Cidade de São Paulo deverá ter mais 13 terminais até 2016

domingo, 3 de fevereiro de 2013

A Prefeitura de São Paulo pretende ampliar de 29 para 42 o número de terminais de ônibus na cidade até 2016, além de modernizar 130 km de corredores de ônibus existentes e construir 150 km de corredores novos, esse último item promessa de campanha do prefeito Fernando Haddad.

A meta está expressa nas diretrizes gerais da concessão pública cuja licitação será aberta em fevereiro e concluída em julho. Os dados foram apresentados nesta sexta-feira (1°) em audiência pública. O sistema prevê integração com ciclovias e bicicletários.

O secretário de Transportes de São Paulo, Jilmar Tatto, afirmou que ainda nesse ano vai iniciar projetos relativos aos corredores da Radial Leste, M'Boi Mirim,  requalificação da Avenida Inajar de Souza e construção do binário da Avenida Santo Amaro.

O dinheiro para construção dos corredores e terminais deverá sair dos cofres da Prefeitura, de convênios com o governo federal ou por meio de Parcerias Público-Privadas (PPPs) especificas para exploração de corredores e terminais.

SegundoTatto, a proposta de 150 km de novos corredores prevê, entre outros, a implantação do corredor da Avenida  Celso Garcia até o Itaim Paulista;  corredor ao longo da Radial Leste até Guaianazes; ao longo da Avenida Aricanduva até São Mateus; paralelo à  Avenida Jacu-Pessego entre Itaim Paulista, Guaianazes e Cidade Tiradentes; corredor entre a Vila Prudente a Pinheiros;  corredor ao longo da Avenida 23 de Maio que se estende pela Avenida Interlagos e termina no Largo do Rio Bonito; e Corredor ligando o Terminal Varginha até a 23 de Maio. Parte desses planos foram projetados ainda na gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD).

O secretário afirma que na nova licitação vai buscar aumentar a velocidade média dos ônibus que atendem os sistemas principais, evitar ao máximo a sobreposição de linhas, reduzir tempo de espera e filas.

READ MORE - Cidade de São Paulo deverá ter mais 13 terminais até 2016

Ruas de Curitiba podem ganhar faixa exclusiva para ônibus

A Urbs estuda implantar faixas exclusivas para a circulação de ônibus em algumas ruas de Curitiba com o objetivo de aumentar a velocidade média do transporte coletivo. Muitas linhas que circulam fora das canaletas exclusivas enfrentam lentidão em vias comuns.
Alexandre Mazzo/ Gazeta do Povo
O presidente da Urbs, Ro­berto Gregório da Silva Júnior, diz que o transporte coletivo terá prioridade em relação ao individual. “Vamos trabalhar no estudo de faixas exclusivas, ampliação dessas faixas, de forma a garantir um padrão mínimo de velocidade do transporte coletivo.”

Essa proposta também foi apresentada na Câmara Mu­nicipal. O vereador Valdemir Soares (PRB) reapresentou um projeto de lei – arquivado em 2008 – que propõe a instalação dessas faixas na Zona Central de Tráfego (ZCT) em vias com três ou mais pistas de circulação. De acordo com o projeto, os ônibus terão uma faixa preferencial quando a via tiver até três pistas de rolamento e exclusiva no caso de ruas com quatro ou mais pistas. Em sua justificativa, o vereador diz que a medida tornará o sistema mais eficiente, atraindo mais usuários.

Planejamento

Especialistas veem com simpatia a ideia de faixas exclusivas, mas discordam da forma como o processo está sendo conduzido. “O transporte coletivo tem que ser prioridade, não há dúvida. 

Pista só para ônibus é uma realidade em São Paulo

Em São Paulo, as faixas exclusivas para ônibus são comuns. Os motoristas que desrespeitam a exclusividade das faixas, por onde só circulam ônibus e táxis com passageiros, são punidos com multas. Carros só podem trafegar pela faixa em finais de semana e feriados, com horários determinados.

O professor Ramiro Gonçalez faz uma analogia do quadro de Curitiba com o da capital paulista. Na avaliação de Gonçalez, durante anos São Paulo priorizou o transporte individual, com a construção de viadutos e alargamento de avenidas, que resultaram em um imenso congestionamento. Mesmo com a adoção de faixas exclusivas de ônibus e metrô, ele avalia o transporte paulistano como lento.

Para ele, Curitiba está indo pelo mesmo caminho, mas tem tempo de reverter a situação e a adoção de faixas exclusivas é uma solução viável. “Caminhamos para ter, com a Região Metropolitana de Curitiba, 3 milhões de pessoas e 2 milhões de carros. Cada carro ocupa seis metros quadrados. Não tem espaço físico para todo mundo. Sou favorável a qualquer ação no sentido de priorizar o transporte coletivo”, afirma. (FT)

Por Fernanda Trisotto

READ MORE - Ruas de Curitiba podem ganhar faixa exclusiva para ônibus

Nova tarifa de ônibus em São José dos Campos é maior do que das 26 capitais do país

Com reajuste na tarifa do transporte público de São José dos Campos dos atuais R$ 2,80 para R$ 3,30, nos dias úteis e aos sábados, o valor da passagem na cidade vai superar o valor cobrado nas 26 capitais do país e no Distrito Federal. A alta de 17,86% foi anunciada na noite desta sexta-feira (1º) pela prefeitura e vale a partir do próximo dia 11 de fevereiro.

Atuamente, entre as capitais, os maiores valores praticados são o da capital paulista, R$ 3, cujo valor está congelado há dois anos, e em Brasília (DF), que varia de R$ 1,50 a R$ 3. As menores tarifas estão em São Luís (MA) e Teresina (PI), R$ 2,10 (veja tabela completa com os valores abaixo).

A Secretaria de Transportes de São José dos Campos justificou que o aumento foi dado com base em análises econômicas e operacionais do sistema e que este reajuste sofre um efeito acumulado, já que desde 30 de janeiro de 2011 a tarifa não era revista. Mesmo assim, o aumento na tarifa do transporte ultrapassou a inflação oficial acumulada no período medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que foi de 12,34%.

O sistema de transporte público em São José transportou, apenas em dezembro de 2012, 6,4 milhões de usuários em 102 linhas operadas por 385 ônibus das empresas Sães Penã, Expresso Maringá e Júlio Simões.

Fórmula de reajuste
Os estudos técnicos levaram em consideração a fórmula de reajuste contratual que prevê a variação dos insumos e dos salários, os reajustes de combustível, os gastos com pessoal e a inflação acumulada com data base de 2007.

De acordo com o secretário de transportes, Wagner Baliero, a comparação do valor da tarifa do transporte público joseense com o da capital paulista, por exemplo, não pode servir como base comparativa. "São Paulo tem um aporte em subsídios para o transporte público de quase R$ 1 bilhão. Se nós tivéssemos isso aqui, o valor seria muito menor do que o de São Paulo, quem sabe até de graça?", disse ao G1.

Contrapartida
Após anunciar o reajuste, a Secretaria de Transportes informou as contrapartidas no sistema. Entre as quais estão a volta dos ônibus articulados até maio- nove veículos ao todo para atender as linhas com maior demanda; substituição de 40 ônibus da frota a partir de março, implantação de bilhete único para passageiros que utilizarem mais de uma condução em prazo de 2h, sistema de compra de crédito eletrônico pela internet e a abertura de licitação em março para implantação de corredores exclusivos para ônibus.


Confira o valor das tarifas nas capitais do país
Cidade
Tarifa
São Paulo (SP)
R$ 3
Brasília (DF)
 de R$ 1,50 a R$ 3
Cuibá (MT)
R$ 2,95
Florianópolis (SC)
R$ 2,90
Campo Grande (MS)
R$ 2,85
Porto Alegre (RS)
R$ 2,85
Belo Horizonte (MG)
R$ 2,80
Salvador (BA)
R$ 2,75
Rio de Janeiro (RJ)
R$ 2,75
Goiânia (GO)
R$ 2,75
Manaus (AM)
R$ 2,75
Curitiba (PR)
R$ 2,60
Vitória (ES)
R$ 2,45 a R$ 2,60
Porto Velho (RO)
R$ 2,60
Palmas (TO)
R$ 2,50
Rio Branco (AC)
R$ 2,40
Macapá (AM)
R$ 2,30
João Pessoa (PB)
R$ 2,30
Maceió (AL)
R$ 2,30
Recife (PE)
R$ 2,25
Aracajú (SE)
R$ 2,25
Boa Vista (RR)
R$ 2,25
Fortaleza (CE)
R$ 2,20
Belém (PA)
R$ 2,20
Natal (RN)
R$ 2,20
São Luís (MA)
R$ 2,10
Teresina (PI)
R$ 2,10


Colaboraram Ana Paula Torquetti e Edilene Faria/TV Vanguarda
Informações: G1 Vale do Paraíba e Região


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Nova tarifa de ônibus em São José dos Campos é maior do que das 26 capitais do país

Prefeitura de Diadema inicia estudos para a construção de terminal rodoviário


Prefeitura de Diadema iniciou os estudos para a construção de terminal rodoviário no município. Atualmente, moradores da cidade precisam se deslocar para São Bernardo ou para o bairro Jabaquara, na Capital, para conseguir embarcar em um ônibus de viagem. A previsão é de que os primeiros projetos estejam prontos até o fim do semestre.

O secretário municipal de Transportes, David Schmidt, informa que ainda não foi definido o local onde será feita a estação. Inicialmente, três bairros têm preferência: Eldorado e Inamar, pela proximidade com a Rodovia dos Imigrantes, e Serraria, vizinho à região central. "Não queremos fazer no Centro, pois essa é uma área que já está sobrecarregada e congestionada. A situação ficaria pior se aumentássemos o fluxo de ônibus por lá", explica.

Para viabilizar a obra, uma das possibilidades analisadas pela Prefeitura é a de criação de PPP (Parceria Público-Privada). Dessa forma, empresa construiria o terminal e, depois, como contrapartida, receberia o lucro da operação. Outra hipótese é de que o município se responsabilize pela construção e depois passe a concessão do equipamento para a iniciativa privada, como é feito nos terminais Tietê, Barra Funda e Jabaquara, em São Paulo.

Ainda não há estimativa de investimentos para o projeto. Além das obras, a Prefeitura poderá ter gastos com desapropriações. "Em Diadema, há muitos galpões abandonados que eram usados por indústrias. Estamos avaliando utilizar um desses espaços", comenta Schmidt.

O titular da Pasta espera definir todos os detalhes do projeto até junho, para que a proposta seja apresentada para a iniciativa privada já no início do segundo semestre, quando deverá ser publicado chamamento público no Diário Oficial. Não há prazo para que a rodoviária comece a ser construída, pois o tempo irá variar de acordo com a aceitação do mercado. Schmidt estima, no entanto, que a obra estará pronta até o fim da atual gestão, em 2016.

As únicas cidades do Grande ABC que não têm terminais rodoviários são Diadema, Mauá e Rio Grande da Serra. Passageiros precisam ir a municípios vizinhos para conseguir fazer viagens de ônibus. Na opinião de Schmidt, a falta do equipamento provoca transtornos aos usuários. "Essa é uma reivindicação antiga da população."

Bicicletas
Até a metade de abril, será criada ciclofaixa de lazer na Avenida Ulysses Guimarães, na Vila Conceição. Atualmente, Diadema tem 2,5 quilômetros de vias exclusivas para ciclistas aos domingos e feriados. O secretário de Transportes informa que negocia a criação de programa de empréstimo de bicicletas, semelhante ao Sancabike, de São Caetano.

Terminal Eldorado depende de decisão do MP
A reconstrução do terminal de ônibus no bairro Eldorado, em Diadema, depende de entendimento entre a Prefeitura e o Ministério Público. O equipamento foi construído em 2001 em área de proteção de manancial. Em 2002, a Prefeitura e a empresa Imigrantes - que deixou de operar em 2011 - assinaram TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com a Promotoria e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente para "sanar a irregularidade com vista ao licenciamento ambiental". Para isso, uma das soluções encontradas era a criação de praça no local.

A desativação do equipamento foi cogitada em 2011 pelo então secretário municipal de Serviços e Obras, Luiz Carlos Theóphilo. Agora, no entanto, a medida é descartada pelo atual titular da Pasta de Transportes, David Schmidt. Ele pretende se reunir nos próximos dias com integrantes do Ministério Público para que se chegue a acordo sobre outra forma de solucionar o problema ambiental. "Pode ser que, naquela época (em 2002), o terminal não era tão importante. Mas hoje, ele é fundamental para o sistema municipal de ônibus", comenta.

Cerca de 4.000 pessoas utilizam diariamente o espaço, que está completamente abandonado. Nas plataformas, não há bancos e coberturas. A sinalização vertical e de solo é falha. Buracos no asfalto e nas calçadas colocam pedestres em risco, além de danificar os coletivos. A sala de descanso dos funcionários é improvisada em um contêiner. Passageiros reclamam que, à noite, a iluminação é precária.

"Aqui, estamos expostos à chuva e ao sol. A Prefeitura só se lembra de que esse terminal existe em época de eleição", critica a inspetora Márcia Figueiredo, 26 anos. "Já faz uns três anos que isso aqui está desse jeito. Não dá para continuar assim", acrescenta a secretária Maria Fernanda Souza, 23.

Prefeitura fará diagnóstico das linhas municipais
Para melhorar a qualidade do transporte municipal, a Prefeitura de Diadema irá fazer pesquisa de origem e destino em toda a cidade. O objetivo é definir possíveis mudanças nas 23 linhas de ônibus e verificar a necessidade de criar itinerários. O diagnóstico começará a ser feito nas próximas semanas, após o início das aulas, e irá demorar cerca de 40 dias para ser concluído.

"A última pesquisa que fizemos foi em 2002. Já está muito desatualizada. Com base nesses novos dados, vamos traçar as prioridades", explica o secretário de Transportes, David Schmidt. O titular da Pasta avalia que não será necessário extinguir linhas. "Pelo contrário. Talvez tenhamos de criar, pois há bairros que não têm bom atendimento. Os números também podem mostrar se precisamos ou não aumentar a frota de ônibus", finaliza.

Por Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Prefeitura de Diadema inicia estudos para a construção de terminal rodoviário

Veja como recuperar objetos perdidos no Metrô de SP

A Central de Achados e Perdidos do Metrô de São Paulo recebeu cerca de 77 mil itens em 2012. Apenas 30% deles foram devolvidos aos donos. Quem perdeu algum objeto deve se dirigir ao posto que funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 20h, na estação Sé, no Centro da capital paulista.

Caso queira consultar se um item esquecido foi localizado, é possível fazer a consulta por telefone ou pelo site do Metrô.

Documentos formam a maior parte dos objetos perdidos. Entre as peças abandonadas, estão instrumentos musicais, malas, livros e muletas.
As estações onde os passageiros mais esquecem seus objetos são as de mais movimento, como a Sé, Palmeiras-Barra Funda e Jabaquara.

Posto de Achados e Perdidos
Estação Sé
Horário: das 7 às 20 horas, de segunda a sexta-feira, exceto feriados;
Central de Informações: 0800-770-7722, todos os dias, das 5h30 às 23h30;

READ MORE - Veja como recuperar objetos perdidos no Metrô de SP

No Recife, Solicitações da Carteira de Estudante 2013 poderão ser realizadas pela internet

O Grande Recife Consórcio de Transporte disponibiliza no site do órgão (www.granderecife.pe.gov.br), a partir desta segunda-feira (04), o link Carteira Fácil criado para os estudantes que tiverem interesse em solicitar a Carteira de Identidade Estudantil - via internet. O documento garante ao aluno o direito de utilizar a meia passagem, através da aquisição de créditos para o Vale Eletrônico Metropolitano Estudantil (VEM). 

Para solicitar o documento, é necessário o preenchimento correto do formulário com os dados do estudante sem abreviações e de acordo com a certidão de nascimento ou carteira de identidade. Também deve ser anexada uma foto 3x4, igual a utilizada para emissão de RG, Carteira de Trabalho ou Passaporte. 

A novidade desse ano é que no momento da emissão do boleto o aluno poderá optar por mais de um banco. O pagamento do boleto poderá ser realizado no Banco do Brasil (nas seguintes redes de atendimento: agências bancárias, Internet, Autoatendimento, Correspondente MaisBB, Banco Postal nas agências dos Correios) ou Caixa Econômica Federal (nas redes de atendimento: Agências lotéricas, Internet, Autoatendimento, Correspondente Caixa Aqui). O documento é confeccionado em até 30 dias corridos, após o pagamento. A taxa para aquisição da carteira é de R$ 9,00. 

As solicitações poderão ser efetuadas até o dia 31 de outubro desse ano, portanto todos os boletos deverão ser pagos, impreterivelmente, até esta data. A CIE 2013 tem validade até o dia 30 de abril de 2014.

READ MORE - No Recife, Solicitações da Carteira de Estudante 2013 poderão ser realizadas pela internet

Grand Central Station, em Nova York, completa 100 anos

Em Nova York, ela só perde para a Times Square em número de visitantes. São 700 mil pessoas todos os dias em seus corredores, cobertos de mármore que lembram os fartos primeiros anos do século XX, e 700 trens operados em seus terminais. Desde 2 de fevereiro de 1913, quando abriu suas portas pela primeira vez, a Grand Central Station é parte fundamental da Grande Maçã e seu centenário será comemorado com estilo ao longo de 2013, com direito a exposições, instalações artísticas e a reabertura da entrada da Rua 42.

Até 15 de março, uma instalação multimídia no Vanderbilt Hall mostrará como a Grand Central Station mudou nos últimos cem anos e projeta o futuro não só da estação, como da cidade. Já a exposição “On time / Grand Central at 100”, de 6 de março a 7 de julho, na galeria do New York Transit Museum, apresentará o trabalho de 12 artistas contemporâneos que retratam o cotidiano da estação, de ontem e hoje. Quem estiver na cidade entre 25 e 31 de março poderá ver a instalação “Heard NY”, do artista plástico performático Nick Cave: 30 “cavalos” coloridos farão coreografias no Vanderbilt Hall. No mesmo espaço, no dia 10 de abril, será a vez da poesia homenagear o centenário, com performances de poetas. No dia seguinte, escritores, historiadores e especialistas farão palestras sobre a história da estação e do transporte ferroviário nos Estados Unidos.

Os aficionados por trens podem programar uma visita nos dias 11 e 12 de maio, quando acontecerá uma parada com composições históricas. Um deles é o conhecido como “o trem mais famoso do mundo”, o 20th Century Limited. O evento será aberto ao público. Está prevista para o meio do ano a reabertura da entrada da Rua 42, fechada para reforma. Em outubro a nova iluminação da fachada também será inaugurada. Para fechar o calendário de eventos, uma exposição de 27 de julho a 3 de novembro mostrará fotos, de Hiroyuki Suzuki, que mostram as obras do futuro acesso East Side da estação. Como Nova York, a Grand Central Station não dorme.

Informações:  http://oglobo.globo.com


READ MORE - Grand Central Station, em Nova York, completa 100 anos

No Rio, Bilhete Único Intermunicipal completa 03 anos

A diarista Patrícia Fonseca, de 33 anos, agora faz mais faxinas. A auxiliar de serviços gerais Glauceli de Medeiros, 43, aproveita melhor as opções de lazer do Rio com a família. Moradoras da Baixada, elas são exemplos de como o Bilhete Único (BU) Intermunicipal trouxe benefícios aos mais de 2,24 milhões de usuários cadastrados nas 20 cidades da Região Metropolitana.

Criado em 1° fevereiro de 2010, o sistema completa hoje três anos com números de gente grande: uma média de 869 mil viagens diárias, 314 mil pessoas favorecidas por dia e cerca de R$ 28 milhões de subsídios mensais do Governo do Estado.

Pegar um ônibus de R$ 6,30 e outro de R$ 2,75, desembolsando apenas R$ 4,95, mudou a vida de Patrícia. Com o subsídio no transporte, ela conseguiu ampliar as diárias em residências das zonas Norte e Oeste do Rio e não tem mais que pagar as passagens do próprio bolso.

– Consegui mais trabalho graças ao Bilhete Único. Como é mais barato, as patroas dão o dinheiro do ônibus por fora. Com R$ 10, venho para o Rio e volto para Piabetá – disse Patrícia.

Para Glauceli, moradora de Duque de Caxias, o BU permitiu também economia com os estudos da filha, que faz faculdade em Niterói.

– Ela estuda na UFF (Universidade Federal Fluminense), além de ir a museus e teatros no Rio. Nem sei de quanto seria o
gasto se não tivéssemos o cartão – afirmou Glauceli. Nesses três anos, pesquisas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV) constataram que o BU proporcionou aumento na empregabilidade, maior atratividade do transporte público e redução do estímulo à favelização em áreas centrais da cidades.

Reconhecimento internacional

Não são apenas os fluminenses que elogiam o Bilhete Único. O sistema já virou referência internacional. Em 2011, foi eleito pela Associação Internacional de Transportes Públicos (UITT) como o melhor programa de transporte da América Latina, na categoria Introdução a Políticas de Transportes. Além disso, foi apresentado em diversos encontros, como no “Truck and Bus World Forum”, em Lion, e na “Missão Ferroviária Britânica”, em Londres.

A última exibição foi feita pelo secretário de Transportes, Julio Lopes, na sede do Banco Mundial (Bird), nos Estados Unidos, nos dias 17 e 18 de janeiro deste ano. Especialistas e autoridades de diversos países que buscam soluções sustentáveis para os problemas de mobilidade nos centros urbanos não só se interessaram, como virão ao Rio estudar a tecnologia. 

Fonte: Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro
READ MORE - No Rio, Bilhete Único Intermunicipal completa 03 anos

Tarifa do transporte público sofre alta de 17,86% em São José dos Campos

Quem utiliza o transporte público em São José dos Campos deve preparar o bolso. A prefeitura anunciou nesta sexta-feira (1) o aumento no valor da tarifa dos atuais R$ 2,80 para R$ 3,30 - reajuste de 17,86%. O valor da passagem para os domingos e feriados será de R$ 2,80. O novo valor, que supera o da capital paulista (R$ 3), entra em vigor a partir do dia 11 de fevereiro.
Foto: Débora Carvalho/G1
A Secretaria de Transportes justificou que o aumento foi dado com base em análises econômicas e operacionais do sistema e que este reajuste sofre um efeito acumulado, já que desde 30 de janeiro de 2011 a tarifa não era revista.

Mesmo assim, o aumento na tarifa do transporte ultrapassou a inflação oficial acumulada no período medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que foi de 12,34%.

Fórmula de reajuste
Os estudos técnicos levaram em consideração a fórmula de reajuste contratual que prevê a variação dos insumos e dos salários, os reajustes de combustível, os gastos com pessoal e a inflação acumulada com data base de 2007.

De acordo com o secretário de transportes, Wagner Baliero, a comparação do valor da tarifa do transporte público joseense com o da capital paulista não pode servir como base comparativa. "São Paulo tem um aporte em subsídios para o transporte público de quase R$ 1 bilhão. Se nós tivéssemos isso aqui, o valor seria muito menor do que o de São Paulo, quem sabe até de graça?".

Ele disse ainda, que apenas um dos itens do cálculo base de reajuste, o de gastos com pessoal, teve também no período um aumento que ultrapassou a inflação acumulada. "O reajuste no salário dos motoristas dos ônibus foi de cerca de 20% no período", ressaltou o secretário. 

Apesar do aumento, Balieiro não garantiu um prolongamento do prazo médio para os próximos reajustes nos valores das passagens de ônibus. Segundo a secretaria a legislação que regula o serviço de transporte público autoriza a correção anual da tarifa.

Contrapartida
Após anunciar o reajuste, a Secretaria de Transportes informou as contrapartidas no sistema. Entre as quais estão a volta dos ônibus articulados até maio- nove veículos ao todo para atender as linhas com maior demanda; substituição de 40 ônibus da frota a partir de março, implantação de bilhete único para passageiros que utilizarem mais de uma condução em prazo de 2h, sistema de compra de crédito eletrônico pela internet e a abertura de licitação em março para implantação de corredores exclusivos para ônibus.

O sistema de transporte público em São José transportou, apenas em dezembro de 2012, 6,4 milhões de usuários em 102 linhas operadas por 385 ônibus das empresas Sães Penã, Expresso Maringá e Júlio Simões.

Informações: G1 Vale do Paraíba e Região


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Tarifa do transporte público sofre alta de 17,86% em São José dos Campos

Empresas de ônibus de Campo Grande aderem à campanha de combate a dengue

As empresas integrantes do Consórcio Guaicurus - Viação Cidade Morena, Viação São Francisco, Viação Campo Grande e Jaguar - aderiram à campanha de combate a dengue e se uniram à Prefeitura de Campo Grande para vencer a epidemia que se instalou na cidade. O prefeito Alcides Bernal participou hoje (1º) do lançamento da campanha “Atropelando a dengue e protegendo a vida”, que vai levar informação a todas as regiões da cidade. Hoje, o transporte coletivo chega a cerca de 800 bairros da Capital e transporta em média 6,5 milhões de pessoas por mês.

O diretor do Consórcio Guaicurus, João Rezende informou que além da adesivagem nos 575 veículos do transporte coletivo, a campanha envolve um grupo teatral que irá provocar a imaginação das pessoas. “Será o ônibus e o mosquito da dengue. O grupo fará apresentações dentro dos ônibus, nos pontos de ônibus e terminais de transbordo. Isso acaba mexendo com o imaginário das pessoas e a obriga a pensar sobre o assunto. O transporte coletivo chega a milhares de pessoas e porque não contribuir para levar orientação neste momento delicado que a cidade enfrenta. Vamos mostrar de que maneira a população pode colaborar para combater a dengue”, explica.

READ MORE - Empresas de ônibus de Campo Grande aderem à campanha de combate a dengue

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960