No Rio, Mais dois ‘geladões’ do metrô passam a circular

domingo, 30 de setembro de 2012

O segundo "geladão" do metrô entrou em operação nesta sexta-feira. Neste domingo, outra composição fabricada na China para o sistema carioca começa a circular.

No fim de semana, o funcionamento das novas composições será normal — das 5h à meia-noite de sábado e das 7h às 23h no domingo —, mas nos dias úteis, a circulação ainda ficará restrita: será das 9h às 15h e das 21h à meia-noite.

O terceiro trem chinês do metrô entra amanhã em circulação: dos 19 que vão operar até março, nove já estão no centro de manutenção do MetrôRio | Foto: Carlo Wrede / Agência O Dia

Nesta sexta, o governo estadual divulgou a posição exata e os acessos das seis novas estações da Linha 4 do metrô, que vai ligar Barra da Tijuca à Ipanema. Como O DIA  informou nesta sexta com exclusividade, dentro de 60 dias, as escavações das estações da Zona Sul devem começar.

Os dois novos geladões da Linha 2 terão horário reduzido só na fase de ajustes, que costuma durar um mês. Depois, a operação passa para horário integral, como aconteceu com a primeira composição chinesa.

Na inauguração do trem chinês,  em 24 de agosto, desnível entre o vagão e a plataforma foi a principal crítica de usuários. O MetrôRio admitiu o problema e chegou a dizer que o peso dos passageiros reduziria a diferença de nível.

A previsão é de que sejam, no total, 19 novos trens circulando até março de 2013. Destes, nove já se encontram no centro de manutenção da concessionária MetrôRio. Duas composições, que chegaram no final do mês passado, estão na fase de testes estáticos para começar a operar.

Batizado de geladão, porque a temperatura permanece em 23 graus mesmo sob o sol, o trem chinês têm capacidade para transportar 1.800 passageiros e é aparelhado com televisão e painéis de LED anunciando a estação.

Durante a operação assistida, serão realizados ajustes finais nas portas, sistemas elétricos e outros componentes. Segundo o MetrôRio, nesta etapa não haverá nenhum tipo de transtorno aos passageiros das linhas 1 e 2. Toda operação será acompanhada pelos técnicos da empresa.

READ MORE - No Rio, Mais dois ‘geladões’ do metrô passam a circular

Ônibus moderno do BRT é testado em Belém

Foi testado neste sábado (29) em Belém, o ônibus do BRT (Bus Rapid Transit). O veículo é todo refrigerado, tem internet, câmeras para auxiliar o motorista e até um bicicletário.

A capacidade máxima do veículo articulado é de 180 pessoas. Inicialmente o BRT prevê um total de 48 ônibus. Quando concluído, o projeto vai ligar Icoaraci até o mercado de São Brás.

O objetivo do sistema BRT é reduzir o tempo de viagem em até 60% e desafogar o trânsito de Belém nas avenidas Almirante Barroso e Augusto Montenegro. O BRT começa a ser implantado no mês de outubro.

O projeto está orçado em cerca de R$ 400 milhões. As obras começaram em janeiro de 2012 na avenida Almirante Barroso, que ganhou uma via expressa por onde os ônibus do BRT vão passar. As obras na avenida Augusto Montenegro estão previstas para serem entregues até o final de 2013.

READ MORE - Ônibus moderno do BRT é testado em Belém

Ônibus híbridos produzidos pela Volvo no Brasil começam a circular em Curitiba

Os primeiros ônibus híbridos produzidos pela Volvo no Brasil começam a circular em Curitiba nesta quinta-feira, 27 de setembro. Movido à eletricidade e a diesel, o veículo reduz em 90% a emissão de gases poluentes em relação aos ônibus com tecnologia Euro 3, que encontram-se em circulação atualmente.

“Somos a primeira montadora a trazer para o Brasil uma solução híbrida para transporte urbano de passageiros, o que reforça a posição de vanguarda da Volvo em oferecer soluções de transporte menos poluentes, mais econômicos e que contribuam com a qualidade de vida da população”, afirma Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Bus Latin America.

Serão 30 ônibus híbridos circulando em Curitiba. Os primeiros dez farão a linha Interbairros I. Os outros 20, ainda sem data para entrar em circulação, vão substituir os veículos que fazem as linhas Detran-Vicente Machado, Água Verde-Abranches, Juvevê-Água Verde, e Jardim Mercês-Guanabara.

O ônibus produzido pela Volvo no Brasil tem uma tecnologia revolucionária e é a solução híbrida mais avançada já desenvolvida. A tecnologia Volvo permite economia de combustível de até 35% em relação aos veículos com motor somente a diesel. Comparado aos ônibus equipados com tecnologia que atendem às normas de emissões Euro 3 (em circulação atualmente), os ônibus híbridos emitem 90% menos material particulado, 90% menos NOX e 35% menos CO2. Outra vantagem do veículo é não emitir ruído em cerca de 30% a 40% do tempo de operação. “Estamos muito otimistas. A eletromobilidade é um caminho sem volta”, destaca Euclides Castro, gerente da linha de ônibus urbanos da Volvo Bus Latin América.

Chamada de “Híbrida em Paralelo”, a tecnologia foi projetada para um ônibus com dois motores, um a diesel e outro elétrico, que funcionam em paralelo ou de forma independente. O motor elétrico é utilizado para arrancar o ônibus e acelerá-lo até uma velocidade de aproximadamente 20 quilômetros por hora, e também é usado como gerador de energia durante as frenagens. O motor diesel entra em funcionamento em velocidades mais altas. A cada vez que se acionam os freios, a energia de desaceleração é utilizada para carregar as baterias. Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em pontos de ônibus ou em semáforos, o motor diesel fica desligado.

A fábrica da Volvo, em Curitiba, é a primeira, fora da Suécia - sede mundial da empresa, a produzir chassis híbridos da marca. A produção dos veículos iniciou em junho deste ano, sendo as primeiras unidades destinadas à Curitiba e São Paulo.

Informações: Web Transpo

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Ônibus híbridos produzidos pela Volvo no Brasil começam a circular em Curitiba

Obra do monotrilho interdita faixas da avenida Roberto Marinho por dois anos

A pedido do Metrô, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) vai interditar duas faixas da a. Jornalista Roberto Marinho, no sentido marginal Pinheiros, por causa das obras do monotrilho, da linha 17-Ouro. 

O bloqueio acontece entre as ruas Ribeiro do Vale e Guaraiuva.

A restrição à circulação de veículos ocorrerá a partir das 17h00 do próximo dia 30/09/2012 (domingo), e deverá durar 24 meses. 

Durante este período, o Consórcio Monotrilho Integração, responsável pelas obras da linha 17-Ouro, instalará as fundações dos pilares da futura linha do monotrilho.

Informações: R7.com

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Obra do monotrilho interdita faixas da avenida Roberto Marinho por dois anos

Prefeitura do Rio implanta canteiros para evitar atropelamento no BRT

Após cinco mortes em menos de quatro meses no corredor expresso de ônibus BRT Transoeste, a prefeitura decidiu instalar canteiros com plantas espinhosas para evitar travessia de pedestres fora das faixas.

“Estamos instalando barreiras físicas, como canteiros com plantas, que evitam as travessias fora das faixas. Achei boa a ideia de instalar cancelas sincronizadas com os sinais nos cruzamentos”, afirmou o prefeito Eduardo Paes.
Foto: Divulgação
As sugestões foram levadas em relatório pelo Conselho Regional de Engenharia do Rio (Crea-RJ) a Paes. O documento sugere, entre outras medidas, cancelas nos sinais, barreiras entre as pistas e mudança das paradas de ônibus para que fiquem próximas às travessias de pedestres.

Informações: O Dia Online

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Prefeitura do Rio implanta canteiros para evitar atropelamento no BRT

Começam os testes com ônibus híbrido em Araraquara

O ônibus híbrido de teste da Volvo, que funciona com motores a biodiesel e elétrico, começou a circular nas linhas da CTA (Companhia Troleibus Araraquara) e deverá permanecer na cidade por cerca de 30 dias. Araraquara é uma das primeiras cidades do País a receber o modelo e foi escolhida pelo seu histórico com ônibus elétricos.
A vinda do ônibus híbrido é resultado de um acordo entre a Volvo e a CTA. Antes de Araraquara, o veículo somente havia circulado em grandes cidades, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Campinas e São José dos Campos.

A CTA irá colocar o veículo em diversas linhas ao longo do período de testes. Como não possui catraca, o ônibus irá embarcar os passageiros somente no TCI (Terminal Central de Integração).
Com tecnologia de ponta, o ônibus híbrido tem um motor diesel de 215 CV e outro elétrico de 180CV, que tracionam o veículo de forma simultânea ou independente. As principais características do veículo são as reduções de 35% e 50% no consumo de combustível e na emissão de gases, respectivamente, o baixo ruído e o conforto aos passageiros.

O ônibus também possui sistema de rebaixamento da suspensão para facilitar o embarque de cadeirantes e para que possa circular em ruas com lombadas e valetas.

Segundo Agnaldo Machado, representante da concessionária Auto Sueco da Volvo, o veículo segue norma da Euro 5, correspondente ao Conama P7 brasileiro, que regulamenta a emissão de poluentes por veículos automotores.

Machado afirma que os ônibus híbridos começaram a ser adquiridos neste ano no Brasil e duas empresas nacionais estão fazendo as carrocerias dos veículos. “A receptividade da população tem sido a melhor possível”, afirma ele.


Como funciona?
Ao arrancar, o ônibus é movido pelo motor elétrico. O alto torque proporciona uma partida macia e silenciosa. A partir do momento em que uma determinada velocidade é atingida, aproximadamente 20 km/h, o motor diesel entra em operação. Quando o veículo está parado, o motor diesel é desligado. Para isso, um avançado sistema de controle regula a aplicação de recursos de potência. As duas fontes de energia interagem de forma otimizada. O uso reduzido de energia e as baixas emissões são certamente os principais benefícios do Volvo Híbrido.


As emissões de CO2 e NOx são dramaticamente reduzidas, obtendo índices até 50% inferiores em relação aos limites permitidos na Europa. Outra vantagem que contribui para a economia do sistema é que o uso combinado do motor elétrico permite a utilização de um motor diesel de menor porte do que os de ônibus urbanos convencionais, sem reduzir seu desempenho. 


Informações: Prefeitura de Araraquara
Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Começam os testes com ônibus híbrido em Araraquara

Ônibus "ligeirões" do BRT Transoeste ainda param em alguns sinais vermelhos

Mesmo equipado com um moderno sistema de sensores, os ônibus "ligeirões" do BRT Transoeste ainda param em alguns sinais vermelhos. Poucos, é verdade, mas param. Um teste realizado pelo GLOBO constatou que, dos 58 semáforos ao longo do trajeto Barra da Tijuca-Santa Cruz, o ônibus articulado parou em sete deles (12%). O mesmo percurso foi feito depois de carro, no mesmo horário, e mostrou que usar o BRT é mais vantajoso, mesmo com paradas em dez estações. De carro, foram 12 sinais vermelhos (20% do total). No cômputo final, o "ligeirão", inaugurado em junho, conseguiu ser tão rápido quanto o carro, completando a viagem em cerca de 50 minutos, mesmo com o embarque e desembarque de passageiros.
Foto: Fábio Rossi

O teste foi feito na última terça-feira, no BRT, e na quinta-feira, de carro, no percurso de cerca de 40 quilômetros entre os terminais Alvorada e Santa Cruz. Os repórteres fizeram as viagens em horários e velocidade média semelhantes. Num teste anterior, feito logo após a inauguração do corredor expresso, o BRT saiu na frente, mas, na ocasião, o trecho do terminal Magarça a Santa Cruz não estava finalizado e a viagem de carro não pôde ser feita pelo Túnel da Grota Funda, que ainda não estava pronto.

Mesmo parando em alguns sinais, o sistema inteligente do BRT mostrou-se eficiente na maioria deles. Ele funciona assim: quando o ônibus está a cem metros do semáforo, um sensor emite um aviso e o sinal, se estiver verde, ganha mais 15% de tempo livre para o ônibus passar. Se estiver vermelho, reduz em 15% o tempo da parada.

A viagem no Transoeste teve início às 15h35m, e o primeiro sinal vermelho surgiu 8km depois, no número 13.822 da Avenida das Américas. Foram 34 segundos para ficar verde. Cinco minutos depois, nova parada, no sinal da Estação Gláucio Gil: 21 segundos. O terceiro sinal vermelho do trajeto, em frente à concessionária Recreio da Avenida das Américas, levou 13 segundos para abrir. Depois do túnel, mais um sinal vermelho na Estação Mato Alto, onde o "ligeirão" permaneceu por 30 segundos.

Os últimos três sinais vermelhos foram nas estações Gastão Rangel e General Olímpio, com 36 e 10 segundos respectivamente, e no cruzamento da Rua Felipe Cardoso com a Avenida Isabel, em Santa Cruz. O último semáforo foi o que consumiu mais tempo: 52 segundos. A chegada ao Terminal Santa Cruz foi às 16h25m.

De carro, a viagem começou às 15h25m, na velocidade máxima permitida para o BRT: 70km/h. Foram quatro sinais vermelhos no trecho Barra-Recreio, nos cruzamentos das estações Bosque da Barra (14 segundos), Américas Park (47 segundos), Salvador Allende (33 segundos) e Dom Bosco (24 segundos). Do Túnel da Grota Funda até Santa Cruz, mais oito sinais fechados: um próximo ao CTex (7 segundos); no cruzamento antes da Estação Mato Alto (32 segundos); e em outro cruzamento na altura do número 39.100 da Av. das Américas (8 segundos). As últimas cinco paradas foram nas estações Magarça (8 segundos), Vendas de Varanda (28 segundos), Santa Veridiana (12 segundos), Gastão Rangel (25 segundos) e no encontro das ruas Felipe Cardoso com General Olímpio (33 segundos).

Segundo a CET-Rio, o mecanismo trabalha em conjunto com o sistema adaptativo dos sinais, que permite alterações no tempo de verde e vermelho em função do fluxo de trânsito. E reduz em 14% o tempo gasto no percurso.

- São dois sistemas complexos. No primeiro mês de operação do BRT, fizemos a calibragem dos dois que, juntos, otimizam o tempo de viagem não só do BRT, mas também da Avenida das Américas e de outras vias - explica Ricardo Lemos, diretor de planejamento da CET-Rio.

A engenheira de transportes Eva Vider, professora da Escola Politécnica da UFRJ, avalia que o sistema é o mais adequado na operação de corredores expressos como o Transoeste.
- Não é possível acabar com os cruzamentos da Avenida das Américas e eliminar completamente os semáforos. Por isso, esse sistema de priorização dos ônibus do BRT é adequado e otimiza bastante o tempo.

Segundo o engenheiro de transportes Fernando Mac Dowell, as paradas teriam sido totalmente eliminadas com mergulhões e viadutos.
- A Avenida das Américas é uma rodovia. O sistema de sinalização melhora, mas não resolve a questão das paradas em cruzamentos.

Em Curitiba, prioridade; em São Paulo, sem paradinhas
O Rio não é a única cidade a contar com BRTs com sistemas de sinalização inteligentes. Pioneira na implantação de corredores expressos para ônibus, Curitiba, no Paraná, conta com um mecanismo de prioridade para ônibus desde a década de 80. É semelhante ao do Rio e ainda garante um tempo maior para os ônibus de duas linhas seletivas, criadas há dois anos, que também são chamados de "ligeirões". Uma das linhas expressas faz o trajeto Boqueirão-Centro, num trecho de 9 quilômetros e leva 23 minutos de um terminal ao outro.

A capital paranaense inaugurou seu primeiro BRT em 1974. Atualmente possui 81 quilômetros de corredores expressos onde circula uma frota de 1.920 ônibus. Por dia, 2,3 milhões de passageiros são atendidos.

Outra capital que conta com BRT é São Paulo. Inaugurado em 2007, o Expresso Tiradentes liga os bairros de Sacomã, na Zona Sul, e Vila Prudente, na Zona Leste, ao Parque D.Pedro II, no Centro da capital paulista. No corredor de 9,7 quilômetros, circulam 50 ônibus, sendo quatro híbridos, 36 articulados e 10 biarticulados. Não existem semáforos no percurso e a velocidade média dos ônibus é de 40Km/h, mais que o dobro da atingida nas vias comuns (18Km/h).

Em 2010, 21,9 milhões de passageiros foram transportados pelo sistema paulista. Em média, 74 mil usuários por dia. No ano passado, esse número cresceu com a inauguração da estação Sacomã e a interligação com o sistema de metrô. Foram 22,3 milhões de passageiros, com média diária de 84 mil.

O coordenador da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) no Rio, William de Aquino, explica que os sistemas de semáforos inteligentes no Rio e em Curitiba seguem o mesmo conceito do modal ferroviário, que prioriza sempre o trem em detrimento do carro porque ele transporta mais pessoas.

- O BRT leva mais pessoas por isso tem a prioridade. O tempo que um automóvel perde quando o sistema amplia o tempo do sinal é algo em torno de cinco segundos. Recuperável facilmente com a potência e o peso do veículo. No caso do ônibus, mais pesado e com potência diferente, levaria muito mais tempo para frear, parar, dar partida e acelerar novamente. Os sistemas utilizados no Rio e Curitiba são os mais avançados, comparáveis aos de outras grandes metrópoles do mundo.

Informações: Agência O Globo / Por Diego Barreto


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Ônibus "ligeirões" do BRT Transoeste ainda param em alguns sinais vermelhos

Governo confirma que Brasília não terá VLT para a Copa

O Distrito Federal não terá o veículo  leve sobre trilhos (VLT) entre as obras concluídas para a Copa de 2014. O projeto foi excluído da Matriz de Responsabilidades por solicitação do governo do Distrito Federal, segundo resolução publicada nesta sexta-feira (28) no Diário Oficial da União.

Antes mesmo da publicação, o governo local admitia não haver mais tempo hábil para que ficasse pronta até a Copa.

Iniciada em 2009, a obra – orçada em R$ 276,9 milhões – está parada desde abril de 2011 pela Justiça do DF devido a suspeita de fraudes durante o processo de licitação, ainda durante o governo de José Roberto Arruda.

O VLT teria uma extensão de 6,5 quilômetros para ligar o Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek à Asa Sul. Em seu lugar, deverá ser preparado um corredor de transporte urbano com pistas e viadutos, que darão maior agilidade ao deslocamento das delegações. O custo previsto para o corredor é de R$ 100 milhões.

Informações: Agência Brasil

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Governo confirma que Brasília não terá VLT para a Copa

Recife: À espera dos novos terminais de integração

sexta-feira, 28 de setembro de 2012


A inauguração dos novos Terminais de Integração (TI) tem deixado os usuários do transporte coletivo do Recife ansiosos. Pelo Cidadão Repórter, fórum colaborativo do Pernambuco.com, internautas divulgam suas críticas e dúvidas, além de discutirem sobre quais linhas deveriam ser implantadas para que as comunidades sejam melhor atendidas. 

Entre os terminais mais debatidos estão os de Xambá, em Olinda, Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes, e Tancredo Neves, no Recife. A estrutura física desses três terminais já está concluída mas a população ainda não pode usufruir dos seus serviços. “É preciso esperar a conclusão de outros projetos para inaugurar esses terminais”, explica André Melibeu, diretor de planejamento do Consórcio Metropolitano de Transporte. “Só com a conclusão dos outros projetos a população terá um ganho real. No caso do Terminal de Cajueiro Seco e Tancredo Neves, é preciso aguardar melhores condições no metrô. Já o Terminal de Xambá depende da conclusão das obras na Avenida Presidente Kennedy”. 

As razões, já conhecidas pela maioria dos internautas do fórum, não agradam a todos. “Acho um verdadeiro absurdo o Governo do Estado colocar a culpa da não inauguração dos Terminais de Tancredo Neves e Cajueiro Seco no Metrorec. Já que era sabido que a atual frota de trens não é capaz de de suportar a demanda dos Terminais Integrados da linha Sul, deveriam ter dado prioridade a reforma de outros terminais, como o da Macaxeira, Joana Bezerra e Barro”, opina o cidadão repórter Léo Silva.

Apesar dos desencontros entre usuários do transporte e órgãos responsáveis, André Melibeu afirma que a população é sempre consultada. “Sempre apresentamos o nosso trabalho interno para as comunidades, que opinam, reclamam, sugerem itinerários. Um exemplo foi durante uma reunião com as comunidades atendidas pelo Tancredo Neves. Havia uma demanda muito grande da população por uma linha menos complicada para chegar ao IMIP. Por uma questão social, decidimos implantar essa linha”, conta. As reuniões são confirmadas por internautas do Cidadão Repórter.

O total de linhas e itinerários de cada Terminal não foi divulgado pelo Grande Recife pois, segundo o diretor de planejamento, ainda podem haver mudanças até o dia da inauguração. Ainda assim, o Pernambuco.com fez um raio-X dos novos terminais e antecipou o que já se sabe sobre o funcionamento deles.

Saiba mais:

Xambá, em Olinda
Terminal integrado de Xambá. Imagem: Grande Recife/Divulgação
Terminal integrado de Xambá. Imagem: Grande Recife/Divulgação

O Terminal de Xambá, que já está com sua estrutura completa, tem previsão de receber 40 mil pessoas e de levar em suas linhas cerca de 110 mil diariamente. Sua inauguração está prevista para o final de outubro deste ano, desde que a Avenida Presidente Kennedy, que passa por reformas para implantação de corredor de ônibus, tenha se readequado. “Não faz sentido inaugurar este TI com a Presidente Kennedy desse jeito. Não haveria benefício real para a população”, diz André Melibeu. De acordo com o diretor, as comunidades, que antes não participavam do Sistema Estrutural Integrado (SEI), demonstraram satisfação durante as reuniões. “Exceto a comunidade de Santa Casa, com a qual estamos em negociação”.

Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes 


Terminal integrado de Cajueiro Seco. Foto: Clayton Leal/Cidadão repórter
Terminal integrado de Cajueiro Seco. Foto: Clayton Leal/Cidadão repórter

O terminal de Cajueiro Seco também está finalizado. Para sua inauguração, é preciso aumentar a capacidade de passageiros do metrô, que, desde a inauguração do Terminal Aeroporto, está em alerta de lotação da linha sul. Para suprir a nova demanda de passageiros foram encomendados 15 novos trens. O primeiro dos trens deve chegar ao Recife em novembro deste ano. Por isso, somente em janeiro de 2013 um dos Terminais de Integração da linha sul deve começar a funcionar. “É possível que no começo do ano que vem um dos terminais seja inaugurado. Ainda está em estudo se será Cajueiro Seco ou Tancredo Neves, mas a preferência está com Cajueiro, pois assim a população do Cabo de Santo Agostinho seria inserida no SEI. Dessa forma, além de reduzir o tempo de viagem, a população também terá uma redução de tarifa. Os usuários da Muribeca e de Marcos Freire, por exemplo, passarão a pagar R$2,15 para se locomoverem até o centro do Recife”, conta o diretor de planejamento André Melibeu.

Tancredo Neves, no Recife


Terminal integrado Tancredo Neves. Foto: Clayton Leal/Cidadão repórter
Terminal integrado Tancredo Neves. Foto: Clayton Leal/Cidadão repórter

Assim como Cajueiro Seco, o TI Tancredo Neves, localizado na Imbiribeira, não foi inaugurado por falta de melhores condições no transporte metroviário. 21 linhas atenderão este Terminal, que atenderá as comunidades de Três Carneiros Baixo, Vila do SESI, Córrego da 

Gameleira, Três Carneiros, Lagoa Encantada, UR-03, UR-02, UR-05, UR-04, UR-06, UR-10, UR-11, Zumbi do Pacheco, Jardim Monte Verde, Alto Dois Carneiros e Candeias. 




O Sistema Estrutural Integrado 

Os Terminais de Integração fazem parte do Sistema Estrutural Integrado (SEI). Esse sistema, composto por ônibus e metrô, leva usuários até um TI com diferentes opções de destino. Geralmente a tarifa paga pelo usuário é reduzida, já que há troca de linhas sem o pagamento de nova passagem. Ainda assim, há relutância entre usuários que contam com linhas diretas para seus destinos. “Mesmo com a troca, o usuário pode chegar ao seu destino mais rapidamente”, diz o diretor de planejamento André Melibeu. “Com o metrô, com a racionalização do transporte, há benefícios para quem usa a integração. Em algumas situações tem também a redução tarifária”.

Por Laís Araújo / Diário de Pernambuco
Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Recife: À espera dos novos terminais de integração

Obras fecham estações e mudam horários da CPTM e Metrô no fim de semana em SP


Por conta de obras de modernização e testes nas linhas, o Metrô de São Paulo e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) terão estações fechadas e alterações no funcionamento mais uma vez neste fim de semana.

Metrô

O Metrô dará continuidade neste domingo aos testes do sistema de Controle de Trens Baseado em Comunicação (CTBC) na Linha 2-Verde (Vila Prudente - Vila Madalena). Nesse dia, para a execução dos testes, as estações Vila Prudente, Tamanduateí e Sacomã ficarão fechadas ao público das 4h40 às 21h.

Durante esse período, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese), que cobrirão o percurso do trecho interrompido. A operação contará com 18 ônibus, que vão atender as estações Vila Prudente, Tamanduateí, Sacomã e Alto do Ipiranga.

De acordo com o Metrô, os testes são realizados aos domingos, devido ao menor número de usuários que utilizam os trens e estações metroviárias nesse dia.


Em razão das obras da infraestrutura, a operação de trens na CPTM será realizada com maior intervalo nas linhas impactadas pelas obras, neste fim de semana.

Linha 7 (Luz – Francisco Morato): sábado, das 18h até o fim da operação comercial, haverá intervenções na via permanente. No domingo, durante todo o dia, o trecho entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Perus estará fechado para intervenções de grande porte. Como opção, os usuários podem utilizar a Linha 7, entre as estações Luz e Palmeiras-Barra Funda, onde farão a transferência para a Linha 8, seguindo até a estação Domingos de Moraes. De lá, ônibus gratuitos levarão os usuários até a estação Perus, na Linha 7, onde a circulação de trens ocorrerá até Jundiaí. Os coletivos farão paradas para embarque e desembarque somente nas estações Domingos de Moraes, Pirituba e Perus.

Linha 8 (Júlio Prestes – Itapevi): domingo, das 9h até às 21h, o trecho entre as estações Palmeiras-Barra Funda e Júlio Prestes estará fechado para trabalhos na via permanente e sinalização. Como opção os usuários poderão utilizar a Linha 7 para chegar até a estação da Luz.

Linha 9 (Osasco – Grajaú): sábado, a partir das 20h até o fim da operação comercial de domingo, equipes atuarão nos sistemas de energia e de via permanente entre as estações Santo Amaro e Morumbi.

Linha 10 (Brás – Rio Grande da Serra): domingo, do inicio da operação comercial até 20h, serão realizadas intervenções na via permanente.

Linha 11 (extensão Guaianazes – Estudantes): sábado, das 20h até a 1h, o trecho entre as estações Suzano e Jundiapeba ficará fechado para trabalhos no sistema de rede aérea. Como opção, ônibus gratuitos atenderão os usuários entre as estações afetadas. No domingo, durante toda a operação comercial, serão realizadas intervenções no sistema de rede aérea.

Informações: O Dia

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Obras fecham estações e mudam horários da CPTM e Metrô no fim de semana em SP

Metrô do Rio recebe o ''Tatuzão'', equipamento, capaz de perfurar rocha e areia

O governo do Rio de Janeiro e a concessionária Rio Barra, responsável pelas obras da Linha 4 do metrô (Barra da Tijuca – Ipanema), receberam ontem, na Alemanha, o Tunnel Boring Machine (TBM), conhecido como Tatuzão. O equipamento, capaz de perfurar rocha e areia, vai escavar os túneis do metrô na zona sul sem explosões e sem abrir buracos ao longo das ruas.

“Eles serão construídos por baixo das vias sem impacto na superfície”, disse o secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner.

Com 2 mil toneladas e 120 metros de comprimento por 11,5 metros de diâmetro, o Tatuzão escava de 15 a 18 metros de túnel por dia, quatro vezes mais rápido que os métodos utilizados anteriormente no Rio.

O TBM, que será transportado de navio em 20 contêineres, deve chegar ao Rio no início do ano que vem e será montado de março a agosto, quando deverá entrar em operação.

A Linha 4 terá 270 pessoas trabalhando exclusivamente para operar o Tatuzão. Ele, ao mesmo tempo em que escava, instala os anéis de concreto que formam o túnel. Segundo o governo, “nos 5,7 km de obras na zona sul, só será necessário interditar 500 metros de vias”.

Funcionário morto

Um ajudante de produção da Rio Barra, José Geraldo P. Evangelista, de 26 anos, foi encontrado morto, ontem, dentro do banheiro químico de um canteiro de obras em São Conrado. Ele foi encontrado, sem ferimentos aparentes, por outros funcionários. Segundo a concessionária, a causa da morte ainda é desconhecida. A Polícia Civil investiga o caso.

Estações fechadas

Um problema técnico em um trem do metrô, na altura da estação General Osório, em Ipanema, fechou duas estações. Segundo a concessionária Metrô Rio, a circulação entre General Osório e Cantagalo ficou interrompida por cerca de 45 minutos, de 16h às 16h45. A estação de Copacabana também parou por 15 minutos. O trem estava vazio e indo para a garagem na hora da pane. 

READ MORE - Metrô do Rio recebe o ''Tatuzão'', equipamento, capaz de perfurar rocha e areia

PAC Mobilidade Grandes Cidades destina 64% dos recursos para transporte sobre trilhos


A solução para os problemas de mobilidade nas grandes cidades está na substituição do transporte individual para o coletivo, disse hoje (28), o secretário executivo do Ministério das Cidades, Alexandre Cordeiro Macedo, no encontro Infraestrutura de Transportes, Logística e Mobilidade Urbana no Brasil, promovido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV). 

Dados do Ministério das Cidades indicam que está prevista a aplicação de R$ 22 bilhões por meio do PAC Mobilidade Grandes Cidade, dos quais 64% estão destinados a transportes sobre trilhos. O projeto, a ser desenvolvido em 15 cidades, envolve 213 quilômetros de extensão, com a meta de atender mais de 53 milhões de pessoas. Macedo apontou que, entre as melhorias na elevação da qualidade de vida da população garantidas pelo transporte coletivo, estão reduções de emissões de monóxido de carbono, acidentes, gastos e tempo de locomoção. ''Não basta fomentar o uso de bicicletas, é preciso investir em transporte público de qualidade'', defendeu. O dirigente defendeu o desenvolvimento do PAC Mobilidade Grandes Cidades, observando que a iniciativa provocará maior interação entre pessoas de classes sociais diferentes que estão viajando em um mesmo veículo de transporte coletivo, quer em trem ou em ônibus. 

Para o secretário, o Brasil ''deveria adotar as boas práticas do mundo''. No mesmo evento, o secretário de Política Nacional de Transportes do Ministério dos Transportes, Marcelo Perrupato, informou que, nos próximos 10 anos, deverão ser investidos em torno de R$ 300 bilhões no Programa Nacional de Logística em Transportes (PNLT), que já consumiu R$ 130 bilhões de um montante total de R$ 430 bilhões. 

Marli Moreira Repórter da Agência Brasil / São Paulo

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - PAC Mobilidade Grandes Cidades destina 64% dos recursos para transporte sobre trilhos

Retomada mais uma vez as obras do VLT em Cuiabá e VG


O presidente do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, desembargador federal Mário César Ribeiro, suspendeu a execução da liminar, concedida pela 1.ª Vara da Seção Judiciária de Mato Grosso, que determinou a paralisação das obras de implantação de modal de transporte coletivo na cidade de Cuiabá (MT). Com a decisão, as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) estão liberadas.

O Estado de Mato Grosso recorreu ao TRF da 1.ª Região sustentando que as sucessivas decisões, ora suspendendo, ora permitindo a continuidade da obra, causam “insegurança jurídica, repercutindo sobre a viabilidade da realização da Copa do Mundo FIFA 2014 na cidade de Cuiabá”. Alega que a obra em questão “se encontra no contexto das obrigações a que cada ente federado contratualmente assumiu para sediar a Copa do Mundo”.

Argumenta que assinou, em 13 de janeiro de 2010, Matriz de Responsabilidade com a União e o Município de Cuiabá, na qual ficou consignada a execução e custeio relativas à mobilidade urbana; que, no Termo Aditivo à Matriz, firmado em 28 de setembro de 2011, definiu-se o VLT como obra de mobilidade urbana para a cidade de Cuiabá e Várzea Grande, “por isso que a não execução da referida obra de mobilidade urbana acarreta, de imediato, consequências jurídicas e econômicas podendo chegar até ao desligamento da cidade de Cuiabá como sede da Copa do Mundo FIFA 2014”.

Salienta, ainda, que a discussão do MPF, relativamente à conveniência e oportunidade da escolha governamental pelo VLT  é tardia, visto que a obra já foi contratada e iniciada. Por fim, destaca ser “impossível, a esta altura, a substituição modal de transporte coletivo para Bus Rapid Transit (BRT) ou qualquer outro” e que “suspender o contrato em tela implica tornar desnecessárias outras obras em andamento”.

Decisão – Ao analisar o pedido apresentado pelo Estado de Mato Grosso, o presidente do TRF da 1.ª Região, desembargador Mário César Ribeiro, entendeu que, na hipótese, o juízo a quo, ao suspender a execução das obras em questão, o fez sob o viés da conveniência e oportunidade na adoção do VLT como modal e transporte para Cuiabá e que o Ministério Público deixou para questionar a alteração da Matriz de Responsabilidade quase um ano após a escolha governamental pelo VLT.  “De fato, discutir, agora, a viabilidade do empreendimento, seja do ponto de vista dos custos operacionais, seja do ponto de vista financeiro, ou se é possível concluir a obra até a Copa do Mundo de Futebol em junho de 2014, quando elas já estão em pleno andamento, não me parece oportuno”, afirmou o presidente.

Na avaliação do desembargador Mário César Ribeiro, “a mudança modal de transporte coletivo para o Bus Rapid Transit (BRT) ou, mesmo, a suspensão das obras do VLT por tempo indeterminado, a essas alturas, traz mais angústias que soluções”. Para o magistrado, os supostos indícios de superfaturamento, de fraude ou de decisão arbitrária na eleição do VLT devem ser apurados, mas a decisão ora impugnada não aponta elementos suficientes para justificar medida tão drástica, prejudicando o já apertado cronograma da obra.

“Na hipótese, sem elementos concretos que justifiquem a paralisação das obras, a liminar se mostra extremamente prejudicial à ordem e à economia pública”, destacou o presidente do TRF da 1.ª Região, ressaltando que “a obra deve prosseguir, sem prejuízo das investigações sobre supostas irregularidades relatadas pelos autores da ação civil pública, bem como da fiscalização da gestão dos recursos auferidos para a sua execução pelos órgãos competentes”.

Informações: O Documento

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Retomada mais uma vez as obras do VLT em Cuiabá e VG

Ônibus adaptados passam a circular em mais seis linhas de Juiz de Fora

A partir da próxima segunda-feira, 1º de outubro, mais seis linhas de ônibus passarão a circular com veículos adaptados para deficientes físicos. As linhas atendidas serão: 333, 501, 520, 526, 530, 534. De acordo com a assessoria da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra), os quadros de horários serão readequados e estarão disponíveis a partir do dia 1º para consulta na sede da secretaria, que fica localizada na rua Maria Perpétua, nº 72, 5º andar, no bairro Ladeira.

Confira as novas linhas
Linha 333 (Granjas Primavera) - terá um veículo adaptado, que irá circular diariamente;
Linha 501 (Padre Café/Jardim Glória) - terá três veículos adaptados, que circularão diariamente;
Linha 520 (Aeroporto) - vai contar com dois veículos adaptados, que circularão diariamente;
Linha 526 (Cascatinha/Vale do Ipê) - passará a atender com dois veículos adaptados nos dias úteis e aos sábados;
Linha 530 (São Pedro) - terá dois veículos adaptados nos dias úteis e aos sábados;
Linha 534 (Santos Dumont) - irá contar com três veículos adaptados, que circularão nos dias úteis e aos sábados.

Fonte: Acessa.com

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Ônibus adaptados passam a circular em mais seis linhas de Juiz de Fora

Novo trem do metrô do Recife chega em novembro para integrar aos novos terminais

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A chegada, no próximo mês de novembro, do primeiro trem de um pacote de 15 veículos comprados pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) dará o pontapé inicial na série de mudanças na Linha Sul do metrô do Recife. Os outros 14 trens serão entregues até o fim de 2013.

O investimento da aquisição dos 15 novos trens foi de R$ 196 milhões, ou seja, cada veículo custou R$ 13,06 milhões. Os equipamentos vão inaugurar uma nova fase no metrô do Recife. “O que chega em novembro vai integrar a Linha Sul do metrô. Essa foi uma decisão estratégica, já que dois terminais estão aguardando  para serem inaugurados, mas nada impede que o trem também seja usado na Linha Centro”, explicou o assessor da superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (STU/REC), Leonardo Beltrão.

De acordo com o presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano, Nelson Menezes, a inauguração dos dois terminais está diretamente ligada à chegada dos trens. O alerta da capacidade esgotada da linha Sul, com a atual frota de trens, somente com a inauguração do Terminal Aeroporto, foi suficiente para o estado frear a inauguração dos dois terminais. A versão só foi finalmente divulgada depois que o próprio governador Eduardo Campos admitiu as razões do “atraso” para a entrega dos terminais.

A previsão é que os 15 trens sejam entregues até fevereiro de 2013, mas antes de serem liberados eles precisam passar por testes. A expectativa é que os testes não demorem tanto como os do Veículo Leve sobre Trilho (VLT), que faz a linha Cajueiro Seco/Cabo de Santo Agostinho. O equipamento se encontra em testes nos finais de semana com o uso de passageiros, depois de passar um bom tempo carregando sacos para simular o peso da carga, mas durante a semana o trem díesel volta a circular. 

O bancário Marcelo Queiroz, 30 anos, usa o metrô do Recife diariamente e aguarda as mudanças com ansiedade. “Apesar de considerar o transporte público da cidade um dos melhores entre as capitais do Nordeste, acho que a chegada de novos trens será fundamental para a Copa do Mundo”, afirmou.

Informações: Diário de Pernambuco e Blog Mobilidade Urbana

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Novo trem do metrô do Recife chega em novembro para integrar aos novos terminais

Governo entrega o Terminal Metropolitano Cecap, da EMTU/SP, em Guarulhos

O governador Geraldo Alckmin entregou nesta segunda-feira, 24, o Terminal Metropolitano Cecap, em Guarulhos, localizado na confluência das avenidas Monteiro Lobato e Tancredo Neves. Com nove linhas metropolitanas e 21 municipais, o terminal beneficia diretamente 35 mil usuários/dia do município e da região norte de São Paulo, que contam com integração física entre as linhas intermunicipais e municipais. O investimento do Governo do Estado na obra foi de R$ 6,6 milhões.

O local é dotado de infraestrutura que inclui rampas, passeios, banheiro, piso podotátil, plataforma elevada de 28 cm, corrimão e guarda-corpo (proteção para cadeirantes), sinalizações visual e tátil de ambientes e bicicletário com 130 vagas.

Com 8.500 m² de área construída, o terminal faz parte do Corredor Metropolitano Guarulhos – São Paulo (Tucuruvi), que terá 32,3 km de extensão e está em construção pela EMTU/SP sob a coordenação da Secretaria dos Transportes Metropolitanos. O empreendimento suprirá importante demanda de transporte público sobre pneus na ligação entre a capital e o segundo município mais populoso do Estado, além de interligar futuramente os usuários ao sistema metroferroviário nas estações Tucuruvi, do Metrô, e Tiquatira, da CPTM.

O Terminal Cecap será ligado ao Terminal Taboão - em operação desde maio - por um viário de 3,5 km a ser entregue ainda em 2012. Estima-se que o trecho seja utilizado por 10 mil passageiros/dia (dois sentidos de operação), usuários de uma linha municipal troncal e cinco linhas metropolitanas troncais previstas para operarem no trecho. Com os dois terminais operando, a movimentação de usuários é estimada em 60 mil passageiros/dia, número que inclui as linhas municipais e intermunicipais que passam pelos terminais Taboão e Cecap.

Os dois terminais se destacam pela condição estratégica na reorganização das redes metropolitana e municipal de transporte coletivo por ônibus. São locais de concentração de linhas que estavam com seus pontos finais localizados em ruas e avenidas do município de Guarulhos, causando, na maioria das vezes, incômodos aos moradores vizinhos e transtornos ao trânsito local.


Linhas intermunicipais
Nove linhas metropolitanas atenderão ao Terminal Cecap (segue abaixo relação)


Origem no Terminal
499 Guarulhos (Terminal Metropolitano Cecap) / São Paulo (Estação CPTM Dom Bosco)

De passagem pelo Terminal 
016 Guarulhos (Terminal Urbano de Guarulhos) / São Paulo (Metrô Armênia)
121 Guarulhos (Terminal Metropolitano Taboão) / São Paulo (Penha)
139 São Paulo (São Miguel Paulista) / Guarulhos (Centro)
301 Itaquaquecetuba (Rancho Grande) / Guarulhos (Jardim Santa Mena)
318 Poá (Terminal Cidade Kemel) / Guarulhos (Centro)
318 VP1 São Paulo (São Miguel Paulista) / Guarulhos (Centro)
575 Guarulhos (Terminal Urbano de Guarulhos) / São Paulo (Metrô Armênia)
577 Guarulhos (Jardim Ipanema / São Paulo (Metrô Armênia)

Corredor Guarulhos – São Paulo 
Até 2014, está prevista a conclusão de três trechos: Taboão – Cecap (3,5 km), Cecap – Vila Galvão (12,4 km), e Vila Endres – Tiquatira/Penha (6,5 km).

Trecho Taboão – Cecap: previsão de conclusão em 2012.
Trecho Cecap – Vila Galvão: previsão de conclusão em 2014.
Trecho Vila Endres – Tiquatira/Penha: previsão de conclusão em 2014.

Divulgação à população 
O início da operação comercial do Terminal CECAP promoverá várias alterações nos pontos de parada localizados nas imediações. Para comunicar e reforçar o novo serviço, a EMTU/SP elaborou folhetos, divulgação à Imprensa (jornais, rádios, TVs e sites da Grande São Paulo), 0800, além de cartazes dentro dos ônibus.

EMTU/SP em Guarulhos 
A EMTU/SP gerencia e fiscaliza o transporte intermunicipal na Região Metropolitana de São Paulo, dividida em quatro áreas de concessão. Guarulhos faz parte da Área 3, que inclui ainda os municípios de Arujá, Mairiporã e Santa Isabel. O município é servido por 122 linhas intermunicipais operadas pelos consórcios Internorte e Unileste.

Informações: EMTU SP

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Governo entrega o Terminal Metropolitano Cecap, da EMTU/SP, em Guarulhos

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960