Distrito Federal terá paralisação de ônibus nesta quinta-feira

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Nesta quinta-feira (5/7) haverá a paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus do Distrito Federal. A paralisação é espécie de aviso do Sindicato dos Rodoviários: cerca de 600 mil brasilienses que dependem do transporte público vão provar o que pode acontecer na próxima semana se empresários, governo e a categoria não se entenderem e rodoviário decidirem pela greve. A decisão é da última assembleia, e eles prometem voltar ao trabalho normal na sexta-feira (6/7).

O presidente do sindicato, João Osório, diz não ver outro caminho para negociar com os patrões se não cruzar os braços. A entidade representa cerca de 15 mil trabalhadores. No próximo domingo (8/7) haverá nova assembleia. Os rodoviários reivindicam reajuste salarial de 7,88%, que deveria ter sido pago em maio.

Para amenizar o impacto da falta de ônibus nas ruas, a Metropolitano do DF (Metrô-DF) estendeu as operações. As estações abrem a partir de 5h30. Ainda assim, a recomendação da empresa é para que os usuários cheguem ao local com antecedência para evitar atrasos.

Indicativo de greve a partir de segunda

Tanto os ônibus como os transportes das cooperativas ficarão parados e não sairão das garagens. As atividades serão retomadas normalmente na sexta-feira (6) e uma nova assembleia está marcada para o próximo domingo (8). Nesta reunião, segundo o sindicato, a categoria vai analisar as possíveis propostas e manifestações do GDF (Governo do Distrito Federal) e das empresas para estudar negociações ou uma nova paralisação, por tempo indeterminado, a partir de segunda-feira (9).


Informações: Correio Braziliense


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Distrito Federal terá paralisação de ônibus nesta quinta-feira

Transporte coletivo de São José dos Campos tem quarta-feira de protesto e com operação tartaruga

A quarta-feira (04) começou em marcha lenta em São José dos Campos. A operação tartaruga no transporte público começou na avenida José Longo e seguiu pelas ruas do centro. Os veículos formaram um grande corredor e todos os ônibus que passavam pela manifestação entravam na fila. Quem não quis começar o dia nesse ritmo lento ou tinha compromisso marcado, não teve opção.

"Chegamos na [avenida] José Longo e estava tudo parado", disse a auxiliar de faturamento, Franceli Oliveira Polidoro. "Ninguém informava nada, os motoristas não abriam a porta e todo mundo querendo descer porque está tudo parado."

O lavador de veículo Wagner Moraes saiu de casa no horário e pegou o ônibus certo. Achou que chegaria ao trabalho na hora, mas teve que descer antes do ponto final, sem saber direito o que estava acontecendo.

"Isso não foi avisado", reclama Wagner. "Eu e muitas pessoas foram prejudicadas. Se chegarmos atrasado, o patrão manda embora, levamos advertência, manda voltarmos para casa..."

A manifestação durou pouco mais de uma hora. Segundo o sindicato dos condutores, essa operação foi realizada porque desde maio estão sendo realizadas negociações para reajuste salarial. Os trabalhadores querem 8%, a empresa chegou a oferecer 6%. Mas teria anunciado este mês que pagaria somente a inflação, cerca de 4,8% de reajuste.

"É uma inflação mentirosa e o trabalhador não acredita que a inflação neste ano foi de 4.88%", disse o presidente interino do Sindicato dos Condutores.

Assim que os ônibus chegaram à Rodoviária Velha, voltaram a circular normalmente.

Sobre a reclamação dos passageiros, a Secretaria de Transportes de São José dos Campos informou que o sindicato só tem obrigação de avisar com antecedência em caso de greve.

"Essa questão (salarial) é algo que as empresas tem que negociar com o sindicato", afirma a secretária interina de Transportes, Dolores Moreno Pino. "A prefeitura já entrou em contato com as empresas e acompanhamos de fora essa negociação. Mas não podemos interferir no que vai ser ofertado e aceito pelo sindicato. Uma vez que o dissídio não seja totalmente consolidado, para nós há negociação sempre. Para nós, sempre é possível."

Um diretor do Sindicato dos Condutores de Sorocaba, que participou da manifestação, foi preso acusado de agredir e roubar um fiscal da prefeitura. O Sindicato de São José dos Campos confirma a prisão, mas nega a agressão e o roubo.
READ MORE - Transporte coletivo de São José dos Campos tem quarta-feira de protesto e com operação tartaruga

Greve de ônibus no Recife continua, Sindicatos não chegaram a um acordo

Continua a greve dos rodoviários. A reunião entre patrões e empregados durou mais de cinco horas e não chegou a um consenso. O dissídio coletivo foi determinado pelo Ministério Público do Trabalho e nesta quinta-feira (05), às 15h, a justiça decidirá o destino da paralisação.


Participaram da negociação, o desembargador presidente do TRT, André Genn, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviários de Pernambuco, Patrício Magalhães, o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana/PE), Fernando Bandeira, e o procurador Fábio Farias. A reunião começou às 13h30 e somente no início desta noite foi determinado que a decisão ficará a cargo da justiça, tendo em vista a impossibilidade de acordo entre as partes.

Os dissídios coletivos são ações propostas à Justiça do Trabalho por pessoas jurídicas (Sindicatos, Federações ou Confederações de trabalhadores ou de empregadores) para solucionar questões que não puderam ser solucionadas pela negociação direta entre trabalhadores e empregadores.

No documento, o procurador-chefe afirmou que "os diálogos entabulados entre os sindicatos, patronal e de empregados haviam chegado a um comum acordo, ou seja, existia uma expectativa de aceitação dos termos negociados na medida em que todos entendiam que as propostas eram suficientes para a tranquilização do movimento de trabalhadores. Imperioso se fazia que a assembleia tivesse uma maior cautela na deflagração de seu movimento, até como reafirmação do primado da boa-fé que deve orientar todo e qualquer espaço de diálogo, mormente quando são interesses superiores da sociedade que se encontram em jogo."


Esta manhã, os passageiros, afetados normalmente com a oferta insuficiente de veículos tiveram a situação agravada. De acordo com o Grande Recife Consórcio de Transportes, o sistema começou o dia operando com 47% da frota e em grande dificuldade. Ou seja, dos 2.400 coletivos que circulam atendendo a 390 linhas, apenas 1.200 estavam nas ruas. Segundo o consórcio, a equipe de fiscalização e da diretoria de operações conseguiu aumentar esse percentual para 53% no final da manhã e para 57% nas primeiras horas da tarde.

A greve foi decidida em assembleia realizada na tarde de ontem na sede do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviários de Pernambuco, em Santo Amaro. A categoria, que pede  aumento de 30%, não aceitou a última proposta do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco (Urbana/PE), de reajuste médio de 8%. Em encontro mediado pelo Ministério Público do Trabalho nesta segunda-feira (02), patrões ofereceram um aumento que elevaria para R$ 1,5 mil o salário dos motoristas, para R$ 690 o dos cobradores e dos fiscais e despachantes para R$ 970. Outros trabalhadores que não têm sindicato próprio teriam aumento de 7%, mais vale-refeição no valor de R$ 160 para todos.

Com informações da repórter Anamaria Nascimento, do Diario de Pernambuco


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Greve de ônibus no Recife continua, Sindicatos não chegaram a um acordo

Em Salvador, Ônibus modelo BRT entra em operação nas ruas da cidade

Entrou em operação, nesta terça (03), o primeiro ônibus teste do BRS – Bus Rapid Suburban, atendendo o Subúrbio de Salvador, deixando a população surpresa com o novo sistema, desde 5h40 da manhã  de ontem. O veículo articulado, mede 21 metros de cumprimento e tem capacidade para até 140 pessoas, por viagem.
Foto: Felipe Pessoa/Transporte em Debate
O BRS é sistema de transportes, que envolve uma série de ações específicas na mobilidade urbana. Idealizado no Rio de Janeiro, ele foi adaptado à Salvador, pela SETIN, através da Transalvador, para atender, em princípio, o Subúrbio Ferroviário.   

O veículo Neobus,  é um equipamento que compõe esse sistema. Por ser de fato um transporte de massa, ele é mais extenso e com menos poltronas, sendo maior que o veículo BRT, mostrado nos últimos meses e que serviria aos bairros da Av. Paralela. 

Rápido e confortável, para o superintendente da Transalvador, Alberto Gordilho, este veículo pretende inaugurar o verdadeiro transporte de massa, por transportar confortavelmente um maior número de passageiros; um equipamento que melhor qualificará o serviço na mobilidade integrando-se, a posteriori, com o metrô e todos os outros modais, interligando toda a Salvador. 

“O Neobus veio para aliviar, sobretudo, a grande demanda  nos horários de pico ou seja, de 5 às 9 da manhã e 16h30 às 20h30.  O resultado foi satisfatório em toda manhã de hoje”, avaliou.

A fase de testes durará entre 13 e 20 dias, percorrendo do final de linha de Alto de Coutos até a Pituba, passando pela Av. Afrânio Peixoto (Suburbana), chegando à Calçada, Túnel Américo Simas, Av. Mário Leal Ferreira (Bonocô), Iguatemi, Caminho das Árvores, Av. Paulo VI, Itaigara, Av. ACM, de novo em frente ao Iguatemi, Rodoviária, Av. Bonocô e a partir daí, o mesmo itinerário até chegar de volta a Alto de Coutos.

Para Marcus Flores, Diretor de Transportes da Transalvador, este é um ganho merecido para população usuária do transporte público: “Com motor Volvo e carroceria Neobus, é um equipamento moderno, automatizado, com GPS, elevadores para deficientes, dotado de excelente tecnologia na área de transporte de massa”, ressalta. 

Além da tecnologia avançada, o BRS tem um design futurista que agradou a população, tanto quanto o conforto e rapidez, cujo percurso permite veículos neste porte. 

 Vale salientar que um sistema articulado parecido operou em Salvador há pouco mais de duas décadas, com a diferença de medir 15 metros cada veículo, ao passo que atual mede 21 metros. Em Curitiba, pela sua característica topográfica, esse sistema chega a comportar modelos biarticulados e com maior extensão. 

 O Secretário de Transportes, José Luiz Costa, está otimista com a nova aquisição para o transporte público de Salvador, considerando que esta medida se soma ao esforço do Administração em requalificar e modernizar o transporte público, regularizando o Sistema através de licitação e ressalta que o Projeto Básico do novo Sistema de Transporte Público está disponível desde o último 05/06,  para consulta e sugestões da população e a sociedade como um todo, pelo site  www.infraestrutura.salva dor.ba.gov.br 


Informações: Tribuna da Bahia

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Salvador, Ônibus modelo BRT entra em operação nas ruas da cidade

Frota de ônibus de Novo Hamburgo é reforçada

A prefeitura de Novo Hamburgo fez entrega de 18 novos ônibus nesta terça-feira (3), na Pista de Eventos José Eli Teles da Silveira. Foram entregues onze veículos para a empresa Viação Hamburguesa, outros cinco para a Viação Futura e mais dois ônibus para a Viação Courocap. Todos os veículos são adaptados para uso de pessoas com deficiência. 

No evento, o prefeito Tarcisio Zimmermann ressaltou a constante busca por melhores condições do transporte público na cidade. “Lutamos sempre em parceria com as empresas de transporte coletivo urbano por tarifas menores e veículos de qualidade. E com a vinda do trem, que é um fato histórico, queremos melhorar isso ainda mais”, declarou, segundo nota.

A representante das Empresas Operadoras do Sistema de Transporte Urbano, Sheila Kreuz Fiori falou sobre a parceria com a administração e as novas cores dos veículos, que tem relação com a cidade. “Os logos foram criados em parceria com a Prefeitura, que destacam um calçado e as cores são as mesmas da bandeira de Novo Hamburgo”. 

Com os novos ônibus, Novo Hamburgo passará a contar com 56 veículos adaptados. No total, a frota da cidade somará 208 ônibus à disposição da população. Os investimentos para a compra dos veículos foram feitos pelas empresas de transporte coletivo urbano.

Informações: jornal do Comércio

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

READ MORE - Frota de ônibus de Novo Hamburgo é reforçada

No Recife, Sindicatos negociam fim da greve nesta tarde

Representante dos motoristas, cobradores e fiscais e dos donos de empresas de ônibus participam, a partir das 13h30 desta quarta-feira (4), de uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho da 6º Região (TRT-PE), no Cais do Apolo, centro do Recife. O encontro acontece após a categoria grevista rejeitar o reajuste salarial de 7,5% proposto pelo Sindicato das Empresas de Transporte (Urbana-PE), na segunda-feira (3), em reunião mediada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).
O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários no Estado de Pernambuco (STTRE-PE) pede um aumento de 30% para a categoria. De acordo com o presidente do STTRE, Patrício Magalhães, as reivindicações serão mantidas para a audiência. “Como o próprio nome já diz, vamos tentar uma conciliação para resolver problema, mas permanecemos com os mesmos pedidos desde o início da paralisação”, contou.

O advogado do Urbana-PE, Antônio Henrique Neuenschwander, destacou que os empresários devem apresentar a proposta de um reajuste de 5%. “A proposta de 7,12% foi do Ministério do Trabalho e os empresários aceitaram naquele momento. Com deflagração da greve, com prejuízo às empresas e à população, eles voltam à última proposta, que é de 5%. Vamos manter isso, mas vamos tentar negociar”, informou.

Além dos representantes dos dois sindicatos, a audiência desta quarta será presidida pelo presidente do TRT, André Genn. O procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho, Fábio Farias, também deve contribuir na tentativa de conciliação. Caso as partes não cheguem a um acordo, deverá haver o julgamento do dissídio, pedido pelo MPT para o resolver a questão da greve dos rodoviários.

O procurador-chefe Fábio Farias já encaminhou o pedido de julgamento do dissídio ao TRT. No documento, ele informa que existia uma expectativa para um acordo, já que a negociação apontava que as decisões eram suficientes para tranquilizar o movimento de trabalhadores.


Fonte: G1 PE

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - No Recife, Sindicatos negociam fim da greve nesta tarde

Recife: Cadê os ônibus? Primeiro dia de greve dos rodoviários com poucos ônibus circulando


Cadê os ônibus? Neste primeiro dia de greve dos rodoviários, poucos ônibus estão circulando na cidade deixando a maioria da população prejudicada, além de linhas que não estão circulando. O problema que já é um caos em dias normais como nos terminais integrados de Joana Bezerra, Barro e PE-15, a situação está caótica, com filas enormes e poucos ônibus.

Usuários estão temerosos com o andar desta greve visto que ontem muitos ônibus foram recolhidos após a deflagração da greve.

De acordo com o GRCT, apenas 47% dos ônibus estão circulando neste momento na região metropolitana do Recife neste primeiro dia de greve.

"Há uma grande dificuldade operacional, porque cerca de 1.200 ônibus estão circulando. Tivemos logo cedo um problema no terminal de Igarassu, aconteceu o fechamento do terminal, mas já está normalizado agora. Foram priorizados os terminais integrados e as linhas de maior demanda. Pedimos aos usuários que busquem informações sobre sua linha, saiam com antecedência de casa. Ainda que de forma precária, todas as linhas estão operando", diz a diretora de Operações do Grande Recife Consórcio de Transporte, Taciana Ferreira.

Este ano, a pauta de reivindicações dos rodoviários é composta por 108 reivindicações, sendo o reajuste salarial a principal delas. Desta vez, a categoria quer um aumento de 27% do piso. Com isso, os motoristas passariam a receber R$ 2 mil e cobradores e fiscais teriam um aumento de 60% e 80%, respectivamente, em cima do valor oferecido aos motoristas.

Blog Meu Transporte

READ MORE - Recife: Cadê os ônibus? Primeiro dia de greve dos rodoviários com poucos ônibus circulando

Em São Paulo, Usuários reclamam de poucos coletivos no corredor de ônibus da Cupecê


Nesta segunda-feira (2/7), a empregada doméstica Isabel Cristina Ferreira de Camargo chegou às 7 horas da manhã na parada de ônibus Washington Luis – situada no corredor da Av. Cupecê/Vicente Rao, na zona sul da capital paulistana. Eram 8h30 quando a reportagem da Rede Nossa São Paulo chegou ao local e ela ainda estava lá, sem conseguir entrar nos superlotados coletivos municipais que passavam pela via. Grande parte dos veículos sequer parava e nos que paravam não havia como entrar.

“Aqui é um corredor de ônibus e o transporte deveria ser melhor. O que falta são mais ônibus”, reclamou Isabel, que esperava veículos das linhas Terminal Bandeira ou Princesa Isabel para ir ao trabalho, próximo da Igreja de Moema. “Hoje estou para lá de atrasada”, lamentou ela, acrescentando: “Todos os dias são assim, para conseguir pegar o ônibus menos vazio, tenho que chegar aqui antes das 7 horas da manhã”.

Revoltada com a situação, Isabel criticou a falta de fiscalização por parte da SP Trans e sentenciou: “O transporte público está uma droga”.

Outras pessoas ouvidas pela reportagem apresentaram reclamações semelhantes. Raphael Lins Alves, estagiário de marketing, relatou que aguardava o ônibus há cerca de 20 minutos. Como trabalha próximo à Av. Santo Amaro, poderia utilizar diversas linhas que servem o local. Entretanto, três veículos já tinham passado e ele não conseguiu embarcar. “Normalmente, nem param [de tão lotados]”, registrou.

Alves relata que diariamente pega o ônibus ali e sempre se depara com a mesma situação. “Quando consigo entrar, vou naquele aperto. Prendi o pé na porta uma vez”, detalha. Questionado se o corredor de ônibus funciona, ele responde: “Não vejo nenhum problema no corredor, mas deveria aumentar a frota de ônibus”.

A assistente comercial Gisele Santos concorda que “todo dia é a mesma dificuldade”. Segundo ela, para não chegar atrasada no trabalho, teria que sair muito mais cedo de casa.

Gisele também trabalha próximo da Av. Santo Amaro e não estava conseguindo entrar nos ônibus que poderiam lhe servir.

Se ônibus intermunicipais aceitassem o Bilhete Único, já ajudaria 

Outro usuário que vivencia o mesmo problema é Caio Toschi, estagiário da área jurídica. “Até agora passaram quatro ônibus e não consegui entrar.” Ele explica que mesmo quando consegue embarcar no coletivo, vai para o trabalho apertado e “sem conforto nenhum”.

Toschi reforça a opinião dos usuários do sistema de transporte coletivo da região, de que tem poucos ônibus municipais que servem o corredor da Av. Cupecê. “Segunda e sexta são os piores dias”, informa.

Como utiliza a linha Shopping Morumbi – onde há uma interligação com os trens da Linha 9 Esmeralda da CPTM –, ele lamenta o fato de não poder utilizar o Bilhete Único nos ônibus intermunicipais originários da região do ABC, que são mais confortáveis, em maior número e fazem o mesmo trajeto até o seu destino. “Se eu pudesse usar [o Bilhete Único], ajudaria”, afirma o estagiário, ecoando umas das demandas dos moradores da região.

Eram 9 horas quando a reportagem da Rede Nossa São Paulo deixou o local e a cidadã Isabel Cristina Ferreira de Camargo – aquela que chegou ao ponto de ônibus às 7 horas da manhã – ainda não havia conseguido embarcar em um coletivo rumo ao seu trabalho.

Fonte: Portal Nossa São Paulo

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em São Paulo, Usuários reclamam de poucos coletivos no corredor de ônibus da Cupecê

São José dos Pinhais renova quase 40% da frota de ônibus urbanos e metropolitanos


A frota de ônibus urbanos e metropolitanos de São José dos Pinhais foi renovada nesta terça-feira (03), com a entrega de 52 novos veículos pelas empresas Auto Viação Sanjotur e Auto Viação São José, que fazem o transporte coletivo na cidade. Os novos ônibus já estão em circulação na cidade e correspondem a 38% da frota de ônibus urbanos e metropolitanos de São José dos Pinhais, que totalizam 137 veículos em operação.
O secretário municipal de Transportes e Trânsito, Giovani de Souza representou o prefeito Ivan Rodrigues no evento. Giovani afirmou o esforço da secretaria e da atual gestão da prefeitura para melhorar os equipamentos de trânsito e o transporte público no município. “Nosso objetivo é ter mais equipamentos e maior estrutura para atender à população”, afirma.
Dos novos veículos, a empresa Sanjotur entregou 9 ônibus urbanos e a São José entregou 43, sendo 20 urbanos e 23 metropolitanos. Todos os veículos entregues são equipados com elevador, para tornar acessível o transporte de passageiros com necessidades especiais de locomoção.
De acordo com Saulo Aversa, chefe da Divisão de Transporte da Secretaria de Transportes e Trânsito, a legislação que exigia a acessibilidade nos ônibus existe desde 2009. “Mesmo assim, com a renovação frequente das frotas, aos poucos teremos quase todos os ônibus com elevadores”, completa.
Dante Luiz Franceschi, diretor da Auto Viação São José, afirma que a frota de São José dos Pinhais possui o mesmo nível das melhores frotas do Brasil. “Estes ônibus servirão para melhorar o transporte público em São José dos Pinhais, trazendo mais conforto e qualidade para os nossos passageiros”, comentou. A Sanjotur esteve representada pelo diretor Jorge Brito, que comentou a recente modernização das empresas. “Nós renovamos 70% de toda a nossa frota nos últimos três anos”, afirmou Jorge.
Mobilidade em debate
Na próxima sexta-feira, o secretário de Transportes e Trânsito, Giovani de Souza participa do 1º Workshop sobre Mobilidade de São José dos Pinhais com o tema “Como Anda São José dos Pinhais”. O evento será direcionado às lideranças de diferentes segmentos da sociedade, abordando os temas sistema viário e de transporte e educação de mobilidade. “Até 2020, São José dos Pinhais poderá ter uma frota de 400 mil veículos circulando. Precisamos estar atentos e planejar a infraestrutura para toda essa demanda”, alerta Giovani.
Informações: Prefeitura de São José dos Pinhais
Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

READ MORE - São José dos Pinhais renova quase 40% da frota de ônibus urbanos e metropolitanos

Em Belo Horizonte, Pista exclusiva para ônibus é liberada na Barragem da Pampulha


A BHTrans liberou para circulação de ônibus e táxis uma pista exclusiva na Barragem da Pampulha na manhã desta terça (3). Motoristas que deixam a Pedro I em direção ao centro da capital podem utilizar a via, que gradativamente deve ligar o Complexo da Lagoinha à Vilarinho, em Venda Nova.
Segundo a assessoria de comunicação da BHTrans, a criação das pistas exclusivas para o transporte coletivo no trecho foi possível pela duplicação da avenida, já pensando no acesso necessário ao sistema BRT, que passará pelo local. Como a duplicação foi concluída no trecho, a BHTrans optou por liberar a via numa tentativa de desafogar o trânsito, principalmente nos horários de pico.
No sentido bairro, a pista exclusiva ainda não foi liberada e ainda não há prazo para o tráfego de ônibus e táxis ser desviado dos demais veículos.

Fonte: O Tempo

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Belo Horizonte, Pista exclusiva para ônibus é liberada na Barragem da Pampulha

Pernambuco: Olinda e Paulista também enfrentam greve de ônibus


A greve dos motoristas e cobradores de ônibus também complica a vida dos passageiros que estão em Olinda e Paulista, cidades da Região Metropolitana do Recife, nesta quarta-feira (04). Os coletivos estão passando com alguma regularidade e o movimento é pequeno nas paradas de ônibus nas avenidas, mas a circulação nos terminais - principalmente no Pelópidas Silveira, em Paulista, o maior da RMR - é complicada, principalmente na hora em que os veículos chegam.

No começo da manhã, um princípio de confusão foi registrado no Pelópidas Silveira: cerca de 50 pessoas esperavam havia cerca de uma hora, na parada de embarque da linha PE-15/Macaxeira, quando o veículo chegou. Houve empurra-empurra e uma pedra foi jogada no vidro do veículo, quebrando uma janela. Ninguém ficou ferido. Ao todo, 66 mil pessoas circulam diariamente no terminal.
Em Olinda, no terminal de Rio Doce, quatro das 11 não estão operando: Rio Doce/Circular, Rio Doce/Derby, Maria Farinha/Casa Caiada e Alameda Paulista/Rio Doce. Das outras linhas, poucos veículos estão circulando. Na Avenida Getúlio Vargas, bairro de Casa Caiada, poucas pessoas estão esperando nas paradas de ônibus.

De acordo com o Grande Recife Consórcio de Transporte, cerca de 53% da frota de ônibus que atende a Região Metropolitana do Recife (RMR) não está circulando. "Há uma grande dificuldade operacional, porque cerca de 1.200 ônibus estão circulando. Tivemos logo cedo um problema no terminal de Igarassu, aconteceu o fechamento do terminal, mas já está normalizado agora. Foram priorizados os terminais integrados e as linhas de maior demanda. Pedimos aos usuários que busquem informações sobre sua linha, saiam com antecedência de casa. Ainda que de forma precária, todas as linhas estão operando", diz a diretora de Operações do Grande Recife Consórcio de Transporte, Taciana Ferreira.
De acordo com Patrício Magalhães, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário no Estado de Pernambuco (STTRE-PE), ainda não é possível dizer quantos funcionários aderiram à greve.

Entenda a greve
A paralisação, decretada por tempo indeterminado na última terça-feira (03), atinge os dois milhões de pessoas usam o Sistema de Transporte de Passageiros no Grande Recife. Ao todo, 390 linhas operam na RMR, com três mil ônibus cadastrados, que fazem 26 mil viagens por dia. Dezoito empresas abastecem o sistema. Cerca de 18 mil funcionários fazem o transporte coletivo rodoviário na Região Metropolitana.
Motoristas, cobradores e fiscais de linha rejeitaram o reajuste de 7,5% oferecido pelo Sindicato das Empresas de Transporte (Urbana-PE), em reunião na segunda-feira (03), mediada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). A categoria quer um aumento de 30% e, na última quarta-feira (27), já tinha feito uma paralisação de advertência, durante 24 horas. O Urbana-PE disse que vai recorrer à Justiça, já que as negociações terminaram.

A proposta dos patrões reajusta os salários da seguinte maneira: de R$ 643, cobradores passam a receber R$ 690; fiscais e despachantes, de R$ 903 para R$ 970; motoristas, de R$
1.395 para R$ 1.500; o tíquete alimentação, de R$ 140 para R$ 160. Os funcionários não sindicalizados, como borracheiros e mecânicos, receberiam reajuste de 7%.

Na terça-feira, o STTRE-PE informou que apenas 30% da frota circularia durante a paralisação. O MPT, porém, já havia determinado que o sistema operasse com pelo menos 50% da frota, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. A fiscalização da quantidade de ônibus nas ruas fica a cargo do Grande Recife Consórcio de Transporte. Caso o total seja menor que o estabelecido, o MPT vai pedir que a Justiça do Trabalho execute a ação contra o Sindicato.

Grande Recife
Em nota, o Grande Recife Consórcio de Transporte informou que, para minimizar o impacto da paralisação junto aos passageiros, vai realizar a alternância de veículos, que serão retirados das linhas menos deficitárias e recolocados nas que apresentarem maior demanda.

As equipes de fiscalização e programação estão nas ruas desde o início da madrugada e permanecerão durante todo o dia. O esquema será mantido até o final da greve.

O Consórcio também disse que conta com o apoio da Polícia Militar para garantir a segurança dos motoristas, cobradores e fiscais que optarem por não aderir à greve e se apresentarem para trabalhar, além dos usuários que utilizam os coletivos.

Metrô
A CBTU-Metrorec informou que vai prolongar o horário de pico, que normalmente é das 5h às 8h e das16h às 20h, nas linhas Centro e Sul durante a paralisação, de acordo com a demanda de passageiros. Se houver necessidade, também vai disponibilizar mais trens.

Informações: G1 PE

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Pernambuco: Olinda e Paulista também enfrentam greve de ônibus

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960