Monotrilho de SP deve ser entregue no dia 23

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Após inúmeros atrasos, o primeiro sistema de monotrilho da capital paulista deve começar a funcionar no próximo sábado, 23. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 19, pelo secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, que atribuiu a demora a protocolos de segurança necessários para que os trens possam circular. Somente em outubro, mês das eleições, nas quais o governador Geraldo Alckmin (PSDB) é candidato, a linha passará a funcionar todos os dias da semana, em horário comercial.

"A nossa ideia é sexta-feira fechar o assunto para começar a fazer as visitas controladas no sábado e no domingo. O impasse todo está na homologação do trem", explicou Fernandes, após visita à Estação Palmeiras-Barra Funda, na Linha 3-Vermelha, na zona oeste.

Para ser autorizada a rodar com passageiros, disse o dirigente, a composição precisa passar por 300 horas de testes, feitos por engenheiros para aferir os parâmetros técnicos do trem. "Depois dessas 300 horas, vem um termo de segurança. É isso o que a Bombardier (fabricantes das composições) não tem ainda."

Além disso, o secretário afirmou que a operação com passageiros só começará quando as duas vias do monotrilho -- que são suspensas e ficam a cerca de 15 metros do chão -- estiverem prontas. "A via número um teve um curto-circuito um mês atrás. Consertar é rápido, mas aí você tem que fazer o reset do computador."

Quando as Estações Vila Prudente e Oratório do monotrilho passarem a funcionar, estará inaugurada a sexta linha metroviária da capital paulista. O ramal terá a denominação de Linha 15-Prata e ficará integralmente na zona leste da cidade. 

A Companhia do Metropolitano já está administrando a Linha 15 entre as 9h e as 14h, diariamente. No restante do dia, a quem assume o ramal é a empresa Bombardier, para continuação dos ajustes finais. Durante o mês de setembro, o ramal só operará em sábados e domingos, em horários restritos e gratuitamente. "O desconto que estamos dando é que é a primeira vez que rodam um monotrilho desta dimensão."

A gestão Alckmin prometia abrir a Linha 15-Prata no ano passado. O prazo foi adiado para o início de 2014 e, desde então, adiado diversas vezes. A última promessa era entregar o ramal, que no começo terá apenas 2,9 km de extensão, em 26 de julho, o que não se concretizou.

Quando a Linha 15 estiver pronta, terá 26,6 km e 18 estações, ligando a Vila Prudente à Cidade Tiradentes, ambas na zona leste. Ela custará R$ 6,4 bilhões.


Linha 4. Outras duas estações do Metrô devem começar a funcionar ainda este ano, segundo o governo Alckmin. A primeira, Fradique Coutinho, tem previsão de abertura para 25 de setembro, afirmou o secretário Fernandes. A outra é a Oscar Freire, que deve abrir, de acordo com o próprio Alckmin, mais no fim do ano (Fernandes, porém, admitiu que essa parada pode abrir as portas só no início de 2015). Ambas ficam na Linha 4-Amarela.

"Fradique Coutinho está a pleno vapor. Estamos lá com 150 homens só trabalhando na parte de energia e sinalização. A parte de portas de plataformas já está instalada, está andando. É um trabalho de concentração."O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,monotrilho-sera-aberto-este-mes-diz-secretario,1522535.

Informações: Estadão

Leia também sobre:
READ MORE - Monotrilho de SP deve ser entregue no dia 23

Visual novo nos ônibus do Recife e Região Metropolitana

Quem anda de ônibus no Recife certamente já percebeu que alguns coletivos estão circulando na cidade de cara nova. Os veículos, todos brancos, ainda são poucos e não muito diferentes dos que já estavam nas ruas. A mudança, segundo o Grande Recife Consórcio de Transportes, é unicamente visual e faz parte de um teste que pretende, no futuro, padronizar todos os ônibus da Região Metropolitana que não fazem parte do Sistema Estrutural Integrado (SEI). "No edital de licitação das linhas do Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR) estava determinado que os ônibus que não integram o SEI devem ser padronizados. 

Ainda estamos testando as possibilidades, mas provavelmente os coletivos serão predominantemente brancos, com detalhes nas cores que representarão os lotes das empresas que venceram o processo licitatório", explicou o presidente do órgão, Nelson Menezes.

Por ainda estar passando por provas, nem o Grande Recife nem o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE) repassaram quantos ônibus deste tipo estão circulando, tampouco quais linhas atendem. Encontrar quem já os utilizou, no entanto, não é difícil. "Os ônibus são novos, são bonitos, mas insuficientes. Seria bom que tivessem mais coletivos nas ruas, assim eles não andariam tão cheios", disse o militar Odilon Moura, de 53 anos.

Como os veículos em teste são diferentes dos convencionais, muitos usuários acreditam que eles têm ar-condicionado, mas não é o que ocorre. "Neste momento, apenas os BRTs, operados pelas empresas que venceram os lotes 1 e 2 da licitação, são refrigerados. Os consórcios que ganharam os lotes 3, 4, 5, 6 e 7 também deverão disponibilizar ônibus com ar-condicionado, mas apenas os articulados, de linhas ‘troncais’, que são aqueles que trafegam em vias de grande movimento como as Avenidas Norte e Domingos Ferreira, por exemplo", explicou o presidente do Grande Recife.

As empresas que venceram a segunda etapa do processo licitatório das linhas do STPP/RMR devem assinar o contrato no mês de setembro e, a partir daí, terão 90 dias (que poderão ser prorrogados por mais 90) para se adequar às normas. "Em nenhum lugar do Brasil toda a frota de ônibus de uma cidade é refrigerada, mas, a longo prazo, podemos analisar a possibilidade de aumento da quantidade de ônibus com ar-condicionado e pensar em um ajuste contratual com as empresas", afirmou Menezes.

Informações: Jornal do Comércio

READ MORE - Visual novo nos ônibus do Recife e Região Metropolitana

Biometria facial deverá identificar usuários de ônibus em Manaus

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) estuda a possibilidade de implementar um sistema biométrico facial nos ônibus de Manaus. De acordo com a entidade, o equipamento irá identificar os usuários na entrada dos coletivos. O sistema, que ainda não tem previsão para começar a operar, deve contribuir para a redução de fraudes com o uso de cartões.

A assessoria do Sinetram informou que o sistema lê e memoriza dados biométricos do usuário. Caso os dados do usuário não sejam reconhecidos, a catraca é bloqueada, impedindo a passagem.

O Sindicato deve se reunir com a Superintendência Municipal do Transportes Urbanos (SMTU) para definir as datas de cada passo da implementação do sistema. Segundo o Sinetram, o sistema deve aumentar a segurança e excluir as fraudes com a utilização de cartões. "O uso indevido do passe estudantil encarece a tarifa", disse a entidade.

O assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, informou que a implementação do sistema depende do cadastramento dos usuários antigos e dos equipamentos. "Os novos usuários já devem ter os dados gravados no sistema durante o cadastramento, para que quando a biometria facial entrar no ar, nosso trabalho seja facilitado", disse Borges, por meio da assessoria de comunicação.

Segundo o Sinetram, atualmente, mais 370 mil estudantes usam o sistema de bilhetagem em Manaus. A frota do transporte coletivo é de 1,5 mil ônibus.

Informações: G1 AM

READ MORE - Biometria facial deverá identificar usuários de ônibus em Manaus

EPTC descarta mudanças em corredor de ônibus da Avenida Brasil

Duas semanas após a inauguração do corredor de ônibus na Avenida Brasil, na zona norte de Porto Alegre, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) faz uma avaliação positiva da medida. Nesse período, o tempo de viagem para os usuários do transporte coletivo reduziu em até 11 minutos nos finais de tarde. A velocidade dos coletivos nas faixas exclusivas aumentou cinco vezes e passou de 4,5 km/h para 25 km/h nos horários de pico.

Mesmo com os benefícios, os motoristas do transporte individual colecionam reclamações e afirmam que os congestionamentos na região aumentaram. A EPTC, no entanto, garante que não voltará atrás é que os corredores, que valorizam o transporte público, são o futuro da cidade.

A diretora de Transportes da EPTC, Maria Cristina Ladeira, diz que a experiência foi positiva para os usuários do transporte coletivo, já que o corredor une os dois maiores corredores de ônibus a cidade, o da Farrapos e da Assis Brasil. Ela rebate a informação de aumento nos congestionamentos.

"Aquela área sempre foi congestionada. Nos primeiros dias houve maior lentidão, mas agora está como estava antes, com vantagem para os ônibus, que é nosso objetivo", afirma.

A diretora de Transportes também descarta alterações no novo corredor, como mudança de horários de funcionamento ou mudança das paradas de ônibus que permanecem foram da faixa exclusiva. "Só há duas opções: ter o corredor ou não ter o corredor. Nós optamos por manter. Não há terceira opção", reafirma Maria Cristina.

Embora não revele os locais, Maria Cristina Ladeira adianta que outros corredores estão sendo estudados em Porto Alegre. A faixa de ônibus da avenida Brasil foi inaugurado no dia 4 de agosto e atinge diariamente 180 mil usuários de ônibus. Quarenta linhas urbanas trafegam pela faixa exclusiva e outras dez transitam pela  pista comum. 

Por: Évelin Argenta / Foto: Felipe Daroit
Informações: Rádio Gaúcha


READ MORE - EPTC descarta mudanças em corredor de ônibus da Avenida Brasil

BRT MOVE deve passar na avenida Amazonas a partir de 2015

A Prefeitura de Belo Horizonte vai levar o sistema de transporte rápido por ônibus (BRT) para a avenida Amazonas. A implantação está prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), e a prefeitura já solicitou financiamento ao governo federal – a ideia é que o sistema comece a funcionar em 2015. A previsão para a avenida é apenas uma das 62 metas de investimentos para a cidade contidas na LDO.

A assessoria da BHTrans pouco fala sobre o sistema, apenas que ele vem sendo estudado desde o começo do ano, que a verba já foi solicitada e que o projeto ainda está em estágio inicial. Não há sequer nome definido, mas entre os cogitados estão “Move”, como no resto da cidade, e “Expresso Amazonas”.

A dúvida sobre o nome teria relação com a falta de definição sobre os moldes do sistema a ser implantado. A assessoria informou que não se sabe se o novo Move seria em corredor exclusivo de concreto e com estações de transferência, como nas avenidas Antônio Carlos, Pedro I e Cristiano Machado.

Na avaliação de Osias Batista, consultor em transporte e trânsito, a Amazonas precisa de uma solução drástica para dar desempenho ao transporte coletivo, já que as faixas preferenciais não funcionam mais. “O ideal é implantar a mesma tecnologia dos demais corredores para ter uma ligação de um sistema único, o Move. Mas lá a prefeitura pode fazer estações mais finas (no centro da pista) nos trechos que têm duas faixas de ônibus, e reduzir o espaço dos carros. Não tem saída, o transporte público precisa ser atrativo e o corredor Oeste da cidade está desprivilegiado”.

Quando o BRT foi planejado, há quatro anos, a primeira opção era usar a Amazonas, mas, com a avaliação de que o impacto na mobilidade do centro seria muito grande, foi feita a opção apenas pelas avenidas Paraná e Santos Dumont. A BHTrans não informou se esse corredor será usado ou se o novo projeto para a Amazonas seria uma evolução da ideia anterior.Hoje, passam pela Amazonas 193 linhas de ônibus – 41 municipais e 98 metropolitanas.

Integração de ônibus. Outra meta para a mobilidade urbana é a implantação do cartão metropolitano de transporte coletivo. Segundo a BHTrans, a meta foi estabelecida porque os sistemas de controle dos cartões BHBus e Ótimo são diferentes e há a necessidade de uma adequação para que possa existir a integração.

No Move, não há integração tarifária nem física, cada serviço tem uma estação ao longo dos corredores. Apenas a capital, Nova Lima, Betim e Sabará possuem bilhetagens diferentes; as demais 30 cidades da região metropolitana utilizam o cartão Ótimo. “As conversações entre os gestores dos sistemas foram iniciadas”, informou a autarquia.

Pampulha

Lagoa. Uma das metas da LDO 2014 era a limpeza da lagoa. Conforme a prefeitura, foram retirados 550 mil m³ de sedimentos, e a previsão de conclusão está mantida para o fim deste ano.

Saiba mais
LDO. A Lei de Diretrizes Orçamentárias foi sancionada em julho pelo prefeito e vai orientar as ações do município. No próximo mês, o Executivo enviará para a Câmara Municipal o projeto do orçamento, que já traz a previsão de recursos a serem gastos nas metas da LDO.

Análise. Especialistas ressaltam a importância de a população conhecer o orçamento antes de ele virar lei, para discutir as propostas. Audiências públicas serão realizadas pela Câmara, entre outubro e dezembro.

Por: JOANA SUAREZ
Informações: O Tempo

READ MORE - BRT MOVE deve passar na avenida Amazonas a partir de 2015

Terminal em São Bernardo concluído permanece fechado

Mesmo depois de ter as obras concluídas, o terminal de ônibus do Riacho Grande, em São Bernardo, segue inutilizado. A reconstrução da estação – desativada em abril de 2011 após acidente com caminhão – deveria ter sido finalizada em 2012. Apesar de o equipamento estar pronto, a Prefeitura ainda não definiu data para a inauguração. Sem a abertura do terminal, passageiros da região têm de se espremer em dois abrigos improvisados na Rua Antônio Caputo.

A equipe do Diário esteve no local na tarde de ontem e constatou que o terminal está em condições de funcionamento, inclusive com sinalização e 30 assentos disponíveis. São duas plataformas, sendo uma com quatro linhas em direção a bairros centrais da cidade e outra para os seis itinerários com destino a lugares nas proximidades, como Parque Estoril, Cocaia e Capelinha. Sem funcionar, a estação foi transformada em estacionamento para moradores e comerciantes do entorno.

Apesar da demora para a finalização, os usuários do sistema municipal de Transportes elogiam a construção do terminal. Mesmo assim, passageiros temem que, após a inauguração, haja mudanças nos itinerários das linhas que atendem os bairros da região. “Estão dizendo que, ao chegar no Riacho, teremos de descer do ônibus e fazer baldeação aqui. Tenho medo que isso prejudique a integração”, reclama o açougueiro Luís Cláudio Veríssimo Silva, 30 anos. Com o Cartão Legal, é possível utilizar, em dias úteis, três linhas municipais em 90 minutos, pagando apenas uma tarifa de R$ 3. Passageiros que não possuírem o bilhete eletrônico terão de desembolsar outra passagem.

Já o padeiro Erinaldo Aparecido Leite, 40, considera que a estação será benéfica para o bairro. “Haverá mais conforto, pois, nesses pontos de ônibus, a gente toma mais chuva embaixo deles que fora”, ironiza. Por outro lado, ele salienta que seria importante se o terminal também fosse atendido por linhas com destino a outros municípios, principalmente à Capital. “Os ônibus intermunicipais que passam por aqui só vão para Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Muita gente que mora aqui trabalha em São Paulo e, com isso, tem de descer no Centro de São Bernardo para fazer baldeação”, lamenta.

A Prefeitura informa que o terminal, que recebeu o nome de Tereza Suster, está em fase final de acabamento e que, “no momento, estão sendo feitas reuniões com a população para divulgação do esquema operacional de transporte coletivo, que contará com integração e seccionamento de algumas linhas”.

Por: Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC
Leia também sobre:
READ MORE - Terminal em São Bernardo concluído permanece fechado

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960