Etufor altera ponto final de linhas do Centro de Fortaleza

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

A Prefeitura de Fortaleza, por intermédio da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), irá modificar o ponto final de algumas linhas do Centro que circulam pela R. General Sampaio. O objetivo é aliviar o trânsito desta via, tornar o percurso das linhas mais rápido, além de garantir mais comodidade e segurança durante o embarque e desembarque dos passageiros. A mudança acontecerá no próximo sábado, dia 23/11.
Algumas linhas passarão a parar na Av. Tristão Gonçalves, no trecho entre as ruas Guilherme Rocha e Liberato Barroso (Foto: Queiroz Netto)
As linhas afetadas são 310 - Campus Universitários/Pan Americano, 320 - João XXIII/Centro, 371 - Parangaba/José Bastos e 390 - Parangaba/João Pessoa. Todas elas tinham como ponto final a parada localizada na R. 24 de maio, entre as ruas Pedro I e R. Pedro Pereira. A partir da mudança, as linhas passarão a parar na Av. Tristão Gonçalves, no trecho entre as ruas Guilherme Rocha e Liberato Barroso. Além disso, os itinerários dessas linhas serão ampliados e passarão a seguir pela Av. Tristão Gonçalves até a R. Senador Alencar e retornarão pela Av. Imperador.


Já o ponto final das linhas 303 - Igreja São Raimundo, 305 - Bela Vista/Humberto Monte, 333 - Bom Jardim/Centro, 365 - Bela Vista/Viriato Ribeiro, que antes era na Rua Pedro I, entre a R. 24 de Maio e General Sampaio, passará a ser na Rua 24 de Maio, entre as Ruas Pedro Pereira e Pedro I. Com a alteração, essas linhas passarão a fazer o seguinte itinerário: R. Gen. Sampaio, Av. Duque de Caxias, Av. Tristão Gonçalves, R. Pe. Pereira, R. 24 de maio e retorna ao itinerário original, pela Av. Imperador.

As linhas que passarão por alteração serão supervisionadas pelo sistema de monitoramento via GPS e, em caso de dúvidas, os usuários podem procurar agentes da Etufor nas paradas que foram afetadas.

Clique abaixo para acessar os mapas:

310 – Campus Universitários/Pan Americano, 320 – João XXIII/Centro, 371 – Parangaba/José Bastos e 390 – Parangaba/João Pessoa

303 - Igreja São Raimundo, 305 - Bela Vista/Humberto Monte, 333 - Bom Jardim/Centro, 365 - Bela Vista/Viriato Ribeiro

Informações: Etufor

READ MORE - Etufor altera ponto final de linhas do Centro de Fortaleza

Rio: Pesquisa aponta o principal problema de mobilidade em Petrópolis

Mais de 30% dos moradores do Centro Histórico de Petrópolis, Região Serrana do Rio, apontaram o congestionamento como principal problema de mobilidade no município. O resultado é fruto de uma pesquisa feita pela prefeitura, por meio da Secretaria de Planejamento, e da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transporte (CPTrans) sobre mobilidade urbana, que foi divulgada nesta semana. Foram entrevistadas 387 pessoas, dentre as quais 25,2% indicaram a expansão do transporte coletivo como uma das soluções para o problema.

Com o resultado da pesquisa, foram colhidas informações sobre os hábitos e as soluções esperadas pelos petropolitanos para o trânsito e o transporte. A pesquisa apontou que mais da metade dos entrevistados, 53,2%, utilizam o carro pelo menos uma vez por semana. Entre os outros meios de transporte mais usados, o transporte coletivo foi apontado por 41,1% das pessoas e 38% disseram que se locomovem a pé.
Outro ponto abordado no questionário revelou que 12% dos entrevistados fazem o uso de bicicletas. Esse foi um dos dados considerados importantes para o coordenador da pesquisa, o assessor de planejamento da Secretaria, Rodrigo Xavier.


“É importante pensar que a mobilidade urbana sustentável é focada no deslocamento dos pedestres, e não de automóveis. A pesquisa é uma oportunidade de saber como o cidadão petropolitano, principalmente o do Centro Histórico, vê a mobilidade urbana da sua cidade. Qualificar calçadas é hoje um dos maiores desafios da mobilidade urbana em Petrópolis”, disse Rodrigo, que lembrou que 7% dos entrevistados reclamaram do estado de conservação das calçadas.

Em relação ao tempo de deslocamento entre casa e trabalho, 30,5% afirmaram que levam menos de 15 minutos, 27% disseram que demoram entre 15 e 30 minutos, 23,1% levam de 30 a 45 minutos, e 14,5% responderam que demoram até uma hora. Outros 4,8% não responderam. A prefeitura planeja, ainda, um estudo sobre a mobilidade urbana em todo o município.

Informações: G1 Região Serrana
READ MORE - Rio: Pesquisa aponta o principal problema de mobilidade em Petrópolis

Mais de 15 mil solicitações foram feitas neste ano na ouvidoria do Transporte Urbano do Distrito Federal

Mais de 15 mil solicitações foram feitas neste ano na ouvidoria do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) até meados deste mês, o que corresponde a uma média de 1,5 mil manifestações mensais.

"A maior parte das demandas está relacionada a reclamações, como a falta de cumprimento de horários", detalha o diretor-geral da DFTrans, Marco Antonio Campanella. "As demandas são protocoladas e encaminhadas à Gerência de Fiscalização, que autua as empresas, caso as irregularidades sejam constatadas", complementa.


O canal para os usuários registrarem demandas, sugestões ou pedir informações é o 162, que pode ser acionado gratuitamente se a ligação for feita de telefone fixo. O serviço funciona das 8h às 18h, inclusive em feriados e fins de semana.

A ouvidoria também pode ser acessada pelo site www.dftrans.df.gov.br, por meio do banner "Ouvidoria Transportes", à direita da página. No espaço, os usuários podem registrar solicitações, por meio do menu “Canais de Atendimento”.


Pela página eletrônica, o cidadão acompanha o andamento das demandas por meio de protocolo. Para isso, deve guardar o número do documento e da senha gerados após o registro da manifestação.

Acesso – O 162 foi lançado em março deste ano. O serviço, que centralizou todas as ouvidorias do GDF, diminuiu o tempo de atendimento para 2 minutos e ampliou o acesso aos órgãos responsáveis pela resolução das demandas. O acesso anterior, pelo 156, não era exclusivo para esse serviço.

"Ao ligar, é importante o usuário registrar as solicitações com o máximo de detalhes. Se for, reclamação, por exemplo, o passageiro deve levantar os números da linha e do veículo, além do nome da empresa", explica Campanella.

Informações: DFTrans
READ MORE - Mais de 15 mil solicitações foram feitas neste ano na ouvidoria do Transporte Urbano do Distrito Federal

Em Fortaleza, Cadastro para gratuidade infantil começa nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira (25/11), a Prefeitura de Fortaleza iniciará o cadastro das crianças menores de sete anos para a gratuidade no transporte coletivo. O projeto Cartão da Gratuidade Infantil, executado em parceria pelo Gabinete da Primeira Dama, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) e a Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos (SCDH), garantirá mais dignidade às crianças. Com a mudança, todas elas terão um cartão que irá liberar a catraca, garantindo o passe livre nos ônibus e vans.

Para a criança receber o benefício, o pai, mãe e/ou responsável legal deverá comparecer a um dos postos de cadastro e apresentar a documentação necessária. Durante o cadastro, a criança realizará a biometria facial e de estatura, nos casos com altura até 1,10m (um metro e dez centímetros).

Crianças que possuem carteira de estudante poderão realizar o procedimento em um dos postos do Bilhete Único (nos terminas ou praças José de Alencar e Coração de Jesus) ou na sede do Sindiônibus (Av. Borges de Melo, 60, Aerolândia).  Os demais casos - crianças que não têm carteira de estudante ou não são estudantes - deverão fazer a solicitação na sede da Etufor (Av. dos Expedicionários, 5677 – Vila União), munidos da documentação necessária.


A confecção de um cartão exclusivo para a gratuidade e a realização do cadastro com a biometria são medidas adotadas pela Prefeitura para garantir a seguridade do projeto, além de agilizar o embarque das crianças nos coletivos. “A medida irá facilitar o reconhecimento das crianças que tem direito ao benefício, evitando dúvidas por parte dos cobradores, sem falar que evitaremos o constrangimento delas terem que passar por debaixo da catraca”, acrescenta Rogério Pinheiro, Presidente da Etufor. Ainda segundo o presidente da Etufor, as crianças que não realizarem o cadastro permanecerão com o direito à gratuidade garantido, mas terão que continuar utilizando os procedimentos anteriores.   

Quem tem direito à gratuidade
- Crianças com até 7 anos;
- Crianças com altura até 1,10m (um metro e 10 centímetros de altura).

Onde fazer o cadastro e a documentação necessária- Crianças que possuem carteira de estudante de 2012 ou 2013
Local de cadastro: Postos do Bilhete Único.
Documentação: carteira de estudante e comprovante de residência com CEP.

- Crianças que estudam, mas não tem carteira de estudante
Local de cadastro: Etufor.
Documentação: declaração de matrícula, fotos 3x4, RG e CPF do responsável, certidão de nascimento do beneficiário e comprovante de residência com CEP.

- Crianças que não estudam
Local de cadastro: Etufor.
Documentação: RG e CPF do responsável, certidão de nascimento do beneficiário e comprovante de residência com CEP.

- Crianças acima de 7 anos, mas com altura até 1,10m
Local de cadastro: Etufor.
Documentação: ver documentação de acordo com as opções acima.

Informações: Etufor

READ MORE - Em Fortaleza, Cadastro para gratuidade infantil começa nesta segunda-feira

Em São Paulo, Bilhete Único Mensal para trem, metrô e ônibus custará R$ 230

A Prefeitura de São Paulo e o governo do Estado anunciaram nesta quinta-feira (21) que o Bilhete Único Mensal integrado, que servirá para trem, metrô e ônibus de São Paulo, custará R$ 230 por mês. A integração permitirá que os passageiros utilizem as linhas municipais de ônibus e a rede metro-ferroviária quantas vezes quiserem durante 31 dias. O Bilhete Único Mensal para ônibus custará R$ 140, assim como o bilhete estadual, específico para metrô e trens.

A São Paulo Transporte (SPTrans) vai cadastrar também os usuários do Bilhete Único estadual, que permitirá o uso de metrô e trens de forma ilimitada ao longo de um mês. Assim como o Bilhete Único Mensal integrado, que valerá para ônibus, metrô e trens, os dados serão unificados pela Prefeitura da capital.

O cadastro para o Bilhete Único Mensal, que valerá só para ônibus, está aberto desde abril e até segunda-feira (18) havia registrado 136 mil inscrições. Os três bilhetes começarão a funcionar no dia 30 deste mês. Para anunciar a adesão do governo do Estado ao Bilhete Único Mensal, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) se comprometeu a comparecer à sede da Prefeitura hoje. O benefício é uma promessa de campanha do prefeito Fernando Haddad (PT) - na proposta inicial, o cartão valeria apenas em viagens de ônibus.

Após as manifestações de junho, aconteceu o contrário: o prefeito compareceu ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo, para anunciar com Alckmin a diminuição do preço da passagem de ônibus e metrô. O governador reiterou a participação do Estado no projeto de Haddad anteontem: "Para viabilizar o bilhete mensal, determinamos a entrada do trem e do metrô". E confirmou a criação de um cartão exclusivo para os trilhos. "Cerca de 30% das pessoas usam só trem e metrô. Para essas, faremos outro cartão."

Com a adesão do Estado, a cidade passará a ter três modelos de bilhete mensal: um integrado, um válido apenas para os ônibus e outro apenas para o transporte sobre trilhos. O integrado custará R$ 230 e os outros, R$ 140. O usuário poderá usá-los quantas vezes quiser por um mês nos modais de transporte escolhidos.

O cartão será o mesmo, mas terá quatro funcionalidades - além dos três bilhetes que começarão a valer no dia 30, também comportará o Bilhete Único comum, que é carregado conforme o uso. O usuário só terá de escolher a opção mais conveniente quando for carregá-lo.

Toda a tecnologia para o cartão foi desenvolvida pela SPTrans. A Prefeitura ficará responsável por repassar os dados dos usuários ao governo do Estado. A administração municipal afirmou que não consegue medir qual será o aumento de cadastros a partir da abertura aos outros tipos de bilhete. Dos R$ 230 cobrados pelo integrado, R$ 110 devem ir para a Prefeitura e R$ 120, para o Estado. O bilhete deve custar R$ 45 milhões mensais em subsídios para o governo estadual.

Informações: Agência Estado



Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Em São Paulo, Bilhete Único Mensal para trem, metrô e ônibus custará R$ 230

No Recife, CTTU implanta intervenções em 31 ruas de Boa Viagem

Para melhorar a mobilidade da Zona Sul da cidade, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) começou a realizar as intervenções que variam entre mudança de sentido, manutenção na sinalização horizontal e vertical e implantação de carga de descarga em 31 vias do bairro de Boa Viagem. Todas elas fazem ligação entre as avenidas Conselheiro Aguiar e Engenheiro Domingos Ferreira.

O pacote de mudanças faz parte do Projeto Bairro Legal, implantado nos bairro do Pina e Boa Viagem no dia 14 de agosto, e tem como principal objetivo melhorar a mobilidade de todo o bairro, à medida que permite o tráfego sem retenções nas vias em questão.



Para Taciana Ferreira, presidente da CTTU, “a mudança é fundamental para o ordenamento do trânsito e facilita muito o fluxo das avenidas Conselheiro Aguiar e Engenheiro Domingos Ferreira, dois dos principais corredores da Zona Sul. Uma das medidas que merece destaque é a escolha de locais específicos para se fazer a carga e descarga, o que vai beneficiar os estabelecimentos comerciais e a mobilidade da área”.

Agentes da CTTU estarão no local para fiscalizar as vias e monitorar o tráfego e os arte-educadores vão informar e alertar pedestres e motoristas que trafegam pelo bairro sobre as mudanças feitas. A sinalização horizontal implantada e as 130 placas de sinalização também indicam a nova circulação da área.

Abaixo, confira as ruas que receberão as mudanças:

Rua Zeferino Galvão – Mudança de sentido. A via, que era mão-dupla, passa a permitir o fluxo no sentido Avenida Engenheiro Domingos Ferreira / Avenida Conselheiro Aguiar;
Rua Henrique Capitulino – Manutenção na sinalização. O estacionamento, que era proibido dos dois lados, fica permitido apenas do lado esquerdo da via;

Rua Professor Eduardo Wanderley Filho - Mudança de sentido. A via, que era mão-dupla, passa a permitir o fluxo no sentido Avenida Engenheiro Domingos Ferreira / Avenida Conselheiro Aguiar;

Rua Tenente João Cícero - Mudança de sentido. A via, que era mão-dupla, passa a permitir o fluxo no sentido Avenida Conselheiro Aguiar / Avenida Engenheiro Domingos Ferreira. Também haverá a implantação de local para carga e descarga na via;

Rua Maria Carolina - Mudança de sentido. A via, que era mão-dupla, passa a permitir o fluxo no sentido Avenida Conselheiro Aguiar / Avenida Engenheiro Domingos Ferreira;

Rua Faustino Porto – Proibição de estacionamento do lado esquerdo da via em determinados horários: dias úteis entre 6h e 20h e sábado entre 6h e 14h;

Rua José Trajano - Mudança de sentido. A via, que era mão-dupla, passa a permitir o fluxo no sentido Avenida Conselheiro Aguiar / Avenida Engenheiro Domingos Ferreira;

Rua Pedro Bérgamo – Manutenção na sinalização. Além disso, haverá a implantação de local para carga e descarga do lado direito da rua.

Rua Carlos Pereira Falcão - Mudança de sentido. A via, que era mão-dupla, passa a permitir o fluxo no sentido Avenida Conselheiro Aguiar / Avenida Engenheiro Domingos Ferreira;

Rua Desembargador João Paes – Implantação de local para carga e descarga do lado esquerdo da via;

Rua Coronel Sérgio Cardim – Inversão de sentido. A via, que permitia o fluxo no sentido Avenida Conselheiro Aguiar / Avenida Engenheiro Domingos Ferreira, passa a ser no sentido contrário. O estacionamento também passa a ser proibido do lado esquerdo da via;

Abaixo, confira as ruas que receberão manutenção na sinalização:

Rua Jornalista Adeth Leite;
Rua Jornal Vanguarda;
Rua Arthur Muniz;
Rua Senador Hélio Coutinho;
Rua Jornalista Francisco de Almeida;
Rua Dona Benvinda de Farias;
Rua Professor José Brandão;
Rua Padre Bernardino Pessoa;
Rua Antônio Falcão;
Rua Mamanguape;
Rua Félix de Brito;
Rua Ernesto de Paula Santos;
Rua Padre Carapuceiro;
Rua Dália;
Rua Bruno Veloso;
Rua Ribeiro de Brito;
Rua Dom José Lopes;
Rua Coronel Benedito Chaves;
Rua Professor Aloísio Pessoa de Araújo;
Rua Barão de Souza Leão.

OUTRAS MUDANÇAS - A Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano, através da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) tem se empenhado para encontrar soluções eficazes e com baixo custo aos cofres públicos. A expectativa da Companhia é que, a cada semana, até o fim do ano, seja feita uma mudança importante nas vias.

Confira as mudanças realizadas em 2013 pela CTTU:

23 de fevereiro: Proibição de giro à esquerda na Agamenon Magalhães com Odorico Mendes;

01 de abril: Proibição de dois giros à esquerda na Av. Beberibe;

06 de maio: Mudança no trânsito na Rua Isaac Salazar, Tamarineira;

29 de julho: Modificações no trânsito do bairro de Casa Forte, no entorno do Hiper Bompreço. As ruas Leonardo Bezerra Cavalcanti, João Tude de Melo e Nestor Silva passaram por mudanças para melhorar a mobilidade do bairro;

02 de setembro: Implantação de mais um binário nas ruas Padre Luiz Marques Teixeira e João Dias Martins, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul da cidade, vias que fazem a ligação entre as ruas Barão de Souza Leão e Marquês de Valença;

12 de outubro: Implantação de um binário nas ruas Doutor Genaro Guimarães e Raimundo Freixeira, em Casa Amarela, Zona Norte da cidade. Além da proibição de estacionamento da Rua Irmã Lúcia, no mesmo bairro;

19 de outubro: Inversão do sentido da Rua Setúbal, em Boa Viagem, na Zona Sul;

26 de outubro: proibição de giro à esquerda no cruzamento das ruas 13 de Maio e Palmares, em Santo Amaro;

09 de novembro: Implantação de binário nas ruas dos Arcos e Marquês de Tamandaré, no Poço da Panela, Zona Norte da cidade. Além da proibição de estacionamento na Rua Soares de Azevedo, no mesmo bairro.

Informações: Pref. do Recife
READ MORE - No Recife, CTTU implanta intervenções em 31 ruas de Boa Viagem

VLT de Cuiabá pode não funcionar em dias de chuva

A falta de um sistema eficiente de saneamento aliada a características geográficas de Cuiabá fará com que o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) pare em dias chuvosos por conta dos alagamentos. 

Com o grande volume chuva nos últimos dias, os tradicionais alagamentos da região central de Cuiabá voltaram a aparecer. O que despertou medo na população, já que os pontos fazem parte da rota do VLT. Internautas chegaram a criar e espalhar fotos-montagens em que o transporte se encontra em meio a pontos completamente inundados. 
Segundo o professor de Transporte e Logística da faculdade de Engenharia Civil da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Luiz Miguel de Miranda, o medo não é em vão. Ele explica que a geografia da região central faz com que boa parte da água se acumule na avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha). 

“Chove e a água desce o morro da Luz, a avenida Getúlio Vargas, a avenida Dom Bosco entre outras e vai parar na Prainha. Além de tudo, a enxurrada também vai levando o que tem pela frente: sapato, pneu, lixo... E tudo vai ficando no meio da avenida. Onde daqui uns dias ficarão os trilhos”. 

Segundo o professor, a Secopa deveria ter feito um trabalho de saneamento no local e feito a separação do esgoto para facilitar o escoamento da água da chuva e diminuir o mau cheiro. “Não sabemos como vai ser porque eles não quiseram fazer a separação. O projeto também nunca foi apresentado ou discutido no Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso) ou no Ministério Público”. 

Ele aponta que dois trechos são os mais críticos na região central: o das proximidades da Prainha com a Voluntários da Pátria e a Campo Grande. “A água sobe muito nestes locais, às vezes ultrapassa um metro. O VLT não é submarino ou subaquático. Ele não foi feito para rodar em uma lâmina de 10 centímetros de água, sequer.” 

A assessoria do Consórcio VLT Cuiabá-Várzea informou por meio de nota que a implantação do VLT em Cuiabá e Várzea Grande prevê a reestruturação e a readequação de toda a rede pluvial existente ao longo dos 22 km do percurso. Desta forma, os transtornos provocados pela chuva, principalmente pelo excesso dela, em alguns pontos das cidades serão sensivelmente reduzidos. 

Conforme a assessoria, o Consórcio VLT está implantando um novo sistema de drenagem, modificando e melhorando praticamente todo o sistema atual, considerado como subdimensionado na maioria dos trechos. 

Já no que se refere à operação, assim como qualquer meio de transporte, o VLT poderá ter paralisações pontuais quando a precipitação for maior do que a projetada, mas como o sistema de drenagem estará ajustado, este período de paralisação será o mais curto possível. Segundo o consórcio, a paralisação, se ocorrer, será mais por precaução. 

Informações: Diário de Cuiabá
READ MORE - VLT de Cuiabá pode não funcionar em dias de chuva

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960