Novo terminal em Limeira passa receber todas as linhas da cidade

sábado, 14 de janeiro de 2012

Todas as linhas de ônibus de Limeira passam no novo terminal a partir deste sábado (14), como já esperavam os moradores. A mudança afeta as 29 linhas disponíveis na cidade, que antes paravam na Praça do Museu, que não oferecia estrutura adequada.

A estrutura no terminal facilita a vida dos moradores para embarque e desembarque, com sinalização para as linhas, banheiros e guichês específicos para a venda de passagens. A expectativa é que 70 mil usuários passem pelo local diariamente.

Os usuários do transporte público no município conviviam com a falta de infraestrutura há quatro anos, já que a praça que era usada de terminal não oferecia condições e as pessoas conviviam com o aperto e a sinalização era precária.

Outra mudança a partir deste sábado é que três pontos de ônibus deixam de existir. Os da Rua Dr. Trajano Barros Camargo, em frente ao número 200, e também o que fica em frente ao número 394; também o da Rua Barão de Campinas em frente à rodoviária.

Fonte: EPTV


READ MORE - Novo terminal em Limeira passa receber todas as linhas da cidade

Em Natal, Tarifa de ônibus não terá reajuste este ano

A prefeita Micarla de Sousa anunciou que não vai autorizar reajuste da tarifa de transporte coletivo em Natal este ano. A decisão foi comunicada por ela, no começo da tarde de ontem, aos  dirigentes do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município de Natal (Seturn), que haviam solicitado uma audiência para informar sobre o pedido de reajuste agora, em janeiro, o que elevaria em 10,9% o valor da chamada passagem inteira de ônibus.

O presidente do Seturn, Agnelo Cândido, teria pleiteado um aumento com base no aumento dos custos dos insumos, como a despesa com combustível, a inflação do período de um ano, elevação de pagamento da folha salarial dos funcionários das empresas e ainda investimentos na  melhoria da frota de ônibus.

Pela proposta do Seturn, representante das sete empresas de transporte coletivo que atuam em Natal, o valor da passagem de ônibus, que hoje é de R$ 2,20 desde 20 de janeiro do ano passado, data do último reajuste, passaria a ser de R$ 2,44.

A prefeita recebeu as informações do Seturn, mas argumentou que não permitirá que a população pague o preço do reajuste de passagem. "Não permitiremos que o trabalhador seja onerado com aumento de passagem este ano. É decisão tomada. Não teremos aumento de tarifa este ano", disse a prefeita.

Em 2010 foi o primeiro ano em que  a prefeita Micarla de Sousa decidiu não autorizar o reajuste da tarifa de transporte coletivo. No primeiro ano do seu mandato, em 2008, ela havia assinado um reajuste de 5,7% e em 2009 o índice chegou a 8,1%. O último reajuste foi de 10,0%.

CONTRAPARTIDA
Sem o reajuste tarifário da passagem de ônibus, a prefeita também decidiu que o Município deve arcar com uma contrapartida para desonerar os custos das empresas de transporte coletivo e já autorizou as áreas de finanças e tributação da prefeitura a realizar estudos para reduzir os impostos do setor, bem como estipular subsídio sobre o valor da tarifa do  Programa Passe Livre, no qual a população é beneficiada com a isenção de 50% na passagem inteira, pagando R$ 1,10 em espécie em dias de feriados e aos domingos. "Determino que minha equipe técnica estude maneira de desonerar os custos das empresas. Mas isso não poderá pesar no bolso do trabalhador. Isso nós não permitiremos", destacou a prefeita de Natal.

Participaram da reunião com a prefeita Micarla de Sousa, no Palácio Felipe Camarão, secretária municipal de Mobilidade Urbana, Elizabeth Thé, secretário adjunto de Transporte, Haroldo  Maia, secretário de Planejamento, Antonio Luna, o procurador Geral do Município, Bruno Macedo, o chefe da casa civil Kalazans Bezerra, vereador Heráclito Noé, secretário de Comunicação Social, Jean Valério, presidente do Seturn, Agnelo Cândido e diretor do órgão Sidney Norinho.

Empresas querem isenção de ICMS do óleo diesel

Diretor de Comunicação do Seturn e dono da empresa Cidade do Natal, o empresário Augusto Maranhão não participou da audiência de ontem com a prefeita Micarla de Sousa, mas ele disse disse que os custos financeiros do sistema de transporte coletivo "vai além da inflação", incidem custos baseados, por exemplo, no preço internacional do  petróleo, de onde derivam os principais insumos, como o combustível óleo diesel e lubrificantes.

Augusto Maranhão ainda afirmou que pesa no setor, o fato "de só ter um financiador, o usuário de transporte coletivo", que ao contrário de outros custos como os Programas do Restaurante Popular ou do Leite, não contam com subsídios governamentais para manter a frota em  circulação. No caso da decisão da prefeita de Natal em não autorizar o reajuste tarifário para o setor, Maranhão disse que, realmente, "tem de haver uma compensação financeira", como a redução do Imposto sobre Serviços (ISS), cuja alíquota é de 5% para o transporte coletivo municipal.

Para Maranhão, o governo estadual também poderia dar a sua contrapartida isentando de ICMS o óleo diesel, como já o fez para a aviação e para os barcos pesqueiros de atuns: "São essas distorções que encarecem o sistema de sistema de transporte coletivo".

Maranhão acrescenta que as áreas sociais do poder público deviam, ainda, bancar a gratuidade da passagem para idosos, a meia passagem estudantil e o sistema porta porta de portadores de deficiência, "como uma forma justa de proteger o bolso da população". Segundo Maranhão, alguns estados e capitais já deram a sua contribuição, com a isenção ou redução da alíquota de ICMS. "Se não tem reajuste, tem de existir outras formas de compensação", cobrou ele, para ressaltar ser essa, a primeira vez, que ouviu falar desse discurso pelo município de Natal.

A secretária municipal de Mobilidade Urbana, Elizabeth Thé, confirmou que já nesta segunda-feira, dia 16, a Semob deve se reunir com a área econômica da prefeitura e também com o procurador geral do Município, Bruno Macedo, para discutir uma forma de desonerar os custos das empresas de ônibus, conforme determinação da prefeita: "Nós deveremos ter uma posição já na terça-feira". O secretário municipal de Tributação, André Macedo, disse que não dá, ainda, para dizer se vai haver redução na aliquota de ISS, que é parte que cabe ao município, pois existem outras formas de desonerar os custos das empresas, como a flexibilização no recolhimento dos impostos.

Macedo infirmou no fim da tarde, "mas não tinha de cabeça os números", que o sistema de transporte coletivo está entre os seis maiores contribuintes de ISS em Natal.

Por Valdir Julião
Fonte: Diário de Natal



READ MORE - Em Natal, Tarifa de ônibus não terá reajuste este ano

Falta de subsídio e imposto embutido deixam tarifas de ônibus mais caras no Brasil

“Não são os empresários do transporte público a quem devemos condenar pelo preço das passagens de ônibus no país. Esse preço não é controlado pelos empresários e sim pelo próprio setor público. O problema é que em outros países há vultosos subsídios para baratear a tarifa, enquanto que aqui no Brasil os governos não tiram nem os impostos que estão embutidos na tarifa”. Esta declaração foi dada pelo consultor de empresas Janduí Finizola Benetti, especialista em transporte público, que esteve em João Pessoa, recentemente. O consultor atua profissionalmente na região Sudeste do país, especialmente na área de Belo Horizonte, cidade em que, como afirmou, tem poucas gratuidades e os estudantes não contam com direito a meia-passagem. “Pagam a passagem no mesmo valor dos demais passageiros”, destacou.

Quando questionado se realmente as passagens de ônibus no país estão caras, Janduí Finizola respondeu perguntando: “Quem gosta de aumento de preço que atinja seu próprio bolso?”. E completou: “Essa reclamação de preços deveria acontecer contra todos os serviços e produtos, porque todos esses preços têm aumentado. Mas, não se sabendo o porquê, as mobilizações só acontecem contra as tarifas dos ônibus, mesmo que sejam mobilizações com objetivos político-partidários e feitos por muito pouca gente... pessoas claramente com tendências político-partidárias”, afirma ele, justificando que “mesmo em cidades em que o preço da passagem é reajustado abaixo da inflação oficial, mesmo assim tem gente pra reclamar”.

O consultor Jurandir Finizola enfatizou ainda que um grande problema na questão tarifária do país, no caso do transporte público, decorre do fato de que os governos criam gratuidades e abatimentos para estudantes sem fazer a cobertura financeira necessária. “Dá um benefício como se fosse do governo e repassa o custo para quem paga a passagem no valor inteiro”, lembra ele.

O consultor fez ainda uma simulação relacionada à gratuidade e abatimento no transporte público: “Se você tem um grupo de quatro pessoas para pegar um ônibus e a conta total desses passageiros é de R$ 6,00, óbvio que caberia a cada um só R$ 1,50. Mas, como entre estas quatro pessoas tem um que diz ter passe livre e outro que diz que ter 50% de desconto, aquela passagem que era de R$ 1,50 igual para todo mundo vai ficar assim: a de passe livre não paga nada; a de meia-passagem paga R$ 1,20 e as duas outras vão pagar, cada uma, R$ 2,40 para poder completar a conta dos R$ 6,00. Ou seja, aquele valor inicial de R$ 1,50, nesta hipótese, sofreu uma variação a mais de 60%”, finaliza o consultor.

Fonte:
PB Agora


READ MORE - Falta de subsídio e imposto embutido deixam tarifas de ônibus mais caras no Brasil

No Rio, Modernidade para desafogar trens e ônibus

Alvo constante de reclamações de passageiros, o transporte público começa a dar sinais de que pode melhorar. Nesta quinta-feira chegaram ao Rio três dos 30 novos trens comprados da China pelo estado, que devem começar a circular em 45 dias. No setor de ônibus, a novidade é a modernização do Terminal Alvorada, na Barra, ponto importante de parada dos corredores expressos Transoeste e Transcarioca, em construção. Com duas passagens subterrâneas e 12 elevadores, a minirrodoviária terá capacidade para, em hora de pico, embarcar 13 mil pessoas e desembarcar seis mil. A promessa é de que não haverá fila no local.
Foto: Paulo Alvadia / Agência O Dia
Com 13 mil metros quadrados, o terminal terá 18 lojas nos subsolos, onde ficarão farmácias, jornaleiros, banheiros, bancos 24 horas e lanchonetes, além de quatro elevadores. De acordo com o arquiteto Jozé Candido Sampaio de Lacerda, responsável pelo projeto, o estacionamento que será criado no Alvorada terá 241 vagas para carros e 19 para ônibus articulados, que têm, cada um, 23 metros de comprimento.

“A previsão é que a obra fique pronta em maio. Uma das passagens subterrâneas sai da Cidade da Música e vai cortar todo o terminal. A outra vai interligar as três plataformas. Nenhum passageiro vai atravessar de uma plataforma para a outra pelas vias por onde passam os ônibus”, explicou o arquiteto.

Das três plataformas, uma será para os BRTs (os ônibus de trânsito rápido da Transoeste e Transcarioca). As demais são para os coletivos que levarão os passageiros até as paradas dos corredores expressos. O aumento do espaço no terminal permitiu também que fossem criadas aberturas que vão melhorar a ventilação. As catracas serão iguais às adotadas nas estações de metrô.

Redução de linhas
Primeiro dos corredores a sair do papel, em maio, o Transoeste (que vai ligar Santa Cruz à Barra da Tijuca) deve provocar a extinção de cinco linhas de ônibus que circulam na Zona Oeste. Outras 20 terão o itinerário alterado para que seus pontos finais e de embarque coincidam com as estações de BRT. Por dia, 220 mil pessoas devem usar o sistema da Transoeste.

Trens novos podem levar torcedores aos clássicos
O primeiro trem importado da China deve começar a circular nos trilhos da SuperVia até o fim do mês. No início, ele não ficará fixo num só ramal, será deslocado conforme a demanda. Em dias de shows e clássicos de futebol no Engenhão, por exemplo, os vagões importados podem ser usados.

As composições transportam 1.300 usuários, têm ar-condicionado, circuito de TV, câmeras, painéis eletrônicos que anunciam as estações e sistema de comunicação entre o Centro de Controle e os passageiros. “A qualidade do sistema vai melhorar bastante”, garante o subsecretário estadual de Transportes, Sebastião Rodrigues.

O primeiro trem novo chegou em dezembro e passa por testes com sacos de areia que simulam a presença de passageiros em curvas e acelerações. As três composições que chegaram ontem começam a circular mês que vem. Até julho, chegarão 30 composições, que devem estar nos trilhos até setembro. O estado comprará mais 60 e a SuperVia, mais 30. A concessionária vai modernizar 73 trens de sua frota atual, que receberão ar condicionado. O primeiro começa a circular até o fim do mês.

Bilhete Único mais caro dia 15
O Bilhete Único (BU) intermunicipal será reajustado domingo. A tarifa passará de R$ 4,40 para R$ 4,95, um aumento de 12,27%. Por esse valor é possível embarcar em dois meios de transporte com intervalo de duas horas e meia.

O valor das passagens de trens SuperVia vai aumentar no dia 2 de fevereiro. O bilhete vai saltar de R$ 2,80 para R$ 2,90. A concessionária está informando os passageiros por meio de cartazes e avisos sonoros veiculados em todas as estações.
 
Reportagem de Christina Nascimento e Diogo DiasFonte: O Dia Online



READ MORE - No Rio, Modernidade para desafogar trens e ônibus

Paulistanos desejam cidade mais sustentável e fluida para 2040

Para 2040, o maior desejo do morador da cidade de São Paulo é ter uma cidade que recupere a sua qualidade ambiental e tenha uma infraestrutura adequada para o tamanho e importância do município. Esse é o resultado da consulta pública SP2040, realizada pela prefeitura da cidade e pela Universidade de São Paulo (USP), com a participação de participação de 25,3 mil pessoas, que opininaram através de audiências públicas e pela internet.

A pesquisa indica que os moradores de São Paulo querem uma cidade, acima de tudo, sustentável (22,7%) e fluida, principalmente quando se trata de mobilidade urbana (21,18%).  Os principais projetos desejados são de revitalização dos córregos urbanos (21,78%), de agilidade no deslocamento na capital (20,92%) e de urbanização e acesso a cultura e lazer em qualquer ponto da cidade, inclusive favelas (18,15%).

Sobre a questão da fluidez da cidade, o secretário de Desenvolvimento Urbano, Miguel Bucalem, disse que uma das ações para lidar com o problema é criar nas áreas que já têm boa infraestrutura condições para uma ocupação e economia mais intensa. "Há um desequilíbrio entre a localização de emprego e moradia", disse o secretário, que considera primordial investir em transporte público de massa.

O programa prevê que um documento seja criado com o objetivo de orientar as políticas públicas municipais para que a cidade alcance os objetivos traçados. Entre os objetivos, estão a adequação de todos os viários e construções comerciais com base na norma ABNT de acessibilidade; ocupação de galpões abandonados; democratização do uso da terra e controle da especulação imobiliária; e a criação de ciclovias entre pólos comerciais ou industriais e os bairros.

Fonte: PINIweb



''Curtir e Seguir’' o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Paulistanos desejam cidade mais sustentável e fluida para 2040

EPTC diz que Porto Alegre não terá pedágio urbano

Mesmo com cada vez mais carros nas ruas da Capital, hoje são cerca de 720 mil, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) descarta qualquer possibilidade de implantação do pedágio urbano para acesso de veículos em qualquer área da cidade.

A condição deste tipo de iniciativa ficou aberta a partir da recente aprovação da Lei de Mobilidade Urbana, pela presidente Dilma Rousseff, que permite aos municípios cobrar pedágios para diminuir o tráfego de veículos em áreas de maior fluxo.

“Pedágio urbano, nem pensar. Investir, cada vez mais, na qualificação do transporte coletivo, em tecnologia, educação e em engenharia de trânsito, além da fiscalização. Estas são as nossas prioridades, lembrando também das diversas obras previstas para a Copa de 2014, que certamente darão uma maior mobilidade ao nosso trânsito”, afirma o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

Em investimento tecnológico, Cappellari lembra que são 56 as câmeras de monitoramento do trânsito, com previsão de 140 para a Copa. Outra novidade são os chamados laços virtuais – a gestão dos tempos de sinaleiras é feita através de câmeras que avaliam a fluxo de veículos. O modelo está em teste no cruzamento da Nilo Peçanha com Carazinho, ex-rótula da Encol: “Queremos ampliar este modelo, totalmente  aprovado,  para outros 33 cruzamentos da cidade, que apresentam trânsito mais pesado. Este projeto está em processo de licitação”, informa o diretor-presidente da EPTC.

Entre os 33 cruzamentos previstos para a gestão dos semáforos por laços virtuais estão os da Assis Brasil com Baltazar de Oliveira Garcia; Assis Brasil com Sertório; Benjamin Constant com Cristóvão Colombo; Érico Veríssimo com José de Alencar; Icaraí com Campos Velho; Ipiranga com Salvador França; Protásio Alves com  Saturnino de Brito e Voluntários da Pátria com Sertório.

Fonte: Jornal Já



READ MORE - EPTC diz que Porto Alegre não terá pedágio urbano

João Pessoa: Em 2002, o valor da tarifa era de R$ 0,95 contra os atuais R$ 2,20.

Entraram em vigor os novos valores das passagens de ônibus urbanos nos municípios de João Pessoa e Campina Grande. Na capital, a tarifa passou de R$ 2,10 para R$ 2,20 e em Campina Grande saiu de R$ 1,95 para R$ 2,10.

Apesar de o reajuste em João Pessoa este ano (4,78%) ter ficado abaixo da inflação (6,5%) medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), no acumulado da década a tarifa foi reajustada em 131,57% contra uma inflação de 87,89%, no mesmo período. Em 2002, o valor da tarifa era de R$ 0,95 contra os atuais R$ 2,20.

Na Rainha da Borborema, o índice de aumento foi de 7,69%, portanto acima da inflação. Em ambos os municípios, os prefeitos optaram por aprovar valores mais baixos que os sugeridos pelos respectivos Conselhos de Transportes (CTT, na capital e Comut em Campina) que haviam solicitado o reajuste para R$ 2,30 em João Pessoa e R$ 2,20 no interior.

O diretor-executivo da Associação das Empresas de Transporte Coletivo de João Pessoa (AETC-JP), Mário Tourinho, explicou que o reajuste é consequência do aumento nos custos do serviço de transporte, somado ao número crescente de gratuidades concedidas. “Elaboramos planilhas detalhadas dos custos operacionais que as empresas tiveram para manter nas ruas os ônibus prestando um serviço de qualidade. Elas foram submetidas ao Conselho que entendeu a necessidade do reajuste”.

Tourinho explicou ainda que no sistema de transporte por ônibus, a tarifa é a única forma de remuneração dos serviços prestados, ao contrário dos sistemas de trens urbanos, que são subsidiados pelo poder público. “O reajuste é necessário para garantir que se possam aumentar os salários dos funcionários das empresas, para garantir a compra de veículos novos, além de cobrir os custos com manutenção dos ônibus, combustíveis e mão de obra”, argumentou.

Para o consultor financeiro Gustavo Baía, o aumento no valor das passagens de ônibus afeta de maneira negativa o orçamento das famílias de baixa renda, maiores usuárias dos serviços.

“Quando o reajuste ultrapassa a inflação, o consumidor do serviço sente de forma mais intensa. Este ano, especificamente, o público sentirá de forma mais amena esse impacto porque o salário mínimo subiu 14,12%”, explicou.

Com relação ao acúmulo de 131,57% no reajuste dos transportes públicos registrado na capital entre os anos de 2002 e 2011 que excedeu a inflação (87,89%) no mesmo período, Guilherme Baía esclarece que isso ocorre porque no caso da capital, a AETC é a única fornecedora do serviço e isso lhe dá poder de estabelecer frente à Prefeitura os valores que serão reajustados.

“A população de João Pessoa se acostumou aos abusos e não protesta, apesar de estar sendo lesada. Os únicos que ainda vão às ruas são os estudantes o que é insuficiente para mudar as coisas. O panorama só pode mudar quando os usuários reclamarem seus direitos”, disse.




READ MORE - João Pessoa: Em 2002, o valor da tarifa era de R$ 0,95 contra os atuais R$ 2,20.

Guarujá recebe 11 novos ônibus adaptados neste domingo

A Prefeitura de Guarujá e a empresa de transporte público Translitoral entregam mais 11 novos ônibus adaptados para entrar em circulação na Cidade, a partir das 9 horas. A solenidade acontece em frente à Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Amaro (Praça da Matriz, s/n – Centro). Com estes novos veículos, Guarujá alcança 87% de sua frota operacional totalmente adaptada às pessoas com deficiência.

Nos últimos três anos, Guarujá teve sua frota renovada com a entrega de cerca de 80 novos ônibus adaptados. Com a aquisição desses veículos, a idade média da frota é de três anos, o que representa mais conforto e segurança ao cliente.

A melhoria na qualidade de transporte com estes novos ônibus será de que 96% das viagens realizadas no domingo e feriados serão com veículos adaptados; aos sábados 91%, e nos dias úteis 86% das partidas são realizadas com ônibus totalmente acessíveis.

Domingo é dia de ônibus gratuito –Neste 15 de janeiro, Dia de Santo Amaro, os usuários do transporte coletivo de Guarujá poderão andar nos ônibus de graça. A gratuidade começa a valer a partir da zero hora de domingo. A ação faz parte das comemorações em homenagem ao Santo.

O Passe Livre (gratuidade da tarifa) no dia 15 de janeiro foi instituído pelo decreto 8.842/ 2010, assinado pela prefeita de Guarujá Maria Antonieta de Brito no dia 13 de janeiro de 2010, considerando a data comemorativa do Dia do Padroeiro da Cidade; a implantação de política social de incentivo à mobilidade, ao lazer e à cultura e a busca da qualidade de vida e resgate da cidadania. A partir de então, a passagem é gratuita todo dia 15 de janeiro.

“A instituição do passe livre tem como objetivo incentivar à mobilidade da população ao lazer e à cultura, na busca da qualidade de vida e o resgate da cidadania de nossos munícipes”, explicou Maria Antonieta.

Gratuidade aos 60 anos– Em 15 de janeiro de 2010, também foi instituído, no Decreto nº 8.840, que as pessoas maiores de 60 anos não pagam mais a passagem nos ônibus municipais de Guarujá.

Tarifa social –Conquista do povo de Guarujá, a tarifa social foi implantada em 2010, por meio do decreto 8.841, da prefeita Maria Antonieta de Brito. De acordo com o decreto, os usuários dos ônibus em Guarujá pagam metade da tarifa do ônibus (R$ 1,70) em cada ultimo domingo do mês.

Fonte: Prefeitura de Guarulhos



''Curtir e Seguir’' o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Guarujá recebe 11 novos ônibus adaptados neste domingo

Plano de Mobilidade de Aracaju já está sendo elaborado

No final da tarde desta quarta-feira, 12, o prefeito Edvaldo Nogueira promoveu a primeira reunião com a equipe do instituto Rua Viva, que venceu a licitação para a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana de Aracaju. O superintendente Municipal de Transportes e Trânsito, Antônio Samarone, acompanhado do consultor do instituto, Ricardo Mendanha, foi ao gabinete do prefeito para a definição da data de apresentação dos primeiros estudos técnicos à sociedade aracajuana.

“Na parte da manhã eles sobrevoaram a cidade de helicóptero para observação e estudo do trânsito, onde fizeram análises preliminares. Já posso adiantar que no próximo dia 02 de fevereiro iremos conceder entrevista coletiva para apresentar à imprensa o planejamento que está sendo elaborado pelo instituto Rua Viva. Ainda no dia 02, à noite, iremos realizar um grande seminário com a sociedade para que possamos discutir as primeiras idéias do Plano de Mobilidade”, informou o prefeito.

O superintendente Antônio Samarone se disse entusiasmado com o andamento dos trabalhos. “A equipe da Rua Viva já está ouvindo a sociedade e no dia 02 estaremos apresentado todo o cronograma do Plano. Nesta sexta-feira, 13, iremos ouvir os membros da sociedade Semear. Em breve também iremos nos reunir com especialistas da Universidade Tiradentes e com técnicos do DER para o diagnóstico do trânsito da capital”, destacou.

Samarone adiantou que a participação de toda a sociedade é fundamental para o sucesso da elaboração do plano. “Queremos ouvir os órgãos e entidades competentes, especialistas e a população em geral. Iremos abrir canais de diálogo para que todos possam dar sua sugestão. Iremos, inclusive, abrir canais de diálogo na Internet para que esse público também possa contribuir”, disse o superintendente.

Também participaram da reunião com o prefeito de Aracaju, a chefe de Gabinete, Fabiana Pinho; a diretora de transporte público, Shirley Barbosa e o diretor de planejamento e sistemas da SMTT, Fernando Nunes.

Fonte: FAXAJU



READ MORE - Plano de Mobilidade de Aracaju já está sendo elaborado

No DF, Queixas contra o transporte público no Entorno aumentaram 67% em 2011

A cada dia, uma média de oito passageiros reclamam do transporte público oferecido no Entorno. As queixas feitas na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aumentaram 67,47% no ano passado.

Foram 3.182 registros contra 1,9 mil em 2010 (leia quadro). Superlotação, veículos em más condições, sem documentação e equipamentos obrigatórios de segurança são infrações recorrentes.

Todas as empresas que ligam o Entorno a Brasília apresentaram mais de 50% de aumento nas denúncias. Em 2011, elas receberam pelo menos mil multas da agência.

A reportagem flagrou ontem casos de desrespeito com os passageiros. Ônibus lotados, com pneus carecas, sujos e que circulam fora do itinerário fazem parte da rotina dos moradores do Entorno, que, em geral, acordam antes mesmo das 5h para ir ao trabalho.

Cheios, os primeiros veículos passam direto nas últimas paradas e os passageiros são obrigados a esperar o próximo carro.

Não bastasse o descaso, a população ainda sofre com a sujeira dos coletivos e a pressa dos motoristas, preocupados em chegar ao destino no horário marcado.

Em Águas Lindas de Goiás, os passageiros esperam muito tempo por um coletivo. É o caso da diarista Sandra Souza Silva, 44 anos.
Moradora do Jardim V, ela aguardou uma hora até passar o ônibus que fazia a linha Plano Piloto/Eixo. “É muito ruim. Já cheguei atrasada ao emprego por causa disso. Quando perdemos um ônibus ficamos sem saber que horas o outro passa”, disse.

O porteiro Marcos Antônio Pereira, 45 anos, afirma que é comum os ônibus do município quebrarem. “Alguns têm mais de 10 anos e continuam trafegando. Os bancos são soltos e os ferros das cadeiras enferrujados, mas aqui não tem fiscalização e fica por isso mesmo. Ninguém resolve”, destacou.
Quando chove, o problema é ainda pior. Em muitos carros, as borrachas de vedação das janelas estão danificadas e a água molha quem está sentado.

Quem depende do transporte público também reclama do preço da passagem, que varia entre R$ 3 e R$ 4,50. “Sem contar que uma empresa não recebe vale-transporte de outra. A gente fica à mercê deles (dos empresários)”, reclamou a dona de casa Rosária Alves dos Santos, 32 anos.

Apenas uma empresa opera em Santo Antônio do Descoberto. São 93 ônibus para atender a população de mais de 60 mil habitantes. Sem opção, os coletivos andam lotados.

Idosos, portadores de necessidades especiais, grávidas e mulheres com crianças de colo são os que mais sofrem com o transporte precário.

É comum ver jovens ocupando assentos preferenciais. O aposentado Pedro Alves, 73 anos, diz que costuma ceder o lugar para mulheres e grávidas.
“Estou acostumado e ainda aguento ir em pé. Empresa nenhuma quer colocar mais ônibus para circular porque seria menos dinheiro para eles (empresários)”, disse.

Sem autorização
Na manhã de ontem, um ônibus da empresa Rápido Planaltina placa JJF-0956/DF, com destino a Planaltina de Goiás, estava com um pneu traseiro liso.

A ANTT informou que o carro não tem autorização para circular e encaminhará o caso para a fiscalização. Quem anda em transporte desse tipo teme pela segurança.
“É sempre esse caos, sem contar que o carro quebra praticamente todo dia. Ontem (terça-feira) mesmo eu peguei um e quebrou na altura de Sobradinho”, contou a vendedora Antônia Souza, 35 anos, moradora do Setor Leste.
Outros ônibus da Viação Monte Alto também apresentaram problemas, como borrachas e letreiros com o número da linha danificados.

O carro número 2.020 já havia sido lacrado, mas voltou a operar por determinação judicial. Em outro carro da mesma empresa, para diminuir a quantidade de água, os passageiros colocaram sacolas plásticas e papel higiênico nas laterais.

A sujeira incomodava passageiros, mas sem opção de transporte eles preferiram não reclamar da situação. “Colocaram em maio ônibus para gente. Antes, a gente descia muito longe de casa. Pelo menos agora temos uma linha que passa no Setor Norte e está quebrando um galho”, comentou Reinilda Alves, 47 anos.

Em um ônibus da Viação Anapolina com destino a Luziânia, o suporte do retrovisor apresentava rachaduras nas duas pontas e ameaçava cair.

Mesmo assim, o motorista seguiu destino. “Eu já peguei ônibus mais velhos, mas esse aqui está bom e comigo quase não quebra. A dificuldade maior é mesmo a superlotação. De manhã, é tão cheio que o restante dos passageiros em outras paradas não entram”, contou a aposentada Anita Rodrigues da Silva, 65 anos.

A reportagem entrou em contato com o presidente da Associação dos Empresários dos Transportes do Entorno,Carlos Alberto Medeiros, mas, até o fechamento desta edição, ele não havia retornado os recados deixados na caixa postal de seu celular.

Acidentes
Na última terça-feira, 39 pessoas ficaram feridas em três acidentes com ônibus. Dois casos — um na DF-128, perto de Planaltina, e outro na BR-040, na entrada de Luziânia (GO) — envolveram coletivos que atendem a população do Entorno.

O da Rápido Brasília, que colidiu na caçamba de um caminhão e envolveu outros dois veículos, tinha 15 anos de uso.

Fonte: Correio Braziliense, Por Mara Puljiz, Lucas Tolentino



READ MORE - No DF, Queixas contra o transporte público no Entorno aumentaram 67% em 2011

São Paulo: Viva Pinda anuncia aumento da tarifa

A empresa de transporte público Viva Pinda anunciou que, a partir da 00 hora do dia 16 de janeiro, a tarifa de R$ 2,55, dos ônibus urbanos, será reajustada para R$ 2,75, o que representa reajuste de 7,84%, de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de dezembro de 2010 a dezembro de 2011.

Foto: Saulo Fernandes
 De acordo com a empresa Viva Pinda, o valor de R$ 2,75 é a menor tarifa de transporte municipal no Vale do Paraíba e Litoral Norte. O transporte público de Pindamonhangaba conta com frota 100% com acessibilidade para atender os deficientes.

O último reajuste da tarifa do transporte público, em Pindamonhangaba, ocorreu em janeiro de 2011, quando o valor de R$ 2,40 foi alterado para R$ 2,55, representando reajuste de 6,25%, no período.

João Machado, gerente geral da empresa Viva Pinda, explica que o reajuste é correspondente à inflação do período. O aumento da tarifa é realizado anualmente.




''Curtir e Seguir’' o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - São Paulo: Viva Pinda anuncia aumento da tarifa

Cuiabá: Atualização cadastral do passe livre 2012 tem mudanças

Com a proximidade do início do ano letivo, estudantes que já utilizam o benefício do passe livre no transporte público devem fazer recadastramento na própria escola, sem a necessidade de comparecer na Associação Mato-grossense dos Transportadores Urbanos (MTU). Apenas os alunos que nunca fizeram o cartão deverão recorrer à agência da MTU, munidos dos documentos necessários (citados abaixo).

O sistema online diminui filas e facilita o recadastramento por necessitar apenas do login e senha do aluno, que serão informados pela escola no momento da matrícula. O diretor ou funcionário responsável da escola acessa o sistema, através do site da MTU: www.amtu.com.br e segue atualizando os dados dos alunos. Antes disso, o sistema solicitará a atualização dos dados da escola.
A partir daí, basta digitar o nome do aluno e atualizar os dados pessoais como nível de ensino (séries) e o período em que irá frequentar as aulas (matutino, vespertino ou noturno). Após este processo de atualização nas instituições de ensino, ainda são necessárias 72h para que essas informações cheguem ao ônibus.
Volta às aulas
No último dia letivo de 2011, ao validar o cartão estudantil na escola os alunos receberam um crédito para retornar à residência e um crédito para ir à escola no primeiro dia de aula do ano letivo de 2012. Caso o aluno tenha utilizado seu crédito indevidamente, o mesmo terá de pagar a passagem.
A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes Urbanos (SMTU) reforça a necessidade de manter rigor nas providências para inibir o desperdício e o uso indevido do passe-livre. Para que este benefício não seja ameaçado por má gestão, estão sendo conclamados os diretores, coordenadores e secretários de escolas a adotarem providências no sentido de impedir a utilização do benefício por pessoas alheias à discência.
Estreia
Para os alunos que nunca foram usuários do passe livre é preciso imprimir e preencher o formulário disponível no site da MTU www.amtu.com.br, e levá-lo à escola para obter a assinatura e carimbo do diretor. 
Com os documentos exigidos (citados abaixo) e o formulário, o aluno deve procurar a agência da MTU na Rua Joaquim Murtinho (Centro) para o primeiro cadastro. No prazo de sete dias, o cartão do passe livre já estará disponível ao estudante na agência central.
Móvel 
Neste ano a MTU tem uma novidade, 10 instituições de ensino irão receber o MTU-Móvel que estará cadastrando alunos na própria escola de 16 de janeiro a 28 de janeiro, como descrito na tabela a seguir:
Escolas    Data do Projeto
Liceu Cuiabano    16 e 17/01
Presidente Médice    18 e 19/01
André Avelino    20 e 23/01
UNIRONDON    02 e 03/02
UNIVAG    06 e 07/02
Dione Augusta    08 e 09/02
UNIC    10 e 13/02
ICE    14 e 15/02
UFMT    27 e 28/02
Documentos necessários para cadastro do Passe Livre (alunos que não tem cadastro)
 - Cópia de RG
- Cópia do CPF ou Certidão de Nascimento
- Comprovante de Residência (conta de energia, água),
- Formulário assinado pelo diretor da escola
Informações para alunos e diretores: 0800- 646-2544 e 3313 -7600





READ MORE - Cuiabá: Atualização cadastral do passe livre 2012 tem mudanças

Transporte coletivo de Porto Velho será monitorado por GPS

A prefeitura de Porto Velho, através da Secretaria de Municipal de Transportes e Trânsito (Semtran), começa a implantar os sistemas de modernização nos ônibus de transporte coletivo, visando melhor atender aos munícipes.

Na manhã desta sexta-feira, dia 13, aconteceu no gabinete do secretário adjunto municipal de Transportes e Trânsito, João Marcos, uma reunião para tratar dos ajustes dos últimos detalhes para a implantação dos GPS´s, um sistema de monitoramento dos coletivos. Além do adjunto, participaram da reunião o coordenador municipal de Transportes, Rogério Viana, o representante das empresas de transportes Rio Madeira, 3 Marias e do Sindicato das Empresas de Transportes/SET, Carlos Baraúna e com Rafael Lagos, Gerente de Projetos da Transdata, empresa contratada para instalar os equipamentos.

Com a instalação dos GPS´s futuramente a população poderá acompanhar os horários e seus respectivos itinerários, tendo a certeza que naquele determinado ponto o ônibus irá passar, dando assim maior comodidade, agilidade e rapidez no percurso.As informações da localização dos ônibus serão transmitidas em tempo real para a Central. Com essas informações em tempo real, será possível ajustar os horários dos itinerários, evitando assim a demora nas paradas de ônibus.

Fonte: Semtran



READ MORE - Transporte coletivo de Porto Velho será monitorado por GPS

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960