Na Grande Recife, Corredor Norte-Sul ganha mais quatro estações de BRT

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

A partir desta segunda-feira, entram em operação quatro novas estações do corredor Norte-Sul do sistema Bus Rapid Transit (BRT). Os usuários contarão com mais opções de embarque e desembarque. As estações Aloísio Magalhães, Jupirá, Cidade Tabajara e São Salvador do Mundo, localizadas em sequência após o Terminal Integrado da PE-15, começaram a operar das 5h30 às 22h30.
Foto: Folha de Pernambuco

A expectativa do Grande Recife Consórcio de Transportes é que o Via Livre Norte/Sul passe a atender 19 mil passageiros por dia, mil a mais com o começo da operação das quatro estações. 

Como as novas estações estão localizadas após o TI PE-15, elas serão atendidas neste momento apenas pela linha Via Livre BRT que sai do TI Pelópidas Silveira, a 1979 – TI Pelópidas (Dantas Barreto), que circula de segunda a sexta das 5h30 às 22h30. Após o início da operação desses novos pontos de embarque e desembarque, o Corredor Norte/Sul passa a contar com oito estações em funcionamento: São Salvador do Mundo, Cidade Tabajará, Jupirá, Aloísio Magalhães, Tacaruna, Treze de Maio, Riachuelo e Praça da República.

Ao todo, 28 pontos de embarque e desembarque devem atender ao sistema ao longo de 33 quilômetros. As paradas estão entrando em operação gradativamente, assim como as linhas de BRT. Atualmente, apenas a 1915 – PE-15 (Dantas Barreto) se soma à linha do TI Pelópidas. A previsão é de que oito totalizem a operação. O Governo do Estado prevê a entrega de todo o sistema até o final de dezembro.

Informações: Diário de Pernambuco


READ MORE - Na Grande Recife, Corredor Norte-Sul ganha mais quatro estações de BRT

Câmara rejeita projeto de ônibus só para mulheres em Curitiba

Depois de ter a votação adiada por 50 sessões, o projeto de lei que pede a circulação de ônibus exclusivos para mulheres em Curitiba voltou ao plenário da Câmara Municipal nesta segunda-feira (17) e foi derrubado pela maioria dos vereadores. A discussão sobre a proposta começou por volta das 10 horas, acompanhada de representantes de grupos a favor e contra a ideia, e durou cerca de três horas. Dos 30 vereadores presentes, 20 votaram contra e sete a favor. Houve três abstenções.

Defendido pela bancada evangélica e rechaçado por vereadores e grupos que interpretam a medida como uma lesão ao direito de igualdade de gênero, a proposta determinava reserva de 20% da frota de ônibus de Curitiba para uso exclusivo de mulheres. Os ônibus restritos seriam identificados com a cor rosa – motivo pelo qual chegou a receber o apelido de “Panterão” – e circulariam nos horários de pico da manhã e da tarde (6h às 9h e entre 17h e 20h), com exceção nos sábados, domingos e feriados.

A justificativa da proposta, criada pelo vereador Rogério Campos (PSC), é de “preservar a integridade física e moral das mulheres que utilizam o transporte coletivo” da capital. Segundo Campos, a ideia não era obrigar as mulheres a usar os ônibus cor-de-rosa, mas disponibilizar uma alternativa para aquelas que não se sentem bem compartilhando espaços pequenos de ônibus com homens. “É uma opção de fuga para as mulheres. Acho que o momento é esse, antes que aconteça alguma coisa como aconteceu no Rio de Janeiro, onde uma mulher chegou a ser estuprada dentro de um ônibus”, declarou o vereador, em seu pronunciamento desta manhã.

Por outro lado, contrários classificaram a medida como “segregadora”, uma vez que, de maneira paliativa, apenas separa homens e mulheres, sem ser uma resolução prática para as questões de machismo, assédio moral e violência contra as mulheres. “Essa não é a forma de resolver a questão de assédio dentro dos ônibus. Não queremos ser segregadas”, declarou, em discurso, a vereadora professora Josete (PT). Para ela, a concretização da proposta representaria um atraso para a sociedade, voltando ao tempo em que meninos e meninas eram segregados, inclusive, dentro de escolas. “O assédio não acontece só em ônibus. Ele acontece nem diversos espaços onde a gente está, na rua, no cinema. Não é separando que vamos resolver. Temos que fazer um debate muito anterior a esse, discutir uma sociedade que ainda é patriarcal e que ainda é machista”, disse.

Confusão

Um pequeno tumulto precedeu o início da votação na Câmara nesta segunda-feira. Grupos que defendiam a implantação do projeto entraram nas galerias superiores do plenário e ocuparam os vãos livres com faixas a favor da reserva dos ônibus exclusivos. Representantes de grupos feministas que chegaram logo depois não conseguiram mais espaço para pendurar os materiais trazidos, o que gerou um pequeno bate-boca.

As faixas já colocadas pelos grupos a favor não foram retiradas, e os materiais que pedem a reprovação da lei ficaram em um espaço reduzido. 

O QUE PEDIA O PROJETO

--Destinar 20% da frota de Curitiba para uso exclusivo de mulheres
--Os ônibus levariam a cor rosa e circulariam nos horários de pico, entre 6h e 9h; e 17h e 20h. Não valeria para sábados, domingos e feriados
--A ideia inicial é estabelecer percentual para frotas principais, como biarticulados e ligeirinhos
--Mulheres acompanhadas de filhos com até 12 anos poderiam usar os ônibus reservados

SÃO PAULO VETA LEI

Um projeto de lei semelhante foi aprovado pelos vereadores de São Paulo em julho deste ano. A proposta levaria à criação de vagões só para mulheres nos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do Metrô, mas foi vetada pelo governador do estado, Geraldo Alckmin (PSDB).

Vale no Rio
No Rio de Janeiro, lei estadual de 2006 obriga a destinação de vagões exclusivos para mulheres nas composições de trens e no metrô. O uso restrito ocorre em dias úteis, das 6h às 9h e das 17h às 20h. Em cada composição, há um carro identificado com um adesivo que indica o vagão “especial”.
VEJA OS ARGUMENTOS MAIS CITADOS DURANTE O DEBATE DO PROJETO

Contra a ideia
- Fere o direito da igualdade, e, por isso, é inconstitucional 
- Não resolve o problema de assédio e violência contra as mulheres 
- Teria um custo implícito para as empresas e traria custo a todos os passageiros

A favor da ideia
- Daria segurança e garantiria integridade física das mulheres 
- Melhoraria o sistema de transporte coletivo 
- Ajudaria na diminuição dos casos de assédio

Informações: Gazeta do Povo

READ MORE - Câmara rejeita projeto de ônibus só para mulheres em Curitiba

Multas aplicadas por trafegar em faixas de ônibus dobram em 2014

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou em 2014 o dobro de multas por tráfego em faixas exclusivas de ônibus em horário proibido ou em corredores, informou o Bom Dia São Paulo. Foram 858 mil entre janeiro e setembro, contra 424 mil no mesmo período do ano passado. Em todo 2013, foram aplicadas 713 mil multas pela infração.

O número total de multas subiu 8,5% nos nove primeiros meses deste ano em relação ao ano passado. Até setembro de 2014, foram 7,8 milhões de multas, o que significa R$ 627 milhões arrecadados. As multas mais frequentes nos primeiros nove meses do ano foram: por excesso de velocidade (2,5 milhões) e por desrespeitar o rodízio (1,5 milhão).

A CET diz que está fechando o cerco aos infratores. “O número de multa aumentou porque nós mudamos a logística do trabalho do técnico. Hoje a fiscalização está mais presente nos bairros periféricos de São Paulo”, diz Maurício Regio, diretor de operações da CET.

Segundo a companhia, a maioria das infrações de velocidade ocorre de madrugada, já que durante o dia é impossível correr em meio ao congestionamento. Em relação ao valor arrecado com as multas, a Secretaria Municipal de Transportes informou que todo o dinheiro é aplicado em melhorias no trânsito, fiscalização e programas de educação.

Ciclistas
As multas aplicadas aos motoristas por desrespeito aos ciclistas subiram 109% entre janeiro e setembro deste ano. Em 2013 foram 8.671 multas, contra 18.165 infrações neste ano.

Também aumentou o número de multas aplicadas por circulação irregular de veículos nas ciclovias e ciclofaixas. De janeiro a setembro de 2013, foram 180 multas contra 288 infrações no mesmo período deste ano, um aumento de 60%. A infração é considerada gravíssima e o motorista recebe 7 pontos na carteira. O valor da multa é de R$ 574,62.

Multas aplicadas pela CET (até setembro)
Infração
2013
2014
Excesso de velocidade
2.225.271
2.450.841
Desrespeito ao rodízio
1.551.177
1.506.705
Transitar na faixa exclusiva/corredores
424.282
858.032
Estacionamento irregular
743.478
774.123
Uso de telefone celular ao volante
277.035
276.915
Ausência do cinto de segurança
135.335
143.791
Total de multas
7.247.279
7.864.275
Fonte: Companhia de Engenharia de Tráfego (CET)

A CET também registrou uma alta de 20% nas multas de trânsito aos infratores que estacionam nas ciclovias e ciclofaixas. Neste ano, entre janeiro e setembro foram 375 multas e 313 de janeiro a setembro do ano passado. Esse tipo de infração é considerada grave, a punição é de 5 pontos na carteira, e o valor da multa é de R$ 127,69.

A divisão do espaço da via pública ainda gera muitas dúvidas entre motoristas e ciclistas, mas a bicicleta tem preferência sobre o carro na lei de trânsito. As multas por causa das fechadas foram as que mais cresceram este ano, foram 466% em relação ao ano passado, totalizando mais de 11 mil infrações. E, na maioria das vezes, foi o motorista do carro quem cortou o ciclista.

READ MORE - Multas aplicadas por trafegar em faixas de ônibus dobram em 2014

BRT Rio lança campanha nas redes pela conservação dos ônibus articulados

O BRT Rio está lançando uma campanha de conscientização para despertar junto aos clientes a necessidade de ajudar na conservação dos veículos que circulam nos corredores Transoeste e Transcarioca. 

Batizada de #BRTEuCuido, a campanha nasceu a partir de uma mobilização espontânea de passageiros dos dois corredores nas redes sociais e consiste na adesivação especial dos ônibus simulando danos como vidros quebrados ou assentos pichados, gerando uma reação imediata junto aos passageiros. 

 Com o constante trabalho de monitoramento ativo realizado pelo BRT Rio nas redes sociais em, que atuamos - como Facebook e twitter -, percebemos nos comentários de usuários conteúdos espontâneos denunciando a depredação dos veículos por parte de uma minoria de passageiros. Avaliamos que era importante aproveitar essa mobilização em favor do próprio sistema, explica Jorge Dias, presidente do Consórcio BRT.

Trazendo o cliente para o centro da comunicação, foi criada a ação #BRTEuCuido, como forma de conscientizar a todos que utilizam o sistema BRT de que o maior prejudicado com a depredação e o vandalismo é o cidadão que fica com uma menor oferta de serviço.

Um adesivo simulando um vidro quebrado foi colado na porta de mais de 60 coletivos. Junto com a imagem, criada para chamar a atenção, o número de dias e usuários impactados.

A melhor forma de engajar as pessoas na campanha foi mostrar o quanto cada reparo em um item destruído impacta na mobilidade de todos, destaca Dias.

Em complemento à ação de adesivagem na frota, foi desenvolvido um aplicativo no Facebook que mostra os cinco itens que mais têm recorrência de manutenção causada pelo vandalismo. Além de agrupar as fotos produzidas pelos próprios internautas, e publicadas com a hashtag da campanha #BRTeuCuido.

Para se ter uma ideia, só com reposição de vidros uma das empresas ligadas ao Consórcio BRT, com frota aproximada de 50 ônibus articulados, gasta cerca de R$ 21 mil mensais ou R$ 252 mil anuais, o que equivale a 31% do preço de um veículo articulado de 18 metros (com capacidade para transportar 140 pessoas). Veja, abaixo, alguns números que mostram como os passageiros podem ser prejudicados com o vandalismo nos ônibus.

Depredação de assentos 

- tempo de reparo: 1 dia

- pessoas impactadas: até 288 pessoas

- reincidência: 1 a cada 3 dias ou 2 vezes por semana

 Quebra dos vidros

- tempo de reparo: 5 dias

- pessoas impactadas: 1.440 pessoas

- reincidência: todos os dias 

 Furto/Depredação de itens essenciais de segurança (câmeras, martelo, etc)

- tempo de reparo: 2 dias 

- pessoas impactadas: 576 pessoas

- reincidência: todos os dias 

 Depredação da borracha das portas

- tempo de reparo: 1 dia 

- pessoas impactadas: 288 pessoas

- reincidência: 1 a cada 3 dias ou 2 vezes por semana

 Depredação dos itens essenciais de conforto (ventilação, ar-condicionado, etc)

- tempo de reparo: 2 dias

- pessoas impactadas: 576 pessoas

- reincidência: 1 a cada 3 dias ou 2 vezes por semana

Informações: BRT RIO

READ MORE - BRT Rio lança campanha nas redes pela conservação dos ônibus articulados

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960