Prefeitura de SP suspende corredor na 23 de Maio

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Os corredores de ônibus nas avenidas 23 de Maio e Celso Garcia, dois dos principais projetos anunciados pelo prefeito Fernando Haddad (PT), foram excluídos das licitações que serão abertas neste ano.

Eles integravam o bloco de 128 km que tiveram a licitação barrada pelo TCM (Tribunal de Contas do Município), em janeiro, por não ter projetos nem recursos garantidos.

Neste mês, a prefeitura obteve recursos federais e vai licitar três corredores (41,4 km), como o da Radial Leste.

Os da 23 de Maio, da Celso Garcia e outros quatro fazem parte dos 88 km para os quais a prefeitura diz não ter dinheiro. Como o tempo médio de obra é de dois anos, os projetos podem não ficar prontos na atual gestão.

Para o consultor Horácio August Figueira, depois do corredor da Radial Leste, o da 23 de Maio é o projeto mais importante. “O eixo norte-sul já precisa de outro sistema de média capacidade para atrair viagens do metrô”, diz.

O corredor da 23 de Maio, que passará também por outras vias, ligará Santana (zona norte) a Interlagos (zona sul). O da Celso Garcia vai do centro à zona leste. Ambos haviam sido prometidos também na gestão Marta Suplicy (PT).

As duas vias têm faixas exclusivas, mas corredores são mais velozes, diz o engenheiro Luiz Célio Bottura.

No total, a prefeitura tem dinheiro para fazer 165,5 km de corredores, sendo que 124,1 km deles haviam sido licitados na gestão Gilberto Kassab (PSD). A promessa de Haddad é construir 150 km.

A Secretaria dos Transportes afirmou que os corredores previstos na licitação barrada serão feitos. Segundo a pasta, os projetos estão prontos e está em estudo a fonte dos recursos. Disse ainda que foram priorizados, nessa primeira licitação, projetos em vias que não têm faixas exclusivas de ônibus.

Informações: Uol

Leia também sobre:
READ MORE - Prefeitura de SP suspende corredor na 23 de Maio

Metrô Rio libera embarque de passageiros com bicicleta em dias úteis

O Metrô do Rio, que já permite o embarque de passageiros com bicicletas em finais de semana, vai liberar a entrada do veículo alternativo também nos dias úteis a partir de segunda-feira (29). A novidade, porém, só será permitida a partir das 21h e no último vagão de cada trem.

A liberação atende uma demanda da Secretaria Estadual de Transportes e tem como finalidade estimular o uso do transporte sustentável, como explica a titular da pasta, Tatiana Carius.

"No ano passado, aprovamos a liberação de embarques de bicicletas em período integral nas barcas, e eliminamos a cobrança de tarifa adicional. Agora, em parceria com a concessionária MetrôRio, desenvolvemos um planejamento, que permitirá o acesso das bikes ao sistema", disse a secretária.

Informações: G1 Rio

READ MORE - Metrô Rio libera embarque de passageiros com bicicleta em dias úteis

Decisão do TCE suspende licitação para obras do BRT em João Pessoa

A licitação para as obras de implantação do Bus Rapid Transit (BRT) em João Pessoa foi suspensa pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB). A decisão foi tomada pelo relator da prestação de contas do exercício de 2014 da prefeitura da capital, o conselheiro Fernando Catão.  Por meio de medida cautelar, Catão decidiu que a suspensão deve se manter até que as falhas identificadas no processo sejam sanadas. A decisão do relator foi tomada após uma inspeção especial de licitação, e contratos, para que não haja prejuízo aos cofres públicos e publicada nesta terça-feira (23).

A medida do TCE  suspende a contratação para elaboração do projeto executivo de engenharia e projeto ambiental, a execução das obras de pavimentação e drenagem da faixa exclusiva para ônibus em concreto de cimento, restauração da pista existente e instalação de sistema ITS. Obras que viabilizariam a implantação de cinco corredores exclusivos do BRT. De acordo com o edital publicado pela Prefeitura de João Pessoa, o recebimento e a abertura das propostas ocorreriam no dia 10 de outubro próximo.

“As irregularidades constadas comprometem a lisura do procedimento licitatório em questão”, ressalta em seu despacho o conselheiro Fernando Catão. O TCE, no entanto, não dá maiores detalhes sobre o que estaria errado no processo de licitação. A medida cautelar de suspensão está prevista no artigo 195 do Regimento Interno do Tribunal de Contas do Estado.

O TCE-PB citou o secretário de Planejamento do município e o presidente da Comissão Especial de Licitação da Prefeitura Municipal de João Pessoa, para que num prazo de 15 dias possam apresentar defesa e esclarecer todos os pontos do processo licitatório questionados na inspeção especial, sob pena de multa. O prefeito Luciano Cartaxo também foi notificado sobre a determinação do TCE-PB, para a “adoção de providências que entender cabíveis, sob pena de responsabilidade solidária”.

A Secretaria de Planejamento de João Pessoa informou por meio da assessoria de imprensa "que todos os questionamentos e eventuais dúvidas do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba em relação à implantação do BRT (Bus Rapid Transit) na capital, serão esclarecidos dentro do prazo legal." A nota diz ainda que o órgão foi notificado na tarde desta terça-feira (23) sobre a medida cautelar, que determina a suspensão da licitação do BRT.

De acordo com Rômulo Polari, secretário de Planejamento da capital, os pontos apresentados na medida cautelar já estão sendo analisados pelos técnicos da pasta, que vão preparar a resposta pedida pelo TCE. Conforme o secretário se após a análise, ficar clara a necessidade de alguma adequação no processo licitatório, ela será providenciada. A medida cautelar seguirá para referendo dos membros da 1ª Câmara do TCE, na próxima sessão.

Informações: G1 PB

READ MORE - Decisão do TCE suspende licitação para obras do BRT em João Pessoa

Fim do dinheiro nos ônibus de Campinas com Bilhete Único

A loja, que é da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), tem o objetivo de ser um posto de atendimento exclusivo para usuários do Bilhete Único Comum. O funcionamento será de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h; e aos sábados, da 8h às 12h.

No local será feito o cadastro e emissão, na hora, da primeira via do cartão de Bilhete Único Comum e, também, a carga e a recarga desse tipo de cartão. O local foi escolhido por ser na região central e ter grande fluxo de pessoas.


O espaço possui quatro guichês de atendimento. “A Transurc está ampliando a quantidade de pontos de cadastro e recarga para o Bilhete Único Comum, com o objetivo de aumentar a capilaridade da rede de estabelecimentos credenciados para facilitar a vida do usuário, que a partir de 1° de outubro só usará o cartão eletrônico para andar de ônibus”, afirma o diretor de Comunicação da Transurc, Paulo Barddal. Quatro novos funcionários foram contratados para trabalhar na loja.

Saiba mais sobre os Bilhetes 2 viagens.

A loja passou por reformas, como troca de pisos e revestimentos, portas de vidro, sistema de ar-condicionado e nova pintura. No local também será possível comprar o novo cartão Bilhete 2 Viagens, criado para atender os usuários eventuais do sistema de transporte público coletivo municipal. O reembolso do casco também é efetuado na loja.

Bilhete Único

A partir de 1º de outubro de 2014, próxima quarta-feira, com o início do pagamento da tarifa de ônibus somente com cartões eletrônicos, o usuário do sistema de transporte público coletivo de Campinas terá duas alternativas: utilizar um dos cartões da família Bilhete Único; ou usar um dos dois novos cartões eletrônicos, o Bilhete 1 Viagem ou o Bilhete 2 Viagens.

1) Como faço o Bilhete Único Comum?

O Bilhete Único Comum pode ser feito nos postos de cadastramento da Transurc, que estão nos terminais Central, Ouro Verde, Barão Geraldo, Campo Grande, Metropolitano e Mercado; na sede do Poupatempo Centro (Avenida Francisco Glicério, 935); Expresso Bilhete Único; na sede da Transurc (Rua 11 de Agosto, 757) e a nova Loja do Bilhete Único (Avenida Anchieta, 55). O cadastro e emissão são feitos de forma gratuita. É necessário apenas a apresentação do CPF e RG.

2) Quais as vantagens do Bilhete Único Comum?

Além de ter a emissão gratuita, permite que o usuário pegue até três ônibus pagando uma tarifa, no período de duas horas. Bloqueio do saldo e transferência do mesmo em caso de roubo ou furto. A partir de 1º de outubro, o Bilhete Único Comum permitirá ao usuário fazer até duas viagens, mesmo que o saldo esteja zerado.

3) Todos os cartões permitem a integração temporal?

Não, somente os cartões da família Bilhete Único (Comum, Escolar, Gratuito, Idoso e Vale-Transporte). Os novos cartões Bilhete 1 Viagem e Bilhete 2 Viagens não permitem a integração.

4) Para que foram criados os Bilhete 1 Viagem e Bilhete 2 Viagens?

Os Bilhete 1 Viagem e Bilhete 2 Viagens foram criados para atender os usuários eventuais, aquelas pessoas que moram em outras cidades ou então que usam esporadicamente o transporte coletivo em Campinas.

5) Como será feita a venda do Bilhete 1 Viagem e Bilhete 2 Viagens?

O Bilhete 1 Viagem será vendido dentro dos ônibus, até 30 de novembro de 2014. Ele custará R$ 5,30 (R$ 3,30 de tarifa + R$ 2,00 do cartão). O valor do casco (cartão) será reembolsado em um dos postos autorizados da Transurc.

O Bilhete 2 Viagens será vendido na Rede de Credenciados, composta por 290 estabelecimentos comerciais (bancas, farmácias, mercados, padarias, postos de combustível etc), na sede da Transurc, no Poupatempo Centro, nos terminais Central, Mercado, Ouro Verde, Campo Grande e Metropolitano e na nova Loja do Bilhete Único. A rede de credenciados pode ser conferida no site da Transurc, no endereço eletrônico www.transurc.com.br. Informações complementares também podem ser obtidas pelo telefone 0800 014 0204.

Informações: EMDEC
READ MORE - Fim do dinheiro nos ônibus de Campinas com Bilhete Único

Em Londrina, Terminal da Zona Oeste será adaptado para o sistema BRT

O Terminal da Zona Oeste fará parte do sistema BRT, que cortará a cidade nos sentidos Norte-Sul e Leste-Oeste. Haverá quatro plataformas de embarque e desembarque para o novo sistema no terminal: duas no sentido leste, duas no sentido oeste. O anteprojeto elaborado pelo IPPUL prevê a ampliação da área do terminal de 2387 m² para 4218 m². “Essa ampliação será feita para que o BRT possa dividir o espaço com os ônibus alimentadores (regulares).

O sistema rápido fará seu embarque e desembarque na parte central, e os ônibus convencionais operarão na zona periférica do terminal”, explica a arquiteta da Diretoria de Projetos Urbanísticos e Edificações do IPPUL, Amanda Salvioni. Com a ampliação, a cobertura do terminal será estendida até o início da calçada do lote, no intuito de abrigar o maior número possível de ônibus.

O piso existente na área de embarque e desembarque prevista para o novo sistema será elevado, para a criação de duas plataformas novas. “O piso dos ônibus do BRT precisa estar no mesmo nível das áreas de embarque e desembarque, para que eles operem de forma rápida, não necessitando de plataformas para cadeirantes ou escadas”, diz Amanda. Nas outras áreas do terminal, cujo nível não será elevado, serão instaladas escadas e rampas de acessibilidade com piso tátil,que levarão às plataformas. Também serão pintadas faixas de pedestres nas pistas internas, para que os passageiros possam se locomover com segurança dentro do terminal. Além disso, o material das pistas pelas quais o BRT passará será modificado de asfalto para concreto, o que é necessário para seu funcionamento.

Outra adaptação será a construção de um bicicletário, para que os usuários possam guardar suas bicicletas, já que haverá ciclovias próximas ao terminal. A iniciativa busca estimular a convergência de meios de transporte. “Toda a extensão do BRT será acompanhada por ciclovias”, lembra a arquiteta.

Informações: Prefeitura de Londrina

READ MORE - Em Londrina, Terminal da Zona Oeste será adaptado para o sistema BRT

Metrô de SP contrata seguranças para botão de emergência

O metrô paulistano contratou seguranças particulares para tomar conta dos botões e telefones de emergência das plataformas das suas estações.

Esse mecanismo deve ser acionado se alguém cai nos trilhos, por exemplo, já que corta a eletricidade que passa ao lado da via.
Marcos Santos/USP Imagens
Desde a semana passada, no entanto, nas maiores estações da rede, como a Sé e a Paraíso, é possível observar guardas ao lado das cabines onde esses equipamentos estão instalados, para impedir a aproximação das pessoas.

O Sindicato dos Metroviários critica a medida e diz que os terceirizados só vão ficar ali até o dia 5 de outubro, data do primeiro turno das eleições, para evitar possíveis "tumultos". O Metrô nega.

Ao tentar chegar perto do botão e do telefone, que são parte do chamado Sistema de Prevenção de Acidentes em Plataformas (SPAP), o usuário é informado de que não pode passar dos vigias.

Desde a noite de quinta-feira, 25, a reportagem observou seguranças em pé ao lado das cabines em seis estações das Linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-vermelha.

Eles pertencem a duas empresas particulares, a G4S Vanguarda e a Açoforte, contratadas pelo Metrô.

O valor do serviço foi questionado pela reportagem, mas a assessoria de imprensa do Metrô, que é controlado pelo governo do Estado, omitiu essa informação.

No início de fevereiro, os botões do SPAP ganharam destaque na mídia pois três deles foram os responsáveis pela paralisação parcial da Linha 3-Vermelha durante cinco horas, levando caos ao sistema.

O secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse, na época, que o mecanismo foi acionado por pessoas desautorizadas -- ele chegou a chamá-las de "safados".

O próprio governador Geraldo Alckmin (PSDB), que concorre à reeleição, falou em "sabotagem".

Porém, o Estado revelou que os próprios funcionários do Metrô foram os responsáveis pelo acionamento, para evitar choques, já que várias pessoas invadiram os trilhos depois que um trem ficou mais de 20 minutos parado no túnel.

O presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres Júnior, disse nesta sexta-feira, 26, que os botões do SPAP foram feitos para serem acionados em caso de emergência, inclusive por pessoas comuns.

"O botão foi feito para isso, senão não existiria. Se a empresa não quer, então põe um lacre lá, um cadeado, fecha tudo. Mas aí não vai ser um botão de emergência."

Prazeres Júnior afirmou ainda que funcionários do Metrô descobriram que os vigias só vão ficar ao lado dos botões até o fim das eleições.

"Então, só consigo imaginar que o governo está preocupado com o tema das eleições, em si. Se alguém tiver que acionar o botão por um problema de segurança, ele vai ser acionado, porque esse é o correto. A pior hipótese é se alguém cair na via, o funcionário vai apertar e o vigia terceirizado não deixar."

De manhã, a reportagem conversou com três vigias, sem se identificar. Eles disseram que o contrato é temporário (sem informar o prazo) e que sua função exclusiva nas estações é vigiar os botões do SPAP.

Alguns desses seguranças foram vistos ouvindo música em aparelhos MP3.

Outro lado

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Metrô informou que "os vigilantes são alocados em algumas estações do Metrô, de acordo com as necessidades e não do calendário eleitoral".

Além disso, a empresa alegou que as duas empresas de segurança privadas citadas, assim como outras, "já possuem contrato para serviços de vigilância patrimonial em várias instalações do Metrô, como prédios administrativos, pátios de manutenção, estações e terminais urbanos".

O Metrô, contudo, não responde por que os seguranças começaram a ficar do lado dos botões de emergência, vigiando-os.

O Metrô tampouco informou quantos seguranças foram contratados para essa função, assim como o prazo para eles saírem das plataformas.

Por Caio do Vale
Informações: Estadão

Leia também sobre:
READ MORE - Metrô de SP contrata seguranças para botão de emergência

Novo sistema irá monitorar horário e itinerário dos ônibus em Teresina

O itinerário dos ônibus do transporte coletivo em Teresina vai ser monitorado. A medida está prevista na licitação que definiu mudanças nas linhas. O serviço vai ajudar a população que sofre com a perda de tempo nos pontos de ônibus. Segundo a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans), as empresas têm um prazo de 90 dias para implantar o sistema de monitoramento.

De acordo com o despachante Luís Pereira, hoje a ação é feita com um quadro de horário que é dado pela Strans. “Aqui temos um quadro de horário onde diz que horas cada ônibus deve sair para uma nova viagem do terminal, um tempo médio de 90 minutos para algumas linhas, mas isso vai depender de cada linha e percurso”, informou.

O motorista João Melo admitiu é que preciso andar um pouco mais rápido para poder cumprir o horário. “Não podemos perder tempo, pois agora temos que andar de acordo com o que manda as regras, temos que chegar nas horas determinadas. Aqui não podemos parar nem para responder alguma coisa para a população porque perdemos tempo e não podemos”, disse o motorista.

Sandra Santos, auxiliar administrativa, informou que o pior é o tempo que passa esperando o ônibus. “Eu já trabalho o dia inteiro, levo cerca de 15 minutos para do meu trabalho para a parada e ainda tenho que ficar mais de 30 minutos esperando o ônibus para ir para casa, quando não demora muito mais que isso”, disse.

READ MORE - Novo sistema irá monitorar horário e itinerário dos ônibus em Teresina

Marcopolo fornecerá 207 ônibus urbanos para transportadora uruguaia

A CUTCSA (Companhia Uruguaia de Transportes Coletivos), principal empresa do segmento no Uruguai, receberá 207 novos ônibus urbanos da encarroçadora Marcopolo. Serão 203 unidades do modelo Torino e quatro do Ideale 770.

Segundo a Marcopolo, esta é uma das mais importantes vendas realizadas nos últimos anos pela empresa na América do Sul.

Os 203 ônibus Torino utilizam chassi Mercedes-Benz OH 1622L e possuem diferentes configurações internas, com capacidade para transportar de 39 a 41 passageiros. São equipados com elevador na porta traseira, box para cadeirante, preparação para validador e poltronas do modelo urbano.

As quatro unidades do modelo Ideale 770 têm capacidade para 39 passageiros. Com chassi Mercedes-Benz OH 1518 contam com porta dianteira e traseira e preparação para bilhetagem eletrônica.

Com mais de 76 anos de atividades, a CUTCSA possui frota com mais de 1.100 ônibus, utilizados em 100 diferentes linhas intermunicipais e urbanas.

Informações: Transporta Brasil

READ MORE - Marcopolo fornecerá 207 ônibus urbanos para transportadora uruguaia

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960