Prefeitura recebe propostas para o metrô de Curitiba

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

A Prefeitura de Curitiba recebeu, nesta segunda-feira (26), quatro propostas de estudo para o metrô de Curitiba, obra cujo método construtivo e valores estão sendo revistos. De acordo com a administração municipal, os Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMI), como são conhecidos os projetos, serão analisados em um prazo de 30 dias e o edital de licitação deverá ser lançado até o final deste ano. Um das propostas foi entregue por uma organização popular formada pela ONG Sociedad Peatonal e o Movimento Passe Livre (MPL).

A projeto popular prevê a implantação de uma PPPop (Parceria Público Popular). Nesse modelo, a tarifa do transporte coletivo seria zerada e os projetos para o setor passariam a ser discutidos com toda a sociedade. Além dessa proposta, outras três foram entregues à prefeitura – todas por grupos empresariais: Triunfo Participações e Investimentos, o consórcio formado pela C.R. Almeida Engenharia de Obras, J. Malucelli Construtora de Obras, Ghella S.A, Keolis S.A e Impreglio; e outro composto por Intertechne Consultores S.A, Vertrag Arquitetura e Urbanismo e Tetraarq, Arquitetura e Projetos.


O chamamento público para que as empresas se manifestassem foi lançado em maio pela gestão Gustavo Fruet. O objetivo era revisar o projeto do metrô. Isso porque, inicialmente, o novo modal de transporte de Curitiba custaria R$ 2,1 bilhões, valor que pode ter sido subdimensionado devido à necessidade de incorporar à obra processos construtivos distintos.

O último valor previsto para a construção girava em torno de R$ 4,4 bilhões – custo que somente será confirmado após a análise dos quatro projetos apresentados hoje.

Apesar de estimar a abertura do edital de licitação para o final deste ano, a prefeitura admite que isso dependerá da liberação dos recursos federais. Dos R$ 4,4 bilhões previstos para a obra, R$ 1 bilhão está garantido no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2. Mas a inclusão desse recurso na Lei Orçamentária Federal 2014 depende da confirmação da obra até o próximo dia 30.

No último mês de julho, a prefeitura havia solicitado ao Ministério das Cidades outros R$ 2,2 bilhões para o metrô curitibano. A nova quantia faz parte do pacote de obras de mobilidade urbana apresentado por Curitiba, que deverá concorrer a parte dos R$ 50 bilhões prometidos pela presidente Dilma Rousseff após a onda de manifestações de junho. 

Por Raphael Marchiori
Informações: Gazeta do Povo
READ MORE - Prefeitura recebe propostas para o metrô de Curitiba

CET inaugura novas faixas para ônibus em 11 vias de São Paulo

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai inaugurar nesta segunda-feira (23) novas faixas exclusivas para ônibus em onze vias de São Paulo. Trechos das avenidas Nova Cantareira, Tucuruvi, Água Fria, Senador Teotônio Vilela, e das ruas Monte D'Ouro, Maria Cândida, Olavo Egídio, Domingos Calheiros, Coronel Sezefredo Fagundes, Lavapés e Independência receberão a nova faixa.

A ação faz parte da Operação Dá Licença para o Ônibus, que tem como objetivo priorizar a circulação do transporte coletivo na cidade, diminuir o tempo de viagem dos usuários e melhorar os padrões de conforto e segurança do transporte público. No período, será implantada a quarta e última etapa da faixa no Corredor Norte-Sul, que vai ficar na Avenida Senador Teotônio Vilela.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), trafegar pela faixa exclusiva de ônibus é uma infração leve, que gera perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.

Veja os trechos que vão receber a nova faixa:

Avenida Senador Teotônio Vilela
A última etapa da faixa de ônibus no Corredor Norte-Sul ficará na Avenida Senador Teotônio Vilela, em uma extensão de 1,25 km, da Avenida do Jangadeiro até a Avenida Atlântica (Largo do Rio Bonito). Ela vai funcionar em ambos os sentidos da via, de segunda a sexta feira entre as 6h e as 22h.

Avenida Nova Cantareira
A faixa será implantada no sentido Centro, no trecho entre a Avenida Tucuruvi e a Rua Domingos Calheiros, em uma extensão de 300 metros. Ela vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h.
Em outro trecho, a faixa exclusiva vai ficar no sentido bairro, entre a Avenida Água Fria e Rua Agente Gomes. No local, ela vai funcionar entre as 17h e as 20h.

Rua Monte D'Ouro
Na Rua Monte D'Ouro, a faixa vai ser implantada no sentido bairro, ao longo de 300 metros, desde a Avenida Tucuruvi até a Rua Coronel Sezefredo Fagundes. A nova faixa ficará à direita da via e vai funcionar de segunda a sexta-feira das 17h às 20h.

Rua Maria Cândida
A faixa ficará no sentido Centro, entre a Rua Guaraçaí e a Avenida Luís Dumont Villares. No trecho, ela vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h e das 17h às 20h.

Rua Olavo Egídio
Na Rua Olavo Egídio, a faixa para ônibus ficará entre as avenidas Luís Dumont Villares e Cruzeiro do Sul. Ela ficará em funcionamento de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h e das 17h às 20h.

Avenida Tucuruvi
A avenida terá a faixa implantada no sentido bairro, no trecho entre a Rua Domingos Calheiros e a Rua Coronel Sezefredo Fagundes, ao longo de 300 metros. A faixa será ativada de segunda a sexta-feira, das 17h às 20h.
Outro trecho da faixa na via será inaugurado entre a Avenida Guapira e a Rua Paulo de Faria, com 120 metros. Ele será ativado de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h.

Rua Domingos Calheiros
A faixa será implantada no sentido bairro, entre a Avenida Nova Cantareira e a Avenida Tucuruvi, em um total de 300 metros. No trecho, a faixa vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 17h às 20h.

Avenida Água Fria
Na Avenida Água Fria, a faixa para ônibus ficará no sentido Centro, entre a Rua Jerônimo Dias e Avenida Nova Cantareira. Ela ficará em funcionamento apenas de segunda a sexta-feira, das 17h às 20h.

Rua Coronel Sezefredo Fagundes
Na rua, a faixa vai ser implantada no sentido Centro, ao longo de 200 metros, desde a Rua Monte D’Ouro até a Avenida Tucuruvi. A nova faixa vai funcionar de segunda a sexta-feira apenas na parte da manhã, das 6h às 9h.

Rua Lavapés
A nova faixa vai ficar entre a Rua do Glicério e o Largo do Cambuci e deve funcionar entre as 17h e as 20h, de segunda a sexta-feira.

Rua Independência
Na Rua Independência, a faixa exclusiva será implantada do Largo do Cambuci até a Avenida Dom Pedro I. A exclusividade de tráfego para ônibus vai valer de segunda a sexta-feira, das 17 às 20 horas.

Informações: G1 SP
READ MORE - CET inaugura novas faixas para ônibus em 11 vias de São Paulo

Na Grande Recife, Linhas da II Perimetral têm itinerário alterado

Devido à má conservação do asfalto na Av. Senador Nilo Coelho (II Perimetral) e ao acidente ocorrido com um ônibus no início desta semana nas proximidades do aterro sanitário de Aguazinha, em Olinda, algumas linhas que trafegam pelo local tiveram seus itinerários alterados para evitar maiores transtornos. 

As linhas 883 – TI Xambá/Rio Doce (II Perimetral) e 914 – PE-15/Afogados, que seguiam diretamente da Rodovia PE-15 até o fim da Av. Senador Nilo Coelho (II Perimetral) farão, a partir desta quinta-feira (22), o seguinte itinerário: sentido subúrbio/cidade: Av. Presidente Kennedy, Av. Sen. Nilo Coelho (II Perimetral), Av. Transamazônica, Av. Costa Azevedo, Rodovia PE – 15. 

Já no sentido cidade/subúrbio: Rodovia PE – 15, Av. Costa Azevedo, Av. Transamazônica, Av. Sen. Nilo Coelho (II Perimetral), Av. Presidente Kennedy. 

Com as alterações de itinerário, três paradas de ônibus serão desativadas no sentido cidade/subúrbio (paradas nº 130206, 130207 e 130208) e quatro no sentido subúrbio/cidade (paradas nº 130314, 130200, 130215 e 130201). 

O itinerário das linhas mencionadas voltará ao normal assim que o serviço na avenida for concluído e a pista liberada para o tráfego de veículos pesados. Em caso de dúvidas, o Grande Recife disponibiliza a Central de Atendimento ao Cliente, no 0800 081 0158. 

READ MORE - Na Grande Recife, Linhas da II Perimetral têm itinerário alterado

Obras do VLT geram mudanças no trânsito em São Vicente, SP

A partir deste domingo (25) o trânsito em São Vicente, no litoral de São Paulo, sofrerá algumas mudanças para o início das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). As alterações vão afetar os motoristas, ciclistas e pedestres. Os usuários do transporte coletivo também devem ficar atentos as desativações de alguns pontos de ônibus.
Foto: Solange Freitas/TV Tribuna
O ponto de ônibus da avenida Antônio Emmerich, em frente à uma lanchonete, foi desativado. A opção para quem utiliza esse ponto de parada foi instalação de um novo ponto na Rua XV de Novembro com a Linha Amarela. Os pontos da Rua Padre Anchieta permanecem sem alterações.

As mudanças afetam também os ônibus que vêm da Rua Jacob Emmerich que passarão a entrar na Rua Visconde do Rio Branco e cruzarão a Avenida Presidente Wilson e a Linha Amarela, onde virarão à esquerda para entrar na Avenida Antônio Emmerich. Novos semáforos já estão funcionando na cidade. Não foram instalados novos pontos na Rua Visconde do Rio Branco para evitar congestionamento.

- Meu Transporte na Baixada Santista

Em relação à ciclofaixa criada nas ruas Frei Gaspar e 11 de Junho, a Secretaria de Trânsito informa que a partir desta segunda-feira (26) tanto a Polícia, quanto a Guarda Civil Municipal farão a fiscalização e autuarão os motoristas e ciclistas que não obedecerem às normas. Os ciclistas terão suas bicicletas apreendidas e deverão pagar multa caso andem na contra-mão ou não obedeçam aos sinais de trânsito, como trafegar fora da ciclofaixa – onde houver – ou não obedecer ao sinal semafórico.

Confira as rotas alternativas para chegar e voltar do centro da cidade pela avenida Antonio Emmerich:
Os motoristas que seguem pela avenida Antonio Emmerich para o centro da cidade, a opção é virar à direita na rua Emílio Carlos, rua lateral do hipermercado Extra, que deixará de ser mão dupla. Logo em seguida, virar a esquerda na rua Antonio Ferreira Gandra. Essa rua vai levar os motoristas até a rua Aleixo Garcia que terá seu sentido invertido, dando acesso à rua XV de novembro.

Já os motoristas que estão no centro de São Vicente e precisam acessar a avenida Antonio Emmerich, é necessário seguir pela rua João Ramalho, virar à esquerda na rua Visconde do Rio Branco e atravessar um novo acesso que vai cruzar a Linha Amarela, e depois seguir duas quadras até virar a esquerda na rua Dom Lara. Essa rua dará acesso a avenida Antonio.

Vejam alguns tipos de autuações:
Deixar de conduzir pelo bordo da pista de rolamento gera multa média de aproximadamente R$ 54. Já quem conduzir bicicletas em passeios ou de forma agressiva comete infração e paga, aproximadamente R$ 54, além de sofrer Medida Administrativa como a remoção da bicicleta, cuja retirada ocorrerá mediante apresentação de recibo para o pagamento da multa.

Já os motoristas serão autuados caso estacionem o veículo na ciclovia ou ciclofaixa cometendo assim infração "Grave", com multa de R$127, sujeito também a guinchamento. Outra infração que pode ser aplicada multa é transitar com veículo na ciclofaixa – o que remete à infração gravíssima com multa no valor de R$ 574.

Informações: G1 Santos

READ MORE - Obras do VLT geram mudanças no trânsito em São Vicente, SP

Em Cuiabá, Tarifa do VLT deve ter como base passagem de ônibus

A Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) voltou a garantir  que a tarifa do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que está sendo implantado na Grande Cuiabá será acessível à população.

Para sustentar a afirmação, o secretário da pasta, Maurício Guimarães, usou como argumento o valor da tarifa integrada do VLT em Zaragoza, na Espanha, onde ele esteve, na última semana, conhecendo o sistema de operação do modal (similar ao que será usado na Capital) e verificando a construção e embarque dos carros para o Brasil.

Segundo Guimarães, o valor da tarifa integrada (ônibus + VLT) na cidade espanhola é de 1,35 euros – o que hoje equivaleria a aproximadamente R$ 3,20.

“O valor da passagem integrada não será diferente da tarifa já aplicada hoje [R$ 2,85], porque o sistema já foi subsidiado com a implantação”, disse.

A Secopa contratou, na última semana, a empresa Oficina – Engenheiros Consultores Associados Ltda., que terá 90 dias para apresentar a planilha de custos para operação do VLT cuiabano e os demais fatores que irão compor a tarifa. A empresa irá receber R$ 143,2 mil pelo serviço.


A empresa deverá “redesenhar” a rede de transporte coletivo (ônibus e VLT) da Grande Cuiabá.

“Contratamos uma assessoria para nos ajudar em toda a modelagem do sistema. Já temos o nossos estudo, mas precisávamos de um trabalho mais técnico, de alguém que conhece bem o sistema da malha viária de Cuiabá, para que possamos passar para a sociedade qual o melhor valor de integração e até quantos ônibus vão deixar de circular”, afirmou.

Segundo Guimarães, a implantação do VLT irá resultar na diminuição da frota de ônibus que hoje atendem aos bairros da Capital, atualmente fixada em 370 veículos (entre carros em uso e veículos de reserva), segundo dados da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes Urbanos (SMTU).

Diariamente, porém, circulam pela Capital cerca de 570 ônibus, quando se somam à frota municipal os ônibus intermunicipais, que ligam Cuiabá a Várzea Grande.

“Acredito que mais de um terço da frota de ônibus pode sair de circulação”, afirmou.

O VLT

Com dois eixos, CPA-Aeroporto e Coxipó-Centro, o VLT será implantado no canteiro central das avenidas Historiador Rubens de Mendonça, FEB, 15 de Novembro, Tenente-Coronel Duarte (Prainha), Coronel Escolástico e Fernando Correa da Costa.

Serão três terminais de integração e 33 estações ao longo dos 22,2 quilômetros de trajeto do VLT, que terão uma distância média de 500 a 600 metros entre um ponto e outro. Ao longo dos dois eixos, serão edificados cinco viadutos, quatro trincheiras e três pontes.

A capacidade máxima de passageiros será de 400 pessoas por veículo e o tempo de espera para o embarque será de até quatro minutos.

Orçado em 1,477 bilhões, o VLT é executado pelo Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande (formado pelas empresas Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda. e Astep Engenharia Ltda.) e está previsto para ser entregue em março de 2014.

Informações: Mídia News
READ MORE - Em Cuiabá, Tarifa do VLT deve ter como base passagem de ônibus

Grande Porto alegre: Obras de R$ 240,5 milhões para corredores de ônibus só a partir de 2014

Desde outubro de 2011 sete municípios da região, incluindo Porto Alegre, têm à disposição R$ 240.595.365,45 para investir em corredores integrados de ônibus BRT. Os recursos obtidos pela Metroplan por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade do governo federal irão possibilitar a adequação das vias por onde passarão as faixas exclusivas para ônibus.

Entretanto, os projetos básicos ainda estão sendo finalizados e as obras devem começar, na prática, em 2014. Mas segundo o diretor-superintendente do órgão, Oscar Escher, a meta é aprovar até outubro os projetos por meio de audiências públicas com as comunidades impactadas. A demora em finalizar o trabalho preliminar foi ocasionado por readequações nos projetos. A proposta engloba iniciativas também em Cachoeirinha, Esteio, Gravataí, Novo Hamburgo, Sapucaia do Sul e São Leopoldo.


“Vamos licitar as obras até o final do ano por RDC (Regime Diferenciado de Contratações)”, adianta Escher. O superintendente destaca,ainda, a necessidade de incluir obras complementares, como trincheiras em Cachoeirinha, eliminando alguns cruzamentos na Avenida General Flores da Cunha.

A ideia da Metroplan é também acrescentara perimetral oeste no pacote. Uma via ligando São Leopoldo e Estância Velha, como se fosse uma extensão da Avenida Tomas Edison. Paralelamente às obras dos corredores, a Metroplan pretende lançar em breve os editais para contratar a operação do sistema dos corredores metropolitanos.

“Oque temos hoje são sistemas anteriores a 1989”, lembra. Enquanto isso, de acordo com Escher, a Metroplan estará mapeando inclusive as linhas municipais e estudando uma nova estrutura para integração das linhas, por um sistema de bacias.

Por Gabriel Guedes
Informações: Diário de Canoas
READ MORE - Grande Porto alegre: Obras de R$ 240,5 milhões para corredores de ônibus só a partir de 2014

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960