Em Campo Grande, Universitários devem se cadastrar para receber cartão estudantil

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Assim como os estudantes do ensino fundamental e médio, os alunos de universidades públicas e privadas de Dourados, devem comparecer até a central de vale-transporte do terminal rodoviário para realização do cadastro que garante o direito ao meio passe estudantil no ano de 2012. Não há prazos pré definidos para a realização do cadastro, entretanto recomenda-se que os acadêmicos procurem realizá-lo com antecedência, para que tenham em mãos o cartão estudantil logo no início das aulas.

De acordo com a Medianeira Dourados, empresa que gerencia o transporte dos estudantes, o cadastro ocorre da seguinte forma: para aqueles que estiverem prestes a ingressar na universidade, ou seja, os calouros, a exigência é que se tenha em mãos cópias dos documentos de identidade ou certidão de nascimento dele e dos pais (se menor de idade), atestado de matrícula, comprovante de residência atual (caso o imóvel seja em nome de outra pessoa e necessário que se apresente uma declaração do proprietário comprovando a residência do aluno no local) e uma foto em formato 3X4 para arquivo.

Já para universitários veteranos que possuem o cartão estudantil, solicita-se apenas o atestado de matrícula para recadastramento, os que ainda não tiveram acesso meio passe, devem realizar o cadastro completo. Além disso, é importante que tanto calouros quanto veteranos compareçam até a central de vale- transporte, pois a foto para o novo cartão será tirada no ato do cadastro.

A retirada dos cartões ocorre em média uma semana após o cadastramento, variando portanto de acordo com a data em que o estudante se cadastrar. A Central de vale-transporte está localizada no terminal rodoviário Renato Lemes Soares na Avenida Marcelino Pires S/N. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h ao 12h, e das 13h às 17h. Informações adicionais podem ser encontradas pelo telefone (67) 2108-8400 ou pelo site www.medianeiradourados.com.br

Fonte: Agora MS


READ MORE - Em Campo Grande, Universitários devem se cadastrar para receber cartão estudantil

Consórcio Siga de Blumenau propõe reajuste de 33% na tarifa do transporte coletivo

Se depender dos cálculos feitos pelo Consórcio Siga, a tarifa do transporte coletivo de Blumenau passará dos atuais R$ 2,57 para R$ 3,43, ou seja, 33% de aumento. Este valor corresponde aos custos atualizados dos insumos (como por exemplo, preço dos pneus, diesel, chassis e salários), além dos prejuízos financeiros de um ano sem reajuste na tarifa, conforme explica o presidente do Consórcio Siga, Humberto Sackl.
Gilmar de Souza / Agência RBS
Esta planilha de custos está nas mãos do Seterb desde o dia 16 de janeiro. A expectativa da autarquia é definir o valor ainda este mês, após receber o estudo encomendado a uma empresa de consultoria de São Paulo. Rudolf Clebsch, diretor-presidente do Seterb, disse que, apesar de analisar os cálculos feitos pelo Consórcio Siga, é este estudo que vai nortear a decisão sobre o novo valor a ser aplicado sobre a tarifa do transporte coletivo.

Ele explica que a empresa de consultoria Oficina, de São Paulo, foi contratada em dezembro do ano passado e será responsável pela análise de três itens: revisão da concessão feita ao Consórcio Siga, se o contrato está sendo executado de acordo com a concessão e vai apresentar um novo modelo de cálculo de revisão de tarifa.

— Contratamos para este estudo a mesma empresa que elaborou o contrato de concessão, porque há divergências entre os técnicos do Seterb e o Siga em relação ao cálculo de revisão de valores — explicou Clebsch.

Segundo o presidente do Seterb, a empresa deve concluir os estudos na semana que vem. A partir destes dados o Conselho Municipal de Trânsito e Transportes (Comtranblu) será convocado para discutir os valores e depois seguirá para sanção do prefeito João Paulo Kleinübing (PSD).

— Vamos primeiro ouvir o que a empresa de consultoria tem a apresentar. Pretendemos definir isto ainda neste mês — salientou Clebsch.

Presidente do Siga alega defasagem dos valores desde setembro de 2010
O presidente do Consórcio Siga alega que os valores da tarifa estão defasados desde setembro de 2010, quando ocorreu o último reajuste. A tentativa do ano passado de passar para R$ 2,75 foi vetada porque o Ministério Público entendeu que o reajuste não poderia ser feito por meio de índice de inflação, como estava ocorrendo, porque infringia o contrato firmado entre município e o Siga. Sackl comparou o valor sugerido para a nova tarifa com o valor cobrado em Joinville, maior cidade do Estado. Lá, segundo ele, a passagem é de R$ 3,10 e não há cobrador nos ônibus.

— Calculamos que o cobrador custa em torno de R$ 0,30. Se pensarmos no valor que repassamos para análise do Seterb, estaríamos praticamente dentro do que Joinville cobra — comparou.

A perícia nas planilhas de custos do transporte coletivo relativas aos anos de 2009 e 2010 devem ser concluídas até o início do mês de abril. Este é o prazo que o perito indicado pelo juiz tem para avaliar os dados.

A determinação foi feita em agosto do ano passado pelo juiz da Vara da Fazenda Pública, Edson Marcos de Mendonça. O Ministério Público alegou irregularidades em cálculos de itens da planilha que resultou no aumento da tarifa do transporte coletivo para R$ 2,57, em agosto de 2010.

Fonte: Jornal de Santa Catarina



READ MORE - Consórcio Siga de Blumenau propõe reajuste de 33% na tarifa do transporte coletivo

Projeto do BRT tem gerado muita polêmica em Belém

Apesar de não terem sido citadas na mensagem do prefeito de Belém, Duciomar Costa, as obras de implantação do projeto do BRT (Bus Rapid Transit) foram abordadas pela maioria das lideranças dos partidos durante a sessão solene que deu início ao ano legislativo municipal de 2012. Em viagem a Brasília, para discutir questões relacionadas a recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Duciomar não compareceu à abertura da 16ª Legislatura municipal, mas convidou os vereadores a participarem de uma reunião na próxima terça-feira, que terá como tema central o BRT.

Lida pelo secretário municipal de Saneamento, Edilson Ramos Pereira, a mensagem encaminhada pelo prefeito à Câmara Municipal de Belém (CMB) se deteve em destacar a forma de utilização dos recursos públicos pela prefeitura no ano passado, assim como a previsão de destinação dos recursos em 2012. “A prioridade no atendimento das necessidades de nosso povo fez com que mantivéssemos uma política de racionalidade na utilização dos recursos financeiros e controle dos gastos públicos”.

DISCUSSÃO

Com as obras iniciadas no último dia 16, o BRT foi o assunto mais discutido, ora pelos favoráveis à obra, ora pelos contrários. Já no pronunciamento do presidente da CMB, Raimundo Castro (PTB), o BRT foi destacado como uma questão que deveria ser resolvida em conjunto pela Prefeitura de Belém e pelo Governo do Estado. Após destacar os principais projetos aprovados pela casa na última legislatura, o vereador ainda citou informações publicadas na coluna do senador Jader Barbalho, publicada aos domingos pelo

DIÁRIO, sobre o novo modelo de transporte coletivo.

“Em sua coluna, o senador Jader Barbalho já falou da importância de unir os projetos do governo e do município, então, a Câmara está pregando que o Estado e Município se unam para aplicar um projeto que só trará melhorias para a população de Belém”, disse. “Essa história de dizer que o projeto do Estado está sendo atropelado pelo BRT não é verdade. O projeto do Estado já tem 20 anos e não é iniciado”.

Contrário à implantação do projeto, o vereador Fernando Dourado, líder do PSB, foi um dos que questionou mais enfaticamente a implantação do BRT. Também falou sobre os números apresentados durante a mensagem do prefeito. “O prefeito declara que implantou 69 mil novos pontos de iluminação, que pavimentou 2.500 novas vias. Aqui em Belém nós não temos esse número de ruas novas. Ele disse que fez 60 quilômetros de calçadas e sabemos que calçadas nessa cidade são um problema”, destacou. “E esse BRT? Eu nunca vi na minha vida se fazer uma licitação sem fazer orçamento. Não existe recurso nenhum destinado para a aplicação desse projeto. Isso é um absurdo”.

“O prefeito disse na imprensa que faria o BRT em 18 meses e o edital diz que são 24 meses. O prefeito cercou a área dizendo que ia iniciar a obra e nada foi feito até agora”, afirmou o vereador Carlos Augusto Barbosa (DEM) ao também se mostrar contrário ao projeto.

As divergências entre os vereadores chegaram a gerar algumas discussões, principalmente entre os vereadores Fernando Dourado (PSD) e Gervásio Morgado (PR). Após o pronunciamento do líder do PSD, Gervásio passou a maior parte de seu discurso rebatendo as críticas.

Líder do governo, Orlando Reis (PSD) também defendeu o projeto. “Vocês vão ter uma oportunidade espetacular de perguntar ao Executivo sobre o projeto quando ele vier aqui na terça-feira”, disse, ao lembrar da presença já confirmada do prefeito à CMB. “Questionaram se a ciclovia será mantida, eu sei que vai ter ciclovia, mas venham perguntar ao prefeito na terça-feira que ele virá responder”.


Share |

READ MORE - Projeto do BRT tem gerado muita polêmica em Belém

Em Porto Alegre, Transporte coletivo passará por licitação

O sistema de transporte coletivo de Porto Alegre deve ganhar nova cara a partir de 2013. Conforme informou o prefeito José Fortunati, até meados do ano que vem será aberto processo de licitação para contratação de empresas de ônibus.

Esta é a primeira vez que há uma concorrência no setor na Capital.

O prazo foi estipulado depois que a prefeitura obteve confirmações a respeito do metrô, já que a presença do trem oferece previsões de detalhes importantes que precisavam constar no edital. Entre elas, a necessidade de prever reforço nas linhas que atenderão a Zona Norte.

Coordenador do grupo que montará o edital, o diretor da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, diz que modelos licitatórios de outras cidades estão sendo estudados. O que ganha força é o de Curitiba, no Paraná, que ocorreu em 2010.

— Estamos na metade do estudo. Até o final do ano já devemos ter bem definidas as exigências para as empresas que devem assumir o transporte público de Porto Alegre. Dessa forma, a partir do ano que vem a cidade já pode ter um sistema de transporte público remodelado — disse Cappellari.

O presidente da URBS — Urbanização de Curitiba, Marcos Isfer, afirma que desde que o novo sistema curitibano foi implantado, no final de 2010, a qualidade do transporte público melhorou significativamente.

— Conseguimos expor mais claramente o que esperamos das empresas. Nós as fiscalizamos de perto e somos nós quem determinamos quando deve ser feita reposição de equipamentos em más condições, por exemplo. Também trabalhamos com índices de qualidade que precisam ser atingidos, sob pena de multa quando descumpridos — detalha Isfer.

Entre os entraves para a conclusão do edital porto-alegrense, estão as definições ainda em aberto sobre alguns detalhes da modelagem do metrô e sistema integrado de ônibus BRT.

Estão previstos três principais motes de linhas: um para a Zona Leste, outro para a Zona Norte e um terceiro para a Zona Sul. Conforme Cappellari, a intenção é que cada vencedora assuma apenas um mote.

Por ser pública, a Carris, que detém cerca de 22% do mercado, não deve ter alteração em sua participação. A proposta é de que siga com as linhas transversais, que cortam a cidade. As demais terão que participar da licitação.

O grupo para tratar do assunto foi formado no meio do ano passado, e uma equipe técnica foi formada em setembro. O trabalho é acompanhado pelo Ministério Público.

Fonte: Zero Hora


READ MORE - Em Porto Alegre, Transporte coletivo passará por licitação

São Paulo: Ônibus no Corredor ABD tem avaliação melhor que o Metrô

Os passageiros de transportes públicos da Grande São Paulo já têm a consciência da necessidade da ampliação de corredores exclusivos de ônibus.
É um dos aspectos revelados pela pesquisa da ANTP – Associação Nacional dos Transportes Públicos sobre a Imagem dos Transportes na Região Metropolitana de São Paulo.
Foto: Adamo Bazani

Em geral, a percepção dos passageiros em relação aos serviços de ônibus na Capital Paulista não é positiva. Das 3 mil 160 pessoas entrevistadas, 60% avaliam os serviços como regular, ruim ou péssimo. Já 40% avaliam como bons ou ótimos.

As impressões negativas aumentaram em relação à mesma pesquisa divulgada referente a 2010, quando 41% consideravam o serviços regulares, ruins ou péssimos e 59% achavam como bons ou excelentes. Praticamente o quadro se inverteu.

Quando a avaliação dos passageiros é sobre os serviços de ônibus em corredores, a percepção em relação a qualidade dos serviços tem um cenário bem diferente e a maioria aprova os serviços de ônibus.

De acordo com a pesquisa da ANTP, 54% dos entrevistados consideram os ônibus em corredores excelentes ou bons contra 45% de ruins, regulares ou péssimos.
A explicação desta diferença de resultados se dá pelo melhor desempenho, velocidade maior e mais conforto que um sistema de corredores proporciona.

Em corredores, os ônibus não ficam presos no trânsito e por isso conseguem oferecer mais confiabilidade em relação a cumprimento de horários e trajeto total da viagem. Além disso, apesar de existir, a lotação pode ser mais facilmente revertida em ônibus de corredores pela maior flexibilidade dos horários e disponibilidade dos veículos em operação de fato. O tempo que o ônibus fica fora da garagem é melhor aproveitado, já que sem enfrentar trânsito, os veículos de transportes coletivo conseguem fazer mais viagens.

É um recado claro para os responsáveis pelas políticas de mobilidade que a priorização dos transportes, inclusive com a construção de corredores de ônibus, deixou de ser um discurso de especialista e se tornou anseio da população.

CORREDOR ABD TEM MELHOR AVALIÇÃO QUE O METRÔ

Um exemplo de que os corredores de ônibus têm a preferência da população é o sistema operado pela Metra, o Corredor ABD, que liga São Mateus, na zona Leste da Capital Paulista, a Jabaquara, na zona Sul de São Paulo, pelos municípios de Santo André, Mauá (Terminal Sônia Maria), São Bernardo do Campo e Diadema, com extensão entre Diadema (ABC Paulista) e a região do Brooklin, na zona Sul de São Paulo.

De acordo com a pesquisa realizada em 2011, 79% das pessoas aprovam os serviços da Metra, o que indica melhoria em relação ao ano de 2010, quando 70% das pessoas aprovaram os serviços dos ônibus e trolebus do ABC Paulista.

O índice é superior ao da aprovação do Metrô, que conseguiu 74% de avaliações positivas. Em relação ao ano passado, o Metrô teve uma queda na aprovação de 10%. No ano passado, o metrô teve 84% de aprovação.
O melhor índice de aprovação do metrô foi em 1999, quando 96% das pessoas consideravam o sistema ótimo ou bom.
Mesmo com a expansão do metrô, a lotação das composições, problemas operacionais e rede ainda insuficiente colaboram para a queda no índice de satisfação.

Os ônibus intermunicipais da Região Metropolitana tiveram aprovação de 51% em 2011 contra 59% no ano de 2010.
Os trens da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos também tiveram queda na avaliação positiva. Em 2011, 48% aprovaram os serviços contra 54% em 2010. Lotação e intervalo entre as composições foram as principais queixas dos passageiros.

Os ônibus municipais, fora da Capital Paulista, que incluem o ABC e outras regiões tiveram a pior avaliação entre todos os modais: apenas 36% de aprovação em 2011. Uma expressiva queda em relação a 2010, quando foram aprovados por 55% dos entrevistados.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.


READ MORE - São Paulo: Ônibus no Corredor ABD tem avaliação melhor que o Metrô

Metrô de Salvador será entregue à população no primeiro semestre de 2012

O prefeito de Salvador, João Henrique, teve hoje (01), no Rio de Janeiro, uma reunião com o presidente da Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU), Francisco Carlos Caballero Colombo, que teve como pauta o início das operações do metrô. O consenso na reunião é de que o metrô vai estar circulando em fase de operação pré-assistida entre o trecho Estação da Lapa- Rótula do Abacaxi ainda no primeiro semestre deste ano. Colombo afirma que “o prazo de entrega do metrô à população através deste esforço conjunto do Governo Federal e da Prefeitura é o primeiro semestre de 2012”. 

Algumas questões técnicas como os últimos detalhes para o início da pré-operação foram acordados entre João Henrique e o representante do Governo Federal, como, por exemplo, a instalação de catracas, e outros equipamentos necessários para o início da operacionalização do metrô.

“Os testes iniciais foram um sucesso. As estações e as vias estão prontas. Estou acompanhando de perto todo o cronograma com o Governo Federal, através do Ministério das Cidades e a CBTU, que tem sido um grande parceiro. Então, estamos na reta final para a entrega do metrô à população de Salvador. É uma grande vitória e superação das adversidades. Aliada à nossa convicção, temos ainda o posicionamento do Governo Federal, que sinalizou também o primeiro semestre deste ano como o prazo final de entrega do metrô à população”, frisa JH.

O prefeito de Salvador viajou ao Rio de Janeiro acompanhado do chefe da Casa Civil, João Leão, e do secretário municipal de Transportes e Infraestrutura, José Mattos. Também foi pauta do encontro a reinauguração da Ponte São João, no Subúrbio Ferroviário, que será entregue à população em março.





READ MORE - Metrô de Salvador será entregue à população no primeiro semestre de 2012

Passagem de ônibus em Porto Alegre custará R$ 2,85

A prefeitura de Porto Alegre divulgou nesta terça-feira os novos preços do transporte coletivo na cidade. A passagem de ônibus passará a custar R$ 2,85 a partir de 6 de fevereiro. Já para as lotações, o valor será R$ 4,25, enquanto que a passagem escolar custará R$ 1,42. Amanhã inicia a divulgação do reajuste em cartazes nos coletivos.

Após a votação do Conselho Municipal dos Transportes Urbanos (Comtu), que indicou o novo valor de R$ 2,88, o prefeito José Fortunati (PDT) decidiu por um reajuste menor. A análise do acréscimo é feita a partir da planilha tarifária e da solicitação das empresas de transporte que indicou R$ 2,95.

A nova tarifa terá um reajuste de 5,56%, inferior ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do período que foi de 6,5%. "Levamos em consideração a manutenção da qualidade do serviço, da qual não abrimos mão, e o menor reajuste possível", afirmou Fortunati, ao destacar que 32% dos usuários pagam tarifa cheia, 28% tem isenção total e o restante tem algum outro tipo de abatimento.

Atualmente o salário dos motoristas e cobradores, segundo maior do País, representa 48% de impacto no preço da tarifa. Porto Alegre tem hoje 1.659 ônibus, dos quais 23% têm ar condicionado. Cerca de 51% dos veículos têm acessibilidade universal e estão distribuídos em todas as linhas da cidade.

Fonte: Terra



READ MORE - Passagem de ônibus em Porto Alegre custará R$ 2,85

Transporte público no Chile tem alta abusiva

Um novo aumento no já caro transporte público no Chile entrou hoje em vigor, medida questionada por parlamentares e organizações sindicais.
Segundo confirmou o Ministério de Transporte e Telecomunicações, a passagem de metrô aumentará em 20 pesos e chegará a 660 no horário de maior demanda de passageiros, montante equivalente a 1,37 dólares aproximadamente de acordo com a atual taxa cambial.

Um painel de assessores dessa pasta explicou que o aumento, o décimo durante a administração de Sebastián Piñera, tem origem no déficit de financiamento que tem o sistema da locomoção coletiva, além da influência acrescentada do valor do dólar, o IPC (Índice de Preços ao Consumidor) e o preço do diesel.

No entanto, a dirigente zonal da Central Unitária dose Trabalhadores Marcela Moncado criticou que a corda se rompa sempre pelo lado do mais fraco, quando os prejudicados serão os setores de menores rendimentos.

Assim a deputada socialista Clemira Pacheco considerou que o Estado devesse subsidiar o serviço de transporte como ocorre em outras partes do mundo.

Nesse sentido, o ministro de Transporte, Pedro Pablo Errázuriz, anunciou que em março próximo o Governo apresentará um projeto de lei para criar um fundo que subsidie de maneira permanente tanto ao Transantiago como o transporte em regiões.

" Até Quando!", fez notar uma faixa de um meio local depois de dar-se a conhecer a nova escalada.

"Mas como os economistas neoliberais não sabem fazer outra coisa", comentou Rede Diário Digital do Chile, "os chilenos continuamos condenados ao ajuste estrutural. A alta dos serviços de transporte sem compensação salarial é só um novo exemplo disso", indicou a publicação.

Há que apertar a quem têm um negócio garantido, que são as grandes empresas, cujos patrimônios cresceram de uma forma gigantesca, opinam referências do mundo social.

Uns 2,3 milhões de chilenos utilizam diariamente o Metro e o ônibus urbanos, identificados nesta cidade como Transantiago.

Fonte: Prensa Latina
READ MORE - Transporte público no Chile tem alta abusiva

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960