Teresina terá 85% das linhas integradas a partir de amanhã

quinta-feira, 31 de maio de 2012

A Integração de transportes urbanos em Teresina cumpre a sua última etapa a partir desta sexta(01), com a implantação de mais 23 linhas no sistema. Agora, serão 56 linhas integradas, com 304 ônibus, o que significa 85% das linhas da capital. A maior beneficiada será a zona Sul que foi pouco contemplada nas etapas anteriores. 

De acordo com a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) a expectativa é que 200 mil pessoas sejam beneficiadas mensalmente com a gratuidade da tarifa, no segundo trecho de viagem, para chegar a seu destino.
 
Serão mais cinco linhas na zona Norte, cinco no Centro, quatro na zona Sudeste e nove na zona Sul. "As pessoas estão percebendo a economia no bolso. A integração trouxe para os trabalhadores uma redução considerável de gastos e percebemos que a integração tem mudado a vida de muitas pessoas", disse a superintendente da Strans, Alzenir Porto.

Com a implantação dessa nova etapa, o sistema vai contar com 304 veículos, reduzindo o tempo de espera nos abrigos. Antes eram 190 ônibus. "Na verdade, agora a integração está sendo ampliada, o que faz crescer o número de pessoas beneficiadas com o serviço", afirma Alzenir Porto.
 
O gerente de Planejamento da Strans, José Lopes, revela que serão instalados novos painéis explicativos em todos os abrigos que fazem parte do sistema de integração. "As pessoas que ainda tiverem alguma dúvida serão atendidas pelos nossos fiscais, que estarão nos abrigos para resolver qualquer tipo de problema. Além disso, a Strans está com o telefone 0800-086-3122 para que as pessoas recebam os esclarecimentos que acharem necessários", completa.

Lopes informa ainda que algumas linhas que fazem pequenas viagens vão permanecer sem a integração e a zona rural ainda não será atendida porque os carros não trabalham com a bilhetagem eletrônica. "Os resultados positivos do nosso trabalho são percebidos. As pessoas estão conseguindo ter um transporte público mais rápido e esperando muito menos pelos ônibus", finaliza.

Novas linhas da integração

Zona Leste

Vila Bandeirantes/Dom Severino
Planalto Uruguai/Avenida Jóquei Clube
Planalto Uruguai/São Cristóvão
Nova Theresina/São Cristóvão
Pedra Mole/Vila do Avião

Zona Norte

Primavera/Avenida Pinel
Mocambinho/Alto Alegre/Matadouro
Buenos Aires/Aeroporto
Santa Sofia/Avenida José dos Santos e Silva

Zona Sudeste

Redonda/Dirceu I/Miguel Rosa
Alto da Ressurreição/Redonda/Barão
São Paulo/Renascença I/ João XXIII

Zona Sul

Planalto/Bela Vista/Miguel Rosa
Sacy/Miguel Rosa
Santa Fé/Pedro Freitas
I.A.P.C./Cristo Rei
Lourival Parente/Morada Nova / Miguel Rosa
Três Andares/ Cidade Nova/Monte Castelo
Lourival Parente/Morada Nova/Shopping/São João
Cerâmica Cil/Miguel Rosa
Vila São Francisco/Promorar/Barão

Informações: cidadeverde.com
 
READ MORE - Teresina terá 85% das linhas integradas a partir de amanhã

Termina greve no transporte público de Rio Preto

O presidente do Sindicato dos Motoristas de Rio Preto, Daniel Caldeira, anunciou quinta-feira (31) à tarde que a categoria aceitou contraproposta de 9% de reajuste  salarial oferecida pela Riopretrans, consórcio criado entre as empresas Circular Santa Luzia e Expresso Itamarati.

O acordo prevê o reajuste imediato de 7,5%, com data retroativa a maio, e de 1,5% em janeiro de 2013. A decisão foi anunciada depois de  assembleia realizada com a categoria  na quinta no terminal central rodoviário. “Recusamos a primeira proposta de reajuste de 7% porque não achamos justa  para categoria”, disse Caldeira.

Além do aumento, a categoria conseguiu aumento de R$ 50 no ticket alimentação, que passará a ser de R$ 360. Com isso, segundo Caldeira, estão descartadas novas paralisações do transporte coletivo na cidade.

A categoria ameaçava cruzar os braços pela terceira vez na terça-feira. Na primeira paralisação, feita na sexta-feira passada, das 4h as 8h, pelo menos 30 mil pessoas ficaram sem o transporte. Já na segunda paralisação,  na terça-feira, no mesmo horário, 162 ônibus não circulavam e pelo 35 mil pessoas ficaram sem transporte.

Riopretrans /O Consórcio Riopretrans informou na noite de ontem, por meio de nota à imprensa, que o reajuste é válido para todos os motoristas do transporte público. “Esse será o maior reajuste concedido até agora no estado de São Paulo para a categoria”, consta na nota da Riopretrans.

A assessoria de imprensa do consórcio informou ainda que  as partes iam assinar um documento ontem à noite, oficializando o acordo, para a suspensão da audiência de conciliação e instrução agendada hoje no Tribunal Regional do Trabalho de Campinas.

Fonte: Rede Bom Dia


READ MORE - Termina greve no transporte público de Rio Preto

Ônibus voltarão a circular parcialmente em Ponta Grossa nesta sexta-feira

Está previsto para a madrugada desta sexta-feira o retorno parcial das atividades do transporte coletivo em Ponta Grossa. No final da tarde de ontem, o escritório Salamacha & Advogados Associados, responsável pelo setor jurídico da Viação Campos Gerais (VCG), conseguiu - na justiça - liminar que determinava, ao menos, o retorno parcial das atividades, sob pena de multa diária de R$ 100 mil aplicada ao sindicato da categoria. Nos horários de pico, 70% da frota deve circular pelas ruas; nos intervalos 50% dos ônibus devem estar a serviço da população. Mais detalhes ao longo do dia ou na edição impressa desta sexta-feira.

Fonte: Diário dos Campos

READ MORE - Ônibus voltarão a circular parcialmente em Ponta Grossa nesta sexta-feira

No Rio, Primeira etapa da Transoeste será inaugurada no dia 6 de junho

O Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou nesta terça-feira (29) que vai inaugurar no dia 6 de junho a primeira etapa da Transoeste, via expressa de transporte coletivo que vai ligar Santa Cruz à Barra da Tijuca pelo sistema BRT (Bus Rapid Transit). O trecho que entra em operação fica entre Santa Cruz e o terminal Alvorada, na Barra.

Pelo projeto, o tempo de espera entre os ônibus deve ser entre um minuto e um minuto e meio, com a intenção de que o passageiro consiga programar a sua chegada . As informações serão fornecidas por painéis de LCD instalados no interior das estações, que também vão alertar sobre o funcionamento do sistema.

As estações BRT  terão acessibilidade a portadores de deficiência, idosos ou mesmo mulheres com carrinhos de bebê. As plataformas estão instaladas no mesmo nível do piso dos ônibus, a 95 cm do solo, vai permitir que isso aconteça sem o uso de mecanismos de elevação, como os utilizados na frota comum.

O corredor Transoeste terá 64 estações BRT, algumas delas integradas a outros meios de transporte, como trens e metrô. A previsão é que o sistema beneficie 220 mil pessoas por dia, reduzindo pela metade o tempo de viagem entre os bairros da zona oeste.


Fonte: R7.com

READ MORE - No Rio, Primeira etapa da Transoeste será inaugurada no dia 6 de junho

Após três dias, motoristas de ônibus encerram greve em Florianópolis

Os motoristas e cobradores de ônibus de Florianópolis decidiram encerrar a greve iniciada à 0h da segunda-feira (28), informou o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Município de Florianópolis (Setuf).

A decisão foi tomada na noite desta quarta, diz o sindicato. A proposta de conciliação foi elaborada pelo Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina (TRT-SC) para pôr fim à greve.
Os trabalhadores reivindicavam aumento real de 5% mais reajuste de acordo com o INPC, além da redução da jornada de trabalho.

A greve foi encerrada após um acordo para aumentar o salário da categoria de R$ 1.517 para R$ 1.591, e o vale-refeição subiu de R$ 380 para R$ 420. Os trabalhadores também terão jornada de trabalho será reduzida de 6h40 para 6h30. Inicialmente os motoristas pediam redução para 6h de jornada.

Nesta quinta, está marcada uma audiência no TRT que servirá para ratificar os termos do acordo firmado entre patrões e empregados, formalizando o fim da greve, informou o tribunal.

Na terça, o TRT havia determinado que toda a frota deveria circular em dois períodos - entre 5h30min e 8h e das 17h30min às 20h; e a metade entre 11h30min e 14h metade. Se não houvesse acordo, o tribunal julgaria nesta quinta pedido do Ministério Público do Trabalho para que essa decisão fosse cumprida, sob pena de multa ao sindicato.

De acordo com a Secretaria de Transportes, cerca de 500 mil pessoas em Florianópolis e da Grande Florianópolis foram afetadas pela paralisação dos motoristas e cobradores de ônibus.

Fonte: g1.globo.com


READ MORE - Após três dias, motoristas de ônibus encerram greve em Florianópolis

Monotrilho uma boa opção para cidade de São Paulo

Uma viagem a 18,5 metros de altura, a até 80 km/h. Segundo imagens divulgadas pelo Metrô, o trecho mais elevado do monotrilho da Linha 17-Ouro terá altura de um prédio de seis andares e passará sobre a Ponte do Morumbi, na Marginal do Pinheiros. O trajeto total terá 17,9 quilômetros e ligará o bairro ao Aeroporto de Congonhas, na zona sul.

Após cruzar o rio e a linha férrea da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), a altura dos pilares será reduzida para 14 metros, em média, mas deve voltar a oscilar durante o restante do percurso, especialmente no cruzamento com avenidas e viadutos existentes.
Nas imagens divulgadas pela empresa é possível visualizar, por exemplo, as intervenções previstas na Avenida Jornalista Roberto Marinho. O monotrilho passará por baixo da alça de acesso da Ponte Octavio Frias de Oliveira, a estaiada da Marginal do Pinheiros, e por cima dos viadutos localizados nos cruzamentos com as Avenidas Santo Amaro e Vereador José Diniz.
Toda essa região, que corta os bairros de Campo Belo, Brooklin e Jardim Aeroporto, é palco hoje de lançamentos imobiliários de alto padrão, com apartamentos avaliados em mais de R$ 2 milhões. Com a chegada do monotrilho, os imóveis correm o risco de perder valor.
Segundo Antonio Claudio Fonseca, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo do Mackenzie, quanto mais próxima estiver a estrutura do edifício, pior será o efeito. "Isso deve ocorrer, por exemplo, na chegada ao Aeroporto de Congonhas pela Avenida Washington Luís. Ali, segundo mostram as imagens do Metrô, os pilares não ficarão no canteiro central, mas na lateral da via, bem perto dos prédios."
Fonseca ainda cita outras soluções preocupantes do ponto de vista urbanístico. "São os cruzamentos da nova linha com viadutos já existentes, como a ponte estaiada. Serão muitos componentes juntos."
Obras. Em construção desde o dia 1.º de abril, a Linha 17-Ouro já interdita uma faixa de 400 metros da Avenida Jornalista Roberto Marinho, no sentido Marginal do Pinheiros. Ao longo do trecho, 110 imóveis serão desapropriados para permitir a construção da linha, que terá 18 estações. Na lista há terrenos comerciais e residenciais espalhados pela Avenida Jorge João Saad e pelas Ruas Senador Otávio Mangabeira e Doutor Flávio Américo Maurano, na região do Morumbi, além de áreas localizadas na região do Jabaquara.
Segundo o governo estadual, a primeira fase - com 7,7 km - deve ser entregue em 2014, a tempo de atender os turistas que desembarcarem em São Paulo para a Copa do Mundo. O trecho ligará o Aeroporto de Congonhas à Estação Morumbi, da Linha 9-Esmeralda da CPTM.
Para Kazuo Nakano, arquiteto e urbanista do Instituto Pólis, o impacto paisagístico talvez nem seja o mais grave, mas a funcionalidade do projeto. "O monotrilho é usado hoje em lugares menores, como em aeroportos, não em ambiente metropolitano. Com um grande número de viagens e de passageiros, como o monotrilho vai se comportar? Se já estamos vendo um grande número de problemas nas linhas do metrô e da CPTM, como será com o monotrilho?", questiona. / COLABOROU RODRIGO BRANCATELLI
Adriana Ferraz - O Estado de S. Paulo
READ MORE - Monotrilho uma boa opção para cidade de São Paulo

Ônibus articulado futurista pode ser adotado no transporte público de Campo Grande

quarta-feira, 30 de maio de 2012

O transporte coletivo de Campo Grande poderá ter ônibus com design futurista, usados em grandes cidades do País. Um modelo, que custa cerca de R$ 800 mil, foi apresentado na manhã de desta quarta-feira (30) para o prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) e empresários do setor.

O veículo articulado, com chassi da Mercedes Bens e carroceria do Marcopolo. lembra um vagão de metrô. Ele é maior e mais espaçoso que os ônibus do mesmo tipo utilizados atualmente na Capital. Ele mede 2,30 metros de altura por 2,60 m de largura e pode transportar 120 passageiros, incluindo pessoas em pé e sentadas, enquanto que o atual tem 2,10 m de altura por 2,50 m de largura e transporta até 90 passageiros.

O modelo apresentado será utilizado na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
“Ele é mais espaçoso e possibilita o transporte de um maior número de passageiros”, explicou André Oliveira, gerente de marketing da Marco Polo.
O ônibus é dotado de GPS, que informa ao usuário o local por onde o ônibus está circulando e qual será o próximo ponto de parada. Tudo isso mostrado em monitores e com alerta sonoro. Além de ter ar condicionado, ele possui bancos ergométricos, que não absorvem líquidos e não incendeiam.

Todo esse conforto e tecnologia têm um alto custo, cerca de R$ 800 mil, valor que pode aumentar ou diminuir dependendo da quantidade de acessórios adaptados no veículo, explica o gerente.
O valor dos articulados que circulam na Capital é de R$ 650 mil.
De acordo com o presidente da Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano), João Resende, quem vai escolher o modelo adotado são as empresas que vencerem a licitação do transporte coletivo que será aberta em junho.

Segundo ele, é possível melhorar e modernizar os veículos utilizados, mas é preciso ter cautela e não gastar dinheiro com itens desnecessários. “Já que no final quem paga a conta é o usuário”, afirma detalhando que o ar condicionado é o acessório “desnecessário neste momento”.
João Resende explica que para a compra de novos ônibus, a Prefeitura oferece incentivos para os empresários e facilita aquisição.

Exigências
Conforme o diretor da Agetran (Agência Municipal de Trânsito), Rudel Trindade, as empresas que vencerem a licitação terão que adquirir ônibus mais modernos. Segundo ele, a frota deverá ser ampliada de 539 para 600. Desses, 60 terão de ser articulados. Hoje, são 45.

O prefeito fez uma avaliação positiva do veículo após um rápido passeio pelas ruas da cidade. Trad explicou que a tendência é que as empresas troquem os ônibus antigos por novos, deixando o transporte mais seguro. “Nós queremos que as pessoas deixem o transporte individual para o coletivo”,

Trad Filho comentou ainda sobre a licitação para o setor. Lembrou que as empresas que quiseram atuar no transporte da Capital terão que atender uma série de exigências. Cada uma, citou, terá que colocar em circulação pelo menos cinco novos veículos.

A modernização do transporte público faz parte do projeto apresentando pela Prefeitura ao Ministério das Cidades para que a Capital fosse incluída no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade.
A cidade está entre os 51 municípios brasileiros com mais de 700 mil habitantes que tiveram projetos habilitados. Segundo Trad, a Prefeitura está esperando o aval da Caixa para apresentar o projeto executivo.

No total o município irá receber R$ 180 milhões. Entre as obras previstas está a construção de 55 quilômetros de corredores para circulação de ônibus.

Fonte: campograndenews.com.br

READ MORE - Ônibus articulado futurista pode ser adotado no transporte público de Campo Grande

Cai o IPI sobre veículos. E, com ele, a qualidade de vida

O frio vai chegando à capital paulista. Daqui a pouco, voltaremos a conviver com uma faixa bege, levantando o horizonte em alguns centímetros. Porque São Paulo não poderia ter o horizonte no mesmo patamar das outras cidades, de jeito nenhum. Mesmo que isso custe a qualidade de vida de milhões de pessoas que diariamente estão envolvidas em um chumaço de poluição gerada por milhões de felizes condutores de veículos que surgem a cada dia como se fossem Gremlins em dia de chuva. O pior é que quem calcula o número de anos perdidos pelos citadinos paulistanos por respirar meleca é considerado entrave ao desenvolvimento. É mais patriótico comemorar os recordes de fabricação de veículos do que o número de baixas direta ou indiretamente causadas por eles.

Ah, mas o dinheiro público que despejamos na indústria automobilística nos ajudou a sair da crise econômica! Será mesmo? O governo brasileiro acordou para a vida e vai começar a checar se o tamanho do apoio que dá à indústria se traduz na melhora da economia. Vão analisar pelo viés do preço ao consumidor, o que já um começo, mas não deveria ficar por aí. Mas, ao mesmo tempo, e mais uma vez, reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), para aumentar o consumo de automóveis.

Sempre optamos pela saída mais fácil, sem pensar nas consequências. Como boa parte do capital não aceita condicionantes, contrapartidas sociais, ambientais ou trabalhistas decentes pelo dinheiro investido só quando um fusca falar.

E se os mesmos recursos fossem investidos no transporte público, favorecendo a coletividade e não o individualismo? E se o Estado optasse por gerar empregos na fabricação e veiculação de ônibus, trens, bondes e na reestruturação da malha urbana para acolher ciclistas e pedestres, ao invés de incentivar que pessoas comprem seus bólidos, cada vez mais planejados para suprimir as frustrações do dia-a-dia? Respire fundo! Vocês e seus filhos vão viver menos por conta da poluição e do estresse, mas felizes, porque estarão motorizados.
E se a primeira parte desse debate poderia ser traduzia com a pergunta “é racional ter tanto carro assim?”, a segunda poderia ser “quem afinal de contas ganha com isso?”

Sou a favor de defender a indústria nacional, básico, por várias razões (exceto os argumentos brotados de babaquices patrióticas). Mas isso não significa que tenhamos que, no intuito de apoiar o desenvolvimento nacional, fechar os olhos para a caca feita em nosso quintal. Ou ignorar que contrapartidas existem para serem exigidas.

Por exemplo, durante o pico da crise econômica mundial, a General Motors demitiu 744 trabalhadores de sua fábrica em São José dos Campos (SP) sob a justificativa de “diminuição da atividade industrial”. Mesmo após ter recebido apoio da União e do governo do Estado de São Paulo no sentido de facilitar a compra de seus produtos por consumidores. Vale destacar que o setor também foi beneficiário de recursos oriundos de fundos públicos, como o Fundo de Amparo ao Trabalhador e o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, ou seja, pertencentes aos trabalhadores.

A verdade é que as grandes beneficiárias do apoio financeiro dado às montadoras durante a crise de 1998, mais do que a economia brasileira, foram elas próprias. Muitas encararam as operações brasileiras com sua âncora de salvação, diante da queda livre nos Estados Unidos e na Europa.

Alguns “especialistas” disseram e escreveram que o Ministério do Trabalho e Emprego e sindicatos faziam uma chiadeira irracional, quando pediam contrapartidas à cessão de linhas de crédito ou corte de impostos vinculada à manutenção de empregos. Juravam que empresas não podem operar esquecendo que estão inseridas em uma economia de mercado. Em outras palavras, defendiam que não dava para esperar que o capital fosse dilapidado da mesma forma que o trabalho em uma crise. Diretores de federações de patrões e economistas ligados a empresas que pediram a redução salarial com manutenção de jornada durante a crise se arrepiam até hoje quando sindicatos e alguns parlamentares pressionam pela diminuição de jornada de 44 para 40 horas semanais com manutenção salarial. Para eles, isso é pecado, coisa do mal.

Essa “regra do jogo” me faz lembrar um restaurante self-service. Você passa com a bandeja e escolhe o que quer e o que não quer para o almoço. O que é bom coloca no prato, o que é ruim vira xepa para a massa se servir depois. Traduzindo: o Estado tem que garantir e ajudar o funcionamento das empresas, mas as empresas não podem sofrer nenhuma forma de intervenção em seu negócio. Um liberalismo de brincadeirinha, de periferia do mundo, com um Estado que despeja grana, mas subserviente ao poder econômico, em que o (nosso) dinheiro público deve entrar calado para financiar os erros alheios. Privatizam-se lucros, estatizam-se prejuízos.

O governo tem a obrigação sim de exigir contrapartidas de quem vai receber recursos ou benefícios devido a uma crise econômica – aliás, esse era o momento ideal para isso – e mesmo fora dela. De tanto bater em pedra surda, obteve-se algumas contrapartidas da indústria quanto à manutenção de empregos. Mas isso é apenas parte do que deve ser exigido, a parte mais lógica.

Fonte: Blog do Sakamoto

READ MORE - Cai o IPI sobre veículos. E, com ele, a qualidade de vida

Reajuste na passagem de ônibus de Salvador deve ser anunciada nos próximos dias

A decisão de reajustar ou não a tarifa de ônibus em Salvador deve sair daqui a três dias, segundo o secretário municipal de Transportes e Infraestrutura (Setin), José Mattos. Nesta terça (29), Mattos se reuniu com os donos de empresas de ônibus de Salvador, que já haviam encaminhado à prefeitura um pedido de reajuste de R$2,50 para R$3,15, após o encerramento da greve dos rodoviários, no último sábado.

Os empresários alegam  que o “impacto resultante do reajuste salarial e de benefícios concedidos pela Justiça do Trabalho” aos rodoviários, que pararam por quase quatro dias, vai gerar uma despesa mensal de R$ 6 milhões às empresas. Mattos adiantou que “não há hipótese de aumento da tarifa desse percentual (26%), mas os técnicos estão analisando a planilha de custo apresentada pelos empresários”. 

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps), ao cumprir o  reajuste de 7,5%  determinado pela Justiça e o aumento de 4,09% no tíquete-refeição, além de outros benefícios, as empresas vão passar a operar com prejuízo. O Setps alega que a atual da tarifa, de R$ 2,50, está defasada há seis meses em relação ao custo real de cada passageiro, estimado em R$ 2,96 até a decisão.

O Setps afirma que o último pedido de aumento ocorreu em 2011 e foi negado. De acordo com o Setps, de 2002 até 2011, o valor da passagem de ônibus saiu de R$ 1,10 para R$ 2,50 (confira a tabela). A Justiça ainda determinou o retorno do pagamento do quinquênio, benefício pago aos rodoviários que têm mais de cinco anos de atividade. Segundo os empresários, a mão de obra que “pesava” 46,7% aumenta agora para 49,7%.

Fonte: Correio 24 Horas

READ MORE - Reajuste na passagem de ônibus de Salvador deve ser anunciada nos próximos dias

Em João Pessoa, Terminal do Bessa será inaugurado nesta quinta-feira

A cidade de João Pessoa ganha, na próxima quinta-feira (31), mais um equipamento que vai facilitar o dia a dia das pessoas que utilizam ônibus em seus deslocamentos e melhorar, ainda mais, o sistema de transporte da capital. Trata-se do novo terminal do Bessa, localizado na Rua Washington Luis, em frente ao mercado público do bairro. O novo espaço disponibilizado graças a uma parceria público/privada, que envolveu a Prefeitura de João Pessoa e empresas de ônibus da capital, será inaugurado nesta quinta-feira (31), pelo prefeito Luciano Agra e os empresários de transporte da cidade, durante solenidade marcada para começar às 8h.

O novo terminal tem uma estrutura inovadora que inclui, na sua área interna, espaço para embarque e desembarque numa ampla sala de espera coberta, equipada com bancos de madeira, bebedouro, banheiros masculino, feminino e para portadores de deficiência, uma lanchonete, guichês, além de uma sala climatizada que poderá ser utilizada para pequenas reuniões e treinamentos. Na parte externa, além da sala de fiscalização, há outros dois banheiros. Todo o entorno do terminal é calçado e ele tem ainda um grande jardim que acompanha as duas laterais e a frente, além de uma calçada construída com rampa de acesso para cadeirantes.

“Disponibilizamos neste terminal toda uma infraestrutura necessária para um bom atendimento aos passageiros e uma melhor prestação de serviço na área de transporte público”, afirma o dirigente da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob), Nilton Pereira. O diretor executivo da Associação das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos de João Pessoa (AETC-JP), Mário Tourinho, reforça que a construção do terminal é fruto do esforço conjunto do poder público e da iniciativa privada para melhorar, ainda mais, o sistema de transporte público de João Pessoa. “Com o terminal, os moradores do Bessa e adjacências serão beneficiados não apenas com a disponibilidade de um espaço diferenciado, mas, sobretudo, com novas opções de serviços”, afirma Mário Tourinho.

O novo terminal vai beneficiar, especialmente, os moradores do bairro do Bessa que utilizam, diariamente, as linhas 513 – Tambaú (Reunidas), 601 – Bessa/Manaíra Shopping (Transnacional) e 603 – Bessa/Bessa Shopping, além das linhas intermunicipais 5103 Poço e 5104 – Jacaré/Intermares, que circularão de forma integrada. As linhas 601, 603 e 513 operam, respectivamente, com 8, 6 e 7 veículos cada uma. O terminal também vai beneficiar a população de Intermares e da Praia do Poço, que não precisará mais pagar passagem na segunda viagem quando integrarem no novo terminal. 

Fonte: PB Agora

READ MORE - Em João Pessoa, Terminal do Bessa será inaugurado nesta quinta-feira

Rio+20: Prefeitura do Rio apela para que carros fiquem na garagem nos dias 20, 21 e 22 de junho

Na contagem regressiva para a Rio+20, a prefeitura apela aos cariocas para que evitem dirigir em vias importantes da cidade nos dias 20, 21 e 22 de junho e usem transporte público. Nesse período, chefes de estado de mais de 100 países estarão na cidade para a conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável.

Linhas Vermelha e Amarela, Avenida das Américas e os viadutos da Perimetral e do Gasômetro terão o trânsito afetado pela passagem de mais de 500 automóveis das comitivas oficiais e dos batedores. Nestes dias, todas as faixas reversíveis da cidade estarão suspensas e a Avenida Niemeyer terá, em horários especiais, apenas um sentido.

“Pedimos a compreensão da população. A nossa cidade será uma espécie de capital do mundo nesse período”, explicou o prefeito Eduardo Paes. A orientação dele é que a população evite o trajeto entre o Aeroporto Internacional Tom Jobim e os bairros da zona Sul, além das rotas de acesso ao Riocentro, onde vai se concentrar o evento.

As Infiltradas
Durante a Rio+20, haverá mais repressão a cracolândias, principalmente no Centro e na Lapa. A Guarda Municipal recebeu informação de polícias de outros países sobre manifestações de ativistas ambientais aqui.

Pelo menos 25 mulheres da Guarda trabalharão infiltradas no Riocentro, onde os chefes de estado vão se reunir. Elas vão monitorar suspeitos. A torre de vigilância usada no Rock in Rio — semelhante a que fica na fronteira do México com os EUA — será instalada no Parque do Flamengo, onde acontecerá a Cúpula dos Povos.
O equipamento tem câmera com visão 360º e capacidade noturna, que alcança até 2 km de distância. A torre possui alto-falantes e canhões de luz.

Dois Cieps no Centro e no Catete virarão alojamentos
Os 1.200 alunos dos Cieps Pedro Varela, no Centro, e Tancredo Neves, no Catete, terão as aulas suspensas a partir do dia 16. O primeiro vai alojar 900 pessoas e o segundo, 550, de movimentos sociais que virão à cidade para a Rio+20.
Ativistas poderão acampar no Sambódromo, na Quinta da Boa Vista e no no campus da Praia Vermelha da UFRJ entre 16 e 23 de junho. A conferência da ONU é de 13 a 22.
Haverá feriado escolar entre 20 e 22. Alunos de escolas públicas municipais terão dever de casa no folgão: fazer minirreportagens sobre o evento.

Reforço recorde na segurança aumenta para 20 mil homens
Vigiada por 20 mil homens a mais, a cidade não terá o maior aparato de segurança de sua história só no asfalto. O reforço de policiamento — que ganhou mais 5 mil homens além dos 15 mil anunciados na segunda-feira — se estenderá a seis favelas pacificadas que deverão receber visitas de delegações internacionais.

As comunidades são: Cidade de Deus, Complexo do Alemão, Santa Marta, Chapéu Mangueira, Babilônica, Pavão-Pavãozinho. O entorno do Riocentro promete ser o local mais vigiado da cidade, com policiais da ONU, federais e militares do Exército. O trajeto do aeroporto internacional até a Zona Sul, a Barra, o Píer Mauá, a Quinta da Boa Vista e a Arena HSBC, onde haverá alguns eventos da Rio+20, também estará cheio de policiais.
O prefeito Eduardo Paes e secretários explicaram as mudanças na cidade durante a conferência da ONU | Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia
O prefeito Eduardo Paes e secretários explicaram as mudanças na cidade durante a conferência da ONU | Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia
Nos alojamentos haverá 50 guardas. Nos arredores de hotéis do Centro, Flamengo, Botafogo, Leme, Copa, Ipanema, Leblon e Barra, 62. Só para o Aterro do Flamengo, local da Cúpula dos Povos de 15 a 23 de junho, serão 150 homens. Pão de Açúcar e Corcovado vão receber atenção especial.

Ação para impedir táxi pirata no aeroporto
De olho no aumento de desembarque de passageiros por causa da Rio+20, a CET-Rio vai começar sábado o projeto Táxi Boa Praça, no Aeroporto Santos Dumont. Câmeras vão multar taxistas não autorizados. No Aeroporto Internacional Tom Jobim, que já conta com o serviço, haverá a instalação de grades nas áreas onde taxistas irregulares estacionam. Lá, apesar das câmeras de fiscalização, alguns motoristas passam por atalho para fugir do monitoramento.
READ MORE - Rio+20: Prefeitura do Rio apela para que carros fiquem na garagem nos dias 20, 21 e 22 de junho

Segundo TRT, Greve de ônibus em Ponta Grossa é abusiva

Em decisão anunciada agora há pouco, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT), considera abusiva e ilegal a greve dos motoristas e cobradores da Viação Campos Gerais, iniciada na madrugada de hoje, que deixou mais de 100 mil usuários sem transporte coletivo. Em seu despacho, o desembargador Altino Pedrozo dos Santos determina ao sindicato que garanta a manutenção das atividades de transporte coletivo correspondente a 70% da frota nos horários de pico, e de 50% nos demais horários, sob pena de aplicação de multa diária no valor de R$ 100 mil. As informações são dos advogados Celso Justus e Liliane Beatriz Uez.

Segue nota da empresa
A Viação Campos Gerais, concessionária do transporte coletivo de Ponta Grossa informa que a ação protocolada junto ao Tribunal Regional do Trabalho julgou a greve abusiva, e determina imediatamente que 70% da frota opere nos horários de pico e 50% nos horários de entre pico. A informação foi recebida pela VCG nesta quarta-feira (30/05), por volta das 17h30 e caso a ordem judicial seja descumprida, o sindicato da categoria deverá pagar multa de 100 mil reais por dia de descumprimento.
O escritório jurídico da concessionária disse que o sindicato, através dos seus advogados, já estão cientes da determinação da justiça.  
O sindicato ainda não se manifestou em relação à decisão da justiça.

Fonte:  Jornal da Manhã

READ MORE - Segundo TRT, Greve de ônibus em Ponta Grossa é abusiva

Sindicato aceita 7% de reajuste e greve de ônibus em Ribeirão Preto chega ao fim nesta sexta-feira

A greve dos motoristas de ônibus de Ribeirão Preto (SP) pode ter um desfecho na manhã desta quinta-feira (31). O Sindicato dos Empregados do Transporte Coletivo (Seeturp) aceitou na tarde desta quarta-feira (30) a proposta de 7% de reajuste salarial durante audiência conciliatória com os empresários do setor no Tribunal Regional do Trabalho em Campinas (SP).
Foto: Alfredo Risk

Representantes do sindicato farão assembleias na madrugada de quinta nas garagens dos ônibus para comunicar os detalhes do acordo aos trabalhadores. A expectativa dos sindicalistas é que o reajuste, que não chega à metade dos 15% inicialmente reivindicados, seja aceito. “Acredito que amanhã a greve seja encerrada. Se isso acontecer, vamos ter um pequeno atraso na saída dos ônibus, mas isso se resolve durante o dia”, explicou o presidente do Seeturp, João Henrique Bueno.

Bueno também afirmou que a orientação dos Seeturp será o reestabelecimento do serviço. “Acho que a proposta é razoável para o momento. O sindicato vai indicar no sentido de que a proposta seja aprovada, mas quem vai decidir são os trabalhadores”.

A audiência no Tribunal do Trabalho também definiu reajuste no vale alimentação, prêmio por dupla função e participação nos lucros e resultados. Além disso, as empresas concordaram em não descontar dos salários dos empregados os dias parados.

GreveRibeirão Preto completou nesta quarta-feira três dias de paralisação do transporte público municipal, do qual 160 mil passageiros dependem diariamente.

Fonte: G1 SP

READ MORE - Sindicato aceita 7% de reajuste e greve de ônibus em Ribeirão Preto chega ao fim nesta sexta-feira

Em São Paulo, Governador autoriza compra de 22 veículos leves sobre trilhos (VLT), que ligará São Vicente à Santos

O governador Geraldo Alckmin autoriza nesta quarta-feira, 30, a publicação do edital para a compra de 22 veículos leves sobre trilhos (VLT) que ligarão o Terminal Barreiros em São Vicente, ao Valongo, em Santos. O trecho de 15 km corresponde à primeira fase do SIM (Sistema Integrado Metropolitano), projeto do governo do Estado coordenado pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos, por meio da EMTU/SP. O Presidente da EMTU/SP, Joaquim Lopes, representará o Secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, na cerimônia.

O edital será publicado em 31/05 no Diário Oficial do Estado. A licitação é de âmbito internacional e deve ser concluída em julho. Em setembro, será assinado o contrato com a empresa vencedora. O primeiro veículo deverá ser entregue em um prazo de 18 meses a partir da assinatura (março de 2014) e a entrega de todos os trens está prevista para dezembro de 2014. O custo total aproximado dos veículos é de R$ 284 milhões.

Outro passo importante para viabilizar a circulação do VLT é a licitação dos sistemas de comunicação e sinalização. O edital de compra dos sistemas de energia, sinalização, telecomunicações, controle de tráfego e bloqueios (catracas e guichês) deve ser publicado no final de junho e o custo estimado é de R$ 171 milhões.

Fonte: Governo de São Paulo
READ MORE - Em São Paulo, Governador autoriza compra de 22 veículos leves sobre trilhos (VLT), que ligará São Vicente à Santos

Paralisação dos metroviários chega ao 16º dia

A greve dos metroviários de Belo Horizonte, que já chega a 16 dias, foi mantida após a realização de uma assembleia na tarde desta terça-feira (29). Segundo o Sindicato dos Empregados em Empresas de Transporte Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro-MG), a categoria continuará a cumprir a escala mínima determinada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Uma nova reunião está agendada para esta quinta-feira (31).

Ainda de acordo o Sindimetro-MG, representantes dos sindicatos das cinco capitais onde há greve – Belo Horizonte, João Pessoa, Maceió, Natal e Recife – reúnem-se, nesta terça-feira, com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos em Brasília.

Escala mínimaNo dia 14 de maio, os metroviários de Belo Horizonte decidiram acatar a proposta do TRT de adequação da escala mínima. Em audiência, o tribunal propôs a redução de 30 minutos na escala definida em liminar, determinando o funcionamento do metrô das 5h20 às 8h30 e das 17h às 19h30, de segunda-feira a sexta-feira, horários com maior movimentação de passageiros. Nos sábados, os metroviários devem trabalhar entre 5h30 e 9h. Caso a decisão seja descumprida, o sindicato será multado diariamente em R$ 30 mil.
Anteriormente, Tribunal Regional do Trabalho havia determinado que os metroviários cumprissem 100% da escala nos horários de maior movimentação do metrô de Belo Horizonte.

ReivindicaçõesOs metroviários reivindicam aumento real corrigido com a inflação, bonificação atrelada ao aumento do número de passageiros, plano de saúde integral e adicional noturno de 50%.

READ MORE - Paralisação dos metroviários chega ao 16º dia

Greve de ônibus na Grande Florianópolis entra no seu 3º dia

Os trabalhadores do transporte coletivo não aceitaram a proposta apresentada pelas empresas na noite desta terça-feira. Na assembleia que iniciou pouco depois das 23h e durou mais de uma hora, motoristas e cobradores decidiram também não cumprir a determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), ou seja, não colocarão os ônibus para circular nos horários de pico.

Os empresários haviam proposto aumento no vale-refeição de R$ 400 para R$ 420, mas os trabalhadores não aceitaram. O impasse também está na jornada de trabalho. Os trabalhadores querem redução da carga horária diária de 6h40min para 6h.

Na reunião de conciliação, o TRT propôs que a jornada fosse fixada em 6h30min neste ano e reduzida para 6h20min em 2013. Mas o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Urbano da Grande Florianópolis (Sintraturb) não concordou com a redução gradual da carga horária. Além disso, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Município de Florianópolis (Setuf) exigiu que os dias não trabalhados durante a greve fossem compensados, o que também não gerou acordo.

A terça-feira foi de negociação. No fim da tarde, em uma reunião conciliatória, o TRT decidiu que toda a frota de ônibus deveria circular totalmente entre 5h30min e 8h e das 17h30min às 20h; e pela metade entre 11h30min e 14h — o que não foi acatado pelos trabalhadores.

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros do Município de Florianópolis (Setuf) afirmou, através da assessoria de imprensa, que cumpriria a determinação e apresentaria uma nova proposta em reunião de portas fechadas. Mas a proposta apresentada pelas empresas aos trabalhadores antes da assembleia não agradou e a greve foi mantida.

Sem a frota mínima nas ruas, trabalhadores e empresas dividem uma multa diária de R$ 100 mil. Além disso, o Procon de Santa Catarina percorreu as empresas de transporte público da Grande Florianópolis, na tarde desta terça-feira, para aplicar autos de infração. De acordo a diretora estadual do Procon, Elizabete Fernandes, as empresas serão autuadas por interromperem um serviço de utilidade pública e contínuo. O serviço está interrompido desde a 0h de segunda-feira.

Os autos podem gerar multa de até R$ 6 milhões dependendo do faturamento da empresa. As empresas terão 10 dias para apresentarem uma defesa.

:: Serviço de Transporte Especial
Funcionamento:
-- Cinco bolsões de transporte alternativo serão criados na região central de Florianópolis.
-- A frota, de 430 veículos, será composta por ônibus, micro-ônibus e vans já cadastrados pela prefeitura para turismo e transporte escolar.
-- Nos bairros, os passageiros vão embarcar e desembarcar nos pontos de ônibus. Os terminais de integração estarão fechados.

:: Regiões atendidas
- Área central, Continente, Norte da Ilha, Leste da Ilha e Sul da Ilha.

:: Percurso
- Os veículos vão percorrer o mesmo trajeto do transporte coletivo e estão orientados a parar em todos os pontos de ônibus que tenham passageiros.

:: Preço da passagem
- R$ 4 para a área central da cidade, que vai do Centro ao Norte, até o Floripa Shopping, ao Leste até o Itacorubi e ao Sul até o aeroporto.
- R$ 5 para as outras regiões.

:: Horário de circulação
- Das 5h às 20h.
- Após esse horário, os veículos só vão circular se houver demanda.


READ MORE - Greve de ônibus na Grande Florianópolis entra no seu 3º dia

Em São Luís, Greve dos rodoviários continua por tempo indeterminado

Os sindicatos dos Rodoviários (STTREMA) e das Empresas de Ônibus (SET) voltarão a se reunir nesta quarta-feira (30) às 11h, na Câmara de Vereadores de São Luís para, mais uma vez, tentar pôr um fim na greve de motoristas de ônibus da capital iniciada na última segunda-feira (21). Enquanto os sindicatos não entram em um acordo, a frota de ônibus que está circulando na capital continua de 50%.

Os rodoviários reivindicam um reajuste salarial de 16%, tíquete-alimentação de R$ 450,00 e inclusão de mais um dependente nos planos de saúde e odontológico.

Presidente do TRT-MA mantém decisão que obriga SET a pagar multa
A presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão, desembargadora Ilka Esdra Silva Araújo, manteve intacta nesta terça-feira (29) a decisão que determinou multa ao Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de São Luís (SET). A decisão foi dada no agravo regimental impetrado pelo SET no dia 24 de maio.

Diz a desembargadora, em seu despacho, que independentemente da decisão de tutela antecipada que garantiu 7% de reajuste aos rodoviários e determinou a imediata circulação da frota, a prestação do serviço público adequado constitui dever legal do concessionário, conforme prevê a Lei 8997/95, que trata da concessão pública. Diz ainda que de acordo com a Lei 7.783/89, a lei de greve, a participação no movimento paredista suspende o contrato de trabalho, possibilitando, desde logo, a contratação temporária de trabalhadores substitutos para evitar a suspensão de atividade essencial, no caso, o serviço de transporte público.

Com relação ao pleito de expedição de ofício à Polícia Federal, para suspender a instauração do inquérito policial, a desembargadora asseverou que revela-se ilegal, porquanto em se tratando de crime de ação penal pública incondicionada, a autoridade policial que tomar ciência do fato criminoso tem o dever de instaurar, de ofício (ou seja, independentemente de qualquer provocação), o competente inquérito policial, sob pena de violação do dever funcional.

O SET requereu a reconsideração de decisão agravada para tornar sem efeito a aplicação da multa inicial de R$ 50 mil, além de requerer o desbloqueio de eventuais valores que já tenham sido retidos junto à Prefeitura de São Luís ou junto aos sistemas BacenJud e RenaJud. Também requereu expedição de ofício à Polícia Federal para suspender a abertura de inquérito, em face dos membros da diretoria do sindicato.

Fonte: Imirante.com

READ MORE - Em São Luís, Greve dos rodoviários continua por tempo indeterminado

SMTU anuncia novo plano de circulação de ônibus articulado em Manaus

A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) informa que em razão da subida das águas na área do Terminal da Matriz, os ônibus articulados e biarticulados terão o itinerário desviado na área do Centro Comercial de Manaus a partir desta quinta-feira, 31.

São 5 carros, modelo biarticulado, e 94, articulados, circulando atualmente pelo Terminal Central da Matriz na rua Marques de Santa Cruz.

A partir desta quinta-feira, em regime emergencial, eles devem desviar o itinerário pela Avenida Epaminondas, seguindo pelas ruas Simão Bolívar (Praça da Saudade) e Ferreira Pena para então seguir o itinerário normal.

Os 260 ônibus da modalidade executivo, também tiveram o itinerário modificado. Agora eles seguem pela Avenida Epaminondas, rua 10 de Julho até a Getúlio Vargas para então seguir o itinerário normal.

Os técnicos da SMTU continuam realizando a avaliação diária do Terminal Central. O Plano Emergencial, que prevê a interdição do Terminal só deve ser implementado quando a água impedir o acesso da população e dos ônibus convencionais, a fim de evitar maiores transtornos aos usuários.

Logo nas primeiras horas desta quinta feira, fiscais da SMTU e agentes da MANAUSTRANS estarão no local para orientar os motoristas e usuários do transporte coletivo.
READ MORE - SMTU anuncia novo plano de circulação de ônibus articulado em Manaus

Em Curitiba, Frota de ônibus ganhará segurança e agilidade para receber turistas durante os grandes eventos esportivos

Curitiba (PR) já tem uma das maiores e mais eficientes frotas de ônibus do Brasil, mas moradores e turistas podem esperar mais facilidades durante a Copa das Confederações, em 2013, e a Copa do Mundo de 2014.A prefeitura da cidade, por meio da Urbanização de Curitiba S.A – URBS, empresa responsável pelo transporte coletivo de Curitiba, está inovando em segurança: até quarta-feira (30), ela receberá projetos-piloto para a implantação de câmeras de monitoramento dentro dos terminais, estações e ônibus.

A expectativa é que até julho do ano que vem todos os terminais da cidade tenham o sistema. Até o fim de 2013, as chamadas estações tubulares, que dão acessos ao transporte, também devem ser beneficiadas.

Outras iniciativas estão em curso para melhorar o transporte local. Obras de pavimentação e adequação de avenidas permitirão que o Expresso Ligeirão ganhe uma terceira linha, com 32 tubos reformados nas estações para melhorar a acessibilidade dos passageiros. Estima-se que após a conclusão da terceira linha cerca de 450 mil pessoas sejam beneficiadas diariamente.

Marcos Isfer, presidente da URBS, conta que a nova linha vai proporcionar mais rapidez aos curitibanos e turistas. “Haverá menos paradas. Na época da Copa 2014 esse será um importante avanço para que os visitantes tenham mais tempo para conhecer nossos atrativos turísticos”, afirmou.

Ministério do Turismo


READ MORE - Em Curitiba, Frota de ônibus ganhará segurança e agilidade para receber turistas durante os grandes eventos esportivos

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960