Ônibus com mais de 10 anos circulam em São Paulo

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

A cidade de São Paulo tem 938 ônibus com mais de dez anos de vida útil - o que é proibido, de acordo com o contrato que as empresas de ônibus têm com a Prefeitura. Eles circulam, segundo as empresas e a própria São Paulo Transporte (SPTrans), porque as viações estão com dificuldades em oferecer garantias para financiar a compra de novos veículos.

O levantamento com os dados de janeiro foi obtido pelo Estado por meio da Lei de Acesso à Informação. Mas, nesta terça-feira, 25, a SPTrans informou que o número é menor: 752 veículos, com base em dados do último dia 15. A frota da cidade é de 14,8 mil veículos.


Os ônibus antigos, fabricados em 2003, provocam queixas. Usuários reclamavam ontem da situação de um ônibus que estreou nas vias paulistanas no dia de Natal de 2003. Ele faz o percurso Rio Pequeno-Terminal Lapa, da linha 7725, na zona oeste. Diferentemente dos modelos mais recentes, o veículo não tem piso baixo, dificultando a entrada de pessoas com mobilidade reduzida. Além disso, os degraus para o embarque são bastante altos. "Cadeirantes não têm vez, porque nem elevador para eles existe", disse o técnico em enfermagem Carlos Monteiro Araújo, de 54 anos.

Protestos.
Os contratos da SPTrans com empresas de ônibus venceriam no ano passado. Mas, diante dos protestos contra o aumento da passagem em junho, a Prefeitura decidiu cancelar a licitação para renová-los. Os contratos antigos foram prorrogados até que se fizesse uma auditoria no sistema de transportes, tido como uma "caixa-preta".

O Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SP Urbanuss) alega que, por isso, não consegue, nos bancos, financiamentos mais robustos. "O banco diz assim: ‘Você está comprando um veículo, mas quem me garante, depois, que você vai continuar no sistema?’", disse o presidente do SP Urbanuss, Francisco Christovam, que já presidiu a SPTrans.

O diretor financeiro da SPTrans, Adauto Farias, afirma que os ônibus antigos também são fiscalizados e que, se é constatada uma anormalidade, os veículos são retirados de circulação. Esses ônibus são vistoriados a cada 60 dias - os veículos dentro da validade passam por vistoria a cada 180. "Quando é verificado que o ônibus está rodando com a idade acima do limite, a empresa é multada", disse. A SPTrans afirma ainda que, entre janeiro do ano passado e o dia 15, 1.207 ônibus novos entraram na frota. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia também sobre:


READ MORE - Ônibus com mais de 10 anos circulam em São Paulo

DFTrans moderniza atendimento para usuários

O Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) vem, desde dezembro do ano passado, implementando ações que visam estabelecer uma nova dinâmica no atendimento aos usuários transporte público coletivo.

Técnicos da Gerência de Relações com a Comunidade e Atendimento ao Usuário (GRC/DFTrans) elaboraram o projeto DFTrans Comunidade, que, entre outras providências, estabelece um processo moderno e organizado de atendimento – para que sejam respondidas, mais rápida e qualitativamente, as solicitações vindas do público usuário do sistema.

“A qualidade do transporte público passa também pela eficiência com que são prestadas as informações sobre o seu funcionamento”, ressalta o diretor-geral do DFTrans, Marco Antonio Campanella.

Primeiramente, foi criado um protocolo interno, para o melhor acompanhamento das demandas, desde sua chegada, resolução e comunicado da resposta ao interessado. Em seguida, os funcionários do setor receberam capacitação em atendimento de excelência, ministrada pela Escola de Governo, e no Sistema de Ouvidoria e Gestão Pública (TAG), do GDF.

“Nesse ínterim, disponibilizamos também o email atendimento@dftrans.df.gov.br, que é mais um canal de contato com o público”, destaca a gerente Solisângela Montes, responsável pela GRC. Ela lembra que o posto da Rodoviária estendeu o horário de funcionamento, ficando aberto até 22h, de segunda a sexta-feira, e aos sábados, até as 14h.

Solisângela afirmou, ainda, que os funcionários serão qualificados também no atendimento pelo canal telefônico, “para darmos, de fato, um novo formato à coleta e tratamento das informações e dados recebidos dos usuários, elevando seu grau de satisfação com o serviço prestado pela autarquia”, completa. 

Demandas – No mês de janeiro, foram registrados na GRC um total de 704 atendimentos, dos quais 240 chegaram por email ou formulário; outros 464 foram para cadastro e atualização de dados do Passe Livre Estudantil (PLE).

As principais reclamações foram: descumprimento de horário (87), problemas no embarque/desembarque (43), conduta inadequada de motoristas e cobradores (39), desvio de itinerário (14), demandas comunitárias (13) e sugestões/outros (39).

No tratamento das demandas e informações, foram mapeados os prazos médios em que são respondidas as solicitações. Na entrega de tabelas horárias, checagem de linhas e viagens, cadastro do passe livre (estudantes e pessoas com deficiência) e atrasos de ônibus no Box, por exemplo, a resolução é imediata.

As respostas para as reclamações sobre descumprimento de horários e itinerários variam de 2 a 5 dias. Os esclarecimentos sobre as queixas sobre conduta dos prepostos vão de 5 a 30 dias. As respostas para as demais satisfações da comunidade variam entre 5 e 60 dias.

Confira abaixo os endereços dos postos da GRC/DFTrans:

Terminal  Rodoviário do Plano Piloto
End: Rodoviária do Plano Piloto de Brasília, Plataforma Térrea Norte (E/F), lojas 28/29
Tel: 32240376

Terminal Rodoviário de Sobradinho
End: Quadra Central, Conjunto L, Área Especial, loja 04.
Tel. 3591-5057

Terminal Rodoviário de Planaltina
Avenida WL 02, Setor Administrativo de Planaltina, loja 11. 
Tel. 3389-6004

Terminal Rodoviário do Riacho Fundo I
Área Especial 04, sala 03. 

Terminal Rodoviário do Riacho Fundo II
Área Especial 27, Divisão de Obras (Galpão)
Tel.3404.1205

Santa Maria Sul
Feira Central de Santa Maria, Santa Maria Centro

Terminal Rodoviário do Setor O
Área Especial C - QNO 14
Telefone: 3585-9505

Horário de Funcionamento:
De segunda a sexta, das 8h às 18h
*Na Rodoviária do Plano Piloto, funciona de segunda a sexta, das 8h às 22h. E aos sábados, das 8h às 14h.

Informações: DFTrans

READ MORE - DFTrans moderniza atendimento para usuários

No Recife, Metroviários cancelam greve e Carnaval contará com metrô funcionando

O metrô permanece em funcionamento no Sábado de Zé Pereira, dia do desfile do Galo da Madrugada, e nos outros dias do Carnaval. Após assembleia realizada nesta quinta (27), o Sindicato dos Metroviários de Pernambuco (Sindmetro-PE) decidiu suspender a greve que seria deflagrada no dia 1º de março.

De acordo com o diretor do Sindmetro, Carlos Mota, os metroviários não querem dificultar a mobilidade dos foliões, mas permanecem em estado de alerta. "Seguimos em greve. A trégua se deu por conta da interferência do vice-presidente do TRT (o desembargador Pedro Paulo Pereira Nóbrega), que nos passou credibilidade", conta. O Tribunal Regional do Trabalho intermediou o acordo entre os profissionais e a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).


Cerca de 300 pessoas participaram da assembleia realizada na Estação Central do Recife, no bairro de São José. Após reunião no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 6ª Região, no bairro da Tamarineira, a categoria conseguiu entrar em acordo com a CBTU e a paralisação foi suspensa. Entre as pautas reinvidicadas pelos trabalhadores, estão as exigências de melhores condições de segurança nas estações e trens, o pedido de revisão do Plano de Cargos e Salário e a melhoria da Assistência Médico Odontológica.

Questões pautadas já foram acordadas desde o ano passado, porém não cumpridas pela empresa. Na última sexta-feira (21), os metroviários realizaram uma parada de advertência, de 24 horas. No entanto, um esquema especial de trens foi montado pela empresa para driblar a paralisação.

No próximo dia 3 de abril, a categoria tem encontro marcado com a CBTU local e com o TRT para discutir as decisões tomadas no Rio de Janeiro. Logo depois desse encontro, no dia 4 de abril, será realizada nova assembleia para avaliar, junto aos trabalhadores do Metrô do Recife, se o acordo está sendo cumprido.

DO NE10

READ MORE - No Recife, Metroviários cancelam greve e Carnaval contará com metrô funcionando

Metrô e trens do Rio de Janeiro terão tarifa social

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta quarta-feira projeto de lei que estabelece nos trens e no metrô a chamada tarifa social, assim como a já existente nas barcas do Estado. O benefício é válido para usuários de Bilhete Único. Atualmente, com a tarifa especial, quem tem o bilhete paga R$ 3,10 para utilizar as barcas, e não R$ 4,50 como é cobrado de quem compra a passagem em dinheiro

De 81 emendas apresentadas ao projeto que institui a tarifa social, 14 foram aceitas. Entre elas, está a que garante o benefício ao usuário de trem independente de ele fazer a integração intermunicipal e a que determina que as tarifas sejam auditadas em 180 dias.

Também foi incluída ao texto a emenda que especifica que o subsídio seja concedido ao usuário e a que dá ao idoso o direito de ingressar nos modais com o documento de identidade. 

De acordo com o projeto, as concessionárias serão obrigadas a instalar câmera de vídeo em todas as novas composições de sua frota. O projeto cria duas modalidades de tarifa: de equilíbrio, propostas anualmente pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Transportes Concedidos (Agetransp) e que garante o retorno dos investimentos e da manutenção das concessionárias, e as sociais temporárias, que estabelece o benefício aos usuários.

Informações: Portal Terra


READ MORE - Metrô e trens do Rio de Janeiro terão tarifa social

Em João Pessoa, MPPB discute a implantação de faixas exclusivas para ônibus

A Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor de João Pessoa promoveu, na última terça-feira (25), em seu auditório, no bairro de Tambiá, em João Pessoa, uma audiência pública com representantes da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob) e Secretaria de Planejamento para discutir o projeto de criação de corredores exclusivos para ônibus na cidade. Durante ficou clara a necessidade de disciplinamento e reordenação do trânsito no sentido de dar prioridade ao transporte público.

As futuras modificações deverão ser feitas pela Semob e Secretaria de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa - Sedurb, em parceria com as empresas de ônibus de João Pessoa. Atualmente, conforme dados divulgados pelo Ministério Público, na capital paraibana existem apenas três quilômetros de vias exclusivas para ônibus na cidade.


O diretor da empresa de ônibus Unitrans, Alberto Nascimento, defende a necessidade de o poder público investir em medidas que atenuem os congestionamentos na cidade. Se implantadas em João Pessoa, as faixas especiais para ônibus devem reduzir o tempo de viagem no transporte público, melhorando sensivelmente a prestação de serviço das empresas.

"Hoje temos poucos quilômetros de faixas exclusivas para o transporte coletivo do Parque Solon de Lucena até o Terminal de Integração. Mas sabemos que a necessidade existe na Epitácio Pessoa, na Avenida Pedro II e outros corredores que atraem grande fluxo de veículos. A faixa exclusiva, portanto, é uma opção extremamente importante para melhorar o serviço prestado à população, pois ela tende a reduzir em até 50% o tempo de viagem dos ônibus, beneficiando, diretamente, os passageiros", finalizou Alberto.

Informações: PB Agora
READ MORE - Em João Pessoa, MPPB discute a implantação de faixas exclusivas para ônibus

Faixas de ônibus elevam em 14% número de passageiros em Sto.André

A implantação de faixas exclusivas para ônibus  aumentou em aproximadamente 14,3% o número de pessoas que utilizam o transporte público na Rua Carijós e Avenida Dom Pedro I, ambas em Santo André. Amanhã completa um mês que os corredores entraram em operação. A faixa da direita das vias fica restrita para os coletivos entre segunda e sexta-feira, das 6h às 10h, apenas na pista sentido Centro.

Neste mês, a média registrada foi de 101,2 mil passageiros transportados. No mesmo período do ano passado, as duas vias foram utilizadas por 88,5 mil usuários. Com pouco mais de dois quilômetros de extensão, a faixa da Rua Carijós registrou maior aumento: foram 18 mil pessoas adicionais em relação a 2013, subindo de 42 mil para 49,5 mil.

O endereço faz parte do itinerário de oito linhas – sendo quatro municipais e quatro intermunicipais.

Já o corredor da Dom Pedro I, cuja extensão é de 1,2 quilômetro, apresentou variação positiva de 10,6%. Em fevereiro do ano passado, cerca de 46,6 mil usuários eram transportados diariamente nesse local, número que subiu para 51,6 mil neste mês. Passam por lá sete linhas de ônibus, sendo que três têm outros municípios como destino.

A velocidade média de circulação nos dois corredores teve aumento de 14 km/h para cerca de 19,6 km/h.

Segundo o diretor da SATrans, Leandro Petrin, o aumento se deve à melhoria no serviço prestados. “Quando a população vê que o sistema está mais confortável e fluindo melhor, muitos deixam de ir a pé, de bicicleta ou de carro para utilizar o transporte público.” A meta da Prefeitura é construir 13 corredores de ônibus em toda a cidade.

Estações fechadas
Ainda dentro deste novo esquema de funcionamento do Metrô Rio para o Carnaval, de acordo com a experiência adquirida pela concessionária ao longo dos anos, algumas estações ficarão fechadas por terem pouco acesso de passageiros e podendo ser compensadas por outras mais próximas. São elas: Presidente Vargas, Catete, e Maracanã, que estarão impedidas de receber passageiros entre 0h e 5h de sábado e fecharão às 0h de domingo.

O funcionamento destas estações será restabelecido às 5h da Quarta-Feira de Cinzas. Por questões de segurança, o Metrô Rio informou ainda que as bilheterias das seguintes estações estarão fechadas: São Francisco Xavier, Uruguaiana, Flamengo, São Cristóvão, Triagem, Maria da Graça, Engenho da Rainha, Thomaz Coelho, Colégio, Coelho Neto, Acari / Fazenda Botafogo e Engenheiro Rubens Paiva.

Por fim, a concessionária alerta os passageiros para que adquiram os cartões pré-pagos a fim de agilizar o fluxo nas estações, e que serão aceitos, normalmente, os cartões unitários, vale transporte, bilhete único estadual e os cartões de integração. 

Por Fabio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

Leia também sobre:
READ MORE - Faixas de ônibus elevam em 14% número de passageiros em Sto.André

Florianópolis terá esquema especial de ônibus durante a madrugada neste carnaval

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Entre a sexta (28) e a Quarta-feira de Cinzas (5), o transporte coletivo de Florianópolis terá alterações para as festas de Carnaval da cidade. As linhas de ônibus que operam na madrugada terão mais horários de funcionamento e o transporte executivo terá alterações de percurso, já que a Praça XV e o Terminal Urbano Cidade de Florianópolis estarão interditados para passagem.
Foto: Lisandra Nienkoetter/G1
Nas linhas de ônibus que operam durante o dia, os veículos da segunda-feira (3) farão os horários da escala dos sábados e na terça-feira (4) será aplicado o horário dos domingos. Na sexta, sábado e quarta-feira, as escalas diurnas são as usuais. Confira a relação e trajetos no site da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana.

No período, os pontos de táxis das Praças XV e Pereira Oliveira e do Mercado Público serão transferidos para as ruas João Pinto, dos Ilhéus e 7 de Setembro, respectivamente.

Confira relação de ônibus que terão mais horários durante a madrugada (com saída da plataforma C do TICEN):
200 – Madrugadão Norte:
Centro/Bairro – 00h45 – 1h30 – 2h – 2h30 – 3h.
Bairro/Centro – 1h – 3h40

600 - Madrugadão Continente:
Centro/Bairro – 00h45 (final de semana e feriado passa para 00h30) – 1h – 1h30 – 1h45 – 2h – 2h15 – 2h45 (final de semana e feriado passa para às 2h30) - 3h – 3h30 – 4h30.

604 - Madrugadão Continente:
Centro/Bairro – 00h45 (final de semana e feriado passa para 00h30) – 1h – 1h30 – 1h45 – 2h – 2h15 – 2h30 – 2h45 (final de semana e feriado passa para às 2h30) 3h – 3h30 – 4h30.

500 - Madrugadão Sul:
Centro/Bairro – 1h – 1h35 – 2h10 – 2h25 – 3h10 – 4h35
Bairro/Centro – 1h20 – 2h05 – 2h35 – 3h30

501 - Madrugadão Sul via Tapera:
Centro/Bairro – 1h – 1h35 – 2h10 – 2h25 – 3h10 – 4h35
Bairro/Centro – 1h20 – 2h05 – 2h35 – 3h30

D565 - Ribeirão da Ilha Direto:
Centro/Bairro – 2h20
Obs.: Ponto final na Caieira da Barra do Sul.

301 - Madrugadão Sambaqui via Saco Grande:
Centro/Bairro – 1h – 3hR

764 - Monte Serrat:
Centro/Bairro – 0h – 1h10 – 2h15 – 3h15R

765 - Morro da Queimada:
Centro/Bairro – 00h40 – 1h50 – 2h45

768 - Morro do Horácio: 
Centro/Bairro – 00h15 – 1h30 – 2h45R

D766 - Morro do 25 via Morro da Nova Trento:
Centro/Bairro – 00h55 – 2h10

136 - Volta ao Morro Carvoeira - saída Sul:
Centro/Bairro – 00h15 – 1h – 2h – 3h – 4h

100 - Madrugadão Centro:
Centro/Bairro – 00h45 (final de semana e feriado passa para 00h30)– 1h30 – 2h30 – 3h30 – 4h20 (final de semana e feriado passa para às 4h30)

300 – Madrugadão Leste:
Centro/Bairro – 1h – 1h30 – 2h – 2h30 – 3h – 3h30 – 4h – 4h30 – 5h – 5h30
Bairro/Centro – 1h20 – 1h50 – 2h20 – 2h50 – 3h20 – 3h50 – 4h20 – 4h50
R = Recolhe

Veja a mudança do trajeto dos executivos:
O itinerário de 1120 - Executivo Canasvieiras, 1121 - Executivo Ingleses, 1122 - Executivo Ponta das Canas, 1123 - Executivo Jurerê, 1125 - Executivo Rio Vermelho Sítio de Cima, 1127 – Executivo Gaivotas e 1128 - Executivo Costa do Moçambique, O itinerário no sentido bairro/bairro a partir da Rua Bocaiúva será: Rua Almirante Lamego, Rua Duarte Schutel, Rua Hoepcke, Rua Conselheiro Mafra, Rua Francisco Tolentino, Rua Pedro Ivo, Avenida Paulo Fontes, Avenida Osvaldo Rodrigues Cabral, seguindo seu itinerário normal.

Já para 1112 – Executivo Santa Mônica, 1113 – Executivo Parque São Jorge 1115 – Executivo Córrego Grande Gama D´Eça, 1117 – Executivo João Paulo via Centro Administrativo, 2120 – Executivo Barra da Lagoa e 2123 – Executivo Lagoa da Conceição, o itinerário no sentido bairro/centro a partir da Rua Bocaiúva será: Rua Almirante Lamego, Rua Duarte Schutel, Rua Hoepcke, Rua Conselheiro Mafra, Rua Francisco Tolentino, Rua Pedro Ivo, Avenida Paulo Fontes, TICEN (passagem), Rua Professor Abelardo Gomes (ponto final provisório). No sentido centro/bairro: Rua Abelardo Gomes (ponto final provisório), Avenida Paulo Fontes, Avenida Hercílio Luz, Rua Emílio Blum, Praça Getúlio Vargas, Avenida Rio Branco, Avenida Prefeito Osmar Cunha, Avenida Prof. Othon Gama D’Eça, após seguirá seu itinerário normal.

As linhas 1114 – Executivo Córrego Grande Mauro Ramos e 2124 – Executivo Sambaqui, que passam na Avenida Mauro Ramos, farão o seguinte itinerário Centro/Bairro: Rua Abelardo Gomes (ponto final provisório), Avenida Paulo Fontes, seguindo seu itinerário normal. No sentido bairro/centro: normal até a Avenida Mauro Ramos, Avenida Gustavo Richard, TICEN (passagem), Rua professor Abelardo Gomes (ponto final provisório).

Informações: G1 SC
READ MORE - Florianópolis terá esquema especial de ônibus durante a madrugada neste carnaval

Metrô Rio terá funcionamento especial no Carnaval

Com a expectativa de receber cerca de 1 milhão de turistas para a festa mais popular do Brasil, o Rio de Janeiro armou um esquema de funcionamento especial de transporte público para o Carnaval 2014 tendo em vista a passagem dos blocos de rua pela cidade e também os desfiles das escolas de samba na Sambódromo.

Com as diversas interdições nas vias, principalmente do centro, o Metrô Rio se torna a melhor opção de deslocamento pela capital fluminense. A exemplo do que ocorre todos os anos, o serviço funcionará de forma ininterrupta a partir das 5h da próxima sexta-feira até 23h de terça-feira, sendo que as estações Central do Brasil e Praça Onze ficam abertas até 1h da Quarta-Feira de Cinzas.

Além disso, o folião poderá percorrer o percurso direto entre a estação Pavuna, na zona norte, até a General Osório, na zona sul, sem a necessidade de transferência entre as linhas vermelha e verde (1 e 2). A operação especial se repete ainda entre 5h de sábado e 23h de domingo para o Desfile das Campeãs.

Outra mudança importante diz respeito aos blocos de rua, que vão interferir no funcionamento específico de duas estações. Para a passagem do Cordão da Bola Preta, tradicional e centenário bloco do Rio, a estação Cinelândia do metrô permanecerá fechada ao longo de todo o sábado de Carnaval.

As opções serão as estações da Carioca (a 400 metros da Cinelândia) e Uruguaiana (distante 1,2 quilômetro). Na Carioca, o Metrô Rio montará um esquema de vendas de cartões unitários na parte externa da estação a fim de agilizar o fluxo de passageiros. O mesmo esquema volta a funcionar no dia 9 de março para a passagem do Monobloco pelo mesmo circuito.

Já em Ipanema, para as passagens do Simpatia Quase Amor e Banda de Ipanema, a estação General Osório funcionará em esquema distinto entre o sábado e terça-feira. O acesso pela rua dos Jangadeiros, praça General Osório e rua Teixeira de Melo servirá apenas para desembarque de passageiros. O embarque será realizado única e exclusivamente pela rua Sá Ferreira, já em Copacabana.

Estações fechadas
Ainda dentro deste novo esquema de funcionamento do Metrô Rio para o Carnaval, de acordo com a experiência adquirida pela concessionária ao longo dos anos, algumas estações ficarão fechadas por terem pouco acesso de passageiros e podendo ser compensadas por outras mais próximas. São elas: Presidente Vargas, Catete, e Maracanã, que estarão impedidas de receber passageiros entre 0h e 5h de sábado e fecharão às 0h de domingo.

O funcionamento destas estações será restabelecido às 5h da Quarta-Feira de Cinzas. Por questões de segurança, o Metrô Rio informou ainda que as bilheterias das seguintes estações estarão fechadas: São Francisco Xavier, Uruguaiana, Flamengo, São Cristóvão, Triagem, Maria da Graça, Engenho da Rainha, Thomaz Coelho, Colégio, Coelho Neto, Acari / Fazenda Botafogo e Engenheiro Rubens Paiva.

Por fim, a concessionária alerta os passageiros para que adquiram os cartões pré-pagos a fim de agilizar o fluxo nas estações, e que serão aceitos, normalmente, os cartões unitários, vale transporte, bilhete único estadual e os cartões de integração. 

Informações: Portal Terra

READ MORE - Metrô Rio terá funcionamento especial no Carnaval

Sem Acordo, Greve de ônibus em Curitiba continua

A reunião de conciliação entre grevistas e empresas do transporte coletivo de Curitiba que ocorria nesta quinta-feira (27) foi adiada para o dia 6 de março, depois do carnaval. Após duas reuniões entre motoristas, cobradores, representantes de empresas e do poder público, realizadas no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR), não houve acordo e a greve foi mantida. Até lá, o percentual mínimo de 50% dos ônibus nos horários de pico e 30% nos demais horários continua valendo.

Com a continuidade da greve, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, informou, via Twitter, que vai disponibilizar todos os carros oficiais da Prefeitura de Curitiba para o transporte dos moradores da capital. Os veículos devem ficar nos terminais e levar as pessoas de graça, com trajetos iguais aos das lotações provisórias autorizadas pela Urbs. "Nesta sexta-feira, dia 28, a Prefeitura disponibilizará ao longo do dia veículos da sua frota oficial para reforçar o transporte alternativo", postou Fruet às 18h14.

Por Antonio Senkovski e Raphael Marchiori
Gazeta do Povo

Logo após o anúncio, por volta das 18h30, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Curitiba informou que não tinha condições de informar quantos carros e exatamente que tipo de veículos vão circular nesta sexta-feira (27). Durante o dia, será feita uma força-tarefa pelo órgão para liberar carros para auxiliar no transporte alternativo. Fazem parte da frota de Curitiba automóveis e alguns veículos com capacidade de mais passageiros, como Kombis. Não havia previsão de horário para que os carros oficiais estejam nas ruas nesta sexta-feira.

O cálculo para a circulação mínima de ônibus deve ser feita com base na tabela de horários para feriados da Urbs. As linhas com poucos ônibus devem ter o arredondamento da quantia de veículos em circulação para cima, conforme orientação acertada no fim da reunião.


Ao suspender a audiência, o TRT-PR não descartou a hipótese de a data da reunião ser antecipada, caso haja acordo entre as partes. Nesta tarde, a o sindicato que representa as empresas ofereceu no máximo 7,36% de aumento, o que equivale a 2,1% de ganho real. A classe dos trabalhadores quer, no mínimo, 10,5%, além reajuste em outros benefícios. A questão volta a ser debatida em uma semana.

A audiência começou, por volta das 14h30, com as empresas oferecendo, inicialmente, uma contraproposta de 7,36%. Isso representa 2,1% a mais que a primeira proposta, de reajuste apenas para cobrir a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que ficou em 5,26% nos últimos 12 meses. Com 7,36% de aumento, os salários dos motoristas iriam para R$ 1.783 e os dos cobradores para R$ 1.009.

Na mesma proposta do Setransp aos funcionários estava a limitação do pagamento de um anuênio (gratificação anual) que já é fornecido aos trabalhadores. Se for aprovado o plano da empresa, os funcionários contratados a partir de agora, vão receber anuênio de 2%. Mas este percentual subiria 2% ao ano, durante cinco anos, até fechar 10%, quando o benefício seria suspenso.

Outra proposta

Logo após a primeira proposta feita pelos representantes do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), a desembargadora que conduz a reunião, Ana Carolina Zaina, sugeriu que a oferta de reajuste fosse elevada para 7,5%, uma redução de 3 pontos percentuais sobre a oferta de 10,5%, feita pela magistrada em reunião na quarta-feira (26).

O advogado do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), Elias Mattar Assad, disse que a proposta estava muito longe do reivindicado inicialmente. No começo, motoristas e cobradores queriam 16% e 22% de aumento acima da inflação em seus respectivos salários.

Logo após essa primeira discussão, no TRT, as partes presentes na reunião foram para salas reservadas para discutir as propostas e tentar chegar a um acordo. Na volta, o Ministério Público do Trabalho do Paraná (MPT-PR) sugeriu que os patrões paguem um aumento Ministério Público do Trabalho de 8,5% motoristas e 10,5% para cobradores. Isso ocorreu pouco antes de a audiência ser suspensa para semana que vem.

Segundo a Urbs, durante o horário de pico da manhã (das 6 às 8 horas) a quantidade de ônibus nas ruas não chegou a cumprir a decisão da Justiça, que determinou que 50% dos veículos trafegassem nesse horário. No período, a frota máxima detectada pela empresa foi de 44%, às 7h30.

Já ao longo do dia, a circulação de ônibus na capital estava em 55,45% por volta das 15 horas. Pela determinação da Justiça, nesse período o mínimo de ônibus que precisa circular é de 30% da frota.

Até as 18 horas, período considerado como horário de pico, a Urbs calcula que a circulação era de 45% da frota, abaixo da determinação do TRT.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal, todas as porcentagens estão sendo repassadas pela empresa municipal para a Justiça, que irá abrir um processo para a aplicação da multa. Neste caso, porém, o Sindimoc pode discordar dos números e apresentar contraprovas, como fotos e outros dados que contestem a os números da Urbs.

Por outro lado, a assessoria de imprensa do TRT declarou que não deu início ao processo para o julgamento da multa, já que o Tribunal prioriza a resolução da briga entre padrões e empregados.

Garagens da RMC são liberadas

Durante a manhã, duas garagens da região metropolitana foram bloqueadas por grevistas e ônibus não puderam sair para cumprir a determinação de frota mínima da Justiça. Os locais prejudicados foram a empresa Viação Tamandaré, na cidade de mesmo nome; e a empresa Viação do Sul, no bairro Abranches, em Curitiba.

Na primeira, às 11 horas o portão da garagem foi liberado para parte dos coletivos fazerem as linhas. Às 17 horas, 25 ônibus da empresa circulavam, entre eles ligeirinhos (como o Tamandaré-Curitiba), alimentadores e ônibus convencionais. Dois coletivos da Viação Antonina, que integra a empresa, também foram liberados.

Na segunda, a situação foi normalizada por volta das 13 horas e oito ônibus de três linhas operadas pela empresa voltaram a circular. Veículos das linhas Minérios, Vila Marta, Tanguá e Lamenha (Tamandaré-Curitiba) transportavam passageiros às 17 horas. Estavam sem ônibus nos itinerários as linhas Rio Branco-Curitiba, Itaperuçu-Rio Branco e Itaperuçu-Curitiba.

Informações: Gazeta do Povo

READ MORE - Sem Acordo, Greve de ônibus em Curitiba continua

Prefeitura de SP estuda proibir táxis nos corredores apenas em horário de pico

A Prefeitura de São Paulo estuda proibir a circulação de taxistas apenas em horários de pico e permitir que esses veículos continuem usando os espaços no restante do dia. A exclusão dos taxistas dos corredores foi pedida pelo Ministério Público de São Paulo à prefeitura, que apresentou um estudo mostrando que a velocidade dos ônibus é limitada em até 31,6% em razão dos táxis.

Agora, a prefeitura realizou um novo estudo separando o impacto para os ônibus nos horários de pico e nos entrepicos. “Até por recomendação do MP, decidiu-se segmentar. Separar o horário de pico do entrepico para verificar se há prejuízo para os ônibus se há prejuízo durante todo o dia ou se é possível flexibilizar”, disse Haddad.

O prefeito não especificou horário. Atualmente, o horário de pico em que o rodízio funciona na cidade é das 7h às 10 e das 17h às 20h.

Os corredores são as faixas voltadas a ônibus que ficam à esquerda de algumas avenidas da cidade, como Santo Amaro, Rebouças e Nove de Julho. Nas faixas exclusivas, os táxis já não podem circular.

Nesta quarta, o secretário dos Transportes, Jilmar Tatto, vai se reunir com o promotor Maurício Antônio Ribeiro Lopes para debater o tema. O MP deu prazo até o início de fevereiro para que a Prefeitura determinasse a retirada dos táxis dos corredores. A categoria protestou, e o promotor permitiu que os taxistas entregassem então um estudo encomendado pela categoria sobre o impacto dos táxis nos corredores.

A cidade tem atualmente 34 mil taxistas. Apesar da pressão da categoria, Haddad afirma que a decisão será técnica e que "não vai se fazer política porque é a mobilidade da cidade que está em jogo", disse.

Estudo
O primeiro estudo da Prefeitura de São Paulo mostrou que a velocidade do ônibus é limitada em 25,5% no sentido bairro-Centro e 31,6% no sentido Centro-bairro. “Se constatou o que é olhos vistos. Tudo que entra no corredor atrapalha o ônibus. A gente só não sabia o quanto. E verificamos que 1% dos usuários de carro atrapalham 99% dos usuários do transporte coletivo”, afirmou o secretário Jilmar Tatto no dia 17 de dezembro.

Na ocasião, o MP anunciou que daria prazo de 45 dias à Prefeitura de São Paulo para que os táxis perdessem a permissão de circular nos corredores.

READ MORE - Prefeitura de SP estuda proibir táxis nos corredores apenas em horário de pico

Em Santo André, Passageiros reclamam de superlotação

Superlotação e longo tempo de espera são as principais reclamações dos usuários do terminal de ônibus da Vila Luzita, em Santo André. A estação tem apenas duas plataformas de embarque e desembarque, o que aumenta a concentração de passageiros, principalmente nos horários de pico. O equipamento entrou em funcionamento em setembro de 2001 e é administrado pela concessionária Expresso Guarará, que também opera as 16 linhas municipais que atendem o local.

“A população da Vila Luzita cresceu muito nos últimos anos. O bairro virou praticamente um segundo Centro. Este terminal ficou pequeno e já não dá mais conta de atender a toda demanda”, opina a fotógrafa Jaqueline Silva dos Reis, 24 anos, que mora na região desde 1997.

A passageira relata que o aperto não ocorre somente nas plataformas, mas também no interior dos coletivos. “Nós vamos prensados dentro do ônibus. Principalmente de manhã.” A moradora observa também que há falhas na sinalização. “Em São Paulo, os terminais têm painéis eletrônicos que mostram o tempo de espera. Aqui, os funcionários sempre dizem que está chegando, mas é comum termos de aguardar mais meia hora, pelo menos”, lamenta.

Além da superlotação, a balconista Célia Ferraz da Silva, 27, classifica como desconfortável a área para espera dos veículos. “Não tem onde sentar. Os idosos são os que mais sofrem com isso, ainda mais que, quando tem algum lugar vago, ninguém respeita”, critica. Pelas duas plataformas estão espalhados 11 bancos, cada um com capacidade para quatro pessoas, totalizando 44 espaços.

A porteira Roseli Aparecida de Oliveira, 45, avalia que os sanitários foram colocados em posição que prejudica os usuários. “Os banheiros estão antes das catracas. Se alguém que já embarcou precisar usar o toalete, terá de sair e pagar outra passagem para retornar”, denuncia.

A equipe do Diário esteve no terminal no fim da tarde de ontem. O espaço de maneira geral é bem conservado, mas apresenta problemas. Um deles é a passagem em nível de uma plataforma para a outra. O acesso, que deveria ser utilizado apenas por idosos e deficientes, estava liberado para todos os passageiros, gerando risco de atropelamento ao atravessar a pista. A travessia deveria ser feita por um dos túneis disponíveis.

Empresa admite excesso de demanda

Responsável pela administração do Terminal da Vila Luzita, a Expresso Guarará reconhece o excesso de demanda na estação. O diretor da empresa, Francesco Tripicchio, afirma, entretanto, que qualquer mudança na quantidade de veículos destinada a atender à demanda da região necessita de autorização da SATrans, autarquia que gerencia o Transporte em Santo André.

“Nós trabalhamos com base na ordem de serviço operacional. A frota é definida de acordo com a mudança. É necessário estudo para que as alterações possam ser feitas”, explica o diretor. Ele afirma, no entanto, que o intervalo entre os veículos no horário de pico da manhã chega a quatro minutos nas linhas troncais – os itinerários que vão do bairro até o Centro.

Tripicchio salienta que a melhoria no sistema depende da fluidez nas faixas exclusivas para ônibus na região central, pois, sem congestionamento nesses espaços, os coletivos retornariam para o terminal em tempo menor, gerando menos transtornos. 

por Fábio Munhoz

Leia também sobre:
READ MORE - Em Santo André, Passageiros reclamam de superlotação

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960