Em SP, Trabalhador é maioria em ônibus da madrugada

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Em seis meses de funcionamento, os ônibus da madrugada transportaram 4,96 milhões de passageiros. Em março eram 712,7 mil usuários. O número saltou para 877,6 mil em agosto, crescimento de 23%.

Segundo levantamento da SPTrans, empresa responsável pela gestão do transporte público em São Paulo, das quase cinco milhões de pessoas transportadas, 78% eram compostas por trabalhadores. 

Outros números apontam que o índice de cumprimento do horário de madrugada chega a 89% – o sistema todo, incluindo o dia,  tem taxa de 56%

A pesquisa mostra, ainda, que antes da implantação dessas linhas, quase metade dos paulistanos transportados em ônibus (44,7%) voltava para casa de outras formas, como carro, táxi ou carona Isso porque, no mesmo horário em que agora funcionam os coletivos noturnos, estações de trem e Metrô se encontram fechadas.

É exatamente por esse motivo que o analista de distribuição Flavio Santiago de Souza, de 40 anos, passava parte da madrugada em claro esperando ônibus até Sapopemba, na Zona Leste, onde mora. Ele costuma sair do trabalho entre 2h e 4h e, como nesse horário não havia opções de transporte até a sua casa, ficava aguardando o horário de operação dos coletivos no Terminal Parque Dom Pedro 2º, no Centro. “Já cheguei algumas vezes a esperar cerca de duas horas até o terminal abrir”, contou. “Por isso, quando dava, pegava carona.”

Com o início das linhas noturnas, porém, a situação mudou drasticamente. “Hoje sai ônibus de 15 em 15 minutos dali (terminal) e demoro 20 minutos para chegar em casa. O tempo que eu levava esperando agora uso para dormir”, comemorou.

O mesmo ocorria com o auxiliar Pedro Alexandre do Nascimento, 55. Ele vive em Cidade Tiradentes, também na Zona Leste, e demorava cerca de 2h20 para sair do Centro e ir até sua casa. Sem contar o tempo da Barra Funda, onde trabalha, até o terminal. 

“Antes tinha um ônibus que saía do Centro e ia para o meu bairro, mas dava muita volta. Gastava mais de duas horas”, afirmou. “Hoje tem um coletivo na porta do trabalho que vai até o Parque Dom Pedro 2º. No total, preciso de 1h20 para chegar em casa”, afirmou.

Nascimento só tem uma ressalva com as linhas noturnas. “Nunca aconteceu, por exemplo, de o motorista não parar quando eu pedia. O único problema é que os ônibus são muito antigos, acho que poderiam ser mais novos, ter mais conforto, como aqueles de manhã”, disse. “Mas dou nota nove”, avaliou.

Análise/ Segundo Ana Odila, diretora de planejamento da SPTrans, não existem projetos à curto prazo para expansão das linhas. “Em dois meses, vamos fazer uma avaliação dos resultados para saber quais alterações e procedimentos vamos tomar”, afirmou.

Segundo ela, o próximo passo é levar o padrão das linhas noturnas a outros horários, como pontualidade e cumprimento das viagens, principalmente aos domingos.”

Por Caio Colagrande 
Informações: Diário de SP
READ MORE - Em SP, Trabalhador é maioria em ônibus da madrugada

Metrô do Recife será liberado para transporte de bicicletas

O metrô do Recife será liberado diariamente para o transporte de bicicletas, a partir das 20h30. A medida, no entanto, ainda não tem data certa para entrar em vigor o que, de acordo com a assessoria de comuniciação da CBTU/Metrorec, deve acontecer em 30 ou 40 dias.

Segundo Salvino Gomes, assessor da companhia, o prazo é necessário para que sejam criados procedimento internos padrões para garantir segurança à medida. O protocolo deve obedecer às regras já impostas para a liberação do transporte de bicicletas durante o final de semana, como o embarque exclusivo no primeiro vagão, para garantir a visibilidade ao maquinista. Há cinco anos, as bikes são bem vindas no metrô, aos sábados a partir das 13h e aos domingos, durante todo o dia.

A boa notícia começou a ser divulgada pela Ameciclo, após  se reunião com o Superintendente Regional da CBTU e membros da gerência do órgão no Recife para discutir algumas pautas relacionadas à bicicleta e à sua integração com o metrô. "Essa conquista não é só nossa, mas de todos os ciclistas que participaram das ações chamadas Invasão do Metrô, realizadas no Recife desde 2011, antes mesmo de termos uma associação de ciclistas. Nossa luta é grande, há muito a ser feito ainda, mas comemoramos muito essa pequena grande vitória", postaram representantes do grupo em sua página no Facebook.

Informações: Diário de Pernambuco

READ MORE - Metrô do Recife será liberado para transporte de bicicletas

No Rio, Passageiros reclamam das novas rotas de ônibus após extinção de 11 linhas

Seis linhas que iam diretamente da Barra, do Recreio e de Vargem Grande (Piabas) para o Centro, passando pela Zona Sul, foram extintas. Também não existem mais cinco linhas que iam para a Gávea e para o Leme.

Agora, para chegar ao Centro pela Orla partindo da Zona Oeste, é necessário pegar dois ônibus em vez de um. Por isso, foram criadas quatro linhas (integradas), duas partindo do Alvorada, uma do Recreio e outra de Vargem Grande, todas com destino ao Shopping RioSul, em Botafogo, ponto final das novas integrações.

As mudanças não agradaram à aposentada Eloísa Oliveira da Silva, 62 anos, que precisa se locomover de muletas entre Botafogo e Caxias com frequência. “Me atrapalhou muito, já que, agora, terei mais um ônibus no trajeto”, reclamou Eloísa. “Além disso, não acho que conseguirei pagar apenas uma passagem com o Bilhete Único porque o trânsito da Zona Sul vai me fazer perder o prazo do segundo ônibus”, lamentou.

Na Alvorada, o clima também é de revolta e desinformação. A auxiliar de empresas, Cláudia Souza, 30 anos, trabalha na Barra e mora em Copacabana. “A linha que eu usava para voltar para casa foi extinta e só soube hoje. Acho que há pouca informação, e é revoltante ter que trocar todo o meu itinerário de surpresa”, reclamou.

De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), as mudanças ocorrem porque muitas linhas fazem trajetos semelhantes e circulam com os ônibus vazios, prejudicando o trânsito nas ruas da cidade.

Ao final da implementação de todo o projeto, previsto para março de 2016, haverá 35% de redução da frota que passa pela Zona Sul da cidade. O objetivo é acabar com a sobreposição das linhas, a disputa por passageiros nos pontos e, assim, garantir mais fluidez no trânsito e menos tempo de viagem.

A Secretaria ressalta, em nota, que o objetivo das medidas não é dificultar o acesso entre as regiões da cidade. A SMTR estima, ainda, que a racionalização da frota vai gerar melhoria de desempenho nos corredores BRS de 30%.

A RioCard está disponibilizando vendedores do Bilhete Único Carioca (BUC) nos pontos do RioSul e da Casa Daros, em Botafogo, nesta semana. O cartão custa R$ 4,40 e vem com uma passagem. Nesses locais, também há cartazes com as informações dos trajetos e agentes para tirar dúvidas.

Por Angélica Martins
Informações: O Dia

READ MORE - No Rio, Passageiros reclamam das novas rotas de ônibus após extinção de 11 linhas

Em Fortaleza, Começa implantação de faixa exclusiva de ônibus na Padre Valdevino

Depois de muita polêmica sobre a implantação da faixa exclusiva para ônibus no corredor das ruas Beni de Carvalho e Padre Valdevino, a Prefeitura de Fortaleza confirmou o início da operação nas vias. Os motoristas de ônibus que trafegam no local estão ansiosos para o início da faixa exclusiva para transporte, como disseram à rádio Tribuna Band News FM.

Entretanto, quem não gostou nada da ideia foram os condutores de veículos particulares. A faixa vai começar ainda na Rua Beni de Carvalho, no encontro com a Monsenhor Catão, e vai seguir pela Padre Valdevino até a esquina com a avenida Dom Manoel. A ideia é dar mais agilidade às viagens dos coletivos que trafegam do Papicu em direção ao centro da cidade.

Como alternativa para os mais de 21 mil veículos que passam pelas vias diariamente, a AMC orienta o tráfego pelo corredor composto pela rua General Tertuliano Potiguara, com continuação nas ruas Dom Expedito Lopes e João Brígido, preparado, ainda, em julho deste ano.

Informações: Tribuna do Ceará

READ MORE - Em Fortaleza, Começa implantação de faixa exclusiva de ônibus na Padre Valdevino

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960