Um milhão de passageiros são afetados com greve em Fortaleza

quinta-feira, 21 de junho de 2012


Cerca de um milhão de passageiros em Fortaleza foi atingido pela greve dos motoristas e cobradores, nesta quarta-feira (20), segundo o Sindicato das Empresas de Transportes e Passageiros do Estado do Ceará (Sindionibus). Com a decisão do Tribunal Regional do Trabalho no Ceará (TRT/CE), quem for trabalhar deve encontrar parte da frota disponível para chegar ao trabalho.
Na noite desta quarta (20), a decisão não estava sendo cumprida. Os motoristas haviam decidido parar 100% na última terça-feira (19), mas a presidente do TRT/CE, Maria Roseli Mendes Alencar, determinou na manhã de quarta-feira (20) que o Sintro mantenha 70% da frota de ônibus em circulação nos horários de pico e 50% nos demais horários.

Ao todo,  a frota de Fortaleza conta 1.950 ônibus urbanos e 346 metropolitanos distribuídos em 21 linhas de empresas urbanas e oito empresas metropolitanas, segundo dados do Sindionibus, relativos a maio deste ano. O número equivale à frota cadastrada de empresas associadas. Categoria paralisou atividades a partir da zero hora desta quarta (20).

Logo pela manhã, a população enfrentou a incerteza de chegar aos destinos. Durante o dia, teve de enfrentar a lotação dos transportes alternativos.  Também durante a manhã desta quarta (20), dois cobradores foram presos nas proximidades do terminal de ônibus do Bairro Antônio Bezerra, secando pneus de vários veículos segundo informações da Polícia Civil. Polícia, Autarquia Municipal de Trânsito e Guarda Municipal buscaram reforçar a segurança nos terminais de ônibus, que ficaram esvaziados ao longo do dia.


Reivindicações
O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Público de Fortaleza (Sindiônibus), Dimas Barreiras, afirmou nesta quarta-feira (20) que não irá voltar a negociar com motoristas e cobradores em greve caso os trabalhadores mantenham a reivindicação de aumento salarial de 15%

A decisão ocorreu após oferta de aumento salarial de 8,5% por parte dos empresários. A oferta inicial dos empresários era de 4,88%, e foi ampliada para 8,5% na noite de segunda-feira (18), o que levou a adiamento de possíveis paralisações, que estava programada para a madrugada de terça (19).


Os empresários ofereceram também aumento do valor da cesta básica de R$ 60 para R$ 70 e vale alimentação de R$ 7 para R$ 8, outras duas reivindicações dos trabalhadores. Os motoristas e cobradores, no entanto, não concordam com a proposta de reajuste salarial e reivindicam aumento de 15%. No início das rodadas de negociação, a reivindicação era de 25%. Nesta terça-feira, Domingos Neto afirmou que a categoria aceitaria um aumento de até 10%.

Uma reunião de dissídio está marcada no TRT/CE no dia 28 de junho. Os dissídios coletivos são ações do Tribunal para solucionar conflitos entre as partes coletivas que compõem uma relação de trabalho.

Informações: G1 Ceará



READ MORE - Um milhão de passageiros são afetados com greve em Fortaleza

E tudo se encaminha para uma greve de ônibus no Recife

Está marcada para o dia 26 deste mês a terceira rodada de negociações entre os rodoviários e os donos das empresas de ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR). Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Pernambuco, Patrício Magalhães, no último encontro, realizado na última terça-feira (20), não houve avanços nas negociações.

Este ano, a pauta de reivindicações dos rodoviários é composta por 108 reivindicações, sendo o reajuste salarial a principal delas. Desta vez, a categoria quer um aumento de 27% do piso. Com isso, os motoristas passariam a receber R$ 2 mil e cobradores e fiscais teriam um aumento de 60% e 80%, respectivamente, em cima do valor oferecido aos motoristas.
"Por enquanto, não há indicativo de paralisações, mas se não tiver um acordo só nos resta a paralisação", esclareceu Patrício Magalhães. Esta foi a estratégia usada pela categoria em junho do ano passado, quando eles pararam as atividades por seis dias, para pressionar os empresários. Apesar de terem pedido um aumento de 22% no salário, eles aceitaram a proposta de um reajuste salarial de 9%.
Atualmente, cerca de dois milhões de passageiros por dia usam o transporte público coletivo na RMR, conforme o Grande Recife Consórcio de Transportes. Cerca de três mil ônibus, divididos em 390 linhas, circulam nos 14 municípios da região, fazendo 26 mil viagens diárias.

Fonte: Folha PE
READ MORE - E tudo se encaminha para uma greve de ônibus no Recife

Ônibus de Fortaleza circulam menos do que manda TRT/CE, diz Etufor

O número de ônibus que estavam circulando nesta quarta-feira (20) é menor do que decidiu o Tribunal Regional do Trabalho no Ceará (TRT/CE). Pela decisão, 70% dos ônibus deveriam circular em horário de pico, mas 54,47% estavam circulando entre 18h e 19h. Os resultados foram obtidos via GPS (Global Positioning System) da frota operante de Fortaleza.

O assessor político do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro), Valdir Pereira, afirmou que o número de ônibus definido pelo TRT/CE deixou de rodar porque as empresas "não deixaram". "O percentual não rodou não foi porque nós impedimos. Os empresários não deixam os ônibus saírem porque a maioria das pessoas está buscando transporte alternativo por conta da greve e eles não querem colocar ônibus para rodar sem lucro", disse Pereira.

O Sindicato das Empresas de Ônibus (Sindionibus) informou que está orientando as empresas para que coloque toda a frota nas ruas para atender à população e que está tomando todas as providências para fazer com que o trabalhador possa exercer suas atividades.

O Sintro quer aumento de 10%. O sindicato das empresas de ônibus (Sindionibus) ofereceu 8,5%. Uma reunião de dissídio está marcada no TRT/CE no dia 28 de junho. Os dissídios coletivos são ações do Tribunal para solucionar conflitos entre as partes coletivas que compõem uma relação de trabalho.
A presidente do TRT/CE, Maria Roseli Mendes Alencar, determinou na manhã desta quarta-feira (20) que o Sintro mantenha 70% da frota de ônibus em circulação nos horários de pico e 50% nos demais horários.

De hora em hora
Boletins periódicos da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) informam qual o percentual da frota em Fortaleza. Motoristas e cobradores decretaram greve em duas assembleias nesta terça-feira (19) e os veículos pararam de circular a partir da zero hora desta quarta-feira (20). Veja na tabela abaixo quantos ônibus circulam nas ruas de Fortaleza a cada hora.

Fonte: G1 Ceará



READ MORE - Ônibus de Fortaleza circulam menos do que manda TRT/CE, diz Etufor

Curitiba reduz emissão de poluentes no transporte coletivo

Integrante do grupo de cidades que assumiram na Rio + 20 o compromisso de redução na emissão de gases de efeito estufa, Curitiba vem sendo modelo na redução de emissão de poluentes no transporte coletivo. Na semana passada a prefeitura apresentou, na mesma Conferência, o Hibribus, ônibus híbrido, movido a eletricidade e biodiesel que, a partir de setembro, vai substituir os 30 veículos da frota de cinco linhas de ônibus da cidade. Para o ano que vem estão previstos mais 30 Hibribus.

Comparada à frota que será substituída, a frota de Hibribus significará uma redução de 89% menos material particulado; 80% menos óxido de nitrogênio (NOX), e  35% menos CO2. O consumo de combustível é 35% menor. Produzido pela Volvo, com carroceria Marcopolo, o ônibus híbrido de Curitiba tem dois motores que funcionam em paralelo.

O elétrico é utilizado no arranque e na aceleração até a velocidade de 20 quilômetros por hora quando entra em funcionamento o motor a biodiesel, à base de soja. O motor elétrico é usado também como gerador de energia durante as frenagens. A cada vez que os freios são acionados, a energia da desaceleração é utilizada para carregar as baterias.

O Hibribus é mais um avanço na trajetória pioneira da capital paranaense de utilização de energia limpa no transporte coletivo. Curitiba é a única cidade da América Latina a ter uma frota em operação regular com ônibus movidos exclusivamente a biodiesel, sem mistura de óleo mineral.

São 32 ônibus no chamado projeto B 100 (100% biodiesel), entre eles 26 ônibus do sistema Expresso Ligeirão - biarticulados com 28 metros de comprimento e capacidade para 250 passageiros, a mesma de um Boeing 767. Comparada a uma frota equivalente de ônibus movidos a diesel, a frota abastecida 100% com biodiesel emite 63,7% menos material particulado (fumaça); 46% menos monóxido de carbono; 100% menos óxido de enxofre e 65% menos hidrocarbonetos totais.

O primeiro Ligeirão foi implantado em 2009, com a criação da Linha Verde, uma nova geração de corredores exclusivos do transporte coletivo. Implantada em trecho urbano da antiga BR 116, a Linha Verde tem 10 quilômetros (outros 10 estão em construção) e os ônibus trafegam em meio a um parque linear com 21 mil metros quadrados.

Em torno de 2,5 mil árvores plantadas ao longo do eixo vão formar, na fase adulta, bosques no entorno das estações que são mais amplas, climatizadas e permitem embarque em nível mesmo de ônibus sem plataformas, os alimentadores. A climatização das estações é feita com um sistema inédito formado por fosso aquecido por uma única lâmpada que permite a entrada de ar puro a cada 90 segundos, sem necessidade de aparelhos de ar condicionado.

Fonte: Urbs
READ MORE - Curitiba reduz emissão de poluentes no transporte coletivo

Transporte coletivo de Fortaleza terá mudanças de empresas de ônibus a partir de julho

Apartir do dia 1º de julho, nove empresas de transporte público não circularão mais por Fortaleza. No entanto, as linhas continuarão a existir, operadas por outras empresas.
A mudança deve ocorrer com o início da operação das empresas vencedoras na licitação do transporte coletivo de Fortaleza, realizada nos primeiros meses deste ano e que dividiu a cidade em cinco áreas de abrangência. As empresas ganhadoras ficam responsáveis por áreas e não mais por linhas. 
 
Algumas das empresas que já atuam em Fortaleza, não participaram da licitação para explorar a prestação de serviços de transporte público e, por isso, devem interromper suas atividades até o final do mês.  
 
De acordo com o presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Ademar Gondim, os contratos com as companhias e consórcios vencedores foi assinado no dia 31 de maio.  
 
Uma das empresas que estará fora das ruas da Capital é a São José de Ribamar, em atividade há 45 anos. Para o sócio-gerente da companhia, João Alberto Leite, a notificação recebida no início deste mês foi uma surpresa ingrata. “A gente estava se preparando para encerrar as atividades no fim de 2013. Temos 300 empregados, pessoas que ficarão desempregadas e que não temos dinheiro para indenizar. Nós tínhamos programação de juntar dinheiro para pagá-los nos 18 meses que ainda restavam. Acredito que houve uma falha”, comentou. 
 
O fim das atividades em 2013, a que João Alberto se refere, estava previsto em decreto publicado no Diário Oficial do Município, em junho de 2008, e instituía o término desse ano como prazo final das permissões para a prestação do serviço. 
 
O presidente da Etufor esclarece que o Município tem o direito de revogar permissões. “A Prefeitura fez licitação e a empresa (São José de Ribamar) fez a escolha de não participar”.  
 
O sócio-gerente da São José de Ribamar justificou a ausência no processo de licitação: a empresa estaria com pendências fiscais.
 
O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus), Dimas Barreira, comentou que a abertura de licitação já era assunto discutido há muito tempo, pois era algo inevitável. Segundo Barreira, todos trabalhavam com permissões precárias.
ENTENDA A NOTÍCIA
 
Empresas de ônibus tinham apenas permissão para explorar o serviço. Licitação atualiza concessão. Cinco consórcios foram vencedores e começam a atuar em julho. Companhias que ficaram de fora devem deixar as ruas da Capital. Linhas, no entanto, serão mantidas
Saiba mais
Empresas que operam a partir de julho:
 
Área 1: Viação Urbana Ltda e Auto Viação Fortaleza Ltda.

 
Área 2: Vega S/A Transporte Urbano; Santa Cecília Transportes Ltda; Santa Maria Ltda e Transportes Urbanos Aliança S/A.

 
Área 3: Auto Viação São José Ltda; Fretcar Transporte Urbano; Viação Siará Grande; Cearense Transporte Urbano e Terra Luz Transportes S/A.

 
Área 4: Dragão do Mar Ltda; Auto Viação São José Ltda e Maraponga Transportes Ltda.

 
Área 5: Auto Viação Fortaleza Ltda; Vega S/A; Auto Viação Dragão do Mar Ltda; Rota Expressa S/A.

Fonte: O Povo Online

READ MORE - Transporte coletivo de Fortaleza terá mudanças de empresas de ônibus a partir de julho

Com greve de ônibus, aumenta movimento no Metrô de Fortaleza

O Metrô de Fortaleza foi uma alternativa para muitos usuários no primeiro dia da greve de motoristas e cobradores de ônibus, em Fortaleza. A estação da Parangaba teve movimento intenso na manhã desta quarta-feira (20).

A greve teve início na madrugada e, de acordo com a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza, menos da metade da frota de ônibus prevista circulou na capital cearense durante a manhã.

Os estudantes Whebster Brendo e Gelvardo Soares passaram pela estação para ir para casa. “A gente vai pegar um metrô, descer em Maracanaú para pegar um outro ônibus para ir para Maranguape”, conta. O trecho Parangaba-Pacatuba da linha Sul do metrô funciona de forma experimental desde sexta-feira (15). Por se tratar de operação assistida, o transporte de passageiros é gratuito até começo do ano que vem.
O técnico do trabalho, Oliveira Júnior, também optou pelo metrô depois que não conseguiu chegar ao trabalho a tempo. “Já desisti. Amanhã vou arranjar um outro jeito de chegar no trabalho. Vou conversar com o chefe para compensar esse dia perdido”, conta.

Frota mínima
O Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT-CE) determinou que o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro) mantenha 70% da frota de ônibus em circulação nos horários de pico e 50% nos demais horários. A decisão, tomada na manhã desta quarta-feira (20), tem como objetivo assegurar o acesso da população de Fortaleza e Região Metropolitana ao transporte coletivo.

Fonte: G1 Ceará
READ MORE - Com greve de ônibus, aumenta movimento no Metrô de Fortaleza

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960