Manifestantes protestam contra aumento da tarifa de ônibus no Rio de Janeiro

terça-feira, 21 de maio de 2013

Pacificamente, cerca de 80 pessoas realizaram na tarde desta segunda-feira (20) um protesto contra o aumento das passagens de ônibus no Rio de Janeiro. O grupo se reuniu por volta das 16h30 na estação de metrô Cidade Nova, em frente à sede da Prefeitura e, após acordo com os PMs que estavam acompanhando o ato, seguiram até estação Central do Brasil, ocupando uma faixa da pista da direita da Avenida Presidente Vargas, o que gerou retenções na via. O mesmo protesto já ocorreu nas cidades de Porto Alegre (RS) e Natal (RN).

O aumento das tarifas no Rio, de R$ 2,75 para R$ 3,05, já estava previsto desde o final do ano passado, mas em fevereiro a presidente Dilma Rousseff pediu aos municípios de São Paulo e Rio de Janeiro para adiar o aumento das tarifas, temendo que a inflação oficial (IPCA) batesse 1% em janeiro e alimentasse as expectativas para o ano.


Em 24 de abril de 2013, porém, o prefeito Eduardo Paes confirmou que o reajuste tarifário das passagens de ônibus está previsto para junho.


Durante o protesto desta segunda-feira (20), os manifestantes gritaram frases de ordem como “A gente paga, mas não deveria, porque transporte não é mercadoria” e “Paes, mas que absurdo, R$ 3,05 nas passagens eu me recuso”. Para o organizador do ato, Fabrício Silva, a prefeitura poderia aumentar a concorrência entre as empresas de ônibus.

“Uma maior concorrência aumenta a qualidade do serviço prestado pelas empresas. Sou contra o transporte público privatizado, mas como isso seria impossível, uma primeira atitude da prefeitura poderia ser realizar uma licitação que possa dividir entre mais empresas o transporte. Um terço dessas empresas estão na mão de quatro empresários, que são os mesmo que ajudaram a financiar a campanha eleitoral do Paes”, opinou Fabrício.

O manifestante também criticou a diferença entre a qualidade dos ônibus que circulam na zona Sul em relação a outros bairros da cidade.

“Na zona Sul os ônibus são bem equipados, com qualidade, mas se você for para Bangu, por exemplo, não há o mesmo padrão. Se existe um bom transporte na zonal Sul, por que não existe em outros pontos da cidade? Por que aumentar a passagem na cidade inteira, se na zona Sul já tem ônibus de qualidade? A linha 382, que vai da Carioca a Piabas, é sucateada, falta cadeira, tem mijo e fezes; já a linha 583 (Cosme Velho – Leblon) tem ar-condicionado e até parece que você está fora do Brasil”, comparou Fabrício.

Outro manifestante, o cientista social Pedro Paulo Cruz, ao comentar a qualidade do serviço, disse que “não houve nenhuma mudança significativa que justificasse o aumento (das passagens)”. Ele afirma que as empresas, além de explorar seus funcionários, não têm qualidade no serviço. "A solução seria mudar a concepção de transporte de massa", propôs.

“O poder público trabalha o transporte de massa em cima dos ônibus, mas o modelo ideal seria optar pelos transportes de trilho”, opinou Cruz.

por Caio Lima
Informações: Jornal do Brasil
READ MORE - Manifestantes protestam contra aumento da tarifa de ônibus no Rio de Janeiro

São Paulo ganhará rede de ônibus na madrugada

São Paulo pode ter ainda neste ano uma rede de ônibus operando durante a madrugada. Segundo o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, o serviço será uma das exigências da licitação da concessão do serviço de transporte da capital, prometida para este semestre pelo prefeito Fernando Haddad (PT).
Foto: Alf Ribeiro/Folhapress
Tatto diz que o modelo prevê que os ônibus passem a circular após o fechamento das estações Metrô (0h30, de domingo a segunda, e a partir da 1h de sábado para domingo). “A ideia é colocar no edital a operação de uma rede  de transporte 24h, o que não temos hoje”.
Os ônibus noturnos irão percorrer o mesmo trajeto das linhas do Metrô, seguindo o modelo de Londres, na Inglaterra.  A  iniciativa pretende facilitar a orientação de quem procurar pelo serviço. “O passageiro já está acostumando com um determinado percurso. A ideia é manter esse caminho. Encerrou a operação na linha 1-Azul, o ônibus fará o caminho entre a estação Jabaquara e a Tucuruvi”, explica o secretário dos Transportes. 

O intervalo entre os ônibus e as regiões que serão atendidas ainda serão definidos pela Secretaria dos Transportes. As propostas estão em fase final de ajustes pelos técnicos da SPTrans (São Paulo Transporte). “Vamos acompanhar a demanda pelo serviço. Na  Vila Madalena, onde há uma concentração de bares, é possível ter um ônibus a cada meia hora. A meta é garantir o serviço independentemente do número de passageiros”.

A expectativa da prefeitura é de atender trabalhadores da madrugada e frequentadores de bares e restaurantes atentos às blitzes da lei seca na capital.

Táxis

Tatto diz que a prefeitura criou um grupo de trabalho para rever o modelo do “Táxi Amigão”, adotado em 2009, e que tem cerca de 3 mil taxistas cadastrados. Para poder usar vagas de Zona Azul aos sábados e ter prioridade em pontos próximos a bares e restaurantes, o taxista tem de oferecer um desconto de 30% (bandeira 1) nas corridas durante a madrugada.

O secretário diz que, por enquanto, o modelo será mantido, mas que será negociado com o sindicato dos taxistas uma forma de tornar o programa mais atrativo tanto para os profissionais como para os passageiros.

Informações: Band
READ MORE - São Paulo ganhará rede de ônibus na madrugada

Em São Paulo, Mais 50 fiscais vão multar invasão a corredor de ônibus

A Prefeitura de São Paulo autorizou nesta terça-feira mais 50 fiscais da SPTrans (empresa que gerencia o transporte municipal) a aplicarem multas a quem invadir as faixas exclusivas de ônibus da cidade.

Agora, 126 fiscais da empresa poderão aplicar penalidades --os primeiros 26 foram autorizados no início de abril, e começaram as autuações na semana passada. No último sábado, outros 50 foram autorizados.

Os fiscais podem aplicar dois tipos de autuação. Quem invade as faixas à direita das vias recebe multa de R$ 53,20 e mais três pontos na habilitação. Já a invasão das faixas à esquerda configura multa de R$ 127,69 e cinco pontos na habilitação.


Antes da mudança, apenas radares, agentes da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e policiais militares habilitados aplicavam as multas. Os fiscais da SPTrans só multavam táxis sem passageiros e ônibus sem permissão nos corredores exclusivos.

Atualmente, a empresa tem 680 fiscais autorizados a fiscalizar os corredores --os credenciados a aplicar multas a outros veículos representam 18%.

No ano passado, a CET aplicou 335,7 mil multas a motoristas que invadiram o espaço dos ônibus --média de 920 por dia.

O reforço na fiscalização das invasões a corredores de ônibus é mais uma medida da gestão Fernando Haddad (PT) para tentar elevar a velocidade do transporte coletivo. No ano passado a velocidade média dos ônibus ficou abaixo de 13 km/h em alguns pontos, mas a meta é chegar a 25 km/h até 2016.

A prefeitura também pretende instalar mais radares nos corredores, dar prioridade aos ônibus nos semáforos e integrar o monitoramento do trânsito e do transporte coletivo.

Informações: Folha SP
READ MORE - Em São Paulo, Mais 50 fiscais vão multar invasão a corredor de ônibus

Bilhete vai permitir três viagens em 90 minutos em Santo André

Passageiros poderão fazer até três viagens em ônibus municipais de Santo André, no ABC, durante 90 minutos com o novo sistema de pagamento que deve funcionar a partir de 10 de junho. A prefeitura vai substituir o atual "Urban Pass" por um novo modelo que será batizado de cartão Bilhete Único.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (20) pelo prefeito da cidade, Carlos Grana (PT).

Serão quatro modelos de cartões: comum, estudante, aposentado (isento) e outro direcionado ao trabalhador (vale-transporte).

Segundo Grana, o modelo do Bilhete Único da cidade é semelhante ao implementado em São Bernardo, onde os usuários podem embarcar em até três ônibus em um prazo de 90 minutos, pagando uma passagem.


O atual modelo, "Urban Pass", não permite a integração entre diferentes linhas. O cadastro e a migração de quem já tem o bilhete municipal começa no dia 7 de junho e deve ocorrer dentro de um prazo de quatro meses.

“Vamos fazer o cronograma de recadastramento por data de nascimento. Os primeiros a serem chamados serão os usuários nascidos nos meses de janeiro, fevereiro e março. A partir da conclusão deste processo é que o Urban Pass deixará de valer”, disse Leando Petrin, diretor da Santo André Transportes (SATrans).

Segundo a SATrans, o Bilhete Único está sendo implementado de modo que possa permitir ao usuários a integração com o transporte que integra o ABC com a Região Metropolitana de São Paulo, como Metrô (Linha 18), Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e a CPTM.

O novo cartão andreense vai ter controle biométrico (por meio das digitais) para eliminar fraudes. "Sobretudo aos passageiros que têm direito à gratuidade integral ou parcial, como estudantes, idosos e portadores de necessidades especiais", disse Leandro Petrin.

A mudança passou por votação na Câmara Municipal. O projeto de lei nº 007/2013 foi aprovado por unanimidade pelos vereadores da cidade, 19 votos favoráveis e duas abstenções, no começo deste mês.

O texto tem uma emenda que obriga a administração municipal a enviar à Câmara um relatório semestral com dados sobre o total de bilhetes utilizados por viagem sem custo adicional ao usuário. O projeto foi sancionado pelo prefeito e o decreto será publicado em 5 de junho.

Segundo Luiz Carlos Marcondes, gerente da Associação das Empresas de Transportes de Santo André (AESA), o cartão vai atender 450 mil usuários do sistema de transporte da cidade. "Muitos são de cidades vizinhas e circulam por aqui”, disse.

O prefeito afirmou que 50% usuários usam dinheiro atualmente para pagar as passagens. "Mas quem tem o Urban Pass pode ficar tranquilo que não perderá os créditos existentes. Vai deixar de circular dinheiro nos ônibus.”

Para funcionar o sistema, a prefeitura vai investir cerca de R$ 1 milhão por mês, sem aumentar o valor da passagem, que subiu de R$ 2,90 para R$ 3,30 em dezembro passado. Segundo a prefeitura, as empresas de ônibus investiram cerca de R$ 3 milhões na aquisição de equipamentos e adequações técnicas para o funcionamento do sistema. “E também terão de oferecer uma renovação de frota de 50 ônibus”, disse o prefeito.

Segundo dados da Santo André Transportes, a frota de ônibus na cidade é de 396 veículos em 48 linhas e 4,3 mil viagens nos dias úteis e cerca de 300 mil por mês.

Por Glauco Araújo
Do G1 São Paulo, em Santo André
READ MORE - Bilhete vai permitir três viagens em 90 minutos em Santo André

Nova faixa de ônibus é implantada na zona norte de São Paulo

Uma nova faixa exclusiva de ônibus será implantada, a partir desta segunda-feira (20), na região do bairro Casa Verde, na zona norte de São Paulo. A alteração faz parte da Operação Dá Licença Para o Ônibus, implantada pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e pela SPTrans (São Paulo Transporte).

A sinalização exclusiva para coletivos será colocada nas ruas João Rudge e Zanzibar, sentido único (centro), entre a rua Bernardino Fanganiello e a avenida Brás Leme. As intervenções ocorrerão de segunda-feira à sexta-feira no período da manhã, das 6h às 9h, em uma extensão de 200 metros.

Pelas ruas João Rudge e Zanzibar circulam nove linhas de ônibus transportando, aproximadamente, 84 mil passageiros em um dia útil, com frequência média de 68 ônibus/hora na faixa mais carregada do pico da manhã.

A faixa exclusiva de ônibus será implantada à direita das vias, mantendo-se as outras faixas destinadas ao tráfego geral de veículos. De acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro), transitar na faixa exclusiva à direita de ônibus é uma infração leve, com perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.

Informações: R7.com

READ MORE - Nova faixa de ônibus é implantada na zona norte de São Paulo

Greve de ônibus em Jundiaí deixa mais de 100 mil pessoas prejudicadas

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Jundiaí e Região anunciou greve de três mil funcionários, entre motoristas e cobradores da região de Jundiaí (SP). A paralisação começou à meia-noite desta terça-feira (21). Cerca de 130 mil usuários do transporte público serão afetados pela greve.

Na manhã desta terça-feira, os funcionários foram até a empresa, mas permaneceram do lado de fora. Os três mil funcionários das empresas do sistema de transporte coletivo de Jundiaí, reivindicam um aumento de 17% no salário, além de um ticket de refeição de R$ 15 por dia.

As empresas oferecem um aumento de 9% nos salários e um ticket refeição de R$ 12 por dia, R$ 2 a mais do que eles já recebem. Segundo a assessoria de imprensa das empresas de transporte coletivo urbano da região de Jundiaí, o pedido de aumento começou há três semanas.

O Tribunal Regional do Trabalho de Campinas concedeu uma liminar determinando que pelo menos 50% da frota circule durante a greve. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de Jundiaí e Região, Laurindo Lopes, a obrigação de 50% é da empresa.
Às 10h, haverá uma reunião no Ministério do Trabalho de Jundiaí entre trabalhadores, sindicato e os representantes das empresas, para tentar achar um acordo.

Informações: G1 SP

READ MORE - Greve de ônibus em Jundiaí deixa mais de 100 mil pessoas prejudicadas

Câmara de BH discute baixa oferta de ônibus durante a madrugada

Mais ônibus durante a madrugada para quem trabalha em horários não-convencionais ou pra quem quer aproveitar bares e festas até mais tarde. Reclamação antiga dos moradores de Belo Horizonte, a proposta será discutida na Câmara Municipal nesta segunda-feira (20), em audiência pública.

A baixa oferta de transporte coletivo entre 11h e 6h, na capital mineira, incluindo linhas que deixam de circular durante a madrugada, provoca a discussão. Com a aplicação da lei seca, muitos motoristas que saem para beber só têm disponível o serviço de táxis, que também é insuficiente no horário.

Segundo a BHTrans, BH tem uma frota de 3.037 ônibus convencionais e 285 suplementares, e atende a 1,6 milhão de usuários por dia útil - 37 milhões por mês. São 298 linhas, que fazem 27 mil viagens por dia. No período da meia-noite às 5 horas da manhã o número das viagens diminui: 176 linhas circulam nesse horário, em cerca de mil viagens.

A audiência ocorre na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário, por iniciativa do vereador Iran Barbosa (PMDB). Foram convidados representantes  da BHTrans, sindicatos dos trabalhadores e das empresas de ônibus, sindicatos de garçons e Polícia Militar, entre outros.

Informações: R7.com/minas

READ MORE - Câmara de BH discute baixa oferta de ônibus durante a madrugada

Empresas de ônibus de Porto Alegre alegam prejuízo e pedem suspensão de encargos

A Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) de Porto Alegre afirma nesta segunda-feira que as empresas de ônibus acumularam um prejuízo de R$ 20 milhões com a suspensão da tarifa de R$ 3,05. Em um anúncio publicado em jornais da Capital, a ATP pede à prefeitura a suspensão do pagamento dos encargos de Imposto Sobre Serviços (2,5%) e a Taxa de Contribuição (3%) para a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Segundo a ATP, com o valor de R$ 2,85, as companhias não têm condições de prestar serviço com eficiência, qualidade e continuidade. Com a suspensão do pagamento dos encargos, a intenção é evitar "caos financeiro" no setor que poderia repercutir na qualidade do trabalho.  

A tarifa tinha sido reajustada em março, dos atuais R$ 2,85 para R$ 3,05, o que gerou uma série de protestos de estudantes na Capital, inclusive com quebra-quebra no prédio da Prefeitura. Uma liminar permitiu que o preço da passagem voltasse para a quantia atual. 

Nos últimos 70 dias sem reajuste, o total de ISS e taxa da EPTC representaram o valor de R$ 7,7 milhões. As empresas solicitam que a Prefeitura tome a mesma medida adotada pelas prefeituras do Rio de Janeiro e Florianópolis que cobram 0,01% de ISS, ou seja, um valor simbólico.

Informações: Correio do Povo

READ MORE - Empresas de ônibus de Porto Alegre alegam prejuízo e pedem suspensão de encargos

Usuários reclamam no 1º dia útil das novas empresas de ônibus em Marília

Nesta segunda-feira (20), no primeiro dia útil das novas empresas do transporte coletivo de Marília (SP), foi marcado pela insatisfação dos usuários. No Terminal Urbano, por onde passam todos os dias 40 mil pessoas, reclamações de atrasos.

Os aposentados Hugo e Dirce Pereira saíram do bairro Santa Antonieta, na zona norte, para levar o neto de oito meses ao médico. Mas eles não conseguiam chegar ao Hospital Materno Infantil. “Apareceu ônibus depois de 1h15 no bairro Santa Antonieta. Nós vamos a pé até o hospital. Meu neto tem horário para a consulta”, disseram. Já Wilson Oliveira Lemos se atrasou para o trabalho. “Fui até ponto e não havia ônibus, não apareceu”, contou o pedreiro.


Outra preocupação de quem depende dos ônibus é com relação às passagens que já foram compradas no cartão eletrônico. Quando a empresa Circular ainda tinha a concessão do transporte, ela descumpriu uma ordem judicial, emitida pelo juiz da Vara da Fazenda Pública, e ainda não havia repassado as duas novas empresas as informações dos usuários até o final da manhã desta segunda-feira (20). A multa por descumprimento da decisão chega a R$ 100 mil por dia. A antiga empresa deveria ter repassado as informações no dia 18 abril. A prefeitura procurou a Justiça, que estipulou novo prazo e multa. Há cinco dias, a Circular está sendo autuada.

As duas novas empresas, uma de Bauru e outra de Curitiba, assumiram a concessão do transporte coletivo por volta das 14h do último sábado. As atividades deveriam ter iniciado à zero hora de sábado, mas foram adiadas por causa de uma determinação do Tribunal de Justiça, que garantia a permanência da antiga operadora do serviço. As novas empresas só começaram a trabalhar depois de um novo parecer da Justiça. O coletivo Grande Marília vai atender 19 linhas, nas zonas norte e leste. A Viação Sorriso,16 linhas das zonas sul e oeste. O itinerário das linhas e os horários dos ônibus foram mantidos. Já o valor da passagem caiu de R$ 2,30 para R$ 2,15.

Uma central de atendimento foi montada para dar informações aos usuários. Ela fica na Rua Maranhão, 43, no centro da cidade. Quem tiver dúvidas também pode ligar para o 0800.777. 8181.

Informações: G1 Bauru e Marília
READ MORE - Usuários reclamam no 1º dia útil das novas empresas de ônibus em Marília

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960