Tarifas de ônibus de BH serão reduzidas nesta quinta

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

As tarifas dos ônibus de Belo Horizonte voltarão de R$ 3,40 para R$ 3,10 a partir da zero hora desta quinta-feira (17). A decisão foi anunciada na tarde desta quarta (16), pela Prefeitura de BH, que resolveu acatar a sentença da Justiça, expedida na última segunda-feira (14).
Foto: Flavio Tavares
Apesar da prefeitura ter sido notificada na noite nesta terça-feira (15), a tarifa do transporte coletivo ela ainda não tinha reduzido nesta quarta. Os valores estavam em vigor desde 8 de agosto.

Com isso, a tarifa predominante, paga por cerca de 80% dos usuários do transporte coletivo municipal, de R$ 3,40 volta para R$ 3,10. As tarifas das linhas circulares e alimentadoras, de R$2,45 para R$ 2,20. As linhas de vilas e favelas, de R$0,75 para R$ 0,70. A linha Executiva SE01 (Savassi/Cid. Administrativa), de 6,40 para R$ 5,80 e a linha Executiva SE02 (Buritis/Savassi) de R$5,15 para R$ 4,65.

As tarifas das linhas do transporte suplementar de Belo Horizonte passam de R$2,45 para  R$ 2,20; a de R$2,75 para R$ 2,50 e a de R$3,40 para de R$3,10. A tarifa do serviço de táxi-lotação, em operação nas avenidas Afonso Pena e do Contorno, passa de R$3,75 para R$3,40.

Segundo a prefeitura, a Procuradoria Geral do Município estuda a decisão judicial para tomar as medidas jurídicas adequadas.

A Defensoria Pública ainda não informou se irá acionar a Justiça para que a cobrança da multa de R$ 1 milhão, prevista na ação, pela demora em aplicar a redução dos preços.

Redução

O pedido de liminar, de autoria da Defensoria Pública, que questionou o aumento da tarifa, foi deferido na segunda-feira pelo juiz Rinaldo Kennedy Silva, da 4ª Vara da Fazenda Municipal. Ele ainda determinou a proibição da revisão contratual entre BHTrans e empresas, antes de realização de uma perícia para apurar a real necessidade de reajuste tarifário.

A defensora Júnia Roman, autora da ação, destaca que, além da suspensão, os dois pedidos do órgão também solicitam uma perícia nos gastos das empresas. "A PBH precisa saber quais são os custos e rendimentos efetivos dessas empresas. É necessário uma perícia fiscal e contábil de todas as entradas e saídas dessas corporações", destacou.

Para a promotora, a decisão da Justiça foi uma vitória. "Estamos muito felizes com a efetividade e independência do Judiciário. E, caso haja recurso, contamos com essa independência na segunda instância", afirmou Roman, lembrando que, assim que a PBH recebesse a intimação, teria que suspender o aumento imediatamente.

"Absolutamente justo"

Para o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, o aumento das tarifas de ônibus foi “absolumente justo” e embasado em estudos aprofundados. O comentário foi realizado nesta terça, durante o evento Viver BH Digital, no Bairro Ipiranga, na Região Nordeste da capital.

Segundo Lacerda, "a prefeitura só autoriza assuntos dessa natureza depois de ter se aprofundado com muito cuidado técnico e jurídico. Estamos tranquilos em relação a isso", afirmou.

Por Danilo Emerich
READ MORE - Tarifas de ônibus de BH serão reduzidas nesta quinta

Grande Recife com mais ônibus e viagens no Corredor Via Livre Leste/Oeste

Os usuários do Corredor Via Livre Leste/Oeste contam, a partir desta quarta-feira (16), com mais veículos e viagens nas três linhas que circulam com BRT no corredor. A 2437 – TI Caxangá (Centro) passará a contar com mais dois veículos e 14 viagens, totalizando 11 ônibus e 120 viagens por dia. Já a linha 2450 – TI Camaragibe (Centro) terá mais um veículo acrescido à frota, o que possibilitará a redução dos intervalos entre as viagens e totalizará uma frota de 16 BRTs e 121 viagens por dia. 

Além destas, a linha 2480 – TI Camaragibe/Derby também recebeu acréscimo. Ao todo, são mais 11 viagens em sua operação, passando a circular com 18 BRTs realizando 136 viagens por dia. O aumento no serviço das linhas acontece acontecerá nos dias úteis. Atualmente, o Corredor Via Livre Leste/Oeste atende cerca de 50 mil usuários por dia. 

Para mais informações, o usuário dispõem da Central de Atendimento ao Cliente, no 0800.081.0158. 

Informações: GRCT

READ MORE - Grande Recife com mais ônibus e viagens no Corredor Via Livre Leste/Oeste

Novas linhas do transporte coletivo são criadas para beneficiar região Oeste da grande Goiânia

Oito novas linhas começam a operar no sábado, 19. Três pontos de conexão serão criados para facilitar o acesso ao Eixo Anhanguera nas rodovias GO-060 e 070. Integração reduzirá preço da tarifa para R$ 1,65

O atendimento do transporte coletivo será ampliado na Grande Goiânia com a criação de novas linhas de ônibus na região Oeste, às margens das rodovias GO-060 e GO-070, que vão beneficiar cerca de 30 mil pessoas por dia. As melhorias contemplam também a extensão de linhas e a construção de três pontos de conexão (PC) com integração eletrônica ao Eixo Anhanguera, o que garantirá o subsídio da tarifa. 

Elaboradas pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Metrobus e Consórcio RMTC, as ações fortalecem a extensão do Eixo Anhanguera, que passou a circular nos municípios de Trindade, Goianira e Senador Canedo em setembro do ano passado. Atualmente, cerca de 300 mil pessoas usam o Eixo Anhanguera diariamente.

Os novos serviços serão implantados no sábado, 19 de setembro, quando entram em operação 151 viagens em dias úteis, 101 no sábado e 73 no domingo, em 15 bairros e residenciais (Planalto, Cora Coralina, Paranaíba, Vila Adilair II, Limoeiro, São Bernardo, Arco do Triunfo, Triunfo I, II e II, Paineiras, Florença, Goiânia Viva, Mendanha e Portinari).

No total, serão criadas oito linhas: 009 - Terminal Isidória/Avenida Castelo Branco/Terminal Padre Pelágio, 352 - PC Cora Coralina/Res. Planalto, 353 - PC Cora Coralina/Res. Paranaíba, 354 - PC Cora Coralina/Vl. Adilair II, 355 - PC Cora Coralina/Res. Limoeiro, 356 - PC Triunfo/Res. São Bernardo/Res. Paineiras, 357 - PC Triunfo/Triunfo II/Res. Florença e 702 - Terminal Goiânia Viva/Res. Mendanha/Res. Portinari. 

O presidente da CMTC, Murilo Guimarães Ulhôa, explica que a ligação entre os Terminais Padre Pelágio e Isidória ficará muito mais ágil com a nova linha, que dará atendimento às avenidas Castelo Branco, Mutirão, 85 e T-63. Diariamente, a linha oferecerá 75 viagens, que vão integrar as regiões Oeste e Sul. Ulhôa destaca ainda a implantação da linha que ligará o Residencial Portinari e o Setor Nações ao Terminal Goiânia Viva (702). “Esse novo serviço atende uma demanda antiga dos moradores da região, que terão mais conforto e segurança, pois vão direto ao terminal”.

As linhas 310 - PC Triunfo/Res. Triunfo e 150 - PC Triunfo/Res. São Bernardo/St. Palmares foram estendidas para atender os moradores dos Residenciais Triunfo III, Arco do Triunfo e São Bernardo, às margens da GO-070.  A linha 354 – PC Cora Coralina/Vl. Adilair II e 355 – PC Cora Coralina/Res. Limoeiro vão realizar o atendimento ao Setor Cora Coralina, Residencial Adilair e Limoeiro, antes feito pela linha 309 – T.Pe. Pelágio/Cora Coralina.

Por solicitação dos moradores do Jardim do Cerrado, os horários das linhas 338 – T.Vera Cruz/GO-060/Jd. do Cerrado e 344 – T.Vera Cruz/GO-060/Res. Cerrado VII foram ampliados e os ônibus, que antes circulavam somente nos horários de pico, vão prestar atendimento o dia todo aos bairros. Com a alteração, o atendimento antes feito pela linha 347- TPe. Pelágio/T. Vera Cruz/Jd. Cerrado serão transferidos para a 338 e 344.
Os bairros Cora Coralina, Residencial Adilair e Limoeiro também vão ser atendidos por duas novas linhas 354 – PC Cora Coralina/Vl.Adilair II e 355 – PC Cora Coralina/Res.Limoeiro, que serão integradas ao Eixo Anhanguera pelo Ponto de Conexão Cora Coralina.

Novos pontos de conexão

Três novos pontos de conexão (PC) serão criados na GO-070, entre Goianira e Goiânia, para a integração com o Eixo Anhanguera. Os PCs estão situados nas proximidades dos bairros Primavera, Triunfo e Cora Coralina. O PC Triunfo fará a integração das novas linhas (356 - PC Triunfo/Res. São Bernardo/Res. Paineiras, 357 - PC Triunfo/Triunfo II/Res. Florença) ao Eixo Anhanguera, assim como as linhas 310 e 150, que foram ampliadas. 

O PC Cora Coralina fará a integração das linhas 352 - PC Cora Coralina/Res. Planalto, 353 - PC Cora Coralina/Res. Paranaíba, 354 - PC Cora Coralina/ Vl. Adilair II e 355 - PC Cora Coralina/Res. Limoeiro. Já no PC Primavera, a integração será pela linha 599 – PC Primavera/Conjunto Primavera.

Nova integração ao Eixo Anhanguera na GO-060

Para oferecer mais agilidade e conforto às viagens, 11 linhas do transporte coletivo serão integradas ao Eixo Anhanguera pelos Terminais Vera Cruz e Terminal de Goianira a partir de sábado, 19: linhas 137 – T. Vera Cruz/Renata Park/St. Pontakayana; 703 – T. Vera Cruz/St. Cristina/Jd. Marista; 141 – T. Vera Cruz/ St. Cristina/Jd. California; 140 – T. Vera Cruz/Maysa/Dona Iris; 311 – T. Vera Cruz/Dona Iris/Maysa; 344 – T. Vera Cruz/GO 060/Res. Cerrado V II; 338 – T. Vera Cruz/GO 060/Jd. Do Cerrado; 324 – T. Vera Cruz/Monte Pascoal/Eldorado Oeste e 701 – T. Vera Cruz/Eldorado Oeste/Monte Pascoal.

Com a alteração, as viagens, que antes se iniciavam somente nos terminais de Trindade e Padre Pelágio, vão começar também no terminal Vera Cruz, reduzindo a integração dos passageiros da região do Trindade II entre os terminais. Os passageiros com destino a Brazabrantes terão integração no Terminal de Goianira com a linha 214, que terá acréscimo de três viagens em dias úteis e sábados.

Com as mudanças, os moradores do entorno da rodovia GO-070 também terão benefícios nas tarifas. Os usuários vão utilizar gratuitamente as linhas locais (150, 310, 352, 353, 354, 355, 356, 357, 599), mas será necessária a validação pelo Cartão Fácil Sitpass nas catracas para a entrada no ônibus. O cartão é gratuito na primeira via e pode ser adquirido em um dos mais de dois mil pontos de recarga disponíveis na região metropolitana. Ao embarcar no Eixo Anhanguera, linhas 112 e 113, o usuário ao utilizar o Cartão Fácil Sitpass pagará a tarifa subsidiada de R$ 1,65.

Os novos serviços estão sendo implantados para atender às solicitações dos moradores da região metropolitana de Goiânia. A CMTC está à disposição da população para avaliar o serviço pelos telefones 0800 646 1851/ 3524-1851 (Ouvidoria) e whatsapp 9943-1620.

Confira as novas linhas:

009 - Terminal Isidória / Avenida Castelo Branco / Terminal Padre Pelágio 
352 - PC Cora Coralina / Res. Planalto 
353 - PC Cora Coralina / Res. Paranaíba 
354 - PC Cora Coralina / Vl. Adilair II 
355 - PC Cora Coralina / Res. Limoeiro 
356 - PC Triunfo / Res. São Bernardo / Res. Paineiras
357 - PC Triunfo / Triunfo II / Res. Florença 
702 - Terminal Goiânia Viva / Res. Mendanha / Res. Portinari

Por Lourdes Souza, da editoria de Transportes – Secretaria Municipal de Comunicação 
Informações: Prefeitura de Goiânia






READ MORE - Novas linhas do transporte coletivo são criadas para beneficiar região Oeste da grande Goiânia

Em BH, Novos 11 radares fiscalizam faixa exclusiva de ônibus

Belo Horizonte conta com 11 novos radares de detecção de invasão de faixa exclusiva para ônibus a partir desta terça-feira (15). Os aparelhos estão instalados nas avenidas Vilarinho e Presidente Carlos Luz.

Com os novos equipamentos, BH conta agora 25 equipamentos deste tipo. Faixas de pano foram implantadas orientando os motoristas sobre o início da operação dos equipamentos nos locais.

Segundo a BHTrans, no 11º equipamento, na avenida Carlos Luz, na altura oposto ao nº 3.514, além da fiscalização de invasão de faixa de ônibus, o aparelho também irá atuar de modo conjugado com um controlador de excesso de velocidade.

Objetivo

Segundo a BHTrans, os equipamentos têm como principal objetivo, garantir a fluidez do transporte público, o tornando mais ágil e atrativo para a população, conforme premissa do Ministério das Cidades.

Por Danilo Emerich
Informações: Hoje em Dia
READ MORE - Em BH, Novos 11 radares fiscalizam faixa exclusiva de ônibus

Multas contra empresas de ônibus crescem 72% em São Paulo

As multas contra empresas e permissionários do transporte público por descumprimento do número de partidas programadas pela Prefeitura cresceram 72,79% no primeiro semestre de 2015, em comparação com o mesmo período de 2014. Nos seis primeiros meses do ano, a São Paulo Transporte (SPTrans) aplicou 21.437 dessas notificações, ante 12.406 no ano passado. Essa irregularidade representa três em cada dez infrações registradas entre janeiro e junho.

Quando os ônibus deixam de partir, os passageiros sentem o reflexo, com lotação nos pontos e ônibus superlotados. A infração aparece em primeiro lugar no ranking da SPTrans, seguida de outra irregularidade que prejudica a frequência das linhas: o descumprimento do intervalo de ônibus, com 10.369 notificações. No edital da nova concessão do transporte público, a Secretaria Municipal de Transportes quer punir em 40% da remuneração as empresas que deixarem de cumprir as viagens. Hoje, a multa que a SPTrans aplica para cada uma dessas infrações é de R$ 360.

Segundo especialistas em transportes não é possível atribuir a irregularidade apenas às empresas e permissionários, uma vez que o trânsito da cidade aumenta a cada ano e os prestadores do serviço público não podem administrar o viário da capital, uma responsabilidade que é exclusiva da Prefeitura.

Com mais congestionamento, os veículos demoram mais para passar nos locais de embarque e desembarque. Como consequência, fazem uma quantidade menor de partidas programadas. "É como chegar no metrô e não ter trem. Aumenta o intervalo, afeta o tempo de espera e, depois, causa superlotação porque tem menos veículos passando por hora", diz o mestre em Transportes pela Universidade de São Paulo (USP) Horácio Augusto Figueira.

É a mesma visão do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SP-Urbanuss). "O cumprimento das partidas depende de fatores que, rotineiramente, são alheios à operação: congestionamentos, acidentes nas vias, obras públicas, interrupção de vias por manifestações, quebras de semáforos", enumera a entidade, em nota. O sindicato patronal afirma ainda que "não tem preocupação com a vinculação da remuneração pelos serviços prestados com a colocação da frota em operação", desde que não haja penalizações por "intempéries" do trânsito paulistano.

A SPTrans explica que o aumento no primeiro semestre de notificações por descumprimento de viagens programadas também se deve a uma revisão na metodologia de acompanhamento das linhas dentro dos terminais de ônibus "com o objetivo de reduzir os intervalos e garantir maior índice de viagens".

No ponto

Os atrasos afetam o dia a dia de pessoas como a empregada doméstica Analice Braga, de 52 anos, que acorda às 4 horas diariamente para tomar um ônibus no Parque Residencial Cocaia, extremo sul de São Paulo, com destino à Praça da Sé, no centro. "Chego no ponto pouco antes das 5 horas e já está cheio, com fila de gente na rua. Quando o ônibus encosta, parte superlotado", afirmou. Entre as 5 horas e as 6 horas, a linha deve fazer seis viagens. Mas afirma que "não é raro" haver menos partidas.

Até nos corredores, onde se preveem mais viagens e mais rápidas, também se sente o problema. O auxiliar administrativo Carlos Roberto da Silva, de 34 anos, diz que já chegou a esperar 40 minutos na Avenida Rebouças, zona oeste. "Os ônibus ficam presos no trânsito do centro. A espera é tanta que tem fila para entrar."

READ MORE - Multas contra empresas de ônibus crescem 72% em São Paulo

Alerta vermelho para o VLT de Pernambuco

A substituição dos velhos trens a diesel pelos modernos VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos) na linha férrea que liga os municípios de Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, foi concluída pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) no início de 2012. Representava novos tempos na mobilidade de cerca de 4,5 mil passageiros por dia, que desfrutariam de um transporte mais rápido e climatizado. Passados pouco mais de três anos, o modal – que faz integração com o Metrô do Recife na estação Cajueiro Seco, em Jaboatão – deu um nó. Dos nove trens comprados por R$ 69 milhões, apenas três funcionam. As outras seis composições permanecem paradas no pátio da CBTU, no bairro de Areias, Zona Oeste do Recife, se deteriorando em meio à grama, expostas à chuva e ao sol. A duplicação da linha entre Jaboatão e o Cabo foi interrompida quando a torneira com recursos do governo federal foi fechada, no final de 2014.

Desde a inauguração do sistema, os trens circulam por apenas uma linha, o que traz empecilhos óbvios à operação. O maior deles é o fato de apenas uma composição fazer o trajeto de 18,5 quilômetros entre Jaboatão e Cabo. O percurso é feito em cerca de 45 minutos, mas o tempo total entre uma viagem e outra – descontando os momentos de parada – é de uma hora. “Tudo bem que o intervalo entre os trens não possa ser igual ao metrô do Recife, que é de 10 minutos. Mas uma hora é tempo demais. Quando a gente perde o trem, chega dá um desgosto”, explica o auxiliar de serviços gerais Luiz Carlos Silva, que mora no Cabo e trabalha na capital.

Em pouco mais de três anos, os veículos também experimentam problemas operacionais. As quebras são frequentes e o sistema de ar-condicionado não dá conta da climatização dos vagões em dias de forte calor. “Só à noite, quando o tempo já esfriou, é que a gente sente o ar-condicionado. Nunca durante o dia. E se tiver muita gente no vagão, fica insuportável”, reclama a vendedora Mayria Silva, moradora do Cabo e que usa o VLT todos os dias para ir ao Recife trabalhar.

A reportagem sentiu na pele o martírio diário de Mayria e de outros milhares de passageiros: nas duas viagens completas feitas pela equipe, a climatização não passava de um vento quente que soprava dos dutos do ar-condicionado. Por ter um volume menor de passageiros, se comparado ao metrô do Recife, o VLT é poupado de um dos maiores problemas do sistema da capital: a proliferação de vendedores ambulantes, muitas vezes invasivos e agressivos.

A duplicação da linha férrea continua paralisada desde que a Construtora Sam, responsável pela obra, abandonou os serviços, por falta de pagamento, no final de 2014. Ao longo do percurso é possível observar trilhos e dormentes (peças usadas para sustentar os trilhos) largados pelo chão, alguns já cobertos com vegetação. Alguns trechos de trilhos já colocados foram cobertos pela grama e em várias localidades as construções irregulares avançam perigosamente para a pista atualmente em operação. Uma complicação a mais para quando a obra for retomada. Em dois trechos, já no município do Cabo de Santo Agostinho, pode-se ver campos de futebol colocados ao lado da linha onde passa o VLT. Lixo também é artigo em abundância ao longo do percurso.

A implantação do VLT também deveria ser estendida ao Recife. No início de 2014 a prefeitura da cidade chegou a anunciar um audacioso plano para fazer um corredor de 13,4 quilômetros de extensão ligando o Terminal Integrado da Macaxeira, na Zona Norte, ao de Joana Bezerra, na área central, passando pela Avenida Norte. O custo do projeto: R$ 1,9 bilhão, provenientes de recursos liberados pela presidente Dilma Rousseff para a mobilidade urbana no Estado. A expectativa, ainda na época em que a crise não tinha batido à porta: as obras deveriam começar no segundo semestre de 2014, com duração de dois anos. A realidade, hoje: nada saiu do papel.

READ MORE - Alerta vermelho para o VLT de Pernambuco

Prefeitura de Florianópolis muda projeto e cria corredor central para ônibus na Beira-Mar Norte

A Prefeitura de Florianópolis refez o projeto dos corredores exclusivos para ônibus na avenida Beira-Mar Norte, obra que integra o anel viário da área central. Em janeiro, foi apresentado um plano que deixaria os pontos de embarque e desembarque nas vias marginais, à direita da avenida. Após estudos mais aprofundados, a Secretaria de Obras apresentou um novo projeto. Nesta nova proposta, os ônibus circularão junto ao canteiro central da Beira-Mar, onde serão construídas plataformas para entrada e saída dos passageiros.

As mudanças na Beira-Mar Norte fazem parte da etapa 2 do projeto do anel viário. Atualmente, uma equipe técnica observa o fluxo de veículos nos principais cruzamentos entre o Centro e o bairro Trindade. A análise será utilizada na implantação do sistema de sincronização dos semáforos da avenida. Ao ser finalizado, o projeto será enviado à Caixa Econômica Federal para aprovação.

O secretário-adjunto de Obras, Américo Pescador, acredita que seja possível o início das obras em até seis meses, se não houver nenhum entrave junto à Caixa e na licitação para contratação da empresa que executará a etapa da Beira-Mar Norte.

A prefeitura ainda não tem uma estimativa de custos. O tempo de execução da obra será de até três anos. “A Beira-Mar terá mais uma faixa de rolamento no sentido Centro/bairro. Para a implantação, teremos de utilizar espaços que são usados como estacionamento, em frente aos prédios”, explicou Pescador.

Segundo o secretário-adjunto, o novo modelo é mais viável para a redução do tempo das viagens dos BRTs (bus rapid transit, ou transporte rápido por ônibus) e facilitará ainda mais a integração das linhas da cidade.

Pescador ressalta que orientações da equipe do Plamus (Plano de Mobilidade Urbana Sustentável) da Grande Florianópolis levaram os técnicos da prefeitura a mudarem o projeto inicial da Beira-Mar Norte.

Antes, o plano previa a ampliação no aterro mecânico, levando mais para o mar o calçadão e deixando a ciclovia para uso exclusivo do transporte coletivo, no sentido bairro/Centro.

No sentido contrário seria utilizada a faixa da direita para embarque e desembarque. “Percebemos que aquele modelo se tornaria inviável em um futuro próximo. Também fizemos uma visita técnica ao Rio de Janeiro para nos asseguramos sobre as alterações”, disse.

Etapa 1 poderá começar em 90 dias

O edital de licitação para a duplicação da rua Deputado Antônio Edu Vieira, no bairro Pantanal, está aberto. A previsão da Secretaria de Obras é de que a obra comece em até 90 dias.

A duplicação, orçada em R$ 36,6 milhões, é a primeira parte do anel viário Volta ao Morro. Chamada de trecho Sul do anel viário, a obra começará no trevo da Dona Benta, passará pela Edu Vieira e seguirá pelos bairros José Mendes e Prainha até o Ticen.

Os corredores de ônibus nesse perímetro, e o elevado na altura da Eletrosul, no Pantanal, serão construídos somente em concreto, seguindo orientações técnicas especificas para a circulação dos BRTs. A construção da etapa 1 levará três anos, segundo a prefeitura.

READ MORE - Prefeitura de Florianópolis muda projeto e cria corredor central para ônibus na Beira-Mar Norte

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960