Tarifa de ônibus em Curitiba passa a ser a mais cara do Brasil

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Desde a zero hora de segunda-feira, as tarifas dos ônibus de Curitiba e região estão mais caras. O anúncio do aumento da tarifa foi feito na sexta-feira passada pela Urbs e pela Comec.
Foto: Franklin de Freitas

A tarifa do transporte coletivo de Curitiba foi reajustada e passou a R$ 4,25 passando a ser a mais cara do Brasil entre as capitais. a tarifa antiga era de R$ 3,70. Nas linhas metropolitanas sob responsabilidade da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), o preço da passagem varia entre R$ 4,25 e R$ 5,30, conforme degrau adotado pela Coordenação.

Também a passagem do Circular Centro — da Urbs —passou a custar R$ 3,00 e a Linha Turismo, R$ 45,00. Aos domingos, o valor da passagem será o mesmo praticado nos dias úteis, ou seja, não há mais a tarifa domingueira implantada pelo então prefeito, Beto Richa, em 2005.

A justificativa da Urbs ed da Comec para o reajuste foi a falta de equilíbrio econômico-financeiro do sistema de transporte público. “A decisão foi técnica e não demagógica para evitar a continuidade do sucateamento do transporte público”, disse o presidente da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), José Antonio Andreguetto na sexta-feira.

A passagem de ônibus vai a...

VALORES     LINHAS
R$ 4,25       Curitiba/Urbs
R$ 4,25       Campo Magro, Campo Largo, Araucária e Pinhais/Comec (1º degrau)
R$ 4,30       São José dos Pinhais, Almirante Tamandaré e Colombo/Comec (2º degrau)
R$ 4,40       Piraquara e Fazenda Rio Grande/Comec (3º degrau)
R$ 5,30       Bocaiúva do Sul, Contenda, Itaperuçu e Rio Branco do Sul/Comec (4º degrau)
R$ 3,00       Circular Centro /Urbs
R$ 45,00     Linha Turismo/Urbs

A situação em todas as capitais brasileiras:

Aracaju - R$ 3,10
Belém - R$ 3,40 
Belo Horizonte - R$ 4,05
Boa Vista - R$ 3,10
Brasília - R$ 3,50 
Campo Grande - R$ 3,50
Cuiabá -  R$ 3,60 
Curitiba - R$ 4,25
Florianópolis - R$ 3,90 
Fortaleza - R$ 3,20 
Goiânia - R$ 3,70 
João Pessoa - R$ 3,20 
Macapá - R$ 2,75
Maceió - R$ 3,15
Manaus - R$ 3,30
Natal - R$ 2,90
Palmas - R$ 3,00
Porto Alegre - R$ 3,75
Porto Velho - R$ 3,00
Recife - R$ 3,20
Rio Branco - R$ 2,90
Rio de Janeiro - R$ 3,80
Salvador - R$ 3,60 
São Luís - R$ 2,90
São Paulo - R$ 3,80
Teresina - R$ 3,20

Vitória - R$ 3,20

Informações: Bem Paraná
READ MORE - Tarifa de ônibus em Curitiba passa a ser a mais cara do Brasil

No Recife, Usuários reclamam do sistema de integração temporal na Caxangá

Usuários do transporte público no Recife estranharam as mudanças no sistema de integração nos ônibus que trafegam na Avenida Caxangá, Zona Oeste da cidade. Hoje é o primeiro dia útil da nova rota. Desde esta segunda (6), as linhas 2433 – Brasilit, 2423 – Engenho do Meio, 2413 – Avenida do Forte e 2415 – Sítio das Palmeiras virão de seus terminais, mas só passarão por uma parada na Caxangá. A partir daí, os usuários que quiserem seguir para o Centro devem desembarcar e optar por outro ônibus. Até o próximo dia 11, outras quatro linhas devem aderir a essa modalidade.

Em um sistema de integração, o usuário deve usar o cartão VEM para saltar de um coletivo para outro. O valor da viagem será debitado apenas no primeiro ônibus desde que o viajante entre no segundo ônibus em até duas horas. Para seguir até o Centro da cidade, existem opções em ônibus BRT e outros convencionais. Por isso, durante a manhã a reportagem da Folha registrou filas em terminais de passageiros para a compra de créditos para o cartão do VEM.

“Tive que vir fazer um cartão e comprar crédito porque vamos precisar”, disse o motorista desempregado Edson Tavares, 57. Desde quinta-feira, cartões estão sendo distribuídos gratuitamente para a população. Para adquirir, os moradores dos bairros afetados devem levar um comprovante de residência e um documento de identificação, restando aos usuários comprar os créditos para o cartão.

As novidades geraram dúvidas. “O meu ônibus sempre demora muito. Não sei como vai ser agora”, afirmou a diarista Sandra Regina Gomes, 45. Na Caxangá, uma usuária reclamou. “Eu tive que pagar duas passagens porque ainda não tenho cartão. Não acho que essa mudança serve muito para a população”, reclamou a dona de casa Mônica da Silva, 57. 

Por meio de nota, o Grande Recife confirmou que as linhas Monsenhor Fabrício, Barbalho (Detran), Roda de Fogo e Torrões terão seus itinerários modificados a partir do próximo sábado e passarão a fazer integração temporal na Caxangá.






Informações: Folha de Pernambuco
READ MORE - No Recife, Usuários reclamam do sistema de integração temporal na Caxangá

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960