Porto Alegre pode ter greve de ônibus nesta semana

sábado, 5 de janeiro de 2013

Assembleia da categoria recusou a proposta das empresas de reajuste de 3% e aprovou estado de greve. Os rodoviários querem 30% de aumento e aguardam novas propostas com ameaça de paralisação na próxima semana. 

Apesar disso, o presidente do Sindicato garante que se houver greve em Porto Alegre, não será na segunda-feira. Julio Gamaliel explica que não daria tempo de elaborar nova oferta no final de semana.

O diretor-presidente da EPTC não acredita que a greve ocorra nos próximos dias. Apesar disso, Vanderlei Capellari afirma que as equipes estão a postos para evitar transtornos.

A preocupação com as greves da categoria se intensificou desde a última paralisação da Carris, que parou a cidade inteira. No ano passado, na negociação do dissídio, o percentual acordado ficou em 7,5%. A Capital tem 1.679 ônibus em operação e cerca de 8,5 mil motoristas, cobradores, mecânicos e fiscais.

READ MORE - Porto Alegre pode ter greve de ônibus nesta semana

Em Curitiba, Governo do Estado garante subsídio para tentar manter tarifa de R$ 2,60

O governador Beto Richa confirmou nesta sexta-feira (4) que manterá o convênio com a Prefeitura de Curitiba para o repasse do subsídio do transporte público. O objetivo é manter a permanência da atual tarifa (R$ 2,60) do transporte coletivo da Capital. Serão repassados R$ 23,8 milhões no período de janeiro a maio. Cerca de 25 milhões de usuários, que utilizam a Rede Integrada de Transporte todos os meses, serão beneficiados. 
“Estamos confirmando a manutenção do convênio para que a passagem não suba”, afirmou o governador. Segundo ele, até maio o governo estadual estudará e implantará novas medidas para auxiliar o transporte de Curitiba e de outras cidades que possuem sistemas organizados de transporte coletivo. 

“Este subsídio dado ao atual prefeito de Curitiba está nos mesmos parâmetros do qual foi repassado ao anterior”, garantiu Richa. Ele lembrou que, enquanto prefeito da capital, baixou a tarifa de ônibus sem auxílio financeiro. “Eu não subi a passagem de ônibus. Eu reduzi uma tarifa que era uma das mais caras do país, sem a ajuda de ninguém”, disse. 

O convênio foi criado em maio do ano passado com o intuito de manter a tarifa do transporte coletivo. O valor repassado é a diferença entre o valor pago pelo usuário (R$ 2,60) e o valor real da chamada “tarifa técnica” (cerca de R$ 2,90) calculada pela Urbanização de Curitiba (Urbs). 

Em 2012, foram repassados R$ 33,6 milhões. Outros R$ 6,5 milhões foram empenhados em dezembro e serão pagos na próxima semana. O dinheiro é repassado pelo Estado para o Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), como forma de subsidiar também o custo do transporte de passageiros da região metropolitana. A Rede Integrada envolve 14 municípios e registra, em média, 25 milhões de usuários por mês. 

“Este foi um grande projeto do governador Beto Richa para intervir no reequilíbrio tarifário de Curitiba. Com isso, garantimos essa tarifa à população”, disse Rui Hara, coordenador da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec). 

O convênio envolve a Urbs, a Comec, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e a Secretaria de Estado do Planejamento.

READ MORE - Em Curitiba, Governo do Estado garante subsídio para tentar manter tarifa de R$ 2,60

Etufor altera itinerários de 22 linhas de transporte coletivo na Washington Soares

Em virtude da realização de obras de alargamento da Av. Washington Soares, que repercutirá no bloqueio do trecho compreendido entre as Avenidas Rogaciano Leite e Cel. Miguel Dias, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) irá alterar os itinerários de 22 linhas de transporte coletivo a partir desta segunda-feira (7).

Os desvios, que serão necessários apenas no sentido norte-leste da via, afetarão 17 linhas de ônibus e cinco de transporte complementar (vans). Para acessar a Av. Washington Soares, os coletivos que vierem na Av. Eng. Santana Júnior deverão seguir pela Rogaciano Leite, dobrar à esquerda na Av. Atilano Moura e em seguida na Av. Cel. Miguel Dias.

Além da mudança nos percursos, o órgão desativará temporariamente o ponto de parada situado no trecho interditado. Neste caso, os usuários poderão utilizar a parada posterior, que fica na esquina da Av. Washington Soares com Rua Eliseu Beco. Já na Av. Atilano Moura será instalado um ponto seletivo somente para as linhas de transporte complementar.
Para esclarecer as principais alterações à população, um efetivo de 10 agentes operacionais atuará nestes locais de embarque e desembarque fazendo um trabalho de orientação junto aos usuários.

Confira as linhas que terão percursos modificados:

Transporte Regular (ônibus)

(019) Messejana/Papicu/Manibura 
(021) Luciano Cavalcante/Papicu
(023) Edson Queiroz/Papicu (Corujão)
(035) Av. Paranjana II (Corujão)
(041) Parangaba/Oliveira Paiva/Papicu
(050) Siqueira/Papicu/Washington Soares
(052) Grande Circular II
(053) Messejana/Papicu/Washington Soares
(056) Grande Circular II (Corujão)
(066) Parangaba/Papicu/Aeroporto
(068) Messejana/Papicu/Cambeba
(074) Antônio Bezerra/Unifor
(075) Campus do Pici/Unifor
(093) Expresso/Messejana/Papicu
(806) Edson Queiroz/Papicu
(816) Edson Queiroz/Centro
(820) Papicu/Cj Alvorada

Transporte Complementar (vans)

(03) Paupina/Pici
(05) Canindezinho/Iguatemi
(06) Edson Queiroz/Barra do Ceará
(012) Conjunto Palmeiras/Papicu
(055) Conjunto Alvorada/North Shopping

Informações: Etufor
READ MORE - Etufor altera itinerários de 22 linhas de transporte coletivo na Washington Soares

Em BH, Trecho da Av. Paraná será fechado a partir de 08/01 para obras do BRT

As obras de implantação do BRT, sigla em inglês para Transporte Rápido por Ônibus, avançam em mais uma etapa em Belo Horizonte. A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTRANS e da Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura, informa que a partir da próxima terça-feira, dia 8, começam as intervenções na Avenida Paraná, nos quarteirões entre as Ruas dos Caetés e Tupis, no sentido do Mercado Central, e na Praça Rio Branco (da Rodoviária). Nesse trecho, apenas no sentido Praça da Rodoviária/Mercado o trânsito será fechado a ônibus e carros. O tráfego continua liberado para quem circula pela avenida Paraná no sentido Mercado Central/Praça da Rodoviária. O acesso às garagens e a estacionamentos particulares da via será mantido. A circulação de pedestres ficará liberada na praça da Rodoviária e nas calçadas da avenida Paraná.

Essa é a segunda etapa das intervenções para implantação do BRT na Área Central. A primeira aconteceu na avenida Santos Dumont, entre maio e novembro de 2012. Até a conclusão da obra, serão, ao todo, seis etapas de intervenções com conclusão prevista para daqui a um ano. Pelo cronograma, uma etapa das intervenções só começa quando a anterior estiver concluída. Isso faz parte de um grande planejamento elaborado com o objetivo de reduzir ao máximo os transtornos a pedestres, motoristas, usuários de ônibus e lojistas.

Donos de estabelecimentos comerciais na Avenida Paraná e nos arredores estão sendo informados, em reuniões, da necessidade das intervenções. Ao todo, 39 linhas de ônibus da BHTRANS e 45 gerenciadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER) terão seus itinerários alterados nessa etapa da obra. Equipes da BHTRANS, junto com técnicos do DER, traçaram novas rotas de tráfego dos coletivos, com a criação de pontos de embarque e desembarque alternativos, próximos aos locais das antigas paradas.

Para quem circula pela região de carro e vem da Avenida Santos Dumont, a Avenida Olegário Maciel e as ruas dos Guaranis e Curitiba passam a ser  opções de desvio em direção ao Mercado Central. Os novos locais de paradas dos ônibus foram definidos de forma que os usuários tenham que caminhar a menor distância possível entre os atuais pontos e os que foram criados provisoriamente. Possíveis ajustes poderão ser feitos caso se mostrem necessários. A Avenida Paraná tem um volume diário médio de 28.500 veículos, sendo que entre 18h e 19h, horário de maior movimento na avenida, passam 2.400 veículos pela via.

Informativos com o mapa das mudanças no trânsito e as alterações nas linhas de ônibus serão  distribuídos à população. Os folhetos com as indicações de todas as linhas que tiveram alterações de itinerários serão entregues nos coletivos, em pontos de embarque e desembarque, nos estabelecimentos comerciais e também entre as pessoas que circulam a pé na região.

Usuários de ônibus e motoristas podem ligar para o telefone 156 (BH Resolve/BHTRANS) para esclarecer dúvidas sobre o transporte coletivo. Informações sobre a obra podem ser obtidas através do telefone 31-3277-8139. Para garantir o menor transtorno possível aos lojistas, as calçadas continuarão liberadas aos pedestres. Tapumes menores irão permitir que parte das fachadas das lojas seja preservada e, com isso, os consumidores consigam localizar os estabelecimentos.

Nessa etapa de obras, uma parte da cidade irá sentir os efeitos das mudanças no trânsito, mas, no futuro, toda a população irá se beneficiar das melhorias que o BRT  irá promover na mobilidade e na qualidade de vida em Belo Horizonte. Com o BRT, as avenidas Santos Dumont e Paraná ficarão exclusivas para a circulação dos ônibus do sistema, dos pedestres e das bicicletas.

Assim, menos coletivos irão circular pela região, mas levando mais passageiros. Atualmente, nos horários de pico da manhã, 8.400 passageiros utilizam pontos de embarque e desembarque nessas duas avenidas. Com o sistema, esse número passará para 14.500 passageiros. Nos horários de pico da tarde, o número de usuários de ônibus na Paraná e na Santos Dumont subirá de 7.500 para 13.000.

VEJA AQUI ONDE VOCÊ PODERÁ PEGAR SEU ÔNIBUS
Click para ampliar
READ MORE - Em BH, Trecho da Av. Paraná será fechado a partir de 08/01 para obras do BRT

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960