a nota. O consórcio afirma ainda que, na Zona Oeste, há uma "concorrência desleal de vans e kombis ilegais que circulam sem a devida fiscalização, afetando a saúde financeira das participantes do consórcio”.

A Pégaso informou que o ônibus citado na reportagem será encaminhado para manutenção. Em nota, a empresa acrescentou que "vem investindo na renovação de seus ônibus, com 107 carros zero quilômetro já entrando em circulação, distribuídos por nove linhas”.

Informações: Extra Globo
READ MORE - No Rio, Consórcio Santa Cruz é alvo de muitas criticas

Dourados cumpre mais uma etapa de melhorias na mobilidade urbana

O prefeito Murilo dá mais um passo na melhoria de setores da mobilidade urbana, dando continuidade ao Projeto de Reestruturação do Sistema de Transporte Coletivo de Dourados, com ampliação da frota disponibilizada à população. São 15 novos ônibus que serão colocados a partir de segunda-feira, dia 29, nas mais diversas linhas que cortam a cidade. Além do anúncio da instalação de dois terminais em breve.
Foto: Chico Leite
A aquisição dos ônibus foi feita pela Medianeira Dourados, concessionária do serviço de transporte coletivo, para atender a exigência do processo licitatório que venceu no mês de abril deste ano para continuar administrando o sistema.

Com os novos veículos, a frota do município passa de 58 para 67 unidades. Além destes, mais quatro ônibus novos serão inclusos na frota a até o final de julho, para atender a Cidade Universitária. Serão veículos maiores que os demais, para suprir a demanda dos estudantes.

Os ônibus novos possuem sistema mais moderno do que o usado na frota atual, são mais silenciosos e confortáveis para o uso da população, e todos adaptados para garantir acessibilidade às pessoas com deficiência. O layout também foi modificado e hoje os ônibus são das cores do município: azul, com detalhes em branco e amarelo.

“Os outros veículos da frota que já vem sendo usados serão todos reformados e vão receber também o novo layout”, explica Ahmad Hassan Gebara, o Mito, diretor presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) de Dourados.

Integração
Os veículos novos também já estão preparados para o uso do Cartão Leve que armazena créditos de passagem. Através deste, o condutor pode fazer a integração, ou seja, mudar de um ônibus para outro em seu trajeto sem precisar pagar uma segunda passagem. O prazo para troca pelo usuário é de 45 minutos, contados a partir do momento que o motorista do primeiro ônibus chega ao fim de sua linha.

O sistema de integração com o uso do cartão que já existia em todos os pontos de ônibus da cidade, desde o dia 15 passou a ser usado no Terminal de Transbordo. “Desde que fizemos essa mudança no Transbordo tivemos só uma ou duas reclamações que chegaram até a gente. Acreditamos que isso seja fruto da adaptação e que logo todos estarão familiarizados ao novo sistema”, relata Gebara.

Ele lembra que uma equipe de fiscalização da Agetran trabalha no Terminal de Transbordo para garantir a eficiência do serviço e pode ser abordada pelos usuários para tirar dúvidas ou em caso de reclamação. Os usuários que porventura pagarem duas passagens ao invés de uma ao fazer a integração, também podem procurar a Medianeira Dourados que serão ressarcidos.

O Cartão Leve pode ser adquirido no transbordo, na rodoviária e na Medianeira. O valor pago pelo item é R$ 5, todo convertido em crédito. “Vale lembrar que a integração só é feita através do uso do cartão, não no caso do pagamento da passagem em dinheiro”, explica o diretor presidente da Agetran.

Informações: Agora MS
READ MORE - Dourados cumpre mais uma etapa de melhorias na mobilidade urbana

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

Google+ Followers

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960