Metrô de Salvador atinge a marca de 5 milhões de passageiros transportados

terça-feira, 5 de maio de 2015

Desde o início da operação,  em junho de 2014, o metrô atingiu a marca de cinco milhões de passageiros transportados. O secretário de Desenvolvimento Urbano, Carlos Martins, cumprimenta o passageiro cinco milhões às 8h30 desta terça-feira (5/), na Estação Bom Juá.

Essa marca foi alcançada depois da entrega de mais uma estação da Linha 1, a do Bom Juá, inaugurada no dia 23 de abril pelo governador Rui Costa.

Com esta extensão, o metrô alcançou 9 km, operando nas estações Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Acesso Norte e Retiro. As próximas estações a serem entregues são Bonocô e Pirajá, que completa os 11 km de metrô previstos para a Linha 1.

Linha 2
As obras da Linhas 2 seguem em ritmo intenso, com diversas frentes de trabalho entre as regiões do Acesso Norte e Pernambués, passando pelo Iguatemi e Rodoviária. A linha, que seguirá pelo canteiro central da Avenida Paralela até o Aeroporto, terá 13 estações e 23 km de extensão.

Informações: Tribuna da Bahia


READ MORE - Metrô de Salvador atinge a marca de 5 milhões de passageiros transportados

Em Cuiabá, Estudo diz que 80% não trocaria carro por VLT

Um estudo apresentado pelo professor Luiz Miguel de Miranda, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das obras da Copa do Mundo de 2014 aponta que cerca de 80% da população não estaria disposta a trocar o carro ou a motocicleta por um modal de transporte de alto desempenho, como o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

O estudo, segundo o professor, foi realizado em meados de 2010, quando ainda se discutia qual modal seria implantado em Cuiabá e Várzea Grande - VLT ou o Bus Rapid Transit (BRT) - e levou os parlamentares membros da CPI à conclusão de que o governo do Estado, à época, também teria condições de realizar uma pesquisa semelhantes que auxiliasse na escolha entre as opções então disponíveis.

Ainda de acordo com Miranda, a pesquisa não se estendeu aos motivos pelos quais as pessoas não trocariam de modal de transporte, mas boa parte delas teria respondido aos pesquisadores não acreditar que um novo modelo de transporte coletivo seria, de fato, implantado na Capital até a Copa do Mundo pelo governo do Estado.

A pesquisa desenvolvida para embasar uma tese de mestrado ouviu 1.150 pessoas, dentro de um período de quatro meses. As entrevista foram realizadas no horário de pico do trânsito, no trajeto que deve ser o eixo Aeroporto/CPA do VLT.

Os questionamentos para avaliar se as pessoas estariam ou não dispostas a deixar seus veículos individuais para se locomover com um sistema de transporte coletivo levaram em consideração o tempo e o custo das viagens realizadas por elas de casa ao trabalho. De acordo com o professor, mesmo com um gasto menor e um tempo relativamente semelhante, a maioria dos entrevistados respondeu não estar disposto a fazer a troca.

Durante a oitiva em que apresentou os dados, Miranda afirmou que a conclusão a que se pode chegar é de que não valeria a pena para o Estado investir na implantação de um modal de alto desempenho, como o VLT, a menos que também se discutissem políticas públicas de incentivo ao uso deste transporte.

O professor citou como alternativas o rodízio de carros, que proibiria parte dos veículos de circular em determinado dia da semana, conforme a numeração de suas placas de identificação; assim como a extinção das zonas de estacionamento no centro da cidade ou mesmo a cobrança de pedágio para trafegar pelo centro da Capital.

Informações: Cenário MT

READ MORE - Em Cuiabá, Estudo diz que 80% não trocaria carro por VLT

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960