No Rio, Linha 4 do metrô passará por testes em fevereiro

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

O linha 4 do metrô vai realizar sua primeira viagem de testes em fevereiro, afirmou o secretário estadual de transportes, Carlos Roberto Osório, nesta quinta-feira (3). A operação experimental será realizada entre as estações General Osório e Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, na Zona Sul.

A previsão da entrega total da obra, que liga o bairro até a Barra da Tijuca, na Zona Oeste, é 1º de julho de 2016.

O secretário e o governador Luiz Fernando Pezão visitaram as obras da linha 4 na altura da estação Antero de Quental, no Leblon, nesta quinta. Segundo Osorio, o tatuzão, equipamento utilizado para escavar o túnel do metrô, sairá da estação Antero de Quental, no Leblon, ainda em dezembro. Ele vai escavar 300 metros em areia até a Rua Visconde de Albuquerque, no Leblon, e 400, em rocha, até São Conrado. Neste ponto, o túnel de explosões subterrâneas feito desde a Barra vai se encontrar com o escavado pelo tatuzão.

"Nós estamos instalando trilhos, energia logo atrás do trabalho do tatuzão. A gente não está esperando o tatuzão acabar de escavar para fazer isso", explicou Osório.

Nos próximos dias, Pezão e Osório também farão vistoria na Ponte Estaiada da Barra da Tijuca, por onde a linha 4 também vai passar.

Informações: G1 Rio
READ MORE - No Rio, Linha 4 do metrô passará por testes em fevereiro

CPI das obras da copa em Cuiabá: ''Melhor opção é vender vagões do VLT para implantar BRT, afirma diretor de empresa''

Em depoimento à CPI das Obras da Copa, os sócios-diretores da empresa Oficina Engenharia, que realizou estudos de mobilidade urbana para Cuiabá, afirmaram que a melhor opção seria vender os vagões do VLT e trabalhar pela implantação do BRT, pois ressaltaram que é preciso concluir 70% das obras do modal escolhido. 

Arlindo Fernandes e Antônio Luiz Mourão Santana prestaram depoimento, ontem. Arlindo discorreu sobre os estudos desenvolvidos pela empresa para a mobilidade urbana em Cuiabá, sendo o primeiro um plano de transporte de rede integrada solicitado pela Secretaria Municipal de Transporte Urbano (SMTU), com estudo de modelo de concessão do transporte coletivo de Cuiabá e Várzea Grande. 

Em 2010, foi contratado pela Acrimat por cerca de R$ 800 mil para entregar o plano diretor de mobilidade urbana da região metropolitana de Cuiabá, com pesquisa de origem/destino, realizada pela COP em 2005. A empresa também participou da solução para o Bus Rapid Transit (BRT), com estudo de rede integrada de ônibus, contratado pela Agecopa, mas solicitado e intermediado pelo então diretor de Planejamento, Yênes Magalhães, pois na época em que elaborou o plano diretor em 1995, Yênes era secretário da SMTU. 

Último estudo foi encomendado pela Secopa, sendo um comparativo entre os dois modais, BRT e VLT, estudo com custo econômico de cada modal, definições de demandas, rede integrada e revisão da rede de ônibus. Com relação ao estudo que apresentou como solução de transporte o BRT, Arlindo destaca que o estudo considerou a opção que já havia sido feita pelo governo. 

“No primeiro estudo que realizamos em Cuiabá, indicamos um corredor exclusivo para ônibus, então existia essa intenção no plano de transporte de 1995”. Conforme Arlindo, não estava previsto no escopo do projeto contratado que a empresa deveria escolher as alternativas de modal, pois já havia definição através do Caderno de Encargos firmado junto à FIFA. 

“A Secopa pediu um estudo rápido de comparação entre BRT e VLT, o que não é um estudo de alternativas para escolha, se fosse seria outro modelo de estudo. Nesta ocasião, havia manifestações no sentido de se aplicar o VLT em Cuiabá, sendo que este estudo foi solicitado pelo Yênes. Então fizemos a comparação entre os dois modais, mas não havia projeto do VLT para Cuiabá, e sim a implantação possível do BRT. Neste estudo comparativo trouxemos o cálculo do que seria o investimento e custeio, que apontamos valor duas vezes maior que o do BRT”. 

Para Arlindo, a rede integrada é a mesma, só muda o modal escolhido, mas que não basta apenas a obra, sendo preciso haver a arquitetura do sistema que é necessário neste projeto específico para o sistema. “O que importa é ter a rede de integração. Sem ela, não tem solução estruturante para o transporte coletivo. O que nos foi solicitado pelo Yênes era uma comparação do que era óbvio sobre os valores, mas a decisão não cabia a nós, aparentemente óbvia, mas que carecia de mais informações. 

Entretanto, não houve pressão para apresentar justificativa para o VLT, pelo contrário. Mas o estudo propôs a rede integrada do VLT com base na do BRT”. Arlindo também revelou que o estudo partiu do pressuposto que usuário não pagaria a tarifa. “Os custos operacionais sem qualquer investimento seria de R$ 3,80, o que seria quanto o operador do sistema teria que receber. Mas existe esta diferença entre a tarifa de remuneração e a tarifa do usuário, onde seria necessário o subsídio público para que fosse a mesma em um sistema único, com preço único”. 

Na época em que o estudo foi realizado, era apontado o custo operacional do VLT em cerca de R$ 7 milhões/mês, valor este que deve estar acrescido em 20% atualmente, adiantou Arlindo. “Não adianta implantar algo tecnológico enquanto não existe esta rede integrada, com uma qualidade integral em todo o sistema, como as vias dos ônibus nos bairros”.

Informações: Redação Só Notícias
READ MORE - CPI das obras da copa em Cuiabá: ''Melhor opção é vender vagões do VLT para implantar BRT, afirma diretor de empresa''

Férias escolares alteram horários de linhas de ônibus em Curitiba

Algumas linhas de ônibus de Curitiba terão o seu horário alterado na próxima segunda-feira (7) por causa da aproximação do período de férias escolares. No total, 38 linhas terão mudanças nos dias úteis, quatro aos sábados e também durante a semana, três aos domingos e duas linhas na tabela de todos os dias.

De acordo com a Urbs, nas férias há uma redução média de 15% na demanda de usuários de ônibus e, consequentemente, os itinerários são reorganizados para evitar os desperdícios. Para efetivar uma redução de 15% da frota, a Urbs estabeleceu um calendário composto por três datas: 7 de janeiro (corresponde uma redução de 7%), 14 e 24 de dezembro.

Os ônibus com mudança na tabela serão monitorados em tempo real e dependendo do fluxo de passageiros, o itinerário pode voltar à situação anterior ao período de férias. Os novos horários de ônibus já estão disponíveis no site da Urbs. Veja quais serão as linhas alteradas nesta segunda-feira (7):

Linhas alteradas nos dias úteis

Centro Politécnico, Estudantes, Santa Barbara, Fanny, Jardim Paranaense, Maringá, Vila Rex, Maria Angélica, Gramados, Alto boqueirão, Uberaba, São Braz, Montana, Cajuru, Jd. Social/Batel, Nilo Peçanha, Sta Gema, Paineiras, Mal. Hermes/Sta.Efigênia, Jd. Itália, Jd. Social/Batel, Tarumã, Higienópolis, Inter 2 (Anti-horário e Horário), Terminal CIC, Jd. Esplanada, Tramontina, Vila Verde, V. Izabel, Rio Bonito, Parque Industrial, CIC/Cabral, Itupava/Hosp.Militar, R.Prado/C.Gomes, Universidades, V.Suiça, Sta Cruz, Universidade Positivo

Linhas alteradas aos sábados e dias úteis

Sta Rita/CIC, Rio Bonito/CIC, V. Sandra, Gabineto

Linhas alteradas aos domingos

Sta Rita/Pinheirinho, Parque Industrial, Centenário/Boqueirão

Linhas alteradas todos os dias

Hugo Lange, Bairro Alto/Sta. Felicidade

Confira o funcionamento das linhas de ônibus no período de Natal e Ano Novo:

24/12 – Horário de sábado, com reforço
25/12 – Horário de domingo
26/12 – Horário de domingo (com o funcionamento de linhas que não operam nesse dia)
27/12 – Horário de domingo
28, 29, 30 e 31/12 – Horário de sábado (com reforço)

1º de janeiro – Horário de domingo
02/01 - Horário de domingo (com o funcionamento de linhas que não operam no domingo)

Informações: Gazeta do Povo
READ MORE - Férias escolares alteram horários de linhas de ônibus em Curitiba

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960