Prefeitura disponibiliza internet wi-fi nas estações do Corredor Expresso Fortaleza

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Acessar a internet por meio de rede wi-fi nas estações do Corredor Expresso Fortaleza é mais uma comodidade oferecida pelo novo corredor de ônibus localizado na Avenida Bezerra de Menezes, inaugurado no último dia 18 de julho. Para utilizar, basta realizar o cadastro oferecido pela Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Citinova) por meio do site http://wifi.fortaleza.ce.gov.br.
Foto: Kaio Machado

Os dados do usuário são solicitados e devem ser confirmados por e-mail. O acesso é liberado por cerca de uma hora e está limitado à área da estação. A capacidade e velocidade de acesso foram dimensionadas a partir de uma estimativa de quantidade de usuários das estações. O acesso é bloqueado para conteúdo impróprio.

O programa Fortaleza Inteligente oferece internet em diversos espaços públicos da cidade, como praças e, agora, nas estações. Com isso, os usuários do transporte público podem, inclusive, utilizar o aplicativo Meu Ônibus, oferecido, gratuitamente, nos sistemas Android e IOS para acompanhar a previsibilidade de chegada do transporte público.

A internet wi-fi é mais um benefício oferecido pela construção do Corredor Expresso Fortaleza, obra realizada pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf) e da Empresa Municipal de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor).

READ MORE - Prefeitura disponibiliza internet wi-fi nas estações do Corredor Expresso Fortaleza

Tarifa do transporte coletivo fica mais cara em Marília

A passagem de ônibus de Marília (SP) passou de R$ 2,85 para R$ 3. Este é o segundo aumento da passagem de ônibus na cidade neste ano. Em janeiro, a tarifa passou de R$ 2,50 para R$ 2,85 e o passe para estudantes e professores passou de R$1,25 para R$ 1,43.

O aumento fará com quem usa o transporte público todos os dias para ir e voltar do trabalho gaste R$ 0,30 a mais por dia. No orçamento mensal, serão acrescentados R$ 7.

O decreto da Prefeitura, publicado no final de agosto, justifica que o reajuste nas passagens é para atender às necessidades de reequilíbrio econômico-financeiro das concessionárias. Já a Amtu acha que o reajuste ainda não satisfaz às despesas com combustível e mão de obra, além do número de usuários pagantes ser inferior ao previsto. O ideal para a concessionária seria a cobrança de R$ 3,37 pela passagem.

Insatisfação
Mas para quem vai pagar o valor a mais diariamente, como a empregada doméstica Aparecida da Silva, a notícia do reajuste não foi nada agradável. “É péssimo. Eles não podem fazer isso”, diz.

A balconista Daniela de Castro Frazon não concorda com o aumenta e reclama do serviço prestado pelas empresas. “Não tem ônibus toda hora. Hoje eu fiquei mais de uma hora para pegar o transporte. Não justifica esse aumento. Além disso, nem tem cobrador”, ressalta.
A dona de casa Madalena de Assis também é contra o aumento. “Eu acho um absurdo para quem depende do ônibus todos os dias. Eu não concordo”, diz.

Informações: G1 Bauru e Marília

Leia também sobre:
READ MORE - Tarifa do transporte coletivo fica mais cara em Marília

Novo trem do metrô de BH começa a circular

Com dois dias de atraso em relação ao prometido, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) de Belo Horizonte começou a operar nesta quarta-feira (16/9) a primeira composição da nova frota. O consórcio responsável pela operação do trem finalizou os testes obrigatórios e considerou satisfatórios todos os resultados, liberando as atividades. Durante os próximos dias, os demais novos trens também integrarão, gradativamente, a programação horária do metrô.
Foto: Lucas Tavares

Os novos trens do Metrô de BH terão capacidade para transportar até 1300 passageiros. Entre os itens que aumentam a comodidade das viagens estão: ar-condicionado, janelas e portas mais largas; circuito fechado de vídeo com câmera de segurança interna e externa, sonorização digital, que melhora a fidelidade das mensagens sonoras e 32 monitores por trem para facilitar a comunicação visual e a divulgação de campanhas.

No campo da acessibilidade, o trem conta com assentos preferenciais para gestantes, idosos, obesos e passageiros com mobilidade reduzida, além de área reservada a usuário com cadeira de roda. Painéis de LED exibem data, horário, a próxima estação e o lado de desembarque. Na abertura de portas, além da campainha, uma indicação luminosa, simultânea, orienta os deficientes auditivos, reforçando as mensagens educativas veiculadas pelo sistema.

Maior capacidade

Uma das adaptações necessárias foi no sistema de sinalização que, hoje, só consegue atender a até 22 veículos de uma vez – 13 a menos que o total de equipamentos que a CBTU tem. Composições antigas foram acopladas uma a outra, passando a ter oito vagões, o que dobrará a capacidade de passageiros em cada viagem.

A distância entre a linha do metrô e as estações também demandou ajustes. Não porque os novos dispositivos são maiores, mas por uma diferença no sistema de amortecimento que faz os equipamentos recém-adquiridos “balançarem” mais durante a frenagem.
Conforme anunciou o Hoje em Dia, com exclusividade, os novos trens deveriam ter começado a operar na última segunda-feira (14).

Por Danilo Emerich
READ MORE - Novo trem do metrô de BH começa a circular

Valor da passagem de ônibus de Curitiba pode aumentar após ação

Em pouco de mais de sete meses, o valor da passagem de ônibus em Curitiba pode aumentar de novo. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da capital e região metropolitana (Setransp) entrou com ação na Justiça, requerendo o reajuste da tarifa repassado pela Urbs às empresas.

O motivo da ação é a tarifa técnica - o custo do transporte dividido pelo número de usuários pagantes. Ela representa o valor real por passageiro pago às empresas de ônibus. Enquanto a passagem custa R$ 3,30 na catraca, a Urbs paga às empresas, há 18 meses, por usuário, R$ 2,93 . Todo ano, em fevereiro, há reajuste, porém, neste ano o aumento não aconteceu, e é isso que o sindicato reivindica.

Conciliação

O Setransp explicou que houve tentativa de conciliação entre os órgãos no Ministério Público e ficou acertado que a Urbs repassaria R$ 3,40 a cada usuário. A finalização do acordo dependia apenas da Urbs, que recuou nas negociações, alegando que o órgão não possuía recursos para o pagamento aprovado pelo MP.

Por nota, o sindicato afirmou que “causou estranheza o argumento da URBS de falta de recursos, uma vez que, neste ano, a entidade recebeu valores do Estado do Paraná (R$ 12,5 milhões), repasses de subsídio aprovados pela Câmara Municipal e vem cobrando do usuário uma tarifa técnica de R$ 3,30 desde fevereiro”.

Os empresários alegam que estão tendo prejuízos e, se repasse não for feito, o pagamento de funcionários pode atrasar. “As operadoras simplesmente não têm recursos para os referidos pagamentos, de modo que serão obrigadas a atrasar diversas outras obrigações, como fornecedores e impostos”. O reajuste também seria necessário para arcar com o aumento de 9% nos salários e 15% no preço do diesel.

Não tem de onde tirar
Roberto Gregório da Silva Junior, presidente da Urbs, afirmou que ainda não foi notificado oficialmente da ação. “Estamos há meses negociando com as empresas com o apoio do Ministério Público. Se decidiram abrigar-se na Justiça, têm o direito, porém causa dificuldades negociais”, declarou.

Gregório contou que a Urbs se esforça para conter os custos tarifários e garantir a regularidade do transporte à população de Curitiba.

Segundo o presidente, ou o valor da passagem aumenta em até 10 centavos ou a prefeitura retira recursos de outras áreas, como, educação, saúde e habitação, para arcar com o reajuste.

Informações: Paraná Online

READ MORE - Valor da passagem de ônibus de Curitiba pode aumentar após ação

Em Fortaleza, Usuários do transporte coletivo apontam colapso no terminal da Parangaba

Ônibus que adentram no terminal da Parangaba, em horários de pico, chegam a levar até 15 minutos para estacionar em suas respectivas plataformas, diante do caos que se forma nas duas entradas do maior terminal de ônibus de Fortaleza.

A reclamação é dos próprios usuários do sistema de transporte coletivo, que se dizem prejudicados no cumprimento de horários do trabalho, da escola e outros compromissos. De acordo ainda com usuários, em contato com o Blog, a situação do trânsito piorou com a chegada do shopping em frente ao terminal, mas o espaço interior do terminal já estava em colapso.

Usuários sugerem a presença de agentes de trânsito, em horários de pico, para o controle do fluxo que ocorre somente pelos semáforos.

Informações: Blog do Eliomar

READ MORE - Em Fortaleza, Usuários do transporte coletivo apontam colapso no terminal da Parangaba

Campinas inicia operação comercial com ônibus elétricos

Campinas (SP) é a primeira cidade brasileira a colocar em operação ônibus 100% elétricos que só necessitam de uma recarga noturna da bateria para rodar durante o dia todo. Uma remessa de dez veículos importados da fabricante chinesa BYD já chegou ao Brasil. A compra foi feita pela viação Itajaí Transportes Coletivos para a linha Ouro Verde, uma das mais movimentadas do município.

O diretor de Relações Governamentais e Marketing da BYD, Adalberto Maluf, afirmou, há duas semanas, que cinco unidades já estavam em Campinas e que todas deveriam estar funcionando até o fim deste mês. Cada ônibus custou R$ 1,4 milhão (cerca de R$ 420 mil do veículo, pagos à vista, e R$ 1 milhão da bateria, parcelada em dez anos). O modelo foi apresentado durante a feira Transpúblico, promovida em São Paulo pela Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU).


De acordo com Adalberto, as vantagens do ônibus elétrico em relação ao convencional, a diesel, são a emissão zero de poluentes, 50% a menos de ruídos (ouve-se apenas o som do ar-condicionado), acessibilidade universal e menor custo de manutenção.

 “A operação é muito mais confortável, a aceleração é mais suave e é melhor o custo de manutenção para o operador. Em um ônibus convencional, o operador tem que trocar a pastilha de freio a cada dois mil quilômetros rodados. No elétrico, precisa trocar a cada 10 mil quilômetros, porque quem freia é o sistema de tração e não a pastilha de freio”, explica.

Os ônibus elétricos de Campinas têm capacidade para 80 passageiros (20 sentados) e autonomia para circular de 250 a 300 quilômetros por dia com apenas uma recarga noturna, na garagem, de duas horas. “Isso é o suficiente para rodar 95% das linhas de ônibus urbanas”, afirma Maluf. 

A diferença dos veículos novos de Campinas para os elétricos que circulam em São Paulo é que os da capital precisam ficar parados por cinco minutos nos pontos de ônibus, em algumas ocasiões, para recarga da bateria. “Esses saem carregados da garagem e circulam o dia inteiro”, conta o representante da BYD.

Ainda segundo Adalberto Maluf, o valor pago pela Itajaí Transportes na mensalidade da bateria será compensado pela economia de diesel. “O preço do veículo é praticamente igual a um convencional. O R$ 1 milhão da bateria é pago com juros em dez anos. Em vez de a empresa pagar R$ 7 mil de diesel, gasta R$ 1 mil de eletricidade e mais R$ 6 mil por um leasing da bateria. A maior vantagem é a preservação do meio ambiente”, ressalta Maluf.

No Rio, a Fetranspor testou na linha convencional 249 (Água Santa-Carioca) o ônibus elétrico a baterias da fabricante chinesa BYD em abril e maio de 2014. A entidade aprovou o desempenho, mas avaliou que o negócio ainda é inviável economicamente.

Informações: O Dia 

Leia também sobre:
READ MORE - Campinas inicia operação comercial com ônibus elétricos

Ônibus de Santa Maria terá sistema de reconhecimento facial

O prefeito Cezar Schirmer, acompanhado pelo secretário de Mobilidade Urbana, Miguel Passini, assinou, na tarde desta quarta-feira, 16, o Decreto Executivo 87 para a implantação do Sistema de Reconhecimento Biométrico Facial nos ônibus de transporte coletivo de Santa Maria. Esta foi uma das exigências do Poder Executivo ao conceder o reajuste da tarifa, em fevereiro deste ano.

De acordo com o chefe do Executivo, a medida visa qualificar o transporte coletivo. “Esta é mais uma exigência feita às empresas de transporte coletivo no sentido de qualificar o transporte público de Santa Maria. Este processo iniciou com a padronização da frota, implantação do sistema de bilhetagem eletrônica, entre outras medidas”, salientou Schirmer.

A implantação do Sistema de Reconhecimento Facial, por Tecnologia Biométrica, tem por objetivo proporcionar mais segurança na operação do transporte coletivo, obtendo assim, melhor controle tarifário. O sistema permitirá o reconhecimento de imagens de usuários cadastrados do transporte coletivo, possuidores de gratuidade, descontos ou de outros benefícios.

A partir do Decreto Executivo, as empresas terão um prazo de 120 dias para implantar o sistema em todos os veículos em circulação.

Informações da Prefeitura de Santa Maria


READ MORE - Ônibus de Santa Maria terá sistema de reconhecimento facial

Passagem de ônibus em Belo Horizonte fica mais barata nesta quinta

As passagens de ônibus Belo Horizonte serão reduzidas a partir da 0h desta quinta-feira (17). A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Prefeitura.

A medida foi determinada pela Justiça, após o executivo da capital mineira autorizar o aumento em agosto. As passagens principais subiram de R$ 3,10 a R$ 3,40.

Agora os preços vão voltar ao que eram antes do reajuste. A tarifa principal (azul) volta a custar R$ 3,10; Circulares e alimentadores terão preço de R$ 2,20; de vilas e favelas (micro-ônibus) vão valer R$ 70; as linhas longas executivas, R$ 5,80 e as curtas R$ 4,65.

Nesta segunda-feira (14), o juiz da 4ª vara de Fazenda Pública Municipal de Belo Horizonte, Rinaldo Kennedy Silva, suspendeu o aumento das passagens. O argumento do magistrado é que não haveria justificativa para o reajuste.

O pedido para a redução foi feito pela Defensoria Pública, que ainda solicitou uma perícia fiscal e financeira, a ser feita pela Justiça. A suspensão vale até a perícia ser realizada.

Recurso
Apesar de a prefeitura ter anunciado a redução das tarifas, no fim da tarde desta quarta, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais informou que o Executivo municipal recorreu da decisão que suspende o reajuste.

O recurso foi distribuído para a desembargadora Áurea Brasil, da 5ª Câmara Civel. Não há prazo para o julgamento.

Reajuste de tarifas de ônibus e táxi-lotação
As passagens principais de ônibus subiram de R$ 3,10 para R$ 3,40 no dia 8 de agosto. O aumento foi publicado no Diário Oficial do Município (DOM) do dia 31 de julho e valeria a partir do dia 4 de agosto. Entretanto, uma determinação judicial adiou o reajuste.

O valor da tarifa mais usada apresentou reajuste de 9,7% em sete meses. No período, a inflação medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em Belo Horizonte foi de 6,4%. O aumento anterior havia sido em dezembro de 2014. Na soma dos dois reajustes, a passagem mais utilizada pela população subiu cerca de 19%.

O valor da tarifa das linhas circulares e alimentadoras (ônibus na cor amarela) passaram de R$ 2,20 para R$ 2,45; de vilas e favelas (micro-ônibus na cor amarela): de R$ 0,70 para RS 0,75; as executivas linhas longas de R$ 5,80 para R$ 6,40; e as executivas linhas curtas de R$ 4,65 para R$ 5,15. Já os ônibus suplementares terão passagens nos valores de R$ 2,45, R$ 2,75 e R$ 3,40. O táxi-lotação também aumentou.

Informações: G1 MG

READ MORE - Passagem de ônibus em Belo Horizonte fica mais barata nesta quinta

Novos ônibus do transporte coletivo de Londrina terão ar condicionado

O prefeito Alexandre Kireeff assinou o decreto n° 1.052, determinando que as concessionárias adquiram novos veículos com ar condicionado e dispositivo regulador de temperatura. A instalação e as especificações técnicas dos aparelhos deverão seguir as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

“Começamos a incorporar qualidade ao transporte, eficiência econômica, eficiência nos trajetos e investimentos nos corredores para diminuir o tempo no deslocamento. Tudo isto é para aumentar o conforto para o usuário, levando em consideração que Londrina tem altas temperaturas”, explicou Kireeff.

Ainda de acordo com o prefeito, o tempo para a implantação desse sistema dependerá do ritmo da renovação da frota de veículos, que, em média, é de 3,5 anos.

Londrina conta atualmente com 432 ônibus para o transporte coletivo, sendo que, das linhas convencionais, nenhum veículo possui ar condicionado. Desde 2013, foram investidos cerca de R$ 22 milhões na renovação da frota, com a aquisição de 98 ônibus novos.Novos veículos serão obrigados a ter equipamento. Objetivo é oferecer qualidade e conforto aos usuários

Melhorias - Desde o início, a atual administração tem priorizado a mobilidade urbana e o transporte coletivo em Londrina. “Estamos criando atrativos para que as pessoas que se utilizam do transporte individual voltem a utilizar o transporte coletivo, que envolvem eficiência, menor tempo de deslocamento, facilidade de acesso, qualidade desse deslocamento e a climatização que confere qualidade e conforto”, frisou Kireeff.

Dentre as principais ações estão: a implantação do Passe Livre Estudantil, que beneficiará 11 mil alunos; a inauguração do Terminal Oeste; melhorias no Terminal Central; implantação das linhas interbairros (perimetrais); adoção da via exclusiva para o transporte coletivo na Avenida Tiradentes; instalação de 150 pontos de ônibus cobertos e com bancos; lançamento da linha gratuita, a Centro Livre; renovação de 25% da frota em 2014, com 90 ônibus substituídos e a aquisição de outros 21, somando 111 novos veículos (98 convencionais e 13 Psiu); além de 100% da frota adaptada para pessoas com deficiência.

Fotos: Vivian Honorato/arquivo
Informações: Prefeitura de Londrina

READ MORE - Novos ônibus do transporte coletivo de Londrina terão ar condicionado

Em Curitiba, Imagens do centro operacional da Urbs ajudam na investigação de crimes

Ferramenta de planejamento e gestão do trânsito e do transporte coletivo, o Centro de Controle Operacional (CCO) da Urbs vem sendo também um importante apoio em investigações policiais na capital.

Distribuídas em 89 endereços de ruas e avenidas e instaladas em todos os terminais e estações-tubo, as 711 câmeras do trânsito e do transporte geram imagens em diferentes pontos da cidade flagrando situações que muitas vezes auxiliam a polícia no trabalho de identificar e prender criminosos. Por dia são atendidas, em média, quatro solicitações feitas por órgãos policiais para disponibilização de imagens. O CCO tem acesso, ainda, a imagens de outras 75 câmeras – 45 da Guarda Municipal e 30 da Segurança Pública.

No trabalho da polícia, as imagens fornecidas pelo CCO da Urbs se somam às de câmeras de segurança e monitoramento espalhadas em diferentes áreas da cidade e que tanto podem ser do poder público como do setor privado -  empresas de vigilância, condomínio, comércio e até mesmo as registradas em celulares de pessoas que tiveram oportunidade de fotografar ou filmar um evento de interesse para a investigação.

“A Polícia trabalha com informação e os avanços tecnológicos têm sido muito importantes na coleta de informações”, afirma a delegada Maritza Maira Haisi, da Divisão de Polícia da Capital, que congrega os 13 Distritos Policiais da cidade. As câmeras, diz ela, têm um papel importante e sua distribuição por toda a cidade pode permitir a reconstituição de um trajeto, a identificação de envolvidos e a localização de testemunhas, por exemplo.

Foi o que aconteceu na elucidação, no ano passado, do assassinato da empresária Clemans Abujamra. Através de imagens foi possível reconstituir o percurso e até determinar o tempo de deslocamento a partir do cálculo da velocidade dos passos da empresária, conta a delegada. “Você junta uma série de informações e vai montando como num quebra cabeça até chegar ao que ocorreu de fato”, diz ela.

Divulgação

A divulgação das imagens, afirma a delegada, é algo que depende da estratégia adotada na investigação. “Há situações em que a divulgação da imagem é essencial para a solução de um crime e nesse momento os meios de comunicação têm um papel extremamente importante”, afirma. “Mas a divulgação na hora errada pode prejudicar toda uma investigação e colocar em risco a vida de testemunhas ou pessoas que apenas apareçam na imagem”.

Ela cita como exemplo, o crime que ficou conhecido como Chacina do Sitio Cercado, em que a única sobrevivente – e testemunha chave – foi uma criança de 6 anos. O vazamento das imagens atrasou as investigações e foi preciso reforçar a segurança da testemunha e pessoas próximas.

Também a delegada de Furtos e Roubos Sâmia Cristina Coser defende a utilização estratégica das imagens disponíveis. “A ideia de se utilizar uma câmera é a de coibir o crime, a infração, a irregularidade”, afirma.

Utilizando imagens de diferentes locais e de câmeras de particulares e do poder público, entre elas, do CCO da Urbs, investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos reconstituíram a ação e o trajeto do assassino do Guarda Municipal  Roni Fernandes, no mês passado, no Centro da cidade. A montagem do vídeo foi essencial para a prisão do assassino. “Foi um trabalho essencial. Tínhamos imagens em todo o trajeto, até o momento em que ele [o assaltante] desembarca do táxi”, diz a delegada Sâmia.  

A sala da investigação – que por questões de segurança não pode ser fotografada – é forrada de imagens de toda a cidade e muitas delas são da Urbs. A delegada Sâmia destaca que as imagens fornecidas pela Urbs são de excelente qualidade. “Toda informação é importante, seja imagem, seja um som ambiente, tudo ajuda. Mas quando a imagem tem essa qualidade é muito bom. Temos um contato próximo com a Urbs e isso auxilia muito, inclusive para que se busque aumentar a segurança no transporte coletivo”.

Além das imagens outro fator importante para aumentar a segurança nos ônibus, estações e terminais, é o registro de ocorrências. “É importante que todos registrem ocorrência porque isso auxilia a Polícia a identificar onde há maior ocorrência, como é a forma de ação, aumentando a possibilidade de coibir esses furtos”, afirma.

Segurança

Desde a realização da Copa do Mundo no Brasil, no ano passado, as imagens das câmeras do CCO integram o Centro Integrado de Comando e Controle Regional da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Das mil câmeras cujas imagens são utilizadas pelo CICCR, 700 são da Urbs. Durante a Copa, no CCO da Urbs além dos técnicos, engenheiros, fiscais e operadores do transporte coletivo e do trânsito também trabalharam no CCO Exército, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Guarda Municipal. Desde março deste ano, a Guarda Municipal integra o CCO.

Liberação

Diante da importância para a segurança pública e as restrições legais de divulgação, a Urbs adotou um protocolo que estabelece os critérios para disponibilização das imagens geradas pelas câmeras do CCO.

Este protocolo permite a liberação das imagens das 89 câmeras de monitoramento do trânsito para veículos de comunicação interessados em sua veiculação. Assim, emissoras de TV da capital utilizam estas imagens gratuitamente, através de convênio com a Urbs que autoriza o uso em tempo real e condiciona o uso de imagens gravadas à liberação da Urbs. Interessados em veicular as imagens do trânsito em tempo real devem protocolar solicitação na recepção da Urbs, que fica no prédio central da Rodoferroviária, na Avenida Presidente Affonso Camargo, 330.

O uso das imagens das 622 câmeras de monitoramento do transporte coletivo não faz parte do convênio. As imagens, tanto do trânsito quanto do transporte, gravadas pelo Centro de Controle Operacional da Urbs só podem ser fornecidas mediante solicitação formal feita por autoridade policial, judiciária ou Ministério Público.

Além das câmeras da Urbs, o CCO trabalha com imagens de 45 câmeras da Guarda Municipal e 30 da Segurança Pública. Nesse caso, a liberação das imagens deve ser solicitada à Guarda Municipal ou, se for o caso, à Secretaria de Segurança Pública.

Informações: URBS
READ MORE - Em Curitiba, Imagens do centro operacional da Urbs ajudam na investigação de crimes

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960