Estudantes terão tarifa zero nos ônibus de São Paulo

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

A  Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Transportes (SMT) e da São Paulo Transporte (SPTrans), concluiu os estudos para definição das novas tarifas dos ônibus na cidade, cujos preços estão congelados há quatro anos.  A Prefeitura decidiu implantar o passe livre para 505 mil estudantes, sendo aproximadamente 360 mil alunos da rede pública e 145 mil matriculados na rede particular de ensino, mas de baixa renda, incluindo os que fazem cursos no nível superior. Os critérios para definição de baixa renda já foram estabelecidos em legislação aprovada pela Câmara Municipal . 

Bilhetes únicos mensal, semanal e diário terão suas tarifas atuais mantidas;  
Tarifa básica do serviço  por ônibus  será de R$ 3,50 - Mais detalhes (Portaria 106/14.SMT.GAB)

A partir do próximo dia 6 de janeiro de 2015, terça-feira, a tarifa básica de utilização dos serviços do transporte coletivo municipal será de R$ 3,50. Já as tarifas do bilhete único nas modalidades mensal, semanal e diário (com validade de 24 horas) permanecerão congeladas nos valores atuais, vigentes desde a implantação dos benefícios pela atual administração, em 2013 e 2014 (confira os valores abaixo).  

O valor do bilhete único integrado com o Metrô e os trens da CPTM será de R$ 5,45. Com todas as gratuidades, incluindo o passe livre para os estudantes, o reajuste médio de tarifas ficou em 7,4%.
A  passagem  de ônibus em São Paulo custa R$ 3,00 desde 5 de janeiro de 2011. O novo valor, de R$ 3,50, tem reajuste inferior à inflação do período.

Novas tarifas a partir de 06/01/2015
Bilhete Único Comum - Tarifa: R$ 3,50
Integração Metrô/Trem - R$ 5,45 

Valores dos bilhetes mensal, semanal e diário serão mantidos 
Bilhete Único Mensal : R$ 140,00
Bilhete Único Semanal : R$ 38,00
Bilhete Único Diário : R$ 10,00

Os valores do Vale-Transporte seguem  como os mencionados acima. Estudantes pagam meia nessas modalidades. 
Bilhete Único Integrado Mensal - R$ 230,00
Bilhete Único Integrado Semanal - R$ 60,00
Bilhete Único Integrado Diário  - R$ 16,00

Os valores do Vale-Transporte permanecem como os mencionados acima. No caso das modalidades de bilhete escolar, a integração com o Metrô/CPTM custa R$ 140,00 na versão mensal; R$ 38,00, na semanal, e  R$ 10,00, no bilhete cuja validade é de 24 horas.
  
Planilha Tarifária detalha informações com Transparência no Portal da Prefeitura

Por meio da SPTrans, a Prefeitura está publicando uma nova versão da planilha tarifária do  sistema com informações detalhadas sobre o aumento e suas motivações. Os dados estarão disponibilizados, a partir da próxima segunda-feira, dia 29, no site da SMT no Portal da Prefeitura  com total transparência para os cidadãos paulistanos.

A planilha contém dados e indicadores operacionais do sistema de transporte municipal. Nela é possível saber quem paga a conta do transporte coletivo, quem ganha com a operação do sistema e quanto a cidade gastaria a mais se não existisse transporte coletivo por ônibus em São Paulo.

Confira as próximas melhorias em fase de implantação  pela SMT e SPTrans no sistema de transporte coletivo  

Passe Livre
Com a implantação do passe livre, serão beneficiados aproximadamente 505 mil estudantes, sendo 360 mil da rede pública e 145 mil da rede privada que tem baixa renda comprovada, conforme critérios definidos em legislação aprovada na Câmara. A Prefeitura atende, assim, uma antiga reivindicação da comunidade e dos jovens.

Rede de Transporte na Madrugada
Nos próximos meses, a Prefeitura passará a oferecer uma nova rede de transporte para os trabalhadores e estudantes que se utilizam dos ônibus na madrugada, com maior frequência e menos tempo de espera nos pontos.

Recarga de Bilhete nos Ônibus
Também para os próximos meses está prevista a implantação pela SPTrans da recarga do bilhete único dentro dos ônibus. Os validadores estão sendo atualizados e, neste mês de dezembro, mais de mil ônibus já contam com o novo equipamento. Com isso, o usuário não perderá tempo em filas para a compra de créditos. 

Ônibus Novos, com Ar-Condicionado e Wi-fi
Serão entregues mais de 1.000 ônibus novos na cidade, equipados com ar-condicionado e wi-fi, além de novas tecnologias. 

Informações: SPTrans

Leia também sobre:
READ MORE - Estudantes terão tarifa zero nos ônibus de São Paulo

Grande Recife Consórcio de Transporte tem novo presidente

“O momento é de muito trabalho. Vamos dar andamento aos projetos de mobilidade. A nossa meta é conseguir chegar a um sistema de transporte eficiente e de qualidade para a população”. Foi com essas palavras que o novo presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Francisco Antônio Papaléo, tomou posse oficialmente, na manhã desta segunda-feira (5). 

A cerimônia aconteceu no auditório da sede do Consórcio e contou com a presença do secretário-executivo das Cidades, Rui Rocha, representando o secretário das Cidades, André de Paula; do presidente da Urbana-PE, Fernando Bandeira; os deputados Raquel Lyra e Rodrigo Novaes; de diretores e funcionários da casa, além da imprensa local. 

Durante a solenidade, Papaléo afirmou o compromisso da nova gestão com as obras que contribuirão para a mobilidade da Região Metropolitana e a retomada das pesquisas de origem-destino que auxiliarão nas decisões que serão tomadas nesta nova fase. “O nosso intuito é continuar o trabalho que foi iniciado na gestão Eduardo Campos e João Lyra e conseguir chegar a um sistema de transporte público eficiente e que atenda as necessidades da população. Retomaremos as pesquisas de origem-destino e de qualidade do transporte”, disse Papaléo. 

Presente à solenidade estava o secretário-executivo, Rui Rocha, que reafirmou os votos de sucesso do secretário das Cidades, André de Paula, ao novo presidente do Consórcio. “Venho em nome do secretário, desejar sucesso nesta gestão que será iniciada com muito trabalho e que com certeza, colherá bons frutos”, enfatizou.  

Perfil - Francisco Papaléo é advogado por formação e inciou sua carreira na Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU.  Já foi diretor-presidente do Centro de Abastecimento Alimentar de Pernambuco (Ceasa-PE); da Companhia de Abastecimento e Armazéns Gerais de Pernambuco (Ceagepe); além de ter atuado, também, na Secretaria de Educação da Cidade do Recife e na Junta Comercial de Pernambuco. Já foi presidente da Câmara de Comércio Argentina-Brasil, presidente do Conselho Fiscal do IPA e membro do Conselho Fiscal do DER, além de ter atuado recentemente como presidente do Instituto de Recursos Humanos do Estado (IRH). 

Informações: GRCT

READ MORE - Grande Recife Consórcio de Transporte tem novo presidente

Passagem de ônibus em Cuiabá deverá subir para R$ 3,20

A tarifa do transporte coletivo urbano de Cuiabá, de R$ 2,80, pode sofrer reajuste após o dia 15 de janeiro, para R$ 3,20. Tudo dependerá da reunião do Conselho Municipal de Transporte e da decisão do prefeito de Cuiabá, no momento a cargo do parlamentar Júlio Pinheiro (PTB), enquanto Mauro Mendes segue de férias até o dia 18 do mesmo mês.

O diretor de Transporte da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Leopoldino Pereira, explica que assim que o Conselho se reunir, no mesmo dia sai a ata que será passada diretamente ao prefeito, que dará sua decisão a favor do valor, ou contra. Ainda, o prefeito poderá estipular uma tarifa menor que a de R$ 3,20 para a passagem de ônibus.

A planilha de custo foi definida pela comissão técnica da Semob, a pedido das empresas de ônibus, que querem aumentar a passagem de R$ 2,80 para um valor entre R$ 2,95 e R$ 3,20. 

“Não pode ser estipulado um valor a mais do que o Conselho apurou”, observa Leopoldino.

Os cálculos estão conforme a normatização do Ministério das Cidades, que deve acrescentar os custos e benefícios, tais como combustível, salário de funcionários das empresas de ônibus, insumos, cesta básica, entre outros.

Essa reunião, que vai convocar o Conselho Municipal de Transporte para a apreciação dos cálculos da planilha, tem que ser marcada a partir de 30 dias da publicação em Diário Oficial, que foi no dia 15 de dezembro de 2014. Logo após será sancionado o novo valor da tarifa pelo prefeito.

Outras capitais

Em São Paulo as tarifas das passagens de ônibus, trem e Metrô de São Paulo serão reajustadas a partir desta terça-feira (6). O valor da passagem passará de R$ 3 para R$ 3,50 nos ônibus municipais e transporte sobre os trilhos.

Recentemente o Rio de Janeiro teve um reajuste de mais de 13%, que passou de R$ 3 para R$ 3,40, e está em vigor desde sábado (3). No entanto, poderá ser suspesnso pelo Ministério Público (MP), que considerou o aumento inconstitucional, uma vez que na conta está sendo colocado o custo com a gratuidade do sistema e o investimento para a compra de ônibus com ar-condicionado. Ainda, o contrato de concessão deve levar em conta na hora do reajuste a inflação e os custos operacionais das empresas.

Na sexta-feira (02), em Salvador o reajuste da tarifa do ônibus coletivo foi de R$ 2,80 para R$ 3, e de Boa Vista, de R$ 2,60 para R$ 2,80, e estudantes pagarão R$ 1,40.

Os ônibus de Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE) e Rio Branco (AC) passaram a rodar com novas tarifas já em dezembro de 2014. 

Cinco capitais (Distrito Federal, Macapá, Porto Velho, Recife e Palmas) não reajustaram os preços em 2014 e afirmam que não o farão em 2015.

Informações: Circuito MT

READ MORE - Passagem de ônibus em Cuiabá deverá subir para R$ 3,20

Trecho da Av. Paulista é interditado para construção de ciclovia

Um trecho da Avenida Paulista foi interditado na manhã desta segunda-feira (5) para o início da construção da ciclovia. As obras, que custarão R$ 15 milhões, devem ser concluídas em seis meses.

A Companhia Engenharia de Tráfego (CET) recomenda cuidado aos motorista e pede que eles obedeçam à sinalização ao trafegarem pela avenida. 

O projeto de implantação de ciclovia na Avenida Paulista foi aprovado, em novembro, pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat).

No entender da entidade, os bens tombados, além de MASP e Conjunto Nacional, não serão afetados pela via exclusiva para as bicicletas. As intervenções em área no entorno de bens tombados na esfera estadual deve ser analisada e aprovada previamente pelo conselho.

O secretário municipal dos Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, afirmou, em setembro, que a ciclovia da Paulista fazer pelo menos cinco importantes conexões entre regiões da cidade: o Centro, para a região do Estádio do Pacaembu, da Avenida Brasil, do Parque Ibirapuera e para o Metrô Jabaquara.

Minhocão
A Rua Amaral Gurgel, sob o Elevado Costa e Silva, também terá as faixas da esquerda interditadas nos dois sentidos às 23h horas desta segunda-feira para implantação da ciclovia que passará debaixo do Minhocão. Os bloqueios, entre a Rua Major Sertório e o Largo do Arouche, vão durar cerca de seis meses, segundo a CET.

Projeto
A ciclovia da Avenida Paulista vai ficar no canteiro central da via e não vai tirar nenhuma faixa dos veículos, mas vai diminuí-las. As faixas de ônibus vão ser reduzidas de 3,5 metros para 3,3 metros e as de carros de 3 metros para 2,8 metros.

Primeiramente, o secretário havia informado que as obras seriam concluídas ainda este ano, mas, posteriormente, confirmou o que o prefeito Fernando Haddad havia informado, sobre só ser possível a conclusão em 2015.
“Em função de final de ano, Natal, corrida de São Silvestre, especificamente o eixo que envolve a Consolação da Praça Osvaldo Cruz, nós vamos entrar em obras apenas em 2015”, disse.

Durante todo o período, a faixa da esquerda em ambos os sentidos da Avenida Paulista destinada aos veículos será interditada. A ciclofaixa de lazer que funciona aos domingos será desativada nos seis meses de obras.

O secretário informou ainda que a meta é completar, até o final de 2015, 400 quilômetros de ciclovias.

Entenda as novas ciclovias de SP
A construção de 400 km de ciclovias é uma das 123 metas de gestão de Fernando Haddad, que se elegeu com a promessa de privilegiar o transporte público.

Considerando que São Paulo tem 17,2 mil km de vias pavimentadas, o total representa espaço exclusivo para ciclistas em 2,3% do total de ruas e avenidas da cidade. Segundo estimativas, o custo total das obras é de R$ 80 milhões. Parte dos recursos devem ser disponibilizados pelo Fundo Municipal do Meio Ambiente (Fema).

De acordo com a Prefeitura, o cumprimento da meta deixará São Paulo com total de ciclovias próximo do que há em outras cidades do mundo. O levantamento da administração municipal aponta que Berlim lidera o ranking com 750 quilômetros. Além dos 400 km do novo plano, há previsão de inauguração de 150 quilômetros de ciclovias que devem ser implantadas junto aos futuros corredores de ônibus, além de outros 63 km já existentes até 2013.

A instalação de ciclovias é uma das estratégias apontadas por especialistas em trânsito para oferecer outras opções para o transporte na cidade. Neste ano, São Paulo atingiu novo recorde de congestionamento, com 344 km de vias congestionadas em 23 de maio.

Além disso, a construção de ciclovias é uma demanda de diversos setores, incluindo cicloativistas que se articulam na cidade em associações e promoveram ao longo de anos intervenções e protestos por mais respeito às bicicletas no trânsito. O número de ciclistas mortos em acidentes de trânsito caiu entre 2005 e 2013, período disponível no levantamento da CET. Em 2005, foram 93 casos. Em 2013, o total de mortes foi de 35.

READ MORE - Trecho da Av. Paulista é interditado para construção de ciclovia

Tarifas dos ônibus intermunicipais de São Paulo sobem 12% a partir de quarta-feira

A partir da 0 hora de quarta-feira (7), quem usa ônibus intermunicipal vai precisar rever o orçamento. As tarifas de todos os coletivos que circulam entre as cidades da região Metropolitana da Baixada Santista vão ter as tarifas reajustadas. A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) afirma que o aumento médio deve ser de 12%.

Os novos preços das linhas variam entre R$ 2,65 e R$ 10,60, dependendo da quilometragem percorrida pelo veículo. De acordo com a publicação no Diário Oficial do Estado, de 31 de dezembro, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos levou em consideração a “estrutura dos custos para a manutenção do padrão de serviços”, além do equilíbrio operacional e tarifário do sistema de transporte coletivo. 

As resoluções trazem o valor exato apenas das linhas que fazem integração com outros intermunicipais. Procurada para saber do preço das tarifas dos demais itinerários, a assessoria de imprensa da EMTU afirmou que, devido ao feriado de final de ano, não seria possível detalhar os valores de todas as linhas.

Descontentes

Não vale nem o que se paga agora, pois os ônibus estão sempre lotados, demoram a passar e não têm conforto. Nenhum ônibus tem ar-condicionado. Não devia aumentar”, reclama a analista de vendas Aline Dias Teixeira, que normalmente circula entre Santos e Cubatão. 

A dona de casa Margareth Alves da Silva, que mora em São Vicente, concorda. “É ridículo pagar mais por um transporte que continua ruim”. 

A teleoperadora Jaciele Xavier não está surpresa com a tarifa mais cara. “Aumenta o salário mínimo, o preço de todo o resto, como transporte, aluguel, roupa e alimentação, sobe junto. E o pior é que não tem como deixar de pagar a condução”.

Informações: A Tribuna

Leia também sobre:
READ MORE - Tarifas dos ônibus intermunicipais de São Paulo sobem 12% a partir de quarta-feira

Greve no transporte coletivo de Curitiba está mantida para o dia 7 de janeiro

Na primeira semana útil do ano de 2015, o curitibano pode enfrentar problemas no transporte coletivo. Motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e Região Metropolitana aprovaram, na segunda-feira passada, um indicativo de greve para a próxima quarta-feira, dia 7. A previsão de paralisação é por tempo indeterminado. Os trabalhadores reclamam do atraso no pagamento do adiantamento do salário de dezembro. Segundo o vice-presidente do Sindimoc, Dino Cesar, a previsão de greve continua, mas o prazo para evitar a paralisação é o quinto dia útil do mês.

Uma liminar da Justiça do dia 24 de dezembro obrigava as empresas a quitarem em um prazo de 48 horas os benefícios dos funcionários. A multa em caso de descumprimento é de 30 mil reais por dia. O advogado que representa o sindicato da categoria, Elias Mattar Assad, afirma que já solicitou à Justiça do Trabalho que o valor seja aumentado para 100 mil reais de multa diária. Questionado sobre as frequentes paralisações da categoria nos últimos meses, Dino Cesar justifica que esse é o último recurso.

No último dia 29, usuários do transporte coletivo foram pegos de surpresa por uma paralisação de duas horas no período da tarde. Na ocasião, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) informou que as empresas estão recorrendo da decisão judicial que obriga o pagamento dos valores, pois parte do benefício foi depositada e conforme a convenção coletiva o pagamento não é obrigatoriamente de 40% do salário, e sim de até 40%. O vice-presidente do sindicato dos trabalhadores contesta o argumento e diz que o acordo existe há 20 anos.  

O sindicato das empresas ainda afirma que o não pagamento de parte do vale é devido ao atraso no repasse por parte da Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba) e da Urbs e que a dívida está em torno de 10 milhões de reais. 

Por sua vez, a Urbs informou que o Governo do Estado não repassou as parcelas do subsídio do transporte metropolitano integrado de outubro e novembro, que somam mais de 10 milhões de reais. A Comec também foi procurada, mas não se pronunciou sobre o assunto.

Informações: Band News FM

READ MORE - Greve no transporte coletivo de Curitiba está mantida para o dia 7 de janeiro

Tarifas de ônibus, metrô e trem sobem para R$ 3,50 em São Paulo

O preço do transporte coletivo – ônibus, metrô e trem – na cidade de São Paulo aumenta de R$ 3 para R$ 3,50 a partir de amanhã (6), segundo a prefeitura. O custo da integração entre os sistemas de ônibus e sobre trilhos passará de R$ 4,65 para R$ 5,45.

Já está em vigor, também, o não pagamento de passagens por estudantes de baixa renda passam. Antes da medida, esses alunos custeavam metade do valor da tarifa. Os estudantes que têm direito ao benefício poderão usufruir do passe livre a partir do início do ano letivo, em fevereiro.

Com o cartão de estudante, válido para 48 viagens ao mês, 505 mil estudantes devem ser beneficiados, dos quais 360 mil da rede pública e 145 mil da rede particular.

Quem carregar o bilhete único comum, hoje (5) no valor máximo de R$ 200, pode viajar com o valor da tarifa antiga até o crédito esgotar. As tarifas do bilhete único mensal – R$ 140 ou R$ 230 na versão integrada –, semanal – R$ 38 ou R$ 60 na versão integrada – e diário  nos valores de R$ 10 ou R$ 16 na versão integrada, não sofrerão alteração.

A prefeitura argumenta que o aumento é necessário, pois o último reajuste de tarifa na cidade ocorreu em janeiro de 2011. Desde então, a inflação acumulada foi 27%. O reajuste atual nas passagens foi inferior, 16,67%.

Em junho de 2013, quando foi anunciado o aumento das passagens na capital paulista, uma onda de manifestações se espalhou pelo país, contra a elevação das tarifas. Uma das lideranças desse protesto, o Movimento Passe Livre (MPL), convocou um novo ato para sexta-feira (9), às 17h, em frente ao Theatro Municipal.

Hoje, às 17h, o movimento faz uma aula pública em frente ao prédio da prefeitura, no Viaduto do Chá, para debater os problemas do transporte coletivo. Um dos palestrantes é Lúcio Gregori, ex-secretário municipal de Transportes, que nos anos 90 elaborou um projeto de tarifa zero para a capital paulista.

Informações: Agência Brasil

Leia também sobre:
READ MORE - Tarifas de ônibus, metrô e trem sobem para R$ 3,50 em São Paulo

Em Porto Alegre, Reajuste para rodoviários abre debate sobre tarifa de ônibus

O Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre encaminha, nesta segunda-feira, pedido de reajuste salarial da categoria, iniciando o debate sobre o reajuste tarifário dos ônibus da Capital. Conforme um dos vice-presidentes da entidade, Emerson Dutra, o pedido é de 11,62%, ou seja, 5% de aumento real. Hoje, o piso de um motorista é de R$ 2 mil e de um cobrador de R$ 1,2 mil. A carga é de 7h10min diária.

O dissídio dos trabalhadores é um dos principais fatores que impactam no pedido de reajuste na tarifa por parte dos empresários. Hoje, o valor da tarifa está em R$ 2,95. Em São Paulo, por exemplo, a viagem custa R$ 3,50 e, no Rio de Janeiro, o carioca paga R$ 3,40. Em 2014, a tarifa de Porto Alegre saltou de R$ 2,80 para R$ 2,95.

Emerson Dutra garante que neste ano a negociação do dissídio irá ser coordenada pelo sindicato. Segundo ele, nos outros anos os trabalhadores não se sentiam representados pela entidade, com isso, novas lideranças surgiram. Entre elas, estava Alceu Weber. Uma paralisação dos rodoviários, por 15 dias, chegou a ocorrer na Capital gaúcha na busca de um índice maior de reajuste aos trabalhadores. A ATP, entidade que congrega os empresários em Porto Alegre, prefere não comentar o pedido dos rodoviários. Conforme Luiz Mário Magalhães Sá, gerente-executivo da entidade, a negociação do dissídio transcorre durante todo o mês de janeiro. O custo é decisivo para o pedido de reajuste dos empresários. De acordo com Sá, o levantamento de custo dos outros produtos utilizados nos veículos está sendo feito pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Ele destacou ainda que o reajuste vai permitir que os empresários voltem a investir na qualidade dos coletivos e na renovação da frota.

A bancada do PSol na Câmara de Vereadores de Porto Alegre acredita que é possível segurar a elevação do custo do transporte na Capital. Conforme o vereador Alex Fraga, os parlamentares podem voltar a buscar a via judicial caso os aumentos sejam considerados abusivos. A bancada dos socialistas libertários, formada a partir de 2015 por Alex Fraga e Fernanda Melchionna, já conseguiu uma liminar que obrigou a Prefeitura de Porto Alegre a baixar a tarifa de R$ 3,05 e R$ 2,85, em 2013. Depois, o Executivo da Capital decidiu isentar o serviço do ISSQN e a tarifa voltou a cair para R$ 2,80.

A Prefeitura da Capital tenta licitar o transporte coletivo em Porto Alegre. Inicialmente, tentou duas vezes por bacias, mas não houve interessados. Agora, a EPTC prepara uma terceira licitação por linhas. Os empresários classificaram a decisão do prefeito José Fortunati como um retrocesso.

Informações: Correio do Povo


READ MORE - Em Porto Alegre, Reajuste para rodoviários abre debate sobre tarifa de ônibus

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960