Em BH, BRT desatará nós no trânsito e também vai gerar corte de vagas

sábado, 2 de junho de 2012

A principal aposta de Belo Horizonte para o desafio do transporte de massa, especialmente para a Copa do Mundo de 2014, começa a mostrar a cara. E não apenas nas obras espalhadas pela cidade, que antes de representar a prometida solução para a mobilidade urbana vêm desafiando a paciência dos motoristas. Enquanto a prefeitura luta contra o calendário e enfrenta questionamentos nas licitações para o projeto, um dos consórcios que operam o sistema regular BHBus trouxe o primeiro veículo articulado para servir ao BRT (sigla em inglês para transporte rápido por ônibus), dentro dos parâmetros exigidos pela BHTrans. Flagrado pelo Estado de Minas, o veículo, quase 10 metros maior que modelos mais simples de coletivos (veja especificações na arte), será testado na cidade. A expectativa inicial é de ganhos, com a retirada de 802 ônibus de corredores como as avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos e do hipercentro de BH. O lado preocupante da inovação é a previsão de que sejam cortados postos de trabalho de 2.967 motoristas e cobradores. A ameaça de desemprego já preocupa o sindicato da categoria, que promete reagir na Justiça do Trabalho e até com greves.

Enquanto o enxugamento de cargos abre controvérsia e as obras rendem polêmica na Justiça e desgaste para motoristas, o novo modelo de coletivo que deverá se tornar comum na capital é preparado para as ruas. Estacionado em uma concessionária de Contagem, região metropolitana, o ônibus articulado de desenho futurístico flagrado pelo EM tem mais de 20 metros de comprimento e capacidade para até 165 passageiros. Cedido para testes pela Volvo, o veículo participava de teste de motores adaptados à nova legislação, e ainda será apresentado às empresas que operam o sistema BHBus e metropolitano.


O modelo Marcopolo Viale BRT, chassi Volvo B-340 M, foi configurado pelo grupo Treviso – que controla as viações Torres e Santa Edwiges – atendendo sugestões dos operadores de Belo Horizonte e especificações dos atuais ônibus que circulam na capital e região metropolitana. “Como a BHTrans ainda não estabeleceu o padrão definitivo, fizemos um BRT com cerca de 20 metros, média de comprimento desse tipo de veículo, e configuração interna semelhante à dos coletivos usados atualmente”, afirma Márcio Paschoalin, diretor-executivo do grupo Treviso.

A previsão inicial era de que a escolha dos modelos e a quantidade de veículos do BRT de Belo Horizonte tivessem sido definidas até fevereiro do ano passado. Em dezembro de 2010, dois ônibus articulados chegaram a ser apresentados na sede da BHTrans. Mas o tempo passou e a empresa que regula o transporte coletivo ainda não bateu o martelo sobre a configuração definitiva dos veículos do sistema, apontado como grande solução para o caótico trânsito de BH.

Testes
Enquanto a definição – agora programada para sair até julho – não vem, o grupo que representa duas empresas decidiu trazer à capital o primeiro ônibus do BRT, modelo próximo ao que será adotado. O coletivo será apresentado nas garagens nos próximos três meses e poderá ser testado nas ruas, com sacos de areia e galões de água simulando o peso dos passageiros. “Belo Horizonte tem uma das topografias mais acidentadas entre as capitais e o trânsito tem características bastante próprias. A Volvo sempre testou seus ônibus por aqui. Desta vez, decidimos trazer o BRT para mostrar aos operadores, na prática, como ele se comporta. Serão testes de tecnologia mecânica, de combustível, subida de rampa, consumo, ou seja, será mais um teste técnico”, explica o diretor Márcio Paschoalin, responsável pela avaliação do veículo.

O padrão interno e externo da carroceria será escolhido até julho, quando portaria vai definir as normas, garante o diretor de Planejamento da BHTrans, Célio Freitas, confirmando que detalhes do veículo da Volvo podem ser aproveitados. Entre eles estão os bancos de encosto alto e os visores laterais com itinerários, instalados no salão de passageiros.

Veículo articulado pode transportar até 165 pessoas
"As definições técnicas sobre os chassis já estão prontas e, entre outros termos, exigem suspensão a ar, para estabilizar os ônibus nas plataformas, e, nos veículos articulados, volante retrátil, transmissão automática, além de motor traseiro ou central. Mas a carroceria ainda depende da apresentação de produtos que estão surgindo no mercado", aponta Freitas. Outros detalhes que vêm sendo estudados para integrar os veículos são um bicicletário na parte traseira dos ônibus e monitores de vídeo de 14 e 16 polegadas, que exibirão informações aos usuários.

De acordo com o diretor da BHTrans, os consórcios operadores só começarão a fazer os pedidos de compra para os ônibus do BRT em setembro. "Temos até lá para testar, verificar a funcionalidade e definir os padrões", diz. A intenção da empresa municipal de transporte e trânsito é iniciar a avaliação com passageiros nas linhas que partem da Estação São Gabriel e Venda Nova, rumo ao Centro da capital. Entretanto, ainda não há data definida para o início da operação.



READ MORE - Em BH, BRT desatará nós no trânsito e também vai gerar corte de vagas

Estatal do trem-bala deve começar a operar em um mês

A Etav (Empresa do Trem de Alta Velocidade), estatal que vai gerenciar o projeto de trem-bala do país, deverá começar a operar um mês, disse hoje Bernardo Figueiredo, que foi escolhido pela presidente Dilma Rousseff para assumir a presidência da empresa.

Em 2010, o Congresso Nacional aprovou a criação da estatal, mas até agora ela não tinha sido efetivamente posta para funcionar devido ao fracasso em 2011 da primeira tentativa do governo de licitar o trem de alta velocidade entre Campinas-SP-RJ.

Segundo Figueiredo, que teve sua renomeação à presidência da ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) rejeitada pelo Senado em fevereiro, a estatal já tem orçamento (R$ 8 milhões para esse ano) e precisaria de ter formalidades como registros, formação de conselho e o restante da diretoria para começar a funcionar.

"Acho que em um mês a gente resolve isso", disse Figueiredo que foi confirmado hoje pelo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, como presidente da estatal.

Na ANTT, Bernardo era o responsável pelo edital de concessão do trem-bala e principal interlocutor entre o governo e as empresas de tecnologia interessada em participar do projeto. Com sua saída, o projeto praticamente parou. Segundo ele, a agência continuará responsável por elaborar o edital da concessão do projeto, mas contará com apoio da Etav para elaborar o trabalho.

Bernardo se disse animado em continuar no projeto do trem de alta velocidade do país, mas não acredita que ele possa mais ser licitado esse ano. A previsão é que, após os processos de licitação, a obra dure mais seis anos.

Fonte: Folha.com

READ MORE - Estatal do trem-bala deve começar a operar em um mês

Tarifa de ônibus em Salvador vai a R$ 2,80 e vira a quinta mais cara do Brasil

A partir de 0h desta segunda-feira, os soteropolitanos vão pagar R$ 2,80 pela tarifa de ônibus. Nesta sexta (1º), a prefeitura anunciou o índice de reajuste na tarifa de 12%. Com o aumento de R$ 0,30, Salvador passa a ocupar o quinto lugar no ranking nacional das passagens mais caras entre as capitais do Brasil.

O percentual foi definido após estudos feitos por técnicos da prefeitura. Segundo o secretário municipal de Transportes e Infraestrutura, José Mattos, o reajuste levou em conta os cálculos do empresariado, que reclamava de defasagem no preço da tarifa.  “Tem 18 meses que não concedemos aumento, mas houve dois aumentos de salário da categoria nesse período”, justificou.

Depois de quatro dias de análise, os técnicos chegaram a conclusão que o aumento de R$ 0,30 seria, segundo o secretário, “o de menor impacto para a população”. O pedido de reajuste foi feito pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Salvador (Setps), logo após o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) ter concedido, dia 25, um aumento salarial de 7,5% aos rodoviários em greve e determinado pagamento de benefícios, como o quinquênio, e elevação no valor do tíquete refeição. Contudo, o valor pedido pelo Setps foi R$ 3,15.

“Não tínhamos como deixar de repassar para a tarifa, porque senão aconteceria o que ocorreu no passado, que é aquela dívida que a Prefeitura tem, através de uma ação do Setps, que já está transitado em julgado e não cabe mais recurso”, emendou Mattos, referindo-se à dívida no valor de R$ 600 milhões. Ainda segundo Mattos, o montante é relativo a desequilíbrios tarifários computados de 1997 a 2005.

O próximo reajuste da tarifa está previsto para dezembro de 2013 e constará no edital de licitação que a prefeitura vai abrir em junho, para efetivar contratos de concessão no serviço de transporte público da capital. Atualmente, as empresas de ônibus são permissionárias. “Hoje, não temos contrato formal, onde podemos efetivamente exigir determinadas ações. Mas só posso lançar o edital após a solução da dívida de R$ 600 milhões”, complementou o secretário.

De acordo com Mattos, o edital vai proibir, a partir de janeiro de 2013, as gratuidades não previstas na lei. “É inconcebível ter oficial de justiça, carteiros e PMs utilizando sem pagar”, disse. O secretário afirmou que pretende ainda apurar a quantidade de deficientes físicos que utilizam o transporte.
“Temos uma média de 33,3 mil passagens de deficientes físicos por mês. Mas não parece que é isso na realidade. Tudo isso impacta no valor da tarifa”, finalizou. O CORREIO procurou o superintendente do Setps, Horácio Brasil, para comentar o aumento, mas ele não foi localizado.

Salvador ultrapassa BH e Rio
Com o aumento anunciado ontem pela prefeitura, Salvador será a quinta capital com a tarifa de ônibus mais cara do país, atrás  apenas de São Paulo (R$ 3), Florianópolis (R$ 2,90), Porto Alegre (R$ 2,85) e Campo Grande (2,85). O reajuste fez Salvador ultrapassar, no ranking, sete capitais. Entre elas,  Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba (veja ao lado quadro comparativo).

Em relação ao Nordeste, Salvador já ocupava o primeiro lugar no pódio da carestia, mas ampliou ainda mais a diferença para a segunda colocada, Maceió, cuja tarifa foi aumentada para R$ 2,10 em fevereiro deste ano. Em comparação com outras capitais nordestinas de tamanho semelhante, o valor da tarifa em Salvador é R$ 0,65 maior que a de Recife, e R$ 0,80 que a de Fortaleza.

Contudo, o sistema de transportes públicos urbanos da capital é alvo constante de críticas de usuários, devido a problemas como frota envelhecida, baixa quantidade de veículos (2.446) e atrasos de linhas. Apesar das queixas, o secretário municipal de Transporte e Infraestrutura, José Mattos, disse que, para reduzir o impacto do aumento, até a Copa de 2014 serão renovados mil ônibus.

Está previsto ainda aumento no número de ônibus adaptados para deficientes físicos para 70% da frota. “A integração tarifária, que antes tinha tolerância de uma hora para pegar outro ônibus, passará a ser de duas horas”, salientou. Questionado se o aumento corresponde à qualidade do serviço oferecido, Mattos disse que o problema é de serviço público: “Como cidadão, vou dizer sempre que não vale. Como vou dizer também que a tarifa da energia não vale a pena, porque temos problemas constantes de queda de energia, como a água também tem”.


Fonte: Correio 24 Horas

READ MORE - Tarifa de ônibus em Salvador vai a R$ 2,80 e vira a quinta mais cara do Brasil

No Rio, Com sete trens novos, SuperVia oferece mais 50 mil lugares por dia

Oitavo trem chinês de uma série de 30 entrará em circulação na próxima semana. Até outubro todos estarão funcionando
Os sete trens chineses novos, já em circulação no Rio de Janeiro, estão proporcionando diariamente mais 50 mil lugares aos passageiros da SuperVia no ramal Deodoro. Esse número continuará crescendo na próxima semana, com a entrada em circulação do oitavo trem chinês de uma série de 30 que serão integrados à frota da SuperVia até outubro deste ano.

Cada trem chinês, composto por quatro carros com ar condicionado, TVs e letreiros em LED, bagageiro, proteção acústica e câmeras de vigilância, entre outros itens de conforto e segurança, pode transportar até 800 passageiros por viagem.

Na semana passada, a SuperVia também acrescentou uma oferta de 26 mil lugares em sua programação de trens aos sábados. A medida melhora o fluxo de passageiros, e foi alcançada com a readequação dos horários dos ramais Japeri, Santa Cruz e Deodoro. A nova programação conta com um período maior de circulação dos trens semi-diretos (ramais Santa Cruz e Japeri) e a adição de viagens no ramal Deodoro.

Os trens chineses são parte de um programa de transformação do sistema de transporte ferroviário do Rio de Janeiro. São investimentos de R$ 2,4 bilhões, divididos meio a meio entre o Governo do Estado do Rio de Janeiro e a nova gestão da SuperVia, desde o ano passado sob controle da Odebrecht Transport, empresa de mobilidade urbana, transporte e logística da Odebrecht S.A..

Os 30 trens chineses novos foram adquiridos pelo Governo do Estado, que este ano fez licitação para comprar outras 60 composições. Caberá à SuperVia adquirir mais 30 trens novos até 2016 e reformar 73 de sua atual frota de 160 composições. A previsão é a de que até 2014 todos os trens da SuperVia terão ar condicionado – atualmente, 41 oferecem este conforto.

Dentro do mesmo programa que nos próximos quatro anos transformará os trens do Rio de Janeiro em moderno metrô de superfície, a SuperVia construiu e colocou em funcionamento em janeiro deste ano um novo Centro de Controle Operacional, que permite mais agilidade em toda a malha ferroviária. Além disso, um novo sistema de sinalização automática na via férrea e nos trens já está sendo instalado e testado. Até o final do ano estará funcionando no ramal Deodoro, e no próximo ano em todos os demais ramais. Com esse novo sistema de sinalização, o intervalo entre os trens no horário de pico diminuirá de seis para três minutos.[6]

Com sua malha viária de 270 km e média por dia útil de 540 mil passageiros, a SuperVia faz atualmente 765 viagens por dia entre as suas 99 estações (a centésima está sendo construída no Corte 8, em Duque de Caxias). Atende ao Rio de Janeiro e a mais onze municípios (Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Nilópolis, Mesquita, Queimados, São João de Meriti, Belford Roxo, Japeri, Magé, Paracambi e Guapimirim).

Fonte: Segs.com.br


READ MORE - No Rio, Com sete trens novos, SuperVia oferece mais 50 mil lugares por dia

Em Belo Horizonte, Ônibus articulado em teste para o BRT trava em avenida do Mangabeiras

Um ônibus articulado, do modelo que pode fazer parte do sistema BRT (transporte rápido por ônibus) de Belo Horizonte, travou no meio da Avenida José Patrocínio Pontes, no Mangabeiras, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O veículo seguia em uma caravana pelas ruas da capital, na tarde desta sexta-feira, quando houve a parada repentina. Segundo testemunhas, membros da comitiva contaram que o combustível do coletivo acabou durante o trajeto. No entanto, o responsável pelo veículo afirmou durante a tarde que foi apenas uma parada para descansar e fazer fotos.

O coletivo branco circulou junto com outros veículos pelas ruas da capital na caravana. Passou pela Praça da Liberdade, Raul Soares e Praça do Papa. Seguiu pelo Bairro Mangabeiras para sessões de fotos organizada pela Treviso e Volvo. De acordo com o diretor-executivo do grupo Treviso, Márcio Paschoalin, quando chegou na José Patrocínio Pontes houve uma parada para que o motorista lanchasse e fotógrafos registrassem o veículo na praça que fica perto do Hospital Hilton Rocha. Contradizendo essa versão, às 15h45 testemunhas viram funcionários colocando combustível no ônibus em plena via púbica.

No início da noite, Márcio Paschoalin informou que o BRT flagrado no Mangabeiras parou para aguardar abastecimento, uma vez que para rodar depende do diesel s-50 (combustível especial, encontrado em poucos postos). O veículo seguirá para a sede do grupo em Betim, a 40 km de BH, e por isso dependia do abastecimento.

O modelo Marcopolo Viale BRT, chassi Volvo B-340 M, foi configurado pelo grupo Treviso – que controla as viações Torres e Santa Edwiges – atendendo sugestões dos operadores de Belo Horizonte e especificações dos atuais ônibus que circulam na capital e região metropolitana. O Estado de Minas adiantou, em reportagem divulgada nesta sexta, que esse pode ser o modelo adotado pela BHTrans no sistema.

Enquanto a prefeitura luta contra o calendário e enfrenta questionamentos nas licitações para o projeto, o grupo Treviso trouxe o primeiro veículo articulado para servir ao BRT, dentro dos parâmetros exigidos pela BHTrans. O veículo tem quase 10 metros maior que modelos mais simples de coletivos e tem capacidade para até 180 passageiro, o dobro os ônibus comuns. Amanhã o coletivo segue para a Lagoa da Pampulha e para a Cidadade Administrativa em caravana.


READ MORE - Em Belo Horizonte, Ônibus articulado em teste para o BRT trava em avenida do Mangabeiras

Em Maringá, Preço da passagem de ônibus sobe 6,35% no domingo

A Secretaria de Transportes (Setran) de Maringá informou que, cumprindo o contrato regente com a empresa prestadora do serviço – Transporte Coletivo Cidade Canção, a tarifa será reajustada em 6,38% a partir das zero hora deste domingo (3).

De acordo com a planilha de cálculos, baseada em índices de reajuste de veículos automotores, índice geral de preços, custos de combustíveis e lubrificantes e acordo coletivo, que este ano reajustou os salários da categoria em 10%, a nova tarifa passa a ser dos atuais R$ 2,35 para R$ 2,50 para o pagamento através do Cartão Passe Fácil e de R$ 2,75 para R$ 2,95 para pagamento em dinheiro.

Para os usuários que utilizam o horário das 8h30 às 11h e das 13h30 às 16h fica mantido o bônus de 15% em crédito eletrônico, ao custo de R$ 2,13.

Os usuários dos micro-ônibus denominados Executivos, pagarão através do Cartão Passe Fácil R$ 2,95. Já a passagem paga em dinheiro será de R$ 3,40.


READ MORE - Em Maringá, Preço da passagem de ônibus sobe 6,35% no domingo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960