Recife: Linha 026 – TI Aeroporto/Boa Viajem terá itinerário modificado a pedido de usuários

terça-feira, 17 de abril de 2012

O Grande Recife Consórcio de Transporte informa que a partir de amanhã (18 de abril) a linha 026 – TI Aeroporto/Boa Viajem terá seu itinerário modificado, estendendo seu percurso para a Avenida Engenheiro Antônio de Góes, passando pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), no bairro do Pina.

Por solicitação dos usuários, a linha 026 deixará de passar na ida (terminal/ponto de retorno) no Shopping Center Recife e nas ruas Ribeiro de Brito, Visconde de Jequitinhonha, Tenente Domingos de Brito e Ernesto de Paula Santos, seguindo o trajeto descrito abaixo. Para os passageiros que se deslocavam para estes endereços a opção, agora, é a linha recém inaugurada 023 - TI Aeroporto/ Tancredo Neves.

Dúvidas, sugestões e reclamações podem ser esclarecidas pela Central de Atendimento no telefone 0800.081.0158 ou acessando o site www.granderecife.pe.gov.br.


Novo itinerário completo da linha:

Terminal/Ponto de retorno

• Terminal Integrado Aeroporto;
• Rua Dez de Julho;
• Rua Capitão Zuzinha;
• Rua Doutor Vicente Gomes;
• Rua Setúbal;
• Av. Conselheiro Aguiar;
• Av. Antônio de Góes – até o Dnit;

Ponto de Retorno/Terminal

• Rua Cacilda Iolanda Porciúncula;
• Rua Manuel de Brito;
• Rua República Árabe Unida;
• Rua Arquiteto Augusto Reinaldo;
• Av. Herculano Bandeira;
• Av. Engenheiro Domingos Ferreira;
• Rua Padre Carapuceiro;
• Rua Fernando Simões Barbosa;
• Rua Jack Ayres;
• Pátio do Shopping Recife (Parada 1);
• Rua Bruno Veloso;
• Av. Engenheiro Domingos Ferreira;
• Rua Barão de Souza Leão;
• Viaduto Norte;
• Acesso ao Aeroporto;
• Av. Marechal Mascarenhas de Morais;
• Praça Ministro Salgado Filho;
• Viaduto Sul;
• Av. Marechal Mascarenhas de Morais;
• Rua Dez de Julho;
• Terminal Integrado Aeroporto.

Informações: GRCT

READ MORE - Recife: Linha 026 – TI Aeroporto/Boa Viajem terá itinerário modificado a pedido de usuários

SPTrans troca ônibus comum por articulados em linhas da Zona Leste

Com o objetivo de aumentar o conforto e atender a demanda dos passageiros de três linhas da Zona Leste da cidade, a SPTrans vai substituir veículos do tipo padron para ônibus articulado nas linhas abaixo a partir deste sábado, 21 de abril:
 
1178/10 São Miguel – Pça. do Correio (Substituição de 3 veículos)
1178/31 São Miguel – Pça. do Correio (Substituição de 3 veículos)
1178/42 Conj. Hab. Vl. Silvia – Pça. do Correio (Substituição de 2 veículos)
 
Informamos também a alteração de itinerário e do terminal principal da linha 1178/31 para o interior do Term. São Miguel. As alterações não irão prejudicar os usuários da linha.
 
Linha e itinerário:
 
1178/31 Terminal São Miguel – Praça do Correio
Ida – Terminal São Miguel, Ac. Acesso A, Rua Idioma Esperanto, Rua Luis Picolo, Av. Mal Tito, prosseguindo normal.
Volta: Normal até a Pça. Pe. Aleixo Monteiro Mafra, Av. Mal. Tito, Rua Andrelino Soares de Andrade, Rua Pelicano, Rua Dário Ferreira Martins, Rua Tarde de Maio e Terminal São Miguel.
 
Para informações sobre linhas e trajetos de linhas consulte itinerários ou ligue 156.
 
Informações – SPTrans
 
READ MORE - SPTrans troca ônibus comum por articulados em linhas da Zona Leste

No Rio, BRS chega às pistas laterais da Presidente Vargas

A última etapa do BRS (sigla que, em inglês, significa serviço de ônibus rápido), no Centro do Rio, começa a valer a partir de amanhã, com a implantação do corredor exclusivo nas pistas laterais na Avenida Presidente Vargas.

A via já recebeu, há cerca de 40 dias, a seletiva na pista central. As duas faixas exclusivas para ônibus funcionarão somente nos dias úteis, das 6h às 21h, nos dois sentidos, entre a Rua de Santana e Candelária. Os pontos de ônibus serão reduzidos em toda extensão e divididos em seis locais.

 Foto: Alexandre Vieira / Agência O Dia

Nas duas primeiras semanas do BRS, não haverá multa para motoristas. A fiscalização começa somente no mês que vem, com o funcionamento de 11 novos radares e 80 agentes da CET-Rio espalhados pelos dois quilômetros do BRS.

O motorista do carro de passeio que trafegar pelas faixas destinadas aos ônibus receberá multa de R$ 53,20; já os coletivos que andarem fora do corredor, R$ 85,13.

Mas quem deverá sofrer mesmo serão os passageiros de ônibus intermunicipais. A distância entre uma parada e outra das 38 linhas chega até quase 1,5 km no sentido Candelária.

Os pontos serão distribuídos na Candelária e nas imediações da Avenida Passos, Praça da República, terminal Procópio Ferreira e Cidade Nova. As 219 linhas municipais, que circulam nos dois sentidos, serão agrupadas em cinco pontos. A distância entre eles chega até no máximo 700 metros.

Zona Norte é a próxima a receber faixas exclusivas

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, a colocação do corredor exclusivo nas pistas laterais da Presidente Vargas encerra a etapa do BRS no Centro, com o sistema implantado em quatro vias. A Zona Norte será a próxima região a receber as faixas exclusivas já no segundo semestre.

Desde a implantação do BRS nas pistas centrais da Presidente Vargas, o tráfego na via ficou marcado por um verdadeiro nó no trânsito. No dia da implantação, 6 de março, o congestionamento fez aumentar em até 40 minutos o tempo de viagem de algumas linhas de ônibus.

A poucos metros da Pres. Vargas, a Praça da Bandeira pode ter melhora no trânsito a partir da tarde de hoje. Uma faixa reversível será implantada no sentido Zona Norte, na altura da Rua Teixeira Soares, das 16h30 às 20h30.

O recurso é destinado somente para carros de passeio, que poderão acessar a reversível entre a Rua Pará e a agulha na altura da passarela do metrô de São Cristóvão.

Fonte: O Dia Online

READ MORE - No Rio, BRS chega às pistas laterais da Presidente Vargas

Nova ciclovia vai ligar sete cidades da Grande São Paulo

Sete cidades da Região Metropolitana de São Paulo (Guarulhos, Santa Isabel, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Ferraz de Vasconcelos e Suzano) devem receber uma ciclovia em até dois anos.

Com 13 km de extensão, o primeiro trecho a ser construído é o de Mogi das Cruzes, cidade com o maior número de pessoas que usam a bicicleta para ir ao trabalho: calcula-se 7 mil viagens diárias. Segundo Edson Aparecido, secretário de Desenvolvimento Metropolitano, "a ideia é que a ciclovia sirva de alternativa e de complemento para o transporte público, e não apenas para lazer".

A ciclovia se ligará a terminais de ônibus, universidades e centros comerciais, correspondendo a 4% dos deslocamentos da região. Também está no planejamento de Mogi das Cruzes a construção de um estacionamento de bicicletas com mil vagas disponíveis. Ainda não existe previsão de data para que toda a obra seja concluída.

A obra será custeada pela Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano - com previsão orçamentária de R$ 2,6 milhões -  e o planejamento é da Desenvolvimento Rodoviário S.A (Dersa).
Investimentos nos municípios da regiãoO governador Geraldo Alckmin anunciou investimentos na região do Alto Tietê - onde estão incluídas as cidades que receberão as ciclovias - durante a Agenda Metropolitana do Governo Estadual no final do último mês de março. Entre as áreas que terão prioridade em projetos futuros está a de Logística e Transportes, o que deve incluir obras complementares à ciclovia.

O orçamento está calculado em R$ 9 bilhões e a ação beneficiará outras quinze áreas, como por exemplo: Transporte Público e Desenvolvimento Urbano e Gestão Ambiental.

Informações: PINI Web

READ MORE - Nova ciclovia vai ligar sete cidades da Grande São Paulo

Recife: Fãs de Paul têm ônibus expressos para o Arruda

Os fãs de Paul McCartney terão vinte ônibus saindo do Shopping Tacaruna para o estádio do Arruda, na Zona Norte do Recife, onde acontecem os shows do ex-Beatle no próximo final de semana. A passagem custa R$ 5 e inclui ida e volta.

A experiência é baseada no Expresso da Folia, que acontece no Carnaval recifense. As viagens são das 16h até por volta das 2h. Além do valor da passagem, quem deixar o carro no estacionamento do shopping deve pagar os R$ 5 referentes ao serviço.

A venda do bilhete será feita apenas no Tacaruna. Por isso, os fãs devem guardá-lo o seu com cuidado para garantir a volta do Arruda.

Segundo a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), que promove o Expresso, os veículos têm elevadores para a acessibilidade de pessoas com deficiência.

Fonte: JC Online

READ MORE - Recife: Fãs de Paul têm ônibus expressos para o Arruda

Começaram as intervenções para construção do BRT de Belo Horizonte


O belo-horizontino pode dar adeus ao centro sem obras da capital mineira. Pelo menos até o fim de 2013, a região próxima ao Terminal Rodoviário será tomada por máquinas e interdições. Começam hoje as primeiras intervenções na avenida Santos Dumont, causadas pela implantação do BRT.

Após pressão dos comerciantes, a via será interditada apenas entre as ruas da Bahia e São Paulo, no próximo sábado. Uma das três faixas vai permanecer transitável até o Dia das Mães, no dia 12 de maio. “Com esta decisão o comércio sofrerá menos impactos e não perderá vendas”, afirmou o vice-presidente da CDL/BH, Marcos Innecco.

Após a data, a avenida será completamente interditada até setembro deste ano. Depois dessa etapa, outro trecho da Santos Dumont e a avenida Paraná serão fechados. O fim das obras na região central, orçadas em R$ 55 milhões, vai coincidir com a entrega do BRT: outubro de 2013.

Ao todo, serão afetadas 170 linhas de ônibus intermunicipais e municipais. “A prefeitura está se esforçando para nos causar menos impacto. Poderia liberar o IPTU durante o período das obras”, afirma a vice-presidente da Associação Comercial de Minas, Cláudia Volpini.

Mas nem todos comerciantes estão otimistas com as obras. “Não sei se vou conseguir levar comida para casa”, diz Marco Antônio da Silva, proprietário de uma loja no Shopping Caetés.

Fonte:  Band

READ MORE - Começaram as intervenções para construção do BRT de Belo Horizonte

Usuários de trens e metrô de SP crescem mais de uma Campinas

O sistema de trens de passageiros da Região Metropolitana de São Paulo atingiu os 7,1 milhões de pessoas transportadas por dia. A marca é recorde na média de dias úteis de março e aponta acréscimo de 1,2 milhão de passageiros nos trens da CPTM e do Metrô em relação ao mesmo mês de 2011, quando foram 5,9 milhões.

O aumento de 20% na demanda equivale ao total transportado por dia na rede do Rio de Janeiro. Ainda são 200 mil pessoas a mais que a população de Campinas, a maior cidade do interior paulista. "Em um ano, crescemos um Rio de Janeiro no sistema", confirma o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.

Com toda essa massa se deslocando nos vagões, o desconforto dos passageiros não tem data para acabar. Pelo menos nos próximos três anos, segundo especialistas, viajar de trem em horários de pico será tarefa muitas vezes disputada no braço. A cena é comum em estações como Luz, Brás e Pinheiros, que oferecem integração gratuita entre Metrô e CPTM, consideradas os principais gargalos nos trilhos. Em muitos casos, o simples ato de entrar ou sair dos trens ou conseguir lugar no vagão vira uma batalha. A malha tem 89 estações e atende 22 municípios. "Não há como oferecer conforto adequado no pico", reconhece o secretário (leia na C3). Para ele, a demanda ainda vai aumentar até chegar a 9,2 milhões de passageiros por dia em 2014.

Para o professor de ferrovias da Escola Politécnica da USP, Telmo Porto, pico confortável é inviável. "Isso não existe", diz destacando que o desconforto dos passageiros não tem solução a curto prazo. Para ele, o forte impacto no fluxo de passageiros pode ser explicado por pelo menos quatro fatores: bilhete único, novas estações do Metrô, aquecimento da economia e política de ocupação do solo da cidade. Tudo isso, segundo o professor, aumenta a pressão sobre o fluxo de passageiros em uma rede ferroviária que foi construída para demandas bem menores.

O especialista lembra ainda que há anos falta a São Paulo uma visão sistêmica do transporte. "Trens, trilhos, subestações, rede elétrica, sinalização. Tudo precisa estar muito ajustado para o sistema funcionar." Mas Porto está otimista. "Em dois anos estaremos melhor do que estamos hoje", declara. "Há muitas ações sendo feitas no sistema."

Para Eluis Alves de Matos, presidente do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, as falhas ocorrem por falta de investimentos. O principal gargalo, segundo ele, é a questão da energia.

Informações: Estado de Minas

READ MORE - Usuários de trens e metrô de SP crescem mais de uma Campinas

Em São Paulo, Corredor de ônibus Rebouças perde passageiros

O corredor de ônibus Campo Limpo-Rebouças-Centro perdeu 71 mil passageiros por dia e três linhas que passavam por ele com a inauguração da Linha 4-Amarela do Metrô, que faz o mesmo trajeto. Mas o seu trânsito piorou no mesmo período, contrariando a expectativa do governo de que o tráfego fosse fluir melhor na região.

Segundo a SPTrans, em março de 2012 foram transportadas, em média, por dia útil, 328 mil pessoas nas linhas do corredor Campo Limpo-Rebouças-Centro, ante 399 mil por dia em março de 2011, quando o metrô funcionava em tempo reduzido. A SPTrans informa ainda que, em setembro de 2011, quando foi implantado o horário integral na Linha 4 do Metrô, a velocidade média no corredor Rebouças era de 17,8 km/h.  Hoje a velocidade média dos ônibus está em 14 km/h.

Para a SPTrans, a redução na velocidade dos ônibus que circulam pelo corredor se explica pelas obras que estão sendo feitas em toda sua extensão. Os trabalhos começaram em maio de 2011 e só vão terminar em maio deste ano. Mas, segundo a secretaria, é justamente o trecho atual da reforma que prejudica mais o trânsito. “Hoje, a obra já passou pela Avenida Rebouças e está na Rua da Consolação.  Como nesse trecho a interferência no trânsito é maior, a velocidade média dos ônibus está em 14 km/h, o que explica a diferença da velocidade entre os meses”, disse a estatal em nota.

Para o engenheiro Creso de  Franco Peixoto, mestre em Transportes, a explicação é outra. “Possíveis questões contratuais com as empresas de ônibus fazem com que não diminua o número de ônibus circulando, apesar da redução do número de passageiros”, disse. Peixoto se refere ao fato de que as empresas recebem conforme uma fórmula que leva em conta o número de partidas e, portanto, perderiam dinheiro se tirassem ônibus de circulação.

Mesma opinião tem a diretora do Movimento Defenda São Paulo, Lucila Lacreta. “Muitos ônibus perderam passageiros para o metrô mas continuaram circulando atrapalhando o trânsito”, disse. “Para evitar isso a Prefeitura teria de peitar os interesses das empresas de ônibus”. A SPTrans confirma que o número de partidas entra na fórmula de remuneração das empresas, mas nega que mantenha os ônibus para atender aos empresários.

Jurandir Fernandes, secretário estadual de Transportes Metropolitanos, é quem menos comemora o fenômeno da migração para o metrô, já saturado. “Nós pagamos o preço do nosso sucesso”, disse. “ Tiramos passageiros do corredor. Eu não gostei disso. Eu queria que eles ficassem lá, lógico".

Passageiros elogiam conforto, mas reclamam do trânsito
Os estudantes Mayara Vitor e Jeferson Soares utilizam todos os dias o corredor de ônibus Campo Limpo-Rebouças-Centro para ir para a escola e não veem melhora no trânsito com a inauguração da Linha 4 do Metrô. Apesar disso, preferem o ônibus porque acham mais confortável. “O Metrô é mais rápido, mas também mais cheio e não tem lugar para sentar”, disse Mayara. “O ônibus a gente pega no ponto inicial e dá para ir sentado”, completou Jeferson Soares.
Conforto é o que fala mais alto também para o estudante José Carlos do Rosário, outro usuário do corredor. “Levo 20 minutos a mais de ônibus porque o trânsito continua péssimo”, disse. “Compensa porque vou sentado.”
Outra passageira que prefere o ônibus apesar do trânsito é Francisca das Chagas. “Para usar o metrô eu tenho de fazer muita baldeação e enfrentar muita escada rolante nas estações”, disse. “Prefiro então enfrentar o trânsito caótico aqui do corredor".
Apesar das pessoas que ainda preferem o ônibus no corredor Rebouças, é cada vez mais crescente o número de passageiros que migraram para o Metrô. Em 26 de setembro do ano passado foi  inaugurada a Linha 4, em horário integral. Com isso, ela saltou de 200 mil passageiros por dia para 601 mil passageiros por dia.
São pessoas como o engenheiro Hamilton Ferreira, que agora viaja todo dia no Metrô. “Ganho meia hora em cada viagem”, disse.

Fonte: Rede Bom Dia

READ MORE - Em São Paulo, Corredor de ônibus Rebouças perde passageiros

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960