Novo corredor de ônibus no setor leste de Uberlândia já está em construção

quinta-feira, 16 de julho de 2015

O Prefeito de Uberlândia Gilmar Machado anunciou nesta terça-feira, 14, o início da maior obra viária urbana da cidade, a construção do corredor estrutural (BRT: Transporte Rápido por Ônibus) da avenida Segismundo Pereira e do terminal de ônibus Novo Mundo, na região Leste.

Serão investidos R$ 22,5 milhões e o prazo de entrega está previsto para o primeiro semestre de 2016. As obras já foram iniciadas. O novo corredor de ônibus tem mais de 6 quilômetros de extensão. Ao todo 11 estações serão instaladas e o sistema vai atender prioritariamente os moradores do Santa Mônica, Dom Almir, Morumbi e outros bairros da região.

O estacionamento que já existe para o comércio na Avenida Segismundo Pereira, que é a principal via de ligação entre o Terminal Central e o Terminal Novo Mundo (próximo a Ceasa), será mantido. 

O projeto aponta que a faixa do ônibus será prioritária, em vez de exclusiva. Logo, os veículos de passeio poderão dividir a faixa com os 56 ônibus convencionais e outros 10 articulados.

Além da estações, mais um terminal está sendo construído: o Novo Mundo. Algumas linhas que hoje passam pela avenida sofrerão alterações.

Para suportar o tráfego constante de veículos pesados, a avenida Segismundo Pereira terá o asfalto reforçado, assim como já acontece no BRT da avenida João Naves de Ávila.

O recurso de mais de R$ 22 milhões foi obtido junto ao governo federal. A previsão é que o novo corredor seja finalizado até abril de 2016. Os serviços não haviam iniciado antes por atrasos no projeto.

As obras fazem parte do programa Uberlândia Planejada. Ele contempla um conjunto de infraestrutura e mobilidade urbana com investimentos na ordem de R$ 132 milhões já aprovados. O pacote de financiamento engloba a construção de cinco novos corredores, quatro terminais, 67 estações e três viadutos.

Tecnologia e conforto

Os ônibus do novo corredor funcionarão com sistema de ar-condicionado e parte da frota terá acesso à internet wi-fi. Em agosto deste ano, oito modelos vão circular pelo corredor da avenida João Naves de Ávila. As novas estações receberão o videomonitoramento, que deverá ser expandido posteriormente para o primeiro corredor estrutural.

Informações: Portal Uipi

READ MORE - Novo corredor de ônibus no setor leste de Uberlândia já está em construção

Em Fortaleza, Estações do BRT da Bezerra de Menezes serão entregues no sábado

As 11 estações que encerram a implantação do corredor expresso de ônibus da avenida Bezerra de Menezes serão entregues no próximo sábado, 18, pela Prefeitura de Fortaleza. Os equipamentos deveriam estar funcionando desde o dia 30 de junho, mas, conforme a Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf), testes de balizamento dos ônibus e de automação das portas das estações “demandaram mais tempo do que o previsto”. 

Os testes, coordenados pela Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), avaliam a eficiência dos ônibus ao pararem nas estações - adequadas tanto para veículos articulados quanto para novos modelos que tiverem embarque e desembarque, também, pela esquerda. De acordo com o presidente da Etufor, Antônio Ferreira Silva, esta última classe de veículos, porém, só deve ser incorporada à frota da Capital em agosto.

Valdir Santos, coordenador do Programa de Transporte Urbano de Fortaleza (Transfor), disse que, antes de inaugurar o novo sistema, seis assistentes sociais da Seinf têm visitado comércios, escolas e entidades como o Instituto dos Cegos e Associação dos Surdos para explicar o que muda com o funcionamento das estações. “A receptividade tem sido muito boa”, assegura.

Campanhas

Segundo Valdir Santos, os três primeiros meses de funcionamento do corredor da Bezerra de Menezes possibilitaram que a Prefeitura alertasse para a necessidade de intensificar campanhas educativas para pedestres e motoristas. “Notamos que a nossa população não tem o costume de fazer a travessia na faixa de pedestres, vimos pessoas andando nas ciclovias”, comenta.

Foi percebido ainda que alguns ônibus chegavam aos abrigos de parada em velocidade alta. Para contornar o problema, o gestor afirmou que placas com avisos de redução de velocidade foram instaladas e campanhas educativas foram direcionadas aos motoristas. Conforme o presidente da Etufor, sinalizações horizontais também foram pintadas na pista para que os ônibus não cheguem a mais de 20 quilômetros por hora. “Apesar de termos profissionais qualificados, é algo novo”, esclareceu.

Ferreira explica que, por enquanto, apenas a linha 200 (Antônio Bezerra/Centro) - que será composta por ônibus articulados - pode fazer o percurso completo pelas 11 estações. Os demais ônibus vão continuar a embarcar e desembarcar passageiros pelos abrigos do lado direito do corredor.

Sobre a substituição dos modelos dos ônibus, o presidente da Etufor explica que será de forma gradual. “À medida que a Prefeitura vai concluindo a estrutura (viária), vamos trocando a frota”, citou.

Informações: O Povo Online

READ MORE - Em Fortaleza, Estações do BRT da Bezerra de Menezes serão entregues no sábado

Em Guarulhos, Corredor de ônibus da EMTU vira estacionamento antes de inauguração

Depois de dois adiamentos para a entrega das obras, o trecho do Corredor Metropolitano de Ônibus Guarulhos-São Paulo, entre o terminal Cecap e a Vila Galvão, se transformou em calçada e estacionamento de veículos em frente a alguns pontos de parada.
Foto: Reprodução TV Globo

As obras atrasaram porque, em maio, a Prefeitura de Guarulhos não aprovou o cimento usado na faixa para a passagem dos ônibus alegando que o material usado era de má qualidade. Os trabalhos só foram retomados no dia 22 de junho.

A administração também disse que a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) não estava cumprindo o projeto original acordado. A EMTU prevê que o corredor fique pronto na segunda quinzena de agosto, segundo informou o SPTV.

O Corredor Metropolitano Guarulhos-São Paulo terá, ao todo, 20 quilômetros de extensão, mas só trecho entre o Terminal Cecap ao Terminal Taboão, perto do Aeroporto do Cumbica, está pronto. As obras de outros dois trechos ainda não começaram. 

Sem a circulação dos ônibus, os pedestres usam a faixa como calçadão para chegar até o terminal Cecap. Na estação Timóteo Penteado, a estrutura está pronta, mas é usada como vagas para estacionamento de veículos.

O reportagem flagrou um guardador de carros, conhecido como "flanelinha", organizando as "vagas". Os motoristas aproveitam o espaço livre e a falta de sinalização sobre a proibição para estacionar.

Informações: G1 São Paulo

Leia também sobre:
READ MORE - Em Guarulhos, Corredor de ônibus da EMTU vira estacionamento antes de inauguração

Prefeitura de Fortaleza anuncia a implantação de mais 40 estações do Programa Bicicletar

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), implantará mais 40 estações do Programa de Bicicletas Compartilhadas de Fortaleza, o Bicicletar. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (16/7), em coletiva de imprensa no Paço Municipal. As novas estações serão entregues de outubro deste ano a março de 2016. Com isso, a cidade terá o dobro de equipamentos que possui atualmente.

Para o Prefeito Roberto Cláudio, a utilização de bicicletas como meio de transporte envolve uma mudança cultural da população, diminuindo a sensação de insegurança, ampliando a relação com o espaço público, melhorando a saúde e colaborando para a redução das emissões de gases poluentes no meio ambiente. “A bicicleta está se tornando, além de lazer e entretenimento, um modal de transporte. As pessoas vão utilizar a bicicleta para trabalhar. Isso já tem acontecido hoje com o aumento de mais de 75% de ciclovias e ciclofaixas na cidade e com a integração do Bicicletar com o Bilhete Único”, afirmou.

De acordo com levantamento da Prefeitura, a média de viagens em dias úteis (1.850) supera as do fim de semana (1.700). “A ideia é, ao longo dos anos, descentralizar as estações de bicicletas, para que a cidade reduza sua dependência pelo uso de veículos. Se a gente começa a dar alternativa às pessoas de transporte mais seguro, mais cômodo e mais e rápido, a gente vai dar possibilidade delas deixarem seu carro em casa”, declarou.

Patrocinadas pela empresa Unimed Fortaleza, as novas estações de compartilhamento chegarão em diversos bairros da cidade, tais como Montese, Bom Futuro, Jardim América, Parreão, Fátima, Presidente Kennedy, São Gerardo, Luciano Cavalcante, Edson Queiroz, Cocó, Papicu, Cidade 2000. “Ligamos o extremo oeste ao extremo leste de Fortaleza, conectando quatro grandes campi universitários: o Campus do Pici, Benfica, o Campus do Instituto Federal e o Campus da Unifor, além de algumas faculdades que ficam ao longo da Avenida Washington Soares. Também atingimos trabalhadores que circulam pela integração do eixo Antônio Bezerra/Papicu. Estamos estimulando uma demanda que já existe, mas que aumentará conforme as estações forem instaladas”, apontou o Prefeito.

Segundo o Secretário Executivo de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Sabóia, as novas estações foram escolhidas a partir de um estudo técnico do Plano de Ações Imediatas de Transporte e Trânsito (Paitt). “Nós procuramos contemplar regiões que atraíam público por serem comerciais, oferecerem serviços, serem polos de ensino e geradores de emprego, movimentando o deslocamento da população”, afirmou.

O Programa de Bicicletas Compartilhadas foi iniciado em dezembro do ano passado com o objetivo de incentivar o uso de bicicletas como meio de transporte e contribuir para uma mobilidade sustentável. O sistema é o mais usado no Brasil, proporcionalmente ao número de estações instaladas. São quase 80 mil usuários cadastrados, sendo 65% por meio do Bilhete Único.

O presidente da Unimed Fortaleza, João Cândido, avalia a parceria entre a empresa e a Prefeitura como bem-sucedida. “A gente fica muito feliz por a gente estar participando da ampliação das estações do Bicicletar, compartilhando esta atitude contemporânea da gestão de tornar a cidade e a vida do cidadão muito melhor, com mais saúde”, disse.
     
Cadastro

Para utilizar o sistema, os interessados devem se cadastrar através do site www.bicicletar.com.br. Durante o cadastramento, o usuário optará por um plano de adesão com taxa diária (R$ 5), mensal (R$ 10) ou anual (R$ 60) informando o cartão de crédito de onde será debitado o valor do plano escolhido. O usuário do Bilhete Único (BU) pode utilizar gratuitamente o sistema.

A tarifação dará direito a ilimitados usos de uma hora. Aos domingos e feriados, o tempo de utilização se estenderá para uma hora e meia. Caso seja ultrapassado esse tempo, será cobrada uma taxa adicional de R$ 5 por hora excedente. No entanto, se a pessoa desejar continuar utilizando a bicicleta e não quiser pagar o adicional, terá a opção de esperar 15 minutos entre o uso e a próxima retirada. O serviço funciona todos os dias, de 5 às 23h59 para a retirada dos equipamentos e de 24h para devolução.


Informações: Prefeitura de Fortaleza

READ MORE - Prefeitura de Fortaleza anuncia a implantação de mais 40 estações do Programa Bicicletar

Início das obras do BRT de Salvador depende de verba federal

Da Prefeitura está tudo pronto. Licitação com as concessionárias de transportes já concluídas. Recursos próprios em caixa e financiamento com o BNDES e projeto de execução em dia. Falta, contudo, a contrapartida do Ministério das Cidades para que então a Caixa Econômica Federal possa liberar o financiamento do BRT, o sistema de transportes de ônibus urbanos em corredores exclusivos.

A obra, quando iniciada, tem prazo de conclusão de dois anos e vai ser alimentadora do sistema de metrô, transportando, na sua primeira linha em torno de 80 mil passageiros/dia através do corredor Lapa/Iguatemi. Além deste, dois outros corredores exclusivos, Iguatemi/Pituba e Orla/Aeroporto, estarão integrados ao sistema, com estimativa aproximada do mesmo número de passageiros transportados.

A Prefeitura garante já dispor dos R$ 200 milhões para iniciar a obra. Outros R$ 200 milhões virão também dos cofres municipais, mas através de um financiamento com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o restante dos recursos, que totalizam R$ 600 milhões, fazem parte da contrapartida do Ministério das Cidades, que não tem data de quando será liberado.

Conforme informou a secretaria municipal de Mobilidade Urbana, “está tudo pronto. Falta apenas a parte do Governo Federal”. De acordo com o órgão da prefeitura, não existem quaisquer pendências do ponto de vista administrativo e financeiro da Prefeitura que possam ser usadas como entrave para o início das obras. A Lei diz que o município, para ter a obra precisa de um plano de mobilidade urbana. E isso a prefeitura já tem com o PDDU (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano) e todos os licenciamentos para dar andamento à obra.

Projeto prevê intervenções viárias e macrodrenagem 
Atualmente uma viagem entre o Iguatemi e a Estação da Lapa não dura menos que uma hora nos horários de pico. Se essa mesma viagem for feita no traçado projetado para o BRT (Lapa, avenida Vasco da Gama, Lucaia, Av. Juracy Magalhães e Avenida Antonio Carlos Magalhães) essa viagem poderá ser de uma hora e 30 minutos a duas horas. Com o BRT a estimativa é que esse percurso seja feito em 16 minutos, em vias exclusivas e sem semáforos.

O projeto do BRT já foi concluído há um ano e para ser executado vai precisar de intervenções no atual sistema viário e de macro drenagem nos três corredores exclusivos do sistema. O primeiro deles é justamente o da linha Lapa/Iguatemi, que  terá quatro complexo de viadutos – antiga Coca Cola/Garibaldi, Hospital Aliança,  antigo Tereza de Lisieux e Hiperposto.

Nesse trajeto os ônibus especialmente projetados parta o sistema, trafegarão em corredores exclusivos implantados sobre os atuais canais de drenagem pluvial localizados sob o canteiro central das avenidas Vasco da Gama, Juracy Magalhães e Antonio Carlos Magalhães. É justamente aí é que se situa o entrave, pois para essas obras é que estão previstos os recursos do Ministério das Cidades, no valor de R$ 200 milhões. Os dois outros corredores – Iguatemi/Pituba e Orla/Aeroporto – vêm em seqüência após a conclusão da primeira etapa.

Esse “pequeno” entrave já dura mais de um ano e por conta disso, Salvador, com seus quase três milhões de habitantes, vai ficando para trás em relação a outras capitais e cidades de menor porte, dispondo apenas de um sistema de transporte que depende na sua quase totalidade do transporte pelo sistema convencional de ônibus. A exceção de São Paulo e Rio de Janeiro, maiores que a capital baiana, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife ,Porto Alegre, Belém, Curitiba, Goiânia, Vitória, Cascavel, Marigá, Uberaba e Uberlândia já dispõem do sistema.

Edital para VLT sai em agosto
O projeto veio depois do BRT, mas a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), ligando o bairro de Paripe, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, na Avenida da França, no Comércio , está mais próximo de sair do papel e se tornar uma realidade. É que o Governo do estado anuncia que em agosto lança o edital para a construção da linha. Serão 18,5 km e o equipamento deve transportar cerca de 100 mil pessoas por dia. O custo da obra será de R$ 1,1 bilhão,dos quais R$ 552 milhões virão do Governo Federal e R$ 448 do Governo do Estado.

O VLT vai usar a maior parte no atual trajeto dos trens suburbanos, que cobrem em 13,5 quilômetros as distâncias entre Paripe e a Calçãda. Serão acrescidos 3,5 quilômetros a partir da Estação da Calçada até a Avenida da França, no Comércio, e mais 1,5 quilômetro entre Paripe e a localidade de São Luís, já próximo ao acesso para a Base Naval de Aratu e São Thomé de Paripe, nos limites do município.

O presidente da Companhia de Transportes da Bahia (CBT), Eduardo Coppelo, explicou que o processo licitatório está quase pronto e deverá acontecer em agosto, com previsão de assinatura do contrato para início das obras em dezembro deste ano. A partir daí o VLRT deverá se tornar realidade em dois anos e meio. Para tanto já está previsto no Plano Plurianual de 2016/19 o recurso de R$ 1,1 bi para o VLT. Pelo projeto, cada viagem entre Paripe e o Comércio deverá durar até 35 minutos,  com paradas em estações. No trajeto dos atuais trens suburbanos serão feitas melhorias nos trilhos e estações, implantação de tecnologia de controle de tráfego e aquisição de trens com ar condicionado. No trecho entre Calçada e o Comércio não haverá desapropriações e construção de viadutos, mas sim de passagens compartilhadas com o atual sistema viário.

O que é o BRT
O Bus Rapid Transit (BRT) é um sistema de transporte urbano que utiliza ônibus especiais e de tráfego rápido em sistemas de vias exclusivas, evitando-se o congestionamento do tráfego com outros veículos. Para tanto costuma utilizar os canteiros centrais das avenidas, para evitar atrasos nas viagens, e utilizando-se de estações com cobrança de tarifa fora do veículo, reduzindo o atraso do embarque e desembarque dos passageiros. No Brasil, além de Curitiba, o BRT já funciona em 17 cidades. O primeiro sistema de BRT implantado no Brasil foi na cidade de Curitiba, no Paraná, em 1974). Para que o sistema possa operar com eficiência é necessária a implantação de corredores ou faixas  exclusivas para os ônibus, sem que sejam afetadas pelo congestionamento do tráfego normal de veículos. Faixas separadas podem ser elevadas, em depressão ou por dentro de túneis, que podem ser compartilhadas com metrôs ou até mesmo táxis.

“minimetrô”
O sistema VLT (Veículos Leve sobre Trilhos) é  uma espécie trem que trafega em meio a carros nas grandes cidades. Tem os mesmos sistemas de tecnologia, conforto e controle de tráfego do metrô, mas suas composições são menores, daí ser chamado por muitos brasileiros de “mini metrô”.

Diferente do metrô ou do BRT, que têm espaços próprios, o VLT compartilha esses espaços nas ruas com o sistema viário por ônibus e carros. No caso de Salvador, como explicou o presidente da Companhia de Transportes da Bahia, Eduardo Coppelo, esse compartilhamento vai se dar num trecho de 3,5 quilômetros, entre a Calçada e a Avenida da França, no Comércio. 

Nos demais trechos, da calçada até Paripe, será usado os atuais trilhos dos trens suburbanos que ainda estão em operação. Para evitar os acidentes com as interseções no atual sistema viário da área, Coppelo explica que será utilizada tecnologia de com trole de tráfego de última geração, inclusive no controle da velocidade dos trens. “No trecho do Subúrbio Ferroviário ele poderá atingir até 70 quilômetros por hora”, explica.  

por Adilson Fonsêca
Informações: Tribuna da Bahia


READ MORE - Início das obras do BRT de Salvador depende de verba federal

Projeto do Sistema BRT/Vetor Sudoeste é apresentado em Uberaba

A Prefeitura Municipal de Uberaba, por meio da Secretaria de Planejamento, realizou, nesta quarta-feira (15), uma reunião com a comunidade para a apresentação do projeto do eixo Sudoeste do Sistema BRT/Vetor. Alguns comerciantes se mostraram preocupados com a implantação do corredor na Avenida da Saudade. Eles demonstraram preocupação que o projeto atrapalhe os negócios.

O trajeto do eixo Sudoeste passará pela Rua Bento Ferreira, Avenida da Saudade, Avenida Dona Maria de Santana Borges, Avenida João Dallacqua e Avenida Juca Pato, onde ficará o terminal de embarque e desembarque de passageiros. Nessas avenidas não haverá a grade no canteiro central, uma vez que, o fluxo de pedestre é bem menor do que no Centro da cidade. Um projeto de paisagismo também foi projetado para contemplar todo o trajeto do corredor de ônibus.

Durante a apresentação do projeto do eixo Sudoeste, o secretário de Planejamento, Marcondes Nunes de Freitas, destacou principalmente os pontos diferenciais com relação ao projeto implantado na avenida Leopoldino de Oliveira.

Haverá estações de dois tipos, para atender aos pontos de ônibus com menos fluxo de pessoas e os com maior fluxo de pessoas. As estações serão instaladas próximas ao rumo em que estão os pontos de ônibus nas avenidas. Elas serão retangulares em estrutura metálica com vidros planos, que poderão ser adquiridos no comércio local. Além disso, foram projetadas algumas soluções de sustentabilidade. O sistema de climatização proposto prevê uma melhor distribuição do ar refrigerado, através de evaporadoras no teto, o que trará maior conforto aos usuários.

Outro ponto abordado pelo secretário foi o fato de que o projeto já prevê um estudo do asfalto existente, visando a evitar problemas de drenagem, como as ocorridas na Avenida Leopoldino de Oliveira. Ao invés de tachões para separar a faixa de rolamento de veículos, será utilizada a pintura termoplástica em alto relevo.

Os recursos para o BRT/Vetor Sudeste/Sudoeste já estão disponíveis para a Prefeitura de Uberaba, por meio da Caixa Econômica Federal, em verba disponibilizada pelo Governo Federal no montante de mais de R$ 40 milhões, sendo R$ 22.802.483,00 do BRT/Sudoeste e R$ 18.458.733,00 do BRT/ Sudeste.

A apresentação do projeto do eixo Sudeste será marcada posteriormente para os moradores da região, provavelmente dentro de 15 dias, informou a assessoria da Prefeitura.

Informações: G1 Triângulo Mineiro

READ MORE - Projeto do Sistema BRT/Vetor Sudoeste é apresentado em Uberaba

Passageiros sofrem com apenas 2 ônibus na linha Anápolis-Goiânia

Passageiros que dependem da Viação Araguarina para fazer o trajeto Goiânia-Anápolis-Goiânia enfrentam dificuldade na manhã de hoje por falta de ônibus em circulação. No ponto localizado na Rodoviária de Goiânia, a informação repassada aos usuários é que apenas 2 ônibus estariam com a documentação em dia e, portanto, circulando. Os outros estariam recolhidos.

Desde o acidente envolvendo um ônibus da viação na BR-153, na altura do Setor Vale dos Sonhos, em Goiânia, no qual o motorista ficou gravemente ferido e 28 passageiros sofreram ferimentos médios e leves, agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) intensificaram a fiscalização na rodovia. Ontem, foram flagradas irregularidades em todos os veículos fiscalizados, de assentos sem o cinto de segurança a alteração no número de poltronas do veículo. A PRF encontrou, inclusive, motoristas sem habilitação devida. Foram lavradas mais de 30 multas tanto pela PRF quanto pela AGR, especialmente pelo fato de a empresa conduzir passageiros em pé, o que não é permitido pela legislação.

A autônoma Sara Costa, de 23 anos, estava há mais de uma hora esperando ônibus na rodoviária em Goiânia na manhã de hoje. Ela disse ter sido informada por funcionários da empresa sobre a fiscalização mais intensa na BR-060 e que por isso a lotação dos veículos seria reduzida para que ninguém ficasse em pé. Ela conseguiu entrar no ônibus que saiu 10h48. Na ocasião, 18 pessoas ficaram para trás. Não havia previsão sobre o próximo veículo. A viagem dura em média uma hora e dez minutos.

Informações: O Popular

READ MORE - Passageiros sofrem com apenas 2 ônibus na linha Anápolis-Goiânia

Trânsito em Manaus contará com nova tecnologia para monitoramento

O Sistema de Controle Operacional do Trânsito (Sistrans) foi lançado nesta segunda-feira, 13, pelo prefeito Arthur Virgílio Neto. Trata-se de uma moderna tecnologia para monitoramento do trânsito com o uso da telefonia móvel. A apresentação do Sistrans foi nesta segunda-feira, 13, em coletiva de imprensa, na sede da prefeitura, na Compensa, zona Oeste.

Agora, com os talonários eletrônicos, ficará mais rápido e seguro notificar as infrações. Em casos de acidentes de trânsito, por exemplo, os agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) atenderão a ocorrência, registrando os dados dos veículos envolvidos, dos condutores e fazendo imagens do local.

Os dados serão enviados, online, ao Centro de Controle Operacional do Manaustrans (CCO). A informação, vinculada a um sistema de georeferenciamento, localiza as equipes mais próximas. Imediatamente, o reforço chega ao local do acidente.

De acordo com o prefeito Arthur Virgílio Neto, essa é uma das etapas para a criação da Cidade Inteligente, que interliga os sistemas de monitoramento de vários órgãos municipais com a estrutura de Segurança Pública, entre outras funções de monitoramento em tempo real.

“Esse projeto custa cerca de R$ 45 milhões, o que impossibilita que o implantemos de uma vez. Estamos avançando aos poucos e buscando recursos de Pesquisa e Desenvolvimento para fazermos a integração de todos os Centros de Controle Operacionais, criando as chamadas salas de situação e aferindo tudo que está acontecendo na cidade”, explicou o prefeito.

Funcionamento do Sistrans
Outra função do sistema, que proporciona mais segurança no momento de conferir os dados dos veículos envolvidos na ocorrência, é a integração com o Registro Nacional de Veículo Automotor (Renavam). O agente confere, imediatamente, se os veículos têm as mesmas características que constam no registro e, caso as informações sejam divergentes, a polícia é acionada para conduzir a ocorrência.

Veículos furtados ou com placas adulteradas são identificados instantaneamente. Assim, o auto de infração é validado com autenticidade e isento de inconsistência.

Segundo o diretor presidente do (Manaustrans), Paulo Henrique Martins, o sistema é prático, tem múltiplas funções e minimiza os erros no preenchimento dos autos de infração. “Sua praticidade, aliada a múltiplas funcionalidades, aperfeiçoa o processamento dos dados de veículos e das ocorrências de trânsito. Além disso, substitui o tradicional talão impresso de multas”, explicou.

Informações: Prefeitura de Manaus

READ MORE - Trânsito em Manaus contará com nova tecnologia para monitoramento

Prefeitura de São José dos Campos implanta corredor de ônibus na Av. dos Astronautas em horários de pico

A Prefeitura de São José dos Campos está implantando um corredor exclusivo para ônibus na Avenida dos Astronautas, região sudeste da cidade. A faixa, que terá cerca de 3,5 quilômetros de extensão em cada sentido da via, chega até à Avenida Brigadeiro Faria Lima e funcionará apenas nos horários de pico, de segunda à sexta-feira das 5h às 9h e das 15h às 19h, permitindo a circulação do transporte público e também dos ônibus fretados. Nos demais horários, a circulação permanecerá livre para todos os veículos.

A via recebe um fluxo de 40 mil veículos diariamente e grande parte desta demanda é formada pelo transporte coletivo, que atende a mais de 35 mil trabalhadores nas empresas e instituições instaladas na região, como Embraer, Aeroporto e o Inpe. A faixa de ônibus terá início na Rua Ceci, ainda no Jardim Paulista, atravessando a Via Dutra pelo Viaduto dos Bandeirantes.

A implantação dos corredores de ônibus foi iniciada em julho de 2013 na região central da cidade. São quatro corredores com faixas exclusivas e preferenciais ao transporte coletivo e seis com faixa somente preferencial.
Estudos realizados pela Prefeitura em 2014 mostram que o ganho para o usuário foi de cinco minutos, em média, nos corredores em relação ao período em que não havia a faixa exclusiva.

Obras de preparação da via
Para a implantação do corredor na Avenida dos Astronautas, a Prefeitura está realizando algumas obras de adaptação da avenida. O retorno que dá acesso ao Jardim Uirá será ampliado, ganhando mais uma faixa para a conversão de veículos, mais segura e adequada à via.

Com isso, o retorno de quem segue no sentido centro e deseja voltar para o bairro será fechado. Como alternativa, o motorista poderá utilizar o acesso na rotatória do Jardim da Granja, próximo à portaria do Inpe.

Outra melhoria será no ponto de ônibus da portaria do CTA, que ganhará mais espaço para a acomodação dos passageiros e recuo dos ônibus. Todo procedimento está sendo acompanhado pela equipe de agentes de trânsito para sinalização adequada na via.

A Prefeitura tem realizado constantes melhorias viárias na região sudeste da cidade. Desde janeiro deste ano, a população já conta com a nova Via Aeroporto-Tamoios, que recebeu cerca de R$ 10,5 milhões de investimento do município em desapropriações, concretizada por meio de uma parceria com o governo do estado.

São mais de 1.500 metros de extensão, ciclovia, canteiro central e duas faixas de rolamento em cada sentido, contribuindo para desafogar o trânsito na Avenida dos Astronautas, no Viaduto Bandeirantes e no acesso à Rodovia Presidente Dutra.

Informações: Guia SJC

Leia também sobre:
READ MORE - Prefeitura de São José dos Campos implanta corredor de ônibus na Av. dos Astronautas em horários de pico

Novos ônibus elétricos na frota de transporte em Campinas

No dia em que completou 241 anos, Campinas anuncia a incorporação de 10 ônibus elétricos e acessíveis à frota do sistema de transporte público coletivo municipal. Essa é uma grande ação positiva para o meio ambiente e usuários do serviço; e um importante passo da Administração municipal na busca de uma Mobilidade Urbana mais sustentável. Campinas é pioneira e será a cidade brasileira com a maior frota de ônibus elétrico em circulação.

“Esse é um momento muito especial, porque no dia do aniversário da nossa cidade nós também podemos comemorar dois feitos: a volta de grandes empresas para Campinas e a requalificação do transporte coletivo. Isto demonstra o novo rumo que Campinas vem seguindo”, afirmou o prefeito Jonas Donizette durante a apresentação de veículos elétricos no Paço Municipal.


Os veículos são fabricados pela empresa chinesa BYD Auto; e estão em fase de aquisição pela empresa Itajaí Transportes Coletivos Ltda. Além do prefeito Jonas, participaram da cerimônia, realizada na manhã desta terça-feira, dia 14 de julho, o vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira, o secretário municipal de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Carlos José Barreiro, secretários municipais, vereadores, empresários e representantes das empresas e concessionárias do transporte público coletivo.

No evento ficaram em exposição dois ônibus, sendo um articulado e outro convencional, e um táxi. Todos os veículos são elétricos. No prazo de até noventa dias, 10 ônibus elétricos convencionais entrarão em operação regular na frota. O ônibus elétrico não emite poluente e não precisa do sistema de rede eletrificada. Além disso, o veículo possui baixo nível de ruído e melhora o conforto dos passageiros.

“Essa é apenas uma demonstração de um projeto grandioso para Campinas, que busca a melhoria da qualidade de vida dos nossos moradores. É uma filosofia de trabalho imposta pelo prefeito Jonas Donizette, na busca de tecnologias de transporte mais sustentáveis, fazendo do município um exemplo para o país”, revelou o secretário Carlos Barreiro.

Esses são os primeiros coletivos elétricos incorporados à frota do sistema de transporte público do município. Campinas já conta com dois táxis elétricos em operação; e um terceiro veículo está em fase de entrada no serviço. Nos próximos meses, ônibus híbridos, movidos a óleo diesel e bateria, também serão entrarão na frota. Em dois anos e meio de governo Jonas Donizette, já foram incorporados 334 novos ônibus, todos acessíveis, à frota de transporte público.

Atendimento
Os 10 novos ônibus elétricos serão adquiridos pela empresa Itajaí, que atua na Área 2 (Vermelha) do município. A Área Vermelha abrange as regiões do Campo Grande, Padre Anchieta e Corredor John Boyd Dunlop.

Os veículos irão atender as linhas: 2.13.1 – Terminal Itajaí; e 2.20 – Terminal Campo Grande. O número de passageiros beneficiados é mais de 3,5 mil por dia. Uma média de 87 mil por mês.

No ano passado, um ônibus elétrico foi testado na linha 5.02 – Circular / Centro, conhecida como Linhão da Saúde, por atender diretamente cinco hospitais.

Veículo elétrico

Os ônibus elétricos são modelo urbano, com piso baixo. O veículo não emite poluente e não precisa de sistema de rede eletrificada. A autonomia é superior a 250 km, podendo chegar a 300 km, com o uso do freio regenerativo. A recarga da bateria é feita durante a noite, na garagem, por um período de quatro horas, para 100% de recarga.

Possui motores elétricos no eixo de tração, o que torna o veículo com baixo nível de ruído e melhora o conforto dos passageiros. O coletivo tem 12 metros de comprimento, 2,55 metros de largura e 3,36 metros de altura. A velocidade máxima atingida é de 90 km/h, mas pode ser limitada eletronicamente. A capacidade é para cerca de 80 passageiros.

O ônibus é acessível, com área reservada para uma cadeira de rodas. Os veículos foram fabricados pela empresa chinesa BYD Auto, que instalou uma fábrica na região do Terminal Intermodal de Cargas (TIC).

Dados do transporte
Atualmente, o sistema de transporte público coletivo do município tem 1.254 ônibus em operação. Desse total, 956 são acessíveis (76,2% da frota). A idade média da frota é de 4,6 anos.

Campinas possui 206 linhas de ônibus municipais. O sistema atende quatro áreas:

- Área 1 (Azul Claro). Regiões: Ouro Verde, Vila União, Corredor Amoreiras, Campo Belo e Aeroporto de Viracopos.
- Área 2 (Vermelha). Regiões: Campo Grande, Padre Anchieta e Corredor John Boyd Dunlop.
- Área 3 (Verde). Regiões: Barão Geraldo, Sousas, Amarais, Rodovia Campinas - Mogi Mirim e Corredor Abolição.
- Área 4 (Azul Escuro). Regiões: Nova Europa, Jambeiro e Estrada Velha de Indaiatuba.

Nos últimos 12 meses, o sistema de transporte público do município registrou uma média de 634 mil passagens na catraca por dia útil. São 15,5 milhões de passageiros por mês. Estima-se que essas viagens sejam realizadas, diariamente, por 233 mil usuários (pessoas).

Por Márcio Souza
Informações: EMDEC

Leia também sobre:
READ MORE - Novos ônibus elétricos na frota de transporte em Campinas

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960