Tarifa do Metrô Rio subirá para R$ 4,30 a partir de domingo

sábado, 1 de abril de 2017

A partir do próximo domingo, dia dia 2 de abril, a tarifa do metrô subirá de R$ 4,10 para R$ 4,30 — um aumento de 6,65% sobre o valor homologado no reajuste anterior, referente à variação do IGP-M (índice de inflação calculado pela Fundação Getúlio Vargas) entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017, conforme previsto em contrato.

O aumento da tarifa foi autorizado pela Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários, Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) no dia 23 de fevereiro, e publicado no Diário Oficial do Estado em 16 de março.

OUTROS REAJUSTES
No dia 12 de fevereiro, o valor das passagens do transporte aquaviário sofreu aumento. A tarifa social (Praça Quinze-Praça Arariboia; Praça Quinze-Paquetá e Praça Quinze-Cocotá) subiu de R$ 5,60 para R$ 5,90. No bilhete único, o pagamento subiu de R$ 4,10 para R$ 5. A tarifa seletiva (Praça Quinze-Charitas) foi de R$ 15,40 para R$ 16,50.

Em janeiro, o Bilhete Único Intermunicipal sofreu um aumento de 23%, subindo de R$ 6,50 para R$ 8,00. Além disso, somente pessoas com renda inferior a R$ 3 mil passaram a ter direito ao benefício. Aqueles que ganham acima disso passaram a pagar o valor inteiro das passagens, mesmo podendo utilizar o cartão. O governo do Estado do Rio ainda chegou a aprovar, ainda em janeiro, um novo reajuste para R$ 8,55, mas uma liminar da Justiçã do Rio derrubou o aumento.

Informações: Extra Globo
READ MORE - Tarifa do Metrô Rio subirá para R$ 4,30 a partir de domingo

Campinas espera liberação de recursos por ministério para tirar sistema BRT do papel

Campinas (SP) deve conseguir, na sexta-feira (31), aval para que o sistema o BRT (Bus Rapid Transit, na sigla em inglês) saia do papel, com a liberação de R$ 100 milhões pelo Ministério das Cidades.Além disso, a administração municipal espera a autorização para financiar quase R$ 200 milhões.
Ônibus comprados para BRT já circulam em meio aos engarrafamentos devido ao atraso no início das obras

"O Ministério das Cidades vai autorizar o início da obra de R$ 300 milhões do BRT, é a maior obra de mobilidade da história de Campinas. São R$ 100 milhões dados pelo governo federal, dinheiro do Orçamento Geral da União [OGU], e R$ 200 milhões de autorização para financiamento. A partir de agora, o município pode tocar os projetos", explica o ministro das Cidades, Bruno Araújo.

Na sexta-feira, segundo ele, haverá assinatura da autorização para início das obras no município. Em relação ao financiamento, os recursos serão repassados de forma gradativa, de acordo com medições dos trabalhos executados em Campinas. Além disso, explica o ministro das Cidades, também serão destinados recursos para um estudo de viabilidade sobre qual melhor modal de transporte para ligação entre a região do Aeroporto Internacional de Viracopos ao Centro.

O deputado federal Carlos Sampaio (PSDB) destaca a importância deste passo. "A autorização do início de obra é o pontapé inicial de qualquer obra. Então, o BRT começa, a partir de agora, a ser uma realidade. A prefeitura pode buscar os investimentos e o governo entra com sua parte."
O ministro das Cidades, Bruno Araújo.

Informações: G1 Campinas
READ MORE - Campinas espera liberação de recursos por ministério para tirar sistema BRT do papel

Reajuste na tarifa de ônibus de Porto Alegre altera integração com trem

O aumento da tarifa de ônibus de Porto Alegre de R$ 3,75 para R$ 4,05, definido na última quarta-feira (29), e que começa a valer nesta sexta (31), vai impactar no valor da integração com o trem operado pela Trensurb. Segundo a empresa, a nova tarifa passa para R$ 5,18, enquanto a integração tripla vai para R$ 8,80.

A integração entre ônibus e trem é realizada com uso dos cartões SIM ou TRI. O desconto tarifário é de 9,91% com o uso dos cartões de bilhetagem eletrônica. A tarifa total sem o benefício ficará em R$ 5,75. Até então o valor cobrado era de R$ 4,90, com os cartões.

Já a integração tripla, ônibus-metrô-ônibus, entre Porto Alegre e Canoas, passa de R$ 8,52 para R$ 8,80. O desconto em relação à soma do total das tarifas (R$ 9,45) é de 6,88%.

Com o aumento da passagem do ônibus na capital, as lotações também êm a tarifa alterada. Também a partir de sexta (31), passa de R$ 5,60 para R$ 6.

Os usuários que possuem créditos ou abastecerem o cartão TRI antes de entrar em vigor a nova passagem terão 30 dias para utilizar o valor de R$ 3,75.

Informações: G1 RS
READ MORE - Reajuste na tarifa de ônibus de Porto Alegre altera integração com trem

Passagem de metrô de Fortaleza sobe para R$ 3,20

A passagem da Linha Sul do Metrô de Fortaleza, que interliga o Centro da capital cearense aos municípios de Maracanaú e de Pacatuba, subirá de R$ 2,40 para R$ 2,85 a partir de 1º de abril. A meia passagem custará R$ 1,40. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira, 22.

Conforme o documento, serão respeitadas as gratuidades previstas na legislação, beneficiando idosos e pessoas com deficiência. Segundo a Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), o órgão utilizou como referência para o reajuste a menor tarifa praticada no sistema metropolitano. 

Diariamente, são transportadas 16,5 mil pessoas na Linha Sul do metrô de Fortaleza, de acordo com dados do Metrofor. Em outubro (2015), o sistema completou 1 ano de operação comercial, e atingiu o transporte de 4,7 milhões de pessoas. A Linha Sul possui 24,1 km de extensão, passando por 18 estações.

HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO

Metrô de Fortaleza – Linha Sul: de 7h às 19h. Valor: R$ 2,40 (reajuste p/ R$ 2,85 a partir de 1º de abril)

Metrô de Fortaleza – Linha Oeste: de 5h30min às 20h40min. Valor R$ 1,00

Metrô do Cariri: de 6h às 19h, aos sábados de de 6h às 14h. Valor: R$ 1,00

Metrô de Sobral: de 8h às 12h. Gratuito - operação assistida.

Informações: O POVO Online
READ MORE - Passagem de metrô de Fortaleza sobe para R$ 3,20

Em São Paulo, Ônibus já rodam sem cobradores em algumas linhas

Entre os ônibus do subsistema local, composto pelas ex-cooperativas, a prática já tem sido comum, mas agora, coletivos de empresas do sistema estrutural, das viações tradicionais, já estão rodando na cidade de São Paulo sem cobradores.

É o que tem acontecido com veículos da linha 576-C 10  – Metrô Jabaquara/ Terminal Santo Amaro, da Mobibrasil, que opera na zona sul de São Paulo e outras linhas devem eliminar os profissionais.

A linha tem ao menos cinco veículos alternados que não possuem mais o cobrador e que ostentam no para-brisa um adesivo advertindo que o pagamento só pode ser feito com Bilhete Único.

Em entrevista ao Diário do Transporte na tarde desta quarta-feira, 29 de março de 2017, o presidente do SPUrbanuss, sindicato das empresas de ônibus, Francisco Christovam, disse que as operações com esses ônibus são apenas testes e que não há data para a implantação da medida definitivamente.  Christovam também afirmou que cada empresa do sistema vai repassar uma relação de linhas à SPTrans para que mais testes desse tipo sejam realizados em todas as áreas operacionais da cidade.

“Quero tranquilizar a todos e dizer que não haverá demissões de cobradores. Na verdade, esses testes são para preparar o sistema. Vamos verificar com essa experiência como ficarão questões como  evasão de passagens, comportamento dos motoristas e dos usuários. No ano passado,.já realizamos alguns desses testes, mas paramos com a mudança da gestão. Tudo está sendo feito com monitoramento da SPTrans. Cada empresa vai selecionar as linhas para submeter à SPTrans para autorização desses testes. Temos o compromisso firmado com poder público, com sindicato de que a medida não poderá trazer desemprego”

No ano passado, houve testes semelhantes, de acordo com Francisco Christovam, nas empresas VCD – Viação Cidade Dutra, Mobibrasil e Tupi, todas na zona sul de São Paulo.

Entretanto, os testes não têm agradado o Sindmotoristas, sindicato que representa os motoristas e cobradores de ônibus da capital paulista.

Por telefone, ao Diário do Transporte, o assessor da presidência do Sindmotoristas, Romualdo Santos, disse que a entidade vai entrar em contato com o poder público contra a medida.

“Nós não aceitamos e repudiamos a forma como isso tem sido colocada. Nós não fomos consultados sobre esses testes e vamos agir contra. Precisa de diálogo”

O sindicalista lembrou também que, por decisão judicial, os ônibus do subsistema estrutural de São Paulo não podem circular sem cobradores.

Em nota, a SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora do sistema de ônibus da capital paulista, informou que autorizou os testes.

A SPTrans autorizou, em caráter experimental, a operação de cinco veículos da viação MobiBrasil na linha 576C/10 Metro Jabaquara-Terminal Santo Amaro, sem a presença de cobrador, de forma intercalada. Ao todo operam 17 ônibus na linha. Existe um compromisso da empresa com a SPTrans para que não haja demissão de cobradores.

A eliminação dos postos de cobradores já é discutida há algum tempo em São Paulo. De acordo com estimativas da prefeitura e das empresas de ônibus, os profissionais representam um custo entre R$ 800 milhões e R$ 1 bilhão por ano ao sistema e seriam responsáveis por trazer R$ 300 milhões, isso porque, apenas 6% dos passageiros hoje em São Paulo pagam com dinheiro.

No dia 06 de fevereiro deste ano, ao andar de ônibus pela primeira vez como prefeito na cidade, João Doria, admitiu que os cobradores podem deixar de existir.

Prefeitura empresas, entretanto, dizem que não haverá desemprego em massa e que os atuais profissionais serão aproveitados em outras funções dos transportes.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes
READ MORE - Em São Paulo, Ônibus já rodam sem cobradores em algumas linhas

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960