Mais 100 ônibus integram a ecofrota de São Paulo

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

A qualidade do transporte na cidade de São Paulo conta diretamente para a melhoria do meio ambiente. Esse foi o principal tema discutido no evento que ocorreu na última quarta-feira, 18 de dezembro, quando foram anunciados os 395 veículos que agora, são abastecidos com Diesel de Cana. Representantes da SPTrans, João Carlos Fagundes e Pedro Rama, participaram do evento.

"Essa expansão é parte de um plano, que poderá contar nos próximos anos com uma frota de ônibus ainda maior que utilize o combustível renovável, que tem como finalidade diminuir a emissão de gases poluentes e, consequentemente melhorar a qualidade do ar para os paulistanos", disse Fagundes no evento.



Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP

Esse biocombustível é totalmente brasileiro e é composto de Diesel de Cana, uma solução renovável, barata, já que não é necessária qualquer alteração ou adaptação nos tanques dos ônibus e o principal, representa a redução de até 82% na emissão dos gases de efeito estufa. Além, da diminuição de aproximadamente 3.800 toneladas de CO2 emitidas na atmosfera, por ano.

A SPTrans já contava com 295 veículos abastecidos com Diesel de Cana, agora são mais 100, esses novos fazem parte da frota de ônibus Viação Santa Brígida, organizadora do evento. Outras viações também utilizam esse combustível e o objetivo é que todas as empresas credenciadas pela SPTrans utilize este método de abastecimento e contribua com a qualidade do ar de São Paulo.

A Ecofrota é formada por todos os veículos que emitem menos ou zero poluentes. Os B20, composto de 20% de biodiesel e 80% de diesel comum; A10, composto por 10% de diesel de cana de açúcar e 90% de diesel comum; Etanol, composto por 100% etanol; e os Trólebus, ônibus elétricos.

Informações: SPTrans








READ MORE - Mais 100 ônibus integram a ecofrota de São Paulo

Em Curitiba, Painéis informam horário do ônibus em tempo real

Usuários de 19 dos 21 terminais urbanos de transporte de Curitiba contam com um importante apoio na hora de pegar seu ônibus. Os painéis eletrônicos que inicialmente só informavam horários da tabela dos ônibus, agora informam também o horário real em que o próximo ônibus vai sair.

Instalados no ano passado, os painéis só foram efetivamente ligados neste ano e, a partir de setembro, passaram ser conectados diretamente ao Centro de Controle Operacional (CCO) que monitora os ônibus em tempo real.

A professora Isabel Garcia passava pela plataforma do Expresso Circular Sul, no Terminal Hauer, quando o painel mostrava os três próximos horários de saída; o primeiro deles, 10h32, o momento exato em que o ônibus encostou na plataforma.

“Normalmente a gente sabe mais ou menos o horário do ônibus, mas agora é possível ter certeza. E se perder o primeiro, é possível saber quanto vai esperar”, afirmou.

O estudante de enfermagem Gabriel Cieslak, que utiliza diariamente a linha Inter 2, também aprovou a novidade. “Faz toda diferença. Quando chego na ponta do terminal consigo visualizar a hora e saber se preciso me apressar ou se ainda tenho alguns minutos. O bom é que você fica sabendo do próprio ponto, sem precisar procurar informação”, afirmou. “Antes era muito ruim, precisava sair do ponto para pedir informação e às vezes, bem nessa hora é que chegava o ônibus” completou.
No terminal Portão, onde o sistema também funciona em tempo real, a enfermeira aposentada Maria Aparecida Reginaldo, que regressou a Curitiba há pouco depois de morar na capital paulista, disse estar encantada com o transporte coletivo na cidade. “Informação é tudo. Aqui já sei quando o ônibus vai chegar.”, diz Maria Aparecida, que usa diariamente ônibus das linhas Cabral-Portão; Uberlândia e Santa Cândida-Capão Raso.

Como Aparecida, o marceneiro Wagner Oliveira não tem dúvida. “É uma tranquilidade. Eu não uso essa linha, normalmente uso o Campo Comprido, e quando cheguei no ponto e vi o horário, foi um alívio. Nem precisei perguntar”, afirmou enquanto esperava o Interbairros IV no terminal Portão, com previsão de chegada em cinco minutos.

Como funciona — Os painéis eletrônicos estão instalados em todos os terminais e estações tubo, à exceção de 38 deles, previstos para as estações no trecho do desalinhamento nas avenidas Paraná, João Gualberto e Sete de Setembro, e no terminal Santa Cândida, que está em obras.

São no total 694 painéis. Destes, 656 estão instalados e 417 conectados com o CCO, oferecendo informação do horário de saída dos ônibus em tempo real. O painel mostra o número e o nome da linha e os próximos três horários da tabela de programação dos ônibus. Estes horários são atualizados quando se confirma a previsão de tempo que o ônibus vai levar para chegar. Assim, o usuário tem condições inclusive, de saber se o ônibus está atrasado e em quanto tempo.

Os painéis também trazem mensagens institucionais de orientação e cidadania. Uma delas, por exemplo, destaca que ceder lugar para idosos e pessoas com deficiência, além de um gesto de educação e solidariedade, é exigência legal. Outra mensagem aborda a importância do cuidado com o patrimônio público e alerta que é proibida a comercialização de produtos dentro dos ônibus, terminais e estações tubo.

Outra novidade é a possibilidade de o CCO encaminhar uma mensagem direcionada a um usuário específico, como um serviço de recado, o que pode ser útil, por exemplo, em caso de crianças que tenham se perdido de familiares.

Informações: Bem Paraná
READ MORE - Em Curitiba, Painéis informam horário do ônibus em tempo real

Em SP, Passageiro de ônibus economiza 38 minutos por dia com faixas, diz CET

A implantação das faixas de ônibus em São Paulo gerou um ganho, em média, de 38 minutos por dia do tempo de viagem dos passageiros de transporte coletivo, de acordo com levantamento feito pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e divulgado pela prefeitura da capital paulista nesta sexta-feira. 
Foto: Renato S. Cerqueira / Futura Press
O levantamento, de acordo com a CET, levou em consideração as velocidades médias praticadas nas faixas exclusivas, o tempo de deslocamento dos paulistanos dentro dos ônibus e também o impacto da lentidão nas vias - antes e após a implantação das faixas. 

Segundo o levantamento, a velocidade média desenvolvida nas faixas exclusivas teve aumento de 45,1% nas vias segregadas, e passou de 14,4 para 20 quilômetros por hora. A medição foi feita de 28 de novembro a 16 de dezembro. 

Lentidão na cidade
De acordo com a CET, de janeiro a novembro deste ano, a média dos índices máximos de lentidão na capital paulista a 142 quilômetros. No mesmo período de 2012, a medição alcançou 132 quilômetros e, em 2011, 116. Nas vias que receberam faixas exclusivas de ônibus, o trânsito teve uma “acomodação geral”, de acordo com a prefeitura.

Informações: Terra



Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Em SP, Passageiro de ônibus economiza 38 minutos por dia com faixas, diz CET

Aplicativo instalado em ônibus de Uberlândia ajuda passageiros

Um aplicativo instalado nos ônibus de transporte coletivo de Uberlândia mostra o momento exato em que o ônibus vai passar. O equipamento, que também monitora a velocidade e as freadas bruscas dos veículos, busca reduzir as reclamações sobre a demora. As empresas que não cumprirem o contrato serão multadas.

O monitoramento começou há mais de três anos e, atualmente, todos os ônibus têm um GPS instalado. O equipamento ajudou a melhorar a fiscalização do serviço, de acordo com o secretário de Trânsito e Transportes (Settran), Alexandre Andrade. "Com isso nós conseguimos ter um melhor controle e evidentemente melhorar a qualidade nos serviços", afirmou.
Os usuários do transporte coletivo da cidade têm acesso às informações do GPS em um aplicativo que mostra a hora exata que o ônibus passa. Além disso, o sistema também acusa quando o motorista comete erros, como freadas bruscas. "Nós instalamos nos ônibus da nossa frota um sistema que faz a leitura dos sensores instalados no motor do veículo, no freio e na embreagem", explicou o gerente de uma das empresas responsáveis pelo transporte na cidade, Alaor Morais.

Quando ocorrem os erros, uma luz acende no ônibus e um alerta aparece no painel que fica na central da empresa. Com isso, a cada semana, um relatório é gerado com a nota do motorista. "Se essa nota for muito baixa eu passarei para os instrutores para que eles possam fazer um acompanhamento em campo de cada motorista", disse o monitor de telemetria Wagner Correia.

A pontuação varia de zero a 100. O motorista Sidney Pedrosa, por exemplo, alcançou a nota 98. "Quero chegar a 100. Apesar de ser difícil, vou tentar, vou trabalhar para isso", concluiu.

Informações: G1 Triângulo Mineiro
READ MORE - Aplicativo instalado em ônibus de Uberlândia ajuda passageiros

Em São Paulo, Corredor da 23 de Maio exigirá túnel e 3 viadutos

Viadutos, túnel e ciclovias. Os futuros corredores de ônibus vão chamar a atenção pela complexidade. O BRT Norte-Sul, que utilizará o canteiro central de avenidas como Tiradentes, 23 de Maio, Rubem Berta e Moreira Guimarães, terá uma passagem subterrânea sob a Praça Campo de Bagatelle, em Santana, na zona norte, e três viadutos na região do Parque do Ibirapuera, na zona sul.

Avaliado em R$ 733 milhões, esse corredor contará com 34 paradas e 25,4 km de extensão, entre Santana, que ganhará um novo terminal de ônibus, e a região do Grajaú, na zona sul. Segundo a São Paulo Transporte (SPTrans), a obra desse corredor começa nos próximos seis meses e acaba no fim de 2016, último ano do mandato do prefeito Fernando Haddad (PT).

O edital para a contratação de empresa ou consórcio interessado na construção desse BRT foi publicado no início do mês. A abertura dos envelopes dos interessados está marcada para o dia 9.

Segundo a SPTrans, os viadutos levarão os ônibus da 23 de Maio a outros eixos da região, como as Avenidas Ibirapuera, Pedro Álvares Cabral e Professor Ascendino Reis. Essas estruturas, no entanto, não devem começar a ser construídas na primeira fase da obra.



Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP

Na porção norte, um túnel sob a Praça Campo de Bagatelle permitirá aos ônibus evitar o trânsito da rotatória, desembocando direto em uma parada de ônibus pouco antes da Ponte das Bandeiras. Ao longo do traçado, esse corredor consumirá trechos do canteiro central de avenidas como a Tiradentes e a 23. Faixas de rolamento para carros também serão suprimidas. Perto do Viaduto Santa Generosa, o número de faixas poderá cair de cinco para três nos pontos onde os ônibus ganharão áreas de ultrapassagem.

Bicicletas. No início do ano, o prefeito Haddad havia garantido que todos os novos corredores ganhariam ciclovias. O projeto da que ficará ao lado do BRT Norte-Sul ainda não foi concluído, mas as que acompanharão outros dois corredores, o da Avenida Celso Garcia, na zona leste, e o que passará pela Avenida dos Bandeirantes, na zona sul, já foram definidos.

No caso da Bandeirantes, serão 7,7 km de ciclovias. Esse corredor terá 16 paradas e custará R$ 400 milhões. Já o da Celso Garcia está orçado em R$ 597 milhões, com 26 km e 42 paradas. Ambos começam a ser construídos no primeiro semestre. A conclusão está prevista para o fim de 2016.

Informações: Boa Informação
READ MORE - Em São Paulo, Corredor da 23 de Maio exigirá túnel e 3 viadutos

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960