Em Brasília, Ônibus voltam a circular nesta quinta, mas rodoviários podem parar à tarde

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Os rodoviários voltaram a paralisar as atividades na tarde desta quarta-feira (21/9). Cerca de 40 ônibus da empresa Planeta estão estacionados no terminal da L4 Norte desde as 15h30. Segundo o vice-presidente do sindicato, Jorge farias, a previsão é que voltem a rodar por volta das 18h30. De acordo com ele, não haverá novas paralisações durante a manhã desta quitna-feira (22/9).

A categoria ainda aguarda contato dos empresários. "Vamos esperar até amanhã", disse Farias. Segundo o vice-presidente, na quinta não haverá paralisações durante a manhã para poupar a diretoria do sindicato. "Estamos cansados. Vamos guardar energia para uma possível greve geral", disse, sem descartar paralisações durante a tarde. Sem reuniões agendadas, Farias não arrisca previsões. "Ainda vamos nos reunir e decidir se esse é o melhor caminho. Teremos que fazer uma assembleia. Ainda aguentamos mais uma semana de paralisações relâmpago", contou.

Protesto
Segundo o vice presidente do Sindicato dos Rodoviários, Jorge Farias, a paralisação é um protesto pela assinatura de um acordo coletivo entre os donos das empresas de ônibus do DF e a categoria. “A paralisação agora de manhã chegou ao fim com a expectativa dos empresários entrarem em contato com a categoria e assinar o que foi acordado”, explica.

O Sindicato dos Empresários reafirma, através da assessoria, que todos os itens da pauta de reivindicações dos rodoviários foram cumpridos. “Por esse motivo, achamos um absurdo essa paralisação”, diz a nota, divulgada na última segunda-feira (19/9).


Informações do Correio Braziliense

READ MORE - Em Brasília, Ônibus voltam a circular nesta quinta, mas rodoviários podem parar à tarde

Prefeitura do Rio apresenta novos ônibus de piso baixo no Dia Mundial sem Carro

Pelo terceiro ano consecutivo a Prefeitura do Rio participa do Dia Mundial Sem Carro, nesta quinta-feira, 22, e fará uma série de ações para estimular a população a aderir ainda mais ao evento, entre elas a apresentação do novo padrão de ônibus à população que começa a circular nas vias BRS da cidade.

O Dia Mundial Sem Carro é comemorado simultaneamente em diversas metrópoles do Planeta para conscientizar a população mundial sobre os danos da emissão de gases do efeito estufa (GEE) e ressaltar a importância do uso sustentável dos meios de transporte de massa ou alternativo, priorizando os ecologicamente corretos. Só no ano passado, junto com o Rio de Janeiro, mais 1500 cidades do mundo participaram do evento.

Batizado de Mega BRS, o novo ônibus que circulará nas vias BRS é dotado de piso baixo (tipo low entry), que facilita o acesso de idosos e pessoas com deficiência física; motor traseiro, que oferece melhor condição de trabalho aos motoristas e diminui ruído e temperatura média no interior do ônibus; câmbio automático e suspensão pneumática. Uma frota inicial de 18 ônibus começará, nesta quinta-feira, dia 22, a operar em linhas que circulam pelos corredores BRS dos bairros do Leblon, Ipanema e Copacabana.

A renovação da frota será gradual. A cada ano, começando neste, 20% dos ônibus terão que ser substituídos. Os novos veículos também circularão nos próximos corredores BRS que a prefeitura vai implantar no Centro e em demais regiões da cidade.
O Dia Mundial Sem Carro no Rio será marcado também pela proibição de estacionamento nas principais vias do Centro da Cidade e nos prédios públicos, pela medição da qualidade do ar na região e pela criação da chamada zona de 30 km/h (permanentes) nos bairros Cidade Nova (entorno da Prefeitura), Grajaú, Anchieta, Campo Grande e Santa Cruz. O limite de 30 km permite o tráfego veículos e bicicletas em uma mesma via. O uso do transporte de massa ou alternativo será estimulado nas repartições públicas. No dia 22 o estacionamento nos prédios públicos municipais será proibido.

E a partir do dia 22, a Zona Norte da cidade também ganhará o Circuito Tijuca (3,5km) / Grajaú (6,5km) com a inauguração de faixas compartilhadas e ciclofaixas (total de 10km). Hoje, o Rio conta com uma malha cicloviária em torno de 250 km. A meta é chegar até o fim de 2012 com 300 km.

Esse ano o evento envolveu as secretarias de Meio Ambiente, Transportes, Ordem Pública, Saúde e Defesa Civil, Educação, Seconserva, Fundação Parques e Jardins, Cultura, Esportes e Lazer, e Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida; além da Cet-Rio e da Guarda Municipal. A iniciativa contou ainda com a parceria da Secretaria de Transporte do Estado, Detran, SuperVia, Metrô e das ONGs Transporte Ativo, ITDP e 350o, além do Consulado da Holanda.

Ações:

Estacionamento – Durante todo o dia 22 será proibido estacionar no "Quadrilátero do Centro", que inclui as principais vias do bairro. As vagas do Rio Rotativo e oficiais (destinadas aos órgãos públicos) estarão bloqueadas (exceto para emergências) nas avenidas Presidente Antônio Carlos, 1º de Março e Rio Branco, e em todas as transversais desde a Rua Santa Luzia (em frente à Cinelândia) até a Candelária. A estimativa é de que cerca de 2.300 veículos deixarão de estacionar e circular no Centro neste dia.

Abaixo as vagas proibidas no Centro:

Rio Rotativo:
283 vagas 2 horas (x6) = 1.698 (rotatividade)
11 vagas 4 horas (x3) = 33 (rotatividade)

Total de vagas Rio Rotativo: 294
1.731 veículos a menos (contando com a rotatividade).

Veículos Oficiais: 252 vagas
Motocicletas: 100 vagas

Órgãos Públicos - De acordo com o decreto 34.316, do dia 19 de agosto, fica proibido o estacionamento nos prédios públicos municipais.

Redução de velocidade - será criada a Zona 30 km nos bairros da Cidade Nova (entorno da Prefeitura do Rio), Grajaú, Anchieta, Campo Grande e Santa Cruz, a fim de estimular o uso da bicicleta como meio de transporte alternativo e proporcionar uma relação amigável entre motoristas, ciclistas e pedestres. A redução do limite de velocidade já foi implantada em outras vias dos bairros de Santa Cruz, Campo Grande, Bangu, Anchieta, Del Castilho, Grajaú, Ilha do Governador, Jacarepaguá, Copacabana e Ipanema.

Atividades de cultura e lazer - No Centro, na Praça Mário Lago (Buraco do Lume), haverá um palco para os shows dos MCs, cantando músicas estilo hip hop, rap, entre outras, apresentação dos Corais da Comlurb e do Detran, oficinas de pintura, reciclagem e de educação ambiental para crianças, além das exposições MonitorAR-Rio (Centro) e Mobilidade Sustentável (Espaço Encontro das Águas, no Parque dos Patins/Lagoa Rodrigo de Freitas), com apresentação do projeto “A Caminho da Escola” da CET-Rio.

Concursos - A secretaria de Educação está realizando dois concursos para os alunos das escolas da rede municipal: um de desenhos e outro de frases sobre o Dia Mundial Sem Carro. Como prêmio haverá distribuição de bicicletas nas várias categorias existentes. As bicis foram doadas pelo Consulado Holandês que, em 2011, está comemorando o Ano da Holanda no Brasil.


Infomações da Prefeitura do Rio

READ MORE - Prefeitura do Rio apresenta novos ônibus de piso baixo no Dia Mundial sem Carro

Venha "Curtir" o Blog Meu Transporte no Facebook

O Blog Meu Transporte vem se consolidando como um dos principais portais sobre o transporte público e a mobilidade urbana em todo o Brasil, Já são três anos de informações para que você fique sempre atualizado, seja um seguidor do Blog via Facebook, basta clicar em curtir e todas as novas notícias estarão ao seu alcance, por aqui, passam cerca de cinco mil leitores diariamente e queremos que você participe também deste espaço, através de elogios, criticas e denúncias.
Também o Blog Meu Transporte têm a postagem do leitor, onde você pode relatar sua insatisfação com o transporte de sua cidade, se bairro com ou sem imagem e postamos da mesma forma, basta enviar as informações para o e mail abaixo, o Blog Meu Transporte é de todos, faça parte desta idéia, seja um colaborador, juntos seremos mais fortes nas informações. Curtar o Blog no Facebook, dê o primeiro passo.
Blog Meu Transporte, “Uma Nova Visão em Mobilidade”
Share |
READ MORE - Venha "Curtir" o Blog Meu Transporte no Facebook

São Paulo: Linha 4 - Amarela deverá "tirar" 10 mil carros das ruas

A primeira fase da Linha 4 - Amarela deverá "tirar" 10 mil carros das ruas, segundo simulações feitas pelo próprio Metrô. São 3,3% dos chamados novos usuários que o ramal terá.

A companhia afirma se tratar de uma estimativa, previsões, tais quais as que indicam que serão 700 mil os usuários da linha 4 em 2012.

Tais previsões apontam ainda que dos 700 mil usuários do ramal, 300 mil são de fato novos passageiros, pessoas que não usavam o metrô, mas sim ônibus e trens. Os outros 400 mil são compostos por usuários que faziam ao menos um trecho do seu trajeto com alguma das linhas já existentes do metrô.

É por isso que os 10 mil que irão abrir mão do carro representam 3,3% do total de 300 mil novos usuários.

O funcionamento pleno (das 4h40 à 0h e aos domingos) das seis estações da linha 4 deve ocorrer até outubro.

Nada muda na Rebouças

A ampliação do horário de funcionamento de parte das estações da linha 4 não alterou a rotina de quem trafega pelo corredor Rebouças, segundo aferições da CET. No comparativo dos dias 5 e 6 deste mês com os dias 12 e 13, respectivamente segunda e terça antes e depois da ampliação, mostrou até aumento da lentidão Para o especialista em trânsito, Horácio Figueira, nunca haverá "respiro" no trecho. "O que acontecerá no máximo é uma substituição por outros [motoristas]", diz.





READ MORE - São Paulo: Linha 4 - Amarela deverá "tirar" 10 mil carros das ruas

Região Metropolitana do Recife chega a marca de 1 milhão de veículos

Na Semana Nacional do Trânsito, um dado divulgado pelo Detran-PE preocupa: a Região Metropolitana do Recife atingiu a marca de 1 milhão de veículos. Há duas semanas, a frota de Pernambuco já tinha chegado a 2 milhões. Atualmente, o Estado tem emplacado entre 1 mil e 1.300 veículos por dia. E a tendência é cada vez mais automóveis ganharem as ruas impulsionados pelo culto ao carro comum entre os brasileiros. O pico da frota estadual coincide com uma data emblemática: o Dia Mundial Sem Carro, comemorado nesta quinta-feira (22 de setembro). A data foi criada na Europa com a proposta de fazer as cidades repensarem a mobilidade urbana, estimulando as pessoas a deixarem o transporte automotivo individual em casa e buscarem outras formas de deslocamento, como o ônibus, o metrô, a bicicleta e a caminhada.

No Brasil e, especialmente em Pernambuco, a data é meramente simbólica.  Nenhuma ação que realmente limite o espaço para o carro é realizada pelo poder público. A Prefeitura de Olinda é que ainda vai fechar um pequeno trecho da orla, mas será num horário anterior ao pico do tráfego. A verdade é que, entre a maioria das pessoas não há, sequer, a reflexão sobre o problema da mobilidade. A sociedade ainda pensa apenas no automóvel e o poder público tem medo de limitar o espaço para o carro. Infelizmente.

Confira a invasão de carros em PE. Os números mostram a frota veicular até esta terça-feira:
PE – 2.013.881 veículos
RMR – 1.002.681 veículos
Recife – 559.942 veículos


Fonte: por Roberta Soares - JC Online

READ MORE - Região Metropolitana do Recife chega a marca de 1 milhão de veículos

Público do Rock in Rio precisa correr para garantir lugar nos ônibus

Quem ainda não garantiu transporte para o Rock in Rio precisa correr – ou terá que andar um bocado. Os bilhetes do serviço especial de fretamento Primeira Classe, que deixarão os passageiros a apenas 250 metros da Cidade do Rock, estão praticamente esgotados. Segundo a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), já foram vendidos 65.000 cartões Riocard Rock in Rio, ao custo de 35 reais cada, que dão direito a uma viagem de ida e volta.

Ainda é possível comprar pela internet (www.cartaoriocard.com.br/rockinrio) os últimos cartões para os dias 29 e 30 de setembro e 1º e 2 de outubro. Não haverá venda nas lojas do Riocard, que servirão apenas como ponto de retirada dos bilhetes. Com a greve dos Correios, foi suspenso o serviço de entrega em domicílio. Apesar da procura, está descartada a disponibilização de novos ônibus. O serviço Primeira Classe oferece ônibus frescões, com horários programados, saindo de 14 pontos da cidade, como aeroportos, terminais rodoviários e vias movimentadas.

Com as restrições a carros particulares, vans e táxis, a alternativa que resta é usar os ônibus comuns. O esquema para o transporte do público foi dividido em duas partes: ida e volta. Na chegada, mais de 30 linhas regulares levarão os passageiros de todos os cantos da cidade até o Terminal Alvorada. Lá, das 10h às 5h do dia seguinte, eles devem embarcar na linha especial Alvorada-Rock in Rio, com tarifa normal de 2,50 reais, que os deixarão a 1,5 quilômetro da Cidade do Rock. Também é possível usar umas das outras 14 linhas regulares que circulam pelas proximidades do evento até a meia-noite.

Na saída da Cidade do Rock, a partir das 22h, o público encontrará duas linhas especiais: Rock in Rio-Alvorada e Rock in Rio-Via Parque. A primeira destina-se aos que desejam seguir para a Zona Sul, Centro, Recreio dos Bandeirantes, Campo Grande e Santa Cruz. No Alvorada, eles poderão usar cinco linhas de ônibus regulares, com saídas até as 5h. A segunda leva até o Shopping Via Parque, na Barra.

Cartão obrigatório na volta – Na ida, será possível pagar com dinheiro. Mas na volta será obrigatório o uso do cartão. O motivo é que as catracas eletrônicas vão estar instaladas fora dos ônibus para facilitar o fluxo de passageiros. Haverá ambulantes vendendo cartões Riocard na Cidade do Rock, com valores de 5 reais e 10 reais. Os cartões tradicionais Riocard, no entanto, podem ser adquiridos nas lojas Riocard ou pela internet e carregados com esses ou outros valores. A Fetranspor recomenda que os interessados adquiram os cartões com máxima antecedência.

A estimativa é de que 150 ônibus da linha circular saiam do Terminal Alvorada, numa frequência inferior a 15 minutos. Os ônibus vão partir assim que lotarem.


Confira os pontos de partida e itinerários dos ônibus especiais para o Rock in Rio
Confira os pontos de partida e paradas das linhas Primeira Classe, os ônibus especiais que levam ao Rock in Rio. O Riocard Rock in Rio, que dá acesso aos ônibus com horário de ida programados, estão praticamente esgotados.

Linha 01: Aeroporto Santos Dumont x Cidade do Rock
PONTO DE PARTIDA:
• Terminal de Embarque
Referência: Ponto de ônibus existente da Real Auto Ônibus
PONTOS DE PARADA:
• Praia do Flamengo (número 200 – próximo ao bar Belmonte)
• Praia de Botafogo (Botafogo Praia Shopping)
• Shopping Rio Sul
• Rua Barata Ribeiro (Metro – Cardeal Arcoverde)
• Ipanema (Praça Nossa Senhora da Paz)
• Leblon (Praça Antero de Quental)
• São Conrado (Rocinha)
• Barra da Tijuca (Largo da Barra)
• Barra da Tijuca (Shopping Down Town)
• Barra Shopping

Linha 02: Castelo x Cidade do Rock
PONTO DE PARTIDA:
• Av. Graça Aranha próximo ao numero 145.
PONTOS DE PARADA:
• Av. Lauro Sodré (em frente ao Rio Sul)
• Av. Atlântica (esquina com Rua Siqueira Campos)
• Av. Atlântica (esquina com Rua Bolivar)
• Av. Vieira Souto (em frente a Casa de Cultura Laura Alvim)
• Av. Vieira Souto (Posto 10)
• Av. Bartolomeu Mitre ( Praça Antero de Quental)
• Rua Padre Leonel Franca (Planetário)
• Estrada da Gávea (Fashion Mall)
• Av. Armando Lombardi (Passarela da Barra)
• Av. Sernambetiba (Hotel Windsor).

Linha 03: Rodoviária Novo Rio x Cidade do Rock
PONTO DE PARTIDA:
• Rua General Luiz Mendes de Morais.
Referência: Ponto de ônibus existente da Real Auto Ônibus, em frente ao armazém 8.
PONTOS DE PARADA:
• Leopoldina;
• Praça Afonso Pena;
• São Francisco Xavier;
• Praça Saens Peña;
• Uruguai;
• Usina;
• Alto da Boa Vista (praça do Alto);
• Itanhangá.

Linha 04: Norte Shopping x Cidade do Rock (via Dias da Cruz)
PONTO DE PARTIDA:
• Rua Gandavo
Referência: Ponto de ônibus existente da linha 457.
PONTOS DE PARADA:
• Norte Shopping (rua Gandavo)
• José Bonifácio nº 661
• Arquias Cordeiro nº 522
• Ana Barbosa nº 14
• Dias da Cruz nº 240
• Dias da cruz nº 716
• Adolfo Bergamini nº 248
• Borja Reis nº 921

Linha 05: Santa Cruz x Cidade do Rock (via Recreio Shopping)
PONTO DE PARTIDA:
• Rua Álvaro Alberto.
Referência: Ponto de ônibus existente da Pégaso, junto ao muro da Estação Ferroviária em Santa Cruz.
PONTOS DE PARADA
• Álvaro Alberto
• Praça Santa Cruz
• Pingo D'agua
• Praça Belchior da Fonseca (Largo da Pedra)
• Piraquê
• Ilha de Guaratiba
• Recreio Shopping

Linha 06: Campo Grande x Cidade do Rock (via Recreio Shopping)
PONTO DE PARTIDA:
• Rua Iaçu.
Referência: Terminal Rodoviário de Campo Grande, no local das linhas da Jabour.
PONTOS DE PARADA:
• Terminal Rodoviário de Cpo. Grande
• Estação Ferroviária de Cpo. Grande
• Ponto do West Show (Estr. Do Monteiro)
• Ponto do Largo do 40 (Estrada do Magarça)
• Ponto do Amoedo Recreio
• Ponto Recreio Shopping
• Ponto da Academia Recreio Fitness (esquina com à Av. Gláucio Gil)
• Ponto do Supermercado Mundial do Recreio.

Linha 07: Aeroporto Tom Jobim x Cidade do Rock
PONTO DE PARTIDA:
• Terminal de Desembarque.
Referência: Ponto de ônibus existente da Real Auto Ônibus.
PONTOS DE PARADA:
• Fundão
• Av. Brasil (Passarela do Caracol)
• Linha Amarela (saída 8)
• Linha amarela (saída 7)
• Av. Ayrton Senna (Gardênia Azul)
• Av. Ayrton Senna (Shopping Via Parque)
• Av. Das Américas (Shopping Rio Design)

Linha 08: Ipanema (General Osório) x Cidade do Rock
PONTOS DE PARTIDA:
• Rua Jangadeiros.
PONTOS DE PARADA:
• Av. Vieira Souto (próximo ao Hotel Caesar Park)
• Av. Delfim Moreira (altura da rua Afrânio de Melo Franco)
• Av. Delfim Moreira (próximo ao Hotel Marina)
• Av. Delfim Moreira (altura da rua Rita Ludolf)
• Av. Niemeyer (Vidigal)
• Av. Niemeyer (Rocinha)
• Av. das Américas (ponto Hipermercado Extra)
• Barra Shopping
• Av. das Américas (Info Barra)

Linha 09: Praça Saens Peña x Cidade do Rock
PONTO DE PARTIDA:
• Rua Almirante Cochrane.
Referência: trecho compreendido entre a Rua Santo Afonso e a Rua Conde de Bonfim, na baia de estacionamento.
PONTOS DE PARADA:
• Praça Saens Peña
• Uruguai
• Usina
• Alto da Boa Vista (praça do Alto)
• Itanhangá


Fonte: Veja Abril

READ MORE - Público do Rock in Rio precisa correr para garantir lugar nos ônibus

Modelos de ônibus BRT se inspiram nos trens-bala

Com os altos custos e a demora da construção de linhas de metrô, a tendência nas grandes cidades brasileiras é a implantação dos BRT – Bus Rapid Transit. O sistema, para transporte rápido de passageiros através de corredores exclusivos para ônibus, já foi escolhido por diversas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e também pelo Rio de Janeiro para as Olímpiadas de 2016. O primeiro BRT do mundo foi feito em Curitiba, em 1974, e já trazia a essência do serviço: criar uma faixa exclusiva nas ruas para o trânsito de ônibus em alta velocidade e sem grandes congestionamentos. E, para difundir com sucesso esse tipo de tecnologia no Brasil, é preciso que fabricantes de chassi e encarroçadoras desenvolvam ônibus específicos. Caso da Marcopolo, que acaba de lançar o Viale BRT, uma opção articulada já adequada ao sistema.

Segundo a encarroçadora gaúcha, o desenvolvimento do novo modelo urbano consumiu dois anos de pesquisa. Projetado primariamente para o mercado brasileiro, o Viale BRT também está sendo adaptado para o uso em outros países do Mercosul. De acordo com a Marcopolo, o principal diferencial da nova carroceria é o seu design. De fato, o Viale é bastante diferente dos ônibus que circulam nas grandes cidades brasileiras. Com desenho inspirado nos trens-bala, embora sem a mesma aerodinâmica, o modelo é bastante contemporâneo. O para-brisa dianteiro é amplo e único, melhorando a área de visão do motorista. Ainda na parte dianteira, destacam-se os faróis em formato triangular com lanternas e luzes diurnas em leds – é o único ônibus no Brasil a contar com essa tecnologia. Os retrovisores são incorporados à carroceria e recebem também os repetidores de seta. Na lateral, o articulado conta com a área envidraçada com um formato curvo. O sistema de ar-condicionado é incorporado ao teto nas duas seções do ônibus. A traseira conta com lanternas horizontais também em leds.


Em um primeiro momento, o Viale BRT virá apenas na versão articulada. Assim, ele conta com comprimento máximo de 21 metros, largura de 2,6 m, altura externa de 3,56 m e altura interna de 2,3 m e tem capacidade para levar 145 passageiros. A Marcopolo também irá fazer versões do Viale BRT com comprimento de 13,2 metros e outra bi-articulada com até 28 metros.

Como itens tecnológicos, o novo modelo oferece como opcionais GPS, televisão digital, internet sem fio, câmaras de segurança e computador de bordo. A Marcopolo também disponibiliza o Sistema de Gerenciamento de Frota, que permite que o frotista acesse informações em tempo real, via internet, sobre o ônibus. E fique sabendo onde está o veículo e se ele está funcionando corretamente. Com produção prevista para iniciar em novembro, a carroceria Viale BRT, fabricada em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, tem custo estimado entre R$ 300 mil e R$ 320 mil.



Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
Informações Motor Dream

READ MORE - Modelos de ônibus BRT se inspiram nos trens-bala

São Paulo - Faixa exclusiva de ônibus da Radial Leste será ampliada a partir de quinta-feira

A Secretaria de Transportes inicia nesta quinta-feira (22/9) a ampliação da faixa exclusiva de ônibus na Radial Leste. A medida implicará a restrição ao trânsito de caminhões e veículos de fretamento na Av. Radial Leste entre a Av. Aricanduva e a Rua da Figueira.

A Secretaria Municipal de Transportes (SMT) vai ampliar a faixa exclusiva de ônibus na Radial Leste a partir desta quinta-feira (22/9). A medida visa aumentar a fluidez e a velocidade média do sistema de transporte coletivo, ao priorizar o tráfego desses veículos. A medida implicará a restrição ao trânsito de caminhões e veículos de fretamento na Av. Radial Leste entre a Av. Aricanduva e a Rua da Figueira.

A restrição aos Veículos Urbanos de Carga (VUCs) será estendida até a Av. Aricanduva. Eles estarão liberados para transitar na Radial Leste de segunda a sexta-feira (das 10h às 16h e das 21h às 5h) e nos finais de semana. Hoje a restrição aos VUCs só ocorre entre o Parque D. Pedro e Av. Salim Farah Maluf.

Os VUCs continuam sujeitos às regras do rodízio municipal de veículos de segunda a sexta, conforme o final das placas, das 7h às 10h e das 17h às 20h.

A nova faixa exclusiva será implantada, pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e pela São Paulo Transporte (SPTrans), à direita no trecho entre as ruas Wandenkolk e Pinhalzinho, no sentido bairro, e entre as ruas Carlos Silva e da Figueira, no sentido centro. Em ambos os sentidos excetuam-se os viadutos Pires do Rio e Alcântara Machado. O horário de funcionamento será entre 10h e 23h no sentido bairro, de segunda a sexta-feira. No sentido centro, a faixa exclusiva operará 24 horas.

Nos trechos entre a Avenida Aricanduva e a Estação Vila Matilde (sentido bairro) e entre a Avenida Melchert e a Rua Frei Mont'Alverne (sentido centro), a faixa da direita será preferencial aos ônibus, com um total de 1,4 Km.

Com a nova faixa exclusiva, a fluidez do transporte coletivo na região deve melhorar 15%. A criação da faixa exclusiva para ônibus na Radial é mais uma medida que contempla a meta da SMT de aumentar a velocidade dos ônibus do sistema.

Atualmente, na Radial Leste já há uma extensão de 4,4 km de faixa exclusiva e 4 km de faixa preferencial nos dois sentidos. Com a ampliação, os ônibus terão um total de 11,4 km de faixas exclusivas nos dois sentidos. Vale ressaltar que a implantação da faixa exclusiva não interfere no projeto do corredor exclusivo na Radial Leste.

Novas medidas

A Av. Radial Leste, considerada Via Estrutural Restrita (VER), terá sua restrição ampliada até a Av. Aricanduva, onde os caminhões passarão a obedecer as seguintes regras: ficam proibidos de transitar de segunda a sexta-feira, das 5h às 21h, e aos sábados, das 10h às 14h - exceto nos feriados. Hoje, os caminhões não podem circular das 5h às 10h e das 16h às 21h, no trecho que vai da Rua da Figueira até a Avenida Pires do Rio.

A multa é de R$ 85,12, infração média, quatro pontos na carteira de habilitação. A fiscalização será realizada pelos agentes de trânsito da CET, além de cinco radares fixos dotados de Leitura Automática de Placas (LAP) instalados ao longo da via. Serão instaladas 227 placas de sinalização de regulamentação ao longo da Av. Radial Leste e de seus acessos.

Os veículos de fretamento também terão seu trânsito restrito no mesmo trecho da Av. Radial Leste, que passará a fazer parte da Zona de Máxima Restrição de Fretamento (ZMRF), de segunda a sexta-feira, das 5h às 21h - exceto nos feriados. Os ônibus fretados que portarem autorização de transporte e de trânsito poderão circular na via, mas estarão proibidos de pararem para embarque ou desembarque de passageiros nessa avenida.

Os veículos de fretamento já regularizados, para transitarem na Av. Radial Leste deverão solicitar as respectivas autorizações, em especial a AET (Autorização Especial de Trânsito) pelo site da Prefeitura ou no Departamento de Transportes Públicos (DTP), Rua Joaquim Carlos, 655, bloco B, Pari, das 8h às 16h.


Mais Notícias de São Paulo
Fonte:

Share |
O Noticiado
READ MORE - São Paulo - Faixa exclusiva de ônibus da Radial Leste será ampliada a partir de quinta-feira

Porto Alegre terá novos ônibus para o city tour - Linha Turismo

A partir do ano que vem, Porto Alegre terá novos ônibus para o city tour Linha Turismo. Ao único veículo de dois andares utilizado atualmente nos roteiros especiais na Capital serão agregados mais dois equipamentos. A aquisição será feita pela Carris, que assinou contrato com a Marcopolo, de Caxias do Sul, vencedora da licitação.

O investimento, de R$ 1, 4 milhão, é o primeiro destinado para ampliar a frota turística especial, que realiza quatro saídas diárias desde 2003.

Atualmente, as rotas percorridas pelo serviço têm duração de uma hora e trinta minutos, com alternativa de visitar o Centro Histórico ou a zona Sul da cidade. Os embarques ocorrem na Travessa do Carmo, sempre às 9h, 10h30min, 13h30min e 15h30min. Mas, segundo o secretário de Turismo de Porto Alegre, Luiz Fernando Moraes, este modelo será reavaliado, buscando oferecer roteiros que permitam pontos de paradas ao longo do trajeto, a exemplo de outras capitais no País e no mundo, onde se compra um passaporte diário, com direito a desembarcar e embarcar em pontos predeterminados.

O secretário frisa que a preocupação maior é que esta oferta não se caracterize como de transporte coletivo. "Essas paradas ainda são objeto de estudo. Elas visam a permitir que os passageiros possam curtir atrativos da rota, com a possibilidade de embarcar novamente no ônibus e prosseguir na viagem", explica Moraes, ressaltando que outra inovação almejada é ampliar a oferta de horários do city tour.

A compra dos veículos, feita a partir de convênio com a Secretária Municipal do Turismo, prepara a Capital para a chegada de grande número de turistas para a Copa de 2014. Os novos ônibus deverão ser entregues pela fabricante até o início de fevereiro de 2012. Os equipamentos terão climatização e sistema informatizado de áudio para transmitir informações turísticas em quatro idiomas durante os roteiros. Como o veículo atualmente em circulação, os ônibus terão altura de quatro metros, sendo o andar superior aberto, e o piso rebaixado na parte dianteira, com circuito interno de TV, rampa de acesso para cadeirantes, janelas panorâmicas no piso inferior e capacidade para 74 passageiros.

A Linha Turismo da Capital transporta em torno de 5 mil pessoas por mês. Cerca de 50% são turistas. "A adesão dos porto-alegrenses nos passeios é importante, pois é o público local que dá sustentabilidade para o equipamento ficar à disposição dos visitantes", diz Moraes. Segundo o secretário, há a intenção de aumentar a frota de ônibus desta linha até 2014. Também será implementado sistema informatizado de bilhetagem, com reserva de lugares via internet e pagamento eletrônico das passagens por meio de uma página da web ou nos terminais de autoatendimento, que serão instalados nos Centros de Informação Turística. O valor da passagem é R$ 15,00.

Desde 2005, a linha também realiza passeios gratuitos através de cota social para entidades carentes e escolas públicas, contemplando 19 mil pessoas neste período. Em abril do ano passado, a pasta do Turismo criou, em parceria com a Secretaria de Educação, uma série de passeios antecedidos de palestras sobre turismo para alunos do segundo ciclo da rede municipal. Ao todo, 3,3 mil estudantes já participaram do projeto. "Com os dois novos veículos, iremos ampliar esta oferta", anuncia Moraes.



READ MORE - Porto Alegre terá novos ônibus para o city tour - Linha Turismo

Metrô de São Paulo pode ter VLT cearense

Liderando a comitiva do Estado de São Paulo ao Ceará no dia de ontem, o secretário dos Transportes Metropolitanos paulista, Jurandir Fernandes, admitiu que sua visita à fábrica de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT) da Bom Sinal, no Cariri, visa uma possível contratação dos carros cearenses para atender ao mercado daquela unidade federativa. Já o diretor comercial da empresa de Barbalha, Márcio Florenzano, garantiu que, em 2012, será fechado um contrato de "cerca de R$ 60 milhões de reais", a partir de negociações iniciadas neste contato.

A expectativa, segundo contou Florenzano, deve-se ao transporte férreo paulista não dispor de muitos veículos movidos a diesel, os quais são a especialidade da produção da Bom Sinal e podem ser utilizados nas linhas turísticas paulistas. "Esse é o foco que eu quero atacar, pois eles ainda tem cerca de 10 projetos diferentes", declarou, mencionando interesse também nos trechos regionais que estão sendo estudados em São Paulo, pelos quais a capital será ligada às cidades do interior.
Modernização
Já o secretário daquele Estado disse esperar uma "modernização na questão da eletrificação", pela qual, segundo ele, será "um passo importante para ampliar o mercado" consumidor da empresa cearense.

Fernandes ressaltou o uso da rede elétrica como fundamental para conceder robustez ao carro, principalmente quando este é usado em um tráfego muito intenso, onde trens e VLTs correm próximos uns dos outros. "O fundamental é que o VLT cearense evolua para ser um veículo elétrico, por que aí ele fica muito mais aceito que o diesel. Se ele for diesel-elétrico, também serve", afirmou. A partir desta visita, segundo ele, irá acompanhar a "evolução" da produção cearense.

Atualmente, o secretário dos Transportes Metropolitanos de São Paulo contou que foram comprados mais de 54 VLTs para o atendimento à linha da região leste da cidade, mais 27 para cobrir a região do Morumbi e outros 20 para atender ao ABC Paulista.

"Só aí tem mais de uma centena de carros, e cada um deles tem entre quatro e sete vagões, então vamos ter mais de 400 carros. E cada carro destes fica na ordem de R$ 2 milhões, então, estamos falando de algo em torno de R$ 800 milhões", contabilizou, enfatizando que o montante conta apenas com o orçamento destinado ao "material rodante", ou seja, os vagões propriamente ditos. Ainda faz parte do todo necessário para o funcionamento dos trechos "a parte de energia, automação e sinalização, o que faz este valor quase dobrar".

Mais projetos
De olho em demandas como esta, a Bom Sinal espera conquistar diretores paulistas e fechar negócios para as próximas linhas em estudo de São Paulo. Por vir, estão listados o VLT da Baixada Santista e outras cidades do interior, as quais também optaram por este tipo de veículo. "Então, nós temos que verificar como o sistema daqui (do Ceará), evoluindo para eletricidade, pode servir", declarou Fernandes. A comitiva compareceu à estação com maior índice de conclusão, a São Benedito, no Centro, onde representantes paulistas conheceram os trechos pelos quais a linha Oeste do Metrofor passa e as outras ainda em estágio inicial.

Competitividade

"O fundamental é que o VLT cearense evolua para ser um veículo elétrico"Jurandir FernandesSecretário dos Transportes Metropolitanos de SP
PARANGABA-MUCURIPE
Licitação de novo trecho em dez dias
Anfitrião no encontro promovido pela Companhia Cearense de Transportes Metropolitano (Metrofor) e a pasta que dirige, o secretário de Infraestrutura do Estado do Ceará (Seinfra), Adail Fontenele, anunciou, durante a visita da comitiva paulista, a licitação do trecho Parangaba-Mucuripe do VLT. De acordo com ele, o documento deve ser divulgado nos próximos dez dias. Fontenele ainda afirmou que a outra linha do Metrô de Fortaleza, a que atenderá o lado leste da cidade, terá atividades divulgadas até o final deste ano.

Ao todo, a obra está estimada em cerca de R$ 3 bilhões e precisará, segundo o secretário, "cerca de seis anos de obras 24h por dia". Outro diferencial desta linha é que ela será totalmente submersa, ou seja, por baixo das principais avenidas da área nobre da cidade, como a Santos Dumont e a Antonio Sales.

A estimativa do secretário é de que as obras que ligarão o Centro da Capital ao bairro Edson Queiroz deverão começar entre fevereiro e março de 2012. "Até lá esperamos todos os procedimentos administrativos estarem resolvidos e a equação financeira também montada", declarou.

Ajuda do Metrô de SP
A participação mais acentuada de representantes do Metrô de São Paulo também é almejada pela Seinfra. Além do intercâmbio esperado desde o começo do ano, uma consultoria técnica deve fazer parte entre os dois governos. "É que o nosso trecho é exatamente igual a um trecho deles, o mesmo procedimento, o tipo de máquina que vai ser usada é exatamente o mesmo também. Então, é uma obra que temos muito a copiar do que foi feito por lá", declarou.

Desde o começo do ano, uma parceria foi fechada com os paulistas para treinamento de pessoal e consultoria. No entanto, ainda é esperada a publicação no diário oficial. Já a parceria com o Metrô de Recife teve duas turmas de operários treinadas, totalizando 35 pessoas.

"Eles vão começar a operação assistida e a primeira parte da operação comercial. Logicamente que estes funcionários não são suficientes. E aí faremos as licitações de terceirização", garantiu o presidente da Metrofor, Rômulo Fortes. (AOL)
ATÉ MARÇO"Esperamos todos os procedimentos administrativos estarem resolvidos"Adail Fontenele - Secretário de Infraestrutura do Ceará (Seinfra)


READ MORE - Metrô de São Paulo pode ter VLT cearense

Faltam ciclovias em todo o Distrito Federal

O trânsito caótico com longos congestionamentos, a falta de estacionamento e a poluição causada pelos veículos fazem cada vez mais parte do cotidiano dos brasilienses. Aproveitando a Semana da Mobilidade e a Semana do Trânsito, o Governo do Distrito Federal (GDF) começou a estimular as pessoas a buscarem meios alternativos de se locomoverem.

Por meio de decreto, o GDF criou o Comitê Gestor da Política de Mobilidade Urbana por Bicicletas no DF, a fim de incentivar as pessoas a trocarem os automóveis pelas bicicletas. O superintendente de trânsito do Departamento de Estrada e Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), Murilo Melo, afirma que nos trechos rodoviários já existem 50 quilômetros de ciclovias implantadas, 172 quilômetros projetados e 31 em execução.

Brasília tem muitas vantagens para quem pedala: é plana, tem  avenidas largas e clima ameno. Porém, quem utiliza a bicicleta como meio de transporte garante que a capital está longe de ser ideal. “Brasília tem potencial muito grande para ter aumento de ciclovias, mas as condições criadas pelo poder público não são das melhores”, afirma Uirá Felipe Lourenço, presidente da Organização Não-Governamental Rodas da Paz.



READ MORE - Faltam ciclovias em todo o Distrito Federal

Curitiba tem 18 km de ciclovias em construção

Quatro vias em obras, 18 quilômetros de ciclovias a mais na cidade. A malha está sendo ampliada seguindo o Plano Diretor Cicloviário elaborado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) que orienta os projetos de urbanização e revitalização de ruas com infraestrutura cicloviária.

Segundo a coordenadora de Mobilidade Urbana do Ippuc, Maria Miranda, “não se trata apenas um plano de obras para a construção de ciclovias, mas sim um manual que estabelece as diretrizes de expansão da rede de infraestrutura cicloviária existente, considerando a malha viária da cidade e a necessidade de conexão com a região metropolitana”.

A maior ciclovia em construção, no momento, é na avenida Fredolin Wolf, via que está sendo praticamente reconstruída. São 7,6 quilômetros formando uma alternativa de acesso entre os bairros Santa Felicidade, São João e Pilarzinho, melhorando ainda os acessos aos parques Tanguá e Tingui e a saída da Ópera de Arame, cartões postais da cidade. Desse total, 4,5 quilômetros são novos, e três quilômetros é a revitalização da ciclovia existente.

Ciclofaixa - Do outro lado da cidade, a Prefeitura está implantando a primeira ciclofaixa, na avenida Marechal Floriano Peixoto, paralela à caneleta do expresso. A pista especial, que vai separar ciclistas e veículos, terá cor diferenciada, sinalização especial e iluminação.

A ciclofaixa está sendo feita junto com a obra de revitalização da avenida, com recursos da Prefeitura numa primeira etapa do viaduto da Linha Verde até o Terminal Carmo com cerca de quatro quilômetros. Outra parte da obra, chegando até a divisa com São José dos Pinhais, será feita com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Copa, e deve ser licitada em outubro próximo.

O projeto de urbanização da rua Eduardo Pinto da Rocha, com obras iniciadas em março de 2011, e previsão de término em 10 meses, também conta com implantação de ciclovia e de circulação compartilhada com 5 km de extensão.

O projeto da Linha Verde Norte prevê a implantação de circulação compartilhada em seus 8 km de extensão, dando continuidade aos 10 km já implantados na Linha Verde Sul. O primeiro trecho de obras da Linha Verde Norte, com extensão de 1,8 quilômetros, ligando o Jardim Botânico ao Tarumã, já sendo executado, e junto está a continuidade da ciclovia, que futuramente cruzará a cidade de Norte a Sul, com quase 20 quilômetros de extensão, do Contorno Sul ao Atuba.

Com 5,5 quilômetros de extensão, a Rua Toaldo Túlio, importante via de ligação dos bairros Santa Felicidade, Orleans e São Braz, cuja obra de revitalização foi inaugurada em fevereiro deste ano, conta com faixa para circulação de bicicletas compartilhada com pedestres e também com paraciclos.

O Ippuc está projetando ainda a implantação de 10 quilômetros de infraestrutura cicloviária na avenida Comendador Franco (avenida das Torres). As obras integram o pacote de requalificação do Corredor Aeroporto/Rodoferroviária, financiado pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Copa 2014.

Previsto no Plano Diretor, o projeto para esse eixo prevê a implantação de infraestrutura cicloviária nos dois lados da avenida das Torres, com sentidos opostos, totalizando 20 quilômetros no trecho até a divisa com São José dos Pinhais.

Ciclovias em obras na cidade
Eduardo Pinto da Rocha (5km)
Ciclofaixa Marechal (4km)
Fredolin Wolf (4,5km - novos, e 3km de revitalização existente)
Linha Verde Norte (1,8 km)
Ciclovia em projeto
Avenida das Torres (10 km de cada lado da via)





READ MORE - Curitiba tem 18 km de ciclovias em construção

Em São Paulo, Bilhete único metropolitano funcionará em 20 estações até o fim do ano

O bilhete único metropolitano vai começar a funcionar nas 20 principais estações que possuem integração entre EMTU, CPTM e Metrô até o final do ano, segundo o secretário de desenvolvimento metropolitano, Edson Aparecido. Já a inclusão dos ônibus municipais no sistema deve acontecer apenas no início de 2012.

- Os testes nos validadores já foram feitos. Até o final do ano, as 20 principais estações que integram os modais estatuais já terão bilhete único metropolitano. Numa segunda etapa, virão os municípios.

O tempo que os usuários terão para fazer as integrações, entretanto, ainda não foi definido. As declarações foram feitas pelo secretário na cerimônia de instalação do conselho consultivo que vai administrar a RMSP (Região Metropolitana de São Paulo), na manhã de4sta terça-feira (20).

A nova gestão da região foi criada por meio de uma lei sancionada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), em junho deste ano, e visa criar soluções integradas para os 39 municípios da Grande São Paulo.

O prefeito Gilberto Kassab foi escolhido como primeiro presidente do conselho, que terá sua primeira reunião em cerca de 15 dias. EM seu discurso, Kassab enumerou as cinco prioridades que deverão ser discutidas pelo conselho: saneamento básico, coleta e tratamento de lixo, transporte público, poluição ambiental e a construção de um terceiro aeroporto na RMSP. Segundo o prefeito, a possibilidade de pensar em soluções conjuntas é de extrema relevância.

- Considero esse dia um dos mais importantes dos últimos tempos para o fortalecimento dos municípios. 



Fonte: R7.com


READ MORE - Em São Paulo, Bilhete único metropolitano funcionará em 20 estações até o fim do ano

SMTU reafirma que dados do transporte coletivo de Manaus não são confiáveis

O superintendente Municipal de Transporte Urbano (SMTU), Marcos Cavalcante, voltou a afirmar, ontem, que os dados  do sistema  de transporte coletivo de Manaus não são confiáveis. “Isso é publico e notório, por isso vamos passar a ter o controle do sistema. Mas em relação à tarifa, que será de R$ 2,75, o cálculo já foi feito. A SMTU já faz essa verificação”, enfatizou. A Prefeitura de Manaus prevê que o aumento da tarifa saia até o final de outubro.

Cavalcante já tinha feito a afirmação na semana passada no seminário de transporte realizado na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o que provocou a reação dos vereadores na sessão de ontem.

O vereador Mário Frota (PDT) afirmou que vai pedir as planilhas. “O próprio Superintende disse que os dados não são confiáveis. Muitos prefeitos de várias administrações têm feito os reajustes baseados nos dados do Sinetram”, enfatizou Frota.
O vereador Elias Emanuel (PSB) disse que irá à Justiça para contestar o valor estipulado para o aumento da tarifa. “Considerando a opinião do Marcos Cavalcante, nosso único caminho é recorrer à Justiça quando aumentar a tarifa”, disse.

A questão da planilha causa polêmica desde 2004, quando foi instaurada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que constatou um acréscimo indevido de R$ 0,20 na tarifa. Atualmente a oposição tenta aprovar uma nova CPI. O petista Waldemir José, que conseguiu coletar 60 mil assinaturas em um abaixo-assinado a favor da comissão, afirmou em discurso no plenário que vai insistir na CPI. “Vamos tentar sensibilizar os colegas que ainda não estão convencidos da necessidade de passar a limpo a questão do transporte. A licitação trouxe apenas duas situações: o preço que vai para R$ 2,75 e uma dívida de R$ 150 milhões em questões trabalhistas”, declarou.

Apesar das críticas tanto de vereadores da base aliada da Prefeitura, quanto da oposição, avaliaram de maneira positiva o seminário de transporte. No discurso da base aliada é mantida a ideia do debate em torno do transporte como política de Estado. O presidente da câmara, Isaac Tayh (PTB), afirmou que até amanhã todas os documentos do seminário devem ser enviados ao Ministério Público e reagiu à proposta de CPI.

“O Ministério Público não esteve na nossa audiência, mas nós vamos enviar (os documentos), assim como aos outros órgãos e à imprensa. Agora, em relação à tarifa, nos temos que lembrar que há um contrato”, finalizou.


Fonte: D24 Am

READ MORE - SMTU reafirma que dados do transporte coletivo de Manaus não são confiáveis

Programa Despolir vistoria metade da frota de ônibus de Campina Grande

A frota de ônibus do transporte público de passageiros de Campina Grande passará, novamente, por vistoria do Despoluir, programa de melhoria da qualidade do ar e redução de poluentes, desenvolvido pela CNT e pela Federação da Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste (Fetronor).

O Programa Despoluir tem como objetivo combater a emissão de poluentes no setor de transporte de passageiros, através do monitoramento da frota de ônibus em circulação na cidade.

Durante toda esta semana, 50% dos ônibus urbanos e rodoviários de Campina Grande, estimada em 250 veículos. Na última vistoria realizada pelos técnicos do Despoluir na frota de Campina, em junho deste ano, registrou-se um índice de 95,80% de aprovação em consonância aos limites de emissão de fumaça estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA.

Como funciona: uma unidade móvel do programa Despoluir, equipada com opacímetro (aparelho que mede o nível de fumaça emitido pelos motores ciclo diesel) visita sistematicamente as empresas e terminais de passageiros.

Os motores dos veículos são analisados pelo equipamento que está conectado a um computador, gerando automaticamente os resultados sobre os níveis de emissão de fumaça, conforme os limites estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA (resolução nº 16/1995 e nº 251/99).

Nas situações em que os resultados ultrapassem os limites permitidos pela legislação, a empresa é notificada sobre os veículos reprovados e o Programa Despoluir volta a analisar o mesmo ônibus num período de 90 dias. Os veículos aprovados recebem o SELO DESPOLUIR, que possui validade de até 180 dias.

O programa é uma iniciativa, criada desde 1997, da Confederação Nacional do Transporte – CNT em parceria com a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste - FETRONOR, em operação nos estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. No estado da Paraíba, o programa conta com o apoio dos sindicatos SITRANS-CG e SETRANS-PB.

Fonte: Assessoria de Imprensa Fetronor

READ MORE - Programa Despolir vistoria metade da frota de ônibus de Campina Grande

Kassab cumpre poucas metas de mobilidade urbana em São Paulo

Obras destinadas a melhorar a mobilidade urbana na capital paulista estão atrasadas e parte delas dificilmente será cumprida até dezembro de 2012, quando termina a gestão do prefeito Gilberto Kassab (ex-DEM, em direção do PSD), aponta Marco Nordi, um dos coordenadores do grupo de trabalho sobre mobilidade urbana da Rede Nossa São Paulo. “Até agora, poucas metas foram cumpridas.”

Em entrevista à Rede Brasil Atual, na semana de mobilidade, capitaneada pela ONG por ocasião do Dia Mundial Sem Carro, em 22 de setembro, Nordi avalia que metas como a implantação de 66 quilômetros de corredores de ônibus, renovação de abrigos de paradas de ônibus, duplicação da estrada M´Boi Mirim e da avenida Roberto Marinho (ambas na zona sul) dificilmente ficarão prontas até o fim do ano que vem.

De acordo com Maurício Broinizi, coodenador da Rede Nossa São Paulo, a prefeitura “patinou” no cumprimento das metas em geral. Das 223 metas estabelecidas pela gestão de Kassab, 40 foram cumpridas. A exigência de apresentação de um plano de metas para a cidade foi aprovada pela Câmara Municipal de São Paulo em fevereiro de 2008 e entrou em vigor em janeiro de 2009, com a posse de Kassab.

A ausência de investimentos já é sentida na baixa velocidade dos corredores de ônibus. Em horário de pico, os veículos não conseguem andar a mais que 10 km/h, informa o consultor de engenharia de tráfego e transporte, Horácio Figueira. O ideal seria pelo menos 18 km/h. “O congestionamento de automóveis é inevitável e o de ônibus é imperdoável, porque é responsabilidade do poder público”, dispara.

A construção de ciclovias na periferia também está pendente. “São Paulo é terceiro mundo em ciclovias”, relata Nordi. Ele e Broinizi criticaram, na semana passada, propaganda oficial da prefeitura de São Paulo que inclui ciclofaixas de lazer, existentes apenas aos domingos, entre as áreas disponíveis para ciclistas trafegarem em São Paulo. “As pessoas não podem usar a ciclofaixa de lazer de segunda a sábado, porque passam carros no lugar. É uma mentira o que a prefeitura cita”, critica o coordenador da Rede Nossa São Paulo.

Outra promessa sem cumprimento é a construção de 600 quilômetros lineares de calçadas, que foram transformados na meta de 600 quilômetros quadrados. “A prefeitura fez um ajuste esperto”, explica Nordi. Na curta lista do que foi cumprido, o especialista em mobilidade cita a pavimentação de 200 quilômetros de vias.

Sem diálogo
Apesar do empenho dos movimentos sociais que conseguiram aprovar em 2010, na Câmara Municipal de São Paulo, diretrizes para o plano municipal de mobilidade e orçamento de R$ 15 milhões para desenvolvê-lo, a prefeitura ainda não se moveu para dar início ao planejamento. “Nada foi feito para a implantação do plano. Era só chamar profissionais, pesquisadores de universidade, mas não houve resposta da prefeitura e de repente sai um monotrilho da cartola. Com que planejamento?”, questiona.

O Conselho Municipal de Transportes é outra lacuna no setor. “Há um silêncio por parte da prefeitura e não há diálogo com a Secretaria Municipal de Transportes”, descreve. Eleição para o conselho municipal da área ainda continua pendente.


Fonte: Rede Atual Brasil


READ MORE - Kassab cumpre poucas metas de mobilidade urbana em São Paulo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960