No Rio, Metrô para a Barra já funciona em tempo integral

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

A Linha 4 do Metrô Rio, que interliga Ipanema (General Osório) até Barra da Tijuca (Jardim Oceânico), desde ontem já funciona de segunda-feira a domingo, no mesmo horário da Linha 1 — de segunda-feira a sábado, das 5h à meia-noite, e domingos e feriados, das 7h às 23h. A intenção da concessionária é a de que, com a medida, o número de passageiros diários passe de 110 mil para 300 mil.

Com a manhã de sol, muita gente aproveitou a nova alternativa para chegar à Barra ontem.“Facilita muito a vida, porque o acesso da população é muito tranquilo. De fato, é um avanço na infraestrutura da cidade e um dos legados que foram prometidos pelo governo para os Jogos Olímpicos. É uma maneira de unir a cidade e permitir que as pessoas circulem”, diz o personal trainer Vitor Carvalho, de 33 anos, morador da Tijuca.

O nutricionista Gabriel Alvarenga, de 41 anos, utilizou o metrô, junto com a namorada, a economista Mariana Tie, de 36 anos. “Ajudou bastante, porque eu trabalho aqui na Barra da Tijuca e moro em Copacabana. Estamos preferindo vir pegar praia aqui, porque na Zona Sul, perto de casa, tem arrastão, é tenso. Então, em 15 minutos, a gente está aqui. Nós podemos até ficar até um pouco mais tarde por aqui”, diz.

Com a mudança no horário de funcionamento da Linha 4, o itinerário do metrô na superfície General Osório-Gávea terá o trajeto alterado e agora será Antero de Quental-Gávea. 

Com essa alteração, o novo percurso terá seis estações, uma extensão de 2,5 quilômetros e continuará circulando na Gávea, pela Rua Marquês de São Vicente. 

Não houve alteração na tabela de horários do ônibus. O serviço continua aguardando a chegada do último trem da noite para a partida do último carro dos terminais.  

VLT faz a 1ª viagem até a Praça 15

O trecho do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que vai da Saara à Praça 15, permitindo a conexão com as barcas, fez ontem a sua primeira viagem. Os cariocas, no entanto, terão que esperar até a segunda quinzena de janeiro para viajar pelo trecho. “Na semana do Natal, o VLT vai rodar à noite para evitar qualquer tipo de problema; as pessoas ainda estão se adaptando. A partir da semana seguinte, a gente começa o que chamamos de operação assistida, exatamente como a na primeira etapa da Rio Branco, para na etapa seguinte fazer a operação comercial”, explica Jorge Arraes, secretário especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas. 

Os planos para 2017 são de continuar a segunda etapa do trecho, entre a Saara e a Central, fazendo a interligação com a etapa 1.

Por Gabriel Sobreira
Informações: O Dia
READ MORE - No Rio, Metrô para a Barra já funciona em tempo integral

Transporte individual cresceu 30,5% em Salvador nos últimos cinco anos

O uso do transporte individual, medido com base no tamanho da frota de carros e motos em  circulação na cidade, cresceu 30,5% em Salvador entre os anos de 2010 e 2015. O número, divulgado  em recente levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT), representa o terceiro maior crescimento entre as grandes cidades brasileiras.
Luciano da Mata | Ag. A TARDE

A capital baiana fica atrás apenas de Recife-PE, onde o número de veículos individuais aumentou 39,4%, e Fortaleza-CE, onde esse tipo de transporte teve elevação de 42,4%, segundo a CNT.

Ainda de acordo com o levantamento da confederação, a cidade de São Paulo, sempre lembrada pelos grandes engarrafamentos, teve apenas 19,3% de crescimento no tamanho da frota de carros e motos, a taxa mais baixas entre as grandes capitais do país. A média nacional foi de 24,5%.

Coordenadora de Desenvolvimento do Transporte da CNT, a engenheira civil Fernanda Rezende explica que as estatísticas indicam um privilégio ao transporte individual, principalmente se o crescimento da frota de veículos for comparado à expansão do sistema metroferroviário, modalidade considerada por especialistas a mais eficiente para transporte de massa.

No Brasil, segundo o levantamento da confederação, os sistemas de metrôs e trens cresceram 6,7% entre 2010 e 2015. “Nós continuamos percebendo que as pessoas utilizam muito mais o veículo próprio do que o sistema público. Quando se compara a malha metroferroviária do Brasil com a de outros países, a gente conclui que a malha brasileira ainda é pequena”, afirma.

Ela lista como principais entraves para a resolução desse problema questões como “falta de planejamento, de organização de sistemas de transporte e de integração entre os modais”.

“Nos casos em que o poder público utiliza o mesmo traçado de um trem antigo para passar metrô ou VLT, às vezes esse modal não está onde há maior movimentação, onde há mais gente se deslocando, mas o poder público aproveita para economizar nos custos de implantação”, exemplifica.

Mais trens

Diferente da tendência nacional – de crescimento maior do transporte individual, em relação aos modais sobre trilhos –, Salvador teve um aumento de 115,6% na malha metroferroviária entre 2010 e 2015, segundo os dados divulgados no levantamento da CNT. 

Antes, a capital baiana possuía apenas 11,5 km de trilhos em funcionamento, cortando o Subúrbio Ferroviário de Salvador. No entanto, após a inauguração da linha 1 e de parte da linha 2 do metrô, a malha da cidade subiu para 24,8 km.

O professor de Economia dos Transportes da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Ihering Alcoforado, explica que o desempenho da capital baiana se deve justamente à baixa dimensão da malha metroferroviária que a cidade possuía até então.

“O documento registra que Salvador tinha apenas 11,5 km de malha, uma vergonha se comparada aos 71 km de Recife e aos 43 km de Fortaleza, para ficarmos apenas nas outras duas maiores capitais do Nordeste, ou mesmo aos 13,6 km de Sobral, no interior do Ceará”, analisa Alcoforado.

O especialista avalia que o crescimento do transporte individual no país “indica que os incentivos governamentais utilizados para conter a crise tiveram efeitos diferenciados”.

“Os agentes individuais, os compradores de automóveis, foram mais sensíveis aos estímulos, em especial ao credito e às renúncias fiscais, enquanto os agentes institucionais, os investidores em redes metroviárias, foram menos sensíveis aos estímulos”, explica.

Segundo o Fernanda Rezende, o estudo da CNT tem o objetivo de “caracterizar o sistema metroferroviário do país, apresentando alguns indicadores”. Foram analisadas 14 regiões metropolitanas e Sobral.

“O estudo não tem objetivo conclusivo. A ideia é apresentar o setor e apontar possíveis soluções, como a integração das políticas de transporte. É preciso ter em mente que transporte não é problema só do município, mas metropolitano”.

Informações: A Tarde

READ MORE - Transporte individual cresceu 30,5% em Salvador nos últimos cinco anos

Em Sorocaba, Terminais venderão passes de ônibus no cartão de débito

A partir das 8h de segunda-feira (19) os usuários do transporte coletivo poderão adquirir seus passes utilizando o cartão de débito. A novidade anunciada pela Urbes - Trânsito e Transportes poderá ser utilizada por quem deseja comprar o passe social, o passe estudante e o vale transporte, este último, adquirido por empresas para seus funcionários. As máquinas de cartão de débito estarão disponíveis nas bilheterias dos terminais Santo Antonio e São Paulo, no atendimento da Urbes nas Casas do Cidadão e também na sede da empresa, instalada no Campolim. 

"Trata-se de uma novidade a ser oferecida que vem facilitar a compra dos passes, proporcionando também mais segurança ao sistema, já que a tendência é diminuirmos o manuseio de dinheiro nos locais onde a máquina de cartão de débito estiver em operação", destaca Renato Gianolla, diretor presidente da Urbes. 

A inclusão da venda via cartão de débito foi possível através do decreto municipal nº 22.245, de 15 de abril de 2016, assinado pelo prefeito Antonio Carlos Pannunzio. O documento alterou os artigos 9º, 14º e 19º do Decreto nº 13.826, de 30 de maio de 2003. Para que a cobrança via cartão de débito pudesse acontecer, a Urbes - Trânsito e Transportes realizou o pregão presencial nº 13/2016 no qual a empresa Getnet Adquirência e Serviços para Meios de Pagamento S/A foi a vencedora e passará a operar o novo sistema de cobrança de passagens. (Secom Sorocaba) 

Confira os horários de atendimento dos locais que aceitarão o cartão de débito: 

Terminal Santo Antônio: Av. Afonso Vergueiro, 855 - de segunda à domingo, das 04h20 às 24h40. 

Terminal São Paulo: Rua Leopoldo Machado, 259 de segunda à domingo, das 04h20 às 24h40.

Casas do Cidadão: de segunda à sexta-feira, das 09h às 17h: 

. Dirceu Doretto: R. Estado de Israel, 424 - Jd. Ipiranga 

. Milton Antônio da Conceição: Av. Itavuvu, 3.415 - Pq. das Laranjeiras 

. Orlando Cazerta: Av. Ipanema, 3.439 - Vila Helena 

. Eugênio Leite da Cruz: Av. Bonifácio de Oliveira Cassú, 80 - Éden 

. Dorival de Barros: Av. Bandeirantes, 4.155 - Brigadeiro Tobias 

. Tomaz Aquino Pereira: Rua Cel. Nogueira Padilha, 1460 Vl. Hortência. 

Sede Campolim: Rua Pedro de Oliveira Neto, 98 - Jardim Panorama: de segunda a sexta-feira, das 08h às 16h30. 

Central de Atendimento: Rua Leopoldo Machado, 259 Vl. Amélia: de segunda a sexta-feira, das 08h às 16h. 

Informações: Jornal Cruzeiro do Sul

READ MORE - Em Sorocaba, Terminais venderão passes de ônibus no cartão de débito

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960