Em Campinas, Usuários estão impedidos de comprar Bilhete Único pelo 4º dia seguido

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Pelo quarto dia consecutivo está fora do ar o sistema que permite a recarga do Bilhete Único do transporte público em Campinas. De acordo com a Transurc, a expectativa é de que tudo seja normalizado na manhã desta terça-feira (3).
Se voltar ao normal, os usuários poderão efetuar a compra do passe pelo valor de R$ 2,85 e não de R$ 3, nova tarifa que entraria em vigor no dia 1º de janeiro.

O Caso
O sistema de dados do Bilhete Único começou a ter problemas no sábado (31/01) após uma queda de energia elétrica no bairro Botafogo e na região central. Sábado era o último dia em que os passageiros poderiam comprar o passe a R$ 2,85, valor que seria reajustado para R$ 3 no domingo.

Fonte: EPTV


READ MORE - Em Campinas, Usuários estão impedidos de comprar Bilhete Único pelo 4º dia seguido

Rio de Janeiro: Ônibus com ar condicionado e de integração com metrô aumentam

Após o reajuste dos ônibus convencionais, a Prefeitura do Rio autorizou o aumento das tarifas para os ônibus urbanos com ar-condicionado e os que fazem a integração ônibus-metrô. Os novos valores estão em vigor desde o primeiro minuto desta segunda-feira. Segundo a Secretaria municipal de Transportes, o cálculo da nova tarifa teve como base os contratos de concessão do sistema convencional de transporte coletivo por ônibus. (Confira a tabela com as novas tarifas)

Os valores máximos das tarifas do programa de integração intermodal metrô-ônibus são: para distâncias iguais ou menores a 30 quilômetros, a tarifa passa a ser R$ 4,15. Para coletivos que rodam entre 30,1 e 50 quilômetros, o valor é R$ 4,35. Entre 50,1 Km e 70 quilômetros, o custo é de R$ 4,50. Para viagens entre 70,1 e 90 quilômetros, os passageiros vão pagar R$ 4,55. Já as passagens para coletivos que rodam mais de 90,1 quilômetros, o valor é de R$ 6.

Já os ônibus equipados com ar-condicionado, incluindo micro, os miniônibus, midiônibus e urbanos (convencionais) tiveram suas novas tarifas estabelecidas de acordo com o percurso percorrido no município do Rio. Para ônibus urbano tipos I e II, com ar-condicionado: para distâncias iguais ou menores a 30 quilômetros, a tarifa passa a ser R$ 2,85. Para coletivos que rodam entre 30,1 e 50 quilômetros, o custo é de R$ 3,10. Entre 50,1 Km e 70 quilômetros, o custo é de R$ 3,30. Para viagens entre 70,1 e 90 quilômetros, os passageiros vão pagar R$ 3,40. Já as passagens para coletivos que rodam mais de 90,1 quilômetros, o valor é de R$ 5,40.

A partir desta segunda-feira, o Bilhete Único Carioca dos ônibus passou de R$ 2,50 para R$ 2,75 (10%). No primeiro minuto de domingo, o pedágio da Linha Amarela para carro de passeio saltou de R$ 4,30 para R$ 4,70 (9,3%). Em Niterói, a partir desta segunda-feira, as passagens de ônibus ficaram mais caras: sobem de R$ 2,50 para R$ 2,75, o que representa um aumento de 10%.


READ MORE - Rio de Janeiro: Ônibus com ar condicionado e de integração com metrô aumentam

No Recife, População pede mais linhas de ônibus opcionais com ar condicionado

Foto: Blog Meu Transporte
Hoje para poder usar o ônibus com ar condicionado, só usando as linhas opcionais, que em horários de pico já estão praticamente lotados, ou seja, o usuário pagaria sim um pouco a mais para ter mais conforto em sua viagem, com ônibus mais confortáveis e climatizados.

Hoje linhas como Candeias e Aeroporto são bastante disputadas nas paradas, e o preço para muitos é mais que justo, para uma viagem na linha Candeias, o usuário desembolsa R$ 3,75, uma grande vantagem visto que a linha convencional para o mesmo percurso custa R$ 3,10, ou seja, com mais R$ 0,65 centavos, você vai para casa num ônibus confortável e climatizado.

Para muitos recifenses, faltam mais linhas opcionais na cidade, e com essa onda de calor, andar num ônibus com ar condicionado é tudo de bom, mesmo que tenham que pagar a mais pelo serviço, e além de melhorar a qualidade, pode atrair de volta pessoas  que abandonaram o transporte coletivo, e bairros como Aflitos, Casa Forte, Parnamirim, Graças, Ipsep entre outros poderiam sim receber linhas executivas opcionais, na qual muitos deixariam seus carros em casa e pegariam essas linhas, claro que desde que tivessem horários disponíveis e regulares.

Além do mais que hoje é possível embarcar nas linhas opcionais usando o VEM Trabalhador e o Comum.

Empresas não compram mais ônibus climatizados para ônibus normais
Recife 40 graus, e que falta faz um ônibus com ar condicionado, pois é apesar da cidade ter recebido uma renovação em torno de 400 ônibus novos, ficou um pouco a frustração da falta dos coletivos climatizados, eles que no começo do ano 2000, logo após a retirada do transporte clandestino (kombis e vans) invadiram a cidade aos poucos foram sumindo novamente sobe alegação de altos custos de manutenção, porém a retirada total dos ônibus com ar condicionado faz com que o transporte coletivo da cidade perca um pouco a sua comodidade, visto o calor que está fazendo na cidade nesta época de sol.

Linhas como CDU/Caxangá/Boa Viagem que chegou até toda sua frota com ônibus climatizados se depara hoje, 10 anos depois com nenhum ônibus sequer com ar condicionado.

Resposta – Atualmente o Grande Recife disponibiliza o sistema opcional, que é operado com ônibus refrigerados. Quatro linhas compõem esta frota, das quais duas foram implantadas em 2011. Por se tratar de um serviço opcional, as linhas possuem tarifa diferenciada.

O Consórcio avalia a possibilidade de criar novas linhas opcionais para quem deseja utilizar o serviço com ar-condicionado pagando um pouco mais caro. Contudo, os usuários que não optarem pelo serviço opcional podem utilizar o serviço das linhas convencionais.

No entanto, com a construção dos corredores para Bus Rapid Transit (BRT) – Norte-Sul, Leste-Oeste e BR-101 – os novos ônibus que irão circular nestes locais contarão com sistema de ar-condicionado. O projeto já foi licitado e as obras iniciam no primeiro semestre de 2012, com conclusão prevista para 2013.

Blog Meu Transporte



READ MORE - No Recife, População pede mais linhas de ônibus opcionais com ar condicionado

Corredor de ônibus no DF é “questão de justiça”, diz especialista

Começou a funcionar no dia 27 de dezembro o primeiro corredor de ônibus de Brasília (DF). A faixa exclusiva abrange 8 quilômetros da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), indo do viaduto do Pistão Sul de Taguatinga até a entrada do viaduto da Candangolândia, nos dois sentidos e em todos os horários.

Segundo o site do Transporte Urbano do Distrito Federal (DF Trans), a obra beneficia uma região com cerca de 415 mil habitantes (Samambaia, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II e Núcleo Bandeirante), além dos que usam a via oriundos de Taguatinga Sul, Park Way, Arniqueiras e Águas Claras.
Foto: Pedro Ventura
Para o professor de Engenharia de Tráfego da Universidade de Brasília Paulo Cesar Marques da Silva, a medida é acertada, mas insuficiente. “A criação da faixa exclusiva é, acima de tudo, uma questão de justiça. É uma maneira correta de tirar os ônibus do congestionamento, que é provocado por excesso de automóveis, não de ônibus. Os passageiros do transporte coletivo não devem ser penalizados por isso”, argumenta.

Segundo dados divulgados pela DFTrans, automóveis e caminhões particulares representam 94,26% dos veículos que trafegam na EPNB, mas levam apenas 29,29% das pessoas que passam pela via. Enquanto isso, os ônibus representam 5,74% do total de veículos, mas levam 70,31% dos passageiros.

“Cada automóvel carrega, em média, 1,2 pessoas, enquanto nos horários de pico um ônibus leva cerca de 80 pessoas. A infraestrutura viária precisa ser compartilhada de maneira equânime entre os usuários, não entre os veículos”, completa.

Dados preliminares da DFTrans dão conta de uma diminuição de 10 minutos no tempo de viagem no trecho entre o Recanto das Emas e a Rodoviária do Plano Piloto. Antes realizada em 1h05, a viagem de ônibus entre os dois pontos passou a ser feita em 55 minutos em média após a inauguração da faixa exclusiva. A redução representa uma economia de 15% do tempo utilizado antes.

“É uma redução bastante significativa, especialmente se considerarmos que o trajeto inclui trechos que não possuem faixa exclusiva. Ou seja, essa redução no tempo total se deu com uma intervenção em apenas 8 km da estrada”, avalia. Segundo pesquisa no Google Maps, o trecho total é de 35,7 km.

Segundo a DFTrans, está em estudo a ampliação da faixa exclusiva da EPNB até o viaduto Camargo Corrêa, passando pela Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia) e Estrada Parque Guará (EPGU).

Ao todo, a faixa teria cerca de 12 quilômetros de extensão. Além disso, há planejamento para outras sete faixas exclusivas:
1- BR-020, entre Sobradinho I e a entrada da ponte do Bragueto (dois sentidos).
2- BR-040, entre o viaduto de Santa Maria e o viaduto da Candangolândia (dois sentidos).
3- Eixo Monumental, entre o Cruzeiro Velho e a Rodoviária do Plano Piloto (dois sentidos).
4- Hélio Prates, entre o Centro/Feira de Ceilândia e o antigo Buritinga (dois sentidos).
5- DF-085, entre o Estádio e até o Centro de Taguatinga.
6- Via Estrutural, entre a Cidade do Automóvel e a entrada do viaduto Ayrton Senna (pico da manhã).
7- Via Estrutural, entre o posto do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar e o viaduto do Pistão Norte (pico da tarde).
Segundo Paulo Cesar Marques, os trechos citados são normalmente sujeitos a congestionamentos e a implantação dos corredores pode ajudar a diminuir o trânsito. “É onde acontece a saturação do trânsito, é justo que haja a faixa exclusiva. Mas é preciso tomar medidas que afetem o sistema como um todo, como a integração das viagens, que reduziria o gasto dos passageiros”, completa.
“O corredor por si só não vai fazer as pessoas que andam de carro passarem a utilizar ônibus. É preciso investimento no sistema, como aumentar o número de veículos para diminuir a lotação nos horários de pico e dar maior conforto, aumentar a confiabilidade no cumprimento dos horários, melhorar a qualidade dos veículos para diminuir o número de carros quebrados, entre outros”, destaca.




READ MORE - Corredor de ônibus no DF é “questão de justiça”, diz especialista

Em Belém, Sistema de Transporte BRT já vai dando o que falar

A desembargadora Dahil Paraense de Souza, que ficou apenas um dia no plantão judiciário, cassou na sexta-feira, 30, a liminar da juíza Margui Gaspar Bittencourt, concedida no dia de Natal a uma empresa de engenharia, e que determinava a suspensão da divulgação do resultado da concorrência pública internacional da Prefeitura de Belém, que tem projeto de R$ 430 milhões para implantação do Ônibus de Trânsito Rápido (BRT), que ligará Icoaraci ao bairro de São Braz, num percurso de 20 quilômetros. A juíza Margui observou que havia irregularidades, como ausências de fonte de recursos e apresentação da prova de capacidade técnica dos profissionais e das empresas concorrentes.
Foto: Agência Pará
Ao deferir um agravo de instrumento em favor do Município de Belém, contra a decisão da juíza, Dahil Paraense, que é também corregedora de Justiça das Comarcas de Belém e Região Metropolitana, manteve para hoje, a partir das 9h, a audiência de recebimento e abertura das propostas com o nome da empresa vencedora. “Não se configuram as supostas irregularidades apontadas, tendo em vista que a cláusula segunda do edital indica o recurso orçamentário da obra a ser realizada e caso não houvesse fonte de custeio da obra sequer poderia ser realizado o procedimento licitatório”, afirma a desembargadora na decisão - o DIÁRIO teve acesso à íntegra, de quatro laudas.

Dahil Paraense diz ainda que, caso sejam constatadas irregularidades, poderá a licitação ser anulada durante o julgamento do mérito, “sem qualquer prejuízo à parte impetrante, que poderá participar de nova licitação sem qualquer prejuízo, prestigiando-se assim o interesse público sobre o particular”. Para a juíza, não ficou comprovado que as exigências técnico-operacionais do edital seriam excessivamente abusivas.

Quanto ao argumento de que não haveria no edital apresentação da prova de capacidade técnica dos profissionais e das empresas concorrentes, a desembargadora salienta que a matéria exige apresentação de provas, o que não caberia em mandado de segurança. Caso aceitasse a alegação, ela diz que estaria invadindo a esfera da administração pública “para regulamentar ou reduzir as exigências” do edital.

Projeto se superpõe a outros já no papel e mexe com várias áreas

No projeto de Ônibus de Trânsito Rápido (BRT) da prefeitura de Belém, nas avenidas Almirante Barroso e Augusto Montenegro, estão previstos terminais de passageiros cujas localizações implicarão em desapropriações de diversas áreas onde estão instalados comércios, hotéis, creches, empreendimentos com financiamento da Caixa Econômica - cujas unidades estão em negociação - e ainda, uma área destinada ao Estádio Olímpico Mangueirão.

Na Augusto Montenegro, por exemplo, um dos terminais se localiza na confluência dessa avenida com a Estrada da Maracacuera (Outeiro), chamado Terminal de Icoaraci. Nesse local está sendo construído o Residencial Vila Pinheiro, da construtora Ckom Engenharia, além do futuro Supermercado Armazém Auto Serviço.

MANGUEIRÃO

Outro terminal seria localizado em área do Estado, sem anuência e conhecimento por parte do governo, na área do estádio Mangueirão, onde está prevista a construção do ginásio poliesportivo contido no projeto “Parque de Esporte e Lazer do Estado do Pará”, compromisso já divulgado na agenda mínima do governo .

Em São Braz, o projeto prevê mais um terminal, em área de 16.500 metros quadrados, abrangendo a área onde hoje se localizam a Praça do Operário, o estacionamento do Terminal Rodoviário, o asilo e a creche Lar de Maria, além de lojas contíguas ao prédio pela avenida Almirante Barroso e pela rua Cipriano Santos. A entrada dessa rua seria desviada para favorecer o projeto de Duciomar Costa.

SILÊNCIO

Embora o projeto da prefeitura para implantação do ônibus de trânsito rápido sobre canaletas seja igual ao do governo do Estado em parceria com a Agência de Coperação Internacional do Japão (Jica) -com a diferença significativa de que o primeiro, avaliado em R$ 430 milhões, engloba apenas a rodovia Augusto Montenegro e avenida Almirante Barroso, enquanto o segundo, com recursos previstos de R$ 730 milhões, alcançará toda a região metropolitana de Belém, indo até o centro da cidade-, é estranho que até o momento a Procuradoria-Geral do Estado mantenha um silêncio sepulcral sobre o assunto.

ALTERAÇÕES PARA O TRÂNSITO AUGUSTO MONTENEGRO

1- Ausência de retornos no trecho entre a Avenida Mario Covas e Icoaraci (6,3 km);

2- Desconsidera o cruzamento das vias estruturais, avenida Augusto Montenegro com a avenida Independência;

3- Estrangula a avenida Augusto Montenegro para duas faixas por sentido, ao lado das estações do BRT. Esta avenida possui, atualmente, três faixas por sentido, com capacidade no limite, na hora do pico;

ALMIRANTE BARROSO

1- Elimina a ciclovia no canteiro central;

2- Fecha o cruzamento da Mariz e Barros com a Almirante Barroso, obra recentemente inaugurada pela PMB com o objetivo de implantação de binário para estruturação do tráfego do Bairro da Pedreira;

3- Estrangula a Almirante Barroso para duas faixas por sentido, ao lado das estações de BRT. Esta via possui, atualmente, três faixas por sentido, com sua capacidade no limite, na hora do pico. Essa situação se agrava na Almirante Barroso pela presença das linhas de ônibus provenientes de outros municípios da RMB

LIMITAÇÕES

1- O sistema BRT proposto pela PMB vai só até São Brás (não alcança o centro de Belém). Na outra ponta, não chega a Icoaraci.



Share |
READ MORE - Em Belém, Sistema de Transporte BRT já vai dando o que falar

Em Belo Horizonte, Obras do BRT: intervenções na Av. Cristiano Machado

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTRANS, informa que desde quinta-feira, dia 29/12, devido às obras do BRT (Transporte Rápido por Ônibus) na Avenida Cristiano Machado, foi feita a interdição da pista exclusiva de ônibus (busway), entre a Avenida Silviano Brandão e Rua Pimenta da Veiga, no sentido Centro/Bairro, nos bairros Sagrada Família, Cidade Nova e União.

No trecho em obras circulam 67 linhas do transporte coletivo (55 do DER e 12 da BHTRANS). As obras são de preparação da via para operação do BRT, sendo executadas pela SUDECAP.

INTERVENÇÕES

- Com a interdição, os ônibus que trafegam na pista exclusiva e os pontos de embarque e desembarque, no sentido Centro/Bairro, foram transferidos para pista mista. Foram implantado faixas/cartazes para informar o remanejamento dos pontos aos usuários. No sentido Bairro/Centro da busway os ônibus continuam circulando normalmente;

- Em função da implantação de telas-tapume no trecho em obras, foi realizado estreitamento à esquerda da pista mista, no sentido Centro/Bairro;

- Será regulamentada proibição de estacionamento em toda extensão da Avenida Cristiano Machado, medida que será mantida após implantação do BRT;

TRANSPORTE COLETIVO

Os pontos de ônibus da busway foram transferidos:

Busway para Pista Mista

- Ponto de ônibus da Avenida Cristiano Machado 824 foi transferido para o número 1.310, próximo a Rua Geraldo Menezes Soares;

Linhas: 60, 61, 1505, 1505R, 2208, 4105, 4110, 4120, 4125, 4130, 4140, 4155, 4165, 4170, 4315, 4320, 4325, 4335, 4340, 4345, 4350, 4355, 4360, 4365, 4370, 4375, 4400, 4405, 4410, 4872, 4882, 4883, 4887, 4987, 5283, 5307, 5308, 5405, 5410, 5415, 5450, 5507, 5508, 5513, 5517, 5523A, 5534, 5582, 5605, 5615, 5670, 5680, 5710, 5783, 5788, 5810, 5815, 5830, 5835, 5887, 5992, 5997, 6200, 6210, 6220, 6230, 9503.

- Ponto de ônibus da Avenida Cristiano Machado 1.790 foi transferido para o número 1.794, próximo a Rua Jornalista Túlio Berti;

Linhas: 60, 61, 1505, 1505R, 2208, 2224A, 4105, 4110, 4120, 4125, 4130, 4140, 4155, 4165, 4170, 4315, 4320, 4325, 4335, 4340, 4345, 4350, 4355, 4360, 4365, 4370, 4375, 4400, 4405, 4410, 4872, 4882, 4883, 4887, 4987, 5283, 5307, 5308, 5405, 5410, 5415, 5450, 5507, 5508, 5513, 5517, 5523A, 5534, 5582, 5605, 5615, 5670, 5680, 5710, 5783, 5788, 5810, 5815, 5830, 5835, 5887, 5992, 5997, 6200, 6210, 6220, 6230, 9503

- Ponto de ônibus da Avenida Cristiano Machado 2050 foi transferido para ao número 2.320, próximo a Rua Tabelião Ferreira de Carvalho;

Linhas: 60, 61, 1505, 1505R, 2208, 2224A, 4105, 4110, 4120, 4125, 4130, 4140, 4155, 4165, 4170, 4315, 4320, 4325, 4335, 4340, 4345, 4350, 4355, 4360, 4365, 4370, 4375, 4400, 4405, 4410, 4872, 4882, 4883, 4887, 4987, 5283, 5307, 5308, 5405, 5410, 5415, 5450, 5507, 5508, 5513, 5517, 5523A, 5534, 5582, 5605, 5615, 5670, 5680, 5710, 5783, 5788, 5810, 5815, 5830, 5835, 5887, 5992, 5997, 6200, 6210, 6220, 6230, 9503

Pista Mista para Pista Mista

- Ponto de ônibus da pista mista Avenida Cristiano Machado 1310 será transferido para ao número 1.366, próximo a Rua Geraldo Faria de Souza.
Linhas: 62, 66, 80, 3501, 3502, 3503A, 8102, 8106, 8108, 8207, 8501, 5502AB, 5502C, 5503A, 5503B, 5506B, 5506C, 5523A, 8150

TRAVESSIA DE PEDESTRES

No trecho em obras, nos bairros Sagrada Família, Cidade Nova e União foi preservada a travessia segura dos pedestres, por meio de sinalização.

Faixas de pano e sinalização de obra serão implantadas para orientar os motoristas e pedestres, para garantir maior segurança na região. A empresa alerta para a importância de os motoristas e pedestres redobrarem a atenção à sinalização implantada. Agentes da Unidade Integrada de Trânsito monitoram o tráfego na região.


Fonte: BHTrans


READ MORE - Em Belo Horizonte, Obras do BRT: intervenções na Av. Cristiano Machado

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960