BRT de Belo Horizonte faz 5 meses bem avaliado, mas reclamações aumentam

domingo, 10 de agosto de 2014

O Move de Belo Horizonte completa nesta sexta cinco meses bem avaliado pelos usuários, mas com um número crescente de reclamações. Dos entrevistados, 52% fizeram uma avaliação positiva, 31%, negativa, e 17%, regular (veja os dados e entenda o levantamento no quadro abaixo). No primeiro dia de funcionamento do Move, a mesma enquete foi feita, com o mesmo número de usuários: 77% das avaliações foram positivas, 8% foram negativas e 15%, regulares.

A estrutura dos veículos e o conforto são os itens mais apreciados por quem usa o serviço – assim como na enquete feita na estreia. Nos dois levantamentos, o tempo de espera nas estações foi o ponto mais criticado. No início, a falta de informações era também um problema. No quinto mês de funcionamento, figuram como pontos negativos as longas filas e a baldeação.

Atualmente. As opiniões dos usuários variam de acordo com a estação. No centro, onde não há mais obras e não existem linhas alimentadoras (que ligam os bairros às estações de integração), as impressões são mais positivas. Já nas estações Pampulha e São Gabriel, os problemas aparecem mais, principalmente de quem vem dos bairros. Com a troca de ônibus, os usuários dizem que o tempo gasto é maior que antigamente.

“Antes eu demorava cerca de 45 minutos do centro até em casa. Agora, eu demoro uma hora e 20 minutos. O maior problema desse sistema são as linhas alimentadoras. As pessoas correm feito loucas para tentar ficar na frente e entrar antes no ônibus. Esse Move dificultou a vida de todos”, contou a doméstica Maria da Conceição, 42, que mora na região Norte de Belo Horizonte.

Estrutura. O sistema já conta com cinco estações de integração (Vilarinho, São Gabriel, José Cândido da Silveira, Venda Nova e Pampulha), 35 estações de transferência ao longo do trajeto e mais seis no centro. Segundo a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), 333 veículos operam em toda a capital. Haverá a implantação de novos trechos, mas a autarquia ainda não divulga detalhes.

A BHTrans informou, em nota, que os principais ganhos dos usuários foram no conforto, no tempo de viagem e nas novas possibilidades de integração sem pagar outras passagens. A autarquia disse ainda que há um acompanhamento contínuo da operação e que novas mudanças podem ser feitas.

Por Bárbara Ferreira
Informações: O Tempo

READ MORE - BRT de Belo Horizonte faz 5 meses bem avaliado, mas reclamações aumentam

No Recife, Corredor Leste/Oeste ganha mais duas estações

A linha BRT 2450 – Camaragibe (Centro), ganhará, a partir da próxima segunda-feira (11), mais duas opções de embarque e desembarque no corredor Leste/Oeste. 
Foto: Roberta Soares
A estação Zumbi, segunda estação da Av. Caxangá no sentido cidade/subúrbio, e a estação Parque do Cordeiro, situada próximo ao Parque de Exposição do Cordeiro, entrarão em funcionamento, totalizando dez estações no corredor. 

Atualmente a linha 2450 circula de domingo a domingo das 4h30 às 22h com 20 veículos realizando 124 viagens com embarque e desembarque nas estações: Capibaribe, BR-101, Caiara, Parque do Cordeiro, Forte do Arraial, Getúlio Vargas, Zumbi, Abolição, Derby e Guararapes.

Com as novas estações, a expectativa é atender mais 1.200 passageiros.

Informações: GRCT


READ MORE - No Recife, Corredor Leste/Oeste ganha mais duas estações

Obras do VLT de Fortaleza deverão ser retomadas até setembro

As obras do ramal Parangaba-Mucuripe do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) deverão ser retomadas até setembro. O governador Cid Gomes afirmou ontem em seu Facebook, ao ser questionado por um internauta sobre previsão para retorno da construção, que a nova licitação está marcada para segunda-feira, às 15 horas.

A Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra) explicou que nesta data serão apresentadas as propostas para a licitação do tipo menor preço, método pelo qual vence a empresa que apresentar o lance de menor valor global entre os concorrentes. Equipamento está com 50% das obras concluídas e era uma das obras de melhoria urbana previstas para a Copa 2014.

A contratação será mediante Regime Diferenciado de Contratações (RDC - Lei 12.462). Conforme a Seinfra, as empresas, para basear seus preços, receberam “planilhas de quantitativos, cronograma físico-financeiro, projetos da obra e especificações técnicas”. Depois de apresentadas as propostas comerciais, a pasta vai analisar se a empresa e/ou consórcio tem capacidade para cumprir o contrato - é a fase de habilitação técnica. Se a escolhida for considerada inabilitada, será vista a proposta subsequente.

Esse processo deve seguir até o fim de agosto ou início de setembro, segundo informou a Seinfra por meio de sua assessoria. Os serviços devem estar prontos em 18 meses a partir da assinatura da Ordem de Serviços, conforme o órgão.

A obra deverá ser retomada primeiramente no trecho entre a Parangaba e a estação rodoviária, na avenida Borges de Melo, “onde os trabalhos estão mais avançados”. Sobre desapropriações, a Seinfra comunicou que existe uma “pequena demanda” a ser efetuada, mas avalia que não vai gerar impedimento para o andamento normal do processo.

Mudanças de prazo

Após a rescisão contratual entre o Governo do Estado e o consórcio CPEVLT devido aos atrasos do prazo estipulado, a Seinfra decidiu adotar o RDC para terminar a obra. Em junho, O POVO noticiou que o processo licitatório seria realizado em julho. Também neste mês as obras seriam retomadas, prazos que não foram cumpridos.

Com investimentos de R$ 276,9 milhões, o Projeto VLT Parangaba-Mucuripe consiste em um sistema de transporte ferroviário de 12,7km - 11,3 km em superfície e 1,4 km em elevado - que ligará a região hoteleira à Linha Sul do Metrô de Fortaleza, gerando conexão ao entorno da Arena Castelão. Serão contemplados 22 bairros e a expectativa é atender 100 mil pessoas por dia.

Por Viviane Sobral
Informações: O Povo

READ MORE - Obras do VLT de Fortaleza deverão ser retomadas até setembro

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960