No Recife, Empresas de ônibus querem tarifa a R$ 3,25

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

A Urbana-PE, sindicato que representa as empresas de ônibus, apresentou nesta quarta-feira (13) a sua proposta de reajuste das tarifas de ônibus para 2016 na Região Metropolitana do Recife (RMR). O órgão sugere um aumento de 32% no anel "A", que passaria dos atuais R$ 2,45 para R$ 3,25. Já o anel "B" passaria para R$ 4,40. O debate sobre o reajuste das tarifas começa nesta sexta-feira (15), com o início das reuniões do Conselho Superior de Transporte Metropolitano. 

O sindicato justifica que os valores dos aumentos é necessário para promover um equilíbrio econômico-financeiro do sistema de transporte coletivo rodoviário. Além disso, a Urbana-PE ainda aponta um aumento nos custos de manutenção do sistema, como o pagamento de pessoal, gastos com óleo diesel. 

A Urbana-PE alega ainda que há uma defasagem da tarifa que, segundo o sindicato, vem sendo acumulada durante anos. 

O reajuste para essa proposta foi calculado dividindo o custo total do setor pelo total de passageiros pagantes.

A Frente de Luta pelo Transporte Público já marcou um protesto contra o reajuste da tarifa. Um grupo de manifestantes deve se concentrar a partir das 7h30 desta sexta-feira, na Praça do Derby, área Central do Recife.

A reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano deste ano foi marcada para a este dia, às 8h, no Centro de Convenções de Pernambuco. O Conselho teve a sua primeira reunião nessa segunda (11), na Secretaria das Cidades. 

"Esse aumento é injustificável, uma vez que não houve melhoria no sistema. O Conselho se reúne apenas para debater reajuste de tarifa. Não houve as contrapartidas que deveriam ter sido feitas pelas empresas de ônibus neste ano", disse o advogado Pedro Josephi, um dos membros da Frente de Luta. 

O movimento ainda tece críticas ao governador Paulo Câmara (PSB) e faz cobranças das promessas de campanha feitas nas eleições de 2014, como o congelamento das tarifas e a bilhetagem eletrônica. 

Em entrevista ao JC Trânsito nessa segunda-feira (11), o presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Francisco Papaléo, não adiantou qual será a porcentagem de aumento proposta pelo órgão. "Nós temos a responsabilidade de apresentar uma tarifa técnica e aberta. Não posso levar em consideração apenas um IPCA, um IGP-M", disse. De acordo com Papaléo, serão levadas em consideração questões como o aumento do preço dos combustíveis e os custos do maior salário pago a cobradores e motoristas desde julho - a categoria recebeu 9,3% a mais no julgamento do dissídio coletivo.

Informações: NE 10


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - No Recife, Empresas de ônibus querem tarifa a R$ 3,25

Na Grande Vitória, Tarifa de ônibus passou de R$ 2,45 para R$ 2,75

No domingo (10) entrou em vigor a nova tarifa do Sistema Transcol, que passaou de R$ 2,45 para R$ 2,75, sendo reajustada em 12,24%. Os empresários solicitaram um reajuste de 17,18% no preço por quilômetro. O Governo, entretanto, negou a proposta. O realinhamento tarifário foi aprovado no dia 08 de janeiro, após reunião do Conselho Gestor dos Sistemas de Transportes Públicos Urbanos de Passageiros da Região Metropolitana da Grande Vitória (CGTRAN/GV). A tarifa do Transcol estava valendo R$ 2,45 desde 2012. O índice de inflação no período foi de 30,42%. Portanto, menor do que o índice.

O reajuste é previsto no contrato de concessão do Transcol, assinado em 2014. No contrato está definido que os reajustes da tarifa são anuais e obedecem a uma fórmula de cálculo que leva em consideração custos como mão de obra, combustível e veículos.

“Foram iniciadas conversas com os consórcios, mas o Governo do Estado avaliou que a população já está penalizada com a crise econômica e concedeu um reajuste de 12,24%, em vez dos 17% pleiteados pelas empresas”, ressaltou o diretor presidente da Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória, Alex Mariano. 

Mesmo com o reajuste, a passagem do transporte coletivo da Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV) é uma das mais baratas do País. As tarifas das regiões metropolitanas da Região Sudeste custam R$ 4,45, em Belo Horizonte; R$ 3,55 em São Paulo e R$ 3,50 no Rio de Janeiro. 
Outras cidades com características semelhantes à RMGV como Brasília (R$ 4,00), Curitiba (R$ 3,30), Florianópolis (R$ 3,60) e Porto Alegre (R$ 4,20), também adotam tarifas mais caras. Com o reajuste, a tarifa na RMGV é a segunda menor do país, atrás somente de Belém, que ainda não reajustou sua tarifa.

O Governo do Estado destaca que vai manter o repasse do subsídio para o sistema. Serão cerca de R$ 115 milhões por ano para garantir aos usuários do Transporte Coletivo da Grande Vitória um realinhamento tarifário compatível com o momento econômico.

Para calcular a nova tarifa são levados em consideração itens como mão de obra e combustível. A variação do óleo diesel, em 2015, foi de 15,72%, enquanto a mão de obra teve elevação de 10,24%. 
“O valor do subsídio é bem elevado. Todos sabemos que estamos vivendo um momento fiscal complicado. O Estado enfrenta problemas financeiros, mas vai reassumir o compromisso com a população para não penalizar o usuário. Vamos honrar esse compromisso em respeito aos capixabas”, completou Mariano.

A tarifa com desconto no domingo passará de R$ 2,15 para R$ 2,40 e o Bike GV passará de R$ 1,20 para R$ 1,35.

O Sistema Transcol opera atualmente com 1,7 mil veículos na frota, cerca de 12,5 mil viagens e 680 mil passageiros por dia. Hoje é possível ir de Setiba, em Guarapari, a Praia Grande, no município de Fundão, percorrendo cerca de 96 quilômetros com uma única tarifa, de R$ 2,75.

O Governo do Estado também vai manter o subsídio de 100% para o serviço Mão na Roda, que hoje conta com uma frota de 25 veículos. Estão assegurados R$ 6,5 milhões para o serviço que atende a mais de dois mil cadeirantes cadastrados.

Seletivo
As linhas do Serviço Especial Seletivo também serão realinhadas. Elas têm valores que variam de acordo com as distâncias percorridas. Os valores do Seletivo, por força de decreto, não podem custar mais do que 100% do valor da tarifa do Transcol. Sendo assim, as linhas de Vila Velha, Cariacica e Viana, que custam R$ 4,40, passam para R$ 5,20. As linhas da Serra, que custam R$ 4,80, e as linhas de Jacaraípe e Praia Grande, que valem R$ 4,90, passam a valer R$ 5,50.

Informações: CETURB

Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - Na Grande Vitória, Tarifa de ônibus passou de R$ 2,45 para R$ 2,75

Emdec define novas regras para o cadastro do Bilhete Único Escolar

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) estabelece novas regras para a atualização cadastral ou inscrição de novos candidatos para o uso do Bilhete Único (BU) Escolar. Agora, os estudantes do ensino fundamental e médio têm a opção de realizar o cadastro também de maneira online, além do uso do formulário impresso. Para os estudantes de cursos profissionalizantes e do EJA (Ensino de Jovens e Adultos), apenas por formulário online.

O cadastro online já é praticado para os estudantes que utilizam o Bilhete Único Universitário. A intenção da Emdec é agilizar o processo de cadastro. “Nós queremos facilitar a vida dos usuários, simplificar o processo, deixando-o mais ágil. É um aprimoramento da maneira de cadastro, que começou de forma online com o Bilhete Universitário e agora é estendido para o Escolar”, revela o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

O cadastro para o Bilhete Escolar e o Universitário foi retomado nesta segunda-feira, dia 11 de janeiro. A venda dos créditos retorna a partir de 18 de janeiro. O preenchimento do formulário online pode ser feito no site da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), no endereço eletrônico www.transurc.com.br.

Outro avanço é a extinção da Caderneta de Frequência. Agora, o aluno não precisa que ela seja carimbada, mensalmente, na secretaria da escola. Além disso, a aquisição dos créditos pode ser feita em toda a rede credenciada. “Com essa novidade, o aluno tem a disposição mais de 300 pontos de venda de créditos; e a possibilidade de realizar várias ações remotamente, sem a necessidade de ir até a sede da Transurc”, avalia Barreiro.

Benefício do cartão
O Bilhete Único Escolar, cartão na cor azul, garante desconto de 60% no valor da tarifa de ônibus do transporte público coletivo de Campinas para os estudantes do ensino fundamental e médio e de cursos profissionalizantes, que residem em Campinas e morem a mais de 1 km do estabelecimento de ensino das redes pública e privada do município. Com isso, ao invés de pagar R$ 3,80 pela tarifa, o estudante desembolsa R$ 1,52.

O Bilhete Único Universitário, cartão cinza, proporciona 50% de desconto no valor da tarifa para alunos de graduação em regime integralmente presencial, morador em Campinas, regularmente matriculado em instituição de ensino superior do município e que resida a mais de 1 km da universidade. A viagem, com o cartão, custa R$ 1,90. Convém destacar que o Bilhete Único garante a integração no sistema de transporte público coletivo do município por um período de 2h.

As regras para o Bilhete Escolar e Bilhete Universitário estão nas resoluções 12/2016 e 13/2016, respectivamente, que foram publicadas na edição desta segunda, 11 de janeiro, do Diário Oficial do Município (www.campinas.sp.gov.br/diario-oficial), a partir da página 18.

Para mais informações, o usuário pode utilizar o Disque Transurc, no número 0800 014 02 04.

Informações: EMDEC


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - Emdec define novas regras para o cadastro do Bilhete Único Escolar

No Recife, Via Mangue será enfim completada e faixa azul inaugurada na Av. Conselheiro Aguiar

A nova faixa exclusiva para os ônibus, equipamento que já mostrou ganho de velocidade de até 50% para os coletivos, poderá, enfim, ser implantada ao longo das Avenidas Conselheiro Aguiar, em Boa Viagem, e Antônio de Góis, no Pina. Serão sete quilômetros de prioridade ao transporte coletivo, beneficiando diretamente 28 linhas de ônibus.
O prefeito Geraldo Júlio afirmou que a Faixa Azul seria implantada junto com a liberação da pista leste da Via Mangue, mas a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) explicou que o equipamento deverá estar funcionando logo na sequência. “Haverá só uma diferença de dias. Acredito que não conseguiremos implantar no mesmo dia por questões operacionais, mas será pouco tempo depois”, explicou a presidente do órgão, Taciana Ferreira.

A Faixa Azul será implantada na faixa da direita das duas avenidas. Na Conselheiro Aguiar serão cinco quilômetros de extensão e na Avenida Antônio de Góis serão outros dois quilômetros. Nessa via, entretanto, a faixa exclusiva seguirá pela pista leste, que tem um volume maior de coletivos que tanto se dirigem ao Centro como seguem pela Avenida Agamenon Magalhães. “Implantando a Faixa Azul na pista leste da Antônio de Góis nós estaremos beneficiando um número maior de linhas e, consequentemente, de passageiros”, explica Taciana Ferreira.

A intenção da CTTU é que a nova Faixa Azul receba câmeras de fiscalização o mais rápido possível. Serão dez pontos monitorados ao longo do percurso. Mas ainda não há uma data certa para a fiscalização eletrônica ser implantada. O novo equipamento se junta aos seis quilômetros da Faixa Azul implantada em junho de 2014 na Avenida Herculano Bandeira, no Pina, e na Avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem.

Informações: JC Trânsito


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - No Recife, Via Mangue será enfim completada e faixa azul inaugurada na Av. Conselheiro Aguiar

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960