Em BH, Obras do BRT altera a circulação na busway na Av. Antônio Carlos

domingo, 4 de março de 2012

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTRANS, informa que, devido às obras de BRT da Avenida Antônio Carlos, foi interditada o trecho da pista exclusiva de ônibus (busway) entre a Rua Alcobaça e a Avenida Major Delfino de Paula Ricardo, sentido Bairro/ Centro. Os ônibus e taxi são desviados para uma faixa da outra pista da busway, no sentido Centro/Bairro, operando em contra-fluxo. Os pontos de ônibus serão transferidos para antes e depois da área interditada na busway. 

Com a interdição os veículos provenientes dos bairros Liberdade, Santa Rosa e Jaraguá, que descem a Rua Alcobaça, não poderão cruzar a Avenida Antônio Carlos, que está em obras. Os condutores devem seguir um desvio que estará sinalizado com faixas de pano na região.

Desvio: ...Rua Alcobaça, Rua Beira Alta, Rua Estoril, Rua Viseo, Avenida Major Delfinode Paula Ricardo, Avenida Antônio Carlos.

Faixas de pano e sinalização de obra serão implantadas para orientar os motoristas e pedestres, para garantir maior segurança na região. A empresa alerta para a importância de os motoristas redobrarem a atenção à sinalização implantada. Agentes da Unidade Integrada de Trânsito (BHTRANS e Polícia Militar) monitoram o tráfego na região.

Fonte: BHTrans

READ MORE - Em BH, Obras do BRT altera a circulação na busway na Av. Antônio Carlos

São Paulo: Metrô promete construir ciclovia sob os 24 km do monotrilho da zona leste

O Metrô de São Paulo, responsável pela operação do monotrilho que está sendo construído na zona leste da capital, afirmou que vai construir uma ciclovia sob toda a extensão da linha. A proposta teria surgido de uma demanda da comunidade local e se tornado uma exigência do licenciamento ambiental da obra, de acordo com gerente do empreendimento, Paulo Sérgio Meca.

- As ciclovias não estavam previstas no projeto inicial. Elas foram uma das sugestões trazidas por representantes das comunidades na época do licenciamento. Nosso pessoal de arquitetura e urbanismo já está trabalhando nesse projeto.

Com 24 km de extensão, a linha Expresso Monotrilho Leste pretende ligar, até o fim de 2016, os bairros Vila Prudente e Cidade Tiradentes. A construção da ciclovia, ao lado do plantio de árvores, vai fazer parte do processo de reurbanização do canteiro central das avenidas sobre as quais os trens vão passar. A alteração da paisagem e consequentes desvalorizações dos imóveis na região por onde a obra vai passar são as principais críticas ao projeto do monotrilho.

Meca, no entanto, aponta as vantagens do transporte, que tem custo total estimado de R$ 4,8 bilhões. Segundo ele, apenas 16 imóveis tiveram que ser desapropriados para a construção do primeiro trecho da obra, que já está sendo realizada entre Vila Prudente e Oratório. Ele comparou também o projeto do monotrilho com o dos metrôs.

Julia Chequer/R7
Monotrilho erguido na zona leste da capital paulista terá ciclovia por baixo da construção
CET bloqueia cruzamento de avenidas para obras do monotrilho

- O custo da obra do monotrilho é cerca de 60% menor do que o de uma obra subterrânea. E tem o tempo de construção também, que equivale a um terço das obras de metrô.

A previsão de término do primeiro trecho é o final de 2013, quando deverão ser postos em circulação quatro trens. O segundo trecho, até São Mateus, deve ser finalizado até 2014. A linha completa, entretanto, com 17 estações, deve estar pronta apenas em 2016. De acordo com o metrô, com a finalização do projeto, os usuários poderão chegar de Vila Prudente e Cidade Tiradentes em um tempo estimado de 50 minutos.

Trens
A empresa canadense Bombardier, responsável pela produção dos 54 trens que circularão pela linha, apresentou na manhã desta sexta-feira (2) um projeto em 3D dos veículos. De acordo com a empresa, a tecnologia permite identificar potenciais problemas e apontar as soluções antes do início da fabricação dos trens, que terão tecnologia driverless (sem condutores).

Apesar dos inúmeros recursos tecnológicos - que possibilitam inclusive redução de paradas de manutenção e sistema automático de resolução de problemas - os trens terão a mesma limitação dos que já operam na linha do metrô com relação à dependência de energia. Caso haja uma queda – como a que deixou os trens da linha 4-Amarela parados por 40 minutos nesta quarta-feira (29) – eles não conseguirão se deslocar até a plataforma, apenas manterão as funções internas (como ar condicionado).

Para Paulo Sérgio Meca, “é muito difícil que haja um problema de energia no monotrilho”, mas ele afirma que para os casos extremos em que é preciso retirar os usuários do trem, serão construídas plataformas entre as vigas de concreto.

A linha terá capacidade para transportar 40 mil passageiros por hora, em cada sentido, o que deverá ser suficiente para atender a uma demanda de 550 mil pessoas por dia. Caso haja necessidade, o Metrô afirma que será possível reduzir o tempo de intervalo entre os trens de 90 segundo para 75 segundos, aumentando para 48 mil passageiros por hora a capacidade de transporte.

Fonte: R7.com

READ MORE - São Paulo: Metrô promete construir ciclovia sob os 24 km do monotrilho da zona leste

Em Brasília, Câmara Federal analisa PEC que estabelece a gratuidade no transporte coletivo para os estudantes de todo o Brasil

A Câmara analisa a Proposta de Emenda à Constituição 110/11, do deputado Romero Rodrigues (PSDB-PB), que torna obrigatório o transporte coletivo gratuito, entre a casa e a escola, para os estudantes de todos os níveis do ensino.

A proposta também cria o fundo de financiamento do passe livre do educando, com o objetivo de custear o transporte gratuito. Esse fundo deverá ser instituído por lei, depois que a emenda entrar em vigor.
Romero Rodrigues argumenta que obrigar o Estado a oferecer transporte gratuito aos estudantes vai complementar o ensino público obrigatório. De nada adianta garantir a gratuidade do ensino, se o aluno não tem como chegar ao estabelecimento de ensino, por absoluta carência de meios financeiros para custear o transporte de ida e volta de sua residência à escola, justifica.

Tramitação
A PEC terá a admissibilidade analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Se aprovada, será analisada por uma comissão especial a ser criada para esse fim. Depois, seguirá para o Plenário, onde precisará ser votada em dois turnos e ser aprovada por 3/5 dos deputados.

Íntegra da proposta: PEC-110/2011

Informações: Agência Câmara

READ MORE - Em Brasília, Câmara Federal analisa PEC que estabelece a gratuidade no transporte coletivo para os estudantes de todo o Brasil

No Rio, BRS do Centro diminui o tempo de viagem de ônibus até pela metade


Depois dos transtornos iniciais, os corredores exclusivos de ônibus no Centro começam a dar resultado. Segundo a Secretaria municipal de Transportes, que fez uma medição do tempo de viagem antes e depois da implantação do Bus Rapid Service (BRS), a redução foi significativa no corredor Presidente Antônio Carlos/Primeiro de Março: no horário de pico da manhã (das 8h às 9h), levava-se 10 minutos. Agora, o tempo caiu pela metade: 5 minutos.

À tarde, no rush de fim de expediente (das 18h às 19h), a performance não é tão boa: o tempo de viagem caiu de 13 minutos para 10 minutos. No BRS da Avenida Rio Branco, durante o pico da manhã, o tempo de viagem caiu de 7 minutos para 4 minutos. À noite, o resultado foi de menos dois minutos: caiu de 12 minutos para 10 minutos.

Novo corredor será na Avenida Presidente Vargas
Para o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, o resultado foi acima do esperado:
- Pretendíamos uma redução de 30% e conseguimos ficar, em média, acima disso - diz Sansão, que afirma que o retorno para casa será sempre mais demorado. - É fato que as pessoas demoram mais para embarcar do que para desembarcar. Há sempre filas nos pontos.

Para chegar aos resultados atuais, a secretaria teve que fazer diversas modificações no BRS do Centro, que, no primeiro dia de operação, em dezembro do ano passado, provocou um grande engarrafamento na Avenida Rio Branco. Entre os ajustes, estão a mudança de lugar de pontos de ônibus e a proibição de ônibus intermunicipais que saem de rodoviárias e de coletivos de condomínios de transitar nos corredores.

Agora, o novo desafio da secretaria é o BRS da Avenida Presidente Vargas, que será implantado nas pistas centrais na terça-feira. O corredor será em toda a extensão da via, ou seja, da descida do Trevo das Forças Armadas até a Candelária.
- Com mais esse BRS, a cidade passa a contar com 24 quilômetros de corredores preferenciais para ônibus - diz Sansão.

O corredor da Avenida Presidente Vargas terá funcionamento diferente dos demais: as linhas intermunicipais vão poder circular e terão pontos específicos de parada. Ele não funcionará aos sábados - dia em que os outros corredores operam das 6h às 14h.




READ MORE - No Rio, BRS do Centro diminui o tempo de viagem de ônibus até pela metade

Em Vitória, População ganha mais mobilidade com o Terceiro Pico

Para atender a população que necessita de transporte coletivo das 21h30 às 23 horas, de segunda a sexta, o Governo do Espírito Santo oferece o projeto “Terceiro Pico”, que garante mais mobilidade aos estudantes, universitários e trabalhadores da Grande Vitória, cerca de 70 mil passageiros diários.

A Ceturb-GV realizou um estudo, incluindo pesquisa de campo, que identificou as necessidades das linhas em diversos horários. O levantamento ajudou a detectar 66 pólos geradores de demanda noturna, como escolas, faculdades, shoppings, entre outros. O público desses pólos representam 10% da demanda atual de passageiros nos dias úteis.

Foram detectados:
  • 37 pólos em Vitória
  • 17 pólos na Serra
  • 08 pólos em Vila Velha
  • 04 pólos em Cariacica
Com isso, os coletivos foram adaptados aos horários de saída | fechamento desses estabelecimentos, proporcionando agilidade, conforto e flexibilidade para os usuários. É o Governo do Espírito Santo buscando soluções para garantir o melhor atendimento a quem anda de ônibus.

Informações do Governo do Espírito Santo


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Vitória, População ganha mais mobilidade com o Terceiro Pico

Preço do ônibus em Curitiba sobe para R$ 2,60 apartir desta segunda

A tarifa do transporte coletivo de Curitiba terá um reajuste de 4% a partir da próxima segunda-feira, passando de R$ 2,50 para R$ 2,60. O novo índice foi anunciado hoje pela prefeitura, que ressaltou ser o porcentual inferior aos 5,63% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) no mesmo período de um ano. A tarifa especial de R$ 1 cobrada aos domingos não terá reajuste. A Linha Turismo, que passa pelas principais atrações da cidade, será reajustada de R$ 25 para R$ 27.

Segundo a prefeitura, o principal fator de elevação de custos é a mão de obra. Após greve de um dia e meio, no mês passado, o salário base teve reajuste de 10,5%. Curitiba tem uma frota operante de 1.915 ônibus, que transportam mais de 2,2 milhões de passageiros em dias úteis. No entanto, pouco mais de 1,1 milhão são pagantes, em razão de isenções e da integração que permite pagar uma passagem e utilizar mais de um ônibus. A Rede Integrada atende Curitiba e 13 municípios da região metropolitana.



READ MORE - Preço do ônibus em Curitiba sobe para R$ 2,60 apartir desta segunda

População no Rio de Janeiro se revolta contra o reajuste das barcas, tarifa saltou de R$ 2,80 para R$ 4,50

Com nariz de palhaço e apitos, manifestantes protestam contra aumento da tarifa das barcas no Rio de Janeiro neste sábado (03/03). Atentos ao reajuste, os passageiros prometem novas manifestações para a próxima segunda-feira (05), primeiro dia útil da nova tarifa.

Os passageiros que utilizam as barcas como meio de transporte no Rio de Janeiro estão revoltados com o aumento de 60,7% no valor da passagem, que custava R$ 2,80 e neste sábado (3) passa para R$ 4,50. A notícia foi recebida com protestos pelos usuários, que já não estavam satisfeitos com o serviço e passaram a reclamar mais ainda.

O atraso nos horários e a falta de segurança são as principais queixas de quem utiliza o serviço diariamente. O agente de crédito Ozanam Araújo mora em Niterói e vai para o trabalho de barca ou catamarã. Ele reclama da superlotação.
- O serviço é mal realizado. As barcas novas melhoraram apenas no tempo de viagem, mas não têm nenhuma segurança. Eles excedem o número de passageiros permitido. Eu viajo com medo.
A advogada Nadir Amorim disse que o reajuste no preço do bilhete é um absurdo. Segundo ela, o valor não condiz com a qualidade do serviço prestado pela concessionária Barcas S/A.
- Este aumento é um absurdo. Levando em consideração o tempo que a pessoa espera para entrar na barca e a falta de manutenção, a passagem não poderia aumentar de jeito nenhum. Para aumentar, tem que oferecer um serviço decente.
O funcionário público Nilson da Silva disse considerar os funcionários da Barcas S/A despreparados para trabalhar com o público.
- O serviço das barcas é péssimo. O Ministério Público já deveria ter mandado interditar as estações. Tem colete vencido, não tem segurança nenhuma, falta informação e este aumento é um absurdo. Enquanto não acontecer uma tragédia, eles não vão tomar providência. Tem que melhorar urgentemente.
Outra reclamação é o desconforto dentro das barcas e catamarãs. A corretora de imóveis Elizabeth Pinho disse que viaja na porta da barca para aproveitar a brisa, pois o calor incomoda durante a viagem.
- Tinham que colocar ar-condicionado nos catamarãs. Eu não sei o que acontece no verão. Nessa época, era obrigação da concessionária colocar o ar para funcionar. Eu tenho que viajar na porta por causa do calor.

Passageiros viajam em pé e nas escadas
A Barcas S/A disponibiliza assentos com capas na cor laranja nas primeiras fileiras dos catamarãs para idosos, gestantes e pessoas com necessidades especiais, mas muitos passageiros não respeitam e ocupam as cadeiras preferenciais. O analista de sistemas Felipe Padilha disse que já flagrou usuários com menos de 60 anos retirando as capas para sentar nesses lugares.
- Quando a barca está lotada, alguns passageiros retiram a capa laranja da poltrona que indica que ela é preferencial. Com isso, os novos ficam sentados e vários idosos ficam em pé ou até mesmo nas escadas.

Justificativa
De acordo com a Agetransp (Agência Reguladora de Transportes), um estudo coordenado por uma empresa terceirizada verificou que há um desequilíbrio econômico e financeiro no contrato com a concessionária responsável pelo serviço de barcas. A análise foi enviada para a Secretaria Estadual de Transportes que, após um cálculo, informou a necessidade do aumento de cerca de 60%.

Alerj é contra o aumento
O deputado Marcelo Simão, presidente da Comissão de Transportes da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), desaprovou o aumento. Simão espera, ao menos, que a alteração no valor do bilhete seja convertida na melhoria dos serviços.
- Nós somos contra o aumento nas passagens, em que pese o subsídio dado pelo governo. Minha preocupação, agora, é saber se essa majoração nos preços dos bilhetes vai ser revertida na melhoria dos serviços: compra de novas embarcações para substituir as atuais, que são muito antigas, e reforma das estações que mais parecem currais. Os passageiros não podem continuar sofrendo com a falta de qualidade no serviço. Vamos cobrar.

Problemas
A concessionária responsável pelo serviço de barcas informou que três embarcações da linha praça 15 – praça Arariboia foram depredadas no último domingo (26). Segundo a empresa, a segurança do transporte havia sido reforçada em razão do grande número de foliões previsto para o último dia de Carnaval.
Ainda de acordo com a concessionária, “as embarcações foram retiradas de operação para manutenção e reparos nos assentos rasgados, nas televisões e nas janelas quebradas”.
Segundo a empresa, os passageiros também jogaram coletes salva-vidas na baía de Guanabara e esvaziaram os extintores de incêndio. O material deve ser reposto em breve.
Sobre as reclamações dos passageiros quanto ao serviço, a direção da Barcas S/A não respondeu até a publicação desta reportagem.

Com informações do R7.com

READ MORE - População no Rio de Janeiro se revolta contra o reajuste das barcas, tarifa saltou de R$ 2,80 para R$ 4,50

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960