No Recife, Viadutos da Agamenon serão construídos a partir de março

sábado, 10 de dezembro de 2011

O Governo do Estado deu início à construção efetiva dos quatro viadutos que cruzarão a Avenida Agamenon Magalhães. Nesta sexta-feira (09), o governador Eduardo Campos lançou o edital de licitação que escolherá a empresa responsável pela obra e decretou como de utilidade pública dezenas de imóveis que serão impactados pelos serviços.

“Esta é uma resposta efetiva que o Governo Eduardo Campos dá à questão da mobilidade no Recife”, disse o secretário das Cidades, Danilo Cabral.

Com a abertura da licitação, espera-se que as obras tenham início em março do próximo do ano e sejam concluídas em 18 meses. O valor total dos viadutos é de R$ 132 milhões. O Governo do Estado vai pagar dois terços do montante e a União arcará com o restante dos recursos.

Aumentar em 50% a velocidade média na Agamenon Magalhães é o objetivo da construção dos elevados. “É como se abríssemos mais duas faixas de cada lado da Agamenon”, disse o governador. Hoje, no sentido Olinda-Recife, esta velocidade chega a ser de apenas 5km/h em alguns pontos e passará a ser de 18km/h. No sentido contrário, a velocidade média em alguns trechos é de 7km/h e passará a ser de 40km/h.

Os passageiros do transporte público também serão beneficiados com a abertura de uma pista exclusiva para ônibus ao lado do canal que vai possibilitar aos ônibus andar duas vezes mais rápido que os carros. Também serão construídas 10 estações e quatro passarelas.

Um estudo de tráfego encomendado pelo Governo do Estado será entregue antes do início das obras e vai apontar as mudanças no trânsito que precisarão ser feitas durante as obras. “Vamos trabalhar nos três turnos para dar mais velocidade aos trabalhos e diminuir os transtornos”, garantiu o secretário das Cidades, Danilo Cabral.

Os viadutos terão duas pistas e sete metros de largura. Todos eles serão estaiados, o que agride menos a paisagem da cidade e agiliza a sua construção. “Eles podem ser feitos fora do canteiro de obras e levados à noite”, explicou o governador.

Do total de R$ 132 milhões, cerca de R$ 35 milhões serão destinados às desapropriações totais ou parciais de terrenos como o do Bompreço do Parque Amorim, o Clube Português e o Colégio Contato. “Todos os 31 imóveis devem ser contactados ainda este ano pela nossa Secretaria-executiva de Desapropriações”, informou Eduardo.

LOCALIZAÇÃO – O viaduto Bandeira Filho ficará situado entre a entrada da Rosa e Silva, próximo ao Português e a Mac Donalds; o Rui Barbosa segue do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) até o Colégio Americano Batista. O terceiro viaduto, Joaquim Nabuco, sairá da Rua Dom Bosco até o Hospital Santa Joana. O último elevado, Paissandu, começa na General Joaquim Inácio (ao lado do Hospital Português) e sai no canteiro central.


Informações do Governo do Estado de Pernambuco

READ MORE - No Recife, Viadutos da Agamenon serão construídos a partir de março

Passagem de ônibus em Cuiabá sobe para R$ 2,70


A partir da meia-noite do próximo domingo (11), a passagem de transporte coletivo em Cuiabá em Várzea Grande estará mais cara. Em Cuiabá, a tarifa vai subir de R$ 2,50 para R$ 2,70. Em Várzea Grande, a tarifa sai de R$ 2,40 para R$ 2,60, atingindo também a linha de transporte intermunicipal que faz a ligação dos dois municípios.

O índice de 8% supera o índice da inflação acumulada desde novembro de 2010, quando ocorreu o último reajuste.

Anteriormente, as empresas que operam o sistema de transporte em Cuiabá reivindicavam aumentar a passagem para R$ 2,79, porém, o Conselho Municipal de Transporte analisou dados técnicos e verificou que R$ 2,70 é o preço "mais justo".

Em Várzea Grande, o levantamento técnico foi feito pelo Conselho Regional de Economia (Corecon) e entregou à Secretaria Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), que também acatou a orientação de reajuste da tarifa em 8%.

O transporte rodoviário que é o deslocamento de um município para o outro vai ter reajuste de 6,39%. Conforme dados da Ager (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso), a cada 100 quiilômetros rodados em áreas pavimentadas, se cobravam R$ 17. Agora, vai para R$ 18. Em áreas não pavimentadas, a cada 100 quiilômetros rodados, se pagavam R$ 23,40. Agora, vai para R$ 24,90.

Argumentos

O anúncio do reajuste foi feito na tarde desta sexta-feira (9), no gabinete do prefeito Chico Galindo (PTB), que estava acompanhado do prefeito de Várzea Grande, Sebastião dos Reis Gonçalves, o Tião da Zaeli (PSD), e da presidente da Ager (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso), Márcia Vandoni.

Para reajustar a tarifa de transporte em Cuiabá e Várzea Grande, são levados em consideração gastos aplicado pelos empresários do transporte nos últimos meses, conforme explicou a presidente da Ager, Márcia Vandoni.

"Tem que se considerar o custo dos insumos, pneus, lubrificantes, número de passageiros, quilometragem percorridas, remuneração pela utilização da mão de obra, que é salário de motorista e cobrador. Isso compõe o custo e define o preço da tarifa", disse Vandoni.

Além disso, o aumento leva em consideração, ainda, a quantidade de gratuidades concedidas a estudantes e idosos.

O prefeito Chico Galindo minimizou o impacto do aumento da tarifa, lembrando que outros municípios brasileiros, como Campinas (SP), São José dos Campos (SP), Santo André (SP), Curitiba (PR), Nova Iguaçu (RJ) e Campo Grande (MS), cobram tarifas no transporte coletivo que variam de R$ 2,50 a R$ 2,85.

"O aumento está obedecendo ao índice da inflação. O reajuste não agrada a população, mas não há abusos. Tudo está transcorrendo dentro da legalidade. Em 2010, houve aumento de 9,6%, agora, o índice atinge 8%", destacou.

O prefeito de Várzea Grande, Tião da Zaeli, classificou o aumento na tarifa de "justo". "O aumento obedece ao índice inflacionário de 8%. Ou seja, está dentro da coerência e a população deve entender", disse.

Frota

Houve questionamentos a respeito da renovação da frota dos ônibus em Cuiabá e Várzea Grande. Nesse momento, o secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Yênes Magalhães, pediu a palavra e destacou que o momento é delicado para tal ação, por conta do planejamento para a Copa do Mundo de 2014.

Com a experiência de presidente da extinta Agecopa, Yênes lembrou que, nos próximos 3 anos, haverá mudança no sistema de transporte, passando a inexistir a concorrência entre sistema intermunicipal ou municipal de Cuiabá e Várzea Grande.

Isso, por conta da implantação do VLT, que vai percorrer dois trechos, que são CPA/Aeroporto e Coxipó/Centro, com as frotas de ônibus interligadas ao modal de transporte.

"Se determinar incremento de uma nova frota que tem 7 anos para ser amortizada, o poder público vai ter que indenizar o empresário que investiu nesta compra, porque serão usados somente nos próximos três anos. Quem vai pagar o desperdício é o contribuinte. Isso tem que ser pensado para valorizar a frota", disse o secretário.


Fonte: Midia News


READ MORE - Passagem de ônibus em Cuiabá sobe para R$ 2,70

No Paraná, Ônibus intermunicipais transportaram 18 milhões de passageiros em 2010

As 40 empresas de ônibus intermunicipais em operação no Paraná transportaram 18.172.859 passageiros no ano passado, de acordo com o Anuário Estatístico do Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros 2011, elaborado pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Há mais de uma década o trabalho completo não era realizado. A movimentação gerou receita de R$ 299.322.460,04, com o recolhimento de R$ 33.277.851,01 em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o Governo do Paraná, 8,76% a mais do que no ano-base anterior.

As 511.370 viagens, realizadas em 511 linhas intermunicipais, pela frota de 1.486 veículos, também ajudaram a recolher R$ 5.318.079,99 em taxas que foram destinadas à Assistência Social do Estado, 5,54% a mais que o registrado em 2009. No total, entre ICMS e taxas foram recolhidos R$ 38.595.931,00 aos cofres do Estado.

O anuário, elaborado pela Coordenadoria de Transporte Rodoviário Comercial (CTRC), subsidia análises, diretrizes e planejamento do setor de transporte de passageiros intermunicipais. Os dados podem ser consultados na página do DER na internet (www.der.pr.gov.br), clicando no link “transporte intermunicipal de passageiros”, no menu vertical no site.

Ainda de acordo com o anuário, elaborado pela economista Josefina Scaramella, sob a coordenação de Sergio Bonatto Cardozo (CTRC), e apoio de Vanessa Humphreys Alberge e Maria Elizabete Bozza, o serviço de transporte rodoviário de passageiros possui 4.849 horários de viagens disponíveis. São 491 linhas convencionais, dez linhas de ônibus leito e seis linhas de veículo tipo superior.

No ano passado, foram lavrados 1.596 autos de infração no transporte intermunicipal de passageiros, gerando R$ 342.651,50 em multas recolhidas para o órgão. Em todo o Estado atuam 45 fiscais. Foram registradas 225 reclamações, a maioria por atraso, desvio de bagagem e superlotação.

METROPOLITANOS – O DER também gerencia o sistema de transporte coletivo metropolitano do interior, que opera em polos regionais como Londrina, Ponta Grossa, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu. Segundo os dados do anuário, em 2010 havia 32 empresas nesse segmento de transporte, operando 206 linhas (5,64% a mais do que no ano anterior).

O transporte metropolitano de passageiros é feito em veículos urbanos, de menor custo, ligando cidades satélites aos centros urbanos regionais. O sistema é utilizado principalmente para o deslocamento dos passageiros até o trabalho. Segundo os técnicos, a estatística mostra aquecimento neste segmento, resultado do crescimento acentuado de alguns municípios-polo do interior, ao longo dos últimos anos, os quais se tornaram cidades de médio porte, com maior oferta de emprego e atratividade para a população de municípios vizinhos.

A frota metropolitana, de acordo com os dados do anuário, é de 623 veículos (3,32% superior a 2009), que responderam pela realização de 1.281.390 viagens, nas quais foram transportados 43.494.596 passageiros (3,29%). A receita das empresas, que são isentas de tributos estaduais, foi de R$ 107.955.408,00, durante o ano base de 2010. Os ônibus do transporte metropolitano do interior dispõem de 232 horários diários e de 23.220 horários semanais.


Informações do Governo do Estado do Paraná

READ MORE - No Paraná, Ônibus intermunicipais transportaram 18 milhões de passageiros em 2010

Proposta permite o fracionamento do intervalo de trabalho de motoristas e cobradores

A Câmara analisa proposta que permite o fracionamento do intervalo obrigatório em jornadas de trabalho com duração de seis horas ou mais. A medida, que está prevista no Projeto de Lei 1658/11, do Senado, é válida para condutores e cobradores de veículos rodoviários de empresas de serviço de transporte público coletivo urbano.

Hoje, de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT – Decreto-lei 5.452/43), o trabalhador cuja jornada exceda seis horas corridas tem direito a intervalo para repouso e alimentação de uma a duas horas, que não é contado na soma total do trabalho cumprido. Pela proposta, esse intervalo poderá ser dividido em períodos menores , que serão usufruídos ao final de cada viagem.

Segundo o projeto, a nova regra só valerá se for prevista em convenção ou acordo coletivo de trabalho e não deverá haver qualquer mudança na remuneração dos profissionais.

Adaptação da lei
O autor da proposta, senador Clésio Andrade (PR-MG), argumenta que o objetivo do projeto é adaptar a lei aos acordos mais recentes de trabalho. “Hoje em dia, principalmente nos grandes centros urbanos, o sistema viário apresenta grandes problemas de congestionamentos, e a atividade de transporte é desenvolvida na via pública, sob as condições imprevisíveis do tráfego, impossibilitando o cumprimento da legislação vigente sobre o intervalo intrajornada”, explicou.


Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada conclusivamente pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Informações: Câmara dos Deputados

READ MORE - Proposta permite o fracionamento do intervalo de trabalho de motoristas e cobradores

Em Manaus, BRT e Monotrilho são focos de vícios e irregularidades

Durante a coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (9), os procuradores da República Athayde Ribeiro Costa e Thales Messias Pires Cardoso, que integram o Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM), revelaram, além das ações do MPF-AM, uma série de novidades com relação a obras e projetos da prefeitura municipal e do governo do Estado para a Copa 2014 em Manaus.

De acordo com os procuradores, obras como as da Arena da Amazônia, BRT, Camelódromo e Monotrilho são focos de vícios e irregularidades. No caso da Arena, o problema está relacionado à cobertura do espaço que, segundo eles, está com o valor duas a quatro vezes mais elevado  que o preço cobrado pelo mesmo fornecedor em obras de estádios de países como Ucrânia e Polônia (Sedes da próxima Eurocopa).

“O superfaturamento nos causou perplexidade. Estamos investigando a compra de materiais caros e a utilização de materiais mais baratos na obra. A situação é problemática, a Controladoria Geral da União em Brasília apontou um sobrepreço de R$ 50 milhões”, falou o procurador da República Athayde Costa.

Outro projeto do governo do Estado, mas que ainda nem saiu do papel, o Monotrilho já conta com o parecer reprovável do MPF-AM. Segundo os procuradores, os vícios estão relacionados ao projeto básico. A ausência de estudos financeiro, tarifário e de viabilidade técnica dão ao projeto de mobilidade urbana apontado pelo governo estadual como uma das soluções aos problemas de transporte coletivo da cidade o titulo de “Elefante Branco”.

Athayde Costa e Thales Cardoso ainda expuseram uma situação até então desconhecida. Conforme os procuradores ,após enviarem a diversos órgãos financiadores (Nacionais e Internacionais) pareceres de reprovação à execução do projeto apresentado pelo governo do Amazonas, receberam como resposta que nenhum deles possui projeto que vise investimentos no monotrilho em Manaus, o que deixa a concretização do projeto ainda mais distante da realidade.

Outra opção para a resolução do imbróglio do sistema de transporte coletivo em Manaus, o BRT (Bus Rapid Transit), que é proposto pela prefeitura municipal, foi lembrado pelos procuradores como detentor de irregularidades. Para eles o projeto apresentado pelo Executivo Municipal exclui a possibilidade de concorrência por parte de empresas interessadas.

“Recomendamos a elaboração de outra proposta para o projeto”, ponderou Thales Cardoso.
Esclarecimentos

Para o coordenador da Unidade Gestora da Copa 2014 (UGP Copa), Miguel Capobiango, as restrições apontadas pelo MPF são fatos naturais no processo de planejamento e construção de obras da magnitude da Arena Amazônia e Monotrilho.
Ainda segundo Capobiango, a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) recebeu o relatório da Controladoria Geral da União (CGU) que questiona pontos dos projetos na semana passada e, desde então, vem debatendo com o órgão para esclarecer as dúvidas.
“Não vi fato novo nessas informações do MPF, os procuradores estão se reportando a esse relatório da CGU, sobre o qual já estamos buscando esclarecimentos. É natural que surjam dúvidas desse tipo, à medida que o projeto vai sendo detalhado”, alegou.


Fonte: A Crítica Manaus

READ MORE - Em Manaus, BRT e Monotrilho são focos de vícios e irregularidades

Fortaleza investe pesado em transporte público para a Copa, diz site da FIFA

A capital cearense busca aproveitar a Copa do Mundo da FIFA para catalisar benefícios para sua população. O transporte público é um dos legados que está sendo deixado em Fortaleza. Com um dos ramais do metrô praticamente concluído e outro em construção, o objetivo é tornar o deslocamento muito mais fácil até 2014.
A Linha Sul, ligando as regiões Sul e Central, está praticamente pronta e deve ser inaugurada em 2012. Uma das estações desta linha, a Parangaba, mostra bem a integração entre as várias regiões da cidade. Além da estação do metrô, o local será o destino final de um ramal de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e está ao lado de um grande terminal rodoviário.

A linha do VLT pretende ligar a Estação Parangaba, localizada próximo ao Castelão, até o Porto do Mucuripe, possibilitando a utilização de transporte público aos turistas que estiverem hospedados na Região Litorânea da cidade, onde estão localizados 85% dos hotéis de Fortaleza.

A ligação com o estádio será feita através de Bus Rapid Transit (BRT), com uma estação que ficará em frente ao Castelão. Outras duas linhas de metrô, Leste e Oeste, integrarão o restante da cidade e deverão dar mais conforto à população.

Para Fernando Mota, assessor da presidência da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), a expectativa é que os novos equipamentos possam dar muito mais velocidade ao deslocamento dos moradores de Fortaleza e, consequentemente, aos torcedores que visitarão a cidade em 2014.

“Com esta expansão por VLT, 22 bairros serão atendidos. Os carros já estão no pátio, aguardando a conclusão das obras. Com todas as linhas em funcionamento, pretendemos transportar 1 milhão de pessoas por mês em 2014”, projeta.

Fortaleza será uma das cidades que receberá jogos da Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013 e da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Uma das semifinais da competição de 2013 será realizada na cidade. Fortaleza terá papel de destaque na Copa do Mundo da FIFA, inclusive recebendo um jogo da Seleção Brasileira na primeira fase.


Informações: FIFA

READ MORE - Fortaleza investe pesado em transporte público para a Copa, diz site da FIFA

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960