Rodoviários protestam e paralisam linhas de ônibus em Porto Alegre pedindo mais segurança

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Rodoviários de Porto Alegre protestaram na manhã desta quinta-feira (23) paralisando as atividades, para alertar para alto número de assaltos e pedir segurança no transporte coletivo. As linhas afetadas, como informa a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), são T4, 429 e 433, que têm seus terminais na Zona Norte da capital.

O protesto tem início no terminal do T4, na Rua Dom Diogo de Souza. Os ônibus estão saindo do fim da linha e se deslocando até a Avenida Protásio Alves com a Saturnino de Brito, para depois se juntar com os demais consórcios para se deslocar até a sede do governo, no Centro.

"Tivemos mais de 30 assaltos em três linhas em um mês", relata o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Adair Silva, à Rádio Gaúcha. "Queremos segurança para o trabalhador e a população", completa.

Conforme Silva, ônibus de outras linhas poderão ser deslocados para cobrir horários. A EPTC, por sua vez, orienta os passageiros a fazer integração na área central ou nas principais avenidas da capital.

Informações: G1 RS


READ MORE - Rodoviários protestam e paralisam linhas de ônibus em Porto Alegre pedindo mais segurança

Em Fortaleza, Obras da Linha Leste do metrô estão paradas

Paralisadas, com estruturas enferrujadas e entulhos acumulados. Essa é a atual situação das obras de construção da Linha Leste do Metrô de Fortaleza (Metrofor). E de acordo com a Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra), não há previsão para a retomada dos trabalhados. As linhas Sul e Oeste também têm obras inacabadas. A paralisação de vigilantes semana passada e a renúncia do secretário das Cidades, Ivo Gomes (Pros), responsável por administrar o Metrofor, chamam a atenção para a situação dos equipamentos.

Em novembro do ano passado, a Seinfra havia anunciado que a operação da tuneladora — o famoso “tatuzão” — para construção da Linha Leste começaria em março deste ano. Quatro meses após o prazo, o canteiro de obras de uma das estações, no Colégio Militar de Fortaleza, na avenida Santos Dumont, parece abandonado. Apesar dos tapumes impedindo a passagem e da placa indicando a obra, com entrega prevista para novembro de 2018, no local há materiais de construção desgastados e alguns pontos intocados, como paradas de ônibus e asfalto da rua que passava pelo local.

O técnico de refrigeração Rafael Braga, 27, mora na rua Costa Barros, a poucos metros da futura estação do Colégio Militar. Ele diz que o metrô “ajudaria muito” no deslocamento até o trabalho e para ir até o Centro. No entanto, afirma, sem esperança, que não planeja sua rotina contando com o meio de transporte.

Sem previsão

As obras da Linha Leste do Metrofor foram iniciadas em novembro de 2013. De acordo com nota da Seinfra, elas foram paralisadas no início deste ano “por conta da reformulação societária que está sendo articulada pelo consórcio que executa as obras”. As atividades seguem “sem previsão de reinício”.

A Linha Leste do Metrô de Fortaleza terá 13 quilômetros de extensão. Quando concluído, o equipamento deve ligar o Centro ao bairro Edson Queiroz. O projeto prevê a construção de 11 estações: Catedral, Colégio Militar, Luíza Távora, Nunes Valente, Leonardo Mota, Papicu, HGF, Cidade 2000, Bárbara de Alencar, CEC e Edson Queiroz.

A estação Tirol, já existente, fará a integração com a linha Oeste e a Leste, e a Chico da Silva (também já implantada) fará a integração com a Linha Sul. A previsão é de que a Linha Leste atenda 400 mil usuários por dia quando integrado com os demais modais de transporte, em viagens com percurso de 17 minutos.

Informações: O Povo Online
READ MORE - Em Fortaleza, Obras da Linha Leste do metrô estão paradas

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960