Governo de SP lança pacote de R$ 13,4 bilhões para concessões em transportes

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (19) um pacote de concessões à iniciativa privada que inclui linhas de metrô, ônibus e aeroportos. O investimento total previsto, considerando todas as concessões, será de R$ 13,4 bilhões.

O pacote inclui a operação e manutenção das linhas 5-Lilás e da 17-Ouro (monotrilho) do Metrô após a conclusão das obras; o sistema de ônibus intermunicipais rodoviários de cinco regiões do estado, entre elas Ribeirão Preto e Campinas.

Os decretos que autorizam as concessões foram assinados nesta quinta pelo governador. Ele destacou que as iniciativas vão criar 280 mil empregos em um período de crise.

Os aeroportos que serão concedidos ficam em Itanhaém e Ubatuba, no litoral, Jundiaí e Bragança Paulista, no interior. Está na lista de concessões o aeroporto Campo dos Amarais, em Campinas. Entre os investimentos que serão exigidos na concessão estão melhorias nas pistas e pátio, reformas de terminais de passageiros e investimentos nas pistas de rolamento.

Em relação aos sistemas intermunicipais rodoviários, que atendem 152,8 milhões de passageiros por ano, a concessão será dividida em cinco áreas: Ribeirão Preto, Campinas, São José do Rio Preto, Bauru e Santos.

As frotas não poderão mais contar com ônibus com mais de 10 anos. Os novos ônibus precisarão ter Wifi e ar condicionado. O investimento será de R$ 2,5 bilhões.

Metrô
A concessão prevista para as linhas 5-Lilás e 17-Ouro valerá a partir da conclusão das linhas em 2017. A exceção seria incialmente a Estação Campo Belo, onde haverá a integração entre as duas e que deve ficar pronta apenas em 2018.

A Linha 17-Ouro ligará em sistema de monotrilho o aeroporto de Congonhas à Marginal Pinheiros. O governo paulista congelou o restante da construção da linha em direção ao Jabaquara, em uma das pontas, e à região do Morumbi, na outra.

A linha 5-Lilás já opera entre o Capão Redondo e a Estação Adolfo Pinheiro, em Santo Amaro. Ela está sendo prolongada até a Estação Chácara Klabin, da Linha 2-Verde. São dez as estações em construção.  O governo estuda conceder as duas linhas de forma conjunta ou separada. O investimento privado previsto é de R$ 4,4 bilhões.

Rodovias
O pacote também inclui a concessão de 2,2 mil quilômetros de rodovias. Parte delas está na parte central e oeste do estado, ligando Paraná a Minas Gerais. Também haverá melhorias na Rodovia Padre Manuel da Nóbrega, no litoral paulista. A concessão das estradas se dará por meio de concorrência internacional.

O governador disse acreditar que a crise não será problema para encontrar empresas interessadas nos investimentos. "Os investidores enxergam mais para frente. A economia brasileira vai se recuperar, obviamente. Por outro lado, nesse momento, não tem tanta concorrência de obra no Brasil", disse Alckmin.

Redução de investimentos
Um levantamento feito pelo SPTV constatou que os investimentos do Metrô devem diminuir em 2016. O orçamento enviado pelo governo à Assembleia Legislativa prevê um corte 28% quando se corrige o valor do orçamento 2015 pela inflação.

A previsão era que a obra de extensão da Linha 5-Lilás ficasse pronta em 2012. Mesmo assim, o Metrô pretende diminuir o valor de investimento em 29%. As obras do monotrilho também vão receber menos dinheiro segundo a previsão orçamentária, uma queda de 19%.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos admite a redução no orçamento, mas diz que somando com os investimentos feitos pela própria pasta no Metrô, a redução não passa de 5% - sem a correção da inflação. O Metrô disse que desde 2010 a rede aumentou 16 km e ganhou 13 novas estações e que o número de passageiros aumentou em mais de um milhão nesse período.

Informações: G1 São Paulo

READ MORE - Governo de SP lança pacote de R$ 13,4 bilhões para concessões em transportes

VLT de São Luis ainda não entrou nos trilhos

Os carros de VLT comprado em 2012 por 7 milhões pela Prefeitura de São Luís continuam parados em um galpão na cidade. Segundo apuramos as composições,que foram compradas pelo ex prefeito da cidade João Castelo(PSDB),já estão danificas,com sinais de corrosão e provavelmente sem condições de operar.

Pelo projeto o VLT operaria inicialmente na ligação do bairro do Anel Viário com o bairro de Fátima,e depois seriam criadas outras linhas.

Apenas um pequeno trecho da linha com 800 metros,foi construído saindo do fundo do Terminal de Integração da Praia Grande,na Av.Beira-Mar,chegando próximo ao Mercado do Peixe.Os dormentes de concreto da pequena via férrea estão em bom estado,os trilhos,por falta de uso apresentem sinais de ferrugem mais ainda estão em boas condições,no entanto a via apresenta sinais claros de falta de manutenção e limpeza.

Todo sistema de transporte da cidade razoavelmente organizado,é feito por ônibus em boa parte composta por uma frota velha e desgastada,com ônibus que já ultrapassaram a muito a idade limite operacional recomendada,em média de 5,5 anos de uso.O terminal da Praia Grande,onde foi iniciada a construção da linha do VLT,permite a integração fechada entre varias linhas da cidade com boa movimentação de usuários.

Um sistema de VLT se bem planejado e bem projetado,sem duvida que trara para São Luis um grande avanço e uma grande mudança,com uma nova concepção de transportes e mobilidade urbana para a cidade.Por dispor de muitas avenidas largas e extensas,a cidade poderá implantar com certa facilidade um bom sistema de VLT urbano interligando vários pontos da cidade.

Informações: ANPTrilhos

READ MORE - VLT de São Luis ainda não entrou nos trilhos

Corredores de ônibus serão construídos em avenidas de Maringá

As avenidas Kakogawa e Morangueira, duas das mais movimentadas de Maringá, no norte do Paraná, devem ganhar corredores exclusivos para ônibus. As licitações para as obras jၠestão abertas. Os vencedores devem ser conhecidos em 21 de dezembro.

As obras terão duas licitações. Uma para a construção das estações de bairro e outra para as obras nas pistas. Os dois processos serão aberto simultaneamente e a previsão de conclusão é de sete meses, ou seja, em agosto de 2016.

Além do grande movimento de carros, a Avenida Morangueira é rota do transporte coletivo, assim como a Avenida Kakogawa. Ligam a Zona Norte ao centro. Com a construção de corredores exclusivos para ônibus, as duas avenidas ficarão com três pistas de cada lado.

As vagas de estacionamento serão mantidas ao longo das duas avenidas. Para construir mais uma pista, o tamanho do canteiro central será reduzido.

O projeto que prevê também a drenagem e novo asfalto deve mudar a imagem das duas avenidas de ponta a ponta. Ao longo das avenidas também serão construídas três estações de embarque e desembarque para os usuários do transporte coletivo.

Segundo a Secretaria de Planejamento Urbano, ônibus menores serão utilizados para levar passageiros dos bairros  até as estações. Dali eles seguem em outros ônibus até o terminal do centro.

O projeto de mais de R$ 20 milhões é considerado piloto e deve ser implantado em várias outras avenidas de Maringá. Para o município, a grande vantagem, além da mobilidade urbana, é a redução de tempo de deslocamento dos ônibus. A previsão é de que o trecho entre a zona Norte e Central demore 15 minutos.

Informações: G1 PR
READ MORE - Corredores de ônibus serão construídos em avenidas de Maringá

Em Teresina, Strans organiza pontos de paradas para ônibus intermunicipais

Com o objetivo de desafogar o trânsito na área central da cidade, a Prefeitura de Teresina por meio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), organizou os pontos de paradas para os ônibus intermunicipais já existentes.
Foto: Gabriel Tôrres/CT
De acordo com a Diretora de Transportes Públicos da Strans, Cintia Machado, as mudanças estão acontecendo para melhorar a fluidez do trânsito na área central da cidade, especialmente na Avenida Maranhão. “A cidade cresceu e a frota de veículos esta a cada dia maior, por isso a circulação desses ônibus na área central da cidade ficou inviável, mas os novos pontos foram instalados em locais estratégicos que irá atender ás necessidades dos usuários”, acrescentou.

Além do disso, as faixas exclusivas para ônibus serão implantadas, com isso os locais onde estavam as paradas não poderiam continuar. “Já informamos para as empresas das mudanças e aquelas que não estão respeitando as alterações serão notificados. Estamos fiscalizando intensamente para evitar problemas. Uma parada que foi alterada foi a que ficava próximo ao Cemitério São José, que criava um conflito no local, por isso ela foi deslocada para as proximidades do terminal da Matinha”, disse.

Os ônibus e vans que fazem linha em percurso cuja distância máxima de Teresina seja até 85 km devem obedecer aos seguintes pontos:

1. Linhas a Norte e Leste chegando em Teresina:

. Avenida Miguel Rosa (Norte) na Estação Ferroviária;
. Avenida Miguel Rosa (Norte) com a Rua João Cabral – próximo a AMAPI;


2. Linhas a Norte e Leste saindo de Teresina:

. Avenida Miguel Rosa (Norte) com Rua João Cabral – próximo a AMAPI;
. Avenida Miguel Rosa próximo ao Cemitério São José;
. Avenida Miguel Rosa (Norte) – próximo a Praça do 25º BC;
. Rua Rio Grande do Sul – próximo a Avenida Frei Serafim;


3. Linha Sul chegando e saindo de Teresina:

. Avenida Joaquim Ribeiro, nº 840, sentido Oeste/Leste;
. Avenida Pedro Freitas – em frente ao Centro Administrativo;

Já os ônibus e vans que fazem linha em um percurso acima de 85 Km de Teresina devem obedecer aos seguintes pontos de paradas para o desembarque:


4. Linhas a Norte e Leste chegando em Teresina:

. Avenida Miguel Rosa (Norte) na Estação Ferroviária;
. Avenida Miguel Rosa (Norte) com a Rua João Cabral – próximo a AMAPI;


5. Linhas Sul chegando em Teresina:

. Avenida Pedro Freitas – em frente ao Centro Administrativo.

Além disso, os ônibus e vans que fizerem linha em um percurso acima de 85 Km devem fazer a saída do terminal rodoviário em direção as rodovias e seus destinos.

Informações: Capital Teresina

READ MORE - Em Teresina, Strans organiza pontos de paradas para ônibus intermunicipais

Ônibus vão voltar a usar a porta do meio para embarque no Grande Recife

Os ônibus que circulam pela Região Metropolitana do Recife (RMR) vão voltar a usar as portas do meio para embarque e desembarque de passageiros fora dos terminais integrados. A prática foi proibida há um mês pelo Procon, mas o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou que a decisão fosse revista. O Grande Recife Consórcio de Transporte acatou a orientação nesta quinta-feira (19).

De acordo com o Grande Recife, a decisão já foi comunicada às empresas de ônibus e deve ser acatada imediatamente. Ainda segundo o órgão estadual, as empresas precisam repassar a orientação a seus funcionários assim que receberem o ofício. Por isso, é provável que as portas do meio já voltem a ser abertas nas ruas na sexta-feira (20).

Por nota, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE), confirmou que começou a receber a notificação do Grande Recife, mas disse que ainda vai analisar o material.

Entenda o caso
A utilização das portas do meio fora dos terminais integrados foi proibida em outubro pelo Procon, com a intenção de evitar acidentes como o que vitimou a estudante Camile Mirele, que morreu ao cair de um coletivo na saída da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em maio. A decisão, no entanto, foi questionada pelo promotor de transportes do MPPE, Humberto Graça, que recomendou a revisão da ordem.

Segundo o MPPE, o promotor entende que a utilização da porta do meio garante "comodidade, conforto, saúde (redução do stress e acidentes) e, inclusive, a própria segurança" aos usuários do transporte público. Ele também acredita que a decisão do Procon agravou o desconforto dos passageiros porque os obrigou a se apertar ainda mais que o usual, já que os coletivos passaram a ter apenas um ponto de embarque e desembarque.

Na ocasião, o promotor ainda disse que o Ministério Público de Pernambuco recebeu diversas queixas sobre a decisão do Procon. Por isso, solicitou a retomada do uso da porta do meio com a intenção de garantir "minimamente um serviço adequado". Graça também cobrou a instalação do equipamento de segurança conhecido como anjo da guarda, que impede o veículo de ultrapassar 5 km/h com as portas abertas, e solicitou a devida fiscalização dos equipamentos de segurança por parte do Grande Recife.

Informações: G1 PE

READ MORE - Ônibus vão voltar a usar a porta do meio para embarque no Grande Recife

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960