Volvo vende mais 155 ônibus para a Colômbia

sexta-feira, 18 de julho de 2014

O sistema de transporte público BRT Transmilênio de Bogotá, capital da Colômbia, terá mais 155 ônibus Volvo, dos quais serão 72 articulados e os demais 83 biarticulados, avaliados em US$ 28 milhões. Os veículos fazem parte do planejamento da cidade em ampliar os corredores do Sistema Integrado de Transporte Público (Sitp) com a abertura de cinco novas estações de embarque e desembarque e a extensão do sistema para outras cidades da região metropolitana.

“Um sistema de transporte urbano de qualidade é prioridade para os gestores públicos de Bogotá. Além de decidirem colocar em circulação veículos mais amigáveis com o meio ambiente, como os nossos híbridos, há um planejamento para a expansão dos corredores do BRT da cidade”, afirma Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Bus Latin America. 

Adquiridos pelo Consórcio Express (60 biarticulados e 52 articulados) e pela Gmovil (23 biarticulados e 20 articulados), os veículos articulados têm 18,5 metros de comprimento e capacidade para 160 passageiros, enquanto os biarticulados têm 27 metros e transportam 250 passageiros. Eles são equipados com caixa de transmissão automática, freio a disco e EBS, sistema de controle eletrônico de estabilidade. 

“A alta capacidade de transporte dos veículos garante mais eficiência e qualidade ao sistema, reduz o custo por passageiro transportado e diminui a emissão de poluentes”, destaca Alexandre Selski, gerente de ônibus da Volvo Bus Latin América na Colômbia. 

Os ônibus também trazem o controle de aceleração inteligente, tecnologia que permite reduzir o consumo de combustível ao utilizar somente a potência necessária durante arranques e retomadas de velocidade.

Informações: automotivebusiness.com.br
READ MORE - Volvo vende mais 155 ônibus para a Colômbia

Bilhete único nos ônibus de Salvador será válido por 3 horas

Após a finalização do processo de licitação do transporte coletivo em Salvador, a população vai poder contar com a terceira etapa do programa Bilhete Único, que possibilita aos cidadãos pagar apenas o valor de uma passagem ao utilizar dois ônibus em um intervalo de tempo.

Com o novo sistema de transporte, o tempo para utilização do benefício será ampliado de duas para três horas, resultando assim em maior economia e melhor locomoção dos usuários pela cidade.

De acordo com o subsecretário municipal de Urbanismo e Transportes (Semut), Orlando Santos, a medida só será possível após a reformulação geral do sistema de transporte coletivo, previsto na licitação.
“A ampliação do benefício de duas para três horas tem um impacto grande, pois aumenta o número de viagens e reduz a arrecadação. Para evitar essa perda, é necessário que o sistema atual, que é extremamente defasado, seja racionalizado tanto nas linhas, como nos trajetos e tempo de viagem. Essa racionalização é uma das exigências presentes no edital de licitação, que prevê ainda a integração com outros modais, a exemplo do metrô”, explica.

Balanço
Os programas Bilhete Único e Domingo é Meia, implantados pela Prefeitura em 2013, totalizaram mais de 25 milhões e 54 milhões de passagens, respectivamente. Os dois projetos, coordenados pela Semut, visam reduzir os custos com transporte dos usuários do sistema e já trouxeram muitas mudanças desde a implantação.

O benefício do Bilhete Único foi implantado em duas etapas. A primeira contemplou quem se desloca de uma das regiões da cidade para outra: Subúrbio, Orla, Itapagipe e Centro. Quem precisava passar de uma região para outra pagava R$2,80 ao pegar dois ônibus no intervalo de duas horas.

Na segunda etapa, em vigor atualmente, os usuários passam a pagar uma única tarifa de R$2,80 ao pegar dois ônibus independentemente da região, dentro de um período de duas horas. A medida vale para quem utiliza o Salvador Card, que corresponde aos cartões para estudantes, trabalhadores que recebem vale-transporte e proprietários do cartão para bilhete avulso. 

A terceira etapa, que amplia o intervalo de tempo do benefício de duas para três horas, será implantada após a conclusão da licitação do transporte coletivo, no prazo máximo de um ano. A partir do programa, o número de viagens de integração já passou para três milhões por mês, com tarifa zero na segunda passagem no intervalo de duas horas.

Já o Domingo é Meia, que também aceita pagamento em dinheiro, foi implantado em março de 2013 com expectativa de beneficiar 450 mil usuários do transporte coletivo. Nesse caso, usuários do cartão avulso e aqueles que utilizam dinheiro passaram a pagar, aos domingos, apenas R$1,40 pela passagem. Ou seja, uma economia de 50% em comparação com o valor da tarifa convencional.

READ MORE - Bilhete único nos ônibus de Salvador será válido por 3 horas

No Dist. Federal, Acordo entre governo e as empresas põe fim a greve de ônibus

As empresas de ônibus Marechal, São José e Pioneira entraram em acordo com o GDF e decidiram que vão pagar o reajuste de 20% aos rodoviários para pôr fim à greve da categoria.

Segundo o Sindicato dos Rodoviários do DF, os trabalhadores devem voltar ao serviço às 4h desta sexta-feira (18).

De acordo com as empresas, o pagamento dos 20% de reajuste será pago ao longo do dia. A decisão foi tomada após reunião no Palácio do Buriti.

Segundo o sindicato, o GDF vai se reunir com o departamento jurídico da organização até o dia 25 deste mês para redigir o texto do acordo coletivo, que prevê ainda reajuste de 20% no tíquete-alimentação e 40% na cesta básica.

A paralisação teve início na última terça-feira (15), data em que o reajuste deveria ter sido pago, segundo o sindicato. A organização informou que o aumento beneficia 11 mil trabalhadores.

A greve afetou regiões como Ceilândia, Samambaia, Recanto das Emas, Gama, Santa Maria, São Sebastião e Paranoá. Ao todo, 320 mil pessoas ficaram sem transporte, segundo o DFTrans.

As empresas em greve são responsáveis por três das cinco bacias do sistema de transporte coletivo. A falta de ônibus atinge 15 das 30 regiões do DF, e há 1,6 mil coletivos a menos rodando na cidade. As cooperativas Riacho Grande e a Cootarde, que também foram afetadas pela greve, fizeram o repasse nesta quarta (16).

Volta para casa
Nesta quinta-feira, a volta para casa teve trânsito lento, empurra-empurra para entrar em ônibus piratas na Rodoviária do Plano Piloto e filas na estação Central do metrô. Em Ceilândia, as paradas de ônibus estavam cheias de passageiros por volta das 19h. Algumas pessoas esperavam pela condução na própria pista. Houve quem recorresse a micro-ônibus e a veículos piratas.

Como muitos passageiros preferiram ir para o trabalho de carro, as principais vias da área central de Brasília estavam com congestionamento desde o fim da tarde.

Audiência de conciliação
Nesta quinta-feira (17), o desembargador André Damasceno, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), negou liminar requerida pelas empresas pedindo que fosse determinada a imediata suspensão da greve. Para as empresas, a paralisação foi ilegal. Em sua decisão, Damasceno argumentou para negar a liminar que a greve não é geral e que foi motivada pelo não pagamento de salários.

Uma audiência de conciliação entre representantes do Sindicato dos Rodoviários e das empresas de ônibus Pioneira, Marechal e São José chegou a ser agendada para esta sexta.

Outra paralisação
No último dia 4 de julho, funcionários da Viação Piracicabana, responsável por uma das cinco bacias do transporte público no DF, também cruzaram os braços para protestar contra a falta de pagamento do reajuste salarial de 20%. Com isso, 417 ônibus pararam de atender moradores de Sobradinho, Cruzeiro, Sudoeste, Planaltina e Asa Sul. A empresa atende 201 mil pessoas por dia.

O pagamento aos funcionários é feito sempre nos dias 5 de cada mês, mas, de acordo com o Sindicato dos Rodoviários, o de julho havia sido antecipado. “A categoria acreditou que receberia com reajuste, como combinado, mas isso não aconteceu. Enquanto não resolverem, não voltamos a rodar”, disse o diretor de imprensa da organização, João Jesus de Oliveira.

No mesmo dia, motoristas e cobradores da Pioneira, que atende passageiros da bacia 2, cruzaram os braços. O lote é composto pelas regiões do Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, Jardim Botânico, e parte do Park Way.

Bacias de transporte público
O sistema de transporte público do DF foi dividido em cinco bacias. A primeira delas é de responsabilidade da Viação Piracicabana e atende o Plano Piloto, Sobradinho, Planaltina, Cruzeiro, Sobradinho II, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Varjão e Fercal.

A bacia 2 conta com 640 ônibus e atende Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, Jardim Botânico, Itapoã e parte do Park Way. A bacia 3 tem uma frota de 483 ônibus e atende Núcleo Bandeirante, Samambaia, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e Riacho Fundo II.

A  bacia 4 conta com 464 veículos, que atendem parte de Taguatinga, Ceilândia, Guará, Águas Claras e parte do Park Way. A bacia 5 é responsável por Brazlândia, Ceilândia, SIA, SCIA, Vicente Pires e parte de Taguatinga e terá 576 coletivos.

Informações: G1 DF

READ MORE - No Dist. Federal, Acordo entre governo e as empresas põe fim a greve de ônibus

Setuf apresenta nova campanha de sistema de reconhecimento facial

A PalavraCom assina a campanha do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Florianópolis (Setuf), que apresenta o sistema de reconhecimento facial, de combate ao uso indevido dos cartões com desconto no transporte coletivo da capital.

Com o mote ‘Mofas tentando dar um migué na passagem’, o publicitário Fernando Pascale criou spot, jingle, cartaz, banner, testeiras e busdoor. A produção das peças de rádio é o do estúdio Áudio Br e as fotos do material impresso ficaram sob a responsabilidade de Cezar Motta, com aprovação na agência de Carlos Stegemann e atendimento de Henrique Berg.

O sistema é composto por câmeras que fotografam os passageiros que utilizarem cartões com desconto – parcial (estudantes) ou total (idosos, portadores de necessidades especiais, oficiais de justiça, funcionários dos Correios a trabalho, fiscais da Delegacia Regional do Trabalho etc.).

As fotos tiradas nas catracas são comparadas com aquelas dos cadastros. Constatado o uso indevido, o cartão é cancelado e a pessoa perde os créditos. A segunda via custará 20 vezes o valor da tarifa. Sistemas semelhantes já estão em funcionamento nas cidades de Limeira (SP), Uberlândia (MG), Porto Alegre (RS) e Caruaru (PE).

Informações: Floripa News

READ MORE - Setuf apresenta nova campanha de sistema de reconhecimento facial

Tarifa de ônibus de João Pessoa poderá subir de R$ 2,20 para R$ 2,36

A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa (AETC-JP) protocolou junto à Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) o pedido de reajuste de tarifa de ônibus. Conforme o diretor a AETC-JP, Mário Tourinho, no documento não consta uma sugestão de valor para a passagem de ônibus, mas para haver viabilidade econômica, a quantia deve ser, no mínimo, de R$ 2,36, o que corresponde a um aumento de 7,27% sobre os atuais R$ 2,20. 

Por uma questão de legislação federal, o serviço de concessão de transporte público deve ser reajustado anualmente. Então, não há possibilidade de manutenção dos R$ 2,20.

Conforme Mário Tourinho, a AETC-JP não sugeriu à Semob um novo valor de tarifa. “Nós enviamos os dados dos nossos custos, mas quem vai organizar as planilhas e definir o novo valor é a Semob, com base nos reajustes salariais, aquisição e manutenção dos veículos e custo do óleo diesel”, explicou ele.

A assessoria de imprensa da Semob afirmou que o assunto só pode ser resolvido com o próprio superintendente, para saber sobre um possível prazo de avaliação das propostas e definição do novo valor da tarifa.

READ MORE - Tarifa de ônibus de João Pessoa poderá subir de R$ 2,20 para R$ 2,36

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960