Prefeitura de BH começa a treinar motoristas e agentes de bordo do BRT

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

A primeira etapa de capacitação de profissionais que vão operar o Move (nome dado ao BRT, sigla em inglês para transporte rápido por ônibus), ocorreu entre os dias 7 e 8, em Belo Horizonte.

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), 100 instrutores foram capacitados. Esses profissionais serão encarregados de treinar 2.260 motoristas (1.450 municipais e 810 metropolitanos) e 1.290 agentes de bordo (830 municipais e 460 metropolitanos).

O programa possui seis módulos, divididos de acordo com as funções, e contará com temas como comportamento, segurança na operação (direção defensiva), conhecimento sobre o ônibus e sistema de tecnologia e informação do BRT, prática de direção, procedimentos operacionais e contingências.

A coordenadora de Projetos de Transporte da Embarq Brasil, Paula Santos Rocha, informou que esse processo de capacitação dos operadores do Move é uma entre as diversas ações que a organização realiza em parceria com a BHTrans no desenvolvimento e na implantação de soluções sustentáveis para os desafios do transporte e da mobilidade.

A Embarq Brasil auxilia governos e empresas no desenvolvimento e na implantação de soluções sustentáveis para as questões de transporte e mobilidade nas cidades brasileiras.

O gerente de Auditoria da Qualidade do Transporte Público da BHTrans, Max Wilson, ressaltou a importância do trabalho conjunto de todos os operadores do transporte coletivo, municipal e metropolitano, para que o Move seja um sucesso e a população usufrua dos benefícios desse novo sistema. Para Max, essa primeira fase de capacitação para a formação dos instrutores é fundamental. “Afinal, são eles que multiplicarão os conhecimentos para os 3.550 futuros operadores do Move”.

Segurança

Durante palestra ministrada pelo especialista de segurança da FedEx, Rogério Rubim, ele pontuou diversas situações que serão vivenciadas pelos operadores do Move e como a direção defensiva e a atenção redobrada são elementos essenciais para um motorista profissional.

Para ele, realizar qualquer tipo de transporte, seja uma correspondência expressa, como é feita pela FedEx, ou pessoas em um ônibus, como é o caso do transporte coletivo, presume-se que esse serviço seja realizado com o máximo possível de segurança. Na palestra,

Rubim pontuou seis hábitos que um motorista profissional precisa ter para uma direção defensiva: espere o inesperado; verifique todo o ambiente ao redor; identifique mudanças no caminho; tome decisões profissionais; antecipe contratempos e reforce a comunicação com os outros membros do trânsito.

Informações: O Tempo

READ MORE - Prefeitura de BH começa a treinar motoristas e agentes de bordo do BRT

Copa terá menos obras de mobilidade e metade da verba

A exatos cinco meses da Copa do Mundo, as obras de mobilidade urbana, anunciadas como principal legado para as cidades-sede, deverão ter apenas metade da dimensão inicial planejada.

Em vez dos R$ 15,4 bilhões (corrigidos pela inflação) previstos em 2010 para 56 intervenções nas 12 sedes, restaram 39 projetos e R$ 7,9 bi.

Dos empreendimentos anunciados no plano de investimentos para a Copa, em 2010, só quatro estão prontos --os demais têm previsão de entrega entre fevereiro e junho. A Copa começa em 13/6.

Em geral, obras deixaram o plano inicial por atrasos em licitações, projetos com problemas, orçamentos estourados e falta de tempo para conclusão até o torneio.

CIDADES

O contraste entre planos para a Copa e realidade não é pequeno.

Em 2010, a Porto Alegre que se preparava para a Copa, se comprometeu a fazer intervenções ambiciosas, como corredores e terminais de BRT (corredor rápido), duplicações e viadutos.

Quatro anos depois, a prefeitura local entende que o fundamental para a Copa é o acesso ao estádio Beira-Rio.

Conclusão: só duas das obras de mobilidade ficaram --a pavimentação ao redor do estádio e um conjunto de vias que leva ao local.

Brasília tem apenas uma obra de mobilidade urbana prevista para a Copa. Tal qual Porto Alegre, o BRT ficou para depois --estão sendo feitas melhorias nos acessos no entorno do aeroporto, ponto crônico de trânsito.

Os piores exemplos estão em Manaus, em que nenhuma obra sairá do papel até a Copa, e Cuiabá. Já São Paulo priorizará o transporte individual.

O Rio é um dos poucos que pode cumprir, ainda que com atraso, o compromisso para o torneio mundial.

A cidade elencou apenas uma obra para a Copa, a via Transcarioca, também um corredor rápido de ônibus, que ligará o aeroporto do Galeão à Barra da Tijuca.

A via ficará pronta em maio, diz a Secretaria Municipal de Obras, a um mês da competição e com um ano de atraso.

De maneira geral, o governo federal tem argumentado que as obras que não ficaram prontas a tempo não comprometerão a Copa --e integrarão o PAC da Mobilidade.

Nessa modalidade, as obras se desvinculam da realização do torneio e o prazo de conclusão é mais elástico.

Manaus não terá obras de transporte para a Copa
Trânsito em Manaus preocupa

Única sede na região Norte do país, Manaus pretendia fazer um monotrilho e um BRT (corredor de ônibus), mas não terá nenhuma dessas obras para a Copa.

Tal qual outras capitais, haverá intervenções menores, algumas delas estéticas.

Em Manaus, irregularidades nos projetos atrasaram as licitações, as obras não ficariam prontas em tempo e foram retiradas do cronograma.

Entre os problemas detectados está o fato de que monotrilho e BRT passariam e parariam nos mesmos locais.

O governo do Amazonas diz que os projetos migraram para o PAC da Mobilidade.

A cidade prevê reformar o entorno do estádio, como recapear e sinalizar vias.
BRT em Salvador, Só depois da Copa
Salvador teria um BRT de 42 km, ligado ao metrô, mas o "legado" se resumirá a dois viadutos de acesso ao estádio e melhores calçadas.

Em Cuiabá (Veículo leve sobre trilhos) e Fortaleza (BRT), as obras, que ajudariam no acesso de torcedores aos estádios, ficarão para depois.

O VLT de Cuiabá teve suspeita de direcionamento na licitação e chegou a ser parado pela Justiça. Agora, o governo do Estado diz que não ficará pronto "integralmente" para o Mundial.

Já em Fortaleza, a prefeitura diz que as obras do BRT impactariam no trânsito, pois outras intervenções estão sendo feitas para a Copa. Por "bom senso", adiou a entrega para o fim de 2014.

SÃO PAULO

Em São Paulo, nenhuma obra de transporte de massa será entregue para a Copa.

Uma das intervenções previstas, a linha 17-ouro, de monotrilho, deve ficar para 2015. Ela liga o aeroporto de Congonhas à rede de metrô. Dificuldades na obtenção de licenças fizeram a obra atrasar.

Segundo o governo, a ligação dos aeroportos (há também Guarulhos) com trem/metrô será por meio de um esquema especial de ônibus.

Para a Copa, haverá a inauguração de um complexo viário no entorno do estádio do Corinthians, na zona leste, até abril, segundo o governo.

Uma das alças de ligação entre a Radial Leste e a Jacu Pêssego, na região de Itaquera, corre o risco de atrasar, por problemas com a desapropriação de casas.

Informações: Folha SP

READ MORE - Copa terá menos obras de mobilidade e metade da verba

Em João Pessoa, Licitação para corredores de ônibus sairá apenas em março

Apesar do plano de mobilidade de João Pessoa ter sido apresentado à população da capital em 2011, o projeto da Rede Integrada de Corredores de Transporte Público, que vai possibilitar a circulação dos BRTs em João Pessoa, será licitado apenas em março. De acordo com o secretário de Planejamento, Rômulo Polari, o projeto foi entregue dentro do prazo e passa por análise da Caixa Econômica até fevereiro. A obra tem recurso do PAC Mobilidade.
Créditos: Marcopolo / Montagem: Renato Passos
Embora ainda existam indefinições quanto aos terrenos que receberão dois dos quatro terminais de integração previstos no projeto, Polari garante que isso não trará prejuízos na avaliação do projeto e que os recursos, na ordem de R$ 188 milhões, estão assegurados. “Nós temos quatro corredores para preparar, desde as vias, até as estações. Essa etapa terá duração de aproximadamente 18 meses, mas esperamos que até a licitação da obra, em março, tudo esteja acertado”, disse. A construção dos terminais de integração das avenidas 2 de Fevereiro e avenida Pedro II, de acordo com o que estava inicialmente previsto no projeto, estão condicionados a cessão ou permuta de terrenos por parte do governo do Estado.

No ano passado, a prefeitura e o Estado foram parar na Justiça para discutir a posse de um terreno localizado na frente da Cehap, que também seria utilizado nas obras do Terminal de Integração. O Estado também conta com o terreno para o Trevo de Mangabeira.

Informações: Jornal da Paraíba

READ MORE - Em João Pessoa, Licitação para corredores de ônibus sairá apenas em março

Governo de Pernambuco capacita motoristas de ônibus para melhorar convivência com ciclistas

Além do aumento progressivo no número de carros circulando na Região Metropolitana do Recife, as bicicletas têm ganhando cada vez mais espaço nas vias da RMR. O desafio é enorme e tem ganhado destaque nas metas do Governo do Estado. Focando neste tema, a Secretaria das Cidades firmou uma parceria com o Grande Recife Consórcio de Transporte, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) e o Itaú para promover a 1ª palestra de capacitação para os motoristas de ônibus da RMR. 

O curso foi iniciado nesta segunda-feira (13/01), com uma aula inaugural para os instrutores das 18 empresas operadoras, no auditório na sede da Secid. Os instrutores multiplicarão os seus conhecimentos ao longo de 30 dias para os seis mil motoristas de ônibus da RMR. Serão quatro palestras por dia com duração de uma hora. As aulas acontecerão no Sest Senat do Cabo de Santo Agostinho, de Beberibe e nas garagens de diversas empresas de ônibus. 

Ao longo das aulas serão ministradas palestras de conscientização e esclarecimentos, debates sobre o Código Nacional de Trânsito e também sobre direitos e deveres dos envolvidos. Na prática, os papéis se invertem. Ou seja, quem enfrenta todos os dias o trânsito no Recife e em outras cidades dirigindo ônibus, vai se colocar no papel de quem anda em duas rodas. 

Segundo o secretario das Cidades, Danilo Cabral, o motorista de ônibus pode ser um agente transformador, colaborando para tornar o trânsito mais solidário e menos agressivo. “O motorista de ônibus é o agente diferencial para melhorar o trânsito da cidade. Com boas atitudes, ele ajuda a disciplinar o trânsito”, reforçou.

As palestras estão sendo ministradas por André Pasqualini, ciclista com mais de 20 anos de experiência. Desde 2008, Pasqualini vem realizando diversos trabalhos em consultoria de mobilidade urbana trabalhando em parceria com as prefeituras de São Paulo e até o Governo Estadual de São Paulo. “Quem é valorizado sempre responde de forma positiva. É preciso preparar os motoristas para que sejam mais atenciosos no trânsito. Essa é a chave para mudar a cultura de trânsito na cidade”, adiantou.

Segundo Maria Amélia Bezerra Leite, diretora de Comunicação Estratégica da Urbana-PE, o aumento no número de ciclistas nas ruas é um alerta. “Hoje, observamos uma crescente no número de ciclistas na cidade. O curso é uma iniciativa muito louvável, pois, precisamos preparar nossa equipe para lidar com esse novo cenário e cumprir a lei. Estamos fazendo um esforço enorme para sensibilizar nossos funcionários e alertá-los para o bom convívio com os ciclistas”, pontuou. 

Para o fotógrafo Douglas Fagner, que vem para o trabalho diariamente de bicicleta este curso representa a inversão dos papeis. “Acho essencial, tanto para os que usam a bicicleta como lazer como para os que usam diariamente como meio de transporte. A pressa dos motoristas de ônibus para manter os horários e vencer os obstáculos do trânsito torna perigosa à desenvoltura de alguns motoristas. A palestra é um bom incentivo e um começo significativo para o convívio pacífico”, comemorou.

READ MORE - Governo de Pernambuco capacita motoristas de ônibus para melhorar convivência com ciclistas

SPTrans insere mais 100 veículos movidos a diesel de cana de açúcar na Ecofrota

No mês de dezembro, os representantes da SPTrans, João Carlos Fagundes e Pedro Rama, estiveram presentes no evento sobre o aumento da utilização do combustível de Diesel de Cana de açúcar na frota da Viação Santa Brígida. O evento contou também com os representantes das empresas:Petrobrás Distribuidora, AMYRIS, MAN e Viação Santa Brígidaempresas estas que contribuem para que esta parceria se mantenha e evolua.

Com o novo plano de mobilidade urbana da atual gestão, o transporte público esta cada vez mais evidenciado. Com as novas faixas e corredores de ônibus, o objetivo é aumentar o número de usuários do transporte coletivo. Com isso, faz-se necessário o aumento da frota dos ônibus. Porém, há uma grande preocupação com o meio ambiente. O Diesel de Cana entrou no mercado como uma solução renovável encontrada para o setor de combustíveis para o transporte público. É totalmente brasileiro e para que seja utilizado não é necessária qualquer alteração ou adaptação nos tanques dos coletivos. A utilização biocombustível também representa a redução de até 82% na emissão dos gases de efeito estufa. Além, da diminuição de aproximadamente 3.800 toneladas de CO2 emitidas na atmosfera, por ano. 

A parceria da SPTrans com a Viação Santa Brígida, dá-se desde 2011, tornando-as descobridoras da utilização do Diesel de Cana. A frota atual abastecida com este biocombustível na cidade de São Paulo, conta com 395 veículos, três deles já operam com 100% e o restante com 10% do biocombustível. Segundo Fagundes "Essa expansão é parte de um plano, que poderá contar nos próximos anos com uma frota de ônibus ainda maior que utilize o combustível renovável, que tem como finalidade diminuir a emissão de gases poluentes e, consequentemente melhorar a qualidade do ar para os paulistanos".

Vale lembrar que este novo biocombustível de Diesel de Cana de açúcar também é utilizado na frota das empresas viárias Transpass e Viação Gato Preto. O projeto visa que em breve, todas as empresas credenciadas pela São Paulo Transporte, utilize este método de abastecimento. Fazendo assim, com que o aumento da frota dos coletivos não afete a qualidade do ar de São Paulo.

Assessoria de Imprensa - SPTrans

Leia também sobre:
READ MORE - SPTrans insere mais 100 veículos movidos a diesel de cana de açúcar na Ecofrota

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960