Prefeitura de Teresina vai gastar R$ 30 milhões para monitorar os ônibus

terça-feira, 17 de novembro de 2015

A Prefeitura de Teresina finalizou o processo licitatório para a instalação do Centro de Controle Operacional, com o objetivo de monitorar o sistema de transporte público da capital. O CCO terá sede no antigo prédio da Strans localizado à Avenida Pedro Freitas.

A reforma do prédio está orçada em R$ 1.318.201,59 e o termo de serviço deve ser assinado nos próximos dias. O prazo para a conclusão da obra é de seis meses. Após a reforma, será aberto um novo processo licitatório para a compra, implantação e manutenção dos equipamentos de segurança.

Serão instaladas câmeras nos corredores exclusivos, vias de ligação e terminais de integração, que serão monitoradas em tempo real em uma sala computadorizada. O valor previsto para a aquisição dos equipamentos é de R$ 29,6 milhões.

Por Jhone Sousa
READ MORE - Prefeitura de Teresina vai gastar R$ 30 milhões para monitorar os ônibus

Transporte Coletivo é fraudado 14,6 milhões de vezes ao ano na Grande Goiânia

O uso indevido dos cartões de acesso ao transporte coletivo pode configurar crime. O número de fraudes na Grande Goiânia cresce, conforme a Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC).

Hoje, o sistema é fraudado 14,6 milhões de vezes por ano. Os tipos de fraudes constatadas são uso de Passe Livre ou Passe Escolar por terceiros, pular ou passar debaixo da catraca e a comercialização indevida de bilhetes com desconto exclusivo. A maioria das fraudes é cometida no Eixo Anhanguera.

No mês de outubro, segundo informações do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (Setransp), o sistema invalidou cerca de seis mil cartões de idosos que já haviam falecido, mas que ainda estavam sendo usados por terceiros. O golpe foi descoberto graças a um cruzamento de dados com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Por isso, com o apoio da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás (SSP-GO), a RMTC lança oficialmente a campanha contra fraude na quarta-feira (18), no Centro Integrado de Inteligência, Comando e Controle (CIICC) da secretaria.

A campanha tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da utilização adequada dos cartões de Passe Livre e Escolar e também sobre as implicâncias legais que podem ocorrer diante das fraudes documentais, como a falsidade ideológica.

Considerada crime contra a fé pública, a falsidade ideológica é prevista no artigo 299 do Código Penal e prevê multa e reclusão de um a cinco anos, dependendo do tipo de documento fraudado.

Neste mês de novembro, a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) iniciou uma ação especial para combater as fraudes nos terminais de integração. Em duas operações, nos terminais Praça A e da Bíblia foram apreendidas 108 carteiras de Passe Livre e Estudantil que estavam sendo utilizadas de forma indevida por terceiros.

Além das implicações legais, as fraudes provocam prejuízos anuais de R$ 40,9 milhões ao sistema de transporte coletivo. Por essa razão, o intuito da campanha também é conscientizar os clientes do transporte coletivo de que são os maiores prejudicados quando isso acontece, pois as ações de fraudes contribuem para o aumento da passagem e dificulta a melhoria no serviço prestado.

READ MORE - Transporte Coletivo é fraudado 14,6 milhões de vezes ao ano na Grande Goiânia

Corte no orçamento da CPTM prevê redução de 45% nos investimentos

Após a diminuição dos investimentos no Metrô no ano que vem, o governo de São Paulo também irá reduzir os investimentos na modernização nos trens da Companhia paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

As informações, divulgadas pelo SPTV, fazem parte do Orçamento enviado pelo governo à Assembleia Legislativa para 2016. A CPTM disse que as obras de modernização nas seis linhas não irão parar.

O Orçamento prevê R$ 350 milhões a menos que o valor previsto deste ano. Isso representa uma queda de 45%.

Neste ano, os trens da CPTM apresentaram 309 falhas, quase uma por dia.
A CPTM disse que deve ser levado em conta o investimento total dos trens e não apenas em modernização. Segundo a companhia, o investimento total se mantém o mesmo do orçamento anterior com aumento de repasse do estado.
Metrô

O orçamento enviado pelo governo à Assembleia Legislativa prevê um corte 28% quando se corrige o valor do orçamento 2015 pela inflação.

A previsão era que a obra de extensão da Linha 5-Lilás ficasse pronta em 2012. Mesmo assim, o Metrô pretende diminuir o valor de investimento em 29%.
As obras do monotrilho também vão receber menos dinheiro segundo a previsão orçamentária, uma queda de 19%.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos admite a redução no orçamento, mas diz que somando com os investimentos feitos pela própria pasta no Metrô, a redução não passa de 5% - sem a correção da inflação.

O Metrô disse que desde 2010 a rede aumentou 16 km e ganhou 13 novas estações e que o número de passageiros aumentou em mais de um milhão nesse período.

Problemas Metrô
A falha nos trens é o problema mais comum no Metrô. De todas as linhas, a linha 1 – Azul, que liga o Tucuruvi até o Jabaquara, foi a que mais sofreu com as falhas.

Segundo levantamento da produção do SPTV, de janeiro até o mês de novembro foram 90 falhas na linha Azul, uma falha a cada três dias. Em todas as linhas foram registradas 235 falhas.

O investimento do Metrô em serviços de modernização deve diminuir pela metade no ano que vem. Serão R$ 164 milhões a menos do que o Orçamento deste ano.

Entre os serviços de modernização estão a reforma de trens e estações, troca do sistema de freios e substituição da rede elétrica.

A linha do Metrô mais atingida pelos cortes em modernização e recapacitação vai ser a lilás, seguida pela verde, vermelha e azul.

O Metrô diz que para evitar falhas não adianta modernizar os trens, mas fazer a manutenção. Em 2016, o governo não irá aumentar os gastos em manutenção e a companhia pretende gastar R% 60 milhões, o mesmo valor previsto para este ano.

Informações: G1 São Paulo

Leia também sobre:
READ MORE - Corte no orçamento da CPTM prevê redução de 45% nos investimentos

Tarifa de transporte coletivo pode chegar R$ 3,30 em Campo Grande

A tarifa do transporte coletivo em Campo Grande passará por aumento, o valor pode chegar a R$ 3,30. O prefeito Alcides Bernal (PP) informou que iria anunciar o reajuste ainda nesta terça-feira (17).

O Consórcio Guaicurus, que administra o serviço, fez o requerimento do reajuste. A data-base do reajuste no transporte coletivo é outubro. De acordo com o prefeito, será segurado o máximo para o aumento ser autorizado. Já de acordo com a assessoria da Prefeitura de Campo Grande, não houve definição absoluta sobre o reajuste da tarifa.

Por Myllena de Luca 
Informações: Capital News

READ MORE - Tarifa de transporte coletivo pode chegar R$ 3,30 em Campo Grande

Monotrilho é opção sustentável para atender demanda de média capacidade

O projeto final da linha 15 - Prata do Monotrilho prevê o transporte de 500 mil pessoas por dia e irá reduzir o tempo de viagem no trecho entre Cidade Tiradentes e Vila Prudente pela metade. Ainda que, recentemente, a prefeitura tenha divulgado o congelamento da construção de 7 estações da linha, sendo elas, Jequiriçá, Jacu-Pêssego, Érico Semer, Marcio Beck, Cidade Tiradentes e Hospital Cidade Tiradentes, o projeto seguirá com capacidade média para atender a demanda e, segundo o coordenador de qualidade e meio ambiente do Metrô, Noel João Mendes Cossa, valorizará e dinamizará a paisagem urbana no entorno da construção devido a implantação de corredores verdes e ciclovias ao longo de todo o percurso.

Para Cossa, o monotrilho será um facilitador para a melhora da integração entre os modais atualmente utilizados na cidade. O coordenador tecnico apresentará no 2º fórum Movecidades, evento sobre mobilidade urbana que acontecerá de 2 a 4 de dezembro, no hotel Paulista Plaza, em São Paulo, o projeto evidenciando as características sustentáveis do modal durante o painel “Mobilidade do Presente e do Futuro”. “O grande diferencial é que o monotrilho diminui a necessidade de desapropriações da região em que é construído, pois a implantação acontece nos canteiros centrais de ruas e avenidas já existentes”, afirma.

Os benefícios não são restritos apenas a paisagem do entorno, pois existem diversas características ambientais a serem consideradas. Cossa aponta o sistema como um dos menos poluentes na atualidade por utilizar tração elétrica. “O monotrilho não emite gases provenientes de combustíveis e ainda roda sobre pneus, o que evita o ruído causado por atrito entre roda e trilho”, enfatiza. Outro ponto positivo é que não obstruí a passagem de luz natural e da chuva no canteiro central, fatores que favorecem a conservação e a manutenção do projeto paisagístico.

Fase das obras - Segundo Cossa, a prioridade é concluir os trechos que já possuem obras avançadas antes de abrir novas frentes de trabalho. “Na Linha 15, as colunas e vigas por onde passarão os trens do monotrilho já foram implantadas até São Mateus. São mais de 1.200 operários estão trabalhando na construção de oito estações, São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói, Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus. Já implantação do trecho Oratório-São Mateus está prevista para março de 2018, diz. Vale destacar que desde agosto de 2014, o trecho Vila Prudente - Oratório está funcionando das 7h às 19h. 

Sobre o 2º Movecidades
O 2º Fórum Movecidades é um encontro nacional de mobilidade urbana que abrirá espaço para a discussão de alternativas financeiras, estratégias de modicidade tarifária, soluções de otimização e modernização da mobilidade urbana. O evento acontece nos dias 2 e 3 de dezembro, no Hotel Golden Tulip Paulista Plaza, em São Paulo. No ano passado, o Movecidades ofereceu mais de 35 palestras e reuniu 115 executivos do setor, entre presidentes, diretores e gerentes de grandes empresas, além de autoridades federais, estaduais e municipais.

Por Mariana Benjamim
Informações: Movecidades

Leia também sobre:
READ MORE - Monotrilho é opção sustentável para atender demanda de média capacidade

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960