Frota de ônibus do BRT Transoeste na Zona Oeste caiu

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Quando lançou o edital de licitação do transporte rodoviário no Rio, a prefeitura pretendia, entre outras coisas, aumentar em até 30% a oferta de veículos na Zona Oeste. Hoje, dois anos e nove meses depois, a frota que atende à região é ainda menor do que antes, fazendo passageiros como o pintor de paredes Carlos Alberto Vasconcelos, de 22 anos, gastar mais uma passagem para não ficar parado no ponto.

Morador de Duque de Caxias, ele precisa pegar o 388 (Tiradentes-Santa Cruz) para ir do trabalho, em Santa Cruz, para casa. Mas, como tem que esperar em média uma hora pelo ônibus direto, acaba pagando uma passagem a mais para fazer a baldeação:
- São poucos paradores. Sou obrigado a pegar o expresso e descer antes, em Realengo. Lá, pego outro ônibus até a Penha, onde pego mais um até Caxias. Além da demora, ainda gasto mais, já que o Bilhete Único só cobre duas viagens.


Em novembro de 2010, quando fez a licitação, a prefeitura prometia uma estruturação das linhas, de forma a distribuir e racionalizar as frotas. Na ocasião houve a promessa de aumentar de 20% a 30% a frota na Zona Oeste com o corte de coletivos onde a demanda fosse menor.

Mas, segundo números da Secretaria de Transporte, houve redução no número de veículos que atendem a Zona Sul e a Grande Tijuca, mas, na área onde a carência é maior e que é servida pelo consórcio Santa Cruz, não houve aumento na quantidade de ônibus e, sim, uma ligeira redução em relação a 2010.

A falta de coletivos também dificulta a vida da promotora de vendas Carla da Silva, de 27 anos, moradora em Padre Miguel, que diz “praticamente morar dentro dos ônibus”. Ela é obrigada a circular por diversos bairros, visitando clientes em até dez estabelecimentos comerciais por dia.
- Não percebi nenhuma redistribuição de ônibus. Pelo contrário. Já morei na Zona Sul e sei que lá é outra história - comparou, na última quinta-feira, quando já aguardava por meia hora o 870 (Bangu-Sepetiba).
A dona de casa Damiana Castro, de 65, reclamou da linha 839 (Santa Cruz-Campo Grande), que chegaria a demorar até uma hora:
- Tem mais de meia hora que estou aqui e nada.

Respostas
A Secretaria municipal de Transporte informou que a “Zona Oeste é a região que mais preocupa a prefeitura”. Por isso, realiza fiscalização constantes para monitorar a frota e a frequência dos ônibus, de modo a atender a população com mais eficácia. Como exemplo de racionalização do sistema, aponta o BRT Transoeste, ligando a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Paciência, transportando 120 mil pessoas por dia. A implantação do BRT teria “racionalizado o sistema na região da Zona Oeste”.

O Rio Ônibus também citou o BRT como exemplo de racionalização das linhas na Zona Oeste.
Confira a resposta da Secretaria municipal de Transportes na íntegra:
“A Prefeitura do Rio definiu a Zona Oeste como uma das primeiras áreas a receber o sistema de racionalização do transporte público. Como exemplo de racionalização do sistema, foi implantado o primeiro BRT da cidade, a Transoeste, que liga a Barra da Tijuca a Santa Cruz e Paciência, e transporta, atualmente, cerca de 120 mil pessoas por dia.Totalmente segregado do tráfego geral, composto por linhas expressas e paradoras, o corredor já conta com 44 quilômetros de extensão até Paciência e 42 estações em funcionamento. O BRT Transoeste está atingindo um volume de viagens cerca de 20% superior ao inicialmente estimado.

A Zona Oeste é a região da cidade que mais preocupa a prefeitura. Por isso, a SMTR realiza fiscalização frequente para monitorar a frota e a frequência dos ônibus na região, de modo a atender a população com mais eficácia. Além disso, é realizada fiscalização eletrônica nos 8.800 ônibus da cidade, por meio de GPS instalado em todos os coletivos. Dos quatro consórcios, o Santa Cruz, que atua na região, é o que mais recebe multas da prefeitura: 978 (de janeiro a julho), das 2.362 multas aplicadas nos quatro consórcios no mesmo período. A prefeitura estará continuadamente trabalhando para melhorar o transporte público da Zona Oeste e vai adotar todas as medidas cabíveis para melhorar o sistema.

Para reforçar a fiscalização, a SMTR deu início à contratação de sistema tecnológico para monitorar eletronicamente o serviço de ônibus da cidade. Com a nova plataforma será possível monitorar em tempo real, 24 horas, sete dias por semana, a frota, frequência, itinerário e velocidade média dos ônibus da cidade. No caso de descumprimento de qualquer normativa, multas serão expedidas automaticamente aos consórcios infratores. Com o novo sistema, que deverá entrar em operação no segundo semestre deste ano, a prefeitura terá melhor controle sobre a qualidade dos serviços de ônibus na cidade.

A implantação do BRT Transoeste racionalizou o sistema de ônibus na região da Zona Oeste. Nas áreas da Zona Oeste não contempladas com o BRT Transoeste, houve um aumento dos ônibus urbanos para atender a população.”
Confira a resposta do Rio Ônibus na íntegra:
“Com o BRT Transoeste, quatro linhas que tinham sobreposição de itinerário com o corredor foram extintas e outras 12 tiveram seus itinerários seccionados para se tornarem linhas alimentadoras do BRT. Elas usam ônibus refrigerados com tarifa de R$ 2,75 e seus passageiros não precisam pagar novamente para ingressar corredor. Isso permite que o usuário ainda faça uma integração através do Bilhete Único Carioca ao sair do BRT na outra ponta. O BRT Transoeste transporta 120 mil passageiros/dia e alcançou 93% de aprovação em pesquisa realizada em abril.

Todos os corredores de BRT serão acompanhados da racionalização das linhas. E todos estarão conectados entre si e integrados aos demais modais. No próximo ano, deve entrar em operação o BRT Transcarioca, de 39 km com área de atuação percorrendo 14 bairros, ligando a Barra ao Aeroporto Internacional. Até 2016 será concluído o BRT Transolímpica, com 23 km, passando por nove bairros, ligando Barra e Jacarepaguá a Deodoro. A prefeitura está concluindo o projeto para a construção do BRT Transbrasil, com 32 km de Deodoro ao Centro do Rio. Todos estes BRTs priorizam a Zona Oeste, uma das regiões mais afetadas pelo transporte”.

Informações: O Globo
READ MORE - Frota de ônibus do BRT Transoeste na Zona Oeste caiu

Edital de concurso público do Metrô-DF deve sair em setembro

Com a implantação do Plano de Carreiras e Salários (PCS) do Metrô-DF a Companhia do Metropolitano do DF reestruturou as carreiras de seus empregados e realizará o concurso público.

De acordo com a diretora de administração do Metrô-DF, Simone Miguel da Silveira, o edital está previsto para ser divulgado em setembro e a prova poderá ser aplicada em dezembro ou janeiro.

Serão abertos 232 postos de trabalho, entre agentes de estação, agentes de segurança operacional, controladores de operação, engenheiros, advogados e assistentes administrativos, além de cadastro ilimitado de reserva.

A carga horária será de 8 horas, exceto para carreiras que seguem legislação específica para horário diferenciado. Todos os convocados receberão treinamento para o desenvolvimento das funções. A coordenação do concurso é da Secretaria de Administração Pública (SEAP), que escolherá a instituição organizadora do certame.

Informações; Metrô DF

READ MORE - Edital de concurso público do Metrô-DF deve sair em setembro

No Recife, CTTU realiza operação para combater o estacionamento irregular

A Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) realizou nesta sexta-feira (09) mais um dia de operação para combater estacionamento irregular na cidade. Dessa vez, a fiscalização foi feita nas Ruas das Calçadas, Doutor Moacir Baracho, do Imperador e Avenida Agamenon Magalhães. Ao todo, a CTTU autuou 22 e, guinchou 8.
Foto: Irandi Souza/PCR
Desde que a operação começou no dia 17 de julho, a companhia autuou 530 veículos e, desse total, guinchou 111.  Foram fiscalizadas 44 ruas e avenidas da cidade, nas zonas Norte, Sul, Oeste e Centro do Recife. Toda a operação foi realizada de acordo com denúncias feitas pela população. A medida visa dar mais fluidez ao tráfego da cidade.

Os veículos multados estavam estacionados em local irregular, o que configura infração que varia entre leve, média e grave, no valor de R$ 53,21 (três pontos na CNH), R$ 85,13 (quatro pontos na CNH) ou 127,69 (cinco pontos na CNH). 

Informações: JC Trânsito

READ MORE - No Recife, CTTU realiza operação para combater o estacionamento irregular

Tempo de integração aumenta nos ônibus de Cuiabá

Entrou em vigor nesta quinta-feira (8) a lei que aumenta o tempo de integração do transporte coletivo de Cuiabá. Após o primeiro registro na catraca eletrônica, o usuário tem duas horas e meia para tomar outro ônibus. De acordo com a Prefeitura Municipal, o usuário só passará a ter o direito depois que fizer a primeira recarga, após a implantação da lei. Já para os estudantes e idosos a medida vale de forma imediata.

A lei vai ser válida até o término das obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo, realizadas pela Secretaria Extraordinária (Secopa). O projeto de lei foi aprovado pela Câmara de Vereadores e sancionado no dia 1º de agosto. A prefeitura tinha 30 dias para colocar o projeto em vigor, mas o fez uma semana depois.

Protesto
O projeto de lei foi uma das reivindicações feitas pela população durante uma série de protestos realizados nas ruas da capital em junho, quando o maior deles chegou a reunir 45 mil pessoas. A melhoria do transporte público foi a principal cobrança. Em resposta a Câmara de Vereadores chegou a aprovar cinco projetos, sendo o retorno dos cobradores aos ônibus; o fim da exclusividade do cartão magnético de usuário para pagamento da tarifa; a extensão do benefício do passe-livre a estudantes de pós-graduação; a extensão do uso do passe-livre em qualquer horário dos dias de atividade escolar.

Contudo, somente a ampliação do tempo de integração foi aprovada pelo Executivo municipal e sancionada pelo prefeito Mauro Mendes. O principal argumento do prefeito para a decisão foi o impacto que a aprovação poderia gerar no preço da tarifa.

Informações: G1 Mato Grosso

READ MORE - Tempo de integração aumenta nos ônibus de Cuiabá

Viação Atalaia Transportes entra em operação na Grande Aracaju

Os usuários do transporte coletivo da Grande Aracaju passaram a contar neste final de semana com mais uma empresa de ônibus. Trata-se da Viação Atalaia Transportes que veio em substituição a empresa do grupo Viação Cidade de Aracaju (VCA), que deixou de operar após uma proibição da prefeitura municipal de Aracaju há cerca de duas semanas.

A viação Atalaia Transporte faz parte de um conglomerado de empresas de ônibus pertencente ao Grupo Itamaracá Transportes. Com sede em Pernambuco, o grupo atua em diversas cidades brasileiras e na África.

Inicialmente, 40 ônibus seminovos serão colocados em circulação na Grande Aracaju, a estimativa é que esse número chegue a 146 veículos que irão atender 25 linhas. A novidade é que a empresa trará para o estado 10 ônibus modelo sanfonado, que há muito tempo deixou de circular na Grande Aracaju. A nova frota recebeu um investimento de 45 milhões de reais. A linha 004 - Santa Maria/Mercado foi a primeira linha que a Atalaia Transportes passou a atender.

Nova Licitação

A prefeitura de Aracaju já discute a proposta de colocar em prática a licitação referente a criação do consórcio entre a capital e as cidades de Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão e Barra dos Coqueiros, além de um edital para o transporte público.

Da redação Itnet, Leonardo Dias.

READ MORE - Viação Atalaia Transportes entra em operação na Grande Aracaju

Curitiba poderá ter tarifa de ônibus mais barata fora dos horários de pico

Curitiba poderá ter uma tarifa de ônibus mais barata fora dos horários de pico. Nesta terça-feira (6) foi aprovado o envio de sugestão à prefeitura para a realização de estudos sobre a implantação de tarifas econômicas em horários alternativos.

Autor do requerimento, o vice-relator da CPI do Transporte Coletivo, Valdemir Soares, destacou que o tema já foi mote de debates nas reuniões da comissão especial. “A tarifa mais barata fora dos horários de pico pode ser uma alternativa para o sistema de Curitiba”, disse.


A Câmara Municipal também promoveu outros debates sobre o transporte coletivo, entre eles o projeto de lei enviado por diversos vereadores que modifica a Lei Municipal 14.150/2012, que veda às empresas de transporte coletivo a possibilidade de exigir que seus motoristas exerçam de forma concomitante as funções de conduzir os ônibus e cobrar passagens.

A proposta, apresentada na última segunda-feira (5), voltou ao centro dos debates na Câmara Municipal nesta terça (6), com Rogério Campos (PSC) e Valdemir Soares (PRB) destacando a iniciativa.

A Urbs afirma que cumpre com a lei, embora as concessionárias do sistema sejam proibidas de incumbir ao motorista a cobrança da passagem. Segundo Rogério e Valdemir, a interpretação da Urbs de que a lei está sendo cumprida porque o motorista não está dirigindo durante a cobrança da passagem é uma “pegadinha jurídica”.

Na quinta-feira (1º), o diretor de Transporte da Urbs, Rodrigo Binotto Grevetti, disse que não há espaço nos microônibus para que os cobradores trabalhem. Ele ainda afirmou que a medida traria gastos de aproximadamente R$ 1,4 milhão ao mês, resultando num impacto de cinco centavos a mais na tarifa.

Grevetti disse acreditar que a lei está sendo cumprida e informou que foi publicada uma instrução de que os motoristas não devem cobrar a passagem com o veículo em movimento.

Rogério Campos afirma que “a Urbs está desrespeitando a Câmara de Curitiba e os parlamentares”. Ele também defendeu a criação da Secretaria Municipal do Transporte Coletivo. Valdemir, por sua vez, sugeriu que a matéria da dupla função dos motoristas tramite em regime de urgência.

Informações: Bem Paraná
READ MORE - Curitiba poderá ter tarifa de ônibus mais barata fora dos horários de pico

Sorocaba recebe 8 ônibus usados de Pernambuco

Os usuários do transporte coletivo em Sorocaba já são atendidos por cinco "novos" ônibus vindos do Recife. Na verdade são veículos usados, que circulam em baixa velocidade por desregulagem na potência dos motores e não têm ainda o lacre das placas, que indicam a origem de Camaragibe (PE). Com problemas mecânicos, alguns ônibus passam nos pontos com atraso.

Os veículos incorporados à frota da empresa Consórcio Sorocaba são articulados, com capacidade de transportar mais passageiros. A Urbes Trânsito e Transportes confirma que cinco desses ônibus estão atendendo à linha Parque São Bento desde a segunda-feira e outros três articulados entrarão em circulação em data a ser definida. Todos eles já eram usados no transporte coletivo em cidades da Grande Recife (PE) e vieram rodando desde o Estado de Pernambuco até Sorocaba, por quase 3 mil km. 

O comboio chegou à cidade na noite de 3 de julho, ainda com a pintura usada no Sistema Estrutural Integrado (SEI), empresa da capital do Estado. Os ônibus entraram pela rodovia José Ermírio Moraes (Castelinho), escoltados por um carro da Urbes e seguiram vagarosamente pela avenida Dom Aguirre. Após receberem o novo grafismo (layout) da frota sorocabana, estão atendendo aos usuários do sistema. A Urbes confirma que alguns desses ônibus necessitam de regulagens mecânicas para andarem mais rápido, mas negou que houve escolta.


Um dos ônibus flagrados sem lacre na placa é identificado pelo número 1220 e tem placas KKG-3941, da cidade Camaragibe (PE). A outra suposta irregularidade está no carro de número 1219, que segundo a passageira Marinalva de Souza, o motorista afirmou que trafegava sem o espelho retrovisor, quando ela teve a bolsa presa na porta no momento do embarque. 

Questionada sobre a falta de fiscalização e inspeção dos "novos" ônibus da frota, a Urbes informou que a responsabilidade das condições de trafegabilidade é de seus proprietários e a fiscalização de trânsito, sob este aspecto, é de competência estadual. Segundo informações da empresa concessionária para a Urbes, a transferência da documentação está em andamento e deve se efetivar na próxima segunda-feira, pois estão legalizados nas cidades de Pernambuco. "A informação da operadora é que durante a manutenção e pintura dos mesmos os lacres devem ter sido danificados", respondeu a Urbes, acrescentando que após contato do Cruzeiro do Sul determinou a retirada desses veículos de circulação até a regularização. Sobre o acidente pela suposta falta de retrovisor, a Urbes informou que iria apurar.

Esses ônibus estão sendo colocados em circulação pelo consórcio ConSor, grupo de empresas que detém a concessão do lote 1 do transporte coletivo urbano em Sorocaba. Uma das empresas que integram o ConSor, a Rodoviária Metropolitana, atua em cidades de Pernambuco. A versão da Urbes é que a ConSor propôs ampliar e renovar parte de sua frota operacional objetivando ampliar a oferta a seus usuários e que os veículos que foram trazidos para Sorocaba pertenciam a empresas do grupo e estão sendo alocados para a ConSor.

Ao todo serão 16 ônibus, oito deles do tipo articulado e outros oito do tipo Padron. Os onze que ainda não estão transportando os passageiros encontram-se em preparação. Para a Urbes, os ônibus estão em bom estado de conservação, contudo alguns ajustes já estão sendo providenciados, inclusive, com relação aos motores (regulagem de potência). A atual frota que atende o transporte coletivo urbano em Sorocaba é de 402 ônibus.

Os articulados foram fabricados em 2008, modelo 2009, ou seja, tem pelo menos quatro anos de uso em cidades de uma região metropolitana, enquanto a idade média da frota sorocabana é inferior a 2,8 anos. Mas diferente de todos os outros ônibus que circulam em Sorocaba, apesar desses terem sido pintados nos últimos dias, desrespeitam a regra que obriga que o ano de fabricação conste na lateral do veículo. A Urbes informa que notificou a ConSor para inserir o ano de fabricação, conforme exigência e informou que a idade do ônibus está em conformidade com as exigências do transporte coletivo em Sorocaba. 

Explicou que os veículos do tipo convencional podem ter idade máxima de oito anos, enquanto para os especiais como articulado ou então o Padron, admite-se dez anos. O articulado tem capacidade para transportar 53 passageiros sentados e 87 em pé. Em reportagem publicada em junho do ano passado a Urbes informava que um ônibus convencional tem 11m de cumprimento enquanto o Padron, 12,5m e capacidade para 10 passageiros a mais e o especial, com 15 metros, capacidade para 26 passageiros a mais que o Padron.

Por Leandro Nogueira
Informações: Portal Cruzeiro do Sul
READ MORE - Sorocaba recebe 8 ônibus usados de Pernambuco

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960