Prefeitura de Curitiba testa estação de locação de bicicleta elétrica

sexta-feira, 10 de abril de 2015

A Prefeitura de Curitiba lançou oficialmente, nesta quinta-feira (02), um projeto-piloto de locação de bicicletas elétricas, no Parque Barigui. Após seis meses de período de teste, se aprovado o projeto pode ser ampliado, via licitação, para diferentes pontos e parques da cidade.

A estação de locação de bicicletas elétricas está instalada em um Eco-contêiner em frente ao Museu do Automóvel e vai funcionar todos os dias da semana, das 10h às 19 horas. O tempo mínimo de locação é de meia hora, a um custo de R$ 15,00 contando, a partir daí, R$ 0,50 por minuto.

Essa é mais uma medida da Prefeitura de Curitiba de incentivo ao uso da bicicleta, como a instalação da Via Calma na Avenida Sete de Setembro, ciclorrotas, ciclofaixas, paraciclos em todos os terminais e em vários pontos da cidade.

A proposta para implantação da estação de locação de bicicletas elétricas foi feita pela E-leeze Rental, protocolada como projeto-piloto para análise da Urbs, sem custos para o Município.

"Vamos avaliar a aceitação dos curitibanos e turistas, se há espaço para ampliação desse serviço e, então, abrir um processo de licitação para atender toda a cidade", disse o prefeito Gustavo Fruet, que testou uma das bicicletas oferecidas para locação.

"É mais um serviço voltado a incentivar o uso da bicicleta tanto para passeio e lazer quanto para deslocamento de trabalho e estudo", afirmou o prefeito.

O presidente da Urbs, Roberto Gregorio da Silva Junior, explica que os técnicos vão acompanhar o desenvolvimento do projeto de locação nesses seis meses. "A ideia é testar novas propostas, novos conceitos e tecnologias que possam beneficiar a população", disse ele.

A estação de locação de bicicletas elétricas no Parque Barigui tem à frente os empresários Ana Claudia Stier e Tiago Campos, conhecido no meio como "Café".

Ana Stier conta que o serviço começou a ser testado na semana passada. "As pessoas que alugam uma bicicleta voltam invariavelmente com um sorriso no rosto", afirma. "Tem gente que aluga até na chuva", conta.

Ela mostra recados de aprovação e satisfação deixados por clientes nas paredes do contêiner, forrada de espelhos.  "A locação permite ao cidadão perceber que pode usar a bicicleta para ir ao trabalho, à feira, a uma visita ou um passeio pelo parque", afirma.

Aluguel

Para alugar uma bicicleta é preciso ter mais de 18 anos. Na primeira locação é feito um cadastro, apresentando cartão de débito ou crédito e documento com foto.

O tempo mínimo de meia hora é considerado suficiente para até duas voltas completas no Parque Barigui. Na locação da bicicleta acompanha um capacete e o serviço oferece também opção de locação de cestinha para pequenos animais, cadeirinha para criança e um bike engate – bicicleta menor para ser engatada na elétrica.

Sustentável

O ponto do Parque Barigui foi instalado em um contêiner reaproveitado. Isso evita o impacto ambiental de mais uma construção, permite melhor adequação à paisagem do parque e está em sintonia com o conceito de sustentabilidade que acompanha o uso da bicicleta.

A bicicleta elétrica vem sendo difundida como meio de transporte eficiente, na medida em que permite, por exemplo, que a pessoa chegue ao seu trabalho sem ter suado. Por outro lado, o motor elétrico não dispensa o pedal, o que significa que o cidadão também terá, na bicicleta elétrica, uma ferramenta de exercício físico.

Informações: URBS

READ MORE - Prefeitura de Curitiba testa estação de locação de bicicleta elétrica

Obras do monotrilho levam SPTrans a criar 32 itinerários alternativos

Por conta das interdições necessárias para realizar a montagem da passarela de emergência da futura linha do Metrô Monotrilho, a SPTrans modificará 32 itinerários de linhas que operam na Zona Leste, e substituirá a rede de trólebus que circula pela região da Praça Felisberto Fernandes da Silva por veículos movidos a diesel, a partir das 23h deste sábado, dia 11, até  as 3h30 do dia seguinte, domingo.

- Linhas de trólebus que serão substituídas:
2290-10   Term. São Mateus – Term. Pq. D. Pedro II
2291-10   Term. São Mateus – Praça da República
342M-10  Term. São Mateus – Term. Penha

- Linhas que circularão com itinerários alternativos:
352A-10  Jd. Helena – Term. São Mateus
Ida – sem alteração.
Volta – Term. São Mateus, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.

407F-10  Term. São Mateus – Metrô Belem
407K-10  Term. São Mateus – Metrô Carrão
N404-11  Term. São Mateus – Term. Penha
Ida – Term. São Mateus, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.
Volta – sem alteração.

4056-10 Pq. Boa Esperança – Term. São Mateus
Ida – normal até Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Term. São Mateus.
Volta – sem alteração.

2290-10   Term. São Mateus – Term. Pq. D. Pedro II
342M-10  Term. São Mateus – Term. Penha
Ida – Term. São Mateus, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.
Volta – sem alteração.
OBS: As linhas deverão operar com veículos movidos à diesel.

4012-10  Jd. da Conquista – Term. São Mateus
4013-10  Jd. Santo André – Term. São Mateus
N431-11  Term. São Mateus – Jd. da Conquista
Ida – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Term. São Mateus.
Volta – sem alteração.

4015-10  Term. São Mateus – Jd. Rodolfo Pirani
Sentido único – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Term. São Mateus.

4016-10  Term. São Mateus – Jd. Rodolfo Pirani
Sentido único – normal até Av. Adélia Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Term. São Mateus.

407G-10  Jd. Nova Vitória – Metrô Carrão
Ida – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.
Volta – sem alteração.

N432-11  Term. São Mateus – Jd. Santo André
Sentido único – Term. São Mateus,  Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Adélia Chohfi, Rua Dirceu Coelho, seguindo normal até Estr. do Rio Claro, Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Term. São Mateus.

3023-10  Shop. Aricanduva – Pq. São Rafael
Ida – sem alteração.
Volta – normal até Av. Adélia Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal

3069-10  Jd. Recanto Verde Sol – Term. São Mateus
Ida – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Term. São Mateus.
Volta – sem alteração.

3054-10  Jd. Palanque – Hosp. Sapopemba
Ida – normal até Term. São Mateus, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.
Volta – sem alteração.

3141-10  Term. São Mateus – Term. Pq. D. Pedro II
3390-10  Term. São Mateus – Term. Pq. D. Pedro II
5110-10  Term. São Mateus – Term. Mercado
N501-11  Term. São Mateus – Term. Pq. D. Pedro II
N503-11  Term. São Mateus – Term. Pq. D. Pedro II
Ida – Term. São Mateus, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Sapopemba, prosseguindo normal.
Volta – sem alteração.

425E-10  Jd. Ester – Term. Sapopemba/Teotonio Vilela
Ida – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Sapopemba, prosseguindo normal.
Volta – sem alteração.

519M-10  São Mateus – Museu do Ipiranga
Ida – sem alteração.
Volta – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva e Av. Sapopemba

3098-10   Jd. São Francisco – Shop. Aricanduva
Ida – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.
Volta – sem alteração.

3099-10  Hosp. São Mateus – Jd. da Conquista
4027-10  Hosp. São Mateus – Jd. Santo André
4028-10  Hosp. São Mateus – Divisa de Mauá
Ida – sem alteração. 
Volta – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.

4030-10  Fazenda da Juta – Shop. Aricanduva
Ida – normal até Term. São Mateus, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.
Volta – normal até Term. São Mateus, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Sapopemba, prosseguindo normal

4033-10  Jd. Guairacá – Nova Conquista
Ida – sem alteração. 
Volta – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Sapopemba, prosseguindo normal.

4735-10   Jd. Vera Cruz – Metrô Carrão
Ida – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Mateo Bei, prosseguindo normal.
Volta – sem alteração.

574C-10  Divisa de São Caetano – São Mateus
Sentido único – normal até Av. Sapopemba, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Ragueb Chohfi, retorno (após R. Olavo Faggim), Av. Ragueb Chohfi, Praça Felisberto Fernandes da Silva, Av. Sapopemba, prosseguindo normal. 

Para mais informações ligue 156 ou acesse www.sptrans.com.br

Leia também sobre:
READ MORE - Obras do monotrilho levam SPTrans a criar 32 itinerários alternativos

São Paulo prevê mais de 1500 km de ciclovias até 2030

Em todo o mundo, a rotina de grandes cidades como Berlim, Amsterdã, Barcelona ou Nova York é dividida entre os automóveis, metrô e as bicicletas, sem que isso represente um problema para a questão da mobilidade. São Paulo, que ostenta uma das piores condições de trânsito do mundo, também quer mudar. E para melhor.

Na última terça-feira, 7, a Secretaria Municipal de Transportes de São Paulo divulgou uma primeira versão do Plano de Mobilidade de São Paulo – Modo Bicicleta, sinalizando novos projetos para a consolidação do Sistema Cicloviário da cidade até 2030, prevendo mais de 1500 km de ciclovias por toda capital paulista.

Além da construção dos novos trechos, o projeto prevê a ampliação da rede voltada aos ciclistas com implantações e suas conexões, expansão do compartilhamento de bicicletas, bicicletários e paraciclos. Prevê ainda a criação de ações e programas educacionais que promovam o uso da bike como meio de transporte.

Com coordenação da Secretaria Municipal de Transportes, a Prefeitura Municipal de São Paulo inicia, neste sábado, 11 de abril, uma nova fase de construção do Plano de Mobilidade 2015 para a cidade de São Paulo.

Assim,  convida toda a população para os debates temáticos, que discutirá temas específicos de interesse prioritário de idosos, ciclistas, ou ainda em defesa de meio ambiente e saúde.

O PlanMob realizou, entre fevereiro e março, reuniões com os conselheiros participativos nas grandes regiões da cidade e com adesão da população em geral nas subprefeituras. Também criou um portal para compartilhar informações e receber contribuições que ajudarão a atual gestão municipal na construção de melhorias para a população paulistana.

Elaborado ainda em 2013 e passou por diferentes etapas: entre seus propósitos está a integração de todos os modais disponíveis, dando prioridade ao transporte coletivo e incentivando também opções não motorizadas de deslocamento pela cidade.

Por André Nicolau
READ MORE - São Paulo prevê mais de 1500 km de ciclovias até 2030

Em Fortaleza, Começa mudança nas paradas de ônibus na Bezerra de Menezes

Quem circula pela avenida Bezerra de Menezes deve ficar atento nos próximos dias. A via está prestes a passar por nova modificação no sistema de transporte público. No 18 de abril, sábado, as 17 linhas que trafegam pela avenida começam a fazer embarque e desembarque em abrigos instalados no canteiro central. Os últimos ajustes no piso e na instalação de cobertas ainda estão sendo concluídos. Com a modificação, as faixas da esquerda passam a ser exclusivas para o transporte público.

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) iniciou, ontem, a retirada dos abrigos atualmente instalados nas calçadas. Quando o serviço estiver concluído, os usuários de ônibus embarcarão e desembarcarão somente nos abrigos do canteiro central. Mas apenas em 30 de junho, informou a Etufor, os passageiros passam a utilizar as dez estações (estruturas exclusivas do corredor expresso) construídas recentemente na avenida.

Os passageiros, que já vivenciaram sucessivas mudanças no ordenamento da via e conviveram com transtornos provocados pelas obras, já começaram a sentir (e a reclamar) da nova modificação. Na praça da Igreja Nossa Senhora Dores, no Otávio Bonfim, onde houve retirada da coberta, usuários procuravam a sinalização. “Quando estamos acostumados com a avenida, vem outra mudança”, diz o auxiliar de escritório Glauber Araújo, 23.

Quando a transferência for concluída, não haverá mais a divisão dos atuais BRS 1, 2 e 3, informou o presidente da Etufor, Antônio Ferreira Silva. Por enquanto, mesmo com as cobertas retiradas das calçadas e sem a sinalização, passageiros devem continuar obedecendo as orientações dos pontos de parada nas calçadas. As intervenções fazem parte da implantação do corredor Antônio Bezerra/Centro, que ligará o terminal ao Centro em percurso de 8,2 quilômetros. A expectativa após a conclusão do trecho, segundo Ferreira, é diminuir o tempo de viagem no transporte coletivo em 60%.

Informações: O Povo Online

READ MORE - Em Fortaleza, Começa mudança nas paradas de ônibus na Bezerra de Menezes

Arsal apresenta nova frota de ônibus que fará a linha Rio Largo-Maceió

A Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal) apresentou, nesta quinta-feira (9), no Terminal Rodoviário João Paulo II, em Maceió a nova frota de ônibus que fará o transporte de passageiros entre a capital e Rio Largo, município da região Metropolitana, a partir do sábado (11).
Foto: Karina Dantas/G1
Os veículos pertencem à Viação Veleiro, que assumirá as linhas no lugar da Transportes Tropical, que teve o serviço suspenso após uma vistoria realizada pela Arsal, que identificou falta de acessibilidade e ônibus com vida útil superior a 10 anos. 

A Veleiro assumirá as linhas metropolitanas Maceió/Rio Largo (via Mata do Rolo e via Gustavo Paiva), Maceió/Aeroporto Zumbi dos Palmares (via Ponta Verde e via Terminal Rodoviário) e Maceió/Cruzeiro do Sul.

A nova empresa, escolhida após consulta realizada pela Arsal, se comprometeu a oferecer à população uma frota acessível e com tempo de vida útil inferior a 10 anos, além de contratar os funcionários das linhas suspensas.

De acordo com o diretor de transportes da Arsal, Fábio Calheiros, a substituição foi feita devido a várias solicitações por parte de passageiros, e de recomendação do Ministério Público Estadual (MP).

O cadeirante André Dionísio, 38, que depende desse tipo de transporte, compareceu à solenidade e aprovou a nova frota. Ele participa de um grupo que desde 2009 luta para ter mais acessibilidade no transporte público.
“Antes, os ônibus da Tropical circulavam ser ter condições de portar um cadeirante, isso é muito difícil para nós. Depois de muitos anos de luta, enfim conseguimos algum resultado”, disse Dionísio.

Informações: G1 AL

READ MORE - Arsal apresenta nova frota de ônibus que fará a linha Rio Largo-Maceió

Metrô de Salvador terá funcionamento neste final de semana; veja horários e estações

O metrô de Salvador vai circular neste final de semana. No sábado (11), os trens vão circular das 8h às 13h, em todas as estações: Lapa, Campo da Pólvora, Brotas, Acesso Norte e Retiro. O acesso ao transporte continua gratuito.

Já no domingo (12), as estações Acesso Norte e Campo da Pólvora reabrem a partir das 14h e funcionarão até as 19h para atender os usuários que irão assistir ao jogo das 16h, pela Copa do Nordeste, na Arena Fonte Nova. De acordo com a concessionária que administra o sistema, as demais estações estarão fechadas no domingo.

Ainda segundo a concessionária, desde o início da Operação Assistida, em junho de 2014, foram transportados mais de 4,4 milhões de passageiros.

Informações: G1 BA


READ MORE - Metrô de Salvador terá funcionamento neste final de semana; veja horários e estações

Alstom fornecerá cinco VLTs Citadis extras para Bordeaux‏

A Alstom fornecerá 5 novos VLTs Citadis para Bordeaux Métropole, completando a frota atual de 100 VLTs já em circulação nos 79 km de trilhos que compõem a rede. Com um total de 105 VLTs encomendados desde 2000, Bordeaux terá uma das maiores frotas de VLT da França.

Esses novos Citadis, idênticos aos anteriores, serão equipados com APS[1]. Com 44 metros de comprimento, eles poderão acomodar entre 220 e 300 passageiros cada, o equivalente a mais de 3 ônibus. Os VLTs Citadis irão oferecer excelente qualidade de viagem a bordo, com piso totalmente rebaixado, ar condicionado, sistema de vigilância por vídeo e informações audiovisuais. Até 98% reciclável, o Citadis contribui para a preservação do meio ambiente.

“Esse novo pedido é uma prova inegável da confiança depositada no Citadis da Alstom por nosso cliente. Esses 5 novos VLTs serão desenhados e produzidos na França, seguindo altos níveis de qualidade e respeito pelos prazos”, afirma Ana Giros, Vice-Presidente Sênior da Alstom Transport França.

Os VLTs serão fabricados nas unidades da Alstom na França: La Rochelle, para projeto e montagem, Ornans, para os motores, Le Creusot, para os truques, Tarbes, para os equipamentos de tração, e Villeurbanne, para a eletrônica de bordo.

Sobre a Alstom Transporte
Promovendo a mobilidade sustentável, a Alstom Transporte desenvolve e comercializa a mais completa gama de sistemas, equipamentos e serviços do setor ferroviário. A Alstom Transporte administra sistemas inteiros de transporte, incluindo trens, sinalização, manutenção e modernização e infraestrutura, além de oferecer soluções integradas. A Alstom Transporte registrou vendas de 5,9 bilhões de euros no ano fiscal 2013/14. Está presente em mais de 60 países, e empresa cerca de 28.300 pessoas.

Informações: Alston

READ MORE - Alstom fornecerá cinco VLTs Citadis extras para Bordeaux‏

Projetos de mobilidade com baixa emissão de carbono no Brasil receberão US$ 6 milhões

Um convênio assinado pelo Ministério das Cidades e pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) prevê a destinação de seis milhões de dólares para projetos de mobilidade urbana com baixa emissão de carbono em grandes cidades. A parceria foi formalizada durante o III EMDS (Encontro de Municípios com o Desenvolvimento Sustentável), em Brasília (DF), nessa quarta-feira (8).

O objetivo é estimular o desenvolvimento de ferramentas que possam avaliar a redução potencial de gases causadores de efeito estufa no transporte coletivo urbano e não-motorizado. Além disso, deve ajudar a custear a implementação de redes cicloviárias integradas com o sistema público já existente. Os projetos-pilotos serão implantados nas cidades de Belo Horizonte (MG), Fortaleza (CE), São Paulo (SP) e Brasília (DF).

O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, explicou que a escolha das cidades aconteceu por meio de avaliação multicritério dos maiores centros urbanos brasileiros, realizada pelo escritório técnico que vai desenvolver os trabalhos em conjunto com o Ministério das Cidades. "Esperamos em breve ampliar essa iniciativa para outras cidades”, disse.

De acordo com o BID, o setor de transporte é responsável por 43% das emissões de gases causadores do efeito estufa, segundo dados de um estudo realizado em 2005.  É necessária a implantação de medidas que reduzam esses índices nas maiores cidades brasileiras, uma vez que as alterações climáticas decorrentes do aquecimento global já superam as previsões cientificas mais pessimistas. 

Segundo o presidente do Iema (Instituto de Energia e Meio Ambiente), que é um dos parceiros da iniciativa, André Luiz Ferreira, "as políticas de mobilidade urbana precisam incorporar objetivos de qualidade ambiental. Esse projeto quer desenvolver ferramentas, conhecimentos e instrumentos para que isso ocorra." Ele afirmou que a meta é criar soluções que atendam de forma mais eficiente a demanda por transporte urbano, com foco na preservação ambiental. 

O investimento será a fundo perdido, ou seja, sem a necessidade de contrapartida ou complementação do governo federal. Os recursos virão da empresa Global Environment Facility, responsável pelo Fundo Global para o Meio Ambiente das Nações Unidas.

Natália Pianegonda
READ MORE - Projetos de mobilidade com baixa emissão de carbono no Brasil receberão US$ 6 milhões

BRT Transoeste superlotado vira pesadelo para os usuários nos horários de pico

Concebido pela prefeitura como o projeto dos sonhos para garantir conforto e rapidez aos milhares de cariocas que se deslocam nos ônibus da Zona Oeste, o BRT Transoeste tem sido um pesadelo para quem depende dele todos os dias. Segundo o consórcio que opera o serviço, dos cerca de 180 mil passageiros transportados diariamente, 80% viajam nos horários de pico. As estações não dão conta de tanta gente. 
Imagem: Osvaldo Prado/O Dia

A Secretaria Municipal de Transportes admite: os problemas existem e só foram identificados depois que o sistema, contemplado com R$ 1 bilhão em investimentos, ficou pronto. O órgão agora promete corrigir as falhas com um pacote de melhorias, que prevê construção e ampliação de estações e terminais e a aquisição de mais veículos articulados e não articulados (padrons). 

Enquanto as medidas, sem custos informados, têm prazos desconhecidos para sair do papel, O DIA acompanhou, por dois dias seguidos, o sufoco dos passageiros que utilizam o Transoeste, de Santa Cruz e Campo Grande, rumo à Barra da Tijuca pela manhã. Nas estações Recreio Shopping, Gláucio Gil e Salvador Allende, a rotina é de empurrões, discussões e até desmaios devido à superlotação. A principal reclamação é o número insuficiente de ônibus para atender à demanda. 

Estudo recomenda reformulação dos terminais 
Em setembro, o ITDP Brasil (Instituto de Política de Transporte e Desenvolvimento) realizou um estudo sobre o BRT Transoeste e identificou aspectos que contribuem para a superlotação e que poderiam ser melhorados. 

Entre as medidas recomendadas à SMTR, constavam a revisão do tamanho da frota reserva de ônibus; garantia e fiscalização dos níveis de serviço, com indicadores amplamente divulgados, determinando para cada serviço do corredor a frequência adequada; reformulações completas do terminal de Santa Cruz e da estação Curral Falso; expansão do Terminal Alvorada e das estações de Mato Alto e Pingo d’Água. Outra sugestão foi a adaptação do novo terminal de Curral Falso para receber os serviços de ligação com Campo Grande. 

A Secretaria reconheceu, em nota, que “algumas estações apresentam capacidade operacional menor do que a demanda” e informou que os projetos de infraestrutura prometidos já foram encaminhados à Secretaria Municipal de Obras. Para aumentar a frota do Transoeste, anunciou a compra de 18 veículos articulados, com capacidade para 180 e 200 passageiros, para substituir os de 140 lugares, além de 15 não articulados (atualmente rodam 132 articulados e 29 padrons nos períodos de pico).

Por Marcelo Victor e Gustavo Ribeiro
Informações: O Dia

READ MORE - BRT Transoeste superlotado vira pesadelo para os usuários nos horários de pico

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960