Rodoviários decretam greve geral após reunião sem acordo em Porto Alegre

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

O Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre decretou greve geral dos ônibus da Capital no final da tarde desta terça-feira. Reunida com empresários, Ministério Público, Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) e Justiça no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a categoria havia dito que ia cumprir a determinação judicial de colocar 70% da frota nas ruas durante o horário de pico (das 5h30min às 8h30min e das 17h30min às 20h30min). Pressionada pelos sindicalistas, porém, voltou atrás:

– Sinto muito, quem decide são os trabalhadores e nós acatamos. Não é uma afronta à coitada da juíza. O trabalhador decidiu e temos de atacar – afirmou o presidente do sindicato, Júlio Gamaliel.

Na tarde de hoje, a magistrada Ana Luiza Heineck Kruse decretou que 70% da frota deveria estar nas ruas durante os horários de pico, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. A medida, em caráter liminar, atendia a uma solicitação da prefeitura da Capital. Júlio Gamaliel disse não ver problemas quanto à penalidade:

– Depois nós veremos como pagar.

Na audiência realizada no TRT, os membros do sindicato ouviram da desembargadora  que a decisão é "para ser cumprida, não cabe lado". 

– Eu estou determinando que assim será, não cabe lado, é para ser cumprida. Ordem do juiz se cumpre – frisou ela.

A greve

Os usuários de transporte coletivo em Porto Alegre enfrentaram, nesta terça-feira, o segundo dia de greve dos rodoviários. O único alento, em relação à segunda-feira, é que a frota reduzida, com 436 coletivos, saiu mais cedo para a rua. Às 7h30min, 30% da dos ônibus estava na rua. 

Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, da Rádio Gaúcha, o prefeito José Fortunati voltou a leventar suspeitas a respeito da mobilização pacífica realizada pelos rodoviários, que "no primeiro dia sequer mobilizaram piquetem em frente às empresas". Devido à falta de negociação entre trabalhadores e empresas de ônibus, a paralisação da categoria deve continuar por tempo indeterminado. 

READ MORE - Rodoviários decretam greve geral após reunião sem acordo em Porto Alegre

Em Goiânia, Corredor exclusivo para ônibus na Avenida 85 começa a ser implantado

A Secretaria Municipal de Trânsito realiza obras de implantação do corredor exclusivo para ônibus na Avenida 85, em Goiânia. A medida estabelece que os veículos só poderão trafegar na terceira faixa para acessar comércio e garagens ou realizar a conversão na primeira rua à direita, à semelhança do que já ocorre na Avenida T-63 e na Rua 10, no Setor Universitário.

O corredor terá início na Rua Urú, no Setor Parque Amazônia, passando pelas Avenidas Feira de Santana, S1 e 85, até chegar à Praça Cívica, no Setor Central.  Até terça-feira (28) já foi realizada toda a pintura da sinalização horizontal de cor branca. Ainda serão instaladas placas de sinalização verticais e a pintura horizontal amarela, chamada de linha divisória de fluxo, e a linha verde que demarca a faixa de ônibus. As obras são feitas no período noturno, para não congestionar o trânsito.
A SMT ainda não tem previsão de quando o corredor entrará em funcionamento. Segundo a secretaria, nesta primeira etapa não será implantada fiscalização eletrônica no corredor. A prefeitura planeja a instalação de 14 corredores de ônibus, somando mais de 100 quilômetros de vias exclusivas para o transporte coletivo.

Avenida T-63
Segundo a SMT, o ganho no tempo de viagem dos ônibus que trafegam pela Avenida T-63 após a delimitação do corredor foi de 14% a 26% em horários críticos. Os equipamentos eletrônicos que vão fiscalizar a via estão em fase final de implantação. A expectativa da secretaria é que técnicos do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) façam a aferição dos equipamentos e em seguida terá início o período educativo, com duração de 30 dias, para só então começarem a ser aplicadas multas aos motoristas infratores.

Informações: G1 GO, com informações da TV Anhanguera
READ MORE - Em Goiânia, Corredor exclusivo para ônibus na Avenida 85 começa a ser implantado

Ônibus híbridos e articulados estão em fase de teste em Fortaleza

Um ônibus híbrido e dois articulados estão em fase de testes em Fortaleza. A concessionária da Volvo no Ceará, Apavel, está negociando o uso dos veículos com a Etufor e com empresas filiadas.

Caso os testes deem retorno positivo, 20 a 30 transportes deverão ser comprados e utilizados nas BRTs (Bus Rapid Transit), corredores de ônibus exclusivos, como o da Copa (Via Expressa) e o Antônio Bezerra/Centro. A previsão é de que na quarta-feira (29) eles sejam testados por empresas de transporte público e circulem pela cidade.

O Volvo Híbrido, um transporte sustentável que já é utilizado em Curitiba, possui um motor elétrico que trabalha paralelamente a um motor a diesel, resultando em um chassi mais ecológico, emitindo até 50% menos poluentes do que chassis convencionais e reduzindo os gastos com combustível em até 35%. Além disso, ele conta com suspensão a ar e piso taraflex.

O motor do B-215RH de quatro cilindros com 215 cavalos é acoplado a um câmbio automatizado de 12 marchas e trabalha após o veículo ultrapassar os 20km/h. O motor elétrico trabalha da arrancada até os 20 km/h, o que gera menor ruído. A energia é gerada pela frenagem regenerativa e armazenada em baterias de Íon de Lítio.

Ônibus articulados

Já os ônibus articulados possuem a vantagem de serem mais espaçosos e comportarem mais lugares, além de possuirem seis portas cada, o que facilita a circulação em vias exclusivas, tanto com acesso à direita quando à esquerda.

O veículo com carroceria Caio Mondego LA e chassi Volvo B360S possui motor eletrônico, suspensão pneumática com controle eletrônico e é totalmente em piso baixo.

Informações: Diário do Nordeste

READ MORE - Ônibus híbridos e articulados estão em fase de teste em Fortaleza

Greve dos rodoviários continua nesta terça em Porto Alegre

Sem acordo entre rodoviários e empresas de ônibus de Porto Alegre, a greve da categoria vai continuar nesta terça-feira (28), diz o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Julio Gamaliel Pires. Nesta segunda (27), apenas 30% da frota de ônibus foi para as ruas da capital gaúcha.

A Prefeitura de Porto Alegre, no entanto, entrou com uma ação judicial no Tribunal Regional do Trabalho (TR) para pedir o aumento da frota mínima de ônibus em operação. O objetivo é obrigar a circulação de 70% dos ônibus nos horários de pico e 50% nos demais horários.

Mas segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Julio Pires, novamente 30% da frota sairá das garagens, seguindo a determinação do Ministério Público do Trabalho (MPT). “Tudo o que tratamos [no Ministério Público] a gente está cumprindo à risca. Por enquanto, a gente está no aguardo de qualquer outra movimentação”, afirmou ao G1. “[Amanhã] Vai ser 30%, como já estamos fazendo”, sustentou.

Por causa da greve, apenas 436 veículos dos 1.453 que circulam diariamente saíram das garagens nesta segunda-feira. O número é considerado insuficiente para atender a demanda da população.

Caso não haja decisão judicial, as mesmas linhas de ônibus que estiveram ativas durante a segunda-feira sairão às ruas na terça, segundo o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari. "Será o mesmo modelo de operação. Mas se houver uma compreensão da Justiça que é necessário fazer uma ampliação do atendimento, nós fazemos reajustar”, informou.

A EPTC autorizou as lotações a trafegarem nos corredores de ônibus da capital gaúcha. Os veículos também podem transportar passageiros em pé. Táxis e caronas foram algumas das soluções encontradas pelos porto-alegrenses ao longo do dia. Muitas pessoas que dependem do transporte público, no entanto, ficaram mais de uma hora à espera de ônibus nas paradas.

A greve dos rodoviários foi aprovada em assembleia na última quinta-feira (23). O Sindicato dos Rodoviários alega que as negociações com as empresas de transporte não evoluíram desde o início do ano. A categoria pede reajuste salarial de 14%, aumento de R$ 4 no vale-alimentação e manutenção do plano de saúde, entre outras reivindicações.

Em nota divulgada nesta segunda, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa) diz que ofereceu aos trabalhadores a reposição integral da inflação mesmo estando há 2 anos sem reajuste da tarifa. Segundo a entidade, os consórcios de ônibus da capital gaúcha acumulam prejuízos que superam, atualmente, a marca dos R$ 60 milhões. 

Informações: G1 RS


READ MORE - Greve dos rodoviários continua nesta terça em Porto Alegre

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960