Comissão discute a situação do transporte público no Distrito Federal

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Ônibus sucateados e lotados são alguns dos problemas apontados por Flávia Morais.A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público realiza audiência pública amanhã (6) para discutir a situação do transporte público na Região Metropolitana de Brasília, inclusive em seu entorno. De acordo com a deputada Flávia Morais (PDT-GO), que requereu a audiência, diariamente, milhares de trabalhadores se dirigem do Entorno para o Distrito Federal, “enfrentando diversos problemas de um transporte público caótico: ônibus sucateados e cada vez mais lotados, passagens caras e monopólio das linhas, que ficam nas mãos de poucas ou mesmo de uma única empresa”. No início de novembro, a Comissão de Direitos Humanos e Minorias promoveu um debate sobre o mesmo tema.

A deputada conta ainda que moradores do entorno realizam frequentemente protestos nas rodovias de acesso ao Distrito Federal, na tentativa de chamar a atenção para os problemas e sensibilizar as autoridades responsáveis. Segundo ela, após esses protestos, “promessas são feitas e medidas paliativas são tomadas, mas que não são suficientes para sanar de forma definitiva as irregularidades existentes”.

Foram convidados para participar da discussão:-o prefeito de Planaltina de Goiás, José Olinto Neto;
-o prefeito de Formosa (GO), Pedro Ivo;
-o secretário de Estado de Transporte do DF, José Walter Vazquez Filho;
-o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo José
Figueiredo Gonçalves de Oliveira; e
- o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Eduardo Rincon.
A audiência ocorrerá às 14h30 no Plenário 12.


Fonte: Correio do Brasil

READ MORE - Comissão discute a situação do transporte público no Distrito Federal

Em Curitiba, Ônibus é boa opção na hora de sair às compras de Natal

Deixar o carro em casa e usar o ônibus para fazer compras de Natal, especialmente no centro, é uma boa opção para motoristas que não querem se preocupar com o trânsito nesta época do ano. Com apenas R$ 2,50 é possível se deslocar a qualquer ponto da cidade sem se preocupar, por exemplo, com vaga para estacionar, com o preço dos estacionamentos privados ou com o movimento em frente às lojas.

O mesmo vale para quem vai viajar. Deslocar-se de ônibus até a rodoviária pode ser bem mais tranqüilo do que de carro particular uma vez que o trânsito no entorno do terminal é mais intenso nos horários de saída dos ônibus rodoviários, especialmente em período de férias e véspera de feriados.

O sistema de transporte urbano permite deslocamentos por toda a cidade, com linhas que ligam os bairros ao centro e linhas que passam por terminais e estações tubo permitindo que, com uma só passagem, seja possível se deslocar a qualquer ponto da cidade.

As linhas de ônibus de Curitiba podem ser identificadas pela cor. Escolha a sua e monte seu trajeto: Os ônibus vermelhos são os expressos, que andam apenas nas canaletas com embarque e desembarque em estações tubo e terminais. Na cor azul, a novidade deste ano, são os expressos de linha direta, que a população já apelidou de Ligeirão porque fazem poucas paradas com menor tempo de viagem. O Ligeirão atende atualmente as linhas Pinheirinho-Carlos Gomes (pela Linha Verde e Marechal Floriano) e Boqueirão (Marechal Floriano).

Os ônibus na cor laranja ligam o bairro ao terminal, onde é possível fazer a integração, mudando de ônibus sem pagar nova tarifa. Verde é a cor dos interbairros, linhas que ligam terminais de transporte de diversos bairros sem passar pelo Centro.

Amarelos são os ônibus de linhas que ligam os terminais ao centro e de linhas que ligam bairros ao centro, sem passar pelos terminais. Na cor prata são os ônibus da Linha Direta (ligeirinhos) que fazem diferentes trajetos. O Ligeirinho Inter 2, por exemplo, o que tem maior demanda, percorre 38 quilômetros e passa por 12 bairros. Os curitibanos têm ainda o ônibus branco, que faz a linha Circular-Centro, ligando os principais pontos da região central. A tarifa neste caso é R$ 1,50.

A cidade conta ainda com as linhas especiais de Turismo, Inter Hospitais e Sites, o Sistema Integrado de Transporte para o Ensino Especial.

Informações sobre horários e trajetos dos ônibus estão disponíveis no site da Urbs (www.urbs.curitiba.pr.gov.br) e também pelo telefone 156, que atende dia e noite, sete dias por semana.

Acesso à Rodoviária – Para quem vai viajar, o deslocamento até a rodoviária, com ônibus urbano, também é uma boa opção. Na estação tubo em frente à rodoviária param ônibus de três linhas do Expresso: Praça Rui Barbosa/Pinhais; Centenário/Campo Comprido e Rui Barbosa/Centenário. No ponto de ônibus em frente à rodoviária passam os ônibus Interhospitais, Cristo Rei e Circular Centro (sentido anti-horário).

Na praça Baden Powell, a 100 metros da rodoviária param os ligeirinhos Fazenda Rio Grande; Pinhais/Campo Comprido; e Aeroporto. Também perto da rodoviária, na esquina da avenida Affonso Camargo com Mariano Torres passam os ônibus das linhas Estudantes, Guabirotuba, Erasto Gaertner, Jardim Centauro, Jardim Itiberê, Petrópolis, Solitude e Uberaba e Interbairros I (sentido anti-horário).



Informações: URBS


READ MORE - Em Curitiba, Ônibus é boa opção na hora de sair às compras de Natal

Na Bahia, Governador entrega nesta terça 268 ônibus da frota intermunicipal/metropolitana

Com a presença do governador Jaques Wagner, a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Rodoviário do Estado da Bahia (Abemtro) apresenta nesta terça-feira (6), às 11h, na Balança do Centro Administrativo da Bahia (CAB), 268 ônibus da frota intermunicipal/metropolitana. No período 2007/2011, 1,7 mil novos ônibus foram incorporados a esta frota.

Logo após a apresentação dos novos ônibus, o diretor-executivo da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), Eduardo Pessoa, faz o lançamento da campanha educativa sobre direitos e deveres dos usuários do transporte rodoviário intermunicipal, que inclui a campanha Vai Viajar, Cidadão?.


Informações do Governo da Bahia

READ MORE - Na Bahia, Governador entrega nesta terça 268 ônibus da frota intermunicipal/metropolitana

Em São Paulo, Faixa preferencial deixa Radial 20% mais rápida para os ônibus

Sem fazer grandes investimentos públicos, sem gasto com publicidade e sem alarde, a Prefeitura conseguiu, no último mês, um feito significativo para a mobilidade urbana da capital: aumentou em quase 20% a velocidade dos ônibus que percorrem a Radial Leste, principal acesso da região ao centro da capital.

A São Paulo Transporte (SPTrans) instalou lá, no fim de setembro, uma faixa exclusiva para coletivos na pista à direita, nos dois sentidos. A previsão da Prefeitura era que a medida tinha potencial para aumentar em até 15% a velocidade dos ônibus.

No sentido do bairro para o centro, a meta bateu na trave: o aumento da velocidade foi de 14,9%. Não que, em números absolutos, o ganho tenha sido muito significativo: a velocidade subiu de 12,5 km/h para 14,4 km/h, segundo dados da SPTrans. Mas no sentido do centro para o bairro, a velocidade aumentou de 12,7 km/h para 15,2 km/h. A comparação antes e depois se refere a outubro do ano passado e outubro deste ano.

Apesar da velocidade ainda ser baixíssima, o ganho é equivalente, segundo técnicos, a aumentar a quantidade de ônibus. É como pôr 19% de veículos a mais circulando na via, o que reduz o tempo de espera dos passageiros nos pontos.

Mas quem toma ônibus na Radial Leste diariamente diz ainda não ter sentido nenhuma melhoria significativa. 'Eu gastava uma hora na viagem antes e continuo gastando uma hora', diz o auxiliar de escritório Fagner Silva Barreto, de 28 anos. Ele toma ônibus na frente da Estação Tatuapé e desce no bairro de Guaianases. 'Os carros não respeitam muito essa faixa. Então, é como se ela não existisse', afirma.

De fato, até entre passageiros é fácil achar pessoas que ainda não conhecem a faixa exclusiva - que é apenas uma linha contínua pintada no asfalto, com algumas placas aéreas indicando a exclusividade de ônibus na via.

'Os carros respeitam mais no horário do pico, principalmente à tarde, quando tem mais marronzinhos nos cruzamentos', diz a auxiliar de microfilmagem Andressa do Prado Vilela, de 21 anos.

A reclamação tem fundamento. Em apenas 10 minutos, na tarde de terça-feira, a reportagem contou 16 carros circulando na faixa exclusiva, na altura da Estação Belém do Metrô. Colabora para isso o fato de que a faixa fica à direita - em geral, os corredores de ônibus ficam à esquerda. A reportagem solicitou à Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) o balanço de multas aplicadas aos carros que desrespeitaram a faixa, mas não obteve retorno até a tarde de ontem.

Corredor. A faixa exclusiva na Radial Leste é, segundo a própria SPTrans, uma solução paliativa. A gestão Gilberto Kassab (PSD) deve construir um corredor na via até o fim do ano que vem. O ramal, cujas plataformas deverão ter catracas - o que acelera o embarque -, deverá ser o único entre os 400 quilômetros de corredores do Plano Diretor Estratégico a ser entregue por Kassab.

O governo municipal rebate as críticas sobre falta de investimentos em corredores com o argumento de que, pela primeira vez na história da cidade, a Prefeitura está fazendo investimentos diretos no metrô. São R$ 1 bilhão, a maior parte canalizada para o monotrilho que ligará Cidade Tiradentes, no extremo leste, à região da Vila Prudente, que já tem metrô.

Ilusão. Mas é cada vez mais fácil encontrar críticas ao investimento direto no metrô sem a complementação com corredores de ônibus. O pesquisador do Instituto de Relações Internacionais da USP e diretor da Fundação Clinton no Brasil, Adalberto Maluf, por exemplo, afirma que os investimentos no transporte público de São Paulo estão se perdendo nos trilhos.

'Vive-se essa ilusão de que o metrô é a única solução para o transporte', afirma. Para Maluf, isso ocorre porque a classe política sabe que construir metrô resulta em mais dividendos eleitorais e porque parte dos técnicos ligados ao transporte público municipal concorda com essa ideia, segundo ele.


Por BRUNO RIBEIRO, estadao.com.br

READ MORE - Em São Paulo, Faixa preferencial deixa Radial 20% mais rápida para os ônibus

Curitiba inicia campanha para reduzir vandalismo nos ônibus da cidade

Cartazes com a mensagem “Denuncie o vandalismo no ato:153” serão colocados, a partir deste sábado (3) em todos os ônibus do transporte coletivo de Curitiba. A campanha, feita pela Prefeitura de Curitiba, através da Secretaria Municipal de Defesa Social, com apoio da Urbs e do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo (Setransp) é mais uma iniciativa voltada a reduzir o vandalismo que, só no sistema de transporte, representou um prejuízo de R$ 300 mil no ano passado. Se computado o custo dos vidros de ônibus riscados e que não são trocados, esse prejuízo chegaria a R$ 2,8 milhões.

 Além dos cartazes, que estarão em todos os ônibus da Rede Integrada de Transporte, serão colocados 100 busdoor com a mesma mensagem. A intenção é incentivar o usuário do sistema de transporte a denunciar atos de vandalismo enquanto eles estão acontecendo, permitindo o flagrante. O número 153, estampado em destaque nos cartazes e busdoors é da Guarda Municipal que pode ser acionada a qualquer hora do dia ou da noite ônibus - 106 deles em dias de jogos de futebol - foram alvo de vândalos, deixando para o sistema de transporte um prejuízo de R$ 202 mil. Se computados os custos.

O custo do vandalismo no sistema de transporte é alto e não pode ser medido apenas em números. No ano passado, 932 com reparos diários em terminais e estações tubo, a despesa sobe para R$ 301 mil.

Se fossem trocadas as janelas de vidro de ônibus que estão riscadas este custo subiria para nada menos do que R$ 2,8 milhões. O sistema tem 35 mil janelas e destas, 11,3 mil estão riscadas. Neste ano, até 30 de agosto, o prejuízo com o vandalismo em 499 ônibus era de R$ 95 mil.

Curitiba tem uma frota operante de 1.915 ônibus com idade média de 4,6 anos e não é incomum ver na cidade ônibus novos já com vidros riscados.

Embora bastante elevados, estes números não refletem a realidade porque boa parte das reposições são feitas no cotidiano das equipes de manutenção da Urbs. Por mês, por exemplo, são substituídos, em média, 70 vidros de estações tubo e as equipes fazem mensalmente, também em média, conserto de 30 elevadores de estações tubo. Quando é preciso trocar peças, o conserto pode demorar alguns dias porque há componentes que precisam ser produzidos sob medida, quando não importados. Nos terminais, são rotina troca de sanitários, torneiras e pequenos consertos diários em função do vandalismo.

Para reduzir estes custos e aumentar a segurança e o conforto de passageiros e operadores do transporte, a Urbs está realizando testes para implantação de câmeras de monitoramento nos ônibus, estações tubo e terminais.

No trânsito, o prejuízo também é grande. Por mês, a Urbs fabrica em torno de mil placas de trânsito e pelo menos 30% delas são para reposição de placas que foram alvo de vandalismo.


Fonte: URBS

READ MORE - Curitiba inicia campanha para reduzir vandalismo nos ônibus da cidade

Metrô do Rio lança operação inédita para facilitar compras de Natal

Para facilitar as compras de fim de ano e dar mais conforto e comodidade para os usuários da Linha 2 do metrô do Rio de Janeiro, o MetrôRio inicia, no próximo sábado (03), a Operação Natal, que tem como objetivo oferecer mais opções de trens durante o período em que o comércio registra aumento de movimento.

Nos sábados e domingos, até o dia 24 de dezembro, entre 9h e 16h, a Linha 2 operará com composições extras que farão o trajeto Pavuna – Ipanema/General Osório, com saídas a cada meia hora, sem transferência de linha.

Segundo a concessionária, os demais trens farão o serviço normalmente, com a baldeação entre as duas linhas na estação Estácio. A exemplo de todos os finais de semana, a estação Cidade Nova permanecerá fechada.

A operação também beneficiará os banhistas, que terão mais conforto e rapidez para se deslocar para as praias da zona sul da capital fluminense.

Este esquema já foi realizado para dar suporte a outros eventos especiais, como a Parada Gay, mas pela primeira vez acontecerá no período natalino.

O MetrôRio reforçará seu contingente de segurança, atendimento e bilheteria nas estações para atender a demanda de passageiros.


Serviço Operação Natal
- Sábados e domingos, das 9h às 16h, trens sem transferência entre Pavuna e Ipanema/General Osório a cada 30 minutos.

- Saara: Nos dias 3, 10, 11, 17, 18 e 24 de dezembro, o acesso Rua da Alfândega da Estação Presidente Vargas também estará aberto, além da tradicional entrada pela Av. Marechal Floriano.

- Funcionamento do MetrôRio: Sábados, das 5h às 24h e aos domingos, das 7h às 23h.


Mais Notícias do Rio de Janeiro

Fonte: R7.com

Da Pavuna à Saara sem transferência
Quem optar pelas compras de Natal na Saara, o maior centro de comércio popular da cidade, terá o metrô como principal meio de transporte.

Nos finais de semana a partir do sábado (10), a Saara estenderá o seu funcionamento, passando a atender aos domingos.

As estações Uruguaiana e Presidente Vargas são as melhores opções para os clientes. Na estação da Presidente Vargas, o acesso à Rua da Alfândega estará aberto para os usuários.
 
READ MORE - Metrô do Rio lança operação inédita para facilitar compras de Natal

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960