Rodoviária de Salvador tem problemas na limpeza e segurança

terça-feira, 30 de outubro de 2012


Falta de segurança, sujeira, mau cheiro, piso e asfalto danificados, são esses alguns dos principais problemas enfrentados por que passa diariamente pela Estação Rodoviária de Salvador, onde circulam boa parte dos ônibus da capital e região metropolitana. Construída em 1974, o terminal fica localizado ao lado da Estação de Transbordo e do Shopping Iguatemi e sofre com um verdadeiro descaso dos órgãos públicos. 

Para a vendedora ambulante, Edite dos Santos, é uma falta de atenção total o que acontece com a Rodoviária. "Não tem lixeira nenhuma, os banheiros ficam fechados, aí o pessoal acaba mijando nas pilastras. É uma bagunça!", criticou. A idosa de 60 anos, que já vende lanches no local há mais de quatro anos, não esconde a insatisfação. "Tem dia que eu preciso esperar chegar em casa para ir ao banheiro", ressaltou.

"Tem dia que eu preciso esperar chegar em casa para ir ao banheiro".

Assim como a vendedora, o rodoviário Jeová do Nascimento, passa boa parte do dia no terminal e relata os problemas no local. "O que mais sofremos aqui é falta de banheiros. Sem contar a falta de segurança porque não passa um policial por aqui", alertou. O cobrador também informou já ter presenciado vários assaltos dentro da estação.  Para o motorista Carlos Souza, o que precisa ser reparado com urgência é o asfalto do local, pois muitos passageiros caem dentro do ônibus por conta dos tombos gerados pela irregularidade do asfalto.  

De acordo com servidores da Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador) que estavam no local, foi realizada uma operação 'tapa buracos' há cerca de 15 dias. Os servidores ainda informaram que só comparecem à administração do terminal para evitar assaltos aos equipamentos. "Não temos muito o que fazer por falta de estrutura. O nosso banheiro é uma porcaria. A funcionária de limpeza só vem pelo turno da tarde e no sacrifício, pois ela já não recebe há três meses", confessou os funcionários que também não quiseram se identificar.

Ao andar pelo terminal é visível que a sujeira toma conta do local, devido a falta de lixeiras. Outro grande incômodo, é o forte odor de urina que também atrapalha nas vendas de produtos alimentícios da estação. Segundo a administração, uma equipe da Limpurb faz a limpeza todos os dias durante a madrugada. Além disso, os transeuntes dividem os pontos de ônibus com os mendigos que dormem nos bancos e no chão da estação.

Sob responsabilidade da Transalvador, órgão da Prefeitura Municipal, a Estação Rodoviária suporta linhas de transporte público de diversos bairros da capital e de municípios próximos como Lauro de Freitas, Camaçari, Simões Filho, entre outros. Em meio às eleições municipais, o terminal se torna mais um desafio para ser enfrentado pelo prefeito de Salvador.

A equipe de reportagem do iBahia entrou em contato com a Transalvador, Limpurb e com a Secretaria Municipal de Serviços Públicos e Prevenção à Violência (SESP) para maiores esclarecimentos, mas não obteve êxito.

Informações: Ibahia.com

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Rodoviária de Salvador tem problemas na limpeza e segurança

Em Campinas, EMDEC protocola documentos na Caixa para implantar BRT


Mais um passo foi dado para a implantação do sistema BRT (Bus Rapid Transit) - sigla em inglês que significa Trânsito Rápido com Ônibus -  no município de Campinas.

O secretário de Transportes, Wilson Folgozi de Brito, presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC), protocolou na Caixa Econômica Federal nesta segunda-feira, dia 29 de outubro, os documentos técnicos exigidos pelo Ministério das Cidades para dar continuidade ao processo de implantação do sistema BRT em Campinas.

Segundo Folgozi, estes documentos são fundamentais para que haja a assinatura do termo de compromisso, que autoriza a abertura do processo de licitação que vai definir os autores do projeto final e os executores da obra. A expectativa é de assinar o termo de compromisso no próximo mês e dar início ao processo de licitação do projeto final e da execução da obra.

O Plano de Mobilidade Urbana de Campinas aprovado pelo Ministério das Cidades neste ano prevê a implantação de corredores de ônibus exclusivos para a operação do Sistema BRT nos eixos Ouro Verde e Campo Grande nos próximos três anos. Portanto, entre 2013 e 2016.

O BRT é um sistema integrado de transporte de ônibus de alta qualidade que realiza mobilidade urbana rápida e eficiente, com um custo inferior em comparação aos demais sistemas existentes. É semelhante ao sistema de Metrô, porém com ônibus articulados e biarticulados que circulam em corredores exclusivos e param em estações práticas e seguras.

Funcionará com a integração de diversos fatores e elementos. O tempo reduzido no percurso é o grande diferencial.

Rapidez, eficiência e segurança são obtidas no BRT através de uma infraestrutura separada, exclusiva para os ônibus e passageiros. A prioridade de passagem é para os ônibus, garantindo uma operação rápida e freqüente.  Nas estações haverá um sistema de pré-pagamento de tarifa em bilheterias. A cobrança deixará de ser feita dentro dos ônibus.

O BRT contará com sistemas de gerenciamento de uma Central de Controle Operacional; sistemas de tráfego inteligentes dentro dos ônibus; sistemas de localização automática de veículos; e serviços de comunicação permanente aos usuários.

Este novo sistema de transporte terá um desempenho eficiente e semelhante aos sistemas de Metrôs, com a vantagem de exigir um investimento bem inferior, tanto na implantação como na manutenção. A implantação é até 20 vezes mais barata em relação ao sistema de VLT. Comparado ao sistema de Metrô, o BRT custa 100 vezes menos.

Os corredores do BRT deverão transportar, a partir de 2014, cerca de 30 mil passageiros por hora em cada sentido; podendo chegar a 40 mil/hora por sentido, nos próximos 30 anos.

Campinas foi contemplada com R$ 295 milhões, vindos do Governo federal, através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC da Mobilidade Urbana). A Prefeitura deverá investir mais R$ 44 milhões como contrapartida.

CORREDORES

14,4 km de extensão, saindo do Terminal Central (Viaduto Miguel Vicente Cury), seguindo pela João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim e Terminal Vida Nova.
Custo estimado: R$ 145 milhões.
Melhorias: Reforma do Viaduto Miguel Vicente Cury, basicamente com a implantação de mais uma faixa de rolamento, em cada sentido, na ligação com a Avenida João Jorge. Reforma dos Terminais Central, Ouro Verde e Vida Nova. Implantação de duas estações de transferência ao longo do trecho.

17,8 km de extensão, saindo do Terminal Multimodal Ramos de Azevedo, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, John Boyd Dunlop e chegando ao Terminal Itajaí.
Custo estimado: R$ 155 milhões.
Melhorias: Construção de terminal ao lado da Terminal Multimodal. Implantação de três estações de transferência ao longo da Avenida John Boyd Dunlop.

Corredor de Interligação Aurocan:  (ligando Campo Grande - Ouro Verde)
4 km de extensão, no antigo leito do VLT, ligando a Vila Aurocan até o Campos Elíseos.
Custo estimado: R$ 30 milhões.

Informações: EMDEC


READ MORE - Em Campinas, EMDEC protocola documentos na Caixa para implantar BRT

Trensurb abre licitação para processo de climatização de trens

A Trensurb divulga a abertura de licitação visando à climatização de sua frota atual, composta por 25 trens. A empresa ou consórcio vencedor deverá fornecer projeto, materiais e executar a instalação de equipamentos de ar condicionado e de geração de energia auxiliar em até 30 meses a partir da ordem de início de serviço, além de prestar garantia assistida de 12 meses para cada trem. O primeiro trem climatizado deverá ser entregue em até seis meses após o início dos trabalhos.

A sessão pública para abertura de propostas será em 22 de novembro, às 10h, no auditório do prédio administrativo da empresa, localizado na Avenida Ernesto Neugebauer, nº 1985, Bairro Humaitá, em Porto Alegre.

O diretor-presidente da Trensurb,  Humberto Kasper, disse que "esse é um passo importante para a modernização dos trens e da frota atual, a seguir, teremos a compra dos novos trens, já com esses equipamentos". Com isso Kasper afirma que "a Trensurb está cumprindo seu Plano de Negócio, focando na melhoria da qualidade de vida dos seus usuários".

Visitas técnicas

As empresas interessadas deverão realizar visita técnica à Trensurb a fim de verificar as peculiaridades do sistema, regulamentos, normas técnicas e administrativas, condições do local, montagem, testes, treinamentos e demais informações. A atividade é indispensável à participação na licitação.

O agendamento das visitas deve ser feito - até as 17h do dia 19 de novembro - com o responsável pelo Setor de Projetos de Sistemas e Inovação Tecnológica (Seitec) da Trensurb, Paulo Roberto Lutckmeier, pelo telefone (51) 3363-8000, de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Será fornecido o atestado de visita àqueles que comparecerem.

READ MORE - Trensurb abre licitação para processo de climatização de trens

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960