Em São Paulo, Faixas de ônibus são invadidas por carros e multas cresceram 69% no ano passado

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Bandeira de Fernando Haddad (PT) para diminuir os problemas do trânsito da cidade, as faixas exclusivas e corredores de ônibus foram responsáveis por 1,2 milhão de autuações em 2014. A multa por invadir os espaços exclusivos dos coletivos foi o índice que mais cresceu no ranking do ano passado: 69,5% a mais do que as 713,5 mil infrações aplicadas em 2013. 

Em uma rápida visita à  Ligação Leste-Oeste, sobre o Viaduto Jaceguai, exatamente em cima da Avenida 23 de Maio, Zona Sul, dá para ver que os carros tomaram o lugar que era par ser do ônibus. 

Às 13h, fora do horário de pico, portanto, 52 veículos, a maioria  automóveis, passaram pela faixa em apenas 5 minutos. Ao acessar a   23 de Maio, o motorista tem à sua frente cerca de 140 metros de linha tracejada para se deslocar às faixas da esquerda. 

O término da sinalização, a qual permite o tráfego de outros veículos por se tratar de  uma transição, coincide com o fim do Viaduto Jaceguai. A partir daí,  começa a faixa exclusiva para ônibus naquele trecho.

No Viaduto Pacaembu,  na Zona Oeste, o problema se repete. A quantidade de carros na faixa à direita era praticamente a mesma das outras à esquerda, ou seja, havia congestionamento de carros no trecho reservado aos coletivos, que preferem a pista da esquerda.

De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva  à direita é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20. Já a multa para quem invade os corredores, à esquerda, é de R$ 127,69, com perda de cinco pontos. A  infração é grave.

Em ambos os trechos visitados, o DIÁRIO não viu agentes de fiscalização. Porém, os cerca de 560 radares espalhados pela capital também podem flagrar as infrações e render multa.

Por: Ulisses de Oliveira 
Informações: Diário de SP

Leia também sobre:
READ MORE - Em São Paulo, Faixas de ônibus são invadidas por carros e multas cresceram 69% no ano passado

No Recife, Estações de BRT na Avenida Conde da Boa Vista são horríveis e puro improviso

Cinco anos atrás, quando o governo do Estado deu início à implantação do BRT (Bus Rapid Transit) na Região Metropolitana do Recife, sabia-se que a Avenida Conde da Boa Vista seria um problema para se adaptar ao sistema. Isso não é novidade. Mas as estações de BRT que a população começa a ver ganhar forma no corredor – por onde passam 22% das linhas de ônibus do Grande Recife – frustra até a mais pessimista de todas as expectativas. As estações serão tão estreitas quanto as carcaças que hoje funcionam como abrigo dos passageiros na avenida, não possuirão refrigeração e, mesmo assim, serão fechadas, com pequenos espaços para ventilação. O conforto, premissa na imagem do BRT vendida pelo governo, passa longe. Esse, de fato, não era o combinado.

As seis estações improvisadas que estão sendo erguidas na avenida atenderão apenas a uma das exigências do sistema de BRT: o pagamento antecipado da passagem, ou seja, no lugar de o usuário pagar a tarifa no coletivo, pagará ainda na estação. Mas o embarque em nível não será possível. O passageiro terá que subir e descer nos BRTs pelo lado direito do veículo, usando os degraus como nos ônibus convencionais, procedimento que atrasa a viagem e descaracteriza o BRT. A ventilação das estações dependerá do vento que entrar pelas chapas metálicas perfuradas, que compõem a maior parte da estrutura dos equipamentos. O restante da estrutura será de vidro temperado. Por isso, a expectativa é de que o ambiente seja quente.

A largura das estações é outro aspecto que chama atenção dos passageiros. Muitos usuários e alguns operadores defendem que as estruturas serão pequenas para os 325 mil passageiros que todos os dias passam pela Conde da Boa Vista, transportados nas 82 linhas do corredor. As estações improvisadas da Conde da Boa Vista serão estreitas e compridas, semelhantes as do transporte convencional implantadas ainda na segunda gestão municipal do prefeito João Paulo (PT) e alvos permanentes de críticas da população. Terão 25 metros de comprimento e apenas dois de largura.

Mesmo assim, os “monstrinhos” que estão sendo erguidos na Avenida Conde da Boa Vista custarão caro: R$ 316 mil cada uma, segundo valores divulgados pelo governo do Estado em fevereiro de 2014, quando as obras começaram. A construção, entretanto, está paralisada desde novembro do ano passado. Por nota, a Secretária das Cidades de Pernambuco, responsável pela obra, garantiu estar em negociação com o Consórcio Mendes Jr/Servix, para retomada dos trabalhos.

Por: Roberta Soares
READ MORE - No Recife, Estações de BRT na Avenida Conde da Boa Vista são horríveis e puro improviso

Trensurb disponibiliza internet para os usuários

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Já está em funcionamento, na Estação Aeroporto da Trensurb e no terminal anexo da conexão metrô-aeroporto (aeromóvel), um ponto de acesso Wi-Fi de uso gratuito. 

Trata-se de um projeto piloto da empresa metroviária em parceria com a Procempa, visando trazer mais uma facilidade aos usuários do metrô e do aeromóvel. O nome de identificação da rede sem fio é ‘PORTOALEGRE-LIVRE’ e o alcance do sinal de internet engloba o terminal do aeromóvel, além do saguão e da parte central da plataforma da Estação Aeroporto do metrô.

Informações: Trensurb


READ MORE - Trensurb disponibiliza internet para os usuários

BRT de Uberaba começa a funcionar em fase experimental

No próximo dia 30, a população de Uberaba poderá conhecer melhor o funcionamento do sistema BRT através de um itinerário inaugural, batizado de Linha Verde. O percurso será iniciado às 9h30 e sairá do Terminal Leste (Bairro Manoel Mendes) com destino ao Terminal Oeste (Uberabão). O embarque de passageiros ocorrerá das 11h às 18h, gratuitamente, em um dos terminais. A operação do sistema em caráter experimental começa no dia 31. Os anúncios foram feitos pela Prefeitura de Uberaba na noite desta quarta-feira (21).

A decisão pelo teste foi justificada para um aprimoramento das partes em fase final de implantação e capacitação dos motoristas e técnicos de centrais, juntamente do conhecimento da opinião pública. Ainda estão em andamento as centrais de monitoramento, semafórica e parte da sinalização, bem como a instalação dos separadores. 

Esclarecimentos
Para esclarecer as dúvidas da população, a distribuição de material informativo sobre o Sistema BRT/Vetor, que está prestes a entrar em operação em Uberaba, será realizada pela Prefeitura. A distribuição começa em pontos da área central da cidade. O material também está disponível no site e no Facebook da Prefeitura.

Segundo o superintendente de Transporte Coletivo, Claudinei Nunes algumas linhas mudaram de nome, bem como trajeto, mas são mudanças que vão agilizar a prestação do serviço. De acordo com as informações do superintendente, até a próxima semana, 30 pessoas estarão nas ruas, nos principais pontos auxiliando na divulgação, que também será feita em entidades de classe.

Cartões
A Superintendência de Transporte Coletivo alerta que as Estações Tubos só vão operar com cartão, que pode ser adquirido no posto da Transube no Elvira Shopping, localizado na Praça Rui Barbosa e nos pontos de recarga espalhados pela cidade. A diferença e que no posto do Elvira Shopping o cartão fica pronto na hora e nos pontos de recarga em três dias.

Também será disponibilizado para venda o Cartão de Uso Único, que só pode ser usado de um terminal a outro e nas estações, não podendo ser utilizados nas linhas alimentadoras (que percorrem os bairros). Nos terminais também terão bilheterias com venda e ponto de recarga.

Informações: G1 Triângulo Mineiro

READ MORE - BRT de Uberaba começa a funcionar em fase experimental

Prefeitura de São Paulo promete tornar obrigatório o ar-condicionado em ônibus e micro-ônibus

Em meio a recordes de calor em São Paulo, a Prefeitura promete tornar obrigatório o ar-condicionado em ônibus e micro-ônibus de transporte coletivo. De acordo com o secretário de Transportes, Jilmar Tatto, a exigência fará parte dos novos contratos do sistema e já valerá antes do lançamento da licitação, previsto para este semestre. Uma medição feita pelo Estado ontem aponta que um veículo sem o equipamento pode ficar até 12°C mais quente.

Segundo Tatto, a mudança tem por objetivo oferecer mais conforto aos passageiros, evitando que sofram com o calor durante o percurso. "Primeiramente, nós estamos preparando o processo licitatório e isso (exigência do ar-condicionado) vai estar na próxima concessão. Independentemente disso, nós determinamos que os ônibus que estão entrando, e os novos que vão entrar, mesmo antes do processo licitatório, tenham ar-condicionado”, informou o secretário durante a entrega de obras viárias na zona leste, na sexta-feira, 16.

Teste. Uma medição feita pela reportagem na tarde desta terça-feira, 20, constatou que os usuários de ônibus sem ar-condicionado estão submetidos a temperaturas mais intensas. Enquanto em um veículo refrigerado o termômetro marcava 26,6°C, entre 14 e 15 horas, em outro, sem o equipamento, o calor era de 38,8°C. Os testes foram feitos em ônibus da linha 809P (Terminal Campo Limpo-Terminal Pinheiros) e a margem de erro do equipamento usado é de 1,5°C, para mais ou para menos.

"A diferença é muito grande. Basta entrar aqui que já sente o mormaço”, disse o office-boy Douglas Ferreira, de 18 anos, que utilizava um ônibus sem a refrigeração. "Todos deveriam ter ar-condicionado há muito tempo”, reclamou.

No mesmo veículo, o operador de paginação José Marcos Santos, de 47 anos, concordava. "Já vi muita gente passando sufoco por causa do calor.”

A auxiliar de enfermagem Erbênia Silva, de 63 anos, teve mais sorte: conseguiu embarcar em um ônibus refrigerado. "É muito mais confortável, lá fora eu estava pingando de suor. Andar no calor é muito desagradável”, disse.

Atualmente, há somente 60 ônibus com ar-condicionado circulando pela capital paulista, de acordo com dados oficiais da São Paulo Transporte (SPTrans). Ou seja, apenas 4 a cada mil veículos da frota, de cerca de 14.800 ônibus, estão equipados com refrigeração.

Segundo a empresa, esse número deve aumentar para 110 neste primeiro semestre. Até o fim do ano, a estimativa é de que ao menos mil veículos com ar-condicionado circulem em todas as regiões da cidade, mas ainda não há uma estimativa de prazo para que a frota seja completamente renovada.

Os primeiros 20 ônibus equipados passaram a circular em setembro, todos da Viação Campo Belo, e tiveram boa aceitação dos usuários. Atualmente, as Viações Sambaíba e Via Sul também dispõem de veículos com ar-condicionado em circulação, segundo o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss).

De acordo com o sindicato, cada unidade de refrigeração custa cerca de R$ 45 mil - nos veículos maiores, como os "superarticulados”, é preciso instalar duas delas. Os custos com a manutenção e o consumo de combustível também sofreriam alterações.

"Se todos tivessem ar-condicionado, eu deixaria o carro em casa”, comentou o empresário Carlos Eduardo Oliveira, de 35 anos, que precisa usar terno para trabalhar e evita chegar suado nas reuniões. Por causa da temperatura alta e do tempo abafado, também diz ter visto muitas pessoas passarem mal. "É ótimo, até pelo preço que a gente paga na passagem”, afirmou a recepcionista Ana Amancio, de 21 anos. "Quem usa transporte público todo dia prefere conforto.”

As gestões Marta Suplicy (PT) e Gilberto Kassab (PSD) também tentaram implementar ônibus com ar-condicionado, mas não tiveram sucesso. Uma pesquisa da própria SPTrans, feita em 2009, apontou que 86% dos usuários de ônibus preferiam temperatura ambiente e eram contra a instalação do equipamento.

Procura. Nenhuma nova pesquisa foi feita, mas a SPTrans afirma que o panorama mudou e hoje os passageiros preferem esperar no ponto por um veículo com ar-condicionado. A empresa destaca o aumento de 20% na demanda, percebida nos ônibus refrigerados que passaram a circular desde setembro - informação confirmada pela SPUrbanuss.

Informações: O Estado de SP

Leia também sobre:
READ MORE - Prefeitura de São Paulo promete tornar obrigatório o ar-condicionado em ônibus e micro-ônibus

SuperVia coloca em operação quatro novos trens

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

A SuperVia iniciou, nesta segunda-feira (19/1), a operação assistida de mais dois trens chineses adquiridos pelo Governo do Estado, chegando ao total de 24 composições do segundo lote em circulação. Desde o início do ano, são quatro novos trens circulando nos trilhos da concessionária, que juntos oferecem 4,8 mil lugares refrigerados aos passageiros por viagem.

Durante uma semana, as composições circulam em operação assistida para análise das equipes técnicas sobre o desempenho dos trens antes que eles sejam inseridos à grade regular do sistema ferroviário. A previsão é de que outras 46 composições novas entrem em circulação ainda este ano, quando se completa o total de 70 trens encomendados pelo Estado. O processo de renovação da frota da SuperVia segue em ritmo acelerado e, desde 2011, 49 trens antigos foram aposentados, dando lugar aos modelos de última geração.

Os trens chineses contam com passagem interna entre os carros, sistema que não permite a abertura de portas durante as viagens, circuito interno de câmera, bagageiro e painéis de LED. Em 2016, o processo de renovação da frota será concluído e os passageiros do trem do Rio contarão apenas com composições refrigeradas e a idade média da frota terá reduzido de 25 para 15 anos.

Informações: Governo do Rio

READ MORE - SuperVia coloca em operação quatro novos trens

Bilhete Único facilita deslocamentos com o transporte público de Campinas

O Bilhete Único é um cartão individual, intransferível (não pode ser utilizado por outra pessoa) e inteligente, que armazena créditos em dinheiro para o pagamento de passagens de ônibus. Com o cartão, o usuário pode fazer integrações, ou seja, utilizar os veículos do transporte público coletivo municipal (Sistema InterCamp) pagando somente uma tarifa, no período de 2h, todos os dias da semana.

O conceito adotado pelo Bilhete Único é o da integração temporal, sem restrição de uso no sistema, proporcionando economia. Além disso, o uso do cartão evita o pagamento da tarifa com dinheiro, aumentando a segurança dos usuários e operadores; e proporcionando maior agilidade operacional.


O Bilhete Único Comum pode ser feito nos postos de cadastramento da Transurc, que estão nos terminais Central, Ouro Verde, Barão Geraldo, Campo Grande, Metropolitano e Mercado; na sede do Poupatempo Centro (Avenida Francisco Glicério, 935); Expresso Bilhete Único; na sede da Transurc (Rua 11 de Agosto, 757) e a nova Loja do Bilhete Único (Avenida Anchieta, 55). O cadastro e emissão são feitos de forma gratuita. É necessário apenas a apresentação do CPF e RG.

Postos de recarga
Os usuários do Bilhete Único encontram postos de recarga do cartão, credenciados pela Transurc, em centenas de pontos, como casas lotéricas, padarias, lanchonetes, farmácias, açougues, bancas de jornais e revistas, e outros estabelecimentos comerciais, espalhados por toda a cidade.

Para saber sobre os postos de recarga, o usuário pode acessar o site da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), no endereço eletrônico www.emdec.com.br, seção “Transporte”, “Bilhete Único”, “Postos de recarga”. Ou no site da Transurc (www.transurc.com.br).

Informações: EMDEC

Leia também sobre:
READ MORE - Bilhete Único facilita deslocamentos com o transporte público de Campinas

Greve chega ao fim e ônibus voltam a circular em Cascavel

Os trabalhadores do transporte público de Cascavel, no oeste do Paraná, vão voltar ao trabalho a partir das 5h da quinta-feira (22). A decisão foi tomada em uma audiência realizada na tarde desta quarta-feira (21), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PR), em Curitiba. Na cidade, 100 mil pessoas utilizam o transporte coletivo diariamente.

A audiência terminou sem acordo e o aumento de salário dos trabalhadores deve ser decidido pela Justiça, em um julgamento que ainda não tem data definida. A categoria pede aumento salarial de 12%, enquanto as duas empresas responsáveis pelo serviço na cidade oferecem aumento de 7,33% e reajuste no valor da cesta básica, que passaria de R$ 150 para R$ 170.

Os “micrões” – ônibus menores do que os convencionais, mas que têm capacidade para 70 passageiros –, que estão sem circular desde novembro, vão permanecer parados até a decisão da Justiça.
Na audiência, as empresas se comprometeram a fazer o pagamento dos dias parados e a liberar o adiantamento salarial dos trabalhadores até segunda-feira (26). As empresas também retiraram o pedido de aplicação de multa no valor de R$ 100 mil por dia, durante o período em que o transporte ficou parado em função da greve.

Informações: G1 PR, em Cascavel

READ MORE - Greve chega ao fim e ônibus voltam a circular em Cascavel

Duas empresas de ônibus deixam de circular em Belém

Desde a última terça-feira (20), as empresas Viação Princesa e Viação Icoaraci deixaram de integrar o sistema de transporte público de Belém. De acordo com a diretora de transporte da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), Evany Alves, a decisão foi tomada em reunião feita no ano passado, definindo que as empresas entregariam as linhas para que uma nova empresa assumisse as operações.

Segundo a Semob, a empresa Transcol Transporte, que já opera as linhas Pratinha – Presidente Vargas, Pratinha II – Ver-o-Peso e a linha seletiva Castanheira – Pátio Belém irá assumir a rota Icoaraci/Paracuri - Castanheira. O itinerário deverá permanecer o mesmo.
“Essas mudanças têm como objetivo melhorar o transporte público e toda alteração no sistema é realizada para causar o menor impacto possível na rotina do usuário”, afirmou Alves.

Na semana passada, a Viação Perpétuo Socorro saiu do sistema de transporte público da capital paraense após entregar a última linha sob sua responsabilidade. Ainda segundo a Semob, já são três as empresas que deixam de operar no trânsito urbano neste mês.

Informações: G1 PA

READ MORE - Duas empresas de ônibus deixam de circular em Belém

Em Belo Horizonte, Faixas exclusivas de ônibus têm oito invasões por hora

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Os belo-horizontinos vão ter que aprender “na marra” a respeitar as faixas exclusivas de ônibus, porque elas estarão cada vez mais presentes na cidade, e com fiscalização eletrônica para flagrar os infratores. No ano passado, em média, a cada hora, oito motoristas foram autuados por invadir o espaço dedicado ao transporte público. Com os novos detectores instalados na capital, o número de multas quase dobrou. Uma alta de 85,5% em 2014, quando foram registradas 74.285 autuações, contra 40.032, em 2013.

Grande parte dessas multas foi aplicada pelos oito novos equipamentos que começaram a funcionar em junho, julho, agosto e setembro do ano passado, nas avenidas Waldyr Soeiro Emrich e Augusto de Lima, rua Padre Belchior, avenida Nossa Senhora do Carmo e no viaduto Leste, respectivamente. Antes a capital tinha apenas quatro detectores, na Nossa Senhora do Carmo. Novos aparelhos já estão sendo homologados para ser instalados em breve, em mais faixas de ônibus.

De acordo com o balanço de multas do Departamento Nacional de Trânsito (Detran-MG), nos corredores das avenidas Antônio Carlos, Cristiano Machado e Vilarinho, onde o ônibus passa pelo lado esquerdo do sentido da via, o número de autuações (por transitar na faixa da esquerda exclusiva a outro veículo) chegou a 14.754, contra 1.387 em 2013, quando o BRT estava em obras. O aumento foi superior a 900%.

Por outro lado, as multas por avanço de sinal vermelho vêm caindo significativamente em Belo Horizonte. Em 2014, a queda foi de 65%. Foram 59 mil multas, contra 169 mil em 2013.

Para especialistas em trânsito, após um pico de autuações com fiscalização atuante, o motorista começa a obedecer a sinalização para não ser prejudicado.

“Quando você mostra que está ocorrendo fiscalização, acaba inibindo as pessoas de cometer a infração. Se não tem punição, o motorista se sente livre para agir errado ‘rapidinho’”, destaca o coordenador do curso de engenharia de transportes do Cefet, Guilherme Leiva.

Luana Castro, 30, foi multada no fim de 2014 porque não tinha costume de andar no centro da cidade, que ganhou faixas e radares. “Eu nunca havia levado uma multa. Estava na Augusto de Lima e ia entrar à direita, mas não podia, aí continuei na faixa e fui multada porque não sabia. Achei confuso”, conta.

Com a implantação do Move, a capital ganhou novas faixas exclusivas no ano passado, como na avenida Pedro II. E a tendência é que em toda a cidade os ônibus tenham caminho livre. Está sendo projetada a implantação de 41 km de pista para os coletivos em dez corredores, entre as regiões Oeste e Barreiro. Por esse circuito passará o BRT intitulado Expresso Amazonas, previsto para este ano na Lei Orçamentária Anual (LOA) de Belo Horizonte.

Onde estão os radares:

Confira a localização dos detectores de invasão de faixa exclusiva para ônibus em Belo Horizonte:

Av. Augusto de Lima, 407 (próximo à rua Goiás)
Av. Augusto de Lima, 42 (esquina com rua Rio de Janeiro)
Av. Nossa Senhora do Carmo, 329
Av. N. Sra. do Carmo, 500
Av. N. Sra. do Carmo, 624
Av. N. Sra. do Carmo, 777
R. Padre Belchior, 112
R. Padre Belchior, 139
Av. Waldyr Soeiro Emrich (Via do Minério), 1.455
Av. Waldyr Soeiro Emrich, 1.476

Por Joana Suarez
Informações: O Tempo

READ MORE - Em Belo Horizonte, Faixas exclusivas de ônibus têm oito invasões por hora

Linha do metrô de Salvador ligando a Estação da Lapa até Pirajá fica pronta em junho

Mais de 3 mil operários trabalham nas obras do metrô de Salvador, no trecho entre o Bom Juá e Pirajá. A previsão é que até junho a linha 1 esteja operando da Lapa à Estação Pirajá.

Segundo os técnicos da CCR, concessionária do metrô, os operários trabalham em dois turnos para que as obras de Pirajá sejam entregues no prazo estabelecido pelo governo estadual.
A área total de intervenções do Metrô em Pirajá é de mais de 150 mil m².

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, Carlos Martins, a chegada a Pirajá é o “ápice” da linha 1, conforme estava previsto inicialmente no projeto do Metrô de Salvador. “A ligação entre a Lapa e Pirajá vai permitir que aqueles que mais precisam utilizem um transporte público de qualidade para se deslocar pela cidade”, comentou.

Informações: Tribuna da Bahia


READ MORE - Linha do metrô de Salvador ligando a Estação da Lapa até Pirajá fica pronta em junho

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

Google+ Followers

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960