Bilhete Único mensal valerá também para Metrô e CPTM

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu aderir ao Bilhete Único Mensal, uma das principais promessas de campanha do prefeito paulistano Fernando Haddad (PT).

Com o acordo, o cartão emitido pela prefeitura poderá ser utilizado tanto nos ônibus municipais quanto no metrô e nos trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Por uma tarifa única, o passageiro terá direito a quantas viagens quiser em um mês.

O valor, que para uso apenas nos ônibus foi estabelecido pela prefeitura em R$ 140, deverá aumentar.

A decisão do governo tucano foi informada a Haddad nesta segunda-feira pelos secretários Edson Aparecido (Governo) e Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos).

Na reunião, foram apresentados dados sobre o impacto financeiro da medida, prevista inicialmente para começar no dia 30 de novembro.

Desde abril, quando começou o cadastro de interessados no novo bilhete, o Estado dizia aguardar estudos para tomar uma decisão.

IMPACTO

O bilhete mensal deverá aumentar os gastos públicos com transporte, em um contexto de queda nas receitas devido ao congelamento das tarifas após os protestos de junho.

Só a prefeitura estima um aumento de R$ 400 milhões por ano em subsídios.

As equipes voltarão a se reunir nesta terça-feira para acertar pontos do acordo, entre eles o valor que será cobrado.

Em nota, o governo estadual informou querer criar também um "Bilhete Mensal dos Trilhos", que valeria apenas no metrô e nos trens.

"Os valores dos novos bilhetes e detalhes sobre seu funcionamento estão em fase final de definição e serão anunciados na quinta-feira", afirmou o governo estadual.

Já Haddad disse que estão sendo feitas "as últimas contas". "A parte técnica tem um pequeno detalhe, a parte tarifária tem um pequeno detalhe. Diria que estamos às vésperas, talvez, de um anúncio positivo para acidade", disse.

A adesão do governo do Estado vai na contramão das críticas feitas pelo PSDB durante a campanha eleitoral.

Em 2012, o então candidato tucano José Serra classificou o bilhete mensal, que existe em outros países, como uma "enganação".

A expectativa é que o número de cadastrados no bilhete, hoje em 120 mil, aumente com a entrada do metrô.

PAULO GAMA | ANDRÉ MONTEIRO | GIBA BERGAMIM JR.
DE SÃO PAULO
BRUNO BOGHOSSIAN DO PAINEL
Informações: Folha de SP



Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Bilhete Único mensal valerá também para Metrô e CPTM

Em Salvador, Trafegar pela faixa de ônibus da Avenida ACM agora dá multa

As faixas exclusivas para ônibus na Av. Antônio Carlos Magalhães começaram a ser fiscalizadas pela Transalvador (Superintendencia de Trânsito e Transporte de Salvador). Presente na operação, o superintendente do órgão Fabrizzio Muller  informou que a medida, que tem como finalidade “priorizar o transporte publico”, será estendida para outras vias da capital, a exemplo da Paralela e Orla. O primeiro dia de fiscalização causou  um congestionamento na região,  tendo em vista que alguns motoristas foram pegos de surpresa.
Foto: Romildo de Jesus
De acordo com Muller, essa semana os agentes estarão orientando os motoristas e avaliando se há necessidade de adequações nas faixas. Trafegar pela faixa exclusiva para ônibus e infração de trânsito  gera multa de R$ 53,21, e três pontos na carteira de habilitação.
No entanto, o superintendente salientou que, caso haja necessidade, o prazo de adaptação pode se estender um pouco mais. Câmeras serão instaladas para ajudar na fiscalização, após licitação. A prefeitura pretende também iniciar a fiscalização na Av. Juracy Magalhães, mas o início do procedimento depende da finalização das obras no local.

O objetivo das faixas, segundo Fabrizzio, é dar maior conforto ao usuário do transporte público. “Nos revitalizamos as faixas das Avenidas ACM e Juracy Magalhães para dar  maior conforto à  população.  Acreditamos que essa é a melhor forma de desafogar o trânsito e também de oferecer melhor qualidade de vida “, explicou .

O advogado Carlos Eduardo, diz não enxergar melhorias na medida. “Acho que isso é só mais uma forma de multar a população. Precisamos de medidas mais enérgicas para desobstruir o trânsito na região do Iguatemi como o metro, por exemplo”, disse. Já a fisioterapeuta Luana Brito, acredita que apesar do congestionamento por conta da desinformação dos motoristas, as faixas possam trazer melhorias. “ É  importante incutir na mente das pessoas que as faixas devem ser respeitadas. Educar a população é o primeiro passo. Por isso, acho viável a medida”, afirmou.

Por Rivânia Nascimento
Informações: Tribuna da Bahia
READ MORE - Em Salvador, Trafegar pela faixa de ônibus da Avenida ACM agora dá multa

Oito interessados entregam propostas para o projeto do Metrô de Porto Alegre

Sete empresas (entre as quais um grupo de empresas) e uma pessoa física interessadas em realizar o projeto do metrô de Porto Alegre apresentaram os documentos de qualificação e de intenção da nova Proposta de Manifestação de Interesse (PMI) nesta segunda-feira, 18. Todos tiveram que entregar a documentação referente à habilitação jurídica, projeto funcional, modelo de negócio e plano de trabalho. O prefeito José Fortunati, o secretário estadual de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã, João Motta, e o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, acompanharam a sessão pública realizada no escritório do MetrôPoa.

“O fato de termos sete empresas ou grupos e uma pessoa física interessados mostra o caráter democrático e transparente dessa PMI. E mais ainda: essa pluralidade mostra que acertamos no que diz respeito à concepção que estamos empregando, tanto técnica quanto à modelagem financeira. Ou seja, os parâmetros e critérios estabelecidos estão adequados à realidade da construção do metrô de Porto Alegre e nos possibilitam uma obra mais barata e segura”, afirmou Fortunati. O prefeito lembrou que, na PMI anterior, o projeto apresentado tinha um custo superior a R$ 9 bilhões e foram necessários ajustes para chegar ao novo modelo.

Os interessados que apresentaram propostas foram as empresas ATP Engenharia (São Paulo), CR Almeida S.A. Engenharia (Paraná), ETM Engenharia Ltda. (Rio Grande do Sul), Triunfo Participações e Investimentos (Paraná), Construtora Queiroz Galvão (Rio de Janeiro), Logistel (Portugal), o grupo Invepar/Odebrecht (Rio de Janeiro) e o engenheiro civil Paulo Affonso Soares Pereira (Rio Grande do Sul).




A documentação entregue segue para análise técnica e no dia 29 de novembro será publicada a lista com os habilitados. Depois os participantes terão 90 dias para desenvolver e entregar os projetos completos da PMI. Com base nos projetos será produzido o edital de Parceria Publico Privada (PPP), com publicação prevista para o primeiro semestre de 2014. Será feita apenas uma licitação para a obra e a operação do sistema, com prazo de concessão de 30 anos (5 anos de obras e 25 anos de operação).

O Metrô de Porto Alegre, cuja obra é estimada em R$ 4,8 bilhões, atenderá diariamente 325 mil usuários, ampliando a oferta de transporte coletivo e estimulando a redução do uso do automóvel.  

Para o secretário estadual de Planejamento, a parceria entre os governos do Município e do Estado e o esforço para viabilizar a obra mostram que o projeto é uma prioridade. “Estamos dando um passo importante para incorporar Porto Alegre nessa onda de grandes obras de mobilidade e colocar a Capital novamente no grupo de cidades que fazem grandes investimentos em infraestrutura, atendendo à demanda da população. Estado e Município estão fazendo um enorme esforço financeiro para essa resposta aos moradores e aos usuários do transporte coletivo”, disse João Motta.

Proposta de Manifestação de Interesse - A nova PMI estabelece 90 dias para empresas interessadas no projeto apresentarem estudos sobre o desenvolvimento da obra, a infraestrutura e a operação do serviço. Conforme Fortunati, a prefeitura realizará essa etapa antes da licitação para garantir transparência, sustentação técnica, segurança e otimização dos recursos públicos. O documento define as diretrizes mínimas de traçado e infraestrutura do serviço, que poderão ser qualificadas e ampliadas conforme as propostas de viabilidade técnica e financeira apresentadas.

Recursos - No projeto atualizado do metrô, o governo federal destinará R$ 1,770 bilhão a fundo perdido; o investimento da prefeitura totalizará R$ 1,385 bilhão, somando R$ 690 milhões em financiamento para a execução da obra, R$ 195 milhões para as desapropriações e R$ 500 milhões em 25 parcelas de R$ 20 milhões como contraprestação do serviço durante a operação. O governo do Estado fará aporte de R$ 1,080 bilhão em financiamento, e o parceiro privado participará com R$ 1,303 bilhão.

Traçado - O Metrô de Porto Alegre está baseado em um modelo de integração com o sistema BRT (transporte rápido de ônibus) e com o Trensurb. Para garantir a viabilidade técnica e financeira da obra, o projeto foi atualizado, otimizando o traçado e definindo estações enxutas e funcionais.

A extensão total do Metrô deve ser de 11,7 quilômetros. O traçado inclui o trecho de 10,3 quilômetros da Linha 1, da Esquina Democrática (Centro Histórico) até o Terminal Triângulo (zona Norte), onde existe a demanda concentrada de transporte coletivo, e o trecho de conexão de 1,4 quilômetro até o Complexo de Manutenção. Esse espaço será instalado em área da Rede Ferroviária, localizada no bairro Humaitá, próximo à Estação Aeroporto do Trensurb. Dando sequência ao sistema, até a Fiergs, haverá corredores exclusivos de ônibus para conexão com a Região Metropolitana.

Com tecnologia baseada em um Metrô de alimentação elétrica, o projeto prevê no mínimo 10 estações (Triângulo, Cristo Redentor, Obirici, São João, Dom Pedro II, Cairú, São Pedro, Florida, Conceição, Rua da Praia).

Método construtivo - Para evitar transtornos na mobilidade urbana durante as obras, a escavação do túnel será pelo método shield (tatuzão), com escavação profunda mecanizada.
Características do Projeto

* Integração -  Integração com os diferentes meios de transporte e sistema BRT, conectados na rede metropolitana.
 * Mobilidade urbana - Ligação do Centro à Zona Norte, com 10,3 km de traçado e com 10 estações no trajeto.
* Projeto estruturante - Urbanização de toda a área envolvida ao longo do trajeto do Metrô, com ciclovias, passeios, arborização e paisagismo.
* Acesso a todos - Mesma tarifa do ônibus de Porto Alegre, integrada à utilização das linhas urbanas e metropolitanas e ao Trensurb, garantindo atuais isenções.
* Conforto - Bilhetagem eletrônica, climatização nos trens e estações, acomodações confortáveis, portas automáticas, informação e infraestrutura de atendimento ao usuário.

Características técnicas
* Número de trens: 18 + 3 composições
* Total de veículos: 72 + 12 carros
* Velocidade média: 35 km/h
* Intervalo entre viagens (hora pico): 2,5 minutos
* Velocidade máxima: 80 km/h
* Demanda prevista (dia): 325.000 passageiros/dia
* Demanda potencial (hora pico): 22.000 passageiros/h/sentido
* Capacidade máxima hora pico): 43.200 passageiros/h/sentido

Critérios de seleção
* Disponibilidade - Maior disponibilidade do serviço: horário de operação e frequência.
* Eficiência - Considerando o menor tempo de viagem e as etapas do processo de deslocamento: informação, acesso ao sistema, pagamento, espera na plataforma, deslocamento, transbordo e o desembarque.
* Acessibilidade - Plena acessibilidade ao sistema: deslocamento, acesso às estações e aos serviços internos, incluindo bilhetagem, embarque, desembarque e interligação com outros modais.
* Conforto - Melhor infraestrutura de assentos, ruído, iluminação, climatização, vibração, facilidades ergonômicas, sanitários e oferta de comércio e serviços.
* Segurança - Planos de emergência, ações preventivas, dispositivos e equipamentos com o objetivo de minimizar os riscos de acidentes.
* Atendimento - Ações, estrutura física e equipamentos para interface e informação ao usuário.
* Informação - Recursos de informação dinâmica e estática, visual e sonora, nos veículos, nas estações, nos acessos, no entorno e à distância.

Informações: EPTC
READ MORE - Oito interessados entregam propostas para o projeto do Metrô de Porto Alegre

Construção de 150 km de corredores de ônibus começa no 1º trimestre de 2014, diz Haddad

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou na tarde desta terça-feira (19) que as obras de construção de 150 km de corredores exclusivos para ônibus devem começar no primeiro semestre de 2014. O anúncio foi feito durante o Fórum Sustentabilidade, promovido pela revista “Exame”, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo.

De acordo com o prefeito, 99 km de corredores já foram licitados e outros 50 km estão em processo de licitação. “Até fevereiro teremos o licencialmento ambiental dos corredores. [...] No primeiro trimestre [do próximo ano], vamos ter a licença para dar início à construção dos corredores”, disse.
O prefeito destacou que os recursos para as obras vão vir do governo federal “porque São Paulo não tem recursos próprios para isso”.

A construção desses espaços exclusivos para o trânsito de ônibus é promessa de campanha do prefeito. Em seu plano de metas, lançado em março deste ano, Haddad anunciou a construção de 150 km de corredores durante seu mandato.

Segundo a SPTrans –empresa que gerencia o transporte na cidade–, a capital paulista possui atualmente 119 km de corredores de ônibus e 264 km de faixas exclusivas.

Informações: Portal Boa Informação



Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Construção de 150 km de corredores de ônibus começa no 1º trimestre de 2014, diz Haddad

Sistema BRT de Uberaba está com 60% das obras concluídas, diz relatório

Foi divulgado o relatório das obras dos terminais de transporte coletivo para implantar o novo sistema BRT (Bus Rapid Transit). De acordo com o secretário de Planejamento, Cláudio Costa Junqueira, o documento comprova que 60% das obras estão concluídas e a previsão é de que o terminal leste seja concluído até o final de março de 2014. “Já o terminal oeste está com 30% das obras prontas e a nossa previsão também é de finalizá-las em março. As 12 estações de tubo estão em andamento e a conclusão da instalação está programada para o final deste ano”, explicou.

A respeito do projeto viário e da semaforização do corredor Leopoldino de Oliveira e entorno, o secretário garantiu que está em andamento. “As obras do corredor sudoeste são de contratação junto ao Ministério das Cidades/CEF, dependendo da aprovação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), com relação à capacidade de endividamento da PMU. Esse corredor terá extensão de 6,5 km, com percuso pela avenida Bento Ferreira, Saudade, Dona Maria de Santana Borges, João Dallaqua e Juca Pato. Esse projeto também prevê a construção de um terminal no Beija-Flor e 11 estações, interligando o sistema leste/oeste”, contou.
Em relação ao corredor sudeste, o secretário explicou que a contratação segue o mesmo trâmite da anterior. No entanto, o corredor terá uma extensão de 3,7 km e percurso nas avenidas Guilherme Ferreira, Nelson Freire, Abílio Borges e Bandeiras, acrescentando que o projeto também prevê um terminal no bairro Abadia e nove estações para fazer a interligação, que contará também com o sistema de semaforização do corredor e entorno, bem como projeto viário e paisagístico. “A Sepai está na expectativa de concluir a liberação dos recursos para os corredores sudoeste e sudeste ainda este ano”, acrescentou. (LR)

Informações: Jornal de Uberaba
READ MORE - Sistema BRT de Uberaba está com 60% das obras concluídas, diz relatório

Em Manaus, Passageiros podem validar créditos dentro de ônibus

Cinquenta ônibus começaram a operar, nesta segunda-feira (18), o Sistema de Carga Embarcada. A medida possibilita que usuários do transporte coletivo possam validar seus créditos dentro dos ônibus. A previsão, segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), é de que até fevereiro de 2014 toda a frota seja contemplada com o dispositivo que permite a recarga.

De acordo com o Sinetram, os 50 primeiros ônibus que darão início ao Sistema de Carga Embarcada fazem parte das linhas 300, 640 e 652. Até dezembro, mais 500 ônibus estarão operando o novo sistema e, até fevereiro, toda a frota de ônibus de Manaus passará a contar com o dispositivo.


De acordo com a coordenadora de atendimento do Sinetram, Nara Simões, o objetivo deste sistema é dar mais agilidade aos usuários dos cartões Passa Fácil, Cidadão e Vale Transporte, pois o Carga Embarcada permite que os usuários façam a validação dos créditos dentro dos ônibus, evitando que depois da compra pela internet, seja preciso ir a um dos postos da empresa, como é feito atualmente. 
"Lembrando que o equipamento só valida os créditos. Não poderão ser comprados na catraca e nem poderá ser visto o número de créditos na hora da validação", ressaltou a coordenadora.

Nara explicou ainda que, no momento da validação dos créditos, o usuário deve passar a carteirinha pela segunda vez na catraca para que sua passagem seja liberada.

Colaboradores do Sinetram estarão nos Terminais de Integração 3 e 4, localizados nas zonas Norte e Leste, para dar suporte e orientar os usuários sobre como eles devem proceder com a implantação do novo sistema de bilhetagem.

Informações: G1 Manaus
READ MORE - Em Manaus, Passageiros podem validar créditos dentro de ônibus

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960