Metrô inaugura estação Adolfo Pinheiro, da Linha 5-Lilás

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Nesta quarta-feira, 12, foi inaugurada a estação Adolfo Pinheiro, da Linha 5-Lilás do Metrô. A nova estação metroviária deve receber cerca de 14 mil passageiros diariamente. Nesta fase inicial, funcionará gratuitamente de segunda a sexta-feira, entre 10h e 15h, até a estação Largo Treze.

"Hoje nós estamos entregando mais uma estação de Metrô, a 65ª estação [de São Paulo] aqui na Linha 5-Lilás. Uma estação com toda sustentabilidade, totalmente iluminada, a mais moderna das estações de Metrô", disse o governador Geraldo Alckmin, que destacou a segurança conferida à população por meio da porta plataforma.

Implantada sob o viário da Avenida Adolfo Pinheiro, a nova estação acrescenta 1,2 km de trilhos para a Linha 5-Lilás. "Esta é uma linha de superfície, ela é suspensa, não é enterrada", explicou Alckmin. A estação é a primeira a ser entregue de dez que estão sendo construídas simultaneamente. "Serão ao todo 12,8 km de extensão e já estamos fazendo o projeto para licitar no sentido Jardim Ângela para chegar até Chácara Klabin", disse.

A nova parada conta com dois acessos, bilheterias blindadas, quatro elevadores especiais, doze escadas rolantes inteligentes (que economizam energia porque funcionam em velocidade reduzida quando não há usuários nelas), piso tátil para deficientes visuais e portas de plataforma, que dificultam as quedas de objetos na via.

Durante o período de visitação da nova estação, o Metrô vai liberar o trecho da Avenida Adolfo Pinheiro - localizado entre as ruas Isabel Schmidt e Padre José de Anchieta - para a circulação de pessoas e veículos. A quadra teve o leito viário e as calçadas, além da iluminação, revitalizados durante as obras da estação.

Avanço das obras da Linha 5- Lilás

O Governo está investindo R$ 7,5 bilhões na expansão da Linha 5-Lilás, incluindo a compra de 26 novos trens. As novas estações serão: Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin.

A Linha 5, que atualmente tem conexão com a Linha 9 - Esmeralda da CPTM, contará com conexões na Linha 1- Azul, Linha 2- Verde e Linha 17- Ouro. Prevista para ser concluída em 2016, estima-se que 781 mil passageiros sejam transportados diariamente na linha.

Do Portal do Governo do Estado

Leia também sobre:
READ MORE - Metrô inaugura estação Adolfo Pinheiro, da Linha 5-Lilás

Início do funcionamento do Move é adiado para março

A Prefeitura de Belo Horizonte anunciou na tarde desta quarta-feira que o funcionamento do sistema rápido por ônibus da capital mineira não começa no próximo sábado, como estava previsto. No fim de semana serão iniciados os testes no corredor da Avenida Cristiano Machado, que liga o centro de BH à Estação São Gabriel, mas sem levar passageiros. A operação comercial nesse trecho do BRT vai começar no dia 8 de março. 

O anúncio foi feito durante a coletiva de imprensa da BHTrans, realizada no auditório da Prefeitura nesta tarde, para detalhar como funcionará o Move. A administração municipal informou que os testes da Estação Pampulha irão começar em 15 de março e a operação comercial no trecho terá início em abril. 

Na Estação Vilarinho/Venda Nova os testes começam em 20 de abril e a operação em maio. Com isso, o funcionamento completo do Move só ocorrerá dentro de três meses. 

A Prefeitura também detalhou o número de veículos que fará o transporte de passageiros em cada estação. No São Gabriel, serão 136 ônibus, na Pampulha, 181 e Venda Nova / Vilarinho, 98. 

Conforme adiantou o Estado de Minas na edição desta quarta-feira, os primeiros ônibus articulados e simples (padron) do Move que irão rodar nos corredores exclusivos das avenidas Cristiano Machado, Santos Dumont e Paraná (com trecho na Avenida Antônio Carlos) serão os das linhas 82 (São Gabriel-hospitais), 83 (São Gabriel-Centro – direta) e 84 (Estação São Gabriel-Lagoinha, via Avenida Antônio Carlos). De acordo com as fontes ouvidas pelo EM, a BHTrans não conseguiu viabilizar a tempo a estreia da linha 80 (Estação São Gabriel-Estação Lagoinha), que deverá ser implantada após a inauguração, em um trajeto controverso, por se tratar de percurso semelhante ao que hoje é feito pelo metrô ao custo de R$ 1,80, contra os R$ 2,65 do Move. Todos os ônibus desses trajeto são de linhas chamadas troncais. Os veículos que levam passageiros dos bairros para as estações, classificados de alimentadores, entram no sistema futuramente, como já era previsto pela BHTrans. 

Quando estiver completo, o ramal da Avenida Cristiano Machado, que marca o início do Move, vai receber 10 linhas troncais, trafegando nas pistas exclusivas, e 35 alimentadoras, que se comunicam com bairros e estações. 

Quiosques para a compra de passagens 

As estações de transferência localizadas nas avenidas Paraná e Santos Dumont não vão contar com bilheteria. Serão instalados quiosques em esquinas próximas ao local para os passageiros comprar ou recarregar o cartão BHBus ou comprar o cartão unitário. Veja abaixo onde ficarão as cabines. 

Rua Rio de Janeiro com Avenida Santos Dumont 
Rua São Paulo com Avenida Santos Dumont 
Rua dos Tupinambás com Avenida Paraná
Rua dos Carijós com Avenida Paraná

Informações: Estado de Minas

READ MORE - Início do funcionamento do Move é adiado para março

No Recife, Construção das estações de BRT da Av. Conde da Boa Vista chega a 2ª etapa

A construção das estações de BRT da Av. Conde da Boa Vista está a todo vapor. A avenida, que integrará o corredor exclusivo de ônibus Leste/Oeste, receberá as obras da segunda estação no próximo sábado (15). Os usuários das linhas que trafegam pela Conde da Boa Vista devem ficar atentos as mudanças de parada no local. 

As plataformas, que são compostas sempre por duas paradas, terão uma delas desativada. As linhas, que paravam na estação que receberá as obras, passarão a utilizar a parada seguinte, na mesma plataforma, evitando que o usuário se desloque para pegar o ônibus. O trecho em obras contemplam duas plataformas, nos dois sentidos da via, compreendidas entre a Rua José de Alencar e a Rua das Ninfas. 

No sentido subúrbio/cidade, os usuários que utilizam a parada nº 180319, localizada em frente a Rua das Ninfas, passarão a realizar embarque e desembarque na parada de nº 180320, também localizada em frente a Rua das Ninfas. Já no sentido cidade/subúrbio, as linhas da parada nº180306, situada em frente à Caixa Econômica Federal, passarão a utilizar a parada nº 180307, em frente a Escola Metropolitana. 

Lembramos que as linhas mudarão de parada, mas continuarão a atender as mesmas plataformas. 

Confira abaixo as linhas que sofrerão mudanças e as paradas que serão desativadas provisoriamente: 

Sentido subúrbio/cidade 

As linhas abaixo atendiam a parada nº 180319, em frente a Rua das Ninfas. 
312 – Mustardinha 
315 – Bongi 
331 - Totó (Jardim Planalto) 
332 - Totó (Abdias de Carvalho) 
341 - Curado I 
346 - TI TIP/ Conde da Boa Vista 
416 - Roda de Fogo 
421 – Torrões 
423 - Engenho do Meio 
431 - Cidade Universitária (TRT) 
446 – UR-07 
448 - Jardim Petrópolis 
459 - Loteamento Santos Cosme Damião 
511 - Alto do Mandu 
516 - Casa Amarela ( Nova Torre) 
521 - Alto santa Isabel 
524 - Sítio dos Pintos (Dois Irmãos) 
531 – Casa Amarela (Rosa e Silva) 
624 - Brejo 
644 - Largo do Maracanã 
721 - Água Fria 
726 - Alto Santa Terezinha (Cde. da Boa Vista) 
811 - Campo Grande 
977 – Paulista (Cde. da Boa Vista) 


Sentido cidade/subúrbio 

As linhas abaixo atendiam a parada nº 180306, em frente a Caixa Econômica Federal. 

014 - Brasília (Cde. da Boa Vista) 
032 - Setúbal (Cde. da Boa Vista) 
042 - Aeroporto (Opcional) 
061 – Piedade 
071 – Candeias 
100 - Circular (Cde. da Boa Vista) 
101 - Circular (Cde. da Boa Vista/ Rua do Sol) 
243 - Vila dois Carneiros 
313 - San Martin (A.de Carvalho) 
321 - Jardim São Paulo(A. de Carvalho) 
324 - Jardim São Paulo (Piracicaba) 
413 - Avenida do Forte 
414 – Torre 
415 - Sítio das Palmeiras 
422 - Monsenhor Fabrício 
425 - Barbalho (Via Detran) 
432 - Cdu (Várzea) 
433 – Brasilit 
437 - Caxangá (Cde. da Boa Vista) 
442 - Jardim Primavera (V. Pedreiras) 
445 – Tabatinga 
450 - Camaragibe (Cde. da Boa Vista)

Informações: GRCT

READ MORE - No Recife, Construção das estações de BRT da Av. Conde da Boa Vista chega a 2ª etapa

CET testa faixa reversível exclusiva para ônibus no Eixo Vitor Manzini/Ponte do Socorro/Guarapiranga

Como parte da Operação dá Licença para o Ônibus, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) testará uma faixa reversível para coletivos com 2,7 km de extensão, na pista sentido centro, do eixo formado pela avenida Vitor Manzini, ponte Santo Dias da Silva (ponte do Socorro) e avenida Guarapiranga.

A operação será realizada das 16h às 20 horas, de segunda a sexta-feira rumo bairro. A faixa reversível será operada dentro do corredor de ônibus. Ela se inicia na avenida Vitor Manzini, na altura da rua Bruges, prosseguindo pela ponte do Socorro e terminando na avenida Guarapiranga com a Estrada do M´Boi Mirim.

Ao longo deste trecho, o fluxo da faixa será invertido, deixando de operar rumo ao Centro e dando preferência aos ônibus seguirem em direção ao bairro.

Já a faixa exclusiva de ônibus na avenida Guarapiranga, sentido bairro, entre o largo do Socorro e rua Frederico Grotte, será destinada para o tráfego geral. A  via passará de duas para três faixas de rolamento.

Alternativa
Enquanto a reversível estiver ativa, para acesso ao shopping Fiesta, os veículos vindos da avenida Guarapiranga, sentido Centro, deverão acessar as ruas André Leão, Santa Teresinha e Ptolomeu, acessando a avenida Guarapiranga no sentido bairro.

Informações: R7.com

Leia também sobre:
READ MORE - CET testa faixa reversível exclusiva para ônibus no Eixo Vitor Manzini/Ponte do Socorro/Guarapiranga

Em Salvador, Linhas de ônibus entre Lapa e Barra começam a operar domingo

Três linhas circulares criadas pela Prefeitura de Salvador passam a operar com destino ao bairro da Barra saindo da Estação da Lapa, a partir deste domingo, 16, informou a Prefeitura. Na estação de transbordo, o usuário irá descer e escolher, sem pagar nova passagem, a melhor maneira de chegar à Barra, podendo optar entre três trajetos diferentes. Nessa mesma data, nove linhas que partem de Cajazeiras, Boca da Mata e Fazenda Grande deixarão de seguir para a Barra, fazendo ponto final na Lapa.
Foto: Mila Cordeiro
Segundo a prefeitura a medida faz parte da reestruturação do sistema de transporte coletivo da capital baiana, havia sido suspensa pelo prefeito ACM Neto para possibilitar ampla divulgação das mudanças à população.

As novas linhas passam a abranger também a região de Ondina e Avenida Garibaldi, aumentando as opções de transporte dos moradores de Cajazeiras, Boca da Mata e Fazenda Grande.

Para fazer a integração, o usuário terá que utilizar o Salvador Card Avulso ou o vale-transporte eletrônico, no prazo de duas horas. O transbordo da linha convencional para o ônibus circular será feito no subsolo da estação da Lapa, migrando da Plataforma A, onde atualmente param as linhas convencionais, para a Plataforma B. Os ônibus Lapa-Barra passarão nos pontos 31, 32 e 33.

A integração poderá ser feita através das seguintes linhas circulares:
O circular LB1 (Lapa -Chame-Chame) sairá da Lapa, passando pela Rótula dos Barris, Av. Centenário, passarela do Chame-Chame, pegando o retorno da Centenário, seguindo até a Rótula do Barris para acessar o ponto 36 da Plataforma B, no subsolo da Lapa.

A linha LB2 (Lapa - Barra Avenida/Barra) partirá da Lapa, seguindo pelo Politeama, Campo Grande, Vale do Canela, Ladeira da Gabriel, pegando as avenidas Princesa Leopoldina e Princesa Isabel, acessando o Porto da Barra e seguindo pela Avenida Sete de Setembro, Rua Marques de Leão, Rua Marquês de Caravelas, Rua Alameda Antunes, retornando pela Av. Princesa Isabel, Vale do Canela, viaduto do Campo Grande, Politeama e Rótula dos Barris, fazendo ponto final no ponto 35 da Plataforma B, no subsolo da Lapa.

O LB3 (Lapa -Garibaldi-Ondina) irá circular pela Rótula dos Barris, Av. Vasco da Gama, Av. Garibaldi, Av. Ademar de Barros, Av. Oceânica, Rua Baependi, Rua Oswaldo Ribeiro, pegando novamente a Av. Ademar de Barros, passando pela Av. Garibaldi, fazendo o retorno na altura do Hospital Jorge Valente, trafegando pela Av. Garibaldi e Av. Vasco da Gama, chegando no ponto 34 da Plataforma B, no subsolo da Lapa.

Linhas convencionais que passarão a ter a Lapa como destino:
CÓDIGO                                                  LINHA                                                                  EMPRESA
 
1418                                    CAJAZEIRA 7/6-LAPA/BARRA                                      SÃO CRISTÓVÃO
1426                                      CAJAZEIRA 8-LAPA/BARRA                                       SÃO CRISTÓVÃO
1427                                     CAJAZEIRA 10-LAPA/BARRA                                             TRANSOL
1428                                     CAJAZEIRA 11-LAPA/BARRA                                               CAPITAL
1429                              FAZENDA GRANDE 1/2-LAPA/BARRA                                     TRANSOL
1430                              FAZENDA GRANDE 2/3-LAPA/BARRA                     EXPRESSO VITÓRIA BAHIA
1431                                    BOCA DA MATA-LAPA/BARRA                                            BARRAMAR
1443                               FAZENDA GRANDE 4-LAPA/BARRA                                        CENTRAL
1465                                    CAJAZEIRA 6/7-BARRA/LAPA                                      SÃO CRISTÓVÃO

Informações: A Tarde


READ MORE - Em Salvador, Linhas de ônibus entre Lapa e Barra começam a operar domingo

BRT de Palmas perto de sair do papel

Provavelmente o ministro das cidades, Aguinaldo Velloso Borges Ribeiro (PP), deve estar em Palmas na próxima terça-feira, 18, para a assinatura da ordem de serviço das obras do projeto Bus Rapid Transit (BRT). Procurado pelo Conexão Tocantins, na manhã desta quarta-feira,12, o prefeito Carlos Amastha, informou que a agenda do ministro ainda não está confirmada.

O projeto BRT foi apresentado à sociedade palmense no dia 29 de janeiro em audiência pública. O mesmo é uma iniciativa da Prefeitura de Palmas, através do Instituto Municipal de Planejamento Urbano de Palmas (Impup) em conjunto com a Secretaria de Acessibilidade, Mobilidade e Transporte (Samot). O projeto BRT em Palmas será a instalação de um novo sistema de transporte público, tendo aproximadamente 35 km de corredor expresso para que o palmense tenha mais rapidez ao se locomover pela cidade. O projeto visa à implantação de uma via rápida no canteiro central da Avenida Theotônio Segurado.

Esse projeto gerou um impasse entre o governador do Estado e o prefeito da Capital. Siqueira defende a implantação do Veículo Leve Sobre Trilho (VLT), que por sua vez é um projeto a longo prazo, podendo demorar anos a ser concluído. Carlos Amastha, que implantará o Bus Rapid Transit (BRT), defende a instalação do BRT e será muito mais rápido a ser implantado.

O VLT é um projeto de transporte público que visa beneficiar 16 municípios da Região Metropolitana e pretende utilizar o canteiro central da avenida Theotônio Segurado como eixo de ligação entre as região sul, central e norte. Já o BRT, é um o sistema de transporte que prevê a instalação via rápida destinada ao transporte coletivo, partindo do canteiro central da Avenida Theotônio Segurado, ligando de um lado o setor Santo Amaro e de outro uma bifurcação que divide os caminhos para Taquaralto e Taquari.

Informações: conexaoto.com.br

READ MORE - BRT de Palmas perto de sair do papel

Motoristas que vão guiar ônibus BRT destacam dificuldades após treinamento

Manter a distância máxima de 13 centímetros entre o ônibus e a plataforma, parar os articulados de mais de 18 metros alinhando as portas de embarque e desembarque com os acessos dos terminais e controlar a velocidade para que tudo isso ocorra sem sobressaltos. Esses são procedimentos que estão sendo treinados por motoristas de empresas de coletivos de Belo Horizonte para dar início à operação do transporte rápido por ônibus (BRT) no sábado. Para quem já trabalha com veículos longos há anos, dirigir os novos coletivos é tarefa fácil. 

Complicado mesmo, segundo os profissionais, tem sido lidar com a largura das pistas, estreitas em alguns pontos, e com a proximidade que os veículos passam de pilares que sustentam passarelas de pedestres, onde há risco de acidentes, segundo eles. Outra queixa é sobre a falta de sinalização que indique nas plataformas onde o ônibus deve parar para não ultrapassar as portas da estação. Para o sindicato que representa os trabalhadores, o tempo foi exíguo diante de tantos detalhes que exigem muito treino, como as manobras em vias públicas e paradas nas estações.

Entre todas as recomendações, motoristas em treinamento destacaram nessa terça-feira uma que os preocupa muito: o cuidado com os pedestres. Muitas pessoas ainda cruzam as pistas a pé e mesmo com a promessa de fechamento de quase todo o corredor, os condutores temem que haja brechas para que pedestres cruzem as pistas do Move, como é chamado o BRT da capital.

Na preparação de ontem na Avenida Cristiano Machado, eles foram orientados por instrutores da empresa fabricante do chassi dos veículos ou por motoristas já treinados que passaram a atuar como multiplicadores nas empresas de transportes. O treino foi realizado com cada aluno por cerca de uma hora no trecho entre a estação de metrô São Gabriel e a Rua Jacuí, no Bairro Ipiranga, Região Nordeste da capital. Um dos alunos, Reinaldo Ferreira, de 33 anos, que há 10 anos trabalho no transporte público, fez ressalvas sobre o sistema. “É preciso ter muita atenção ao passar perto das passarelas, porque o veículo é longo e a pista fica mais estreita perto das estruturas. Pode haver risco de acidente”, alerta, referindo-se à travessia elevada em frente ao Minas Shopping. Segundo ele, o problema se repete em vários pontos do corredor Cristiano Machado. “Na Antônio Carlos a situação é diferente. Lá o corredor é mais livre”, considera.

Das orientações do instrutor, Reinaldo destaca a recomendação sobre as pessoas que cruzam o corredor a pé. “O sistema ainda não começou a operar e ainda há muitas passagens para pedestres, que precisam ser mais bem sinalizadas para não haver risco de atropelamento. Temos que ter muito cuidado com isso”, alerta. A sinalização também foi uma queixa do motorista Reginaldo Gomes da Silva, de 50 anos, 18 deles dedicados ao transporte coletivo da capital. Mesmo com experiência como motorista de veículos longos, como carretas e caminhões no passado, Reginaldo teve muita cautela ontem para parar o ônibus articulado em uma das plataformas do Move. “Ainda falta instalar a faixa amarela que demarca o limite até o qual o ônibus vai na plataforma. Por isso estamos olhando o ponto em que as portas se encaixam nos vãos da estação”, explicou.

CORRIDO Para o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Belo Horizonte, as três semanas dedicadas à preparação dos motoristas estão aquém do necessário. “Tem motorista reclamando que o veículo é longo demais para operar com tranquilidade, por causa da largura das vias. Estão tendo dificuldade de virar, já que os corredores não são compatíveis. Parecem que não mediram o espaço certo das vias em todos os pontos”, afirma o sindicalista Denilson Dorneles. Segundo ele, cerca de 100 condutores estão em fase de treinamento. “Ao todo, o número deve chegar a 900 profissionais”, diz Dorneles.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH), a preparação que está sendo feita é apenas o início do treinamento e cada motorista terá o tempo necessário para se aprimorar com o novo sistema.

Possível atraso

Um lote de ônibus articulados com pelo menos 13 unidades pode não chegar a BH a tempo de integrar o sistema Move no prazo previsto, devido a problemas fiscais. Apesar do contratempo que pode afetar os planos da BHtrans em relação à estreia de três linhas troncais, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de BH garante que o cronograma será mantido. O Estado de Minas apurou que sete unidades de articulados foram entregues até o momento. Problemas com prazo já vinham sendo registrados, devido ao fato de as últimas especificações dos veículos terem sido repassados em cima da hora, como noticiou o EM no último mês.

Informações: Estado de Minas

READ MORE - Motoristas que vão guiar ônibus BRT destacam dificuldades após treinamento

Aracaju: Transporte coletivo sem segurança deixa 03 linhas interrompidas parcialmente

Diante da constante onda de assaltos a coletivos da Grande Aracaju, três linhas do transporte serão paralisadas parcialmente na noite desta quarta-feira, 12. A medida tem por finalidade chamar à atenção da Secretaria de Segurança Pública (SSP/SE) para a redução da criminalidade no sistema.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Aracaju (Sintra), Miguel Belarmino da Paixão, as linhas serão paralisadas a partir das 19h desta quarta-feira, 12. São elas: 606 – Parque São José / Centro, 607 – Parque São José / Maracaju e 101 – Maracaju / Centro. As atividades dos 12 coletivos das respectivas linhas serão retomadas às 4h da manhã desta quinta-feira, 13, paralisando novamente às 19h da quinta.

Em entrevista ao Portal Infonet, Miguel não descartou a possibilidade de paralisação parcial de outras linhas do sistema. “Estamos fazendo um levantamento de número de assaltos e há a possibilidade de outras linhas serem paralisadas na próxima semana como as do Parque dos Faróis, conjunto Jardim, Piabeta, Terra Dura e Santa Maria”, relata.

Ocorrências

De acordo com um levantamento promovido pelo Sintra, foram registrados somente este ano, 144 assaltos a coletivos na Grande Aracaju. Nos primeiros 11 dias de fevereiro foram apenas 47 ocorrências. 97 assaltos foram registrados no mês de janeiro. Números que assustam o usuário do transporte e preocupa o Sintra.

“A média hoje são de 4 assaltos diários. O trabalhador [cobrador e motorista] já não quer trabalhar no sistema. Muitos deles tentam mudar sua escala para o dia, mas nem isso impede deles serem vítimas de assaltos. Dos 144 assaltos registrados este ano, 21 ocorreram no período da manhã”, relata Miguel.


Sem solução

“Durante o Pré-Caju tivemos uma reunião com o secretário de segurança pública, João Eloy, e fomos informados que após a prévia carnavalesca eles irião nos apresentar um novo plano de segurança e até agora estamos aguardando. Não fomos chamados até o momento”, conta Miguel.

Os rodoviários cobram da SSP/SE uma maior abordagem de policiais a coletivos para reduzir os números de assaltos por meio da realização de rondas em corredores de ônibus e finais de linhas. “Sabemos que a segurança está sendo feita nos terminais de integração pela Guarda Municipal, mas é preciso uma abordagem maior com rondas policiais para inibir a ação de bandidos”, enfatiza.

PM/SE
Segundo o Tenente Coronel da Polícia Militar (PM), Major Paiva, foram realizadas nos últimos meses diversas reuniões com o Sintra e empresários, porém não se tem chegado a um consenso.

“Todos os compromissos da PM foram e estão sendo cumpridos. O que não houve por parte das empresas de ônibus que se comprometeram em retirar as propagandas dos fundos dos coletivos para melhorar a visibilidades dos veículos, bem como a instalação de cofres em ônibus para que a renda fosse lá depositada e ficasse inacessível. Além disso, eles não passaram a cobrar a passagem apenas por cartão, para reduzir o número de assaltos”, disse.

Ainda segundo o Major Paiva, a PM apresentou no período de 2012 a 2013 um aumento de 1000% no número de abordagens preventivas a coletivos. Conseguindo realizar com êxito uma série de prisões de bandidos e apreensão de armas.

Paiva finalizou informando que a polícia não tem condições de promover a escolta individual de ônibus, já que a atual frota em circulação na Grande Aracaju é superior a 540 veículos. “Os rodoviários não podem parar um transporte que é de essencial importância para a população. A paralisação pode gerar uma paralisação talvez até mais perigosa que os próprios assaltos”, finaliza.

Por Leonardo Dias
Informações: Infonet
READ MORE - Aracaju: Transporte coletivo sem segurança deixa 03 linhas interrompidas parcialmente

CBTU João Pessoa transporta 160 mil de passageiros em janeiro

A CBTU em João Pessoa transportou 160,8 mil passageiros no primeiro mês deste ano. Com relação a dezembro de 2013, quando a CBTU atendeu a um público de 137.520, a Companhia registrou um crescimento da ordem 17%. De acordo com a área operacional, o mês de férias sempre traz novos passageiros ao sistema. Para este ano, a meta, de acordo com projeções operacionais, é aumentar em cerca de 15% o número de passageiros. 

De acordo com o superintendente da CBTU, em João Pessoa, Lucélio Cartaxo, para atingir a meta de crescimento, a CBTU em João Pessoa aposta na modernização do sistema, com a implantação do VLT. Para isso, o sistema deverá receber investimentos na melhoria das estações, construção de cruzamentos, aumento do contingente de segurança a fim de evitar a evasão de rendas e realização do concurso público. “Há uma série de fatores importantes que podem proporcionar esse aumento no número de passageiros transportados e a nossa expectativa é que com o VLT, um trem moderno, confortável e seguro, os passageiros sejam atraídos pela novidade e volte definitivamente para o modal ferroviário”, explica Cartaxo. 

Neste ano, a direção local da Companhia também acredita que o projeto de melhoramentos na via, com a implantação de cruzamentos ferroviários e adequações de estações, comece a ser implementado para receber às primeiras unidades do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). “A gente espera que o projeto seja contemplado e com isso a gente possa dotar o sistema com as reformas necessárias para fazer o VLT operar em sua plenitude e assim atender às necessidades de transporte da população da Região Metropolitana da Capital”, afirma Cartaxo.

Informações: CBTU

READ MORE - CBTU João Pessoa transporta 160 mil de passageiros em janeiro

Em Manaus, Paradas de ônibus são remanejadas por causa do BRS

A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) iniciou, nesta terça-feira (11), o remanejamento de alguns pontos de ônibus da avenida Constantino Nery que estavam em paralelo com as plataformas do sistema BRS (Bus Rapid Service). A medida faz parte dos ajustes necessários na fase experimental de funcionamento do sistema para aprimorar a operação dele.

As paradas estão sendo realocados para 30 metros de distância do local anterior. No sentido Bairro/Centro, quatro paradas foram alteradas: duas no trecho entre a Rodoviária e a rua Lóris Cordovil, uma próxima ao Millennium Shopping e a outra próxima ao Olímpico Clube. No sentido Centro/Bairro, um ponto foi remanejado próximo ao Millennium Shopping.

No último sábado (08), seis linhas de ônibus passaram a fazer o embarque e desembarque de passageiros nas oito plataformas do sistema BRS localizadas ao longo da avenida Constantino Nery.

O titular da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, disse que a implantação do BRS será de forma gradativa para que a população possa se adaptar às mudanças. “Não podemos implantar todo o sistema de uma vez. É preciso dar tempo para observar o funcionamento dele e assim poder adotar medidas, ao longo do processo, que sejam necessárias para aprimorá-lo”, ressaltou Carvalho.

“Pedimos um pouco da compreensão e paciência da população durante esses primeiros dias. O transporte coletivo transporta mais pessoas do que os veículos particulares e precisa ser priorizado. Em Manaus, 58% da população utiliza o transporte público para se deslocar”, acrescentou.

Ainda segundo o superintendente, a utilização de faixas exclusivas para o transporte coletivo é uma medida que já foi adotada com sucesso nas maiores capitais do país e Manaus precisa caminhar no mesmo sentido visando à melhoria do transporte público.

Além da avenida Constantino Nery, deverão ter faixas exclusivas para a circulação de ônibus do transporte coletivo as avenidas Jornalista Umberto Calderaro Filho, Mário Ypiranga Monteiro, Getúlio Vargas, Coronel Teixeira e o Boulervad Álvaro Maia. Nestas vias, a pista exclusiva para os ônibus será do lado direito.

*Com informações da assessoria de imprensa da SMTU

READ MORE - Em Manaus, Paradas de ônibus são remanejadas por causa do BRS

Prefeituras se preparam para elevar tarifas de transporte público

Obrigadas a recuar de reajustes de tarifas de transporte urbano em 2013 por causa de manifestações populares e também da alta da inflação, as prefeituras de grandes capitais já começaram a se movimentar para recompor as perdas que ficaram represadas. O Rio de Janeiro já elevou as tarifas de ônibus em 9%, de R$ 2,75 para R$ 3,00, enquanto Curitiba e Porto Alegre farão aumentos em fevereiro. Esse movimento também já gerou protestos em 2014 como o que ocorreu no Rio na semana passada e resultou na morte do cinegrafista da Bandeirantes, Santiago Andrade.

No entanto, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) mostram que as tarifas de transporte urbano das grandes regiões metropolitanas brasileiras sofreram reajustes bem acima da inflação entre 2006 e 2012. Em 2006, por exemplo, enquanto o IPCA fechou o ano em 3,14%, a alta dos serviços de ônibus foi de 8,11%, e de metrô, 7,93%. Já em 2011, a inflação geral foi de 6,5%, enquanto as tarifas de ônibus cresceram 8,44% e as de metrô, 8,76%.

A partir de 2012, os índices ficaram mais próximo da inflação, que ficou acumulada em 5,84%. As passagens de ônibus subiram 5,26% e as de metrô, 3,39%. Já no ano passado, o cenário conturbado criado pelas manifestações populares exigindo melhorias nos serviços públicos levaram prefeituras a adiar ou até mesmo recuar de aumentos. Assim, as tarifas de ônibus variaram 0,02% e as de metrô, 0,01%, embora o IPCA tenha terminado o ano em 5,91%, perto do teto da meta.

O setor de transporte urbano foi um dos beneficiados por incentivos fiscais como a desoneração da folha de pagamento das empresas, além da redução do PIS/Cofins incidentes sobre a receita decorrente da prestação de transporte coletivo de passageiros. Isso sem contar com a redução a zero da Cide, tributo que incide sobre o setor de combustíveis, e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a compra de ônibus. Mesmo assim, especialistas em inflação afirmam que essas vantagens não significam que o setor possa acomodar agora todos os aumentos de custos que ficaram acumulados desde o ano passado.

O economista-chefe do banco ABC Brasil, Luís Otávio Leal, lembra que um fator de peso importante nas tarifas de transporte urbano é a mão-de-obra, que sofre impacto da política de reajuste do salário mínimo. No ano passado, por exemplo, o mínimo subiu 9%. Outro fator é o diesel, cuja alta em 2013 foi 15,62%.

“É claro que as desonerações reduzem um pouco a necessidade de reajuste, mas não acredito que eliminem totalmente”, disse Leal.

Já a economista da consultoria Tendências, Alessandra Ribeiro, afirma que as tarifas não subiram todo o necessário nos últimos anos, mesmo tendo ficado acima da inflação. Ela projeta para 2014 um aumento médio de 3,85% e lembra que o número será baixo em função do ano eleitoral. Para Alessandra, sem a disputa nas urnas, o aumento médio no país ficaria próximo ao patamar feito pelo Rio de Janeiro, de 9%.

“Nos últimos anos, os aumentos ficaram sempre aquém do que seria necessário considerando custos de salários e diesel. Por isso, esse ano, se houvesse espaço, essa recomposição seria bem maior”, afirmou ela, acrescentando:

“Não há nada claro nas desonerações que dê grande margem para que as prefeituras não precisem reajustar tarifas.”

Leal estima que as tarifas de transporte urbano devem subir cerca de 4% este ano, o que deve ter um impacto de 0,10 ponto percentual no IPCA, que pode terminar 2014 em entre 6% e 6,10%. Leal afirma que a estimativa de alta seria ainda maior caso a prefeitura de São Paulo já não tivesse adiantado que vai segurar as tarifas também em 2014:

“Cerca de 1/3 da inflação de transporte urbano é impactada por São Paulo. Assim, sem o reajuste do município, o peso no IPCA de 2014 será menor.”

READ MORE - Prefeituras se preparam para elevar tarifas de transporte público

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960