Cidade do Rio de Janeiro deve ter tarifa de ônibus a R$ 3,00 a partir de janeiro de 2013

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

O reajuste anual da passagem de ônibus no Rio de Janeiro, previsto para janeiro de 2013, deve fazer com que a capital fluminense tenha a tarifa de ônibus mais cara do país. O valor pode ultrapassar os R$ 3,00 segundo cálculos feitos pelo jornal "O Dia", que levou em conta a iniciativa do governo municipal de exigir das empresas a instalação de ar-condicionado e piso baixo em toda a frota.

No começo deste ano, com um índice de reajuste de 10%, o valor da passagem saltou de R$ 2,50 para R$ 2,75. Em entrevista à rádio CBN, o prefeito reeleito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), confirmou que uma cláusula no contrato de concessão dos quatro consórcios que administram as linhas de ônibus da cidade prevê o aumento anual, sempre no dia 2 de janeiro.

No entanto, o peemedebista desconversou quando questionado sobre os valores do próximo reajuste. Segundo a reportagem do jornal "O Dia", a passagem será superior a R$ 3,05.

"No programa de governo eu já colocava que todos os ônibus da cidade do Rio de Janeiro terão ar-condicionado até 2016. Eu acho patético a gente ter, em uma cidade com as características do Rio, o ônibus com ar-condicionado custando três vezes mais do que o valor do Bilhete Único. Para equilibrar isso, precisamos voltar para a realidade", afirmou.

"O que significa uma nova realidade hoje? Ela tem um reajuste que ocorre sempre, uma vez por ano, em janeiro. É um reajuste estabelecido no contrato de concessão. Para ter o investimento, pode ser que você tenha um reajuste maior. Mas eu não falei valor. Não sei é R$ 3,05, R$ 3,10, R$ 3,20, ou se é R$ 2,50", completou o prefeito.

Uma alternativa para a Prefeitura do Rio seria a de oferecer subsídios ao Rio Ônibus, empresa que reúne as empresas do setor, para manter ou reduzir o impacto do reajuste --caso o investimento em relação à instalação de ar-condicionado em todos os veículos saia do papel.

Atualmente, entre as capitais, a tarifa de ônibus mais cara do Brasil é cobrada em São Paulo (R$ 3), segundo levantamento da empresa Ticket Transporte. Com o valor atual (R$ 2,75), o Rio ocupa a sexta colocação no ranking.

Informações: O Dia Online


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Cidade do Rio de Janeiro deve ter tarifa de ônibus a R$ 3,00 a partir de janeiro de 2013

Trens do Metrô e CPTM e ônibus da EMTU/SP ajustam operação ao horário de verão

No primeiro minuto do próximo domingo, dia 21, os trens da rede metroferroviária (Metrô e CPTM) e os ônibus metropolitanos gerenciados pela EMTU/SP terão seus horários de circulação ajustados ao novo Horário de Verão.

Como os relógios serão adiantados em uma hora, a circulação de trens da Companhia do Metrô, da Linha 4-Amarela e da CPTM será feita normalmente até as 2h da manhã de domingo, o equivalente a 1h do horário antigo, quando habitualmente se encerra a operação comercial nas duas empresas.

A circulação de trens será retomada às 4h de domingo na CPTM e às 4h40 no Metrô.
Na EMTU, as linhas de ônibus também operarão até as 2h do novo horário, cumprindo tabela horária normal no domingo.

Informações: Metrô SP

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Trens do Metrô e CPTM e ônibus da EMTU/SP ajustam operação ao horário de verão

Comissão do Senado aprova incentivo para compra de ônibus para o transporte público

Nesta quarta-feira (17), a Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) aprovou o PLS 268 de autoria do senador paraibano Cássio Cunha Lima (PSDB) propondo que sejam isentos de pagamento ao Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/PASEP) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) todas as compras dos veículos utilizados nos Transporte Coletivo de Passageiros.

Na sua justificativa, Cássio Cunha Lima destaca que a melhoria da qualidade do transporte pública passa também por veículos confortáveis, “pois um dos maiores problemas que afetam a prestação desse serviço é justamente a idade média da frota utilizada, que acarreta diversos problemas, como quebras em serviço, maior nível de ruído e desconforto ao usuário”. Cássio reitera que “apesar dessa constatação não constituir novidade, o que mais se observa no Brasil , é um serviço que se encontra muito aquém do que merece o povo brasileiro, ou do que a pujança econômica de nosso país permitiria”.

Na avaliação do senador, com a aprovação deste Projeto de Lei – que agora será analisado pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) - efetivamente, o preço dos ônibus será reduzido em aproximadamente 3,5%, valor que hoje representa a cobrança de PIS/COFINS. “Esta medida, somada a outras, irão garantir uma maior facilidade para a renovação e aumento da frota, com reflexos positivos na prestação do serviço de transporte coletivo urbano e consequente redução no preço das passagens”, sustentou o representante paraibano.

Ainda de acordo com a legislação vigente e pelo PLS será considerado transporte coletivo todos os automóveis para transporte de dez pessoas ou mais, incluído o motorista. Para receber esta isenção, os compradores terão que comprovar o uso do veículo exclusivamente para o transporte público de passageiros, através da caracterização do mesmo e de fiscalização do seu uso através dos agentes oficiais.

READ MORE - Comissão do Senado aprova incentivo para compra de ônibus para o transporte público

Dilma Rousseff sanciona lei que reduz contribuição previdenciária de 20% sobre a folha de pagamento das empresas de ônibus

Uma mudança na tributação das empresas  de transporte coletivo deve interferir nos estudos da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) sobre o novo valor da tarifa em Londrina. A lei 12.715/2012 foi sancionada em setembro pela presidente Dilma Rousseff, dentro do pacote Plano Brasil Maior, com o objetivo de fortalecer a economia nacional.

As empresas de transporte coletivo deixarão de pagar a contribuição previdenciária de 20% sobre a folha de pagamento. O tributo foi convertido no pagamernto de 1 ou 2% sobre a receita bruta. O diretor de Transportes da CMTU, Wilson de Jesus, espera que a mudança tenha um efeito positivo sobre o custo da tarifa.

O estudo da atualização da planilha estava praticamente finalizado, mas foi prorrogado para avaliar o impacto da nova lei. Jesus reconhece que atualmente há um desequilíbrio entre o valor repassado aos passageiros e o valor gasto pelas empresas, mas acredita que o aumento possa ser evitado em virtude da nova forma de tributação.

"Com os dados que nós temos hoje, já é possível apontar que nesse momento há um desequilíbrio. Justamente com as informações desse tributo, nós vamos avaliar qual o impacto que essa medida terá nesse desequilíbrio. Se ela voltar a trazer o equilíbrio, será importante nós avaliarmos antes de gerar qualquer tipo de expectativa da população", disse.

As empresas de transporte coletivo aguardam a atualização da planilha de valores, pois afirmam que não acontecem reajustes desde fevereiro de 2011. Jesus reconhece que o estudo é necessário. "Essa manifestação das empresas ficou mais presente a partir de julho, quando aconteceu um segundo reajuste dos salários. A gente sabe que a mão de obra é o item de maior impacto no sistema de transporte coletivo, ainda tem o aumento dos insumos, principalmente do óleo diesel", destacou.

Atualmente, os passageiros pagam R$ 2,20 por passagem às duas empresas que executam o serviço – a Transportes Coletivos Grande Londrina e a Londrisul. A real tarifa é de R$ 2,35, mas R$ 0,15 são subsidiados pela prefeitura.

READ MORE - Dilma Rousseff sanciona lei que reduz contribuição previdenciária de 20% sobre a folha de pagamento das empresas de ônibus

Guarulhos e região de Campinas recebem novos ônibus com tecnologia menos poluente

A Viação Ouro Verde, pertencente ao Grupo de Belarmino de Ascenção Marta, empresário do Estado de São Paulo, recebe as primeiras unidades de um novo modelo de ônibus articulado para ampliar a oferta de lugares no sistema de transportes dos municípios de Sumaré e Campinas, no Interior de São Paulo.

Os veículos não são apenas novos por se tratarem de ônibus zero quilômetro, mas referem-se a lançamentos de mercado. São ônibus de carroceria Comil Doppio BRT recém lançada pela empresa Comil de Erechim, no Rio Grande do Sul.

O ônibus incorpora as exigências de operação de um sistema de corredores modernos de transportes (BRT – Bus Rapid Transit), que exige mais qualidade, mas pode ser usado em vias comuns. Além de um novo design, o veículo teve o sistema de iluminação qualificado, com o uso de LED, poltronas modernizadas, com maior espaço entre elas e melhor ergonomia, elevador para portadores de deficiência na segunda porta, maior área envidraçada para a visibilidade por parte dos motoristas e passageiros e sistema de gerenciamento. A capacidade pode chegar a 170 passageiros transportados.

O Comil Doppio BRT da Viação Ouro Verde é encarroçado sobre chassi O 500 M, da Mercedes Benz, com a tecnologia denominada pela montadora de BlueTec 5, que segue as normas de redução de emissão de poluentes em vigor desde janeiro deste ano que têm como base os parâmetros internacionais Euro V. O motor é menos poluente, considerado mais econômico e no sistema de escape, há eletronicamente a injeção de um fluido, o ARLA 32 (Agende Redutor Líquido Automotivo, com 32,5% de uréia industrial) que em contato com os gases provoca uma reação química reduzindo o nível de poluição. Deixam de ser lançados no ar, de acordo com a nova legislação, 80% de materiais particulados e 63% de óxidos de nitrogênio.

O Grupo de Belarmino deve continuar renovando a frota com os novos modelos da Comil. As empresas de serviços rodoviários, intermunicipais e fretamento do grupo também receberam modelos da encarroçadora.

GUARULHOS
A frota de ônibus municipais de Guarulhos, na Grande São Paulo, foi ampliada neste dia 16 de outubro para 900 veículos com a inclusão de 87 unidades. Destaque para a entrega da Empresa de Ônibus Vila Galvão. Entre os 20 veículos trazidos para a empresa, o de prefixo 2225 é de tecnologia menos poluente, que segue as determinações do Proconve P 7 (fase 7 do Programa Nacional de Controle da Poluição por Veículos Automotores) com base nas normas internacionais Euro V. Trata-se de um Caio Apache Vip, chassi Mercedes Benz OF 1721 Euro V. O modelo usa o sistema de redução catalítica seletiva, pelo qual no sistema de escape do veículo é injetado um fluido a base de uréia industrial, denominado ARLA 32 – Agente Redutor Líquido Automotivo.

Os ônibus e caminhões que seguem os padrões Euro V, em vigor no Brasil desde janeiro deste ano, podem reduzir em 80% a emissão de materiais particulados e em 63% de NOx – Óxidos de Nitrogênio. Com a injeção do ARLA nos gases de escape, há uma reação química pela qual no lugar dos poluentes é liberado nitrogênio puro. O diesel usado nos ônibus e caminhões de padrão Euro V é menos poluente também. Denominado de S 50, com 50 partes de enxofre por milhão, é considerado mais limpo que o Diesel S 500 que tem sido substituído aos poucos. O S 50 é mais usado atualmente em frotas de ônibus urbanos em regiões metropolitanas.
A partir do ano que vem, a Petrobrás deve introduzir o Diesel S 10, ainda menos poluente.

O diretor da Empresa de Ônibus Vila Galvão, José Roberto Yasbek Felício, revelou que negocia a compra de novas unidades do padrão Euro V e que tem adaptado a garagem da companhia para armazenar o fluido ARLA 32, para ampliar a capacidade de armazenamento do Diesel S 50 bem como para seguir as novas determinações da CETESB quanto ao descarte e à coleta de resíduos e materiais particulados.
A entrega nos novos ônibus foi feita no recém inaugurado Terminal São João, que recebe diariamente cerca de 40 mil pessoas.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.
Colaborou Jacques Miranda (Guarulhos) e Fermino Kozak (Campinas – Sumaré)
Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Guarulhos e região de Campinas recebem novos ônibus com tecnologia menos poluente

Carteira de livre acesso são usadas indevidamente nos ônibus do Recife e Região Metropolitana

É Carteira de Livre Acesso para tudo que é lado, o que era para ser um direito apenas para pessoas com necessidades especiais virou um negócio irregular dentro do sistema de transporte da Região Metropolitana, e ainda prejudica as pessoas que realmente tem este direito, pois além da fraude, essas pessoas muitas vezes viajam na frente dos ônibus, lugar destinado aos idosos, pessoas com deficiência e gestantes.
Foto: Blog Meu Transporte
E não tem como controlar estes absurdos durante as viagens, pois os motoristas que eram para fiscalizar exigindo a documentação se sentem ameaçados em fazer essa fiscalização, e os pontos de fiscalização das empresas e do próprio Consórcio Grande Recife de Transportes parece inexistente, fazendo com que este ato ilegal venha a ser realizado em qualquer lugar e a qualquer hora do dia.

Tem pessoas que usam essas carteirinhas na qual visivelmente não aparentam problema algum, e muitos colocam as mãos na foto para evitar comparações.

Motorista de ônibus que não quis se identificar, disse que teme a própria vida se mandar as pessoas com carteira falsa descerem. Eu sei que o cidadão tá com a carteira que não é dele, mas se agente for impedir o embarque, a viagem vai demorar mais ainda, pois são várias pessoas que apresentam essas carteiras em apenas uma viagem e ainda trás acompanhante, relatou.

Fiscalização
O Grande Recife Consórcio de Transportes diz que existe fiscalizações itinerantes e que com a implementação de cartões eletrônicos, vai diminuir e muito a fraude. Ainda segundo o GRCT, as pessoas que forem flagradas usando a carteirinha indevidamente ou falsa responderá criminalmente por falsidade ideológica.

A Urbana-PE diz que existe fiscalização das empresas de ônibus dentro dos coletivos, e que casos eventuais flagrados faz com que os fiscais recolham a carteira e encaminhe para o Grande Recife Consórcio de Transportes.

READ MORE - Carteira de livre acesso são usadas indevidamente nos ônibus do Recife e Região Metropolitana

Em Belo Horizonte, Ônibus ''Frescão'' completa 01 mês de operação com demanda triplicada

Viagens promissoras no aniversário de um mês do sistema executivo de transporte público de Belo Horizonte, o frescão. Há 30 dias em funcionamento, as linhas pioneiras S01 (Savassi-Cidade Administrativa) e S02 (Savassi-Buritis) viram o número de passageiros triplicar nas três primeiras semanas de operação. De 400 usuários/dia, os ônibus passaram a transportar 1,2 mil pessoas diariamente. “A demanda tem sido crescente a cada semana”, garante o diretor de Desenvolvimento e Implantação de Projetos da BHTRans, Daniel Marx. 

Ainda assim, a ocupação não passa da metade da capacidade de transporte. No percurso para o Buritis, chega a 50%, enquanto no trecho para a nova sede do governo do estado está em 30%. Para a empresa que gerencia o trânsito na capital, os números são animadores, já que a ocupação era um terço da atual na inauguração. Apesar disso, há resistência no sentido Cidade Administrativa devido às obras na Avenida Cristiano Machado.

Entre os que tomaram gosto pelo frescão estão passageiros que migraram do sistema convencional e outros que admitem estar deixando o carro em casa para se livrar do caos no trânsito. O motivo da troca é visível durante as viagens. Com temperatura agradável, graças ao ar condicionado, os passageiros seguem todos sentados em poltronas confortáveis com cinto de segurança. Aproveitam a tranquilidade para assistir a programação de TV, ler revista, navegar na internet, adiantar os compromissos de trabalho no lap top ou tirar uma soneca. Benefícios impagáveis para quem diariamente precisava enfrentar o desgaste diário de longos congestionamentos.

Satisfação
Como o conforto tornou-se a palavra de ordem para quem já se decidiu pelo frescão, nem mesmo o custo da passagem acima de R$ 2,65, pago no ônibus convencional, tem sido um incômodo. Na linha Savassi/Cidade Administrativa a tarifa é de R$ 5, enquanto no trecho para o Buritis o passageiro paga R$ 4. Ao fim do mês, o custo com o transporte é de aproximadamente R$ 220 e de R$ 176, respectivamente, se considerados os dias úteis. Valores bem mais altos do o que os R$ 116 gastos no sistema normal. 

A diferença, no entanto, não tem pesado no bolso dos que fizeram a opção por deixar o automóvel na garagem. É o caso do advogado Eduardo José Mourão Moreira, de 25 anos, que mora no Buritis (na Região Oeste) e trabalha no Bairro de Lourdes (Centro-Sul). Desde o primeiro dia do serviço tornou-se passageiro assíduo e não economiza elogios ao sistema. “Tinha um gasto mensal de R$ 400 com gasolina e estacionamento. Agora, gasto menos de R$ 200 e não preciso mais enfrentar o caos do trânsito nem me preocupar em deixar o carro na rua”, diz. 

Eduardo foi um dos 31 passageiros que viajaram na linha Buritis/Savassi às 8h de ontem. A viagem saiu sem atrasos e demorou 45 minutos, cerca de 15 a mais do que o habitual, já que o trânsito estava engarrafado na saída do bairro. Da janela do frescão, a consultora de sistemas Denise Freitas Monteiro, de 45, observava tranquila o tumulto do trânsito. “Nem hesitei quando soube deste ônibus. Vim há dois anos do Rio de Janeiro, onde o sistema é muito comum e sempre fui usuária dessa modalidade. Para mim foi um alívio deixar o carro na garagem”, explicou a passageira. 

A opção também significou economia para Denise, que por não gostar muito de dirigir costumava ir de táxi para o trabalho na Avenida Raja Gabaglia. “Gastava até R$ 30 por dia com o táxi. Pagar R$ 8 (ida e volta) está sendo ótimo”, disse. 

Economia com o carro na garagem

O motorista Edmar Carlos Deodoro atesta as mudanças. Segundo ele, as reclamações da época da implantação do frescão diminuíram. “Antes, havia muita gente reclamando do ar e da internet, que era lenta. Hoje, a maior parte está satisfeita”, diz o condutor, que também se gaba de trabalhar com um público mais tranquilo e educado. O colega Mário Lúcio da Silva, que fez a viagem com saída do Buritis às 9h30, reconhece que a frequência é maior á tarde. É nesse horário que a servidora pública Ana Cristina Assunção, de 34, aproveita para finalizar tarefas pendentes do trabalho usando a internet do frescão. “Estou usando o novo sistema desde o primeiro dia. Estou supersatisfeita”, disse a usuária, que passou a economizar R$ 290 gastos com estacionamento e gasolina para se deslocar do Buritis à sede do Ministério Público, no Bairro Santo Agostinho. 

Mesmo com o valor mais alto do que eixo Buritis, quem viaja na linha Savassi/Cidade Administrativa afirma estar satisfeito. A vantagem, no entanto, é maior para quem abandonou o carro, como o funcionário público Mário Marques, de 60. “Da minha casa, no Sion (Centro-Sul), até o Serra Verde são 25 quilômetros. Se for de carro, gasto R$ 18 e ainda tenho de me estressar em congestionamentos. Para mim é muito mais vantagem gastar R$ 10 no ônibus”, garante. 

Ele foi um dos 12 passageiros que fizeram o percurso até a sede do governo ontem às 10h30. A viagem foi tranquila, sem congestionamentos e durou 50 minutos. No entanto, Mário adverte: “Para grande parte das pessoas que andam nos ônibus convencionais o preço é salgado. Talvez por isso não tenha tido maior adesão”, reconhece.

Queixas

Apesar de não comprometer a viagem, ainda há queixas dos usuários sobre a qualidade do ar condicionado e da televisão. De acordo com o servidor público Mário Marques, de 60, que mora no Luxemburgo e trabalha na Cidade Administrativa, frequentemente a TV fica fora do ar. No ônibus em que ele viajava no fim da manhã de ontem, era nítida a diferença de temperatura. Na parte traseira, estava frio enquanto na frente o motorista suava.

Conforme o diretor de Desenvolvimento e Implantação de Projetos da BHTRans, Daniel Marx, ajustes já foram feitos depois da inauguração, especialmente no ar condicionado e nos horários. “Qualquer problema deve ser relatado para apurarmos”, disse o diretor.

Mais três linhas no ano que vem

O serviço de transporte executivo em Belo Horizonte já tem previsão de ser ampliado com a implantação em 2013 de mais três linhas. O projeto prevê saídas dos bairros Belvedere, Sion e Carlos Prates, todas em direção à região hospitalar, no Bairro Santa Efigênia. A primeira terá o percurso pelo Bairro Serra, enquanto a segunda segue pela Savassi. Da direção Oeste partirá linha Carlos Prates que terá 17 quilômetros de extensão e atenderá a pontos importantes como o fórum, assembleia e a Praça da Liberdade.

Nos planos da BHTrans estão também a implantação de duas linhas turísticas. A Centro-Sul, prevista para operar em fevereiro de 2013, partirá do Bairro Mangabeiras, passando por pontos turísticos como o mirante, Praça do Papa, Parque Municipal, Praça da Estação, Mercado Central e Museu Abílio Barreto, entre outros. Já a linha Pampulha seguirá pelos principais pontos de visitação da orla, além de atender a centros comerciais como os shoppings Del Rey e Minas Shopping. “A ideia é ligar esses locais a pontos onde o turista poderá fazer compras e ter atrativos”, explica o diretor de Desenvolvimento e Implantação de projetos da BHTRans, Daniel Marx. A segunda linha está prevista 2014, com os mesmos valores praticados nas linhas executivas. “Os trechos mais extensos custarão R$ 5, enquanto os mais curtos serão de R$ 4.

Outra novidade, mas ainda sem prazo, será a inauguração do serviço de TV aberta nos ônibus que já circulam no Buritis e na Cidade Administrativa.

Informações: Estado de Minas

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Belo Horizonte, Ônibus ''Frescão'' completa 01 mês de operação com demanda triplicada

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960