Em Curitiba, Passagem do metrô deve custar mesmo que ônibus

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A passagem do metrô de Curitiba vai custar o mesmo que a passagem de ônibus (hoje R$ 2,50), garante o prefeito da cidade, Luciano Ducci (PSB).

As obras começam em 2012 e devem ser concluídas até 2016. A primeira linha terá 14km e 13 pontos de parada, entre o bairro Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e a Estação das Flores, no Centro da cidade.

Uma empresa escolhida pela prefeitura vai administrar o metrô. A concessão será por 30 anos. Os cinco vagões terão capacidade para transportar 1.450 passageiros de uma vez – o equivalente a seis ônibus expressos.

O traçado do metrô é praticamente o mesmo que o de uma canaleta para ônibus biarticulados. Quando as obras estiverem concluídas, o espaço na superfície, hoje ocupado por veículos do transporte coletivo, vai se tornar ciclovia e pista para pedestres.


Fonte: G1.com.br

READ MORE - Em Curitiba, Passagem do metrô deve custar mesmo que ônibus

Rio: Segundo BRS de Ipanema e Leblon começa neste sábado

A segunda etapa do BRS (Bus Rapid System) de Ipanema e Leblon será implantada amanhã, com o início do funcionamento de mais um corredor exclusivo para ônibus nos bairros, na rua Prudente de Morais e na avenida General San Martin.

No novo corredor vão circular 44 linhas que farão suas paradas em 14 pontos: 12 nos pontos do BRS1; 23 no BRS 2 e 9 no BRS3, sendo que os pontos BRS 1 e 3 estarão situados nos mesmos locais. As novas paradas terão um piso especial, em alto relevo, para facilitar a sua identificação por parte dos deficientes visuais.

Com o BRS, os carros de passeio e os táxis vazios só poderão invadir a pista exclusiva para ônibus, sempre à direita da via, por um quarteirão, para dobrar na rua seguinte.

O horário de funcionamento do corredor será o mesmo dos outros BRS: das 6h às 21h, nos dias úteis; das 6h às 14h, aos sábados; e não funcionam nos domingos e feriados.

Por enquanto, ninguém será multado. Os primeiros dias serão só de orientação para motoristas e passageiros. Depois (data a ser definida), quem invadir a pista exclusiva será multado em R$ 53,20 e perderá três pontos na carteira.


Fonte: Band

READ MORE - Rio: Segundo BRS de Ipanema e Leblon começa neste sábado

Prefeitura anuncia duplicação da BR-116 que liga a Linha Verde Sul na segunda-feira

Nesta segunda-feira (10) começam as obras de duplicação da BR 116 que levarão a Linha Verde Sul até o município Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana.

A intervenção na rodovia federal, sob a responsabilidade da Autopista Planalto Sul, da concessionária OHL, começa a partir de licença do Ibama, que vinha sendo aguardada desde o início do ano.

A intervenção no trecho da BR-116 para além dos limites de Curitiba prevê a reserva de área para a construção da pista exclusiva ao transporte (canaleta) num trecho de 11,8 quilômetros até Fazenda Rio Grande. A duplicação da rodovia seguirá ainda além até o município de Mandirituba.

A conclusão das obras de duplicação no trecho Curitiba - Fazenda Rio Grande está prevista para fevereiro de 2013, com investimentos de R$ 62, 4 milhões por parte da concessionária. No quilômetro 116 da BR será construído o viaduto do Distrito Industrial; no quilômetro 117 será feito o bolsão da Vila Pompéia e implantada ponte sobre o Rio Iguaçu no quilômetro 124 da rodovia.

No total, serão mais de 25 quilômetros de obras, desde Curitiba até Mandirituba, passando por Fazenda Rio Grande. O final dos trabalhos no trecho total está previsto para fevereiro de 2016.

A duplicação da BR 116 e a extensão da Linha Verde para a Região Metropolitana ao sul da Capital, marcam a continuidade de um convênio assinado com a ANTT e a OHL para a construção da trincheira em frente a Ceasa, obra orçada em R$ 29,5 milhões, na qual a Prefeitura responde pelo investimento de R$ 13,5 milhões na construção das alças de acesso à rodovia e a OHL por 15,8 milhões para a execução da trincheira.

Extensão da Linha Verde - Em Curitiba, as obras da Linha Verde no trecho entre o Terminal do Pinheirinho e a Rua Isaac Ferreira da Cruz devem começar no início de dezembro. Nessa etapa, as obras têm custo total de R$ 15,2 milhões. Numa extensão de 1,7 quilômetro o eixo da BR 476 se transformará numa via urbana com a implantação de 10 pistas de rolamento, sendo duas para canaletas exclusivas para o transporte coletivo, seis para o sistema viário (três em cada sentido) e duas vias locais de passagem (uma em cada sentido), ciclovia, além de iluminação renovada, paisagismo e calçadas.

No trecho, que vai da altura do terminal do Pinheirinho até a Issac Ferreira da Cruz haverá a estação Winston Churchill de integração do transporte coletivo.

Outro pedaço da Linha Verde já está sendo implantado no norte da cidade, entre o Jardim Botânico e avenida Vitor Ferreira do Amaral, no Tarumã.

As obras começaram em julho com a construção de 1,3 quilômetro de via marginal paralela à rodovia, entre o viaduto da avenida Afonso Camargo e a passarela sobre a BR 116, perto da sede regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte Terrestre (Dnit).

As equipes contratadas pela Prefeitura também trabalham pelo canteiro central da pista, onde serão construídas as canaletas, para uma nova linha do Ligeirão.



READ MORE - Prefeitura anuncia duplicação da BR-116 que liga a Linha Verde Sul na segunda-feira

Metrô de Teresina terá linha duplicada e seis novas estações

Com a aprovação do montante de R$ 130 milhões pelo Governo Federal para o Piauí, a Companhia Metropolitana de Transportes Públicos (CPMT) implementará o projeto que prevê a duplicação da linha ferroviária da capital, bem como a construção de seis novas estações. Além da ampliação do serviço para os piauienses, a obra irá modernizar as instalações do metrô, tornando-as mais confortáveis e eficazes para os usuários. O projeto inclui ainda a aquisição de quatro novos trens, os quais contêm quatro vagões cada.

Segndo Antônio Sobral, diretor administrativo da CMTP, a ampliação do metrô implicará na redução do tempo de espera dos passageiros, além de melhorar o fluxo dos veículos, já que com a construção da nova linha, uma servirá para a ida, enquanto a outra será para o retorno do metrô.

“O tempo de espera vai diminuir de 40 para 15 minutos. Vale ressaltar também que a nossa estimativa é de que o transporte passa a contemplar pelo menos 50 mil pessoas por dia”, enumera. As estações serão construídas nas seguintes áreas: Mafuá, Piçarra, Cristo Rei, Tancredo Neves, São João e Rodoviária.

O projeto enviado para o Ministério das Cidades inclui também a segregação da linha metroviária e a urbanização da área por onde o metrô circula. Em outras palavras, a Companhia Metropolitana pretende retirar as passagens de níveis (cruzamentos do trem com as ruas) para que a circulação do metrô não cause transtornos para a população. “Para reforçar ainda mais a segurança, também será instalada sinalização automática nessas passagens”, complementa Sobral.

Após a aprovação do repasse pelo Ministério das Cidades, o governador Wilson Martins deve assinar o convênio de mobilidade urbana ainda este mês. Passada esta etapa, a Companhia Metropolitana dará início ainda este ano a elaboração e divulgação dos editais para início das obras. O recurso destinado pelo Governo Federal, por sua vez, deve ser liberado no início do próximo ano.

“Com a implementação do projeto de ampliação do metrô, o serviço será capaz de dar conta da necessidade de mobilidade das pessoas que vivem na região Sudeste da cidade. Nesse contexto, contribuímos ainda com a redução dos congestionamentos no trânsito, pois um número cada vez maior de pessoas irá utilizar o metrô”, argumenta Antônio Sobral.

Companhia apresentará projeto para construção de viaduto
Durante a última reunião com representantes do Ministério das Cidades, em Brasília, ficou acordado que a Companhia Metropolitana de Transportes Públicos enviará um novo projeto para apreciação pelo Governo Federal. Desta vez, a CMTP irá elaborar o projeto de um novo viaduto para a capital, para ser construído na Rua Higino Cunha e com isso retirar o trem de circulação nas passagens de nível. O projeto será enviado ainda esta semana e está orçado em R$ 7 milhões.


READ MORE - Metrô de Teresina terá linha duplicada e seis novas estações

Passageiros ganham guia de ônibus em São Paulo

A SPTrans iniciou nesta quinta-feira (6) a distribuição gratuita do “Guia de Mobilidade - São Paulo aos Seus Pés”, que pretende facilitar o deslocamento dos passageiros pela cidade.

O material, que visa a integração dos cinco terminais de ônibus da região central, apresenta uma tabela com as principais vias e destinos de São Paulo, e em quais terminais o usuário pode encontrar linhas de interesse nas regiões Norte, Sul, Leste e Oeste da capital.

A distribuição começou a ser feita no Terminal Bandeira, na região central, e a partir de sexta-feira (7) o guia estará disponível nos terminais integrados Amaral Gurgel, Princesa Isabel, Mercado e Parque Dom Pedro II.
 

Informações do G1


READ MORE - Passageiros ganham guia de ônibus em São Paulo

Transporte coletivo de Brasília terá 75% da frota de ônibus renovada

O GDF recuou da licitação embargada pelo Tribunal de Contas do DF para renovação de 900 ônibus que fazem parte do sistema de transporte público. A licitação para 300 ônibus articulados para a Linha Verde também já havia sido cancelada pelo TCDF por conta de impropriedades.

O Conselho de Transporte do DF decidiu renovar, até o fim do ano, 75% da frota existente. A Secretaria de Transportes garante que a medida vai regularizar toda a frota do DF.

Será um edital sem precedentes na história da capital, já que nunca se licitou os cerca de três mil veículos prometidos de uma só vez. Segundo o secretário de Transportes, José Walter Vasquez Filho, a medida deixará a frota do DF 100% regular. “A ideia  é que licitemos todas as concessões. Ou seja, que os operadores participem e quem tiver a melhor proposta ganhe”.

O conselho se reuniu na última sexta-feira e decidiu que na primeira quinzena de dezembro haverá audiência pública para decidir sobre  um novo edital para licitar 75% da frota,  composta por 3.952 ônibus. O percentual se refere aos veículos que não têm amparo contratual por meio de licitação e são regulados apenas por autorizações.

Assim, fica de lado a ideia inicial de licitar apenas os 1.802 veículos que não deveriam estar circulando no DF por ultrapassarem o limite estabelecido por lei de sete anos de uso.

Licitação por bacia
A forma de licitar também deverá mudar. Hoje, o DF licita por frota, modelo que já foi criticado pelo Tribunal de Contas, que havia solicitado um estudo que demonstrasse ser mesmo esta a opção mais vantajosa. As outras opções são por bacia e por linha.

“Foi contratada uma consultoria com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento, que elabora, junto com uma equipe da secretaria, um estudo para mudarmos o nosso modelo de licitação, verificando quais são as vantagens”.

A nova opção, segundo o secretário de Transportes, deverá ser por bacia, como ocorre em outras capitais, como   Rio de Janeiro, São Paulo  e Goiânia.

Vasquez deu prazo de até o fim do próximo ano, para que a troca de ônibus ocorra, beneficiando mais de um milhão de pessoas, que fazem uso do transporte público no Distrito Federal todos os dias.


Mais Notícias do Distrito Federal
Fonte: Clicabrasília

Share |
READ MORE - Transporte coletivo de Brasília terá 75% da frota de ônibus renovada

Prefeitura de Goiânia apresenta projeto do "Eixo Norte-Sul"

Durante audiência pública realizada no Paço Municipal nesta terça-feira (04), foi apresentado à população o projeto do “Eixo Norte-Sul”. Similar ao Eixo-Anhanguera, ele terá 26 quilômetros de extensão, 22 em Goiânia e quatro em aparecida. Ligando o terminal recanto do bosque ao Veiga Jardim, a via exclusiva dará mais agilidade ao transporte coletivo, como ressaltou o presidente da CMTC, José Carlos Xavier, em entrevista coletiva.

Foto Blog Rede Integrada
“É um corredor estruturante do sistema e captura a demanda de várias regiões. A população vai ser muito beneficiada porque ele vai promover esse deslocamento com muito mais agilidade e conforto”.

Somente na capital, as obras devem chegar a R$ 200 milhões, provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), do Ministério das Cidades. O projeto ainda precisa ser aprovado, mas segundo o presidente da CMTC, a aprovação deve sair nos próximos dias. Em seguida será aberto o processo licitatório. Já as obras, devem ser iniciadas no próximo ano

“Estamos aguardando pra muito breve o resultado. A expectativa é que o governo federal financie todo esse corredor. Assim que o governo disponibilizar, com certeza no início do ano que vem vamos iniciar as obras”, informou Grafite.

O prazo para conclusão dos 22 quilômetros em Goiânia é de 24 meses após o início das obras.


Fonte: Portal 730

READ MORE - Prefeitura de Goiânia apresenta projeto do "Eixo Norte-Sul"

Rodízio de carros está em debate no Distrito Federal

Está em pauta na Câmara dos Deputados do Distrito Federal um projeto de lei para criar o rodízio de veículos em Brasília. O projeto já foi aprovado na Comissão de Economia, Orçamento e Finanças da Casa. Até o dia 14/10 os parlamentares podem apresentar emendas ao texto e depois disso o projeto será avaliado pela Comissão de Constituição e Justiça.

As reações dos moradores de Brasília contra a medida foram imediatas. Eles argumentam que a deficiência do transporte coletivo na cidade torna sua aplicação praticamente impossível. Também contra o projeto, pelo menos da maneira como está apresentado, o especialista em transportes Artur Morais acredita que esse é o maior mérito da proposta. "A ideia do rodízio não é boa para Brasília, mas tem o mérito de levantar a debate do transporte coletivo na classe média da cidade, que nunca havia discutido a respeito", acredita.

A seguir, dois especialistas em trânsito dão sua opinião sobre o assunto. O primeiro é Moraes e a segunda é Yara Regina Oliveira, professora do curso de arquitetura e urbanismo da Universidade Católica de Brasília e pesquisadora em transporte público.

DU - Qual sua opinião sobre a implantação do rodízio de veículos no Distrito Federal?
Morais - Da forma como é proposto, sou contra. Esse projeto é apresentado como a solução para o trânsito em Brasília, o que não é verdade. Para impedir que as pessoas circulem de carro em determinados dias são necessárias outras ações, como melhoria do transporte coletivo, implantação de ciclovias e e de calçadas.

DU - Brasília é uma cidade com distâncias muito grandes. Isso não prejudica a implantação de um projeto de transporte coletivo eficiente?
Morais - O Distrito Federal foi ocupado de maneira desordenada, sem planejamento. Além disso, 60% dos empregos ficam na área central de Brasília. Isso faz com que o fluxo de pessoas para o Plano Piloto seja muito grande. Entre 600 mil e 700 mil pessoas entram no Plano Piloto diariamente para trabalhar. Nessa mesma área moram apenas 250 mil pessoas. Enquanto isso, nas áreas periféricas a ocupação do solo vem aumentando. Onde havia prédios de 10 andares hoje são construídos edifícios de 30. Esses números dão uma noção da dimensão do problema.
Uma outra questão é que Brasília foi planejada para o usar transporte particular. O transporte coletivo que existe hoje é pouco eficiente. O metrô, por exemplo, tem 40 quilômetros e transporta 160 mil pessoas por dia. Em São Paulo são cerca de 70 quilômetros e mais de 3 milhões de pesosas transportadas.

DU - A tendência atual do urbanismo diz que, para serem eficientes, as cidades devem ser compactas e densas. Brasília pode se beneficiar dessa ideia?
Morais - Brasília é tombada, então não é possível modificar o modelo de ocupação. Os prédios não podem ser mais altos do que o prevista no plano. Então essa solução não se aplica a Brasília. O que deveria ser feito aqui é a descentralização dos empregos. Uma cidade policêntrica divide melhor o fluxo de carros em diversas localidades. Mas essa é uma solução a longo prazo. 

DU - O que poderia ser feito a curto prazo então?
Morais - A melhor ideia que apareceu nos últimos tempos foi a criação de faixas exclusivas para ônibus no horário de pico. Brasília é uma das únicas capitais que não usam esse sistema. Nos grandes corredores de tráfego, 70% das pessoas se locomove de ônibus, mas a maior parte do espaço é ocupado pelos carros. Mas esse projeto teve, pelo menos, a virtude de trazer para a classe média o debate do transporte coletivo. Como eles nunca haviam pensado em deixar de usar o carro, essa discussão não acontecia.

DU - O senhor acredita que a classe média de Brasília está disposta a usar o transporte coletivo em vez do carro?
Morais - Isso depende das melhorias do transporte. Se houver uma faixa de ônibus em alta velocidade e duas de carros parados, acredito que sim. Mas se o ônibus continuar parado no meio do trânsito, é óbvio que quem pode prefere ficar sentado no ar condicionado do que em pé no calor. Por isso que a melhoria do transporte é tão importante.

Para Yara Regina Oliveira, o rodízio de veículos pode trazer prejuízos à circulação das pessoas, mas também para a economia da cidade. "A maior parte dos empregos de todo o Distrito Federal está no Plano Piloto. Essa lógica não vai mudar por causa do rodízio", diz. 

DU - Qual a sua opinião sobre o rodízio de veículos em Brasília?
Yara - A impressão que tenho é que vai ser mais uma dessas medidas tomadas isoladamente, o que é uma pena. De fato existe o problema dos engarrafamentos, mas Brasília é muito isolada, com grandes distâncias entre o Plano Piloto e as cidades satélite. É uma medida que não corresponde à realidade do Distrito Federal.

DU - Em que sentido?
Yara - Em primeiro lugar, a renda per capita de Brasília é alta, então o que eu acredito que vai acontecer é o aumento do número de veículos em circulação na cidade. Além disso, aqueles que não puderem comprar um segundo carro e dependerem de transporte coletivo vão ter problemas para cumprir horários.

DU - O que poderia ser feito em curto prazo para melhorar o trânsito nos horários de pico?
Yara - O que deve ser feito imediatamente é uma melhoria no transporte público. Quando houver oferta de qualidade, as medidas para restringir a circulação de veículos poderão ser tomadas. Antes disso, não vai adiantar.

DU - Qual a sua percepção sobre a opinião pública nesse assunto?
Yara - As pessoas pouco sabem dessa discussão, ela está muito restrita. A imprensa ainda não noticiou muito. O debate está restrito aos políticos e aos meios acadêmicos, o que é muito ruim, pois dessa forma a opinião dos cidadãos não é levada em conta.




Share |

READ MORE - Rodízio de carros está em debate no Distrito Federal

Volvo anuncia novos investimentos em Curitiba

A Volvo vai investir R$ 210 milhões na ampliação da fábrica em Curitiba, com a construção de cerca de 300 mil metros quadrados de novas alas. Os investimentos devem gerar cerca de dois mil novos empregos.

A nova planta industrial foi apresentada ao prefeito Luciano Ducci pelo presidente da Volvo Bus Latin America, Luiz Carlos Pimenta, o diretor de Suporte Administrativo da empresa, Paulo Follador, e o gerente de Assuntos Institucionais, Alexandre Parker.

A planta prevê a construção de uma fábrica de ônibus híbridos com motores elétrico/biodiesel, uma fábrica de câmbio, fábrica de cabines de caminhão, além de novas alas administrativas e um espaço de para atendimento ao cliente na hora da compra de um caminhão. São obras que serão construídas no terreno da empresa até dezembro de 2012.

A ampliação da Volvo serve também para atender um maior número de funcionários, que hoje beira a 5 mil pessoas. Serão ampliados restaurante e auditório e construídas novas alas administrativas. A nova área de vendas terá um centro de treinamento, espaço receptivo para o comprador e showroom especial.

Um dos novos espaços é para a construção do ônibus híbrido com motores elétrico/biodiesel. Curitiba venceu Índia e México na disputa para a implantação da fábrica de hibribus. O investimento na linha do hibribus será de R$ 16 milhões, com geração de 30 empregos de alta qualificação, para engenheiros. O desenho do chassi do hibribus será feito em Curitiba.

A primeira linha de Curitiba a ter o hibribus será a do Interbairros 1, que circula em bairros no entorno do Centro. Na segunda etapa, os ônibus híbridos atenderão as linhas Detran-Vicente Machado, Água Verde-Abranches, Ahú-Los Angeles, Juvevê-Água Verde e Jardim Mercês-Guanabara.

O prefeito Luciano Ducci destacou os avanços de Curitiba no transporte coletivo. "Temos um histórico de referência internacional em transporte. Os avanços continuam, já lançamos neste ano o Ligeirão, com o maior ônibus do mundo, um Volvo/Neobus de 28 metros de comprimento", disse.

A nova linha da Volvo vai produzir chassis de ônibus híbridos, movidos a eletricidade e a biodiesel. O produto escolhido é um chassi padrão, na configuração 4x2 eixos. O motor tem tecnologia similar à usada da Fórmula 1, que transforma energia mecânica em energia elétrica.

A Volvo é o primeiro fabricante a produzir veículos híbridos no Brasil. A pré-produção começa no próximo ano, com uma previsão de 80 unidades. A operação brasileira será a primeira a fabricar híbridos fora da Suécia. Os híbridos da Volvo são produzidos conjuntamente por duas plantas - a de Boros, a 80 quilômetros de Gotemburgo, e a de Wroclaw, na Polônia.

Boa parte do desenvolvimento do novo produto será feita localmente, uma vez que será necessário desenvolver a tecnologia híbrida junto aos parceiros que produzem as carrocerias. No Brasil, a Volvo produz somente o chassi do ônibus. O encarroçamento é feito por outras empresas.

O ônibus tem dois motores, um a biodiesel e outro elétrico, que funcionam em paralelo ou de forma independente. O motor elétrico é utilizado para arrancar o ônibus e acelerá-lo até uma velocidade de aproximadamente 20 quilômetros por hora. É usado também como gerador de energia durante as frenagens.

 O motor biodiesel entra em funcionamento em velocidades mais altas. A cada vez que se acionam os freios, a energia de desaceleração é utilizada para carregar as baterias.  Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em pontos de ônibus ou em semáforos, o motor biodiesel fica desligado.

Estudos da Volvo demonstram que o tempo que o veículo fica parado pode representar até 50% do período total de operação do ônibus. Durante todo esse tempo, não há emissões de poluentes, pois o motor biodiesel se apaga completamente.


Mais Notícias do Paraná

Fonte: Jornale

READ MORE - Volvo anuncia novos investimentos em Curitiba

Em Blumenau, Corredor da Beira-Rio entra em operação domingo

O corredor de ônibus da Avenida Beira-Rio entra em funcionamento a partir do próximo domingo (9). Com isso, a pista da direita será dedicada exclusivamente ao transporte coletivo urbano, com exceção do ponto destinado à entrada e saída de veículos da Ponte Adolfo Konder. Durante um mês, agentes de trânsito vão orientar os motoristas no local, mas ainda sem cobrança de multas.

O trecho dedicado exclusivamente aos ônibus tem 1,3 mil metros de extensão e vai do início da Avenida Beira-Rio, na altura do Biergarten, até a Avenida Martin Luther, onde um corredor de ônibus já está ativado. De acordo com dados do Seterb, somente no trajeto que receberá a nova pista exclusiva circulam 20 linhas de ônibus, responsáveis por 1.555 viagens e por transportar 45 mil passageiros diariamente.Folha de Blumenau
Foto de Jaime Batista
No mesmo dia em que o corredor da Avenida Beira-Rio começar a funcionar, será ativado um conjunto de semáforos para pedestres no cruzamento da Avenida Beira-Rio com a Ponte Aldofo Konder. O equipamento poderá ser acionado pelos pedestres que estiverem esperando para atravessar a rua. Já a sinaleira da ponte estará sempre intermitente (em alerta e piscando). Não haverá interrupção no fluxo para quem quiser entrar e sair da Ponta Aguda.

Segundo o presidente do Seterb, Rudolf Clebsch, a instalação dos equipamentos foi necessária para facilitar também a vida dos pedestres. “A medida foi pensada para dar segurança aos que forem atravessar a via, já que o próprio código de trânsito estabelece que a preferência é sempre do pedestre”, avalia.

Execução

As obras do corredor exclusivo de ônibus da Avenida Beira-Rio começaram em fevereiro. Para a conclusão dos trabalhos, é necessária ainda a complementação da sinalização vertical e da colocação dos tachões ao longo da pista. O projeto está sendo executado com recursos na ordem de R$ 8 milhões, viabilizados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A implantação dos corredores faz parte das ações de mobilidade urbana do projeto Blumenau 2050.


Fonte:

Share |
READ MORE - Em Blumenau, Corredor da Beira-Rio entra em operação domingo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960